Você está na página 1de 28

Capítulo 15

Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações  O Movimento Harmônico Simples – MHS  O Sistema Massa-Mola 
  • O Movimento Harmônico Simples MHS

  • O Sistema Massa-Mola

  • Energia no Movimento Harmônico Simples

  • O Pêndulo Simples

  • O Pendulo Físico

  • O Momento de Inércia

  • O teorema dos Eixos Paralelos

  • O Movimento Circular Uniforme

  • O Movimento Harmônico Simples Amortecido

  • Oscilações Forçadas e Ressonância

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações O movimento oscilatório é um movimento periódico no tempo, ou seja, um

O movimento oscilatório é um movimento

periódico no tempo, ou

seja, um

movimento

que

se

repete

a

intervalos

iguais.

Exemplos: Massa

 

presa

a

uma

mola,

pêndulos, o movimento dos elétrons de

uma

corrente

elétrica

alternada,

o

movimento circular...

Capítulo 15 - Oscilações O movimento oscilatório é um movimento periódico no tempo, ou seja, um
Capítulo 15 - Oscilações O movimento oscilatório é um movimento periódico no tempo, ou seja, um

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações Definições de algumas variáveis físicas vinculadas às oscilações.  Período (T): Intervalo

Definições de algumas variáveis físicas vinculadas às oscilações.

  • Período (T): Intervalo de tempo necessário para

completar uma oscilação completa. No SI [s].

  • Frequência

(f):

Número

de

oscilações

completadas

em

um

intervalo

de

tempo,

que

pode ser de 1 segundo, 1 minuto, 1 hora ou intervalo mais apropriado. No SI [Hertz, Hz = 1/s].

o

1 f  T
1
f 
T
Capítulo 15 - Oscilações Definições de algumas variáveis físicas vinculadas às oscilações.  Período (T): Intervalo

Frequência Angular (): Considerando que a cada período de oscilação podemos associar 2rad, definimos a frequência angular como o “número de radianos relacionados às oscilações” a cada segundo.

2    2 f   T
2
 2 f 
T

Capítulo 15 - Oscilações

O Movimento Harmônico Simples compreende

um tipo de movimento oscilatório em que a posição da partícula em função do tempo é dada em termos de uma função seno ou cosseno conforme descrito abaixo.

x(t) x cos(t )

m

A amplitude, x m : É o máximo deslocamento a partir do ponto de equilíbrio. (a)

A frequência ângular, : Quanto maior , mais oscilações ocorrem em um determinado intervalo de tempo. (b)

A

constante

de

fase,

:

movimento inicia. (c)

Define onde o

Fase do movimento, (t+ ): Oscilações em fase podem apenas apresentar diferentes

amplitudes. (a)

Capítulo 15 - Oscilações O Movimento Harmônico Simples compreende um tipo de movimento oscilatório em que
Capítulo 15 - Oscilações O Movimento Harmônico Simples compreende um tipo de movimento oscilatório em que

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações É importante notar que a equação do movimento harmônico simples é periódica,

É importante notar que a equação do movimento harmônico simples é periódica, ou seja, se repete à cada 2rad assim como a cada período, T, e sendo assim:

x

m

cos(t 2) x cos((t T ) )

m

t 2(t T )

2T

  • 2

T

2f

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações Sabendo a posição da partícula a cada instante de tempo, podemos obter

Sabendo a posição da partícula a cada instante de tempo, podemos obter as

equações da velocidade e da aceleração. x(t)  x cos(t   ) m dx v
equações da velocidade e da aceleração.
x(t)  x cos(t   )
m
dx
v ( t ) 
( t )
dt
v(t)  x sen(t   )
m
O valor máximo da velocidade da partícula em
módulo vale x m , e ocorre quando a partícula
está passando pela posição de equilíbrio, ou seja
em t = T/4, 3T/4 ...
dv
( t )
dt
a ( t )  x  cos(
2
t  
)
a ( t ) 
m
a t   x t
( )
2
( )
O ponto de mínimo na posição indica um ponto
de máximo na aceleração.

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações m O Movimento Harmônico Simples é um tipo de movimento oscilatório em

m

O Movimento Harmônico Simples é um tipo de movimento oscilatório em que a Força é proporcional ao deslocamento, porém tem sentido oposto ao deslocamento. Ex. Massa-Mola.

F  kx ma

d [ x ( t )]

2

  • 2   [ ( )]

k x t

dt

d

  • 2 [ ( )]

x t

k

 k a ( t )  x(t) m
 k
a ( t )
x(t)
m
  • 2 [ x ( t )]

m

dt

Solução:

x ( t ) cos(

x

m

k t   ) m
k
t   )
m

k m
k
m

x(t) x cos(t )

m

O período no Movimento Harmônico Simples não depende

da amplitude do movimento!

m T  2 k
m
T  2
k

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações Exemplo 15.1) pg. 91 Um bloco cuja a massa é 680 g

Exemplo 15.1) pg. 91 Um bloco cuja a massa é 680 g é preso a uma mola cuja a constante elástica é 65 N/m. O

bloco é puxado sobre uma superfície sem atrito por uma distância de 11 cm a partir da

posição de equilíbrio em x = 0 e liberado a partir do repouso no instante t = 0.

  • a) Quais são a frequência angular, a frequência e o período do movimento resultante?

  • b) Qual a amplitude das oscilações?

  • c) Qual a velocidade máxima e onde o bloco se encontra quando ele tem essa velocidade?

  • d) Qual é o módulo da aceleração máxima do bloco?

  • e) Qual a constante de fase do movimento?

  • f) Qual a equação do deslocamento em função do tempo?

  • g) Qual a equação da velocidade em função do tempo?

a)

k m
k
m

rad s

9,78 /

f

  • 2

1,56Hz

T

1

f

0,64

s

  • b) m 0,11

x

m

  • c) 1,1 /

v

m

x m
x
m

m s

x 0

  • d) 11m / s

a

m

2

x

m

2

x x

m

  • e) t 0, x 0

x(t) x cos(t )

m

  • x m

x cos(0 )

m

0

  • f) x(t)

0,11cos(9,78t)

  • g) v(t)  1,1sen(9,78t)

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações Exemplo 15.2) pg. 92 Em t = 0 o deslocamento x(0) do

Exemplo 15.2) pg. 92 Em t = 0 o deslocamento x(0) do bloco de um oscilador linear é - 8,5 cm. A velocidade do bloco v(0) nesse instante é 0,920 m/s e a aceleração a(0) é +47,0 m/s 2 .

  • a) Qual a frequência angular desse sistema?

a (0)  x (0)

2

a 0    x (0)
a 0
 
 x (0)

23,5

rad s

/

  • b) Quais são os valores da constante de fase e da amplitude?

v

(0)

x

(0)

x sen ( 0

m

)

x cos( 0

m

)

tg ( )

v

(0)

x

(0)

tg 0,461

  155 25

Errado

Certo

Testando a resposta:

x (0) x cos(0 )

m

x

m

x

(0)

cos(

25)

  0,094 m

x

m

x

(0)

cos(155)

0,094 m

Resposta errada

Resposta certa

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações A Energia no Movimento Harmônico Simples  A energia potencial em um

A Energia no Movimento Harmônico Simples

  • A energia potencial em um sistema massa-mola:

F    kx 
F    kx 

W  U F dx

1

U k x t

2

[

( )

2

]

1

k x

2

[

m

2

2

cos (

t

)]

  • A energia cinética em um sistema massa-mola:

1

K m v t

2

[

( )

2

]

1

1

m x sen t k x sen t

2

[(

m

)

(

)]

2

[

m

(

2

2

2

2

)]

  • A energia mecânica do sistema massa-mola:

1 2 E  K  U  kx  K  U m máx máx
1
2
E  K  U  kx  K  U
m
máx
máx
2

A energia mecânica do sistema

massa mola se mantém constante em função do tempo!

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações Problema 15-32) pg. 108 A figura abaixo mostra a energia cinética de

Problema 15-32) pg. 108 A figura abaixo mostra a energia cinética de um oscilador harmônico simples em função da posição. A escala vertical é definida por K s = 4,0 J. Qual é a constante elástica da mola? b) Sabendo que o período de oscilação vale 2 s, determine o valor da velocidade máxima.

m b) Sabendo que: T  2 k 2 T k m  m  84,4kg
m
b) Sabendo que:
T  2
k
2
T k
m 
m  84,4kg
2
4

a) Sabendo que:

1 2 E  kx  K máx 2
1
2
E  kx  K
máx
2

1

1,5(4) k (0,12)

2

2

k 833N / m

1 2 K  mv máx máx 2
1
2
K  mv
máx
máx
2
  • v máx

  • máx

2

E

m

0,377 m / s

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações O Oscilador Harmônico Simples Angular Nesta situação podemos escrever o torque de

O Oscilador Harmônico Simples Angular

Nesta situação podemos escrever o torque de duas maneira diferentes:

  I
  I
  k
  k

Note que I é denominado de momento de inércia, ou seja, é proporcional à dificuldade de colocar um corpo em rotação, é a aceleração angular, k é a constante de torção e é a amplitude de oscilação angular.

Por analogia temos:

a t   x t ( ) 2 ( )
a t   x t
( )
2
( )
 k  t ( )   (t) I k   I
 k
 t
( )
(t)
I
k
 
I
 t    t ( ) 2 ( )
 t    t
( )
2
( )

T 2

I k
I
k
Capítulo 15 - Oscilações O Oscilador Harmônico Simples Angular Nesta situação podemos escrever o torque de

f

1 k 2 I
1
k
2
I

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações Exemplo 15-4) pg. 95 A figura abaixo mostra uma barra fina de

Exemplo 15-4) pg. 95 A figura abaixo mostra uma barra fina de comprimento L = 12,4 cm cuja a massa é 135 g, suspensa por um fio longo pelo ponto médio. O período do seu MHS angular vale T b = 2,53 s. Um objeto de forma irregular chamado de objeto X, é pendurado no mesmo fio e seu período vale T x = 4,76 s. qual é o momento de inércia I x em relação ao ponto de suspensão?

Sabendo que o fio é o mesmo para os dois casos, temos que k é o mesmo no dois

casos! I T b  2 b k
casos!
I
T b  2
b
k

k

4

2

I

b

T

b

2

4

2

1

12

2

m L

b

T b
T
b

2

1,067 10

3

Nm rad

/

T x 2

x I k
x
I
k
  • I x

T k

x

2

  • 2 6,12 10 kgm

4

  • 4

2

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações O Pêndulo Simples Um pêndulo simples é caracterizado por uma massa que
O Pêndulo Simples Um pêndulo simples é caracterizado por uma massa que oscila presa à extremidade
O Pêndulo Simples
Um
pêndulo
simples
é
caracterizado
por
uma
massa
que
oscila
presa
à
extremidade
de
um
cordel
de
massa
desprezível.
Nesta
situação
podemos
escrever
o
torque
de
duas
maneira
diferentes:
  I
   r   F 
  L(Fsen )
Para  pequeno, sen ~ .
I  mL
2
mL  t  Lmg t
2
( )
( )
 g
a t   x t
( )
2
( )
 t
( )
(t)
L
g
L
 
T  2
L
g

Capítulo 15 - Oscilações

O Pêndulo Físico

Um pêndulo físico é caracterizado por um corpo de massa m que oscila preso a um ponto de ocilação. Nesta situação podemos escrever o torque de duas maneira diferentes:

  I
  I

h(Fsen)

r F

Para pequeno, sen~ .

I(t)hmg(t)

Capítulo 15 - Oscilações O Pêndulo Físico Um pêndulo físico é caracterizado por um corpo de
Capítulo 15 - Oscilações O Pêndulo Físico Um pêndulo físico é caracterizado por um corpo de

()

t

 mgh   (t) I mgh  I
 mgh
(t)
I
mgh

I
Capítulo 15 - Oscilações O Pêndulo Físico Um pêndulo físico é caracterizado por um corpo de

2

a t  x t

( )

( )

T2

I mgh
I
mgh

Capítulo 15 - Oscilações

O Momento de Inércia

Capítulo 15 - Oscilações O Momento de Inércia O momento de inércia está relacionado com a

O momento de inércia está relacionado com a dificuldade de colocar um corpo em rotação, definido pela equação:

I r dm

2

No SI: [kgm 2 ]

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações O Teorema dos Eixos Paralelos permite calcular o momento de inércia de

O Teorema dos Eixos Paralelos

permite calcular o momento de inércia de um sólido rígido relativo a um eixo de rotação que passa por um ponto O, quando são conhecidos o momento de inércia relativo a um eixo paralelo ao anterior e que passa pelo centro de massa do sólido e a distância entre os eixos.

I  I  Md 2 o cm
I
I
Md
2
o
cm

Exemplo:

Capítulo 15 - Oscilações O Teorema dos Eixos Paralelos permite calcular o momento de inércia de

I

cm

1

12

2

ML

  • I o

1

12

2

ML

L

2

M

2

1

I ML

o

3

2

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações Exemplo 15-5) pg. 98 Na figura ao lado uma régua de 1

Exemplo 15-5) pg. 98 Na figura ao lado uma régua de 1 metro oscila em torno de um ponto fixo O em uma das extremidades, a uma distância h do centro de massa da régua. a) Qual é o período de oscilação? b) Qual é a distância L 0 do ponto fixo O, até o centro de oscilação da régua C?

Capítulo 15 - Oscilações Exemplo 15-5) pg. 98 Na figura ao lado uma régua de 1

T 2

I mgh
I
mgh

I

b

1

3 T

mL

2

2

L 2 3 g L ( / 2)
L
2
3
g L
( / 2)

1,64 s

O centro de oscilação é definido pelo comprimento L 0 do pêndulo simples que apresenta o mesmo período

e a mesma massa do objeto!

T  T  T ps o L T  2  0 g
T  T  T
ps
o
L
T  2 
0
g

2

2 L 3 g
2
L
3
g

L

0

2 L

g

3 g

L 0

2

L

  • 3 66,7

cm

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações O Movimento Circular Uniforme - MCU O ponto P’ que se move

O Movimento Circular Uniforme - MCU

O ponto P’ que se move em movimento circular uniforme tem a projeção do deslocamento em função do tempo sobre o eixo x descrita da seguinte forma:

O MHS equivale à projeção do MCU ao longo do diâmetro!
O MHS equivale
à
projeção do MCU ao
longo do diâmetro!

x(t)rcos(t)

Onde:

R é o raio da trajetória ω é a velocidade angular φ é o angulo onde o movimento foi iniciado

A velocidade projetada sobre o eixo x apontará no sentido contrario ao deslocamento:

dx () t vt ()  rsen t  () dt
dx () t
vt () 
rsen t 
()
dt

A aceleração projetada sobre o eixo x apontará no sentido contrario ao deslocamento:

dv () t 2 at ()  r cos( t  ) dt
dv () t
2
at () 
r
cos(
t 
)
dt

2

at 

() xt ()

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações O Movimento Harmônico Simples Amortecido No movimento harmônico amortecido, uma força não

O Movimento Harmônico Simples Amortecido

No movimento harmônico amortecido, uma força não conservativa, proporcional a

velocidade ou a velocidade ao quadrado atua no sentido contrario ao do movimento,

ocasionando a redução da amplitude de oscilação em função do tempo.

Capítulo 15 - Oscilações O Movimento Harmônico Simples Amortecido No movimento harmônico amortecido, uma força não

t

Fbv
Fbv

b = Coeficiente de Amortecimento

[N.s/m = kg/s]

Força de amortecimento

Da segunda Lei de Newton:

2

kx t bv t

dx () t

 

2

dx () t

b dx t

dt

2

m dt

 

bt

 

2

xt () e Ae Be

m

it

'

 

(' )

t

e

it '

cos( ')

m

 

'

it

 

 

k

b

2

m 4 m

() k

m  () ()

dt

2

x () t0

Solução Geral:

e

it '

cos( ')

t isen

t isen

(' )

Considerando a parte real da solução, temos:

bt  xt xe ()  2 m cos( ')  t m
bt
xt xe
()
2
m
cos( ')

t
m

'

2
2

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações O Movimento Harmônico Simples Amortecido bt  xt xe ()  2

O Movimento Harmônico Simples Amortecido

bt  xt xe ()  2 m cos( ')  t m
bt
xt xe
()
2
m
cos( ')

t
m

'

2 2 k b m  4 m
2
2
k
b
m  4 m
  • Se b for pequeno, ou seja, b 2 /4m 2 << k/m , as equações do movimento amortecido recaem na equação do MHS.

  • A amplitude no movimento harmônico amortecido depende do tempo

 bt Amplitude xe 2  m m
bt
Amplitude xe 2
m
m
Capítulo 15 - Oscilações O Movimento Harmônico Simples Amortecido bt  xt xe ()  2
  • Determinar v(t) e a(t)!

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações Tipos de Amortecimento no MHS 2 dx () t b dx t

Tipos de Amortecimento no MHS

2 dx () t b dx t () k  x t () 0 2 dt
2
dx () t
b dx t
() k
x t
() 0
2
dt
m dt
m
bt
Caso Subcrítico:
xt xe
()
2
m
cos( ')

t
m
k
b
2
k
b
2
m 4m
2
 '
m  4 m
2
Caso Crítico:
bt
bt
xt () Ae Bte
2 m
2 m
k
b
2
m 4m
2
Para a condição inicial; x(0) = x m
e v(0) = 0, temos:
bt
bt
xt Ae x
()
bA
 0
0
bBt
vt () 
e
2 m

Be
2 m
e
m
Ax
2
m
2
m
m
bA
v (0) 
e
0
 
Be 00
0
2
m
bt 2 m bt bt  bx t  bx xt () xe  2 m
bt
2
m
bt
bt
bx t
bx
xt () xe
2 m
m
e
2 m
B 
m
m
2
m
2
m

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações Tipos de Amortecimento no MHS 2 dx () t dt 2 

Tipos de Amortecimento no MHS

2

dx () t

dt

2

b dx t

() k

x t

m

() 0

m dt

Caso Subcrítico:

k

m

b

2

4m

2

Caso Crítico:

k

b

2

m

4m

2

 xt xe ()  cos( ')  t m
xt xe
()
cos( ')

t
m

bt

2

m

2
2

'

k

b

2

m 4 m

bt bt    2 m  Bte 2 m
bt
bt
2 m
 Bte
2 m

xt () Ae

Capítulo 15 - Oscilações Tipos de Amortecimento no MHS 2 dx () t dt 2 
  • Caso Supercrítico:

k

b

2

 

m 4m

2

bt    xt  () e 2 m Ae  " t  Be
bt
xt 
() e
2
m
Ae
"
t
Be

"
t
2
b
k
"
2
4 m  m

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações Exemplo 15 – 7) pg. 102 Um oscilador harmônico amortecido, possui massa

Exemplo 157) pg. 102 Um oscilador harmônico amortecido, possui massa de 250 g, k = 85 N/m e b = 70 g/s. a) Determinar o período do movimento. b) Quanto tempo é necessário para que a amplitude de oscilação se reduza pela metade. c) Determinar quanto tempo é

necessário para que a energia mecânica se reduza pela metade.

'

2 2 m  4 m k b
2
2
m  4 m
k
b

'

85
85

(0,07)

2

  • 2 18,4rad /s

0,25 4(0,25)

T

  • 2



'

0,34s

bt

2

m

xe

m

  • 0 bt

  • 2 m

xe

m

  • 2 e

bt

1

2

  • 1  ln

  • 2 2m

Et ()

bt

kx () t

  • 2 kx e

m

2

  • m

e

bt

  • m

2

2

1

2

bt

bt

1

2

2

xe

m

2

  • 0  ln

m

  • m xe m

  • 2 2(2)

t



2 m 1

b

ln

 5 s

2

t 

1

2

  • m ln

b

t2,5s

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações Oscilações Forçadas e Ressonância O movimento oscilatório é descrito como forçado quando

Oscilações Forçadas e Ressonância

O movimento oscilatório é descrito como forçado quando uma força periódica é aplicada.

FF tkx tma

()

()

2

dx () t k

dt

2

m

xt ()

F 0
F
0

m

cos( )

t

e

Solução Particular:

xt ()Ae

e

t

F

0

cos( )( )

e

t kx tm

2

dx () t

dt

2

2

dx () t

dt

2

2

xt ()

F

0

m

cos( )

t

e

2

dx () t

dt

2



e

2

Ae

e

t



e

2

xt ()

e

2

()

xt

2

()

xt

F 0
F
0

m

cos( t )

e

xt ()

F

0

m (

2

e

2

)

cos( t )

e

F xt ()  0 cos(  t  ) 2 2 e m ( 
F
xt () 
0
cos(

t 
)
2
2
e
m (

)
e

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações Oscilações Forçadas e Ressonância A condição de ressonância ocorre quando a frequênciaS i m u l a ç ã o d e R e s s o n â n c i a Colapso da ponte Tacoma nos EUA. http://www.youtube.com/watch?v=dvRHK4yA8rc " id="pdf-obj-26-4" src="pdf-obj-26-4.jpg">

Oscilações Forçadas e Ressonância

A condição de ressonância ocorre quando a frequência excitadora ω e se iguala à frequência natural do sistema, ω. Nessa situação a amplitude aumenta consideravelmente, ao ponto de promover o colapso da estrutura.

F xt ()  0 cos(  t  ) 2 2 e m ( 
F
xt () 
0
cos(

t 
)
2
2
e
m (

)
e

Colapso da ponte Tacoma nos EUA.

http://www.youtube.com/watch?v=dvRHK4yA8rc

Capítulo 15 - Oscilações Oscilações Forçadas e Ressonância A condição de ressonância ocorre quando a frequênciaS i m u l a ç ã o d e R e s s o n â n c i a Colapso da ponte Tacoma nos EUA. http://www.youtube.com/watch?v=dvRHK4yA8rc " id="pdf-obj-26-45" src="pdf-obj-26-45.jpg">

Capítulo 15 - Oscilações

Capítulo 15 - Oscilações Lista de Exercícios: 1, 2, 3, 5, 7, 11, 15, 21, 25,

Lista de Exercícios:

1, 2, 3, 5, 7, 11, 15, 21, 25, 27, 28, 31, 32, 33, 39, 40, 45, 49, 55, 57, 63, 77, 85, 93.

Referências

HALLIDAY, D.; RESNICK, R.; WALKER, J.; Fundamentos de Física: Eletromagnetismo. 8 a ed. Rio de janeiro: LTC, 2009. Vol.2.

TIPLER, P. A.; Física para Cientistas e Engenheiros. 4a ed, LTC, 2000. v.1.

SEARS, F.; ZEMANSKY, M.W.; YOUNG, H.; FREEDMAN, R.A.; Física: Eletromagnetismo. 12a ed. São Paulo: Pearson Addison Wesley, 2008. v.2.