Você está na página 1de 35

José Sergio Gabrielli de Azevedo ALERJ – Março 2009

Presidente

Plano de Negócios 2009-2013


PLANO DE NEGÓCIOS - MAIORES INVESTIMENTOS APROVEITANDO O PORTFÓLIO DE OPORTUNIDADES

PN 2009-13 | Período 2009-2013 *


PN 2009-13 | Brasil vs. Exterior
2% 2% 2%
3% US$ 174,4 bilhões 9%
7% 5,6 3,0 E&P
11,8 2,8 16,2 US$ 174,4 bilhões
RTC
3,2 Brasil
G&E
Exterior
Petroquímica
158,2
43,4 104,6 (*) Distribuição
25%
59%
Biocombustíveis

Corporativo 91%

(*) US$ 17,0 bi em Exploração

PN 2008-12 | Período 2008-12 *


2% 1% 2%
4%
6%
US$ 112,4 bilhões
4,3 2,6 E&P
6,7 1,5
2,5 RTC
G&E
Petroquímica
26% 29,6 65,1
Distribuição
59%
Biocombustíveis

Corporativo

* Inclui Investimentos no Brasil e no Exterior 2


MAIOR PARTE DO AUMENTO DOS INVESTIMENTOS DESTINADA A NOVOS PROJETOS

EVOLUÇÃO DO CAPEX PN2008-2012 PARA O PN 2009-2013

17,1 3,4 2,9 8,1

47,9

174,4

111,2

Investimentos 2009- +Novos Projetos +Aumento de Custos +Mudança no escopo +Taxa de câmbio - Outros* Investimentos 2009-
2013 incluídos no PN dos projetos 2013
2008-2012

(*) Alteração Mod. Negócio, Retirados, Desvio de Cronograma | Nota: Esses Investimentos não consideram reduções no custo dos projetos
3
PERSPECTIVAS PETROBRAS NO E&P

PRODUÇÃO TOTAL PETROBRAS (mil boed)

5,729
7,5% a.a.
632

1177
3,655
5.6% CAGR 8.8% a.a.
341
2,757
634
244
250 243 224 463
60 265 321
70 252 269 274 277 273 3.920
252 251 265
232 2.680
1.792 1.855 2.050
1.500 1.540 1.684 1.778
1.335 1.493

2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2013 2020

Produção de Óleo - Brasil Produção de Gás - Brasil Produção Internacional (óleo + gás)

4
A PETROBRAS ESTÁ TOMANDO MEDIDAS DE OTIMIZAÇÃO DE CUSTOS

Projeto
• Maior detalhamento  menor risco Cultura

Otimização de
• Simplificação
• Uniformização (ex: 8 FPSOs do pré-sal)

Custos
• Equipamentos padronizados Contratação
Contratação
• menores pacotes  participação de Projeto
empresas de médio porte
• maior acompanhamento físico e
financeiro dos empreendimentos
Cultura
• menor flexibilidade e redundância nas
plantas operacionais

5
PROVÍNCIA DO PRÉ-SAL

Área da Província: 112.000 km2


ESPIRITO SANTO
Área Total Concedida: 41.000
km2 (38%) MINA GERAIS
Área Não Concedida: 71.000
km2 (62%)
Área com Participação
Petrobras: 35.000 km2 (31%)
SÃO PAULO RIO DE JANEIRO

PARANÁ

Poços Testados
Campos HC
Blocos Exploratórios
Reservatórios Pré-sal

6
ESTIMATIVA DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO NO PRÉ-SAL

Produção de óleo no pré-sal Petrobras (mil bpd)

1.815
1.336 632
463
582
62 219 160 1,183
873
157 422
2013 2015 2017 2020

P ré-s al P etrobras P ré-s al P arceiros

Investimentos da Petrobras no Pré-sal até 2020

2009-2013 2009 -2020

Investimentos Petrobras no Pré-Sal (Desenv. da Produção) 28,9 111,4

Pré-Sal Bacia de Santos 18,6 98,8


Pré-Sal Espírito Santo (inclui os campos do pós-Sal) 10,3 12,6

7
NOVAS EMBARCAÇÕES

Planejamento de Entrega de Novas Embarcações


Recursos Críticos
de 2009 até 2013 de 2013 até 2015 de 2016 até 2020
Navios de Grande Porte (1) 44 5 0
Barcos de Apoio e Especiais 92 50 53
Plataformas de Produção (2) 15 8 22
Outros (Jaqueta e TLWP) 2 2 3
Total 153 65 78

Barco de Apoio Navio de grande porte (VLCC) Plataforma de Produção (FPSO)

SONDAS DE PERFURAÇÃO
Contratação de 40 navios-sonda e plataformas de perfuração semi-submersíveis
Os investimentos até 2017
previstos atendem às para operaçãoda
necessidades emcarteira
águas profundas
e ultra-profundas exploratória e de desenvolvimento da produção da Petrobras
- 12 primeiras obtidas através de licitação internacional, com recebimento até 2012 – Atender à necessidade de curto-prazo
da Petrobras enquanto a indústria nacional se prepara para as demais encomendas
- 28 construídas no Brasil e operadas por empresas brasileiras, com recebimento entre 2013 e 2017

(1) Promef 1 e Promef 2


(2) FPSO e SS 8
MERCADO DOMÉSTICO CRESCENTE…

Mil b/d
2876
3,3% a.a.
400
2257 150
Outros
1906 1945 3,0% a.a. 274
OC
112
182 202 Diesel
119 107 1224
QAV
901
Nafta
738 783
Gasolina
179
118 GLP
84 89 246
250 218 255

367 419
326 332
208 214 230 257

2007 2008E 2013E 2020E

9
INVESTIMENTOS PARA AUMENTAR A CAPACIDADE DE REFINO

CARGA DE PETRÓLEO PROCESSADA (MIL/BPD)

Premium II
300 mil bpd
3500 1ª Fase: 2013
2ª Fase: 2015

Premium I 3.012
3000 600 mil bpd
1ª Fase: 2013
2ª Fase: 2015
RNE UPB
2500 230 mil bpd 150 mil bpd
2011 Dez/2012 2.270

REPAR
2000 Revamp
1.779 1.791
25 mil bpd
REPLAN 2011
Revamp
1500
33 mil bpd
2010

1000 Refinaria
Clara
Camarão

500

0
2008 2009 2010 2011 2012 2013 2020

10
ADAPTANDO AS REFINARIAS PARA OTIMIZAR PERFORMANCE E ASSEGURAR A
SUSTENTABILIDADE

QUALIDADE DA GASOLINA QUALIDADE DO DIESEL

2009 2010 2011 2012 2013 2009 2010 2011 2012 2013

Gasolina Regular Diesel


Gasolina regular Transição
0,005% S S-1800

Diesel
S-500
RECAP REPAR
Diesel e Gasolina
Gasolina Diesel
S-50
REDUC REPLAN
Gasolina Gasolina Diesel
S-10
REFAP REVAP
Gasolina Gasolina
RECAP RLAM REFAP REPLAN
REFAP Diesel e Diesel Diesel Diesel
Gasolina Gasolina
REGAP RPBC
RLAM Diesel Diesel
Gasolina
REGAP
RPBC Revamp
Gasolina HDT

MELHORAR A QUALIDADE DA GASOLINA E DO DIESEL, REFORÇANDO SEU COMPROMISSO COM A


SUSTENTABILIDADE E ATENDENDO AS REGULAÇÕES AMBIENTAIS E REDUZIR AS EMISSÕES

11
TERMINAIS

26 terminais aquaviários, operados por


meio de píeres, monobóias ou de quatro
bóias.

20 terminais terrestres.

INVESTMENTOS EM LOGÍSTICA – DUTOS E TERMINALS

Os investimentos previstos atendem às necessidades da carteira


Investimento Total: US$ 3,7 bilhões entre 2009-2013;
exploratória e de desenvolvimento da produção da Petrobras
Principais Projetos:
 Expansão do Armazenamento nos portos de Santos e Paranaguá;
 Melhorias no tratamento de efluentes nos terminais de São Sebastião (TEBAR), São Fransisco do Sul (TEFRAN),
Cabiúnas, Ilha Grande (TEBIG) e TEDUT;
 Implantação do Programa “Adequação de Suprimento de Petróleo” (PASP) e do Plano Diretor de Dutos, em
São Paulo, através de intervenções nos sistemas OSVAT e OSCAN, e novo píer no Terminal de São Sebastião;
 Melhora no sistema de escoamento de petróleo nos portos de Santos e Paranaguá, e no Terminal Madre de
Deus (TEMADRE).

12
PRINCIPAIS PROJETOS DE GÁS E ENERGIA

1º ciclo de investimentos (até 2010) – Diversificação do Suprimento e integração da malha

+ 2. 332 km de gasodutos até 2010


+ 19 novas usinas de energia
+ 1.236 MW até 2010
+ Terminal de GNL da Baía de Guanabara

2º ciclo de investimentos (2011 em diante) – Flexibilidade de Suprimento e Diversificação de Oferta


+ 307 km de gasodutos
+ novas estações de compressões;
+ 2 terminais de GNL (Terminal Regás-Flex)
+ usinas a Gás Natural

13
BIOCOMBUSTÍVEIS E ENERGIAS LIMPAS

INVESTIMENTOS EM BIOCOMBUSTÍVEIS Atuar, globalmente, no segmento de bicombustíveis,


US$ 2,8 BILHÕES com participação relevante nos negócios
de biodiesel e de etanol

16% Atuar no negócio etanol, participando da


cadeia produtiva nacional e do
desenvolvimento de mercados
internacionais
Atuar no negócio biodiesel, participando
da cadeia produtiva nacional e atuar
seletivamente no exterior, priorizando
matérias-primas da agricultura familiar de
forma sustentável
84% Assegurar o desenvolvimento de
tecnologias competitivas para a produção
Etanol Biodiesel
de biocombustíveis, a partir,
principalmente, de matérias-primas de
biomassa residual

14
BIOCOMBUSTÍVEIS E ENERGIAS LIMPAS

MERCADO DE BIODIESEL NO BRASIL E


EXPORTAÇÃO DE ETANOL (mil m³) META DE PRODUÇÃO DA PETROBRAS* (Mil m³)

4500
3000
4000 2.649
40,6% a.a. 17,9% a.a.
2500
3500

3000 2000

2500
4.225 1500 1.372
2000

1500 1000

1000
500
500 1.081 401 Market-share 535
Petrobras (20%)
0 0 (29%)
2009 2013 2009 2013

* Caso base: Demanda Legal B5 em 2013 15


GRANDE COLOCAÇÃO DOS INVESTIMENTOS JUNTO A FORNECEDORES NACIONAIS

A média anual de colocação no mercado nacional será de US$ 20 bilhões

US$ Bilhões

Investimento Colocação no Conteúdo


Área de Negócio Doméstico Mercado Nacional Nacional
2009-13 2009-13 (%)

E&P 92,0 48,9 53%

Abastecimento 47,8 37,6 79%

Gás e Energia 10,6 7,4 70%

Distribuição 2,1 2,1 100%

Biocombustível 2,1 1,8 85%

Áreas Corporativas 3,6 2,9 80%

Total 158,2 100,7 64%

16
PROMINP - DEMANDA DE RECURSOS HUMANOS

2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016
120.000

100.000

80.000

60.000 174.000

40.000

43.000 Plano de Negócios 2009 – 2013


20.000 69.000
Pessoal
qualificado

Plano de Negócios 2008- 2012


0

17
PROMINP - DEMANDA DE RECURSOS HUMANOS

2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016
120.000
120.000
Projetos do Plano de Negócios
2008 – 2012
28 Sondas
100.000 146 Barcos de Apoio

Novas Plataformas de Produção

Promef II
80.000 Afretamento 19 Navios

Refinaria Premium II

Refinaria Premium I
60.000

40.000

243.000
43.000 Plano de Negócios
20.000 2009-2013
Pessoal
qualificado

Atualização 16mar2009

18
INVESTIMENTOS E POSTOS DE TRABALHO NO PAÍS

US$ 158,2 bilhões (1.044 mil postos de trabalho)


no Brasil

Valores a definir: US$ 17 bilhões


(137 mil postos de trabalho)

Nota: Demanda por postos de trabalho no país referente aos investimentos de cada região 19
PRINCIPAIS DESAFIOS DA INDÚSTRIA DE PETRÓLEO NO BRASIL

DESAFIOS

Melhoria de Infra-estrutura
Suprimento de Material Crítico
(Importações)
Equipamentos de Perfuração
Posicionamento Dinâmico e Sistemas de Estaleiro Brasfels em Angra dos Reis. Construção de P-51
Propulsão e P-56.
Processo e Oferta de Produção de Aço
Força de Trabalho qualificada para
construção e operação
Financiabilidade
Otimização de custos

Estaleiro Rio Grande em construção. Preparado para a


construção de plataformas.

20
A PETROBRAS NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

Centro de Pesquisas e Desenvolvimento


Universidade
Leopoldo Américo Miguez de Mello
Petrobras
(CENPES) Cerca de mil pessoas são treinadas por dia
Antecipa e supre as necessidades tecnológicas de todas as áreas da Companhia,
impulsionando o crescimento da Petrobras no cenário da energia mundial.

Evolução dos Investimentos em P&D

2.000
(em R$ MM) 5,0%
1.800 1.712 1.708
1.580
1.600 4,0%
1.400
1.200 3,0%
935
1.000
800 696 2,0%
571
600 421
400 310 1,0%
1,2% 1,1% 1,0%
200 0,8% 0,7% 0,8%
0,6% 0,7%
- 0,0%
2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008

Dispêndios em P&D % sobre a receita liquida do ano anterior Sede da Companhia e de suas Subsidiárias
Utilização de várias instalações Prediais
Empregados no Estado 29.050

26
A PETROBRAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Exploração & Produção

Produção de Óleo e Gás: responde por 83% da produção média nacional de


petróleo.
Produção de Gás: responde por 43% da produção média nacional de gás.
Reservas: abriga cerca de 80% das reservas já descobertas pela Petrobras no
Brasil.
É a maior reserva petrolífera da Plataforma Continental brasileira.
Infra-estrutura: 55 campos, 735 poços em operação, 50 plataformas
marítimas.

22
Gás e Energia

Usinas de Geração de Energia Elétrica do RJ


- Unidades Existentes -
UTE Barbosa Lima Sobrinho
Localização: Seropédica
Capacidade de Geração: 386 MW
Consumo de Gás: 2.304.000 Nm3 / dia
Participação: 100% Petrobras

Conversão UTE para operar com Bicombustível


Investimentos:R$ 80,7 milhões
Descrição: Conversão da Térmica para bi-combustível
visando garantir a confiabilidade de operação com
matéria-prima alternativa.
Início de Operação: Nov/2008
Gás e Energia

UTE Governador Leonel Brizola (Termorio)


Localização: Duque de Caxias
Capacidade de Geração: 1.063 MW
Consumo de Gás: 5.199.112 Nm3 / dia
Co-geração de vapor: 400t/h
Participação: 100% Petrobras

UTE Mário Lago (Termomacaé)


Localização: Macaé
Capacidade de Geração: 922 MW
Consumo de Gás: 2.784.000 Nm3 / dia
Participação: 100% Petrobras
A PETROBRAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Refino
REDUC
• É a 4ª maior refinaria da Petrobras em termos de capacidade instalada.
• Está passando por um grande processo de modernização e ampliação. Um dos objetivos é
melhorar a qualidade dos combustíveis.
• Cerca de 6 mil empregos estão sendo gerados na fase de obras.
Petroquímica

COMPERJ
• Processamento de 150 mil barris por dia de petróleo pesado;
• Produção de produtos petroquímicos de segunda geração, como polietilenos,
polipropileno, PTA, PET, etilenoglicol e estireno;
• Partida prevista para 2012 ;
• Seis sociedades anônimas, subsidiárias integrais;
• Terraplenagem: Conclusão em Dez/2009;
• Geração de mais de 200 mil empregos diretos, indiretos e por efeito renda.
• De acordo com estudos da Fundação Getúlio Vargas, há potencial para instalação
de cerca de 720 empresas na região até 2015, na indústria de transformação, para
produzir plásticos a partir dos produtos do COMPERJ

25
A PETROBRAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Transporte Marítimo

1ª fase do Promef
• Transpetro contratou 4 navios ao Estaleiro Mauá, em Niterói.
• Empregos: 2 mil diretos e 6 mil indiretos.
• Outros 4 navios foram contratados ao Estaleiros Eisa, no Rio de Janeiro.
• Empregos: cerca de 2.500 diretos e 7.500 indiretos.

2ª fase do Promef
• Está em licitação a construção de 22 navios. 20 estaleiros brasileiros foram convidados a
participar, 11 dos quais situados no Estado do Rio. Destes, 4 já tiveram suas propostas
técnicas aprovadas.

26
Participações Governamentais – RJ

R$ 10,14 bilhões em 2008 – 46% mais que em 2007

Esse foi o montante recebido pelo Estado do Rio


de Janeiro e pelos municípios fluminenses, sob
forma de participações governamentais
(royalties + Participação Especial).

(bilhões)
UF e Municípios Royalties Part. Especial Total
Estado 2,26 4,32 6,58
Municípios 2,48 1,08 3,56
Total 4,74 5,40 10,14

Fonte: ANP, 2008.


O município de Campos foi o que recebeu maior volume de
royalties de petróleo e PE: R$ 1,17 bilhão, seguido por Macaé,
que arrecadou R$ 501,68 milhões.
Royalties (2008)
“Compensações financeiras devidas pelas
concessionárias de exploração e produção de
petróleo ou gás, pagos mensalmente com relação a
cada campo, a partir do início da produção”.
Royalties recebidos pelo Estado: R$ 2,26 bilhão

 69% do total distribuído em 10 Estados da Federação


 21% do total distribuído no Brasil, incluindo Estados,
Municípios, Fundo Especial, Marinha e MCT.

Royalties recebidos pelos municípios: R$2,48 bilhão

 Municípios beneficiados: 87 dos 92.


 Municípios não beneficiados: Areal, Comendador Levy
Gasparian, Paraíba do Sul, Sapucaia e Três Rios.
 Campos e Macaé foram os que arrecadaram maior volume de
créditos: R$ 559,01 milhões e R$ 406,96 milhões,
respectivamente.
 Trajano de Moraes arrecadou o menor : R$ 3,79 milhões.
Participação Especial (2008)
“Devida pelas mesmas concessionárias nos casos
de grande volume de produção ou rentabilidade”.

Participação Especial recebida pelo Estado: R$ 4,32 bilhões


 95% do total distribuído em 6 Estados brasileiros.
 38% do total distribuído no Brasil.

Participação Especial recebida pelos municípios: R$ 1,08 bilhão


 Municípios beneficiados (10): Armação dos Búzios, Arraial do Cabo,
Cabo Frio, Campos, Carapebus, Casimiro de Abreu, Macaé,
Quissamã, Rio das Ostras e São João da Barra.
 Campos e Rio das Ostras foram os que arrecadaram maior volume de
créditos: R$ 609,56 milhões e R$169,50 milhões, respectivamente.
 Arraial do Cabo arrecadou o menor: R$ 812,94 mil.
Participações Governamentais X Receita

Em 2007, em cerca de 50% dos municípios fluminenses as participações


governamentais representavam até 10% da Receita Corrente Municipal
(RCM). Em 5% deles, o peso dessas participações era superior a 50%.

Gráfico – Peso das participações governamentais


nas receitas correntes municipais - 2007

4% 5%
12% Até 10% (inclusive)
da receita corrente
Entre 11% e 20% da
receita corrente
Entre 21% e 40% da
50% receita corrente
Entre 41% e 50%da
29% receita corrente
Mais de 50%

Fonte: ANP -2007; STN 2007 - último dado disponível.

No município de Campos, esse percentual chegava a 66% e em Quissamã, a 64%.


Demais municípios com peso das participações na RCM superior a 50%: Casimiro
de Abreu (54%) e Carapebus (52%).
Tributos (2008)

Além do recolhimento de royalties e participação especial, a


Petrobras recolhe aos cofres do Estado e dos municípios
fluminenses tributos como ICMS e ISS.

ICMS
A Petrobras foi responsável por 12% do recolhimento total de ICMS
do Estado. Ou seja, dos R$ 17,8 bilhões recolhidos, a Petrobras
participou com R$ 2,1 bilhões.

ISS
O montante de ISS recolhido aos municípios foi
de aproximadamente R$ 270,95 milhões. Os municípios para os quais
a companhia recolheu maior volume de ISS foram Macaé (R$ 102,62
milhões), Rio de Janeiro (R$ 84,04 milhões) e Duque de Caxias (R$
68,62 Mi.)
Plano Nacional de Qualificação Profissional
Resultados e Demanda Projetada – Rio de Janeiro

Profissionais Qualificados/Em Demanda Projetada


Qualificação 2010-2013
2006-2009

ENGENHARIA
ENGENHARIA 2.550
2.550 ENGENHARIA
ENGENHARIA 9.950
9.950

CONSTRUÇÃO
CONSTRUÇÃO CONSTRUÇÃO
CONSTRUÇÃO
CIVIL
5.900
5.900 CIVIL
2.700
2.700
CIVIL CIVIL
TOTAL
TOTAL TOTAL
TOTAL
CONSTRUÇÃO
CONSTRUÇÃO &
& CONSTRUÇÃO
CONSTRUÇÃO &
&
MONTAGEM
7.400
7.400 MONTAGEM
25.600
25.600
MONTAGEM 17.250
17.250 MONTAGEM 43.300
43.300
MANUTENÇÃO
MANUTENÇÃO MANUTENÇÃO
MANUTENÇÃO
DA
1.400
1.400 5.050
5.050
DA OPERAÇÃO
OPERAÇÃO DA
DA OPERAÇÃO
OPERAÇÃO

32
RESPONSABILIDADE SOCIAL

Mais de R$ 130 milhões destinados a projetos ambientais, sociais, culturais e esportivos no Estado do
Rio de Janeiro em 2008.

• Foram cerca de 250 projetos patrocinados em diversos municípios fluminenses.


• Patrocínios culturais: R$ 62 milhões.
• Patrocínios esportivos: R$ 11,8 milhões.
• Patrocínios a projetos ambientais:R$ 12,5 milhões.
• Patrocínios a projetos sociais: R$ 44,4 milhões.

33
GRANDES OPORTUNIDADES NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO GERADAS PELO PN 2009/2013

US$ 158,2 bilhões no Brasil


Principais Projetos
Rio de Janeiro
E&P
Pré-Sal, Roncador, Marlim, Marlim Sul, Marlim
Leste, Papa-Terra, Atlanta, Pirapitanga

Abastecimento
Projetos REDUC (Qualidade e aumento do
processamento do óleo nacional)

Gás & Energia


Terminal de GNL/Regás;
GASDUC III, Japeri/REDUC, Gasbel II,
Japeri/Sepetiba

Petroquímica
Sudeste: US$ 103 bilhões Unidades do Comperj

65% do total Biocombustíveis


REDUC-HBIO
Distribuição

34
34