Você está na página 1de 3
CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Prof. Ms. Cíntya Oliveira Carvalho Atividade: Memorial - Autobiografia Curso: Direito Semestre:

CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS

Prof. Ms. Cíntya Oliveira Carvalho

Atividade: Memorial - Autobiografia

Curso: Direito

Semestre: 2014.2

Aluna: Érica Nogueira Portela Matrícula: 142011832

Meu nome é Érica Nogueira Portela, sou natural de Fortaleza, no Ceará e atualmente tenho vinte e quatro anos de idade. Descendo de uma família que, de início, era humilde, mas com o passar dos anos, obteve conquistas pessoais e materiais. Sou a filha caçula e tenho apenas um irmão, de vinte e oito anos.

Durante meus dois primeiros anos de vida, em 1992, meus pais ficaram separados, pois ambos eram jovens e não entraram em um consenso em relação à família que estavam formando. Nesse meio tempo, eu morava na casa da minha avó materna, juntamente com minha mãe e meu irmão. A muito custo e esforço, meus pais conseguiram alugar uma casa espaçosa e que ficava próximo ao trabalho da minha mãe (que, inclusive, esse ano, completará trinta anos de serviço no local). Após quatro anos, meu pai ganhou certa quantia em dinheiro do seu patrão e assim, conseguiu comprar um terreno e construir uma casa. Nos mudamos para essa casa

Mesmo assim, passei grande parte da minha infância, dos seis anos aos onze anos de idade, “transitando” pela casa dos meus avos (maternos e paternos), pois meus pais trabalhavam o dia inteiro e eu não poderia ficar sozinha. Meu pai sempre fez questão de me levar à escola, até que eu tivesse idade suficiente para ir sozinha.

Por coincidência, estudei parte do ensino fundamental na mesma escola em que ele estudou e que minha avó lecionou. Sendo uma instituição religiosa, fui obrigada a participar do catecismo e fazer a primeira comunhão, mesmo a contragosto. Estudei lá até a quarta série, que hoje é chamada de quinto ano. Saí de lá para estudar em uma escola mais próxima ä casa da minha avó materna. Foi nesse ano de 2001, no qual presenciei meu avô paterno ser acometido por uma parada cardíaca. Éramos muito próximos e foi um baque ter visto de perto isso acontecer. Infelizmente, ele faleceu poucas semanas depois, no hospital. Mudei para uma escola melhor, com professores bem mais qualificados. Lá, estudei até o terceiro ano do ensino médio, concluindo no em 2007. Mesmo tendo estudado, não obtive aprovação no vestibular que eu queria, o da UFC. Durante esse ano, tive muitos atritos com o meu pai, pois a cobrança para passar nesse concurso era imensa. Em consequência disso, tive que fazer tratamento para ansiedade.

Durante o ano de 2008, logo após completar dezoito anos, dei início ao processo para tirar a carteira de motorista. O resultado, o qual foi positivo, só saiu no começo do ano de 2009, pois o órgão estava em greve. Já durante esse ano, obtive uma das maiores

conquistas pessoais e profissionais, até o momento, que foi a aprovação no curso de Ciências Econômicas (Economia), na UFC. A partir disso, consegui meu primeiro estágio na área, já no ano de 2011, em um grande shopping da cidade. Entretanto, mesmo cursando o que eu queria, ainda não havia conseguido me “encontrar” no curso. Foi então que, durante o ano de 2013, fiz uma reflexão sobre meu futuro profissional, no que realmente valia a pena e o que eu deveria abdicar para conseguir me satisfazer. Entretanto, só consegui tomar a decisão durante o final do primeiro semestre de 2014, quando me inscrevi para o vestibular da Fanor. Fui aprovada e, em seguida, dei entrada no pedido de financiamento estudantil, pois não teria condições de pagar sozinha, o valor cobrado pelo curso. Foi um processo cansativo, todavia, com um resultado positivo. Consegui financiamento total para o curso de Direito e dei início às atividades letivas.