Você está na página 1de 10

O esquema básico de estruturação da prova dissertativa

Editora Ferreira Projeto Redação sob Medida

Aula 03 – O esquema básico de estruturação da prova dissertativa

Esta aula busca oferecer ao aluno-redator algumas informações básicas sobre o

texto expositivo-argumentativo, denominação sob a qual se reúnem certas variantes

do chamado gênero dissertativo – o preferido em 9 de cada 10 concursos realizados.

Assim, após relembrar as noções de tipos textuais e gêneros discursivos,

apresentamos ao candidato um esquema básico para a estruturação da sua redação.

Use-o com moderação!

I. O texto expositivo-argumentativo

Gênero hegemônico nas provas

O que afirmamos nesta aula não é fruto de mera especulação. Conforme se

poderá ver no quadro abaixo transcrito, os textos de natureza dissertativa constituem

maioria absoluta entre as propostas elaboradas para as provas discursivas de diversos

concursos realizados desde o ano de 2010. Confira abaixo, no quadro sinóptico dos

certames que pesquisamos (alguns dos quais foram inclusive selecionados como temas

para a sua redação), os gêneros estipulados pelos enunciados oficiais:

Banca

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Ano

Concurso (Cargo)

Gênero discursivo

Cespe/UnB

2012

ANAC (Analista)

Texto dissertativo

Cespe/UnB

2012

MCTI (Analista)

1. Nota Técnica / 2. Estudo de caso

Cespe/UnB

2012

STJ (Analista)

Texto dissertativo

Cespe/UnB

2013

INPI (Nível Superior)

Texto dissertativo

ESAF

2010

CVM (Inspetor e Analista)

Texto dissertativo

ESAF

2012

Receita Federal (Auditor)

Texto argumentativo

ESAF

2012

Receita Federal (Analista)

Texto argumentativo

ESAF

2012

CGU (Analista)

Texto argumentativo

FCC

2011

Infraero (Economista)

Texto dissertativo-argumentativo

FCC

2011

TRF-1ª Região

Dissertação

FCC

2012

TRE-CE (Analista)

Texto dissertativo-argumentativo

FCC

2013

TRT-1ª Região (Analista)

Texto dissertativo-argumentativo

Cesgranrio

2011

FINEP (Analista)

Texto dissertativo-argumentativo

Cesgranrio

2011

BNDES (Técnico)

Texto dissertativo-argumentativo

Cesgranrio

2012

Caixa Econômica Federal

Texto dissertativo-argumentativo

Cesgranrio

2013

BNDES (Técnico)

Texto dissertativo-argumentativo

Texto dissertativo-argumentativo Cesgranrio 2013 BNDES (Técnico) Texto dissertativo-argumentativo 1 Aula 03

1

Aula 03

Curso de Redação sob Medida

A listagem de processos seletivos demonstra que os exames aplicados entre

2010 e 2013 possuem clara preferência por textos dissertativos (expositivo- argumentativos), com raríssimas exigências de outros gêneros discursivos. Há exceções dignas de nota, como o parecer e a peça judicial da prova para Procurador da AGU, em 2010, cujo domínio é um requisito imprescindível ao exercício desse cargo, ou o estudo de caso e a nota técnica exigidos no certame do MCTI (o “Estudo de Caso”, vale lembrar, também se constrói sob forma dissertativa, como a própria banca adverte no enunciado da questão). Se porventura incluíssemos os vestibulares e a redação do ENEM, o resultado não seria muito diferente. Até mesmo os vestibulares fluminenses (UERJ, UFF e UFRJ), que em edições do século passado sugeriam propostas com gêneros mais variados aos candidatos, terminaram por restringir-se ao esquema geral da dissertação a partir da década de 2000. De fato, nos anos 80/90, não era raro solicitar-se a redação de uma carta ou a confecção de uma narrativa, como fazia a UFF em sua prova. Agora, com a adesão ao ENEM, as instituições federais e a UERJ parecem seguir o mesmo padrão: os temas do Exame Nacional sempre deverão atender ao tipo dissertativo- argumentativo, ao passo que a redação exigida pela UERJ tem sido invariavelmente um texto argumentativo em prosa.

II. O que é um texto dissertativo?

Nas provas objetivas de Língua Portuguesa dos principais processos seletivos realizados no país, abordam-se, basicamente, três tipos de texto: o descritivo, o narrativo e o dissertativo (expositivo e/ou argumentativo). A essa tipologia textual

clássica, se poderia acrescentar ainda o texto injuntivo, que orienta ou impõe ordens ao receptor (como é o caso dos manuais, receitas, etc.).

A fim de relembrar as lições do Ensino Médio, tratamos de apresentar logo

abaixo uma súmula de seus traços mais expressivos:

Descrição é a reprodução detalhada de um quadro (uma paisagem natural, um artefato produzido pelo homem, etc.) ou de uma personagem (um ser humano ou qualquer outra criatura, seja ela real ou imaginária).

Luiz Ricardo Leitão Manoel de Carvalho Almeida Manuel Ferreira da Costa

2

outra criatura, seja ela real ou imaginária). Luiz Ricardo Leitão Manoel de Carvalho Almeida Manuel Ferreira

O esquema básico de estruturação da prova dissertativa

Narração é o relato de fatos ou acontecimentos (reais ou fictícios), situados no tempo e no espaço. Apresenta como elementos básicos um narrador (em 1ª ou 3ª pessoa), personagens (protagonistas, secundários, etc.), ação (a partir de uma trama ou enredo), espaço (físico, psicológico, social) e tempo (cronológico e psicológico).

Dissertação é o desenvolvimento objetivo de uma ideia ou tese, com introdução, desenvolvimento e conclusão. Assume caráter essencialmente argumentativo, com o emprego de métodos dedutivos ou indutivos de raciocínio, ou natureza mais expositiva, em que se enunciam comentários e observações sobre determinado tema, sem o objetivo retórico de convencimento dos leitores.

Quando o redator precisa assumir ou defender uma posição, tarefa comum em muitas das propostas que lhe são apresentadas, ou seja, quando ele precisa convencer o seu interlocutor da justeza e coerência de seu raciocínio, seu texto será necessariamente de tipo argumentativo. As ideias centrais (os tópicos frasais) que ele formula serão o núcleo dos parágrafos, delimitando os tópicos essenciais da sua redação. Confira, a seguir, dois exemplos concretos:

Quanto mais definitivamente nossa personalidade estiver moldada, quanto mais entranhados estivermos em nossa maneira de pensar e viver, menos serão os livros capazes de nos modificar e tanto mais a nossa personalidade determinará a escolha do que iremos ler e o que haveremos de auferir com sua leitura. Tenderemos então a ler apenas livros que estiverem de acordo com nossos pontos de vista. Livros, jornais ou revistas que costumam apresentar opiniões contrárias às que acalentamos pouco ou nada nos atraem. E, mesmo quando os lemos, nossas mentes estarão fechadas às suas mensagens.

(Texto extraído de concurso para o TRF-RJ.)

os lemos, nossas mentes estarão fechadas às suas mensagens. (Texto extraído de concurso para o TRF-RJ.)

3

Aula 03

Curso de Redação sob Medida

A definição clássica da democracia a descreve como o governo do povo, pelo povo e para o povo. Há aqui, de saída, uma homogeneização da cidadania, cujo objetivo consiste em aplainar – ou abolir – as diferenças sociais, transformando todos os cidadãos em seres com os mesmos direitos e deveres. Numa sociedade de classes, em que há exploradores e explorados, isto é absolutamente falso, e afirmá-lo chega às raias do escândalo. [ ]

(Hélio Pellegrino. A burrice do demônio. Rio de Janeiro: Rocco, 1988. Concurso para a ALERJ.)

É claro que o gênero argumentativo e o expositivo não são excludentes. Assim como é inconcebível narrar uma história sem descrever suas personagens ou o ambiente em que a ação transcorre, tampouco será possível argumentar em favor de uma posição (ou até mesmo contra esta) sem expor fatos e conceitos que fundamentem sua opção. Se você ainda tem dúvidas na identificação desses gêneros, veja as duas questões objetivas abaixo, cujas respostas comentadas aparecem logo em seguida.

Texto para a questão 1

) (

Prazer e Vocação

Escolhas são feitas com base em nossas preferências. E aí recorro novamente à

etimologia das palavras para descobrir que o verbo preferir vem do latim praeferere e significa “levar à frente”. Parece-me uma indicação clara de que nossas escolhas devem ser feitas com os olhos no futuro, no uso de nosso livre arbítrio. O mundo corporativo nos guarda muitas armadilhas. Trocar de empresa ou de atribuição, por exemplo, são convites permanentes. O problema de recusá-los é passar o resto da vida se perguntando “O que teria acontecido se eu tivesse aceitado?”. Prefiro não carregar comigo o benefício desta dúvida, por isso opto por assumir riscos evidentemente calculados e seguir adiante. Dizem que somos livres para escolher, porém, prisioneiros das consequências Para aqueles insatisfeitos com seu ambiente de trabalho, uma alternativa à mudança de empresa é postular a melhoria do ambiente interno atual. Dialogar e apresentar propostas são um bom caminho. De nada adianta assumir uma postura meramente defensiva e crítica. Lembre-se de que as pessoas não estão contra você, mas a favor delas.

Luiz Ricardo Leitão Manoel de Carvalho Almeida Manuel Ferreira da Costa

4

não estão contra você, mas a favor delas. Luiz Ricardo Leitão Manoel de Carvalho Almeida Manuel

O esquema básico de estruturação da prova dissertativa

Por fim, combata a mediocridade em todas as suas vertentes. A mediocridade de trabalhos desconectados com sua vocação, de empresas que não valorizam funcionários, de relacionamentos falidos. Sob este aspecto, como diria Tolstoi, “Não se pode ser bom pela metade”. Meias-palavras, meias-verdades, meias-mentiras, meio caminho para o fim. Os gregos não escreviam obituários. Quando um homem morria, faziam uma pergunta:

“Ele viveu com paixão?”. QUAL SERIA A RESPOSTA PARA VOCÊ?

COELHO, Tom. Disponível em: <http://www.catho.com.br/jcs/ inputer_view.phtml?id=6415>. Acesso em: 07 mai. 2008.(adaptado)

01. (Transpetro) Quanto ao tipo, o texto classifica-se predominantemente, como

a) expositivo.

b) injuntivo.

c) descritivo.

d) narrativo. e) argumentativo.

Esta é a clássica questão de reconhecimento dos tipos textuais, apresentando aos candidatos as cinco opções básicas apontadas nos estudos sobre o tópico: texto descritivo, narrativo, expositivo, argumentativo e injuntivo. O item válido é a letra E, ou seja, o autor elaborou uma dissertação argumentativa. De fato, desde o primeiro parágrafo ele se dispõe a defender a ideia ou tese de que “nossas escolhas devem ser feitas com os olhos no futuro, no uso do nosso livre arbítrio”. Para tanto, no §2º ele adverte os leitores sobre as “armadilhas” do “mundo corporativo”, formulando algumas ponderações sobre os “riscos calculados” de uma troca de empresa ou atribuição. Em seguida, no §3º, sugere “uma alternativa” (“dialogar e apresentar propostas”) aos “insatisfeitos com seu ambiente de trabalho”; e no §4º postula o combate à “mediocridade em todas as suas vertentes. Em suma, o redator não se limita a expor, optando por argumentar em favor da posição/opinião defendida. Note-se que a cadeia argumentativa se constrói sempre com um artifício característico desse tipo textual: “discutir situações conflitantes, enunciando fundamentos com a finalidade de persuadir o interlocutor para um entendimento mútuo” (Leitão, Almeida & Costa, 2013). Ao final, o propósito argumentativo do texto é realçado pela pergunta retórica de que o redator se vale (“Qual seria a resposta para você?”), a fim de envolver o receptor e induzi-lo a convencer-se da pertinência do raciocínio elaborado na breve dissertação.

Curso de Redação sob Medida

Texto para a questão 2

Uma lição de vida Uma coisa que sempre me comoveu (e intrigou)

é a alegria da rapaziada da coleta de lixo. Dia sim, dia

não, o caminhão da SLU desce a minha rua e eles fazem aquela algazarra. Quase sempre estão brincando,

5

tirando sarro uns com os outros, sorridentes e solícitos com os moradores. Mesmo na pressa de apanhar os

sacos de lixo, encontram tempo para gritar “bom dia, patrão” ou para comentar a vitória do Galo, a derrota do Cruzeiro ou vice-versa.

10

Dia desses levantei de bom humor, o que nem sempre acontece nas manhãs quentes de verão. No momento em que saía de casa, vi surgir no topo da rua

grande caminhão amarelo. E eis que de sua traseira saltou um negão todo suado, com um sorriso branco

o

15

no meio da cara. A vizinha do lado estava lavando o passeio, desperdiçando água como já é de costume.

O

sujeito limpou o suor na manga da camisa e a

cumprimentou. “Será que a senhora me deixa beber um pouco d’água?”, ele perguntou sem rodeios. “Essa

20

água não é boa”, ela disse. “Espera um pouco que eu

busco água filtrada.” “Que é isso, madame? Precisa não. Água da mangueira já está bom demais.” Ela estendeu o jato d’água e ele se deliciou. Depois de beber boas goladas, meteu a carapinha sob

25

a

água e se refrescou. O sol no céu azul estava de

arrebentar mamona e o alto da rua oscilava sob o efeito do calor. O negão agradeceu a “caridade” da minha

vizinha e seguiu correndo atrás do caminhão amarelo, dentro do qual atirava os sacos de lixo apanhados no

30

passeio. Na esquina de baixo, o caminhão parou, pois o

Luiz Ricardo Leitão Manoel de Carvalho Almeida Manuel Ferreira da Costa

6

Na esquina de baixo, o caminhão parou, pois o Luiz Ricardo Leitão Manoel de Carvalho Almeida

O esquema básico de estruturação da prova dissertativa

condomínio em frente sempre produz muitos sacos plásticos. Quando passei pelo negão e seu companheiro, ambos atiravam sacos no triturador do caminhão. Parei

35

na sombra de uma quaresmeira para observar o trabalho deles enquanto esperava ônibus.

O

motorista saiu da boleia com um cigarro na boca

e

perguntou se eu tinha fósforo. Emprestei-lhe o isqueiro

e,

enquanto ele acendia o seu “mata rato”, comentei:

40

“Sempre admirei a alegria com que vocês trabalham.”

O

motorista soprou a fumaça, devolveu-me o isqueiro

e

comentou: “E por que a gente devia de ser triste?”

 

“Não sei

Um trabalho desses não deve ser mole.”

 

“Claro que não”, ele retrucou. “Mas duro mesmo é a

45

vida de quem revira o lixo à procura de comida. A gente pelo menos não chegamos lá.” Em seguida, ele entrou na boleia, os dois homens de amarelo terminaram a coleta e subiram na carroceria. O caminhão arrancou

e

eu fiquei pensativo, enquanto esperava o “busun”.

 

SANTOS, Jorge Fernando dos. Disponível em <http://umacoisaeoutra.com.br/cultura/jorge.htm>. Acesso em 10 dez. 2009.

02.

(Auditor Jr. – Petrobras) Caracteriza-se como uma descrição a seguinte passagem:

a) “Ela estendeu o jato d’água e ele se deliciou.” (l.23)

b) “O sol no céu azul estava de arrebentar mamona e o alto da rua oscilava sob o efeito do calor.” (l.25-27)

c) “Na esquina de baixo, o caminhão parou,” (l.31)

d) “Parei na sombra de uma quaresmeira para observar o trabalho deles

e) “O caminhão arrancou e eu fiquei pensativo, enquanto esperava o “busun”.” (l.48-

(l.34-36)

49)

A resposta válida é o item B. De acordo com a análise sumária feita nesta seção, a reprodução de um cenário ou paisagem (seja esta natural ou artificial, campestre ou urbana, etc.) é traço distintivo da descrição. Assim, o autor nos compõe a cena de uma

campestre ou urbana, etc.) é traço distintivo da descrição . Assim, o autor nos compõe a

7

Aula 03

Curso de Redação sob Medida

cálida manhã de verão, na qual se sobressai “o sol no céu azul” e as oscilações do alto da rua “sob o efeito do calor”. Acerca das demais passagens, são trechos narrativos que destacam breves momentos do ‘causo’ que o cronista nos conta: o instante em que o gari se delicia com

a água oferecida pela vizinha (letra A), a parada do caminhão na esquina de baixo

(item C), a observação do trabalho alheio à sombra de uma quaresmeira (opção D) ou

a pausa para reflexão após a partida definitiva dos lixeiros (alternativa E).

***

III. O esquema básico de estruturação da prova dissertativa

Para uma dissertação que não deva exceder o limite máximo de 30 linhas – padrão usual dos vestibulares e da grande maioria dos concursos (há exceções dignas de registro, como as provas da ESAF, em que se costuma estipular o limite de 40 a 60 linhas) –, julgamos absolutamente aceitável reproduzir o esquema escolar clássico, que ainda hoje serve de modelo para milhares de estudantes do Ensino Médio:

Um parágrafo de introdução (entre 4 e 6 linhas, em média);

Três parágrafos (em geral) de desenvolvimento (entre 6 e 8 linhas cada um);

Um parágrafo de conclusão (entre 5 e 6 linhas, em média).

A fim de que os leitores possam avaliar adequadamente a estrutura aqui

delineada,

esboçamos

a

seguir

sua

configuração

espacial

numa

folha

de

prova

definitiva:

Luiz Ricardo Leitão Manoel de Carvalho Almeida Manuel Ferreira da Costa

8

numa folha de prova definitiva : Luiz Ricardo Leitão Manoel de Carvalho Almeida Manuel Ferreira da

O esquema básico de estruturação da prova dissertativa

   

Título [facultativo]

Reservado

ao

 

examinador

1

 

1º PARÁGRAFO – INTRODUÇÃO ou PARTIDA

 

2

 

Em média, sua extensão será de cinco linhas (em um total de trinta)

 

3

[Seu tamanho não deverá exceder o dos parágrafos de desenvolvimento]

 

4

   

5

   

6

 

2º PARÁGRAFO – DESENVOLVIMENTO ou FUNDAMENTAÇÃO (I)

 

7

 

Sua extensão, em média, será de sete linhas (em um total de trinta)

 

8

 

Deverá abordar o primeiro tópico ou aspecto mencionado pela banca

 

9

 

[Se a proposta não delimitar tópicos para abordagem,

 

10

 

o conteúdo deste I parágrafo de desenvolvimento será definido pelo autor]

 

11

   

12

   

13

 

3º PARÁGRAFO – DESENVOLVIMENTO ou FUNDAMENTAÇÃO (II)

 

14

 

Sua extensão, em média, será de sete linhas (em um total de trinta)

 

15

 

Deverá abordar o segundo tópico ou aspecto mencionado pela banca

 

16

 

[Se a proposta não delimitar tópicos para abordagem,

 

17

o

conteúdo do II parágrafo de desenvolvimento será definido pelo autor]

 

18

   

19

   

20

 

4º PARÁGRAFO – DESENVOLVIMENTO ou FUNDAMENTAÇÃO (III)

 

21

 

Sua extensão, em média, será de seis linhas (em um total de trinta)

 

22

 

Deverá abordar o terceiro tópico ou aspecto mencionado pela banca

 

23

 

[Se a proposta não delimitar tópicos para abordagem,

 

24

o

conteúdo do III parágrafo de desenvolvimento será definido pelo autor]

 

25

   

26

 

ÚLTIMO PARÁGRAFO – CONCLUSÃO ou CHEGADA

 

27

 

Sua extensão, em média, será de cinco linhas (em um total de trinta)

 

28

 

[Seu tamanho não deverá ser superior ao dos parágrafos de desenvolvimento]

 

29

   

30

 

[Extensão máxima: 30 linhas]

 
de desenvolvimento]   29     30   [Extensão máxima: 30 linhas]   9 Aula 03

9

Aula 03

Curso de Redação sob Medida

Não resta dúvida de que esse ‘modelo’ acima reproduzido nada mais é do que um mero recurso didático que visa a nortear o redator sobre a estruturação básica do texto expositivo-argumentativo. Como qualquer outra “receita” que se decida usar, poderá sofrer adaptações segundo as exigências próprias de cada prova: no caso da ESAF, por exemplo, se a banca estipular um limite mínimo de 40 ou 45 linhas e um máximo de 60 linhas, a fórmula mais convencional de distribuição dos parágrafos (1+ 3 + 1) deverá ser ajustada à nova extensão proposta, com várias combinações aceitáveis, de acordo com o número de aspectos a serem desenvolvidos na resposta (se forem três tópicos, 1 ou 2 + 6 + 1; em sendo quatro, 1 + 8 + 1). Para melhor dominar as técnicas de redação de textos e parágrafos expositivo- argumentativos, leia com atenção as recomendações feitas nas aulas 5, 6, 7 e 8 deste curso. Nelas, há dicas especiais para orientar o(a) redator(a) nos meandros da Tessitura e da Arquitetura Textual. Além dessas dicas, na seção das Práticas Textuais, nosso aluno-candidato encontrará análises concretas de propostas formuladas por bancas renomadas de concursos públicos (Cespe/UnB, ESAF, FCC e Fundação Cesgranrio) – incluindo-se até comentários sobre o exame da OAB, a cargo da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Todo esse material certamente o(a) ajudará em muito a aprimorar sua competência verbal para esta tarefa bastante específica que é a resolução de uma prova discursiva.

Luiz Ricardo Leitão Manoel de Carvalho Almeida Manuel Ferreira da Costa

10

é a resolução de uma prova discursiva . Luiz Ricardo Leitão Manoel de Carvalho Almeida Manuel