Você está na página 1de 93

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

1. TECIDOS

O

conhecimento do tecido é importante quando

se

vai montar uma peça. Use o conhecimento é

adquirido na disciplina de Tecnologia Têxtil

para escolher o melhor tecido para seus trabalhos. Não se esqueça de olhar a composição e anota-la na ficha técnica.

Urdume: fio vertical, paralelo á ourela, possui menos elasticidade. A roupa cortada no sentido do urdume é dita “cortada no fio”. Este sentido dá à roupa um aspecto menos volumoso.

Trama: sentido horizontal, perpendicular à ourela, possui mais elasticidade. Raramente se corta uma roupa na trama, com exceção dos tecidos que possuem barra neste sentido.

Viés: sentido diagonal em relação à ourela possui mais elasticidade que a trama. Uma peça cortada no sentido do viés tem o caimento mais suave.

1

2. 3.
2.
3.

Puxe o tecido no viés em todo o seu comprimento, até que fique alinhado;

Passe a ferro o tecido antes de cortar.

É muito importante tomar todos estes cuidados para corrigir as distorções do tecido antes de cortá-lo, porém, devemos ter conhecimento de que nem sempre é possível fazer tais correções. Alguns tecidos como os que possuem acabamento à prova d’água, vinco permanente ou forro colado, não permitem que seja feito este realinhamento da trama. No caso de tecidos que têm a tendência para encolher ou quando se tem a intenção de fazer uma peça com dois ou mais tecidos diferentes, é aconselhável molhar estes tecidos e deixá-los secar à sombra antes de cortar. Quando o tecido estiver muito enrugado é importante passar a ferro, para que não ocorra qualquer alteração do molde.

2 PREPARAÇÃO DO TECIDO

Quando compramos um tecido geralmente os vendedores rasgam o mesmo puxando por uma das pontas e isso faz com que as beiradas fiquem desiguais, sendo preciso acertá-las.

1. Corte a ourela com a tesoura;

2. Puxe um fio do tecido;

3. Corte cuidadosamente ao longo do fio puxado até atingir a outra ourela.

O tecido também pode ter sofrido alguma distorção na fábrica, de modo que a trama e o urdume não estejam perfeitamente perpendiculares. Neste caso, é preciso fazer o alinhamento dos fios.

1. Coloque o tecido sobre uma superfície plana e dobre, juntando as ourelas. Se o tecido ficar enrugado, precisa ser acertado seguindo os passos seguintes.

Conhecer as principais estruturas dos tecidos é de grande utilidade para que você saiba identificar um tecido, mesmo que não haja nenhuma informação mais específica na etiqueta de fábrica, pois nomes dados aos tecidos variam muito de fabricante para fabricante. Saber qual a estrutura do tecido pode ser de grande utilidade para decidir a sua utilização, o seu manuseio e que tipos de acabamentos poderão ser feitos na peça a ser confeccionada.

3 ESTRUTURA DOS TECIDOS

Todos os tecidos de tear são produzidos pelo entrelaçamento de dois tipos de fios: os da teia (dispostos no sentido do comprimento) e os da trama (no sentido da largura). Os fios da teia são dispostos perpendicularmente aos da trama. A estrutura do tecido pode ser modificada alterando o padrão de entrecruzamento da teia e da trama. Existem três tipos fundamentais de estruturas - tafetá, sarja e cetim -, sendo o restante, em sua maioria, variantes destes três tipos, com exceção da estrutura Jacquard.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

2

Devido à sua estrutura ou ao seu acabamento, os tecidos mais finos e delicados exigem cuidados especiais. O conhecimento das características destes tecidos é importante para determinar o modelo, o tipo de acabamento e os equipamentos e utensílios adequados.

de acabamento e os equipamentos e utensílios adequados. Estrutura tafetá: esta é a estrutura mais simples,
de acabamento e os equipamentos e utensílios adequados. Estrutura tafetá: esta é a estrutura mais simples,
de acabamento e os equipamentos e utensílios adequados. Estrutura tafetá: esta é a estrutura mais simples,
de acabamento e os equipamentos e utensílios adequados. Estrutura tafetá: esta é a estrutura mais simples,
de acabamento e os equipamentos e utensílios adequados. Estrutura tafetá: esta é a estrutura mais simples,

Estrutura tafetá: esta é a estrutura mais simples, onde os fios da trama passam alternadamente sobre e sob os fios da teia. A tenacidade varia em função da resistência dos fios e da compacidade da sua estrutura. Exemplos: tafetá, musselina, voile, percal. Estrutura sarja: é uma das estruturas fundamentais em que o fio da trama passa no mínimo sobre dois fios da teia e no máximo sobre quatro.Em cada nova passagem a trama avança uma unidade para a direita ou para a esquerda, formando uma estria em diagonal. Exemplos: sarja, gabardine, danine. Estrutura cetim: cada fio da teia passa sobre quatro a oito fios da trama, numa disposição em zig-zag. Exemplos: cetim, peau de soie, sablé. Estrutura jacquard: esta estrutura é conseguida por meio de uma mecânica Jacquard, que controla separadamente os fios da teia e da trama de modo a formar desenhos elaborados na superfície do tecido. Exemplos:

damasco, brocado, tecidos para decoração. Estrutura com pêlo: obtém-se acrescentando um fio de trama a uma estrutura de tafetá ou sarja. Este fio surge então no meio do tecido sob a forma de laçadas, que podem ser cortadas ou aparadas. Exemplos: veludo, pelúcia, imitação de peles.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

pelúcia, imitação de peles. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Estrutura de brocado: nesta estrutura, um fio da
pelúcia, imitação de peles. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Estrutura de brocado: nesta estrutura, um fio da
pelúcia, imitação de peles. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Estrutura de brocado: nesta estrutura, um fio da
pelúcia, imitação de peles. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Estrutura de brocado: nesta estrutura, um fio da

Estrutura de brocado: nesta estrutura, um fio da trama forma um desenho sobre a superfície da estrutura de base. Este fio segue pelo avesso, de um desenho para o outro, sendo cortado no final da tecelagem. Exemplo: cambraia suíça. Enredamento: esta estrutura forma nós nos pontos em que os fios se interceptam, formando uma teia. É a estrutura encontrada nas rendas em geral. Exemplos: tule, filó, parte em rede das rendas. Estrutura cesto: variante da estrutura tafetá. Nesta estrutura cruzam-se fios duplos ou múltiplos, os quais são colocados lado a lado sem que sejam submetidos à torção. É uma estrutura menos firme e menos durável que a estrutura tafetá.

Estrutura Gaze: nesta estrutura os fios da teia alternam-se na sua posição, tomando a forma de um oito em torno dos fios da trama.

4 GLOSSÁRIO DE TECIDOS

BROCADO: tecido laminado, próprio para vestidos sofisticados. BUCLÊ: vem do francês e significa encaracolado, anelado, é o tecido ou fio crespo, que forma anéis torcidos. CACHEMIRA: originário da região de Cachemira no Paquistão. É uma lã feita com pêlo de cabra. CAMBRAIA: tecido 100 % algodão, muito leve, utilizado para roupas finas. CAMELO: tecido feito com pêlo do animal do mesmo nome. É muito raro e caro. CETIM: originário da cidade de Zaytun, na China. É um tecido de seda (ou algodão) compacto, macio e muito brilhante.

3

CHIFOM: tecido fluido, leve e transparente. CIRÊ: tecido encerado ou couro que por um tratamento especial, toma- se brilhante. CREPE: tecido macio, consistente, opaco e levemente granulado. Pode ser de lã, algodão ou seda. CREPE-DA-CHINA: crepe de seda, de textura mais fina que o crepe georgette. CREPE GEORGETTE: crepe transparente fino de seda. DAMASCO: tecido o qual a própria trama forma desenhos em relevo. DUPLA-FACE: tecido reversível, isto é, que não tem avesso, encontrado em cores únicas ou em fantasia, próprio para capas, jaquetas, casacos etc. ESCOCÊS: lã xadrez, geralmente em três cores. FUSTÃO: tecido com nervuras na própria tecelagem. GABARDINE: tecido com trama característica em diagonal, originária da Inglaterra. Era empregado exclusivamente em capas impermeáveis e ternos. GUIPURE: originário do francês arcaico "Guiper", que quer dizer vestir-se de seda. Em português: guipura, renda de malhas largas, de linho ou seda. JÉRSEI: espécie de tecido de malha de seda, muito maleável. , JUTA: de origem vegetal, usado em detalhes rústicos, para roupas esportivas, tapetes e cordas. Mistura-se com o linho para a fabricação do veludo. : denominação genérica dos tecidos de origem animal, próprios para o inverno. Há diversos tipos de lã, como sintética, muito utilizada na confecção de malhas e pulôveres. LAISE: tecido de algodão bordado, com aparência de renda. LÃZINHA: como o próprio nome diz, é um tecido feito de lã, porém mais leve e por isso mais adequado para vestidos, saias e ca saquinhos. LINGERIE: tecido de seda ou sintético, suave e brilhante, utilizado para roupas delicadas. LYCRA: tecido leve, flexível e não absorvente, muito utilizado na confecção de roupas íntimas, maios e colantes.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

MATELASSÊ: tecido acolchoado, muito utilizado em coletes, jaquetas, casacos, e na confecção de cobertas para cama. MOIRÉ: pronuncia-se "Moaré", tecido sedoso, tipo tafetá, caracterizado pêlos reflexos ondulantes, brilhantes e opacos, do francês. Em português, seu nome é Chamalote ou Tafetá. MOLETOM: tecido sintético, pesado, com elasticidade (malha) usado em roupas esportivas de inverno e meia-estação, cujo avesso forma uma trama caracterizada, de rede em relevo. MUSSELINA: ou Mousseline em francês, originária de Mossul, no Iraque, a musselina é um tecido transparente, vaporoso, opaco, usado em roupas para festas. ORGANDI: musselina de algodão, levíssima, com tratamento especial, que dá firmeza. Originária de Organzi, o maior mercado de seda do Turquestão. ORGANZA: é um tipo de organdi, mais transparente e brilhante. A organza de seda é a mais preciosa. PANAMÁ: linho rústico. PIQUE: também do francês. Trata-se de um tecido especial de algodão, cuja característica é a trama formando desenhos em alto e baixo relevo, unidos por pontos e linhas. Existe o pique de seda, muito maleável. PLUSH: tecido sintético, com grande elasticidade (malha) de aparência aveludada, usado para roupas infantis e agasalhos de meia-estação. POPELINE: tecido 100% algodão ou misto, muito usado devido a sua utilidade, tanto no verão como no inverno. RAMI: fibra vegetal originária da China, utilizada na fabricação de tecidos e rendas finíssimas, seja puro ou misturado com seda, lã, algodão. Substitui o linho devido a falta deste. RENDA: tecido feito com fio de linho, algodão, seda etc. e que serve para guarnição de vestidos, lingerie etc. SEDA: tecido luxuoso e brilhante, utilizado em vestidos, blusas etc. Misturados com outros fios, a seda dá origem a tecidos como: crepe de seda, jérsei de seda, cetim de seda etc. TERGAL: tecido 100% sintético, não amarrota e por ser muito econômico, é utilizado em todos os setores.

4

TRICOLINE: tecido de algodão, de trama simples e brilhante, tipo cambraia, só que mais encorpado. TULE: tecido muito leve e transparente, de seda, algodão ou sintético. TWEED: tecido de lã, cujos fios, em duas ou mais cores, formam pequenos relevos. De origem inglesa, exatamente do nome de uma cidade da Escócia. Muito usado na confecção de tailleurs e casacos. VELUDO: tecido de seda, algodão, lã ou sintético. Tem um lado mais felpudo e macio do que o outro. VELUDO COTELÊ: tecido canelado com estrias em relevo. Usado na confecção de calças e casacos.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

COTELÊ : tecido canelado com estrias em relevo. Usado na confecção de calças e casacos. APOSTILA

5

5 A COMPRA DO TECIDO

Ao comprar um tecido verifique os critérios abaixo:

Estrutura: deve ser firme, sem fios soltos ou rompidos, de uma espessura uniforme.

Fios: os fios da trama devem ser perpendiculares às ourelas. Caso contrário, o tecido está desalinhado.

Cor: deve ser uniforme e firme. No caso de tecido estampado, verifique se há falhas na estampa.

Sempre ao comprar um tecido, verifique a sua composição para saber como manuseá-lo durante a confecção da peça e como passar e lavar a peça já pronta. De preferência, anote a composição do mesmo na hora da compra.

6 COMO RECONHECER O AVESSO E O DIREITO DO TECIDO

Sempre devemos identificar o direito do tecido antes de cortar uma peça, pois o risco deve ser feito sempre pelo avesso. Nos tecidos que são enrolados em peça ou tubos, o direito está sempre para dentro e você deve observar isso quando estiver comprando. Outras formas de identificação são:

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Os tecidos macios são mais brilhantes do lado direito;

Nos tecidos com textura, esta apresenta mais definição do lado direito e no lado avesso podem-se observar irregularidades como bolinhas ou linhas soltas;

Tecidos com textura no estilo brocado são mais macios do lado direito e tem fios levantados do lado avesso;

Nos tecidos estampados as cores são mais vivas do lado direito;

Geralmente a ourela dos tecidos é mais macia do lado direito;

Muitas malhas quando esticadas, enrolam as suas bordas para o lado direito;

6

Existem tecidos que o lado direito e o avesso são muito semelhantes, neste caso, escolha um dos lados para ser o direito e marque o avesso com giz, para não confundir.

7 COMO TRABALHAR COM TECIDOS DELICADOS

TECIDOS COM PÊLO

Estes tecidos pertencem ao grupo de estrutura com pêlos. Há uma rica variedade deste tipo de tecido, podendo ser de fibras naturais ou artificiais. Podem ser veludos, pelúcia, peles ou imitação de peles. Podem ter pêlo curto, com a superfície aveludada, com pêlos com menos de 3 mm; ou pêlo longo com superfície com pêlos com mais de 3mm. Cada tipo deste tecido precisa de cuidados específicos. Os veludos podem ser feitos de seda, de acetato e ou de raiom.

Risco e corte

Nos tecidos de pêlo curto, você pode cortar com sentido do pêlo para cima, para obter um efeito de cor mais viva, e com sentido do pêlo para baixo, para obter um tom mais opaco;

Nos tecidos de pêlo longo, corte sempre com o sentido do pêlo para baixo.

Coloque as partes do molde sempre sobre o lado avesso do tecido;

Risque cuidadosamente as partes do molde com giz e corte rigorosamente em cima da linha riscada. Separe as partes e identifique todas do lado avesso para não confundi-las.

Montagem

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Antes de costurar, prenda as partes com alfinetes ou alinhave;

Mantenha as margens de costura regulares;

Costure apenas uma vez, pois se a costura for desfeita, deixará marcas no tecido;

Deve-se utilizar uma agulha fina de ponta arredondada (ponta bola);

As costuras devem ser feitas de preferência seguindo o sentido do pêlo;

Para os tecidos de pêlo alto, deve-se tomar também o cuidado de regular a tensão da máquina e aumentar o comprimento do ponto;

Nos tecidos de pêlo alto, elimina-se o excesso de volume nas margens de costura aparando o pêlo neste local;

Para os veludos, recomenda-se o acabamento da bainha com debrum, podendo este ser uma tira de tule. Em seguida vira-se a bainha e costura-se com um ponto invisível.

Passar a ferro

Para passar o veludo de algodão a ferro, coloca-se uma pano tipo flanela ou sarja e por cima deste outro tecido de algodão cru, e sobre este é que o ferro será passado;

Para passar o veludo de seda ou sintético, coloca-se o ferro com a base para cima e desliza-se suavemente sobre este o avesso do veludo. Quando se tratar de abrir costuras, dá-se com o ferro em temperatura baixa, ligeiras pancadinhas sobre a costura, pelo lado avesso da peça;

Tome cuidado para que a temperatura do ferro esteja sempre baixa, pois temperaturas elevadas podem derreter o veludo. Durante a montagem, passe a peça a ferro o menos possível, e quando o fizer faça sempre pelo avesso;

Da mesma forma, passe os tecidos de pêlo alto pelo avesso, fazendo o mínimo de pressão para evitar amassar o pêlo.

Para abrir costuras, utilize o bico do ferro ou apenas os dedos.

TECIDOS LISOS E TRANSPARENTES

7

Risco e corte

Estenda o tecido sobre uma superfície plana e lisa;

Prenda as partes do molde ao tecido com alfinetes finos ou corte as partes do molde em papel de seda e una-as ao tecido por alinhavos, costurando papel e tecido juntos, para que o tecido não deslize;

Se for riscar o tecido, faça-o sempre pelo lado avesso;

Quando o molde tiver partes de contorno bem definido, corta-se em papel de seda, já com as margens, alinhavando em seguida estas peças ao tecido e recortando tudo junto;

Ao costurar as partes, deve-se manter o papel de seda, só retirando este após ter terminado de unir as partes.

Montagem

Costure apenas uma vez, pois os pontos depois de retirados deixam marcas no tecido. Para isso é necessário alfinetar ou alinhavar sempre as partes antes de unir;

Deve ser manuseado com cuidado, pois amarrota suja e desfia com facilidade.

Para evitar que o tecido escorregue ao costurar, coloque tiras de papel de seda entre o tecido e o impelente;

Ajuste o comprimento e a tensão do ponto para evitar que o tecido franza com a costura. A tensão deve ser reduzida e o ponto deve ser pequeno;

Para evitar que o tecido estique, prenda sempre as partes com alinhavos;

Use agulha de máquina fina de ponta arredondada;

Os detalhes de montagem nos tecidos transparentes devem ter acabamento perfeito, por serem visíveis do lado direito. Nestes casos, pode-se recorrer a costuras francesas ou debruadas;

Os tecidos transparentes podem ser arrematados com uma simples bainha virada. Nos tecidos mais maleáveis, pode-se aplicar uma bainha em rolinho. Estas bainhas podem ser feitas à

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

mão

embainhador.

ou

à

Passar a ferro

máquina,

com

o

auxílio

de

um

calcador-

Passe a seco, pois a água pode manchar o tecido;

A tábua de passar deve ser coberta com um tecido macio e a temperatura do ferro deve ser sempre baixa;

O ferro só deve entrar em contato direto com o tecido quando for necessário. Utilize um tecido de algodão para proteger enquanto passa. Para abrir as costuras deve-se usar apenas a bico do ferro, sem pressionar;

Antes de passar, faça um teste num pequeno retalho, para saber se o tecido tem a tendência a encolher ou franzir ao ser passado;

TECIDOS COM ELASTANO

Atualmente a Indústria Têxtil tem produzido tecidos finos como crepes, veludos e rendas com fios de elastano, para dar mais aderência e conforto às roupas mais sofisticadas. Porém, a utilização destes tecidos é bem mais difícil. São precisos alguns cuidados no corte e na montagem das peças feitas com tecidos que contenham fios de elastano.

Risco e corte

Estenda o tecido sobre uma superfície plana e lisa, com cuidado para não esticá-lo;

Prenda as partes do molde ao tecido com alfinetes finos, pois os alfinetes mais grossos podem romper os fios de elastano e deixar marcas no tecido;

Se o tecido tiver a tendência a deslizar, corte as partes do molde em papel de seda como já foi explicado acima;

Se for riscar o tecido, faça-o sempre pelo lado avesso;

8

Montagem

Para evitar que as costuras arrebentem, utilize linha adequada ao tipo de fibra do tecido e agulha fina de ponta arredondada;

Nos locais onde a elasticidade não for conveniente (como nos ombros, por exemplo), costure uma fita de tecido como reforço;

Para que as partes não estiquem ao serem costuradas, alinhave antes e se for preciso, faça pontos de fixação em locais estratégicos;

Passar a ferro

Manuseie suavemente o tecido, para evitar que este se distenda ou deforme;

Para evitar que as margens das costuras deixem marcas do lado direito, coloque tiras de papel por baixo destas;

Use ferro com temperatura baixa.

TECIDOS COM FIOS METÁLICOS

Os tecidos para noite ganham um glamour a mais quando têm em sua trama fios metálicos, o que lhes confere brilho e um aspecto luxuoso. Estes fios metálicos são geralmente muito frágeis e é preciso atenção para não danifica-los.

Risco e corte

Estenda o tecido sobre uma superfície plana e lisa;

Ao cortar o tecido tenha cuidado para não puxar ou deformar os fios metálicos durante o corte;

Montagem

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Costure apenas uma vez, pois os pontos depois de desmanchados deixam marcas no tecido;

Para evitar que os fios metálicos se partam ao costurar, utilize uma agulha fina e por precaução, verifique sempre se a sua ponta está em forma;

Forre a peça para evitar que os fios arranhem a pele.

Passar a ferro

Passe o a seco, pois os fios metálicos perdem o brilho pela ação do vapor;

Passe com o ferro em temperatura sempre baixa.

RENDAS

A renda é um tecido de trama muito aberta, geralmente combina estrutura de enredamento e bordados com ou sem relevo. As rendas podem ser leves ou pesadas.

Risco e corte

Corte a renda procurando conservar todos os desenhos na mesma direção, de forma que haja uma continuidade sem interrompê-los;

O forro deve ser cortado em primeiro lugar. Deve ser de uma cor harmoniosa com a renda e a composição de sua fibra também tem que ser compatível com a renda que será utilizada;

Corte a renda de acordo com o forro e transfira todas as marcações para o forro. Uma boa opção é riscar as partes do molde em papel fino, prendendo o papel à renda com alfinetes e cortar os dois juntos. Depois de cortadas as partes, retire o papel;

Risque cuidadosamente as partes do molde com giz sobre o forro, cortando em cima da linha riscada. Separe as partes e identifique todas do lado avesso do forro e prenda com alfinetes as partes de renda e de forro correspondentes, para não confundi-las.

9

Da mesma maneira que a renda leve deve ser cortada procurando conservar todos os desenhos na mesma direção, de forma que haja uma continuidade sem interrompe-los. Os desenhos nas costuras laterais e nos ombros devem ser harmoniosos;

Todas as marcas de costuras devem ser feitas pelo avesso da peça, através de alinhavos

Montagem

Para evitar que a renda deslize ao costurar, coloque tiras de papel de seda entre o impelente e o tecido;

Use agulha de máquina “ponta bola” nº 11 e de mão nº 10, bem fina e longa, se a renda for fina. Se a renda for mais pesada, pode ser usada uma agulha mais grossa;

Se for colocar forro solto, todas as costuras feitas na renda devem ter acabamento perfeito. Para isso, pode-se recorrer a costurar debruadas;

Se a renda exigir forro preso, este deve ter a função de entretela, de forma que a renda se uma a ele, formando uma tela única. O forro deve ser preso à peça por meio de alinhavo diagonal, sobre uma superfície plana;

A bainha deve ser feita com todo o cuidado, de forma a manter o desenho na posição certa. Nas rendas pesadas, a barra pode ser recortada, aproveitando o contorno do desenho;

Para bainhas em renda pesada, recomenda-se uma bainha postiça. Para uma renda leve, recomenda-se a bainha em rolinho ou a aplicação de uma tira para reforçar. Pode-se ainda optar-se pela aplicação de uma renda decorativa como arremate da bainha, costurada com ponto de luva ou zig-zag. Algumas rendas permitem que se recorte o contorno dos motivos, sendo isso suficiente para o acabamento da barra.

Passar a ferro

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Proceda cautelosamente ao passar peças com renda. A temperatura do ferro deve ser correspondente à fibra;

A renda deve ser passada o menos possível, pelo avesso, protegida por um tecido;

A tábua de passar deve ser bem acolchoada, por causa da delicadeza da renda.

8 RELAÇÃO TECIDO, AGULHA, LINHA E PONTO

Para obter os melhores resultados, escolha sempre uma agulha de número e ponta adequados ao tecido. A agulha mais fina é de nº 9 e a mais grossa é de nº 18. Quanto mais leve o tecido, e mais fina a linha, mais fina deverá ser a agulha. Você deve ter em mente que cada máquina de costura tem o seu tipo específico de agulha, portanto, antes de colocar a agulha procure ter certeza de que esta é adequada à máquina. Existem também agulhas duplas ou triplas, para fazer costuras decorativas.

Partes da agulha:

Tronco ou cabo: é a parte superior da agulha;

Corpo ou haste: trata-se do corpo da agulha;

Cava : é a reentrância que há por trás do fundo da agulha. Serve para facilitar a passagem da linha;

Buraco ou fundo: está situado imediatamente acima da ponta;

Ponta: é a parte que penetra no tecido, formando a costura;

10

 Canaleta : é uma ranhura que há em um dos lados do tronco, para
Canaleta : é uma ranhura que há em um dos lados do tronco, para
facilitar o desdize da linha, sendo portanto, o lado pelo qual a
linha deve ser enfiada
plástico fino, cetim,
seda macia, palha de
algodão
seda,
shantung,
100%
brocado.
poliéster
Algodão
mercerizado
50
Náilon “A”
.
Seda “A”
Tipos de pontas:
Poliéster
misto
com
 ponta fina: utilizada mais freqüentemente, é a agulha “comum”. É
indicada para todos os tipos de tecidos.
algodão
 ponta arredondada: é especialmente indicada para costurar todos
os tipos de malhas, pois não rompe os fios de elastano . Também
pode ser utilizada em tecidos finos e delicados.
Médio – algodão leve,
linho, madras, percal,
pique, chitz de linho,
faile, veludo cotelê
fino, veludo de algodão,
casimira, vinil, tecidos
de veludo, lã fina, sarja.
100%
poliéster
2020
 ponta facetada: esta agulha é indicada para costurar couro e
materiais vinílicos.
1,5 - 2
14
Algodão
15
x 1
mercerizado
60
O quadro abaixo tem as indicações de agulhas, linhas e comprimento de
pontos adequados aos vários tipos de tecidos:
Algodão 60
Comprimento
Agulha
Seda “A”
Peso e tipo de tecido
Linha
do ponto
Tipo
Tamanho
Poliéster
Delicado
tule,
misto
com
2020
chiffon,
renda
fina,
organza,
veludo
de
Linha fina de
poliéster,
náilon
algodão.
algodão
1 – 1,5
9
2020
ou
15
x 1
Médio-pesado –
gabardine, tweed, lona,
linha ou algodão
grosso, sarja de Nîmes,
tecidos para casacos,
tecidos de cortinas,
1,5 - 2
16
seda.
100%
15
x 1
poliéster
Leve
organdi, voal, tafetá,
crepe, veludo de seda,
cambraia,
2020
Poliéster
vinil,
tecidos
1 – 1,5
11
misto
com
reforçados, algodão
Algodão
15
x 1
APOSTILA DE COSTURA BÁSICA
11
Pesado – tecidos para sobretudo, tecidos de estofamento, lona grossa. cotelê, tecido trama mercerizado
Pesado – tecidos para sobretudo, tecidos de estofamento, lona grossa.
Pesado – tecidos para
sobretudo, tecidos de
estofamento, lona
grossa.

cotelê,

tecido

trama

mercerizado

fechada.

grosso

Algodão 40 a

60

Poliéster

misto

com

algodão

2020

Algodão 3 – 4 18 mercerizado 15 x 1 grosso Algodão 40 Poliéster misto com
Algodão
3 – 4
18
mercerizado
15 x 1
grosso
Algodão 40
Poliéster
misto
com
algodão
Malhas e tecidos
elásticos – malhas
100%
2045
duplas, malhas
poliéster
fechadas, spandex, tricô
de náilon, tricô oleado,
Ponta
2,5 - 3
14
Náilon “A”
redonda
jérsei, pelúcia
aveludada, veludo tipo
(faixa
Algodão
amarela)
helanca.
mercerizado
50
Seda “A”
Couros – camurça,
Poliéster
2020 15 x
11
pelica, couro verniz,
misto
com
1
cobra, couros forrados,
algodão
2,5 - 3
14
couros naturais e couros
sintéticos.
Ponta
100%
facetada
16
APOSTILA DE COSTURA BÁSICA
Ponta 100% facetada 16 APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 10 BAINHAS poliéster Algodão mercerizado 50
Ponta 100% facetada 16 APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 10 BAINHAS poliéster Algodão mercerizado 50

10 BAINHAS

100% facetada 16 APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 10 BAINHAS poliéster Algodão mercerizado 50 Náilon “A”

poliéster

Algodão

mercerizado

50

Náilon “A”

Seda “A”

Algodão mercerizado 50 Náilon “A” Seda “A” 1 2 9 ACABAMENTOS FINOS MANUAIS Escolha uma agulha
Algodão mercerizado 50 Náilon “A” Seda “A” 1 2 9 ACABAMENTOS FINOS MANUAIS Escolha uma agulha
Algodão mercerizado 50 Náilon “A” Seda “A” 1 2 9 ACABAMENTOS FINOS MANUAIS Escolha uma agulha
Algodão mercerizado 50 Náilon “A” Seda “A” 1 2 9 ACABAMENTOS FINOS MANUAIS Escolha uma agulha
Algodão mercerizado 50 Náilon “A” Seda “A” 1 2 9 ACABAMENTOS FINOS MANUAIS Escolha uma agulha
Algodão mercerizado 50 Náilon “A” Seda “A” 1 2 9 ACABAMENTOS FINOS MANUAIS Escolha uma agulha

12

9 ACABAMENTOS FINOS MANUAIS

Escolha uma agulha que seja adequada ao tecido. Para fazer os pontos a seguir, prefira agulhas mais finas e curtas para pontos pequenos, e mais longas para alinhavos. Costure com linha relativamente curta, de 45 a 60 cm para costuras definitivas. Para os alinhavos, pode ser usada uma linha maior. A linha só deverá ser dobrada para pregar botões e colchetes. Para alinhavar e fazer marcações, utiliza-se linhas de cores claras, que façam um certo contraste no tecido. As linhas muito escuras podem deixar marcas no tecido. A seguir, estão os mais utilizados pontos à mão.

tecido. A seguir, estão os mais utilizados pontos à mão. Para fazer bainhas viradas, dobre na

Para fazer bainhas viradas, dobre na altura desejada, marque e pregue os alfinetes perpendicularmente à dobra, passando um alinhavo, não esquecendo de que a bainha deve ter uma altura uniforme. Passe a bainha a ferro e costure com um dos pontos de bainha. A seguir, estão os pontos mais utilizados para fazer bainhas à mão. De acordo com o tecido, deve-

se escolher o ponto que mais se aplica ao resultado desejado para a peça.

Bainha dobrada com ponto espinha de peixe: indicada para peças de tecidos médiosa pesados sem forro e que desfiam muito.

Bainha debruada com ponto espinha de peixe: indicada para peças de tecidos médios a pesados sem forro, quando a peça não tem corte reto.

Bainha com ponto Invisível: este ponto é simples e rápido, executado por dentro, indicado para tecidos leves.

Bainha com ponto clássico: é bastante prático, porém menos resistente, indicado para peças delicadas.

11 ACABAMENTOS FINOS À MÁQUINA

COSTURAS ABERTAS

Costura com borda rebatida: este acabamento é indicado para tecidos leves e de peso médio, em peças que não levam forros.

Costura debruada com viés: indicada para uma peça em tecido médio ou pesado que não seja forrada.

COSTURAS FECHADAS

Costura francesa: indicada para tecidos transparentes nos quais as costuras são visíveis do lado de exterior da peça.

Costura tombada: esta costura é útil para reforçar e dar mais resistência

a uma parte da peça.

Sobrecostura: esta costura é muito resistente e proporciona durabilidade

à peça.

Costura debruada em si mesma: esta costura dispensa qualquer acabamento e dá melhor resultado em tecidos leves que não desfiem facilmente.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Costura debruada com viés: indicada para uma peça em tecido médio ou pesado que não seja forrada.

12 BAINHAS

As bainhas à máquina são mais práticas e rápidas, proporcionando também muita resistência. Por outro lado podem não cair tão bem em uma peça mais social, por dar um aspecto mais informal à roupa. Abaixo estão apenas alguns dos tipos de bainhas feitas à máquina. Além destes, também há bainhas coladas, reforçadas, debruadas, etc. Para saber mais, você pode consultar um dos livros da bibliografia indicada.

Bainhas com ponto invisível: arremate resistente e relativamente discreto é uma alternativa para peças mais delicadas. Só é possível fazer em máquinas que dispõem deste tipo de ponto.

Bainha em rolinho: é uma bainha delicada e estreita indicada para tecidos delicados.

Bainha simples: é uma bainha comum, indicada para tecidos médios ou pesados.

Bainha postiça: esta bainha é indicada para peças que não têm um corte reto e não é possível dobrar a borda.

BAINHAS

MARQUE com alfinete a altura onde a bainha será dobrada.

13

DOBRE a bainha e faça dois alinhavos, um na parte inferior e outro na largura da

COSTURE com um ponto que mais se adapta ao tipo de tecido.

TIRE todos os alinhavos antes de passar a ferro. Do contrário, você correrá o risco de marcar o tecido.

TIPOS DE BAINHA

BAINHA COM PONTO CRUZADO OU PÉ DE GALINHA Este ponto é empregado em tecidos mais encorpados e que, por isso, precisam ser presos com maior firmeza. É executado da seguinte maneira: introduza a agulha da direita para a esquerda, não aperte muito os pontos.

da direita para a esquerda, não aperte muito os pontos. BAINHA SIMPLES Faz-se dobrando l cm

BAINHA SIMPLES Faz-se dobrando l cm em toda orla da barra. Feito isso, alinhava-se a bainha dobrada e cose-se com ponto invisível.

BAINHA EM GODÉ Para facilitar a execução de uma bainha em godê é necessário passar uma costura por toda a orla da dobra, formando um leve embebido. Prenda com alfinetes.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Aplique sobre ele uma rendinha ou um viés, costurando-o à máquina sobre a beira da barra. Faça pontos invisíveis para prender a barra.

COMO FAZER UMA BAINHA ITALIANA

- Dobre a boca da perna (5 cm em média) avesso sobre avesso.

- Passe a ferro , embainhe a borda e pesponte, prendendo a bainha internamente.

- Revire a boca da perna para o direito a 4 cm da borda dobrada,

formando uma prega.

-

Passe a ferro.

-

Prenda a prega com pontos invisíveis feitos a mão ou pespontos sobre a

linha das costuras laterais e das entrepernas.

COMO FAZER UM BAINHA INVISÍVEL

- Antes de fazer a bainha invisível, faça um ziguezague na borda do tecido para não desfiar.

- Determine o comprimento desejado e dobre a barra.

- Vire a peça pelo avesso, fazendo a segunda dobra, voltada para o

direito da peça.

- Selecione o ponto de bainha invisível e use a sapatilha especial.

- Alinhe a sapatilha à borda do tecido e costure de forma que a agulha entre levemente na dobra que está paralela à borda, sem que apareça os pontos do lado direito.

Técnicas para fazer bainhas

Antes de começar sua bainha, atente para essas dicas:

14

Antes de fazer bainha em uma saia, vestido ou calças compridas, pendure a roupa por um dia em um cabide, para dar mais caimento ao tecido; ··.

É possível alisar pequenas rugas na costura de uma bainha com um ferro a vapor; não refaça uma bainha levemente enrugada; primeiro, tente ajeitá-la com o ferro; ··.

Prendedores de roupa tipo clipe podem ser mais convenientes que alfinetes, para manter uma bainha no lugar enquanto você trabalha nela;

Truques do ofício As dicas a seguir ajudarão a garantir o sucesso de sua costura.

Conserte assim que notar. Quanto mais tempo levamos para consertar algo, pior fica em termos de pequenos consertos em roupas.

Faça como era antes. Estude a roupa antes de consertá-la, para ver como fazer o cruzamento da linha nos botões com furos, como combinar a linha e os padrões de pontos originais.

Passe a ferro. Passar a ferro prepara o tecido para uma costura mais uniforme, ajuda a manter as dobras planas e onde devem estar e facilita para a obtenção de resultados com aparência profissional. Ao passar a roupa, levante e abaixe o ferro com delicadeza, em vez de deslizá-lo para trás e para frente sobre o tecido.

Siga as instruções de fábrica. Isto é especialmente importante para remendos, fechos e zíperes.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

13 CASAS

As casas de botão podem ser verticais ou horizontais. O comprimento da casas deve ser igual ao diâmetro do botão, mais a sua espessura. As casas podem ser debruadas ou bordadas à máquina.

Casa debruada: este tipo de casa é indicado para tecidos leves e de peso médio que não desfiam e que vincam bem.

Casa bordada à máquina: é o tipo mais comum de casa, indicada para a maioria dos tecidos.

14 PONTOS BÁSICOS DE COSTURA

Você pode fazer praticamente qualquer tipo de conserto com quatro pontos básicos. Se você nunca costurou, talvez seja bom praticar um pouco, para desenvolver a habilidade de fazer pontos uniformes e delicados em linha reta.

de fazer pontos uniformes e delicados em linha reta.  Pesponto: visto de cima, o pesponto

Pesponto: visto de cima, o pesponto parece uma linha contínua de pontos iguais; visto do avesso do tecido, os pontos são duas vezes mais longos que aqueles de cima e se sobrepõem nas pontas. Use um fio único com nó e trabalhe da direita para a esquerda. Insira a agulha pelo lado de

15

baixo das camadas de tecido 1/3 cm para a esquerda de onde sua costura começará. Passe a agulha para o outro lado do tecido até o nó. Insira a agulha 1/3 de cm por trás, onde o fio emerge, isto é, onde sua costura começará. Traga a agulha para cima 1/2 cm além desta inserção e puxe bem a linha. Traga a agulha para cima 1/2 cm além desta inserção e puxe a linha para o outro lado. Continue assim, formando pontos com espaçamento igual com cerca de 1/3 cm de comprimento.

Alinhavo: o alinhavo é usado para manter duas ou mais camada de tecido junta temporariamente, durante provas ou modelagem. Talvez você queira alinhavar uma bainha ou punho para garantir que gostaria do comprimento, antes de completar a bainha com uma costura mais permanente. Use um único fio sem nó, para poder puxá-lo com facilidade e trabalhe da direita para a esquerda. Insira a agulha pelo lado direito e passe a agulha e linha pelo tecido, para dentro e para fora, duas ou três vezes. Pontos de alinhavo podem ter um centímetro ou pouco mais que isso, de comprimento. Puxe o fio parcialmente para o outro lado do tecido, prendendo a ponta sem nó entre seu polegar e o indicador, de modo a não puxá-lo totalmente. Reinsira a agulha e repita o processo. Deixe a linha frouxa na ponta, para poder removê-la com facilidade.

linha frouxa na ponta, para poder removê-la com facilidade. Ponto corrido: o ponto corrido, usado para

Ponto corrido: o ponto corrido, usado para consertos delicados, costuras visíveis e franzidos é trabalhado de forma muito semelhante ao alinhavo, mas os pontos são menores e

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

uniformes. Prenda o fio nas duas pontas com um nó. Use um fio único com nó e trabalhe da direita para a esquerda. Insira a agulha pelo lado avesso e passe a agulha e linha pelo tecido, para dentro e para fora, de modo uniforme, duas ou três vezes. Puxe a linha para o outro lado com firmeza, mas evite enrugar o tecido.

para o outro lado com firmeza, mas evite enrugar o tecido. Chuleado: este ponto é usado

Chuleado: este ponto é usado para prevenir o esfiapamento da borda do tecido. Use um fio único com nó e trabalhe da direita para a esquerda. Insira a agulha pelo lado de baixo do seu trabalho. Puxe a linha através do nó e insira a agulha pelo lado avesso novamente, 1/3 a 1/2 cm à esquerda do nó. Puxe a linha para o outro lado, mas não com muita força ou o tecido se enrugará. Quanto mais propenso ao esfiapamento for o tecido, mais próximos deverão ser os pontos da costura. Mantenha a profundidade dos pontos uniforme e os tornem tão rasos quanto possíveis, sem afastar demais as fibras do tecido.

dos pontos uniforme e os tornem tão rasos quanto possíveis, sem afastar demais as fibras do

16

COSTURA SIMPLES: serve para juntar dois tecidos. Proceda da seguinte maneira: coloque o tecido com o lado direito sobre o outro do lado direito e alinhave. Passe a máquina emendando os panos bem juntos

ao alinhavo pelo lado da beirada. Tenha cuidado para não costurar sobre

o alinhavo pois, assim você não correrá o risco de romper a costura

quando for retirá-lo. Por último, passe o ferro abrindo a costura.

COSTURA REBATIDA: este tipo de costura dispensa qualquer tipo de acabamento. Faça da seguinte maneira: junte avesso com avesso do tecido e costure a uns 10 mm da borda. Apare a margem da costura de modo que esta fique com apenas 3 mm. Abra a costura a ferro, dobre o lado direito sobre o direito e volte a passar o ferro. Passe uma nova costura rente aos 3 mm. Com o ferro assente a costura para um dos lados.

aos 3 mm. Com o ferro assente a costura para um dos lados. COSTURA DUPLA OU

COSTURA DUPLA OU PESPONTADA:

a costura para um dos lados. COSTURA DUPLA OU PESPONTADA: como se trata de uma costura

como se trata de uma costura muito resistente, é frequentemente utilizada em roupas esportivas ou infantis. Sua execução

é simples: coloque avesso contra avesso do tecido e costure. Abra a

costura a ferro assentando-a para um dos lados. Apare a margem de baixo e em seguida faça uma dobra na orla da margem de costura que fica por cima. Dobre a beirada e costure.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

PONTO DE CRUZ: é utilizado quando se quer manter no lugar determinadas dobras.

quando se quer manter no lugar determinadas dobras. SETA OU PONTO MOSCA: é um acabamento decorativo,

SETA OU PONTO MOSCA: é um acabamento decorativo, muito utilizado para pregas e bolsos. Conforme o tipo de roupa ou tecido, esse acabamento pode ser feito em couro (no caso de casacos) ou com o próprio pedaço do pano da peça.

17

Veja à seguir mais alguns exemplos de pontos feitos à máquina:

à seguir mais alguns exemplos de pontos feitos à máquina: APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 15 GLOSSÁRIO
à seguir mais alguns exemplos de pontos feitos à máquina: APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 15 GLOSSÁRIO
à seguir mais alguns exemplos de pontos feitos à máquina: APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 15 GLOSSÁRIO
à seguir mais alguns exemplos de pontos feitos à máquina: APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 15 GLOSSÁRIO
à seguir mais alguns exemplos de pontos feitos à máquina: APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 15 GLOSSÁRIO
à seguir mais alguns exemplos de pontos feitos à máquina: APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 15 GLOSSÁRIO

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

15 GLOSSÁRIO DE MODA

ABA: parte sobreposta e solta da peça. AFUNILADA: barra mais ajustada. AJUR: consiste num ponto decorativo que se caracteriza por fios puxados e contados imediatamente acima do alinhavo. ALAMAR: tipo de alça para abotoamento, feito de tirinhas enviesadas. Usa-se também como efeito decorativo. ALINHAVO: tipo de costura feita à mão, através da qual se unem temporariamente as diversas peças entre si. O alinhavo tem também a finalidade de passar as marcações do molde para o tecido.

finalidade de passar as marcações do molde para o tecido. ASELHA: tipo de abotoamento decorativo com

ASELHA: tipo de abotoamento decorativo com presilha, tipo de casa para botões em forma de argola. ASSIMÉTRICOS: modelos que proporcionam linhas diferentes de um lado para o outro. AVIAMENTOS: miudezas necessárias à confecção de roupas, linha, botão, zíper etc. BAINHA ROLE: bainha "enrolada" feita à mão, própria para tecidos transparentes. BARRA: acabamento que se faz nas extremidades da peça. Pode ser feita à mão com pontos invisíveis ou à máquina. BÁSICO: é a base ou o início do trabalho.

18

BASQUE: uma aba que sai da cintura e cobre os quadris. BLAZER: paletó de estilo esportivo.

BLUSÊ: quando o corpinho do vestido ou túnica apóia molemente na cintura, dando a impressão de blusa. BOMBACHA: calça de pernas largas, ajustada por elástico ou cós, logo abaixo dos joelhos ou nos tornozelos. BUSTIÊ: corpete justo, moldando os seios.

nos tornozelos. BUSTIÊ: corpete justo, moldando os seios. CARCELA: tira de pano com casas, que se

CARCELA: tira de pano com casas, que se costura em um dos lados da roupa, para abotoar sobre o outro lado, em que estão presos os botões. CABEÇA DE MANGA: a parte arredondada mais alta da manga. CARDIGÃ: casaquinho de malha abotoado na frente. CAVALO (OU GAVIÃO): termo muito utilizado para o gancho da calça. CHEMISIÉR: vestido tipo camisa.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

CHEMISIÉR: vestido tipo camisa. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA CHULEIO: é o ponto que se faz nas

CHULEIO: é o ponto que se faz nas bordas do tecido para que este não se desfie. COENIZADO: tecido com forro prensado que dispensa outro forro. COLANTE: roupa justa, geralmente de malha, que se amolda ao corpo.

roupa justa, geralmente de malha, que se amolda ao corpo. COULISSÊ: cinto embutido. DEBRUAR OU DEBRUM:

COULISSÊ: cinto embutido. DEBRUAR OU DEBRUM: arrematar com viéses (debruns). DEGAGÉE: gola que se afasta do pescoço. DRAPÊ: pano com grandes pregas, moles, dispostas harmonicamente. DUPLA-FACE: é a roupa que não tem avesso, e pode ser usada de ambos os lados. EMBEBER: tipo de franzido que não aparece.

19

EMBUTIR: introduzir uma peça dentro da outra, muito usado para bolsos. ENTRETELA: tecido especial para

EMBUTIR: introduzir uma peça dentro da outra, muito usado para bolsos. ENTRETELA: tecido especial para dar consistência às golas, punhos, cintos, etc. ENTRETELA AMERICANA: entretela aderente (com cola). EVASÊ: deriva do francês, e significa aberto, alargado. Característica da saia quando esta se abre levemente no fim. FIO ATRAVESSADO: direção horizontal de corte em relação à trama do tecido. FIO RETO: direção paralela à trama do tecido. FIO VIÉS: direção diagonal à trama do tecido. FOFO: calça ou manga larga, franzida e presa nas extremidades. FOULARD: lenço de seda que se usa amarrado no pescoço. FROU-FROU: tipo de babado cortado em forma circular. GALÃO: tira bordada para debruar ou enfeitar. GODÉ: é a saia cortada em viés. GOTA: é uma abertura ou decote em forma de gota, com a qual se enfeita a roupa. HABILLÉ: roupa elegante, para a noite ou ocasiões especiais. ILHÓS: orifício caseado ou com acabamento metálico, normalmente usado em cintos. JABÔ: um ou mais babados que saem do decote, ornamentando a frente da blusa. JUMPER: tipo de vestido sem manga que se usa por cima de uma blusa ou um suéter. KILT: é a saia tradicional do homem da Escócia: transpassada, pregueada e normalmente feita com tecido xadrez.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

LASTÉX: elástico roliço, usado para franzir punhos, corpetes e alças. Usa-se como linha na bobina da máquina e procede como uma costura normal. LISEUSE: pequena capa usada sobre a roupa de dormir. MANEQUIM: é o tamanho ou o conjunto de medidas, também é o boneco de forma humana com a finalidade de se provar ou expor certas roupas.

humana com a finalidade de se provar ou expor certas roupas. MARTINGALE: meio cinto colocado na

MARTINGALE: meio cinto colocado na cintura, na parte das costas de um casaco, vestido ou mesmo casaquinho. MÁXI: vestido ou saia de comprimento longo. MIDI OU LONGUETE: comprimento de saia que fica entre o tornozelo e o joelho. MÍNI: diz-se de todos os modelos de comprimento a um palmo acima do joelhos. NERVURAS: preguinhas bem rasas que servem de enfeites. OURELA: orla ou margem, é o arremate lateral dos tecidos produzidos em tear. PALA: recorte usado na parte superior de blusas, vestidos, saias e calças. PANTACOURT: saia-calça de boca larga e usada na altura dos joelhos, como um bermudão. PASSAMANARIA: conjunto de fitas trabalhadas, entrançadas e bordadas. PATCHWORK: é um trabalho feito com retalhos formando desenhos, muito utilizado na confecção de mantas e colchas. PATTE: expressão francesa, o mesmo que carcela. PÉ DE GOLA: parte inferior da gola ou do colarinho. PELERINE: capinha que cobre os ombros.

20

PESPONTO: costura decorativa feita pelo lado direito da peça, com linha própria contrastante nos pespontes. A largura dos pontos geralmente é maior que os de costura. PIQUES: pequenos cortes dados nas folgas de costuras, para fazer com que caia melhor nas partes curvas do corpo. PLATINAS: presilhas aplicadas nos ombros

de vestidos, camisas e casacos. PLISSE: pregas feitas à má quina ou à vapor. POÁS: do francês ("pois"), significa ervilhas. Tipo de estampa com muitas bolinhas. PÓLO: gola esporte, característica, com pequena abertura na parte da frente. PONCHO: manta com um buraco no meio para a cabeça. É o agasalho típico da América Latina.

Pesponto
Pesponto
cabeça. É o agasalho típico da América Latina. Pesponto QUIMONO: tipo de vestimenta japonesa sem costura

QUIMONO: tipo de vestimenta japonesa sem costura na cava das mangas. Possui manga inteiriça.

sem costura na cava das mangas. Possui manga inteiriça. RAGLÃN: manga cortada junto com à pala

RAGLÃN: manga cortada junto com à pala da blusa. Diz-se da manga perpendicular aos ombros. REDINGOTE: vestido estilo casaco, ligeiramente acinturado e um pouco evasê.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

acinturado e um pouco evasê. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA REVÉS: ou revel, é o revestimento de

REVÉS: ou revel, é o revestimento de golas e

decotes. ROLOTË: cordão feito de tecido.

de golas e decotes. ROLOTË: cordão feito de tecido. RUCHE: tipo de babado com franzido no

RUCHE: tipo de babado com franzido no meio, formando dois babados em uma só tira. SAFÁRI: tipo de vestimenta esporte, inspirada nas roupas dos caçadores ingleses da África. SMOCK: espécie de bordado que se faz com preguinhas. O mesmo que Casinhas de Abelha. ST. TROPEZ: modelo com cintura baixa. SIMÉTRICOS: diz-se de modelos que possuem linhas iguais de um lado para o outro. TRANSPASSE: parte de uma peça que se sobrepõe à outra parte. TROU-TROU: espécie de arremate muito delicado para beiradas de babados, faixas etc. VIÉS: tira de tecido cortada em diagonal, que serve como arremate ou elemento decorativo. VIVO: o mesmo que debrum, porém mais fino. ZIGUEZAGUE: tipo de costura usada nas beiradas de tecidos para evitar que desfiem. É também usada como ponto em bordados.

21

JABÔ: babado que coloca-se sem franzir dando forma de godê, é bastante usado em punhos, decotes etc. No tempo do império usava-se para vestimenta masculina de reis, príncipes, juizes e pessoas da grande elite. Atualmente é um detalhe para roupa feminina de muito glamour.

16 O KIT BÁSICO DE COSTURA

roupa feminina de muito glamour. 16 O KIT BÁSICO DE COSTURA  Tesouras de costura; ·.

Tesouras de costura; ·.

Alfinetes e almofada de alfinetes; ·.

Um dedal;

Fita métrica;

A maior parte dos consertos pode ser feita à mão, sem uma máquina de costura. Para essas tarefas, você precisará de alguns itens essenciais, como:

Diversos tipos de botões; ·.

Agulhas de tamanhos variados; ·.

Linhas variadas;

Presilhas, ganchos, ilhoses e colchetes; ·.

Fita auto-adesiva;

Retalhos.

Se você ainda não tem esses artigos, tenha as seguintes dicas em mente, ao comprá-los:

Tesouras leves com 15 ou 18 cm de comprimento são as melhores. Use-as apenas para a costura; ·.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Alfinetes com cabeças grandes de vidro ou plástico são os mais fáceis de usar. Compre os maiores que encontrar, de até 3 ou 4 cm de comprimento;

Um pacote de agulhas de pontas variadas, de tamanho médio, com orifícios redondos, apropriadas para todos os pesos de tecido; ·.

Existem dedais de diferentes tamanhos; encontre um que se encaixe no dedo médio da mão que você usa para costurar; ·.

Colchetes e ganchos de tamanhos variados (1, 2 e três) e presilhas tamanhos 3/0, 2/0 e zero resolvem a maior parte dos problemas de reposição; ·.

Uma régua de metal para costura (vazada no meio), de 15 cm, é mais útil para costuras que uma fita métrica, particularmente para fazer bainhas, já que pode ser usada para manter-se constante a medida desejada.

Outros artigos que facilitam muito a costura incluem um abridor de casas, cuja ponta afiada e curva é usada para abrir costuras e a ponta fina é usada para retirar os fios soltos; um passador de linha, que poupa muito tempo e frustração; e uma tesoura de recorte, que tem bordas em ziguezague, o que lhe permite aparar o tecido sem esfiapá-lo.

Organização dos seus aviamentos

o tecido sem esfiapá-lo. Organização dos seus aviamentos Organize seus aviamentos com essas dicas e truques

Organize seus aviamentos com essas dicas e truques úteis:

Mantenha

um

ímã

pequeno

em

sua

cesta

de

costura.

Quando

agulhas

ou

alfinetes caem no

carpete

enquanto

você

costura

é

22

fácil recuperá-los rapidamente com o ímã; ··.

Agulhas podem enferrujar ou perder a ponta. Retire qualquer ferrugem com um sabão abrasivo ou lã de aço; ··.

Deixe um pouco de linha na agulha antes de enfiá-la na almofada após a costura. Você poderá vê-la com mais facilidade e a agulha não se enfiará totalmente dentro da almofada; ··.

Uma barra de sabão pode servir como uma ótima "almofada". Além de acomodar os alfinetes e agulhas, o sabão lubrifica as pontas, fazendo com que deslizem facilmente em tecidos duros; ··.

Para evitar que as tesouras causem danos a outros objetos em sua cesta de costura, cubra as pontas com os protetores de borracha vendidos para agulhas de tricô; ··.

Antes de jogar fora roupas que você não usa mais, salve alguns aviamentos reutilizáveis, como zíperes, botões ou bordas decorativas. Isso pode ser útil quando você precisar trocar um colchete; ··.

Fios de linha parecem mais escuros no carretel, que sobre o tecido. Escolha um fio um tom mais escuro que o material no qual pretende usá-lo.

Enfiando a linha na agulha

Enfiar linha em uma agulha é bastante simples. Mantenha a agulha ereta com uma das mãos e a gire em seus dedos até ver o orifício. Mantenha o fio cortado a cerca de 1 cm da ponta com os dedos da outra mão e o empurre através do buraco da agulha, até enfiá-la cerca de 1,5 cm além do buraco. Puxe mais ou menos 1/3 de toda a linha cortada se pretender coser com um único fio; junte as pontas, se pretende usar fio duplo para o trabalho.

Se tiver dificuldade para enfiar a linha na agulha, pode ser útil seguir esses conselhos:

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Posicione a agulha na frente de uma superfície branca, de modo que o furo fique mais visível.

superfície branca, de modo que o furo fique mais visível. Coloque sua agulha na frente de

Coloque sua agulha na frente de uma superfície branca para tornar o furo mais visível

Torne a ponta da linha mais firme, umedecendo-a ou passando cera de abelha em uma das extremidades.

Mergulhe a ponta da linha em um frasco de esmalte vermelho e deixe secar. O esmalte colorido tornará a ponta da linha mais visível e também servirá para facilitar seu deslizamento.

Dê um jato de fixador de cabelos em seus dedos e, depois, firme a ponta da linha, rolando-a entre os dedos.

Tente uma agulha com buraco maior ou use um passador de linha.

Fazendo o nó

23

Para dar o nó na linha, coloque a ponta do fio reto na parte de baixo do polegar de sua mão esquerda (ou mão direita, se você for canhoto). Segure o fio com seu polegar esquerdo e posicione a ponta da agulha sobre o fio, cerca de 1,5 cm a partir da ponta da linha. Segure a ponta da linha e a agulha no lugar com seu polegar esquerdo. Com a mão direita, envolva a ponta da agulha com o fio bem apertado, duas vezes para um nó pequeno e quatro para um nó maior.

Aperte a linha em torno da agulha entre o polegar e o indicador de sua mão esquerda. Empurre a agulha para cima, entre esses dedos, tanto

quanto possível, com o segundo dedo de sua mão direita. Depois, agarre

a ponta da agulha com o polegar e o indicador de sua mão direita e

deslize o fio que envolve a agulha lenta e suavemente pela agulha, passando por cima do buraco e indo para baixo no comprimento do fio, em um nó apertado.

Corte a linha excessiva abaixo do nó.

17 Substituição de um botão

A maioria dos botões pode ser costurada com linha para costuras gerais.

Os botões devem ser costurados frouxamente, para permitir espaço para

a camada de roupa que contém as casas. Botões costurados muito junto

ao tecido dificultam o abotoamento. Botões costurados pelos furos à roupa geralmente vêm com dois ou quatro furos. Outros tipos têm uma espécie de base atrás, na qual há um furo por onde são costurados à

roupa.

Para substituir o botão com furos, você precisará de um "formador de base", que pode ser um palito de dentes ou de fósforo. Insira a agulha no tecido, pelo lado onde o botão ficará, e traga a ponta para cima 1/3 cm. Atravesse o tecido até o lado onde está o nó. Faça dois pontos pequenos para marcar o local para o botão e para dar ao seu trabalho uma base firme, o botão cobrirá o nó e os pontos.

Agora, insira a agulha através de um dos buracos do botão, pelo lado de trás. Deixe o botão cair pela agulha e pela linha até o tecido. Coloque seu

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

"formador de base" atravessado sobre o botão. Mantenha-o no lugar com

o dedo e costure sobre o palito enquanto prende o botão.

Combine seus pontos com o desenho de cruzamento da linha dos outros botões da roupa. Dê três a seis pontos através de cada par de buracos do botão, dependendo da pressão que o botão receberá. Depois, traga a agulha para cima através do tecido, mas não atravesse os furos com ela.

Retire o formador de base (o palito), mantenha o botão bem puxado e afastado da roupa e enrole a linha bem apertado, duas ou três vezes, em torno dos fios sob o botão. Insira a agulha até o lado avesso da roupa e a enfie sob os pontos do botão. Puxe a linha parcialmente através desses pontos, formando uma laçada. Insira a agulha através do laço e a puxe apertado para formar o nó. Corte as linhas bem rentes ao nó.

Para substituir um botão com base, comece inserindo a agulha no lado da roupa onde o botão ficará. Traga a agulha para cima 1/3 cm e puxe o fio através do nó. Faça dois pontos pequenos para marcar o local para o botão e para dar uma base firme para seu trabalho. O botão cobrirá o nó e os pontos.

Posicione o botão na marcação com a base paralela a casa. Insira a agulha através da base e, depois, do tecido, para baixo. Costure através da base quatro a oito vezes. Tenha cuidado para manter os pontos no lado de baixo do tecido pequenos e bem feitos. Finalmente, faça um nó. Insira

a agulha sob os pontos do botão, no lado avesso da roupa. Puxe a linha

parcialmente até o outro lado, formando uma laçada. Insira a agulha através do laço e a puxe apertado para formar o nó. Corte os fios bem próximo ao nó.

para formar o nó. Corte os fios bem próximo ao nó. Substituir alguns botões com furos

Substituir alguns botões com furos exige o uso de "formadores de

24

base" (à esquerda). Ao remover um palito usado para formar a base, enrole o fio sob a parte de baixo do botão (centro). Um botão com base tem um pequeno laço em seu lado de baixo (à direita).

17 COMO FAZER CHULEADO ( na caso de não haver overloque )

- Utilize o calcador de uso geral.

- Selecione a largura do ziguezague no seletor de largura (se estiver costurando com agulha dupla, não ultrapasse a marca indicada no

painel).

- Escolha o comprimento do ponto, sugerimos iniciar com a posição 2,5 ou 3.

- Ajuste a tensão, conforme o tecido e a linha.

- Posicione o tecido na máquina de forma que sua borda coincida com a ranhura central da sapatilha.

- Costure, segurando o tecido para mantê-lo no lugar certo.

18 COMO COSTURAR COM AGULHA DUPLA

- Substitua a agulha da máquina pela agulha dupla.

- Coloque na máquina o feltro e o pino porta-retrós vertical.

- Passe as duas linhas normalmente pelos guia-fios.

- Passe apenas a linha do pino porta-retrós horizontal pelo guia-fio da

agulha e passe a linha na agulha esquerda da frente para trás.

- Passe a outra linha, do pino porta-retrós vertical, na agulha direita, também da frente para trás. Ao selecionar a largura do ponto ziguezague, nunca ultrapasse a marca da agulha dupla no seletor, evitando que a agulha bata na sapatilha e provoque danos à máquina.

Quando for costurar os tecidos flexíveis, use fio de overloque na bobina.

A

elasticidade do fio acompanha a flexibilidade do tecido, evitando que

as

costuras rasguem.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

19 COMO FAZER FRANZIDO

rasguem. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 19 COMO FAZER FRANZIDO - Selecione o comprimento de ponto máximo

- Selecione o comprimento de ponto máximo (o seletor

deve ser posicionado no número 5).

- Coloque o seletor de largura do ponto em costura reta.

- Levante o pé calcador e coloque o tecido na máquina,

paralelo às ranhuras da chapa da agulha.

- Inicie a primeira costura reta, sem fazer os arremates no início e no

final da costura.

- Levante o pé calcador, gire o tecido, sem cortar, e faça a segunda costura reta, paralela á primeira.

- Levante o pé calcador, puxe a linha uns 10 cm, corte o fio e retire o tecido.

- Segure o tecido e, delicadamente, puxe as duas linhas inferiores, franzindo o tecido.

20 COMO PREGAR UM ZÍPER

inferiores, franzindo o tecido. 20 COMO PREGAR UM ZÍPER - Coloque na máquina a sapatilha especial

- Coloque na máquina a

sapatilha especial para pregar zíperes.

- Selecione a costura reta e ajuste o comprimento do ponto (sugerimos 2,5).

- Marque a área onde deverá

ser inserido e alinhave o zíper

entreaberto do lado direito do tecido.

- Monte a sapatilha na posição esquerda e costure.

- Alinhave o zíper do lado esquerdo.

- Monte a sapatilha na posição direita e costure.

Para facilitar a inserção do zíper, mantenha-o entreaberto no início da costura e, ao chegar com a máquina próxima ao gancho, feche-o e

termine a costura.

21 COMO PREGAR ELÁSTICOS

25

- Tire a medida da área onde o elástico será aplicado e divida o valor

- Tire a medida da área onde o elástico será aplicado e divida o valor por 4.

- Calcule 3/4 da medida e corte o elástico.

- Divida a área em 4 partes iguais e marque as extremidades com um alfinete.

- Divida o elástico também em 4 partes e

marque.

- Prenda as marcas do elástico nas marcas da peça com alfinetes.

- Costure, esticando um pouco o tecido para que o elástico fique bem

distribuído.

- Corte os excessos de tecido e dobre o elástico para dentro da peça.

- Rebata a costura utilizando o ponto ziguezague 3 pontinhos ou o ziguezague comum.

22 COMO FAZER ZIGUEZAGUE

3 pontinhos ou o ziguezague comum. 22 COMO FAZER ZIGUEZAGUE - Utilize o calcador de uso

- Utilize o calcador de uso geral.

- Selecione a largura do

ziguezague no seletor de largura.

- Escolha o comprimento do ponto, sugerimos

iniciar com a posição 2,5 ou 3.

- Ajuste a tensão,

conforme o tecido e a linha.

- Inicie a costura, faça aproximadamente 1 cm e aperte o botão de retrocesso para fazer o arremate.

- Continue costurando e faça o arremate novamente no final.

A tensão da linha varia conforme o tipo de linha e tecido utilizado. Para saber qual é a tensão correta, faça um teste, utilizando uma amostra de linha e tecido.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Um ponto perfeito deve ter o nó localizado entre as duas faces do tecido. Muita tensão produz pontos muito apertados, franzindo o tecido. Pouca tensão produz pontos soltos com linha embolada.

23 MODELOS CORTADOS EM VIÉS

apertados, franzindo o tecido. Pouca tensão produz pontos soltos com linha embolada. 23 MODELOS CORTADOS EM

26

Definitivamente, os modelos enviesados em tecidos finos como musselina e chifon, além de elegantes, sempre estão em moda. Mas o corte e a confecção de peças enviesadas merecem uma atenção especial até mesmo para os profissionais da área. Todo cuidado é pouco, principalmente em tecidos delicados. Por isso alguns cuidados devem ser tomados, tais como:

Corte

Piques: devem ser feitos para identificar a peça depois de cortada. Uma peça cortada no viés normalmente parece perder a forma. Os piques ajudam a identificar a parte superior da peça e as bordas que devem ser unidas. Servem, também, para unir trechos grandes evitando que as bordas das peças se desencontrem no final da costura.

Planeje o risco: utilize um papel com as mesmas medidas do tecido onde será feito o corte. Nele, planeje o corte, riscando o molde das peças tantas vezes quantas deverão ser cortadas no tecido. Importante: para que os fios formem "bicos" nas costuras laterais, procure cortar as peças como se estivesse cortando num tecido com "pé", ou seja, todas as peças devem ficar com a parte superior virada para cima.

Tecido sobre a mesa: acerte o tecido dando um pique na borda de uma das ourelas e, em seguida, risque-o até alcançar a ourela da outra. Finalmente, coloque o tecido sobre a mesa. Vá batendo suavemente sobre o tecido, com as palmas das mãos, para que ele assente sobre a mesa. Não deixe nenhuma bolha de ar (ruga) sob o tecido.

Papel riscado sobre o tecido: com todo o cuidado, coloque o papel do risco (plano de corte) sobre o tecido. Evite tirar o tecido do lugar ou deixar que ele enrugue. Para facilitar a tarefa, prenda o papel com pesos no tecido, principalmente sobre as peças. Grampeie tecido e papel pelas bordas. Faça o corte com a tesoura bem amolada. Vá cortando as peças, sempre colocando pesos sobre elas. Na medida do possível, grampeie

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

tecido e papel próximo ao risco da peça. Mantenha o molde de papel sobre o tecido, prendendo-o com alfinetes.

Nota: numa produção maior o papel pode ser retirado, porém os piques das marcações devem ser feitos.

Costura

Antes de tudo, faça as costuras; em seguida, chuleie as folgas, unindo-as.

Tenha muito cuidado ao fazer a costura nos trechos em que o tecido estiver em pleno viés.

Faça um teste com o próprio tecido enviesado regulando a pressão do calcador, a largura do ponto (de 2 a 3) e a tensão da linha.

Junte as peças com alinhavos, sem retirar o papel.

Faça a costura segurando as peças com o dedo por trás do calcador (veja o gráfico). Não aperte demais para não franzir o tecido. Evite costurar muito rápido, vá com calma. Procure fazer a costura partindo da bainha, indo até a borda superior.

* Atenção: nunca una uma borda enviesada e uma borda de fio reto com a mesma costura.

Montagem de viés em rolotê: durante o processo de montagem, faça a costura esticando o viés suavemente e não a peça.

27

Montagem de viés revirado: nas montagens de viés revirado nos trechos curvos, procure embeber suavemente tanto o viés quanto o trecho onde ele está sendo costurado. Montando um zíper: quando houver necessidade de montar um zíper, reforce o avesso das folgas do local de montagem com entretela termo colante.

Bainha

Antes de embainhar a borda, deixe a peça pendurada pela borda superior por aproximadamente 48 horas, para que as pontas cresçam nos trechos enviesados. Caso tenha urgência do modelo prenda, com alinhavos, alguns pesos de chumbo (aqueles usados pêlos pescadores) nos trechos enviesados. Utilize pesos bem leves. Deixe o modelo pendurado por, mais ou menos, 12 horas.

Faça a bainha na prova ou marque o comprimento desejado. Para tanto, vista o modelo numa outra pessoa ou manequim e meça a altura, a partir da borda superior. Marque a bainha com alfinetes, giz de alfaiate ou alinhavos.

Corte os bicos e as pontas que cresceram nos trechos enviesados, deixando uma folga paralela às marcações da bainha.

Normalmente as bainhas usadas são as mais finas possíveis, de acordo com o tecido (por exemplo, bainha de lenço em tecidos leves).

Como lavar

De preferência, lave a seco ou na mão.

Não centrifugue na máquina.

Seque a peça sem pendurar (sobre uma mesa, por exemplo).

Como passar

Passe sempre na direção do fio. As peças passadas no viés geralmente criam pontas e rugas indesejáveis. Esse cuidado serve para todas as peças, mesmo as não enviesadas. Já reparou como,

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

algumas vezes, as golas de algumas camisas criam pequenas rugas? Em geral, isso acontece porque não foram passadas corretamente, seguindo o fio.

Guardando o modelo Para evitar que apareçam novas pontas, guarde a peça sem pendurá-la.

Números de montagem Para facilitar a montagem, una as peças, fazendo coincidir os pequenos números que costumam ser colocados nos moldes (números de montagem).

24 PENCE: O QUE É?

É um tipo de prega feita no avesso de uma peça de roupa para molda-las às linhas do corpo. Indispensáveis para corrigir os moldes, ela é muito usada na região do busto, da cintura e dos ombros.

28

As pences devem ser, sempre que possível disfarçadas, e isso dependem de quem cria e

As pences devem ser, sempre que possível disfarçadas, e isso dependem de quem cria e da técnica de quem executa o molde. Dissimular pences, não é o mesmo que não usar pences. É saber trabalhar com o modelo interpretando-o sobre todos os pontos básicos do molde. As principais pences básicas nos moldes da roupa feminina são:

1. Pence de busto: é a pence básica que proporciona o bojo do busto.

2. Pence da cintura: muitas vezes não é usada, porém sempre deve ser traçada no molde base, para a orientação da modelagem.

3. Pence do ombro das costas: hoje em dia pouco utilizada. Sempre que possível deve ser disfarçada em embebimento

.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Uma pence importante para corrigir a folga na cava é demonstrada nas figuras ao lado. Indispensável na correção do molde para pessoas com bustos volumosos, blusas sem ombros, de alças e modelos que exigem uma forma bem ajustada. Desenhe uma pence na cava de l a 4 cm de profundidade. Transporte-a para a pence lateral. O vértice deve distanciar 4 cm dos seios.

a pence lateral. O vértice deve distanciar 4 cm dos seios. Como trabalhar as pences: Figura

Como trabalhar as pences:

Figura 1

Pence com terminação na costura

Como Costurar

29

Pence Interna tecido.
Pence Interna
tecido.

Dobre o tecido pelo Pence e costure prolongando suavemente junto à média 2 pontos de na dobra.

Arredonde suavemente formados no centro da

DECOTE REDONDO

eixo da

dobra, em

máquina

os ângulos

pence.

Como

Costurar

Dobre a Pence pelo eixo e costure prolongando suavemente as terminações junto à dobra do

Acabamento final

Para que a pence fique delicada e quase invisível, principalmente em tecidos estampados, corte com a tesoura a dobra interna da pence até bem perto da ponta. Abra a costura com o ferro de passar e chuleie as bordas.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Na pence interna faça piques na dobra da pence no avesso, em seguida, através de um dos piques, corte no eixo da pence. Abra a costura com o ferro de passar.

no eixo da pence. Abra a costura com o ferro de passar. 25 DECOTES Os decotes
no eixo da pence. Abra a costura com o ferro de passar. 25 DECOTES Os decotes

25 DECOTES

Os decotes funcionam como uma marca n a roupa e transmitem a personalidade do usuário. "Redonda, quadrada e princesa são alguns exemplos dados à seguir.

30

Antes de costurar o arremate passe duas costuras no decote para fixar a forma. DECOTE
Antes de costurar o arremate passe duas costuras no decote para fixar a forma. DECOTE
Antes de costurar o arremate passe duas costuras no decote para fixar a forma. DECOTE

Antes de costurar o arremate passe duas costuras no decote para fixar

a forma.

DECOTE QUADRADO

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

31

DECOTE PRINCESA

DECOTE PRINCESA A boa aparência depende muito do arremate, que deve perfeito. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA
DECOTE PRINCESA A boa aparência depende muito do arremate, que deve perfeito. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

A boa aparência depende muito do arremate, que deve perfeito.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

32

Com cuidado, dê piques nos cantos sem cortar os pontos.

26 BOLSOS

Os bolsos podem ser funcionais ou apenas decorativos, sendo possível escolher a sua aplicação no modelo desenvolvido. A seguir, a montagem dos tipos de bolso mais comuns e fáceis de fazer.

BOLSO FACA

tipos de bolso mais comuns e fáceis de fazer. BOLSO FACA Geralmente é colocado nas costuras

Geralmente é colocado nas costuras laterais das roupas. É formada por uma única peça, cortada duas vezes. Para executá-lo, proceda da seguinte maneira:

A- Costure uma das folhas do bolso na parte da frente da roupa, direito sobre direito. B- Costure a outra folha na parte de trás da roupa, direito sobre direito. C- Costure a parte da frente na de trás, pêlos lados, tomando cuidado para não fechar a abertura dos bolsos. D- Costure as duas partes do bolso entre si, direito sobre direito.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

entre si, direito sobre direito. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA BOLSO LATERAL Este bolso era só usado

BOLSO LATERAL Este bolso era só usado em calças masculinas. Hoje, entretanto, ele também é utilizado na costura feminina, tanto em saias quanto em vestidos ou calças. É formado por duas partes: arremate do bolso e fundo do bolso. Para sua confecção, proceda da seguinte maneira:

do bolso. Para sua confecção, proceda da seguinte maneira: A- Costure o arremate do bolso na

A- Costure o arremate do bolso na parte da frente do vestido ou calça, direito sobre direito. B- Vire para o avesso e dê os piques para fazer um pesponto. C- Costure o fundo do bolso ao arremate, di- reito sobre direito. D- Costure a parte da frente da roupa na detrás, aproveitando

33

para costurar o lado do bolso.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

27 BABADOS

o lado do bolso. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 27 BABADOS Além de decorativos, os babados podem

Além de decorativos, os babados podem ter também a função prática, como por exemplo, aumentar o comprimento de barras e mangas. O corte do babado pode ser feito de duas formas: reto e circular. No primeiro caso, as duas beiradas apresentam o mesmo comprimento e o babado é produzido por meio de franzidos ou pequenas pregas. No segundo, corta-se um círculo pequeno no centro de outro maior. Ao forçar a parte interna e manter- se reta, forma-se o babado pela borda externa.

COMO APLICAR UM BABADO RETO

Primeiro, fazer uma bainha no tecido onde será aplicado

34

o babado. Depois, com o auxílio de alfinetes, pregar a tira de tecido sem franzir em uma parte da peça.

Franzir o babado para que fique na medida e costurar definitivamente.

Com o bico do ferro, assentar apenas as margens de costura do babado. Caso esse babado seja aplicado no meio da peça e não na barra, o processo deve ser o seguinte:

Com o auxílio de alfinetes, junte direito com direito do tecido, de modo que o babado fique entre as duas partes.

Passe uma costura rente à borda.

BABADOS APLOCADOS EM CURVAS OU CANTOS

Neste caso, o babado será preso com alfinetes, franzidos na gola, deixando uma sobra de franzido na curva ou no canto. Essa sobra é para que o babado na estique quando for virar o tecido para o direito. Depois do babado estar preso, o volume da costura deve ser reduzido por meio de pequenos piques. Ao pregar o babado, o direito é que deverá ser visível na roupa depois de pronta. No caso de uma gola, coloque o direito do babado contra o direito da parte superior da gola. Ao unir as duas partes da gola, o babado ficará entre ambas. Vire o direito, e a gola estará pronta.

BABADOS CIRCULAR OU JABÔ

Um babado com bom caimento deve-se à forma como foi cortado. Esta é a grande característica dos babados circulares, que podem ser aplicados mesmo onde são indicados os babados franzidos. Um local muito utilizado para o babado é a gola.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

É indicado o uso de molde de papel para a conferência antes do corte do tecido.

Para executá-lo faça o seguinte:

• No papel, trace uma pequena circunferência.

• Ao redor dela trace outro circulo, correspondente à largura do babado e comprimento do decote.

• Marque também o fio reto.

35

• Acrescente l cm á beirada de cada círculo para as margens de costura (fig.
• Acrescente l cm á beirada de cada círculo para as margens de costura (fig.

• Acrescente l cm á beirada de cada círculo para as margens de costura (fig. 2).ultrapasse essa linha. Como as pontas do babado se inclinam para dentro, apenas a borda exterior será visível.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

• Depois de cortar o tecido, faça piques na borda interna até esticá-la em linha reta (fig. 3). No caso de decote em V como mostra o desenho, meça o contorno da abertura do decote e confira com o babado (fig. 1). Observe na figura circular como se forma a ponta do decote em V (fig. 4), e que se aproveita somente metade do círculo da ponta ao meio.

se aproveita somente metade do círculo da ponta ao meio. BABADOS APLICADOS COMO ARREMATES BABADOS APLICADOS

BABADOS APLICADOS COMO ARREMATES BABADOS APLICADOS COMO ARREMATES

Para arrematar um decote, coloque o babado sobre a costura. Leve-o para além da linha de costura, até a borda e com arremate, ultrapasse esta linha. Como as pontas do babado se inclinam para dentro, apenas a borda exterior será visível.

Para dar um acabamento aos punhos, pregue o babado sobre a linha de costura normal.

36

Dobre o tecido nas extremidades do babado e prenda com pontos à mão.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

e prenda com pontos à mão. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Passo a Passo da Costura para

Passo a Passo da Costura para a Blusa Xadrez.

BÁSICA Passo a Passo da Costura para a Blusa Xadrez. Organizar as Peças do Molde no

Organizar as Peças do Molde no Tecido respeitando o sentido do fio.

Passo a Passo da Costura para a Blusa Xadrez. Organizar as Peças do Molde no Tecido

37

1. Costure as pregas da Frente Inferior nas marcações indicadas, conforme Figura. Faça dos dois lados.

indicadas, conforme Figura. Faça dos dois lados. 2. Junte a peça Superior do Molde da Frente
indicadas, conforme Figura. Faça dos dois lados. 2. Junte a peça Superior do Molde da Frente

2. Junte a peça

Superior do Molde da Frente e costure.

2. Junte a peça Superior do Molde da Frente e costure. 3. Vire e pesponte rente

3. Vire e pesponte rente a junção das peças.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

rente a junção das peças. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 4. Dobre a Costa Inferior ao meio

4. Dobre a Costa Inferior ao meio e costure na marcação indicada da prega central, pelo avesso.

5. Abra e divida a prega do meio, metade para cada lado, e pesponte ao centro conforme Figura abaixo. Costure as pregas laterais nas marcações.

Figura abaixo. Costure as pregas laterais nas marcações. 6. Junte a peça superior do Molde das

6. Junte a peça superior do Molde das Costas e costure.

38

7. Vire e pesponte rente a junção das peças. 8. Junte Frente e Costas pelos
7. Vire e pesponte rente a junção das peças. 8. Junte Frente e Costas pelos

7. Vire e pesponte rente a junção das peças.

8. Junte Frente e Costas pelos ombros e costure pelo avesso.

8. Junte Frente e Costas pelos ombros e costure pelo avesso. 9. Junte as peças do

9. Junte

as peças do acabamento da Frente e costure.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

acabamento da Frente e costure. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 10. Vire. 11. Recortar o acabamento das

10. Vire.

da Frente e costure. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 10. Vire. 11. Recortar o acabamento das Costas

11. Recortar o acabamento das Costas pelo Molde da Costa Superior.

Recortar o acabamento das Costas pelo Molde da Costa Superior. 12. Costure pelos ombros nos acabamentos

12. Costure pelos ombros nos acabamentos da Frente.

39

13. Vire.

13. Vire. 14. Depois de preparar a Gola alinhave ajustando pelo meio do decote. APOSTILA DE
13. Vire. 14. Depois de preparar a Gola alinhave ajustando pelo meio do decote. APOSTILA DE

14. Depois de preparar a Gola alinhave ajustando pelo meio do decote.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

ajustando pelo meio do decote. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 15. Coloque os acabamentos Frente e Costas

15. Coloque os acabamentos Frente e Costas e costure conforme Figura abaixo.

Frente e Costas e costure conforme Figura abaixo. 16. Faça pequenos piques no decote. Abra as

16. Faça pequenos piques no decote. Abra as costuras.

e costure conforme Figura abaixo. 16. Faça pequenos piques no decote. Abra as costuras. laterais. 17.

laterais.

17. Costure as

40

18. Prepare a Manga franzindo no local indicado. 19. Feche a Manga e costure o

18. Prepare a Manga franzindo no local indicado.

18. Prepare a Manga franzindo no local indicado. 19. Feche a Manga e costure o acabamento

19. Feche a Manga e costure o acabamento da Boca da Manga.

19. Feche a Manga e costure o acabamento da Boca da Manga. 20. Costure a Manga

20. Costure a Manga na Cava da Roupa.

21. Faça as Casas e pregue os botões.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Abotoamento da Camisa

da Roupa. 21. Faça as Casas e pregue os botões. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Abotoamento da

Lado Esquerdo

41

1. No abotoamento do lado esquerdo não precisa colocar entretela. Marque com papel carbono as

1. No abotoamento do lado esquerdo não

precisa colocar entretela.

Marque com papel carbono as linhas de costuras.

entretela. Marque com papel carbono as linhas de costuras. 2. Dobre na primeira linha para o

2. Dobre na primeira linha para o avesso.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

na primeira linha para o avesso. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 3. Vire para o avesso o

3. Vire para o avesso o trecho a ser vincado e pesponte conforme ilustração abaixo.

Lado Direito

O lado direito do abotoamento necessita de entretela.

42

4. Cole a entretela no lugar indicado conforme ilustração abaixo. 5. Vinque para o avesso

4. Cole a entretela no lugar indicado conforme ilustração abaixo.

a entretela no lugar indicado conforme ilustração abaixo. 5. Vinque para o avesso na linha onde

5. Vinque para o avesso na linha onde termina a entretela.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

linha onde termina a entretela. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 6. Vire a roupa para o direito

6. Vire a roupa para o direito e pesponte na beirada conforme ilustração abaixo.

direito e pesponte na beirada conforme ilustração abaixo. 7. Vire a roupa para o avesso 8.

7. Vire a roupa para o avesso

8. Vinque para o avesso a parte que foi pespontada.

43

9. Pesponte por toda extensão da dobra. 10. Abra a peça da roupa. Faça as

9. Pesponte por toda extensão da dobra.

9. Pesponte por toda extensão da dobra. 10. Abra a peça da roupa. Faça as casas.

10. Abra a peça da roupa. Faça as casas.

Aselhas

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

- São alcinhas que servem como casas para botões:

BÁSICA - São alcinhas que servem como casas para botões: 1 . Recortar uma tira no

1. Recortar uma tira no viés de 2,5cm de largura e com o comprimento necessário para fazer quantas aselhas for preciso.

necessário para fazer quantas aselhas for preciso. 2 . Dobre no sentido do comprimento e costurar

2. Dobre no sentido do comprimento e costurar a 6 mm da borda.

Dobre no sentido do comprimento e costurar a 6 mm da borda. 3 .Faça dois pontinhos

3.Faça dois pontinhos no inicio do rolinho, introduza a agulha pela parte mais grossa, e vá puxando com cuidado até sair na outra ponta.

grossa, e vá puxando com cuidado até sair na outra ponta. Barra original 1 . Meça
grossa, e vá puxando com cuidado até sair na outra ponta. Barra original 1 . Meça
grossa, e vá puxando com cuidado até sair na outra ponta. Barra original 1 . Meça

Barra original

1. Meça o comprimento desejado para a calça (Seta 1).

44

2. Da seta 1 para cima meça o tamanho da bainha original (seta 2).

3. Vire a perna da calça de forma que a costura da bainha original fique rente a linha marcada na seta 2 (seta 3).

4. Costure bem rente a bainha original.

5. Vire a perna da calça e faça uma prova.

6. Faça o mesmo procedimento na outra perna.

7.Recorte o excesso de tecido.
7.Recorte o excesso de
tecido.

8. Faça o acabamento com overloque ou ziguezague.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

com overloque ou ziguezague. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 9. Com o ferro de passar bata a

9. Com o ferro de passar bata a costura.

DE COSTURA BÁSICA 9. Com o ferro de passar bata a costura. Bolso Embutido com Fenda

Bolso Embutido com Fenda Simples

1 - Fundo do Bolso

O fundo do Bolso é menor em 2cm no comprimento do Forro do Bolso.

45

2 - Forro do Bolso O Forro do Bolso deve estar marcado com um retângulo

2 - Forro do Bolso

O Forro do Bolso deve estar marcado com um retângulo o lugar em que vai ser feita a costura.

Exemplo. Bolso com abertura de 12cm:

Trace o retângulo com 12cm de largura e 1cm de altura. Trace uma linha no meio do retângulo.

e 1cm de altura. Trace uma linha no meio do retângulo. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 3
e 1cm de altura. Trace uma linha no meio do retângulo. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 3

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

3 . Coloque o direito do Forro do Bolso sobre o direito da peça da roupa onde vai ser feito o bolso. Costure contornando o retângulo marcado.

ser feito o bolso. Costure contornando o retângulo marcado. 4 . Com a ponta da tesoura

4. Com a ponta da tesoura recorte na linha central do triângulo costurado, inclusive nos cantos, conforme indicação da figura abaixo.

recorte na linha central do triângulo costurado, inclusive nos cantos, conforme indicação da figura abaixo. 4

46

5. Abra as costuras e vire o Forro do Bolso por dentro da abertura.

as costuras e vire o Forro do Bolso por dentro da abertura. 6 . Dobre o

6. Dobre o tecido de baixo para cima para fechar a abertura do bolso.

o tecido de baixo para cima para fechar a abertura do bolso. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

7. Vire para o direito e passe uma costura somente na parte inferior do triângulo.

e passe uma costura somente na parte inferior do triângulo. 8 . Vire novamente para o

8. Vire novamente para o avesso e junte o fundo do bolso ao forro do bolso. Costure ao redor somente na parte do bolso. Faça um chuleado ao redor do bolso.

o fundo do bolso ao forro do bolso. Costure ao redor somente na parte do bolso.

47

9. Vire para o direito e pesponte apenas na parte superior e laterais do

triângulo.

pesponte apenas na parte superior e laterais do triângulo. Como Costurar a Carcela Antes de fazer

Como Costurar a Carcela

Antes de fazer a costura definitiva na Manga faça um teste em um tecido qualquer.

Alinhave sempre antes da costura definitiva.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

antes da costura definitiva. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 1. Prepare a Carcela da seguinte forma: Parte

1. Prepare a Carcela da seguinte forma:

Parte de cima da Carcela

Dobre, no sentido do comprimento, uma tira de tecido de 6cm de largura por 14cm de comprimento. Marque com a carretilha no avesso do tecido, as linhas de costura da Carcela (pontilhado em branco) conforme Figura

1.

Costure a parte superior da Carcela de 1 até 4 conforme Figura 2. Arremate as extremidades da costura.

48

Figura 1

Figura 1 Figura 2 2. Corte os cantos nos pontos 2, 3 e 4, conforme Figura

Figura 2

Figura 1 Figura 2 2. Corte os cantos nos pontos 2, 3 e 4, conforme Figura

2. Corte os cantos nos pontos 2, 3 e 4, conforme Figura 3.

Vire a Carcela para o direito conforme Figura 4.

Figura 3

Figura 4

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

F i g u r a 3 Figura 4 APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 3. Parte de
F i g u r a 3 Figura 4 APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 3. Parte de

3. Parte de baixo da Carcela.

Corte uma tira de 6cm de largura por 12 de comprimento e marque com a carretilha as linhas de costura (pontilhado branco) conforme Figura 5.

Vire uma das beiradas da carcela na linha marcada para a costura.

Figura 5

Figura 6

49

4. Na manga marque as linhas de costura conforme Figura 7. Faça uma costura de
4. Na manga marque as linhas de costura conforme Figura 7. Faça uma costura de

4. Na manga marque as linhas de costura conforme Figura 7. Faça uma costura de reforço bem próximo ao pontilhado de marcação pelo lado de dentro. Faça piques nos cantos conforme figura 7.

Figura 7

dentro. Faça piques nos cantos conforme figura 7. Figura 7 5. Coloque a parte de baixo

5. Coloque a parte de baixo da Carcela na linha de costura do lado esquerdo da Manga. Costure .

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Figura 8

da Manga. Costure . APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Figura 8 6. Vire a Carcela para o

6. Vire a Carcela para o direito e pesponte conforme Figura 9.

Figura 9

para o direito e pesponte conforme Figura 9. Figura 9 7. Vire o pequeno triângulo da

7. Vire o pequeno triângulo da parte da manga para cima. Junte ao tecido da parte de baixo que foi costurada e costure conforme figura 10.

50

8. Costure a parte de cima da Carcela colocando o direito da parte desdobrada sobre

8. Costure a parte de cima da Carcela colocando o direito da parte desdobrada sobre o avesso da abertura da manga e costure.

Figura 11

sobre o avesso da abertura da manga e costure. Figura 11 9. Vire a parte dobrada

9. Vire a parte dobrada prenda com alfinetes ajustando bem a parte de cima da carcela com a parte de baixo.

Figura 12

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

10. Pesponte pelo comprimento sem deixar a costura prender a parte debaixo.

Pesponte o topo da Carcela agora prendendo também a parte de baixo.

Figura 13

Pesponte o topo da Carcela agora prendendo também a parte de baixo. Figura 13 Costura da

Costura da Gola com Pé de Colarinho

51

o topo da Carcela agora prendendo também a parte de baixo. Figura 13 Costura da Gola
1 - Aplique a entretela na Gola. Junte as duas partes da Gola direito contra

1 - Aplique a entretela na Gola. Junte as duas partes da Gola direito contra direito. Costure os cantos conforme ilustração abaixo.

direito. Costure os cantos conforme ilustração abaixo. 2. A ilustração abaixo mostra a costura do canto.

2. A ilustração abaixo mostra a costura do canto. A parte branca é a entretela.

mostra a costura do canto. A parte branca é a entretela. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 3.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

3. Apare as margens das costuras e dê golpes com a tesoura.

3. Apare as margens das costuras e dê golpes com a tesoura. 4. A ilustração abaixo

4. A ilustração abaixo demonstra como ficam aparados os cantos.

ilustração abaixo demonstra como ficam aparados os cantos. 5. Abra as costuras a ferro. Vire a

5. Abra as costuras a ferro. Vire a Gola para o direito. Pesponte.

abaixo demonstra como ficam aparados os cantos. 5. Abra as costuras a ferro. Vire a Gola

52

6. Coloque a entretela na peça inferior da Gola (Pé do Colarinho). Vire uma bainha conforme ilustração abaixo e alinhave.

Vire uma bainha conforme ilustração abaixo e alinhave. 7 - Coloque a parte superior da gola

7 - Coloque a parte superior da gola sobre uma das partes inferiores e prenda com alfinetes.

gola sobre uma das partes inferiores e prenda com alfinetes. 8 - Coloque a outra parte

8 - Coloque a outra parte inferior do colarinho sobre a Gola, conforme ilustração abaixo, e alinhave. Costure arrematando as extremidades.

abaixo, e alinhave. Costure arrematando as extremidades. 9 - Abra as costuras a ferro e vire

9 - Abra as costuras a ferro e vire a Gola para o direito.

9 - Abra as costuras a ferro e vire a Gola para o direito. APOSTILA DE

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

10 - Na peça da roupa faça uma costura de reforço no decote e dê piques conforme ilustração abaixo.

no decote e dê piques conforme ilustração abaixo. 11 - Coloque o Pé do Colarinho na

11 - Coloque o Pé do Colarinho na peça da roupa, direito contra direito. Alinhave e depois costure arrematando as extremidades.

Alinhave e depois costure arrematando as extremidades. 12. Abra as costuras a ferro. Vire a peça

12. Abra as costuras a ferro. Vire a peça conforme ilustração abaixo.

53

13 - Pesponte ao redor do Pé do Colarinho começando e terminando na sua beirada

13 - Pesponte ao redor do Pé do Colarinho começando e terminando na sua beirada superior.

Colarinho começando e terminando na sua beirada superior. Costurando os cantos 1 1. Para que o

Costurando os cantos 1

1. Para que o acabamento da ponta da Gola ou de outra peça qualquer fique perfeito, arredonde o canto com uma costura em diagonal conforme abaixo.

TECIDO LEVE

Faça a diagonal com apenas um ponto de máquina.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

com apenas um ponto de máquina. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA TECIDO MÉDIO Faça a diagonal com

TECIDO MÉDIO

Faça a diagonal com dois pontos de máquina.

TECIDO GROSSO

Faça a diagonal com três pontos de máquina

MÉDIO Faça a diagonal com dois pontos de máquina. TECIDO GROSSO Faça a diagonal com três
MÉDIO Faça a diagonal com dois pontos de máquina. TECIDO GROSSO Faça a diagonal com três

54

Exemplo para a ponta da Gola em Tecido Leve.

Exemplo para a ponta da Gola em Tecido Leve. Recorte o excesso de tecido na ponta

Recorte o excesso de tecido na ponta da Gola conforme figura abaixo.

o excesso de tecido na ponta da Gola conforme figura abaixo. Abra as costuras e vire

Abra as costuras e vire a Gola para o direito. Pesponte se for o caso.

e vire a Gola para o direito. Pesponte se for o caso. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Costura com Cantos 2

Para costurar cantos de decotes em V, decotes quadrados ou outros tipos de acabamentos com cantos siga as instruções abaixo.

Decote em V

decotes quadrados ou outros tipos de acabamentos com cantos siga as instruções abaixo. Decote em V

Decote quadrado

55

Marque com papel carbono para tecido e a carretilha o lugar onde vai ser costurado.

Marque com papel carbono para tecido e a carretilha o lugar onde vai ser costurado.

Peça da Roupa

a carretilha o lugar onde vai ser costurado. Peça da Roupa Debrun APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Debrun

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

costurado. Peça da Roupa Debrun APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Faça uma costura de reforço com 3cm

Faça uma costura de reforço com 3cm para cada lado do canto. Costure bem próximo a marcação feita no debrun.

Recorte conforme figura ao lado até quase encostar na costura de reforço.

Tracejado Branco: Linha de costura marcada com carbono.

Tracejado Rosa: Costura de reforço.

costura de reforço. Tracejado Branco : Linha de costura marcada com carbono. Tracejado Rosa : Costura

56

Junte o debrun ao canto da peça da roupa onde vai ser costurado (direito contra direito) e costure pela marcação feita com carbono, conforme figura ao lado.

pela marcação feita com carbono, conforme figura ao lado. definitiva. Tracejado azu l: Costura Abra as

definitiva.

Tracejado azul: Costura

Abra as costuras e vire a peça para o direito.

l: Costura Abra as costuras e vire a peça para o direito. Gola Alfaiate APOSTILA DE

Gola Alfaiate

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Peças da Roupa que serão utilizadas

Vista

Frente

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Peças da Roupa que serão utilizadas Vista Frente Costas Acabamento das Costas
APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Peças da Roupa que serão utilizadas Vista Frente Costas Acabamento das Costas

Costas

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Peças da Roupa que serão utilizadas Vista Frente Costas Acabamento das Costas

Acabamento das Costas e Gola

57

DE COSTURA BÁSICA Peças da Roupa que serão utilizadas Vista Frente Costas Acabamento das Costas e

Costure os Ombros nas peças da Roupa da Frente com as Costas

Costure os Ombros nas peças da Roupa da Frente com as Costas Costure os Ombros das

Costure os Ombros das partes da Vista com o acabamento das Costas.

os Ombros das partes da Vista com o acabamento das Costas. 1. Una direito contra direito

1. Una direito contra direito uma das partes da Gola com a peça da Roupa pelo decote. Alinhave partindo do centro. Costure da mesma forma que alinhavou e arremate nas extremidades onde as linhas das costuras se cruzam (1 e 2)

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

das costuras se cruzam ( 1 e 2 ) APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 2. Abra as

2. Abra as costuras a ferro e faça piques com a tesoura conforme figura abaixo.

a ferro e faça piques com a tesoura conforme figura abaixo. 3. Faça o mesmo procedimento

3. Faça o mesmo procedimento do item 1 com a outra parte da Gola. Una pelo decote o acabamento das Costas com a Vista. Arremate nas extremidades onde as linhas das costuras se cruzam ( 3 e 4)

extremidades onde as linhas das costuras se cruzam ( 3 e 4) 4. Abra as Costuras

4. Abra as Costuras a ferro e faça piques conforme figura abaixo.

58

5. Junte as duas partes já costuradas ( Itens 1 e 3 ) direito contra

5. Junte as duas partes já costuradas (Itens 1 e 3) direito contra direito. Baixe as margens da costura da Gola e da Vista. Alinhave partindo do centro da parte superior da Gola até o encontro das costuras da Gola e da Vista. Costure somente a parte superior da Gola. Arremate as extremidades.

somente a parte superior da Gola. Arremate as extremidades. 6. Para costurar as partes da Vista,

6. Para costurar as partes da Vista, levante as margens da costura da Vista e da Gola. Alinhave e costure arrematando nas extremidades.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

arrematando nas extremidades. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Vire a peça para o direito e faça os

Vire a peça para o direito e faça os acabamentos internos.

BÁSICA Vire a peça para o direito e faça os acabamentos internos. Como Costurar Decote a

Como Costurar Decote a Malha no Decote em V

59

A Gola deve ser cortada um pouco menor que o Decote da Blusa. 1 .

A Gola deve ser cortada um pouco menor que o Decote da Blusa.

1. Feche primeiramente os ombros da blusa. Dobre a Gola ao meio pela largura.

Gola Inteira

da blusa. Dobre a Gola ao meio pela largura. Gola Inteira Gola dobrada ao meio 2

Gola dobrada ao meio

Gola ao meio pela largura. Gola Inteira Gola dobrada ao meio 2 . Faça o transpasse

2. Faça o transpasse das pontas da Gola conforme Figura abaixo.

o transpasse das pontas da Gola conforme Figura abaixo. 3 . Faça uma costura de reforço

3. Faça uma costura de reforço no ângulo do meio da frente no decote da Blusa, costurando 4cm para cada lado. Dê um pique no canto.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

lado. Dê um pique no canto. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 4 . Abra a peça da

4. Abra a peça da Blusa e coloque a ponta da Gola, direito contra direito,no meio da Frente do Decote. Costure uns 4cm para cada lado.

meio da Frente do Decote. Costure uns 4cm para cada lado. 5 . Para costurar o
meio da Frente do Decote. Costure uns 4cm para cada lado. 5 . Para costurar o

5. Para costurar o restante da Gola, marque com alfinetes os cantos, tanto da Gola como da Blusa e costure tendo como referência os alfinetes e distendendo a Gola o quanto for necessário.

60

6 . Gola Finalizada. Gola Gravata Também chamada Gola "Foulard " É uma tira de

6. Gola Finalizada.

6 . Gola Finalizada. Gola Gravata Também chamada Gola "Foulard " É uma tira de tecido

Gola Gravata

Também chamada Gola "Foulard"

É uma tira de tecido reta em Pleno Viés, com variação quando o decote é em V, presa ao decote e com um laço na frente ou ao lado.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Definição do Dicionário Michaelis (Francês/Português) fou.lard nm 1. lenço que se usa em torno do pescoço. 2. véu islâmico.

Modelo 1

fou.lard nm 1. lenço que se usa em torno do pescoço. 2 . véu islâmico. Modelo

Modelo 2

fou.lard nm 1. lenço que se usa em torno do pescoço. 2 . véu islâmico. Modelo

Modelo 3

61

Costura 1. Costure a gola pelo meio das costas, duas a duas. Cole a entretela

Costura

1. Costure a gola pelo meio das costas, duas a duas.

Costura 1. Costure a gola pelo meio das costas, duas a duas. Cole a entretela apenas

Cole a entretela apenas em um dos lados da Gola, onde vai ser montada na peça da roupa, não pegando a parte solta.

ser montada na peça da roupa, não pegando a parte solta. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Junte

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Junte as duas partes da gola e costure ao redor, deixando aberta a parte que vai ser montada na peça da roupa.

aberta a parte que vai ser montada na peça da roupa. Abra as costuras e vire

Abra as costuras e vire para o direito.

na peça da roupa. Abra as costuras e vire para o direito. Montagem da Gola Prepare

Montagem da Gola

Prepare o decote para receber a gola.

Costure o acabamento do trespasse. Observe que a costura termina no meio do transpasse.

62

Faça um pique no angulo correspondente ao meio do trespasse.

Faça um pique no angulo correspondente ao meio do trespasse. Abra as costuras e vire o

Abra as costuras e vire o trespasse para o avesso.

Abra as costuras e vire o trespasse para o avesso. Costure a Gola no decote. Primeiro

Costure a Gola no decote. Primeiro direito contra direito no lado que tem a entretela. Vire e faça uma bainha no avesso para fechar a gola.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Montagem da Manga com embebimento

DE COSTURA BÁSICA Montagem da Manga com embebimento 1º. Passo Passe duas carreiras de fios com

1º. Passo

Passe duas carreiras de fios com o ponto grande da máquina na cabeça da Manga. O primeiro fio bem próximo a linha onde vai ficar a costura e o segundo fio a 4mm de distância do primeiro.

Puxe os dois fios juntos até alcançar o tamanho necessário para que o tamanho da Manga fique igual ao da Cava da Roupa. Distribua o franzido de maneira uniforme.

63

2º Passo Depois de puxado os fios, introduza uma almofada de alfaiate ou na falta

2º Passo

Depois de puxado os fios, introduza uma almofada de alfaiate ou na falta dela uma toalha dobrada no trecho da cabeça da manga que foi franzida. Passe o ferro bem quente com um pano úmido pelo o direito da manga, sobre o embebimento, e vá alisando até eliminar quase que totalmente o trecho embebido.

3º Passo

Feche a costura inferior da manga.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

a costura inferior da manga. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 4o Passo Introduza a Manga na Cava
a costura inferior da manga. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 4o Passo Introduza a Manga na Cava

4o Passo

Introduza a Manga na Cava da Roupa, direito contra direito coincidindo a parte do fechamento da Manga com a costura lateral da roupa. Prenda com alfinetes conforme ilustração e alinhave.

fechamento da Manga com a costura lateral da roupa. Prenda com alfinetes conforme ilustração e alinhave.

5o Passso

64

Retire os alfinetes.

Retire os alfinetes. 6o Passo Costure inciando pelo braço e pelo lado da manga. APOSTILA DE

6o Passo

Costure inciando pelo braço e pelo lado da manga.

6o Passo Costure inciando pelo braço e pelo lado da manga. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Zíper

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Zíper Invisível

Use um calcador especial para zíper invisível, na máquina caseira ou na máquina industrial, temos peças para cada tipo de trabalho.

industrial, temos peças para cada tipo de trabalho. 1. Coloque o zíper conforme figura 1 para

1. Coloque o zíper conforme figura 1 para centralizar na abertura.

o zíper conforme figura 1 para centralizar na abertura. 2. Vire conforme figura 2 e prenda

2. Vire conforme figura 2 e prenda com alfinetes. Alinhave e retire os alfinetes. Costure bem rente a dobrinha próxima a cerrilha do zíper até o final da abertura. Ao efetuar a costura abra-o com os dedos. Deixe uma distância de 1,5cm entre o final do zíper e a costura.

65

3. Para prender o outro lado feche o zíper e coloque a outra parte por

3. Para prender o outro lado feche o zíper e coloque a outra parte por cima. Prenda com alfinete no final da abertura.

parte por cima. Prenda com alfinete no final da abertura. 4. Vire a peça e prenda

4. Vire a peça e prenda com pontos firmes o zíper e a parte em que vai ser costurado. Retire o alfinete. Esses pontinhos ajudam a manter o zíper bem certinho na abertura.

5. Alinhave e costure bem rente a dobrinha próxima a cerrilha do zíper.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

6. Junte as duas partes em que foram costuradas o zíper e faça uma costura de complementação.

foram costuradas o zíper e faça uma costura de complementação. 7. No final o zíper fica

7. No final o zíper fica praticamente invisível.

foram costuradas o zíper e faça uma costura de complementação. 7. No final o zíper fica

66

Costura do Soutien Meia Taça

1 - Una a peça superior e inferior do Bojo com uma costura.

- Una a peça superior e inferior do Bojo com uma costura. 2. Vire a peça

2. Vire a peça e coloque o elástico sobre o direito do Bojo introduzindo a ponta da alça com a argola

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

a ponta da alça com a argola APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 3 . Vire o elástico

3. Vire o elástico para o avesso e passe uma costura em ziguezague pequeno.

para o avesso e passe uma costura em ziguezague pequeno. 4 . Costure o elástico sobre

4. Costure o elástico sobre o direito das costas, vire e passe o ziguezague.

uma costura em ziguezague pequeno. 4 . Costure o elástico sobre o direito das costas, vire

67

5. Faça o mesmo procedimento na peça central, apenas na parte superior e inferior conforme

5. Faça o mesmo procedimento na peça central, apenas na parte superior e inferior conforme ilustração.

apenas na parte superior e inferior conforme ilustração. 6. Una a peça lateral e central ao

6. Una a peça lateral e central ao Bojo e alinhave. Coloque o arremate e costure conforme ilustração abaixo.

Coloque o arremate e costure conforme ilustração abaixo. 7. Vire o arremate para o avesso, corte

7. Vire o arremate para o avesso, corte o excesso de tecido e costure pegando a borda do arremate. Coloque a barbatana. Costure o fecho na ponta das costas. Faça todo o procedimento no outro lado.

ponta das costas. Faça todo o procedimento no outro lado. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 8 .

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

8. Alça.

Coloque uma das pontas do elástico na fivela reguladora conforme ilustração abaixo. Prenda a ponta com o ponto mosca.

ilustração abaixo. Prenda a ponta com o ponto mosca. 9 . Introduza a ponta livre do

9. Introduza a ponta livre do elástico na argola. Em seguida coloque a mesma ponta na fivela reguladora conforme ilsutração abaixo. Costure a ponta da alça nas costas do soutien.

ponta na fivela reguladora conforme ilsutração abaixo. Costure a ponta da alça nas costas do soutien.

Ponto Mosca

68

Costura do fundilho da Calcinha As peças estão separadas por cor para melhor identificação do

Costura do fundilho da Calcinha

As peças estão separadas por cor para melhor identificação do procedimento.

Frente

por cor para melhor identificação do procedimento. Frente Costa Fundilho APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Fundilho Forro

Costa

para melhor identificação do procedimento. Frente Costa Fundilho APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Fundilho Forro 1.

Fundilho

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Frente Costa Fundilho APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Fundilho Forro 1. Introduza a Frente da Calcinha entre

Fundilho Forro

Costa Fundilho APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Fundilho Forro 1. Introduza a Frente da Calcinha entre os

1. Introduza a Frente da Calcinha entre os fundilhos.

BÁSICA Fundilho Forro 1. Introduza a Frente da Calcinha entre os fundilhos. 2. Costure as três

2. Costure as três peças unidas.

BÁSICA Fundilho Forro 1. Introduza a Frente da Calcinha entre os fundilhos. 2. Costure as três

69

3. Vire as duas peças do fundilho.

3. Vire as duas peças do fundilho. 4. Dobre a peça da calcinha da Frente até

4. Dobre a peça da calcinha da Frente até que fique menor que o fundilho.

da calcinha da Frente até que fique menor que o fundilho. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 5.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

5. Dobre a peça das costas da calcinha.

DE COSTURA BÁSICA 5. Dobre a peça das costas da calcinha. 6. Introduza a peça das

6. Introduza a peça das costas entre os fundilhos, conforme ilustração abaixo. Costure.

entre os fundilhos, conforme ilustração abaixo. Costure. 7. Desenrole Frente e Costas e assim o fundilho

7. Desenrole Frente e Costas e assim o fundilho ficará embutido.

70

Abertura com ponto caseado Marque a abertura no lado avesso do tecido com giz de

Abertura com ponto caseado

Marque a abertura no lado avesso do tecido com giz de alfaiate, seguindo a indicação. Corte a abertura com uma tesoura de ponta bem fina ou com um abridor de casas.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

fina ou com um abridor de casas. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Dê o primeiro ponto bem

Dê o primeiro ponto bem rente à borda da abertura.

BÁSICA Dê o primeiro ponto bem rente à borda da abertura. Dê o segundo ponto, bem

Dê o segundo ponto, bem rente ao primeiro Passando alinha por trás da agulha.

71

Prossiga passando a linha por trás da agulha e dando, sempre, um ponto bem rente

Prossiga passando a linha por trás da agulha e dando, sempre, um ponto bem rente ao outro.

da agulha e dando, sempre, um ponto bem rente ao outro. Nas bordas das aberturas finalize

Nas bordas das aberturas finalize com dois ou três pontos na mesma largura da abertura.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

na mesma largura da abertura. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Cubra esses pontos com outros pontinhos bem

Cubra esses pontos com outros pontinhos bem juntos.

Mais:

• O ponto caseado também pode ser feito na máquina de costura zig-zag. • Em tecidos de espessura grossa ou média trabalhe com linha dupla para obter um efeito mais cheio. • Em tecidos muito finos ou que desfiam com facilidade, passe uma costura à máquina ao redor da casa, antes de cortar o tecido. Faça a abertura e chuleie com linha de seda. Só então trabalhe com pontos caseados.

72

Acabamento de fenda

Acabamento de fenda Corte a fenda até o final da marcação. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Coloque

Corte a fenda até o final da marcação.

Acabamento de fenda Corte a fenda até o final da marcação. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Coloque

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Coloque o direito da tira de acabamento sobre o avesso da abertura. Prenda com alfinetes ou alinhavos. Inicie a costura rente a borda de um dos lados da abertura. Pare com a agulha enfiada no final da abertura ( seta) Arremate a costura. Prenda o outro lado do viés da mesma forma:

para da borda e termine rente ao final da abertura. Faça um chuleado com ziguezague ou overloque prendendo as folgas.

um chuleado com ziguezague ou overloque prendendo as folgas. Vire a tira de viés para o

Vire a tira de viés para o direito. Bata a ferro. Embainhe a borda do viés sobre a costura. Finalize a montagem, prendendo a borda do viés com pontinhos feitos à mão (em tecidos leves) ou outra costura à máquina feita rente à borda embainhada.

outra costura à máquina feita rente à borda embainhada. Depois de pronta, trabalhando pelo avesso, dobre

Depois de pronta, trabalhando pelo avesso, dobre a tira ao meio e acerte a borda superior da abertura,

73

colocando uma dobra sobre a outra. Prenda com uma costura inclinada o minitranspasse formado no final da abertura.

Bolso avivado

o minitranspasse formado no final da abertura. Bolso avivado Marque a abertura. Atenção : a largura

Marque a abertura. Atenção : a largura da abertura indicada pelas setas deve ser copiada com o máximo cuidado, pois dela dependerá a largura dos vivos.

o máximo cuidado, pois dela dependerá a largura dos vivos. Alinhave, marcando a largura e o

Alinhave, marcando a largura e o meio da abertura.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

a largura e o meio da abertura. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Corte uma tira de entretela

Corte uma tira de entretela com o comprimento da abertura mais 2 cm e com a largura da abertura mais 3cm. Cole a entretela sobre a marcação da abertura, pelo avesso.

a entretela sobre a marcação da abertura, pelo avesso. Corte as tiras dos vivos, de acordo

Corte as tiras dos vivos, de acordo com as medidas indicadas no texto. Prenda o direito dos vivos com alinhavos sobre o direito da peça, de maneira que as bordas fiquem rentes às marcações da abertura.

dos vivos com alinhavos sobre o direito da peça, de maneira que as bordas fiquem rentes

74

Costure pelo direito na direção do comprimento da abertura, prendendo os vivos pelo avesso. Ao fazer a costura, procure manter a largura indicada para a abertura. Corte bem no meio da abertura, pelo avesso, dando a forma de um triângulo, com mais ou menos 2 cm nos cantos.

a forma de um triângulo, com mais ou menos 2 cm nos cantos. Introduza os vivos

Introduza os vivos e as folgas dos cantinhos triangulares, pela abertura, para o avesso. Vinque os vivos para que eles cubram a abertura. Cada tira deve cobrir a metade da abertura, de maneira que as bordas fiquem com o mesmo tamanho. Bata aferro. Pesponte rente à abertura, prendendo o vivo superior

Pesponte rente à abertura, prendendo o vivo superior Prenda os cantinhos triangulares da abertura nos cantos

Prenda os cantinhos triangulares da abertura nos cantos dos vivos.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

abertura nos cantos dos vivos. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Costure o fundo inferior do bolso, pelo

Costure o fundo inferior do bolso, pelo avesso da abertura, rente à costura de montagem do vivo inferior. Monte a outra tira do fundo do bolso sobre o avesso da abertura, fazendo coincidira borda superior do fundo e a do vivo superior.

coincidira borda superior do fundo e a do vivo superior. Costure contornando as bordas do fundo

Costure contornando as bordas do fundo do bolso e prenda no avesso da abertura. Chuleie as folgas

Como cortar uma bainha com passador

75

Nas calças ou saias afuniladas copie o molde com os aumentos indicados na folha. Atenção:

Nas calças ou saias afuniladas copie o molde com os aumentos indicados na folha. Atenção: apenas copie, não corte ainda os contornos. Para traçar a borda inferior, marque um ponto em cada canto do molde, ã partir da linha de vincar a bainha ou passador, com a distância indicada em cada modelo. Para fazer a borda da bainha trace uma reta, unindo os dois pontos marcados. Corte esta linha.

uma reta, unindo os dois pontos marcados. Corte esta linha. Vire a bainha para baixo do

Vire a bainha para baixo do molde, sobre a linha de vincar, e corte as laterais.

do molde, sobre a linha de vincar, e corte as laterais. Abra a bainha e observe

Abra a bainha e observe que suas bordas laterais terão a mesma inclinação das laterais da peça.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Gola esporte

Costure a borda do forro da gola no decote, direito sobre direito.

a borda do forro da gola no decote, direito sobre direito. Dobre a gola sobre o
a borda do forro da gola no decote, direito sobre direito. Dobre a gola sobre o

Dobre a gola sobre o direito da peça e o direito do acabamento do transpasse sobre a parte externa da gola. Costure pelo avesso do acabamento, a partir da ponta do transpasse até o final do acabamento. Faça piques nos cantos e no trecho curvo

do acabamento. Faça piques nos cantos e no trecho curvo Revire o acabamento para o avesso.

Revire o acabamento para o avesso. Bata a ferro. Alinhave a borda do traspasse e a borda de montagem do

76

acabamento no decote. Caso o acabamento chegue até o ombro, embainhe a borda superior sobre a folga de costura do ombro e costure, somente na folga (veja seta). Faça um pique na folga de costura da parte externa da gola (seta 1)

pique na folga de costura da parte externa da gola (seta 1) Embainhe a folga de

Embainhe a folga de costura da parte externa da gola sobre a linha de montagem no decote das costas

Pesponte rente à borda do transpasse e rente às bordas laterais e superior da gola.

transpasse e rente às bordas laterais e superior da gola. Bainha de lenço à Máquina Essa

Bainha de lenço à Máquina

Essa Bainha fica com uma largura mínima, em média de 3mm.

1. Dobre a Bainha uma vez e alinhave. Passe a ferro.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

vez e alinhave. Passe a ferro. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 2. Recorte com uma tesoura pequena

2. Recorte com uma tesoura pequena amolada, bem rente ao alinhavo,

a sobra do tecido conforme ilustração.

rente ao alinhavo, a sobra do tecido conforme ilustração. 3. Dobre mais uma vez a bainha

3. Dobre mais uma vez a bainha e alinhave com uma linha de cor diferente.

Retire o alinhavo anterior e passe a ferro novamente.

Retire o alinhavo anterior e passe a ferro novamente. 4 . Costure à máquina pelo direito

4. Costure à máquina pelo direito do Tecido. Retire o Alinhavo.

o alinhavo anterior e passe a ferro novamente. 4 . Costure à máquina pelo direito do

77

Abertura com Debrun Inteiro

Corte uma tira de viés do tamanho da abertura.

Faça um costura de refoço de 5cm para cada lado na ponta da abertura.

de refoço de 5cm para cada lado na ponta da abertura. Afaste as beiradas da abertura

Afaste as beiradas da abertura .

lado na ponta da abertura. Afaste as beiradas da abertura . Coloque o debrun direito contra

Coloque o debrun direito contra direito e alinhave. Debrun: Uma tira de tecido enviesada com 2,5cm de largura e de comprimento o tamanho da abertura.

com 2,5cm de largura e de comprimento o tamanho da abertura. Costure pelo lado da abertura.

Costure pelo lado da abertura.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Costure pelo lado da abertura. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Vire 0,5cm do lado do debrun que

Vire 0,5cm do lado do debrun que não foi costurado.

BÁSICA Vire 0,5cm do lado do debrun que não foi costurado. Dobre colocando sobre a costura

Dobre colocando sobre a costura feita unindo o debrun ao tecido e alinhave.

colocando sobre a costura feita unindo o debrun ao tecido e alinhave. Costure pelo direito do

Costure pelo direito do tecido.

colocando sobre a costura feita unindo o debrun ao tecido e alinhave. Costure pelo direito do

Debrun feito.

colocando sobre a costura feita unindo o debrun ao tecido e alinhave. Costure pelo direito do

78

Viés

São tiras de tecido cortadas em Pleno Viés. Para cortar uma tira de viés dobre o tecido de forma que a trama fique em direção a ourela. Observe que Trama e Ourela ficam paralelas.

a ourela. Observe que Trama e Ourela ficam paralelas. A Largura do viés pode ser de

A Largura do viés pode ser de duas maneiras:

Viés Duplo - Para Tecido mais leve. A Largura deve ter o dobro do debrun desejado mais 0,5cm de cada lado para as costuras.

do debrun desejado mais 0,5cm de cada lado para as costuras. Viés simples - Para Tecido

Viés simples - Para Tecido mais pesado. A Largura desejada para o debrun mais 0,5cm de cada lado para as costuras.

para o debrun mais 0,5cm de cada lado para as costuras. Existem no mercado tiras de

Existem no mercado tiras de vieses prontas, já com bordas vincadas.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

já com bordas vincadas. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Muitas vezes é necessário tiras de vieses muito

Muitas vezes é necessário tiras de vieses muito longas. Nesses casos, cortar várias tiras e em seguida uní-las.

Para unir tiras de vieses:

Coloque as duas tiras do viés, direito contra direito em ângulo reto e costure em diagonal conforme ilustração abaixo.

reto e costure em diagonal conforme ilustração abaixo. Viés unidos pelo avesso. Viés unidos pelo direito.

Viés unidos pelo avesso.

conforme ilustração abaixo. Viés unidos pelo avesso. Viés unidos pelo direito. Como Costurar o Viés na

Viés unidos pelo direito.

abaixo. Viés unidos pelo avesso. Viés unidos pelo direito. Como Costurar o Viés na peça da

Como Costurar o Viés na peça da roupa. Abordaremos aqui apenas duas maneiras de colocar o viés, em outra etapa colocaremos outros tipos.

79

1. Viés de Borda Simples e Duplo.

Viés de Borda Simples.

Costure o Viés direito contra direito da peça da roupa e a 0,5cm da borda.

direito contra direito da peça da roupa e a 0,5cm da borda. Rebata o viés para

Rebata o viés para o avesso, dobrando o lado que não foi costurado para dentro e costure à máquina ou a mão.

foi costurado para dentro e costure à máquina ou a mão. Viés de Borda Duplo Primeiro

Viés de Borda Duplo

Primeiro vinque a tira do viés pelo comprimento.

Duplo Primeiro vinque a tira do viés pelo comprimento. Junte o viés dobrado sobre o direito

Junte o viés dobrado sobre o direito da peça da roupa e costure a 0,5cm a borda do viés.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

a 0,5cm a borda do viés. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Vire o viés para o avesso

Vire o viés para o avesso e costure rente a dobra feita no comprimento.

para o avesso e costure rente a dobra feita no comprimento. 2. Viés Interno Duplo e

2. Viés Interno Duplo e simpels

Se for colcoar o viés em beiradas curvas, passe a ferro dando a forma da curvatura, tanto para o simples como o duplo.

Viés Duplo

da curvatura, tanto para o simples como o duplo. Viés Duplo Viés simples Viés Interno Simples

Viés simples

tanto para o simples como o duplo. Viés Duplo Viés simples Viés Interno Simples Coloque o

Viés Interno Simples

Coloque o viés, direito contra direito na peça da roupa e costure.

80

Dê piques na margem e passe a ferro. Vire as extremidades da tira do viés

Dê piques na margem e passe a ferro.

Dê piques na margem e passe a ferro. Vire as extremidades da tira do viés para

Vire as extremidades da tira do viés para dentro e dobre o viés para o avesso, costure à máquina ou a mão.

Viés Interno Duplo

Coloque o viés dobrado pelo comprimento na borda da peça da Roupa e costure.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

da peça da Roupa e costure. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Abra as costuras e faça piques

Abra as costuras e faça piques conforme ilustração.

Abra as costuras e faça piques conforme ilustração. Vire o viés para o avesso e costure

Vire o viés para o avesso e costure a beirada dobrada.

81

Se desejar que o viés fique aparente, faça o mesmo procedimento sendo que a colocação

Se desejar que o viés fique aparente, faça o mesmo procedimento sendo que a colocação do viés fique do avesso para o direito.

que a colocação do viés fique do avesso para o direito. urando pontas Para facilitar a

urando pontas

Para facilitar a costura em pontas, usar papel de seda fino e transparente por baixo do tecido.

1. Coloque o papel por baixo do tecido e costure até a ponta.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

tecido e costure até a ponta. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 2 . No final da ponta

2. No final da ponta levante a sapatilha deixando a agulha no tecido.Gire o tecido.

2 . No final da ponta levante a sapatilha deixando a agulha no tecido.Gire o tecido.

3. Costure até o final.

82

4. Retire rasgando o papel de seda com cuidado. Passo a Passo da Costura da

4. Retire rasgando o papel de seda com cuidado.

4. Retire rasgando o papel de seda com cuidado. Passo a Passo da Costura da Blusa
4. Retire rasgando o papel de seda com cuidado. Passo a Passo da Costura da Blusa

Passo a Passo da Costura da Blusa

papel de seda com cuidado. Passo a Passo da Costura da Blusa 1 . Preparar os

1. Preparar os bolsos conforme ilustrações abaixo;

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Fechar as pregas

Costurar a parte superior do acabamento

Virar

as pregas Costurar a parte superior do acabamento Virar Costurar a parte superior do acabamento na
as pregas Costurar a parte superior do acabamento Virar Costurar a parte superior do acabamento na
as pregas Costurar a parte superior do acabamento Virar Costurar a parte superior do acabamento na

Costurar a parte superior do acabamento na parte inferior do bolso.

a parte superior do acabamento na parte inferior do bolso. Virar 2 . Costurar o bolso

Virar

superior do acabamento na parte inferior do bolso. Virar 2 . Costurar o bolso no lugar

2. Costurar o bolso no lugar indicado costurando apenas o lado de dentro do bolso.

na parte inferior do bolso. Virar 2 . Costurar o bolso no lugar indicado costurando apenas

83

3. Faça o mesmo procedimento do outro lado.

3 . Faça o mesmo procedimento do outro lado. 4 . Fazer a bainha do meio

4. Fazer a bainha do meio das Costas superior. Pesponte.

4 . Fazer a bainha do meio das Costas superior. Pesponte. 5 .Costurar unindo Costa superior

5.Costurar unindo Costa superior a Costa inferior.

5 .Costurar unindo Costa superior a Costa inferior. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 6 . Virar 7

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

6. Virar

a Costa inferior. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 6 . Virar 7 . Juntar Frente e Costas

7. Juntar Frente e Costas e costurar ombros e laterais

DE COSTURA BÁSICA 6 . Virar 7 . Juntar Frente e Costas e costurar ombros e

8. Virar para o direito.

84

9 . Preparar a Gola conforme ilustrações abaixo: Costurar as laterais duas a duas. Juntar

9. Preparar a Gola conforme ilustrações abaixo:

Costurar as laterais duas a duas.

ilustrações abaixo: Costurar as laterais duas a duas. Juntar as partes e costurar fechando a parte
ilustrações abaixo: Costurar as laterais duas a duas. Juntar as partes e costurar fechando a parte

Juntar as partes e costurar fechando a parte sueprior da Gola.

as partes e costurar fechando a parte sueprior da Gola. Virar para o direito. APOSTILA DE

Virar para o direito.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

da Gola. Virar para o direito. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 10 . Costurar a Gola e

10. Costurar a Gola e Fazer a bainha da Manga.

BÁSICA 10 . Costurar a Gola e Fazer a bainha da Manga. Passo a Passo da

Passo a Passo da Costura - Vestido Gestante.

Tecido - Brim Metragem - Para o comprimento de 50cm partindo da cintura comprar 1,70m de Tecido com 1,40m de Largura.

Corte

85

Frente Lateral

- Cortar 4 vezes

Frente Central

- Cortar 4 vezes

Frente Inferior - Cortar 1 vez com o Tecido dobrado.

 

Costa Lateral

-

Cortar 4 vezes Costa Central

-

Cortar 4 vezes.

Costa Inferior

-

Cortar 2 vezes.

Cortar 4 vezes. Costa Inferior - Cortar 2 vezes. Distribuição do Molde no Tecido APOSTILA DE
Cortar 4 vezes. Costa Inferior - Cortar 2 vezes. Distribuição do Molde no Tecido APOSTILA DE
Cortar 4 vezes. Costa Inferior - Cortar 2 vezes. Distribuição do Molde no Tecido APOSTILA DE
Cortar 4 vezes. Costa Inferior - Cortar 2 vezes. Distribuição do Molde no Tecido APOSTILA DE
Cortar 4 vezes. Costa Inferior - Cortar 2 vezes. Distribuição do Molde no Tecido APOSTILA DE
Cortar 4 vezes. Costa Inferior - Cortar 2 vezes. Distribuição do Molde no Tecido APOSTILA DE

Distribuição do Molde no Tecido

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

do Molde no Tecido APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Costura 1 . Frente lateral - Juntar as

Costura

do Molde no Tecido APOSTILA DE COSTURA BÁSICA Costura 1 . Frente lateral - Juntar as

1. Frente lateral - Juntar as peças duas a duas direito contra direito e costure a cava. Faça piques nas curvas, abra as costuras e vire para o direito.

86

2 .Faça as aselhas e alinhave sobre a Frente central do lado direito. Sobreponha o

2.Faça as aselhas e alinhave sobre a Frente central do lado direito. Sobreponha o outro lado direito contra direito e costure deixando a abertura na lateral para unir com a Frente Lateral e no meio das costas. Faça o mesmo procedimento nas outras peças sem pregar as aselhas.

mesmo procedimento nas outras peças sem pregar as aselhas. 3 . Costurar a frente Lateral na
mesmo procedimento nas outras peças sem pregar as aselhas. 3 . Costurar a frente Lateral na

3. Costurar a frente Lateral na abertura da Frente Central, virar e pespontar.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Central, virar e pespontar. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 4. Faça o mesmo procedimento do outro lado,
Central, virar e pespontar. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 4. Faça o mesmo procedimento do outro lado,

4. Faça o mesmo procedimento do outro lado, não colcando aselhas.

o mesmo procedimento do outro lado, não colcando aselhas. 5. Coloque as aselhas . Costurar a

5. Coloque as aselhas. Costurar a Costa Central duas a duas conforme ilustração. Costurar Costa Lateral duas a duas conforme ilustração. Vire para o direito.

87

6 . Unir Costa Lateral na Costa Central no trecho de abertura, da mesma forma
6 . Unir Costa Lateral na Costa Central no trecho de abertura, da mesma forma
6 . Unir Costa Lateral na Costa Central no trecho de abertura, da mesma forma

6. Unir Costa Lateral na Costa Central no trecho de abertura, da mesma forma que foi feito na Frente. Unir o Decote no trecho de abertura para o Decote. Pespontar.

o Decote no trecho de abertura para o Decote. Pespontar. 7 . Unir Lateral Frente e
o Decote no trecho de abertura para o Decote. Pespontar. 7 . Unir Lateral Frente e

7. Unir Lateral Frente e Costas com a peça aberta a fim de que a costura na cava, na altura da axila, fique embutida.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

altura da axila, fique embutida. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 8 .Unir a Costa inferior e costurar

8.Unir a Costa inferior e costurar no centro deixando 3cm de abertura na parte superior.

e costurar no centro deixando 3cm de abertura na parte superior. 9 . Costurar as Laterais

9. Costurar as Laterais Frente e Costas Inferiores.

88

10 . Unir Parte superior e inferior do Vestido. BOLSA DOBRÁVEL Material: 50 cm de

10. Unir Parte superior e inferior do Vestido.

10 . Unir Parte superior e inferior do Vestido. BOLSA DOBRÁVEL Material: 50 cm de brim

BOLSA DOBRÁVEL

Material:

50 cm de brim na cor de preferência (se vocês comprarem 60 cm vão dar duas bolsas, uma um pouco menor) 2 botões Manta acrílica Retalhos estampadinhos Algodão liso 36 x 18 cm ( forro do patch )

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

Instruções:

Cortar o brim dobrado na medida 40 cm x 42 cm para a bolsa Cortar 2 tiras de 7,5 cm x 75,0 cm para as alças, também no brim

Alças e bolsa:

1

2

75,0 cm para as alças, também no brim Alças e bolsa: 1 2 Dobrar as beiradas
75,0 cm para as alças, também no brim Alças e bolsa: 1 2 Dobrar as beiradas

Dobrar as beiradas da tiras no ferro, mais ou menos 0,5 cm de cada lado, dobrar ao meio e costurar fechando as laterais das alças.

Colocar as duas partes cortadas da bolsa direito com direito e vincar a parte de cima dobrando duas vezes para fazer o acabamento da boca da bolsa

89

3

4

5

3 4 5 Na parte debaixo da bolsa, marcar as medidas de 9 cm na altura
3 4 5 Na parte debaixo da bolsa, marcar as medidas de 9 cm na altura
3 4 5 Na parte debaixo da bolsa, marcar as medidas de 9 cm na altura

Na parte debaixo da bolsa, marcar as medidas de 9 cm na altura e na largura e riscar com um lápis para fazer os cantos, costurar e cortar

Continuação.

Encaixar as alças a 9 cm das laterais da bolsa , na dobra que fez para o acabamento da bolsa. Repita

o processo do outro lado para

encaixar à outra alça. Agora costure

a máquina para prender as alças.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

6

6 Fechar as laterais da bolsa, pelo avesso deixando a margem de costura como um pé

Fechar as laterais da bolsa, pelo avesso deixando a margem de costura como um pé de máquina. Não se esqueça de que nesse fechamento você deve costurar sobre o risco feito para os cantos da bolsa.

7

Cortar o excesso de tecido dos cantos

Virar para o direito a bolsa e novamente passar uma costura a volta

8

toda com um pé de máquina de margem. A montagem da bolsa está pronta

Patch do fechamento da bolsa:

9 Escolha os tecidos que combinem com a cor de brim escolhida 10 Cortar dois
9
Escolha os tecidos que combinem com a cor de brim escolhida
10
Cortar dois retângulos do tecido A,
1 de tecido B e 1 de tecido C ,
todos com a medida de 8,5 cm x
7,5 cm ( já incluída a margem de
costura ) e unir esses 4 retângulos

90

11

12

13

14

11 12 13 14 Cortar um retângulo do tecido B com 13,5 cm x 17,5 cm

Cortar um retângulo do tecido B com 13,5 cm x 17,5 cm e unir aos outros 4 já formados

cortar tiras com 3,5 cm de largura e costurar em volta do seu top para formar as bordas, num dos tecidos utilizados, pode ser o C

formar as bordas, num dos tecidos utilizados, pode ser o C fazer a alcinha para o

fazer a alcinha para o botão com uma tirinha de 3,5 cm por 13 cm.

cortar o fundo do top e a manta, colocar a manta, forro com o direito para cima e o top com o direito voltado para baixo, inserir a alcinha do botão entre o top e o forro, costurar deixando uma abertura de 6 cm do lado do retângulo inteiro para poder virar para o direito. Vire para o direito e nas costuras faça um ponto trabalhado ou zig zag usando uma linha contrastante.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

15

16

17

uma linha contrastante. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 15 16 17 Centralizar o patch entre as alças
uma linha contrastante. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 15 16 17 Centralizar o patch entre as alças
uma linha contrastante. APOSTILA DE COSTURA BÁSICA 15 16 17 Centralizar o patch entre as alças

Centralizar o patch entre as alças da bolsa e pregar somente do lado do retângulo inteiro fazendo uma costura em forma de U (aí é que se forma o bolsinho que poderá ser utilizado para guardar o que acharmos melhor)

Pregue os botões para o fechamento da bolsa, um na posição de uso com ela aberta e outro com ela dobrada.

Continuação.

91

18

18 reply share Sua bolsa dobrável está pronta! ATENÇÃO TODAS AS MEDIDAS INCLUEM MARGEM DE COSTURA.

Sua bolsa dobrável está pronta! ATENÇÃO TODAS AS MEDIDAS INCLUEM MARGEM DE COSTURA. Se você quiser pode ao invés de fazer os quadradinhos utilizar outro trabalho ou até uma aplicação, lembrando que para isso você deve obter um retângulo com medida de 13,5 cm x 15, 5 cm.

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

92

APOSTILA DE COSTURA BÁSICA

93