Você está na página 1de 8

ESCADAS COM DEGRAUS ISOLADOS

As escadas com degraus isolados são constituídas por uma estrutura de apoio (vigas retas ou curvas, pilar, etc) e degraus em balanço isolados entre si. Independente do tipo de apoio usado, cada degrau é calculado separadamente, sob um carregamento distribuído permanente e uma carga acidental concentrada na ponta do balanço. O apoio pode se situar no eixo dos degraus ou numa das extremidades, conforme a figura abaixo.

h min

L L h max b deg apoio
L
L
h max
b deg
apoio
conforme a figura abaixo. h min L L h max b deg apoio apoio L b
apoio
apoio

L

a figura abaixo. h min L L h max b deg apoio apoio L b deg
b deg
b deg
abaixo. h min L L h max b deg apoio apoio L b deg I -

I - DEGRAU ISOLADO

Para o cálculo dos degraus, consideram-se as cargas permanentes (peso próprio e revestimento) e a carga concentrada acidental na extremidade livre. A determinação das cargas é feita conforme:

a) permanente

- peso próprio pp = h m x 25kN/m 3

- carga permanente por metro quadrado g = (pp + peso revestimento) kN/m 2

- carga permanente no degrau g deg = (b deg x g) kN/m

;

h m = (h max + h min )/2

;

b deg = largura do degrau

b) acidental

- Q = 2,5 kN

ENG01026 – Tópicos Especiais em Estruturas de Concreto – DECIV – UFRGS - Prof. Virgínia Maria Rosito d'Avila

O

modelo de cálculo dos degraus isolados é o seguinte:

 

g

deg

 

Q

  g deg   Q
  g deg   Q
  g deg   Q
  g deg   Q
  g deg   Q
  g deg   Q
  g deg   Q
  g deg   Q
  g deg   Q
degraus isolados é o seguinte:   g deg   Q L O momento máximo, no engaste,

L

isolados é o seguinte:   g deg   Q L O momento máximo, no engaste, é

O

momento máximo, no engaste, é determinado por

M max = - (g deg L 2 / 2 + Q L)

A armadura longitudinal de flexão do degrau é determinada considerando uma seção retangular de largura "b deg " e

altura "h max ".

O detalhamento da armadura do degrau está representado abaixo

A s dist A s principal
A s dist
A s principal

II - ESTRUTURA DE APOIO

No cálculo da estrutura do apoio, deve-se considerar o carregamento vertical e o momento de torção transmitidos pelos degraus da escada, sendo exagerado considerar a carga acidental concentrada em cada degrau.

A determinação destes carregamentos é feita considerando uma carga distribuída por metro quadrado sobre a

escada e depende da localização do apoio. Se o apoio está localizado em uma das extremidades do degrau, considera-se tanto a carga permanente como a carga acidental. Quando o apoio está situado no eixo do degrau, apenas a carga acidental será considerada. Assim,

- carga permanente g = (pp + peso revestimento) kN/m 2

- carga acidental q = 2,5 kN/m 2

- carga total (apoio na extremidade) p = (g + q) kN/m 2

- carga total (apoio no eixo dos degraus) p = (q) kN/m 2

ENG01026 – Tópicos Especiais em Estruturas de Concreto – DECIV – UFRGS - Prof. Virgínia Maria Rosito d'Avila

O modelo de cálculo para a determinação das solicitações é dado a seguir

p L
p
L

As solicitações são dadas por:

- momento de torção m t = p L 2 / 2

- carga vertical R = p L

kN/m

kNm/m

A estrutura de apoio da escada pode ser de vários tipo: viga inclinada, viga helicoidal ou um pilar.

1- Viga inclinada

Este tipo de apoio está representado na figura a seguir. b deg VIGA αααα
Este tipo de apoio está representado na figura a seguir.
b deg
VIGA
αααα

Como já foi visto anteriormente, no cálculo da viga do apoio deve-se considerar o carregamento vertical e o momento de torção transmitidos pelos degraus da escada. Assim, a viga está solicitada por um momento fletor, um esforço cortante e um momento torçor. Na realidade, o momento de torção está agindo segundo a direção do degrau e pode ser decomposto em duas direções: na direção do eixo da viga e na direção normal ao eixo da viga. O momento na direção do eixo da viga é o que produz torção na mesma. O momento normal ao eixo da viga normalmente é pequeno, e pode ser desprezado.

ENG01026 – Tópicos Especiais em Estruturas de Concreto – DECIV – UFRGS - Prof. Virgínia Maria Rosito d'Avila

Recomenda-se, a favor da segurança, não considerar a decomposição e considerar o momento m t , determinado anteriormente, como o momento de torção da viga.

A carga vertical que atua sobre a viga é determinada por:

- peso próprio da viga pp = (b viga h viga 25 / cos α)

- carga vertical da escada R = (p L)

- carga total p = pp + R

kN/m

kN/m

kN/m

Para o carregamento vertical, pode-se admitir que a viga é simplesmente apoiada, conforme a figura abaixo.

p

a viga é simplesmente apoiada, conforme a figura abaixo. p L llll O momento fletor (no

L llll

O momento fletor (no meio do vão) e o esforço cortante (nos apoios) máximos são dados por:

M = pL 2 /8

V = pL/2

kNm

kN

sendo L a projeção horizontal do vão da viga.

Para o momento de torção, deve-se considerar a viga engastada nas extremidades.

T

deve-se considerar a viga engastada nas extremidades. T   m t L llll T O momento
 

m

t

  m t
  m t
  m t
a viga engastada nas extremidades. T   m t L llll T O momento torçor máximo,
a viga engastada nas extremidades. T   m t L llll T O momento torçor máximo,

L llll

T

a viga engastada nas extremidades. T   m t L llll T O momento torçor máximo,

O momento torçor máximo, nos engastes, é dado por:

T = m t L/2

kNm

Assim, deve-se dimensionar a viga de apoio para: cisalhamento, torção e flexão.

ENG01026 – Tópicos Especiais em Estruturas de Concreto – DECIV – UFRGS - Prof. Virgínia Maria Rosito d'Avila

2 - Pilar central

As escadas com degrau isolado podem ter como estrutura de apoio um pilar central, como representado na figura.

de apoio um pilar central, como representado na figura. pilar degrau pilar Os momentos de engaste

pilar

degrau

pilar
pilar

Os momentos de engaste dos degraus causam flexão no pilar central.

Segundo Guerrin - Tratado de Concreto Armado, vol.3 - pg.369, o momento de flexão no pilar central tem variação senoidal ao longo da altura e seu valor máximo é dado por

M max = 2/3 p L 3

sendo "p" a carga distribuída total por metro quadrado sobre a escada e "L" seu vão.

Desta forma, no dimensionamento do pilar deve-se considerar:

- a carga da escada (R = p L

kN/m) como uma carga longitudinal uniformemente distribuída

- momento fletor de valor M max = 2/3 p L 3

ENG01026 – Tópicos Especiais em Estruturas de Concreto – DECIV – UFRGS - Prof. Virgínia Maria Rosito d'Avila

3 - Viga curva

Para as vigas curvas, o cálculo de flexão se faz sobre o comprimento desenvolvido em planta. O texto a seguir é uma reprodução do livro A. Guerrin - Tratado de Concreto Armado, vol.3 - pg.362 a 366. As cargas verticais, teoricamente, introduzem um efeito de torção dirigido para o centro da curvatura. Na prática, não devemos nos preocupar com isso: para os vãos considerados, o momento é muito pequeno e as vigas ligadas pela laje constituem um conjunto de grande rigidez. Nas escadas em curva, as vigas são helicoidais; elas são então obrigatoriamente engastadas (flexão e torção) em suas extremidades. O procedimento mostrado abaixo é o método de cálculo de G. Prudon.

mostrado abaixo é o método de cálculo de G. Prudon. ENG01026 – Tópicos Especiais em Estruturas
mostrado abaixo é o método de cálculo de G. Prudon. ENG01026 – Tópicos Especiais em Estruturas

ENG01026 – Tópicos Especiais em Estruturas de Concreto – DECIV – UFRGS - Prof. Virgínia Maria Rosito d'Avila

ENG01026 – Tópicos Especiais em Estruturas de Concreto – DECIV – UFRGS - Prof. Virgínia

ENG01026 – Tópicos Especiais em Estruturas de Concreto – DECIV – UFRGS - Prof. Virgínia Maria Rosito d'Avila

ENG01026 – Tópicos Especiais em Estruturas de Concreto – DECIV – UFRGS - Prof. Virgínia

ENG01026 – Tópicos Especiais em Estruturas de Concreto – DECIV – UFRGS - Prof. Virgínia Maria Rosito d'Avila