Você está na página 1de 49
Planejamento e estruturação de um programa de melhoramento de plantas Métodos de Melhoramento de Plantas-PAG
Planejamento e estruturação de um
programa de melhoramento de
plantas
Métodos de Melhoramento de Plantas-PAG 527
Professor: Adriano Bruzi
Objetivos • Entender as etapas necessárias para se estabelecer um programa de melhoramento de plantas;
Objetivos
• Entender as etapas necessárias para se
estabelecer um programa de melhoramento
de plantas;
• Estudar os Princípios Básicos da
Experimentação aplicados a Genética e
Melhoramento de Plantas;
• Estudar os delineamentos básicos
aplicados a genética e melhoramento de
plantas;
Objetivos • Conhecer delineamentos especiais para avaliação de um grande número de tratamentos; •
Objetivos
• Conhecer delineamentos especiais para
avaliação de um grande número de
tratamentos;
• Interpretação dos resultados de
experimentos aplicados a genética e
melhoramento de plantas;
Etapas para o planejamento de um programa de melhoramento • Escolha e conhecimento da cultura;
Etapas para o planejamento de
um programa de melhoramento
• Escolha e conhecimento da cultura;
• Definição clara dos objetivos;
• Planejamento Financeiro, Pessoal, Físico;
• Escolha do germoplasma elite para
geração de variabilidade;
Etapas para o planejamento de um programa de melhoramento • Obtenção da população segregante; •
Etapas para o planejamento de
um programa de melhoramento
• Obtenção da população segregante;
• Métodos de Melhoramento;
• Determinação dos Sítios de Avaliação;
• Difusão de Tecnologia/ Estratégias de Pós-
melhoramento;
A) Escolha e conhecimento da cultura • Gostar da cultura com a qual ele vai
A) Escolha e conhecimento da
cultura
• Gostar da cultura com a qual ele vai
trabalhar;
• Nem sempre é possível escolher a cultura,
sobretudo em empresas de pesquisa;
• Conhecimento dos aspectos reprodutivos;
A) Escolha e conhecimento da cultura • Biologia Floral; • Mecanismos de autoincompatibilidade; • Modo
A) Escolha e conhecimento da
cultura
• Biologia Floral;
• Mecanismos de autoincompatibilidade;
• Modo de propagação (sexual e
assexual??);
• Ploidia; Fisiologia; Qualidade de sementes;
A) Escolha e conhecimento da cultura Mista
A) Escolha e conhecimento da cultura
Mista
B) Definição clara dos objetivos • Para definição dos objetivos deve-se realizar pesquisa de mercado
B) Definição clara dos objetivos
• Para definição dos objetivos deve-se
realizar pesquisa de mercado consumidor;
Há demanda para o produto??
• Verificar se há outras empresas e/ou
programas de melhoramento já atuando
nesta área?
B) Definição clara dos objetivos • O que se espera com o lançamento das cultivares;
B) Definição clara dos objetivos
• O que se espera com o lançamento das
cultivares;
• Qual a abrangência de atuação;
• Lançamento de cultivares de ampla
adaptação ou adaptação restrita à regiões
específicas;
• Aspectos comerciais;
• Há possibilidade de retorno??
C) Planejamento Financeiro, Pessoal e Físico • Nesta etapa deverá ser considerada toda a necessidade
C) Planejamento Financeiro,
Pessoal e Físico
• Nesta etapa deverá ser considerada toda a
necessidade financeira, recursos humanos e
instalações físicas;
C) Planejamento Financeiro, Pessoal e Físico • Orçamento: deve ser considerado todas as despesas variáveis
C) Planejamento Financeiro,
Pessoal e Físico
• Orçamento: deve ser considerado todas as
despesas variáveis (diárias, passagens,
materiais de consumo);
• Recursos Humanos: toda a equipe de
trabalho em um programa de
melhoramento;
C) Planejamento e Físico
C) Planejamento
e Físico
C) Planejamento e Físico Financeiro, Pessoal

Financeiro, Pessoal

C) Planejamento Financeiro, Pessoal e Físico
C) Planejamento
Financeiro, Pessoal
e Físico
C) Planejamento Financeiro, Pessoal e Físico
C) Planejamento
Financeiro, Pessoal
e Físico
C) Planejamento Financeiro, Pessoal e Físico
C) Planejamento Financeiro, Pessoal e Físico
C) Planejamento Financeiro, Pessoal e Físico
C) Planejamento Financeiro,
Pessoal e Físico
C) Planejamento Financeiro, Pessoal e Físico
C) Planejamento Financeiro, Pessoal e Físico
C) Planejamento Financeiro, Pessoal e Físico
C) Planejamento Financeiro, Pessoal e Físico
C) Planejamento Financeiro, Pessoal e Físico
C) Planejamento Financeiro, Pessoal e Físico
D) Escolha do germoplasma elite para geração de variabilidade • No melhoramento de qualquer espécie
D) Escolha do germoplasma elite
para geração de variabilidade
• No melhoramento de qualquer espécie há
inúmeras combinações possíveis de
cruzamentos entre genitores;
• Se o caráter a ser melhorado é qualitativo,
a escolha dos genitores é facilitada;
• Se o caráter é quantitativo, é mais difícil;
melhorista deve utilizar de ferramentas
para escolha dos genitores;
D) Escolha do germoplasma elite para geração de variabilidade • Métodos para a escolha de
D) Escolha do germoplasma elite
para geração de variabilidade
• Métodos para a escolha de genitores foram
classificados por Baenziger & Peterson
(1991)
• Métodos que contemplam apenas a
informação do parental;
• Métodos que utilizam desempenho da
progênie;
D) Escolha do germoplasma elite para geração de variabilidade • Métodos que contemplam apenas a
D) Escolha do germoplasma elite
para geração de variabilidade
• Métodos que contemplam apenas a
informação do parental;
• Utilização da performance média;
• Vantagem: método fácil, rápido, é o mais
utilizado;
• Desvantagem:
não
se
antevê
a
variabilidade;
D) Escolha do germoplasma elite para geração de variabilidade Dados Ensaios Milho.pdf
D) Escolha do germoplasma elite
para geração de variabilidade
Dados Ensaios Milho.pdf
D) Escolha do germoplasma elite para geração de variabilidade • Como melhorar a eficiência do
D) Escolha do germoplasma elite
para geração de variabilidade
• Como melhorar a eficiência do método que
utiliza apenas a performance média?
• Pode-se associar a performance média,
informações de genealogia, parentesco
entre as cultivares, visando ampliar a
variabilidade;
• Utilizar marcadores moleculares para
obter estudos de informação da divergência
genética;
D) Escolha do germoplasma elite para geração de variabilidade • Métodos que consideram a performance
D) Escolha do germoplasma elite
para geração de variabilidade
• Métodos que consideram a performance da
progênie
• O método mais utilizado é o cruzamento
dialélico;
• Vantagem: avaliação da população híbrida;
possibilidade de antever a variabilidade
genética;
• Desvantagem: não é viável para grande
número de linhagens;
Dialelo Completo • Consiste no cruzamento de n genitores dois a dois; Populações 1 2
Dialelo Completo • Consiste no cruzamento de n genitores dois a dois; Populações 1 2
Dialelo Completo
• Consiste no cruzamento de n genitores
dois a dois;
Populações
1
2
3
4
1
11
12
13
14
2
21
22
23
24
3
31
32
33
34
4
41
42
43
44
Dialelo Parcial • Consiste genitores; no cruzamento de n x m Grupo 1 e 2
Dialelo Parcial • Consiste genitores; no cruzamento de n x m Grupo 1 e 2
Dialelo Parcial
• Consiste
genitores;
no
cruzamento
de
n
x
m
Grupo 1 e 2
5
6
7
8
1
15
16
17
18
2
25
26
27
28
3
35
36
37
38
4
45
46
47
48
Dialelo Circulante • Cada genitor participa de “s” cruzamentos, normalmente utilizado quando se dispõe de
Dialelo Circulante • Cada genitor participa de “s” cruzamentos, normalmente utilizado quando se dispõe de
Dialelo Circulante
• Cada genitor participa de “s” cruzamentos,
normalmente utilizado quando se dispõe de
um grande número de genitores;
Genitores
1
2
3
4
5
6
7
8
9
20
1
12
13
14
15
2
26
27
28
29
3
20 201 202 203 204
E) Obtenção da população segregante • Há vários métodos para obtenção da população segregante; •
E) Obtenção da população
segregante
• Há
vários
métodos
para
obtenção
da
população segregante;
• Cruzamentos:
Biparentais;
Cruzamentos
Triplos; Duplos; e Múltiplos;
E) Obtenção da população segregante • Biparentais (envolve dois genitores); • Triplos (envolve três
E) Obtenção da população
segregante
• Biparentais (envolve dois genitores);
• Triplos (envolve três genitores);
• Duplos (envolve quatro genitores);
• Múltiplos (envolve mais de quatro
genitores);
F) Qual método de melhoramento utilizar? • Cultura autógama (Introdução, Seleção, Hibridação); • Cultura
F) Qual método de melhoramento
utilizar?
• Cultura autógama (Introdução, Seleção,
Hibridação);
• Cultura alógama (Seleção Recorrente
Intrapopulacional; Seleção Recorrente
Interpopulacional;);
G) Determinação dos Sítios de Avaliação e Experimentação • A escolha das áreas para se
G) Determinação dos Sítios de
Avaliação e Experimentação
• A escolha das áreas para se realizar o
experimento deve estar relacionada com o
objetivo do programa de melhoramento;
• Deve haver relação das áreas de avaliação
das novas linhagens com o objetivo de
recomendação das novas cultivares;
G) Determinação dos Sítios de Avaliação e Experimentação • Se o objetivo é desenvolver cultivares
G) Determinação dos Sítios de
Avaliação e Experimentação
• Se o objetivo é desenvolver cultivares para
a região Sul de Minas Gerais, por os
experimentos deverão ser realizados nesta
região;
• Deve-se obter as informações de
performance na região de cultivo;
Marechal Candido Rondon, PR Toledo, PR Catolé do Rocha, PB Rio Negro, PR irati, PR
Marechal
Candido Rondon, PR
Toledo, PR
Catolé do Rocha, PB
Rio Negro, PR
irati, PR
Abelardo Luz, SC
Pinhalzinho, SC
Campina Grande, PB
Ituporanga, SC
Chapecó, SC
União da Vitória, PR
Tubarão, SC
Sta Cruz do Sul, RS
Içara, SC
Cachoeirinha, RS
São Lourenço do Sul, RS
Pelotas, RS
Garanhuns, PE
G) Determinação dos Sítios de Avaliação e Experimentação • Após a escolha das áreas, dever-se
G) Determinação dos Sítios de
Avaliação e Experimentação
• Após a escolha das áreas, dever-se
determinar número de tratamentos por
geração, número de locais de avaliação por
geração, caracteres a serem avaliados em
cada geração;
H) Difusão de Tecnologia: Pós - Melhoramento • Nesta etapa se faz necessário a difusão/divulgação
H) Difusão de Tecnologia: Pós -
Melhoramento
• Nesta etapa se faz necessário a
difusão/divulgação das novas cultivares
para o mercado, de maneira a disponibilizar
a nova tecnologia para os agricultores;
• Quais estratégias podem ser utilizadas
para difusão de tecnologia?
H) Difusão de Tecnologia: Pós - Melhoramento • Estratégia de Pós-Melhoramento utilizada pela Pioneer Sementes:
H) Difusão de Tecnologia: Pós -
Melhoramento
• Estratégia de Pós-Melhoramento utilizada
pela Pioneer Sementes: apresenta três
fases distintas;
H) Difusão de Tecnologia: Pós - Melhoramento 1) Conhecimento detalhado de cada cultivar ou híbrido
H) Difusão de Tecnologia: Pós -
Melhoramento
1) Conhecimento detalhado de cada cultivar
ou híbrido em cada ambiente passível de
cultivo;
2) Processo de produção de sementes
(qualidade física, fisiológica e genética);
3) Ações de Marketing e Vendas;
Conhecimento detalhado de cada cultivar ou híbrido em cada ambiente passível de cultivo • Caracterização
Conhecimento detalhado de cada
cultivar ou híbrido em cada
ambiente passível de cultivo
• Caracterização e Avaliação do Potencial
Produtivo;
• Processo de seleção inicial: grande
número de genótipos, avaliados em
reduzido número de ambientes;
Conhecimento detalhado de cada cultivar ou híbrido em cada ambiente passível de cultivo • Processo
Conhecimento detalhado de cada
cultivar ou híbrido em cada
ambiente passível de cultivo
• Processo de seleção final: pequeno
número de cultivares, avaliados em um
grande número de ambientes; Ampla área
geográfica;
Conhecimento detalhado de cada cultivar ou híbrido em cada ambiente passível de cultivo • RNC:
Conhecimento detalhado de cada
cultivar ou híbrido em cada
ambiente passível de cultivo
• RNC:
para
registrar nova cultivar,
necessidade de experimentos de VCU (Valor
de Cultivo e Uso);
• Mínimo dois anos agrícolas;
• Número de locais (é função da espécie);
Conhecimento detalhado de cada cultivar ou híbrido em cada ambiente passível de cultivo • Pioneer,
Conhecimento detalhado de cada
cultivar ou híbrido em cada
ambiente passível de cultivo
• Pioneer, cultivares e / ou híbridos
testados em VCU não estão aptos para
serem recomendados;
• Experimentos (utilizam parcela pequena,
condições ótimas de cultivo);
Conhecimento detalhado de cada cultivar ou híbrido em cada ambiente passível de cultivo • Pioneer,
Conhecimento detalhado de cada
cultivar ou híbrido em cada
ambiente passível de cultivo
• Pioneer, cultivares e / ou híbridos
testados em VCU, são avaliados em Teste
de Avanço de Produto (PAT);
• Realizados em áreas de cultivo dos
produtores;
• Parcelas de tamanho variável;
Conhecimento detalhado de cada cultivar ou híbrido em cada ambiente passível de cultivo • Parcelas
Conhecimento detalhado de cada
cultivar ou híbrido em cada
ambiente passível de cultivo
• Parcelas maiores do que VCU;
• Maior número de ambientes testados;
• Comparação com testemunhas comerciais;
• Utiliza-se sistema de produção e manejo
do produtor;
• Maior acurácia na seleção e avanço das
novas cultivares;
Processo de produção de sementes (qualidade física, fisiológica e genética) • Empresa detêm toda a
Processo de produção de sementes
(qualidade física, fisiológica e
genética)
• Empresa detêm toda a cadeia de produção
e beneficiamento de sementes, garantindo
assim pureza física, genética e qualidade
fisiológica;
• Outras empresas produtoras de semente
atuam em parcerias com cooperados;
Ações de Marketing e Vendas; • Comunicação em Jornais, Revistas, periódicos especializados; • Distribuição
Ações de Marketing e Vendas;
• Comunicação em Jornais, Revistas,
periódicos especializados;
• Distribuição de publicações técnicas da
empresa para mais de 145.000 contatos
(clientes; não clientes; assistência técnica);
• Encontros difusores de Tecnologia;
• Geração após Geração;
• Times de Avanço de Produto;
Ações de Marketing e Vendas; • Concurso de produtividade na Safrinha; • Visitas Técnicas (Unidades
Ações de Marketing e Vendas;
• Concurso de produtividade na Safrinha;
• Visitas Técnicas (Unidades do Brasil e
EUA);
Planejamento Experimental Aplicado a Genética e Melhoramento de Plantas • Princípios Básicos de Experimentação;
Planejamento Experimental Aplicado
a Genética e Melhoramento de
Plantas
• Princípios Básicos de Experimentação;
• Pressuposições básicas da ANAVA;
• Delineamentos básicos aplicados a
Genética e Melhoramento de Plantas;
• Interpretação da ANAVA;