Você está na página 1de 12

Gás Natural

Principais aspectos para uma


política de longo prazo

novembro de 2009
Novo Desafio: Política Nacional
para o Gás Natural

OBJETIVO
 Construir uma política nacional duradoura para o gás
natural que seja sustentável e competitiva para todos os
agentes envolvidos na cadeia produtiva do energético.

ESTRATÉGIA
 Elaborar um projeto consistente e factível que agregue
valor ao gás natural posto que o Brasil será um grande
produtor de gás a partir de 2015 com a entrada em
operação de novos campos e alguns campos do Pré-Sal.
Política Nacional
para o Gás Natural

• Demanda - Como estamos?


Distribuição do GN por
Distribuição do consumo GN industrial segmentos de consumo
em 2008 em 2008
não ferrosos e outros Segmentos Consumo
metalurg. MM3/dia
mineração e pelotização 7% cerâmica
11% Industrial 26,7
4%
ferro ligas
0% papel e celulose Residencial 0,7
7%
ferro gusa e aço
16% têxtil Comercial 1,1
4%
cimento Transportes 7,4
0% alimentos e bebidas
7% Total consumo não térmico 35,9
outras indústrias
9%
Consumo Total: não térmico 62,74
+Geração + Transformação
+produção derivados
química
35%
Fonte: BEN, 2008 e ABIQUIM, 2009
Observação: Inclui consumo como combustível e matéria prima
Política Nacional
para o Gás Natural

• Demanda - Como estaremos?


Consumo de GN não térmico, realizado e estimativas (2000-2013)
Gás Natural - MM³/dia (2000-2013)
60,0

50,0 49,0
45,0 50,0
38,0
40,0 41,0
36,0
31,0 37,0
30,0 34,0
25,0
28,0
20,0 20,0
41 mm3/dia =
17,0 demanda industrial
10,0 14,0
Incremento de cerca 35% na demanda não
térmica nos próximos 4 anos
0,0
2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013

Fonte: Plano de Negócios da Petrobras, 2009-2013


Política Nacional
para o Gás Natural

 Oferta - Como estaremos?

Produção GN no Brasil, Realizado e Estimativas - Petrobras


750

2009-2013 - Entrada em operação e expansão de diversos


650 634
campos: Manati, Lagosta, Canapu, Camarupim, Urucu, Piloto
de Tupi, Guará, Iara e outros
550

463
mil boe/dia

450

350 321
274 277 273
251 265
252
250 232

Em 2013 estaremos produzindo o


150 equivalente a cerca de 100 milhões
de m3/dia de GN
50
2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2013

Fonte: Plano de Negócios da Petrobras, 2009-2013


Política Nacional
para o Gás Natural

•Mercado Potencial – GN Matéria - Prima

Mercado potencial para utilizar o GN como matéria prima na indústria


química
Crescimento do uso do GN pela Ind. Química *
ano mm3/dia
2006 1,8 Variação de cerca de
2007 1,9 256% entre 2006 e 2013.
2008 2,3
2013 6,4

*Não inclui as duas Fábricas de Fertilizantes Nitrogenados da Petrobras (FAFENS)


e projeto amônia e uréia da Petrobras, considera política de preço diferenciada para
GN matéria-prima
Fonte: ABIQUIM, 2009
Política Nacional
para o Gás Natural

• Mercado Potencial - GNV


Estimativa de uso do GNV considerando substituição da frota de
ônibus movido a Óleo Diesel da Região Metropolitana do RJ

Qtd. de ônibus RMRJ = 15.000 unidades


Estimativa de conversão = 30% da frota
Qtd de OD/dia por ônibus = 100 litros
Considerando 1m3 = 1litro de OD
Possibilidade de substituição OD/GN = 450.000 litros ou aproximadamente 450
mil m3/dia – Número pequeno perto da disponibilidade total

Benefícios: O consumo de GNV quando comparado com o OD emite


38% a menos de CO e 13% a menos de hidrocarbonetos. As emissões
de material particulado, óxidos de enxofre e de nitrogênio são
insignificantes.
Fonte: Elaboração própria a partir de CETESB e FETRANSPOR
Política Nacional
para o Gás Natural

Mercado de GN - Mudanças Geopolíticas

Novo Paradigma – Mudanças


Geopolíticas
•Novas descobertas de GN nos
EUA
•Preço do GN no HH em queda
•Acesso ao gás natural em
condições mais econômicas

Em outubro de 2009
Preço Nacional Médio Referencia – 9,25 US$/MM Btu

Fonte: Nymex GN Bolívia – 6,57 US$/MMBtu


Política Nacional
para o Gás Natural
• Considerações Finais
•O atual panorama indica que o Brasil terá sobre oferta de gás natural no
horizonte decenal. O planejamento da Petrobras até agora estaria indicando um
direcionamento do excedente do gás natural para o mercado externo, o que
contraria a tendência do mercado mundial em função das mega descobertas de
GN nos EUA o que levará a uma substancial queda de preços desse produto no
mercado internacional. Por via de consequencia o excedente que deverá ser
produzido no Brasil, deveria ser direcionado ao mercado interno que possui
grande potencial para absorvê-lo.
•Para que o mercado interno com agregação de valor (GNV, indústria e etc)
possa absorver os novos patamares de produção de gás natural são necessárias
modificações estruturais na atual política energética para o GN.

• Chama-se a atenção para os fatores institucionais e econômicos que precisam


ser considerados na formulação de uma política energética saudável para o gás
natural.
Política Nacional
para o Gás Natural

Institucionais:
•Viabilizar a atração de investimentos, a entrada de novos agentes
supridores e expandir a capacidade de transporte de acordo com os
novos mecanismos que foram estabelecidos na Lei do Gás. É importante
aumentar a competitividade do mercado.
•Estimular parcerias público privadas para evolução malha dutoviária
•Reformular políticas tributárias sobre o energético visando reduzir a alta
carga tributária sobre os consumidores finais.
•Elaborar políticas que incentivem o aumento da utilização mais nobre
(agregação de valor) do gás natural no mercado interno (GNV,
substituição do OD utilizado nas frotas de ônibus e matéria-prima para a
indústria química,) de forma que o produtor de gás se sinta induzido em
formular preços competitivos para setor.
Política Nacional
para o Gás Natural

Econômicas:
•Aumentar a disponibilidade de capital para financiar investimento
(BNDES) no desenvolvimento de uma indústria que apresente usos mais
nobres para o GN (matéria-prima, petroquímica, GNV e substituição do
OD).
•Aumentar o nível de transparência na formação dos preços
principalmente na parcela transporte e produto.
•Avaliar a atual política de preços para o gás natural nacional que atrela o
preço do produto ao preço do barril do petróleo. O preço do gás natural
nacional deverá refletir o preço internacional do gás natural
•Promover no âmbito das agencias reguladoras o debate sobre o cálculo
tarifário no sentido de definir entre os agentes os reflexos sobre os
consumidores finais.
Política Nacional
para o Gás Natural

Obrigada

Tatiana Lauria
GNI - Gerencia de Novos Investimentos e Infraestrutura
SISTEMA FIRJAN
Tel. 21-2563 4126
E-mail: tlsilva@firjan.org.br