Você está na página 1de 2

1

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DISCENTE: Luciana Borges Mangerona DOCENTE: Prof. Dr. Samuel Alves Soares DISCIPLINA: Teoria das Relações Internacionais I CURSO: Relações Internacionais 2º ano (Vespertino) RESUMO HALLIDAY, Fred. Repensando as relações internacionais. Porto Alegre: Editora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1999.

Fred Halliday nascido em Dublin, Irlanda, em 1946, foi um estudioso do Oriente Médio e das relações internacionais, graduado na Queen’s College, em Orxford, em filosofia, política e economia, e doutor pela London School of Economics, onde lecionou Relações Internacionais até o ano de 2008, quando se mudou para a Espanha para atuar no Instituto de Estudos Internacionais de Barcelona. Faleceu em 2010 deixando diversas obras, dentre elas “Repensando as relações internacionais” 1 , sobre a qual este texto pretende tratar. O problema que guia o autor no segundo capítulo desta sua obra diz respeito à relação existente entre o marxismo e as relações internacionais e assim, o autor analisa a contribuição deste para a área. Logo, são apresentadas as incompatibilidades e compatibilidade existentes. Dentre elas, a abrangência insuficiente daquele em relação à disciplina; os focos de ambos, pois as RI quase não consideram o capitalismo e este é centro de análise do marxismo; a dificuldade de estabelecer uma única abordagem teórica para se encaixar o marxismo, pois é utópico ao propor uma nova disposição para a política, mas também realista devido ao seu caráter cético; ressalta a historicidade dos fatos ao mesmo que se apresenta como abordagem teórica. Entretanto, outro aspecto proposto, neste caso, de maior congruência entre o marxismo e as relações internacionais é o materialismo histórico enquanto abordagem teórica para estas. Apesar de alguns problemas nesta equação como a ideia de

1 The Guardian Education. Disponível em <http://www.theguardian.com/education/2010/apr/26/fred- halliday-obituary> Acesso em: 01/04/2014 19:02 The Nation. Disponível em:< http://www.thenation.com/article/170917/journeys-fred-halliday Acesso em 01/04/2014> 18:45 HALLIDAY, Fred. Repensando as relações internacionais. Porto Alegre: Editora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1999.

2

aniquilação do Estado, que traz diversos problemas para uma análise nas RI, pois desconsidera o sistema internacional, as questões de segurança, e ainda vê o principal ator desta disciplina como uma instituição parcial e subordinada; o caráter dogmático e teleológico; o determinismo socioeconômico, limitando certas temáticas; a dificuldade de articulação da política como objeto autônomo, desvinculado de aspectos socioeconômicos vê-se que o materialismo histórico, enquanto uma teoria social abrangente e provedor de grande aporte conceitual pode trazer contribuições significativas para as relações internacionais. A leitura socioeconômica que o materialismo histórico marxista oferece é rica devido aos próprios desafios que lhe são impostos pelas relações internacionais, por exemplo, a análise da conjuntura vigente e de temas atuais. Portanto, como tese, Halliday propõe que, apesar de existirem diversos fatores que dificultam a consolidação do materialismo histórico como teoria das relações internacionais, este tem grande potencial que pode ser explorado na disciplina e contribuir substantivamente para os assuntos que as permeiam. Isto posto, Fred Halliday explica as dificuldades para a consolidação do materialismo histórico e, portanto, do marxismo, como fonte teórica. Entretanto, por acreditar no engrandecimento que o diálogo entre ambos pode trazer, defende o quanto este conceito tem a agregar à disciplina, e de que maneira suas leituras, como a de Lênin, por exemplo, podem contribuir para o melhor entendimento de uma análise materialista histórica das relações internacionais.