Você está na página 1de 219
Perguntas Pre Seema ee Deménios e Batalha Espiritual Somos i r anjos da — p Devemos buscar a comunicagéo com aaa Possessaio demonfaea e distarbios psicolégicos so a mesma coisa? Satands conhece nossos pensamentos? Deménios podem causar enfermidades ¢ outros males? Pessoas de todo 0 mundo ¢ de todas as idades estao curiosas sobre OVNIs. eneontros com anjos, experiéneias apés a morte, gurus ¢ batalhas contra forcas sobrenaturais. O que existe de realida- de por trés desses fendmenos espirituais? Como diferenciar 0 que é fato do que é ficgo? Se existem seres espirituais bons © maus, como é possivel identified-los? 99 Perguntas sobre Anjos, Deménios e Batalha Espiritual discute as principais questées sobre os mistérios capirituais. O autor, B. J. Oropeza, fornece elementos que permitem nao apenas resolver tais enigmas, mas também avaliar movimentos religiosos emergentes mediante uma argumenta- cao biblica, formando uma base sélida de conheeimento. 85-7325-217- ISBN 85 0 glivaas7si252170 aanflodb Neh obo: le Tim, de 21 anos, queb ory ilamente como que nated do melo da tempertade, ©) moto- choe Peer ett reac canieey it 16a casa de um amigo dele em Pn Geren) do Tim saiu Cee nao havia nin- Pron ACR CERT odbpmcmmanacse Juando des- Gumndincen quvtat orevatmcn at Oy [ssn prize probes rend lnd Poa tcor mec Oe net oni [rndlepathilndls socorro, Ela eré que um anjo visitou seu ener O mundo e ee ee eee ee na, A cultura do séeulo XXI ressu a questao medieval sobre anjos ¢ demé- aac Th jade assumiu um novo lo nos Gltimos anos. As peso cocupadas com o autoconhecimento, vez mais em busea de suas The ete 99 Perguntas sobre Anjos, Demé- (ter) Melocey nios e Batalha ory me principais questoes espirituais dos dias de hoje. O autor faz um estudo aprofundado com base nas diver citagdes de anjos ¢ Cnn uras. Ele também igas fontes lite ro any Poe leds damentendlberadlanmalen aihdbltefadiondpacdemonndls cammcnecadliensn Li Han fitequetionare roe tte goes. Os capitulos 2 ¢ 3 concentram-se no tema relative noe Pore Ree nee seu cardter, bem como s CRetenosnt Os ea formant One On eat Con et ORO oni POET Caer: OM rent eda obra dos deménios. Destaca também Rene a AS loch amcaeriedh mado Lieifer? De onde surgiu a idéia de Prices keene ioe Dement onto fo erp ck te alee eer roe te at cee manos? Como > um evento Pelt Deus ou de natural provém d Lier Finalmente, o eapitule 7 respond Cen ce ee enon Eee Co ECE TLE APE ascie cal POE Cea NRE Braet Cnn esis 4 rm KONI eRe zn eae) ree een Et leitor refletir e diseernir sobre o que questio é 0 mundo espiritual. Capa: Douglas Lueas Pergu ntas sobre Anjos, Deménios e Batalha Espiritual B.J. OROPEZA ‘Traduzido por JOSUE RIBEIRO MC Editora Mundo Cristao Sao Paulo Dados Internacionais de Catalogacio na Publicagéo (CIP) (Cimara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Oropera, B. J., 1961 - 99 Perguntas sobre anjos, deménios e batalha espiritual /B. J. Oropeza; tradugio de Josué Ribeiro. ~ S40 Paulo: Mundo Cristéo, 2000. ‘Titulo original: 99 answers to questions about angels, demons and spiritual warfare. Bibliografa ISBN 85-7325-217-0 1, Anjos ~ Ensino biblico 2. Combate espiritual ~ Ensino biblico 3. Demonologia — Ensino biblico 4. Ocultismo — Ensino biblico 1. Titulo 00-0864 CDD-235 Indice para catélogo sistemético: 1. Seres espirituais: Ensino bfblico: Cristianismo 235 Titulo Original em Ingles: 99 Answers to Questions about Angels, Demons and. Spiritual Warfare Copyright © 1997 por B. J. Oropeza “Traduzido e impresso com autorizacio da InterVarsity Press, USA Capa: Douglas Lucas Revista: Lenita Nascimento Jefferson Magno Costa 1 edigdo brasileira: Maio de 2000 2" edigdo brasileira: Margorde 2001 Diagramagao & produsio de miole: Sonia P. Sprogis Peticov Impresio: OESP Grifica S/A. Publicado no Brasil com a devida autorizagéo e com todos 0s direitos reservados pela ASSOCIAGAO RELIGIOSA EDITORA. MUNDO CRISTAO Caixa Postal 21.257 CEP 04602-970 ~ Sio Paulo-SP apse Para minha esposa, Cathie, cuja fé durante sua batalha contra o cancer tem sido inspiragao para muitos ABREVIATURAS ..... Cartruto 1 A febre de anjos e deménios Captruto 2 Perguntas sobre anjos . Capfruto 3 Perguntas sobre as atividades dos anjos... Captruvo 4 Perguntas sobre anjos cafdos . Cartruvo 5 Perguntas sobre Satands ..... Cartruto 6 Perguntas sobre batalha espiritual ..... Cartruto 7 Perguntas sobre ocultismo ApEnpice: Lista DE PERGUNTAS Noms... ‘ABREVIATURAS b. Do Talmude Babilénico KJV Versao King James da Biblia LXX Septuaginta (traducao do Antigo Testamento para o grego) MT Texto Massorético NIV New International Version* NVI Nova Versio Internacional da Biblia (Novo Testamento) RSV Versao Revisada Standard da Biblia Rotos po Mar Morto £ Textos RELACIONADOS CD Documento Damasceno do Cairo 1QapGen Genesis Apécrifo, da Caverna 1 de Qumran 1QH Hodayot ou Hinos de Agao de Gragas, da Caverna | de Qumran 1QM Milhamah ou Rolo da Guerra, da Caverna 1 de Qumran 1QS Serek hayyahad ou Regra da Comunidade, Manual de Disciplina, da Caverna 1 de Qumran 1QSb Apéndice B, Regra da Béngao, para 1QS 4Q400-407 Parte das Canges do Sactificio Salvatico ou Liturgia Angélica, da Caverna 4 de Qumran 11QPs Rolo de Salmos, da Caverna 11 de Qumran Esta abreviatura ¢ indicada nos textos referentes a0 Antigo Testamento, que ainda nao esta disponivel em portugués. Trata-se, portanto, de tradugao livre. A FEBRE DE ANJOS E DEMONIOS E ra noite de Natal, quando o carro de Tim, de 21 anos, quebrou bem no meio de uma forte nevasca. Subitamente surgiu um cami- nhao-guincho, como que saido do meio da tempestade. O motorista prendeu o carro de Tim ao guincho ¢ 0 levou até a casa de um amigo em Fort Wayne, Indiana, EUA. Quando Tim saiu para pagar ao mo- torista, nao havia ninguém. As tinicas marcas de pneus na neve eram do seu préprio carro. Quando descreveu o ocorrido para sua mie, a jornalista Joan Wester Anderson, ela ligou para a polfcia rodovidria e para os servigos de guincho da drea, mas nao encontrou nenhum registro de pedido de socorro. Ela cré que um anjo visitou seu filho naquela noite. A experiéncia dele inspirou-a a escrever o livro Where Angels Walk (Onde os Anjos Andam), um livro sobre anjos mencio- nado na lista de best sellers do New York Times.' O livro de Joan Anderson nao é 0 tinico. Segundo uma lista publicada recentemente por Publisher's Weekly, cinco em cada dez livros religiosos s40 sobre anjos dominante. Uma pesquisa realizada pela revista Newsweek revelou que “13 por cento dos americanos ja viram ou sentiram a presenga de um anjo”.’ Outra pesquisa realizada pela revista Time descobriu que ? Essa “anjomania” descreve o 4nimo 10 99 PERGUNTAS SOBRE ANJOS, DEMONIOS E BATALHA ESPIRITUAL, 69 por cento dos americanos acreditam na existéncia dos anjos, e 46 por cento acreditam que tém um anjo da guarda.‘ Hoje em dia muitas livrarias apresentam segGes sobre anjos, onde se exibe uma grande variedade de livros sobre 0 assunto. Butiques de anjos, cartas informativas sobre anjos e semindrios sobre anjos esto na moda. As melhores faculdades, como a Escola de Teologia de Harvard e a Faculdade de Boston oferecem cursos sobre anjos. No terreno das artes, Tony Kushner recebeu um Prémio Pulitzer por sua obra sentimental Angels in America (Anjos na América), uma pega teatral sobre um anjo benevolente que ajuda uma vitima da AIDS.* No cinema, filmes de grande sucesso de bilheteria como A Cidade dos Anjos ¢ Michael, 0 Anjo Sedutor demonstram o atual fasc{nio que a sociedade ocidental nutre pelos visitantes celestiais. Os anjos, porém, nao detém o monopiélio do interesse pelas coi- sas espirituais. O ocultismo, tradicional campo de atuacao dos de- ménios, também atrai grande interesse. O sucesso de filmes recentes como Independence Day e O Fenémeno, bem como séries de TV como Arquivo X atendem o interesse da sociedade pela parapsicologia. Uma pesquisa do Instituto Gallup descobriu que 75 por cento dos norte- americanos léem horéscopo de vez em quando, e os 25 por cento restantes léem assiduamente. Outros 25 por cento da populacao dos Estados Unidos acreditam que ja tiveram pelo menos uma experiéncia extrasensorial ou paranormal, 25 por cento acreditam em fantasmas e 10 por cento afirmam ja ter visto ou ter estado na presenga de um fantasma. Um em cada seis norte-americanos acredita que ja fez con- tato com alguma pessoa falecida. As crengas supersticiosas ainda nos assustam? Catorze por cento de todos os americanos temem que um gato preto atravesse seu caminho, ¢ 12 por cento tém medo de passar debaixo de escada. Um estudo recente da Newsweek mostrou que 48 por cento dos norte-americanos acreditam em OVNIs e 29 por cento acreditam que jd tivemos contato com seres alienfgenas espaciais.° O ocultismo jachegou até mesmo na sede do governo norte-americano, com Nancy Reagan consultando um astrélogo e Hillary Clinton “imaginando conversas com Eleanor Roosevelt”.’ O que é mais assombroso, 0 tt —— A FEBRE DE ANJOS E DEMONIOS " Gallup descobriu que entre 19 e 24 por cento dos catdlicos, protes- tantes e cristéos evangélicos acreditam na reencarnacdo — 0 renascimento da alma em um outro corpo.* 5) PeRGunTA 1 Por que tantas pessoas tém tanta curiosidade pelos seres angelicais? Nao é preciso ser nenhum cientista para reconhecer o impacto que o mundo espiritual exerce sobre nossa sociedade. Por que a cultura ocidental pés-moderna e secularizada como a nossa ressuscitou a questo medieval sobre anjos ¢ deménios? Eis algumas respostas pos- sfveis. 1. Muitas pessoas na sociedade ocidental estao redescobrindo suas raizes espirituais. O extremismo cientifico, que insiste que tudo tem de ser provado pelos cinco sentidos, nao convence mais. O “universo fechado” de Newton que parecia excluir Deus e os espiritos esté sen- do eclipsado pelas ciéncias mais recentes de um “universo aberto” e da mecanica quantica. Tornou-se politicamente correto desenvolver o lado espiritual. $6 nao insista que a sua espiritualidade esta certa e que a de outra pessoa estd errada! A espiritualidade assumiu um novo sentido nos tltimos anos, em que as pessoas estéo buscando o autoconhecimento. Nos anos 1960, muitos “se encontraram” explorando as idéias misticas orien- tais. Termos hindus como carma, guru, meditagéo transcendental e reencarnagdo tornaram-se familiares no Ocidente e foram reavivados pelo Movimento Nova Era. Entretanto, quando as geracaos dos baby- boomers, baby busters e a geracdo X vao mais a fundo do que a contracultura dos anos 1960, em geral descobrem que suas rafzes espirituais os levam de volta aos princ{pios biblicos. Como reporta- gens recentes nas revistas tem mostrado, muitos integrantes da gera- 40 baby-boom estao voltando para a igreja. Serd que uma espiritualidade frivola e passageira pode nos levar a auténtica espiritualidade? Talvez o estresse de viver no mundo mo- derno — incluindo os conflitos familiares, as press6es no trabalho e a 12 99 PERGUNTAS SOBRE ANJOS, DEMONIOS E BATALHA ESPIRITUAL incerteza financeira — tenha algo que ver com a tendéncia das pessoas de se aproximarem de um poder maior que elas (também nao pode- mos esquecer as oragées dos santos). Deus tem um modo de falar conosco por meio das experiéncias da vida. As décadas de 1960 e 1970 mostraram a muita gente que as drogas ¢ a alienagao social nao ofereciam as respostas que buscavam. Muitos que nao se alienaram tiveram a fé no sistema abalada pela guerra do Vietnd e pelo escinda- lo Watergate. Assim, nos anos 1980 e 1990, a busca por ordem, sanidade e base espiritual parece um caminho razodvel para seguir. Entretanto, o interesse reforcado na espiritualidade nao tem le- vado todas as pessoas as portas da igreja. Muitos tem encontrado a espiritualidade na parapsicologia. Conforme relata um recente artigo na revista Newsweek com relagao ao movimento neoespiritualista atual: Os Boomers que se aproximam dos seus anos dourados ainda esto procurando um significado para a vida, algo mais trans- cendente do que um velho disco do Grateful Dead. Os desilu- didos da geragio-X, inclinados para a teoria da conspiracio, estio convencidos de que tém mais oportunidade de encon- trar um alienfgena do que de receber pensdo da previdéncia social. E uma religido alternativa para pessoas que nao tém nenhuma e suplementar para aqueles que j4 tém... “Eu quero crer” € 0 mantra do movimento (e do momento).'° A consciéncia do mundo espiritual suscita varias questdes. Se eu creio em Deus, devo crer também no diabo? Vou diretamente a Deus com minhas oragdes? Como Deus se comunica com as pessoas? Isso nos leva ao segundo ponto. 2. Os anjos servem como mediadores inofensivos entre Deus e os homens, Outra raz4o para a febre de anjos recair no seu papel de mediadores. Algumas pessoas tem medo de orar diretamente a Deus. Imagens de Deus como um velho de barbas brancas segurando um raio com a mao erguida ainda persistem no mundo ocidental. Terre- motos, inundacées e outros desastres naturais ainda sao clasificados como “atos de Deus”, ¢ a mentalidade da juventude rebelde continua a mesma: “Deus é um velho mal-humorado que nao quer que eu me divirta”. ‘A FEBRE DE ANJOS E DEMONIOS 13 Algumas pessoas, entretanto, oram a Jesus. A Biblia o identifica como 0 tinico mediador entre Deus e a humanidade, e muitos se voltam para ele. Outros, porém, preferem»voltar-se parayos:anjos. ‘Talvez porque Jesus espera obediéncia e santidade. Ir a Cristo impli-. ca confisséo de pecados e entrega total. H4 menos compromisso ¢ menor responsabilidade na comunicagao com os anjos. Os adeptos da Nova Era afirmam que podem entrar em contato com seus guias angelicais sem medo de que seus amigos celestiais exijam que aban- donem seus pecado: 3. Os anjos séo reconhecidos quase universalmente. Os anjos apare- cem em quase todas as culturas ¢ religides do mundo, desde as anti- gas civilizagdes, como Suméria, Egito e Assfria, até as civilizagoes con- temporaneas. Desde 0 alvorecer da histéria e tradi¢ao dos hebreus, quando Adao e Eva foram banidos por Deus e impedidos de voltar por querubins (anjos) ao jardim do Eden (e mesmo antes disso, se a serpente for interpretada como sendo um anjo cafdo), os anjos tém interagido com a humanidade. Como afirma um tedlogo catélico: “A existéncia dos anjos é tida como certa; eles simplesmente esto af, presentes em todas as religies do mundo em torno da Biblia; sabe-se simplesmente que eles existem”.'! Os anjos aparecem nao somente no Antigo e no Novo Testa- mentos, mas também na literatura judaica, nos Rolos do Mar Morto (Qumran), no islamismo, no zoroastrismo, no budismo e no hindufsmo. Nao nos esquegamos também do papel que desempe- nharam na arte e na literatura ocidentais. Quem nao fica impressio- nado com os querubins de Michelangelo ou com a elaboragao de Milton do séqiiito demonfaco em O Paratso Perdido?'? Os anjos, por- tanto, sao candidatos faceis para uma era “espiritual” politicamente correta de redes mundiais, globalizac4o, ecumenismo religioso e idéias do tipo “todas as religides levam a Deus”. Algumas religides reconhecem também outro grupo de seres es- pirituais cujo objetivo é causar o mal, o desastre e 0 caos. Esses seres si0 comumente conhecidos como espiritos malignos ou deménios. No dia 5 de abril de 1991 os norte-americanos ficaram estarrecidos diante de uma cena de exorcismo apresentada ao vivo no programa 20/20 da rede de televisao ABC. A cena levou Barbara Walters a fazer 14 99 PERGUNTAS SOBRE ANJOS, DEMONIOS E BATALHA ESPIRITUAL a seguinte pergunta: “O diabo é real?”. As forcas demonjacas sao atenuadas em algumas religides orientais que ignoram ou menospre- zam o mal, o sofrimento e 0 pecado. Ser4, porém, que tais forgas desaparecem simplesmente porque alguns no acreditam mais nelas? Charlataes a parte, serd que alguns dos seres espirituais com os quais os médiuns conversam sao espfritos enganadores? 4. Muitas pessoas religiosas se véem no meio de uma batalha entre as forcas do bem e as forcas do mal. Os anjos e os deménios sao os principais rivais neste conflito. De onde procede essa idéia de bata- lha? O antigo zoroastrismo e a literatura profética judaica com fre- qiiéncia descrevem essa batalha. Evidentemente, os textos biblicos confirmam o conflito entre o bem ¢ o mal, bem como a existéncia de anjos e deménios. O livro de Apocalipse descreve essa batalha césmi- ca e prediz que o bem prevalecer4 sobre 0 mal. Livros de sucesso, como Este Mundo Tenebroso, de Frank Peretti (Editora Vida) cativam a imaginagao dos cristaos, dando-lhes um vislumbre criativo e vivido de como os anjos e deménios podem se enfrentar no mundo es- piritual. Outras obras de mais suspense ¢ mais atrepiantes, como Porcos na Sala (Unilit) e He Came to Set the Captives Free, também sao abundantes nas livrarias cristas. Livros como esses afirmam que nao somente os nao-cristaos, mas também os cristéos podem sofrer de possessao demontfaca. COMO ESTE LIVRO TRATA DE ANJOS E DEMONIOS Qual a necessidade de mais um livro no meio da atual febre espiritual? Numa tinica palavra: discernimento. Precisamos de discernimento no que se refere a seres sobrenaturais, como anjos e deménios. A Nova Era est4 correta ao retratar os anjos como criaturas boas, sem- pre dispostas a nos dar assisténcia? Se os cristaos primitivos ¢ a litera- tura judaica estiverem corretos sobre espiritos malévolos, entéo como podemos fazer distingao entre anjos e deménios? Os livros de sucesso est4o certos quando afirmam que os deménios estao por trds de to- dos os nossos problemas? Este livro trata dessas quest6es, entre ou- tras, através de um estudo aprofundado das Escrituras, onde encon- tramos muitas citagdes de anjos e de deménios. Também analisamos es ‘A FEBRE DE ANJOS E DEMONIOS 15 fontes literdrias judaicas antigas e dos pais da Igreja, porque esse material muitas vezes traz luz sobre 0 modo que os escritores biblicos interpretavam o mundo espiritual. Este livro divide-se em trés seg6es. Os capitulos 2 ¢ 3 focalizam o assunto dos anjos. No capitulo 2 responderemos a questées sobre a criagdo e o carter dos anjos. O que é um anjo? Como os anjos foram criados? Quantos anjos existem? O capftulo 3 examina o trabalho dos anjos. O que os anjos fazem? E errado pedir ajuda a eles? Respon- deremos a essas € a outras questdes com informagées biblicas. Os capitulos 4 a 6 concentram-se nos deménios e em Satands. 0 capitulo 4 responde a questées sobre a criagao e o carter dos demé- nios. O capitulo 5 dirige o olhar para a figura de Satands. Como muitos chegam a conclusao de que anteriormente ele era um anjo chamado Lucifer? De onde herdamos a idéia de que ele ¢ vermelho e carrega um tridente? No capftulo 6 examinaremos as obras de Sata- nds e de seus deménios. O que a Biblia fala sobre os propésitos deles com relag3o aos seres humanos? Como podemos saber se um aconte- cimento sobrenatural provém de Deus ou de alguma outra fonte? Finalmente, o capitulo 7 responde a questées sobre ocultismo. Trataremos de assuntos como paranormalidade, astrologia e projegao astral, reencarnagao e poderes psiquicos, OVNIs, bruxaria, e muitas outras questées relacionadas. Alguns leitores desejarao saltar diretamente para a se¢ao sobre deménios, enquanto outros poderao ter receio de ir além dos anjos benignos do capitulo 3. Outros vao querer ler o livro de capa a capa. Outros, ainda, utilizarao este livro apenas para consulta, a fim de encontrarem respostas para perguntas especificas, quando surgirem. Penso que todos os interessados nessa matéria precisam da in- formagio e do discernimento que este livro fornece. Acima de tudo, nao vamos superestimar nem subestimar as forcas angelicais do bem e do mal. Dito isto, vamos adiante. ds 2. O modernistas geralmente consideram os anjos como produto ficticio do nosso passado supersticioso. No século XIX, Friedrich’ Schleiermacher, considerado em geral o pai da teologia liberal; ques- tionou o propésito da doutrina dos anjos. No século XX, 0 estudioso do Novo Testamento, Rudolf Bultmann em esséncia negou total- mente a existéncia deles. Que proveito entao teremos, nés que jd estamos no século XXI, em estudar um assunto tio arcaico como os anjos? O tedlogo Millard Erickson relaciona cinco beneficios alcan- cados por quem estuda esse tema:! Conforta-nos saber que existem intimeros seres espirituais poderosos prontos para nos auxiliar (2 Rs 6:17). A adoragao dos anjos nos mostra como devemos adorar a Deus (Ap 4:8-11). O fato de alguns anjos terem cafdo nos adverte que deve- mos vigiar para no cair da fé (1 Co 10:12) A realidade dos anjos caidos nos alerta para as maneiras como podemos ser tentados (Mt 4:1-11). Apesar de Satands e seus anjos serem poderosos, conforta- nos saber que sao limitados naquilo que podem fazer (Jé 1-2). 18 99 PERGUNTAS SOBRE ANJOS, DEMONIOS E BATALHA ESPIRITUAL As pessoas que vivem atualmente fascinadas pelos anjos tem pou- co interesse nas questdes mais profundas sobre a esséncia ¢ a nature- za, deles e mais interesse nas suas atividades. Nés, os “pés-moder- nos” estamos mais interessados em saber 0 que os anjos podem fazer por nés do que naquilo que eles sao. Esse foco, porém, pode deixar de fazer a disting4o entre anjos bons e maus. Antes de estudar o que ‘os anjos fazem, devemos entender quem e 0 que eles sao. Este é 0 tema deste capftulo. PERGUNTA 2 = Que significa a palavra anjo? A ee hebraica usada no Antigo Testamento é mal‘ak, que signi- fica “mensageiro” ou “representante”. Essa palavra aparece no nome do profeta Malaquias, “meu mensageiro”, indicando um mensageiro enviado por Deus. Na mitologia grega, a palavra traduzida como “anjo”, angelos, era utilizada em referéncia ao deus Hermes, que fun- cionava como mensageiro dos outros deuses. Um mensageiro pode tanto ser humano (Gn 32:3; Ec 5:6) quanto um ser espiritual (Gn 28:12; Dn 6:22). Em Marcos 1:2, Joao Batista é apresentado como 0 mensageiro (angelos) que prepara 0 caminho do Senhor. Em Lucas 9:52 Jesus envia seus discfpulos como mensageiros a fim de preparar 0 caminho para ele em Samaria. A palavra angelos aparece 175 vezes no Novo Testamento.’ O contexto de uma passagem muitas vezes determina se o mensageiro é humano ou um espirito. Em Mateus 28:2, por exemplo, o mensageiro era um ser sobrenatural, um anjo do céu que rolou a pedra da entrada do tiimulo de Jesus. Essa agao estava acima da capacidade de um ser humano. A primeira vez que os anjos aparecem como mensageiros sobre- naturais enviados por Deus é em Génesis 3:24: “Expulso 0 homem, [Deus] colocou querubins ao oriente do jardim do Eden, eo refulgir de uma espada que se revolvia, para guardar o caminho da arvore da vida’? Esses mensageiros nao poderiam ser humanos, j4 que em Génesis Adio e Eva eram os tinicos. O relato nos leva a uma conclu- PERGUNTAS SOBRE ANJOS 19 séo importante sobre anjos. Eles apareceram pela primeira vez depois que Ado e Eva cafram em pecado, depois que estes se cobriram com folhas de figueira e fugiram da presenga de Deus, e depois de Deus ter pronunciado o juizo sobre eles. Os anjos entraram em cena so- mente depois que o pecado encerrou o relacionamento {ntimo que, Adao e Eva tinham com Deus; Assim, a palavra anjo geralmente identifica um ser sobrenatural que como mensageiro desempenha um papel mediador entre Deus e os seres humanos.4 Entretanto, devemos reconhecer desde 0 principio que os anjos nao sao mediadores da salvag4o — a Biblia afirma que Cristo é 0 unico mediador neste sentido (1 Tm 2:5). Cristo reconci- lia os seres humanos com Deus e os faz filhos de Deus. Os anjos ministram para os seres humanos ¢ os auxiliam de acordo com a direcao de Deus. a) PERGUNTA 3 <= O que sao anjos? Talvez a maior especulacao relacionada com a natureza dos anjos tenha sido por parte do monge dominicano Tomés de Aquino (1225-74)5 que recebeu o titulo de Doutor Angelicus. Tomds de Aquino respondeu a 118 perguntas sobre o carater e os atributos dos anjos, e forneceu uma definicio bdsica para eles: “Criaturas pura+ mente espirituais, intelectuais e ndo-corpéreas, com ‘substancia’”.* Vamos analisar esta defini¢ao para notar varios aspectos da natureza dos anjos. 1. Os anjos sao esptritos. Assim como Deus, os anjos sao espiritos (esséncias invisfveis e imateriais) nao-limitados pelas restriges fisicas impostas aos seres humanos (Hb 1:14; compare com Jé 4:15,16)$ Por esta raz4o, os anjos nunca morrem (Lc 20:36). Tomds de Aquino afirmava que os anjos podem assumir aparéncias fisicas comendo, conversando etc., embora de fato nao exercam tais atividades (Suma Contra os Gentios 50.5; 51.3; cf. Tobias 12.; Filo Quaestiones in Genesin 4.9; Josefo Antiguidades dos Judeus 1.11.2). Se eles sao espiritos, é provavel que nao tenham sistema digestivo fisico. Mesmo assim, os, 20 99 PERGUNTAS SOBRE ANJOS, DEMONIOS E BATALHA ESPIRITUAL anjos podem interagir com o mundo fisico. Na ressurrei¢ao de Cris- to, 0 anjo nao teve problema para remover a pesada pedra que selava a entrada do timulo (Mt 28:2; Mc 16:3-4). 2. Os anjos sito seres sobre-humanossOs anjos sao sobre-humanos porque possuem capacidades maiores que as dos seres humanos. Podem abrir portas de pris6es para libertar prisioneiros (At 5:19; 12:5-11), transmitem mensagens da parte de Deus (At 10:3-4; 23:9; 27:23) e trazem castigo fisico sobre os impios (At 12:23). Em Génesis 19:10-11 eles cegaram os homens de Sodoma que tentavam molestd-los. Em Apocalipse 7:1, Joao descreve quatro anjos que seguram os quatro ventos da terra. Talvez isso implique uma crenga judaica de que os anjos controlam as forgas da natureza (2 Enoque 5.1). Nao sabemos, porém, se os anjos realizam feitos sobre-humanos pelo pré- prio poder ou se recebem poder especial de Deus para executar tare- fas espectficas. Em todo caso, os anjos bons agem em harmonia com a vontade de Deus. 3. Os anjos sito seres pessoais. Diferentemente dos terremotos, dos tornados, da eletricidade e de outras forcas impessoais, os anjos sao pessoas. Nao sao apenas pegas de xadrez de Deus, ou robés espirituais. Tém intelecto, emog6es e vontade. Com relagao ao inte- lecto, eles possuem sabedoria e podem discernir entre o bem e 0 mal (2 Sm 14:17-20; 19:27). Anseiam por compreender o plano de Deus da redengao completo (1 Pe 1:10-12; Ef 3.10). Quanto as emogées, eles se alegram com a criagao de Deus e com 0 pecador que se arrepen- de (J6 38:7; Le 15:7, 10). Portanto, podemos supor que eles também se entristecem por aqueles que rejeitam a mensagem da salvacao (Pseudo-Filo 19.12-16).” No que se refere 4 vontade, os anjos vo- luntariamente escolhem obedecer a Palavra de Deus (SI 103:20; Ap 22:8,9), embora alguns, chamados de anjos cafdos, tenham esco- lhido desobedecer a Deus (Jd 6). 4. Os anjos sao seres santos: As vezes sio chamados de “um santo” (Dn 4:13, 17; 1 Ts 3:13; Jd 14; Ap 14:10; 1 QH 3.22; 4.25; 11.12; 1 QM 1.10-11; 14.15-16). Embora possam se vestir de gloria e esplen- dor (Le 2:9; 24:4-5) e tenham acesso ao céu (Gn 28:12; Le 2:13-15; PERGUNTAS SOBRE ANJOS a Jo 1:51), a santidade deles procede de Deus. Os anjos nao possuem santidade perfeita. Eles adoram somente a Deus como aquele que é absolutamente santo (Jé 4:18-19; 15:15).° Os serafins clamam “san- to, santo, santo” diante do trono do Altissimo (Is 6:2-3; Ap 4:8). Os judeus entendiam que Deus era um ser tao santo, que se os anjos se esquecessem de dizer “santo” Deus os consumiria com fogo e criaria outros! (3 Enoque 40.3-4) 5.Os anjos néo sto deuses.Os anjos nao sao divindades menores como as que existem na mitologia grega. Uma visio assim implicaria politefsmo — a crenga na existéncia de muitos deuses. A Biblia decla- ra que hd somente um Deus (monotefsmo) e que nao hd outros deu- ses além dele (1 Co 8:1-5; Gl 4:8; Is 41:10-11). Os anjos sao inferio- res a Deus e nao tém os atributos divinos de eternidade, onipoténcia (todo o poder), onisciéncia (todo o conhecimento) e onipresenga (pre- sente em todos os lugares).’ = PERGUNTA 4 S Quando 0s anjos foram criados? Antes de poder determinar quando os anjos foram criados, primeiro temos de demonstrar que foram criados. Se nao tivessem um princ{- pio, seriam eternos como Deus. Em Joao 1:1-3, lemos que todas as coisas foram criadas por Jesus Cristo, a Palavra de Deus, até os anjos (compare com Ne 9:6; SI 148:2-5). Colossenses 1:15-16 declara que todas as coisas foram criadas por Cristo, “nos céus e sobre a terra, as visfveis e as invisfveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principa- dos, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele”. Logo, 0s anjos nfo existiam com Deus desde toda a eternidade; eles tiveramy um injcio. A Biblia, porém, nao afirma quando ocorreu a criagao dos anjos. Eles jd existiam quando Deus criou 0 mundo. Deus questionou Jé, perguntando-lhe: “Onde estavas tu, quando eu langava os funda- mentos da terra? Dize-mo, se tens entendimento. Quem lhe pés as medidas, se € que o sabes?... quando as estrelas da alva juntas alegre- mente cantavam, e rejubilavam todos os filhos de Deus [os anjos — 22 99 PERGUNTAS SOBRE ANJOS, DEMONIOS E BATALHA ESPIRITUAL na tradugao NIV]?” (Jé 38:4-7). Tanto as Escrituras como certas tradiges judaicas dao a entender que os anjos ja existiam no primei- ro dia da criacdo. Desse modo, provavelmente foram inclufdos na criagao dos “céus” em Génesis 1:1 (veja Jubileu 2.2-3; 11 QPs Hino do Criador 26.13). Por que Deus criou os anjos? Se supusermos que a fungo prin- cipal deles é ministrar para 0 povo de Deus, algumas pessoas acharao que foram criados em vista da presciéncia de Deus concernente & humanidade (Hb 1:14). Isso, porém, nao explica adequadamente por que Deus os criou em primeiro lugar, antes da humanidade." De acordo com o que lemos em Jé 38:7, os anjos alegraram-se na criagao de Deus. Talvez o propésito fundamental deles seja glorificar a Deus em relacao aos seus poderosos atos de criagao. —_ PERGUNTA 5 =» Qual é a aparéncia dos anjos? Na aparéncia fisica, os anjos nao estao limitados as auréolas e roupas brancas com as quais geralmente sao retratados nas pinturas clés- sicas. Uma vez que sao esp{ritos, podem assumir formas e aparén- cias variadas. Podem tomar a forma humana, como os mensagei- ros que comeram com Abraio e posteriormente foram confundidos com homens pelos moradores de Sodoma (Gn 18-19; compare com Hb 13:2; Ez 9).'' Eles também aparecem com outras formas. Os querubins vistos por Ezequiel tinham asas com muitos olhos e qua- tro faces: uma de homem, uma de ledo, uma de dguia e uma de querubim (Ez 10:12-14).!? Em outras ocasiées eles tém asas, 0 que pode significar que a verdadeira habitagao deles é 0 céu, nao a terra (Is 6:2; Zc 5:9). Eles usam vestes brancas ou resplandecentes (Mt 28:3; Mc 16:5; At 1:10; Le 24:4,5; At 10:30). As vezes usam cintas de ouro (Ap 15:6; compare com 2 Macabeus 10.29-30). Essas vestimentas representam a pureza, a santidade e a gléria dos anjos. Os anjos aparecem em diferentes tamanhos. Alguns tém o ta- manho dos humanos, enquanto outros sao suficientemente enormes para colocar um pé na terra e outro no mar (At 1:10-11; Ap 10:1-2). — PERGUNTAS SOBRE ANJOS 23 Numa tradi¢ao judaica, um anjo chamado Metatron (que no texto parece ser Enoque de Génesis 5:24) supostamente tem o tamanho da terra, com 365 000 olhos ¢ 72 asas — cada uma grande o bastante para cobrir todo 0 mundo! (3 Enoque 9) Outro anjo, chamado Hayli’el, poderia engolir a terra toda de uma s6 vez (3 Enoque 20.2), enquanto o anjo ‘Opanni’el é tao alto que é preciso uma jornada de 2.500 anos para cobrir toda a sua altura (3 Enoque 25.1-4). Aparen- temente tais exageros reforgam os significados simbdélicos — 0 poder dos anjos é enfatizado. Nao hé anjos infantis na Biblia. Embora os querubins sejam freqiientemente retratados nas artes como bebés nus e de cabelos encaracolados, nao encontramos descrigées assim nas Escrituras. Entretanto, desde que os anjos so seres espirituais, podem aparecer de qualquer tamanho ou forma permitidos por Deus. pe —_ PERGUNTA 6 <» = Os anjos tém sexo? Uma eminente tradi¢ao judaica afirma que os “filhos de Deus” que se casaram com as “filhas dos homens” em Génesis 6 eram anjos chamados “Vigilantes” (Jubileu 7.21-25; 1 Enoque 6). Obviamente a implicagao é que os anjos deste relato eram todos do sexo masculino. Outra tradicao até afirma que os anjos foram circuncidados no dia em que foram criados (Jubileu 15.25-27)."° Aqui novamente se su- poe que os anjos s4o masculinos. De fato, geralmente as Escrituras falam de anjos manifestando-se como pessoas do sexo masculino (por exemplo, Gn 18-19; Zc 1:10-12). Porém, os anjos podem também se manifestar como seres do sexo feminino (Zc 5:9-11). As passagens que descrevem anjos, porém, tém pouco que dizer sobre as questées relativas ao sexo. O fato de se manifestarem a nés como masculinos ou femininos nfo significa que séo por natureza masculinos ou femininos. Como espfritos, os anjos sao desprovidos’ de sexo. Uma vez que os anjos nao se casam, o sexo deles é irrele- vante. Por natureza, os anjos sao assexuados e nao se reproduzem (Mc 12:25).'4 24 99 PE RGHINIAS SORKE ANION, DEMONION F HATALHA ESPIRIFUAL Qual é a posigao dos anjos na ordem das coisas? ~ PERGUNTA 7 ~ Na Idade Média, muitos cristaos consideravam-se indignos de se co- municar diretamente com um Deus santo e transcendente. A filoso- fia neoplaténica, que considerava 0 mundo fisico como um nivel inferior de existéncia distante de Deus (ou 0 “Ser Supremo”), influen- ciou o pensamento de Agostinho (354-430) ¢ de outros pais da Igre- ja. Esse ponto de vista complementava priticas religiosas como a confisséo diante de um sacerdote e as oragées dirigidas aos santos ¢ & Virgem Maria. Na mesma época, Pseudo-Dionisio, o Arcopagita (c. 500) escreveu um tratado sobre anjos chamado “Concernente 4 Hierarquia Celestial” (De Hierarchia Coelesti). Dionisio afirmava que uma vez que a lei de Moisés fora intermediada por anjos, os huma nos nao poderiam receber revelagio divina exceto por meio dos an- jos.'” Os metafisicos medievais tendiam a enfatizar a superioridade dos anjos sobre os seres humanos, Conquanto os anjos sejam intermediatios no que se refere a trans- mitir mensagens de Deus para os homens (Gl 3:19; Av 7:53; Hb 2:25 Dr 33:2, LXX), a Biblia nao enfatiza a superioridade deles sobre os homens. Eles pertencem a uma ordem superior 4 dos humanos na presente era (Hb 2:5-8; 2 Pe 2:10-11), mas nao sao tao elevados a ponto de as pessoas terem de se comunicar com Deus por intermé- dio deles. Da mesma forma, nem sempre Deus precisa deles para comunicar-se conosco. No futuro, supde-se que os cristaos julgarao pelo menos alguns anjos (1 Co 6:3) Jesus € a ponte sobre o abismo intransponivel entre Deus ¢ os homens, ¢ os anjos servem como ministros dos santos (Hb 1:14; compare com Jo 14:6; 1 ‘Tm 2:5). Deus-Pai ¢ Jesus Cristo tém um status muito mais elevado que os anjos (SI 89:5-7; Rm 8:38-39; Ef 1:19-20; Fp 2:9-11; Cl 1:16; 2:10; Hb 1:3-14; 1 Pe 3:22; Ap 51-7). Os anjos, juntamente com 0s cristaos, adoram o Pai ¢ 0 Filho (Ne 9:6; SI 148:2; Hb 1:6). Logo, acualmente os anjos sao mais elevados do que os scres humanos, mas Deus reina supremo sobre todos. PRRGLNTAS SOBRE ANJOS 5 Pee — PERGUNTA 8 Os seres humanos se tornarao anjos? Os seres humanos so promovidos & condigao dos anjos depois da morte? Embora tenhamos lido anteriormente que Enoque transfor- mou-se em anjo, este ponto de vista procede de um documento ju- daico do século V ou VI, nao da Biblia. Cristo disse que no céu as amento, Mas “sao como pessoas no se casario nem se dario cm os anjos no céu” (Mt 22:30), Contudo, tornar-se semelhante aos anjos nao significa tornar-se anjo de fato. No céu os seres humanos “serio como os anjos” porque (1) nao se casarao © (2) munca mais morrerao. As Escrituras nao nos dao nenhuma indicagao de que al- gum dia nos cornaremos anjos. Antes da segunda vinda de Cristo, © corpo dos cristios perma- nece na sepultura, mas o ser interior deles parece estar consciente com Deus (Le 23:39-43; Fp 1:21-23; 2 Co 5:8). Quando Cristo retornar, de acordo com o Novo Testamento, 0 corpo do cristo sera ressuscitado dentre os mortos e sera transformado num estado de incor- ruptibilidade (1 Ts 4:16-18; | Co 15:12-57; Ap 20:4). Os nao-cris- sofrerao a punigio eterna (Jo 5:28-29; tos também ressuscitarao, 1 Ap 20:11-15). > PERGUNTA 9 _) Ha classes diferentes de anjos? um Deus de ordem, devemos esperar que scus Uma vex que Deus anjos existam num estado de ordem. Talvez a ordem na adoragao esteja por tds do sentido de 1 Corintios 11:10: “Portanto, deve a mulher, por causa dos anjos, trazer véu na cabega, como sinal de gece aches eon ERCP eee ong ee da, também as mulheres de Corinto deveriam adorar de forma orde- nada, Adoracio desorganizada pode ofender os anjos. Um estudo de 1 Corintios 11-14 mostra que Paulo escava tentando corrigir um problema de desordem na adoragao em Corinto," 2% YO PERCE NTAS SOBRE ANTOS, DEMONIOS F BATALHA ESPIREFUAL Como os anjos sao organizados? [dentificar claramente cla es distintas ou escaloes na hierarquia angelical € uma tarefa dificil e especulativa, Mas se Deus criow uma variedade de formas, tama fera humana, dentro do mundo animal ¢ vegetal, por que nao criaria uma variedade de nivel mais clevado entre os anjos? A Biblia dé a entender a possibilidade de va- rios tipos diferentes de anjos hos, cores ¢ fungdes dentro da 1. Arcanjos. (O termo grego arehe significa “chefe” ou “princi- pe’). O tinico texto biblico que especifica o status de Miguel (que significa “Quem & como Deus?”) como um arcanjo é Judas 9. Reco- nhecemos a autoridade de Miguel em Apocalipse 12:7-9, onde cle ¢ um exército de anjos lutam contra 0 diabo e seus anjos ¢ os derro- tam. Também 0 encontramos sobrepujando 0 poder de outro set espiritual chamado de “principe da Pérsia” em Daniel 10:13. Toda- via, Miguel nao ¢ 0 tinico arcanjo. No mesmo versiculo de Daniel ele chamado “um dos primeiros principes”, dando a entender que existem outros como ele, Miguel toma conta dos fithos de Iscael (Dn 10:21; 12:1). 2. Querubim e serafim. Os querubins ¢ serafins consticuem ou- tra classe de anjos.'" O querubim com freqiiéncia ¢ associado com nuvens ¢ transporte; acompanham 6 Senhor num séqiito celestial (SEL8:11; compare com 80:1; 99:1; 104:3; Is 19:1; 1 Rs 729-36; Ez 1:10). Os isractitas fixaram dois querubins na tampa da Arca da alianga (Ex 25:10-22). O querubim de quatro faces em E: pitulos 1 ¢ 10 € provavelmente 6 mes viventes” em Apocalipse 4. Em ambos os casos, si0 descritos com pequiel ca- no des rito como “quatro s res. quatro faces — de leo, de homem, de boi ¢ de aguia.™ Os quatro seres viventes de Apocalipse 4 tinham seis asas ¢ cla- mavam “santo, santo, santo” diante do Deus Todo-poderoso, como faziam. os serafins que Isaias viu (Is 6). Talvez ngo haja nenhuma distingio real entre querubins c serafins ~ os dois nomes diferentes . AL Augustus podem indicar papcis diferentes attibuidos ay mesmas criatura guns até argumentam que cles nem sio criaturas reais, do cria Strong, por exemplo, afirmava que querubins ¢ serafins nao que representam a do perdida na Queds turas reais, mas apenas “aparigées simboli humanidade redimida, dotada de toda a perfei PERGUNTAS SOBRE ANIOS. PF feita para ser a habitagao de Deus”."” A Biblia, porém, registra que um querubim protegia a entrada do jardim do Eden, depois que Adao ¢ Eva foram banidos (Gn 3:24). Isso pode indicar que o escritor ju- deu considerava os querubins como mais do que meras figuras “sim- bélicas” 3. Anjos eleitos. Em 1 Timéteo 5:21 Paulo menciona “anjos elei- tos”. Alguns identificam esses anjos com os espiritos que nao cairam junto com Satands. Em que sentido isso os torna eleitos? Sera que alguns anjos foram predestinados para nao cair, em oposi¢ao Aqueles que Deus permitiu que caissem? Alguns anjos mereceriam condena- cao antes mesmo de sua queda para fazer que Deus parecesse miseri- cordioso dando graga a alguns ¢ a outros nao? Devemos evitar a idéia de que os anjos sao eleitos da mesma mancira que os seres humanos; nao parece que Deus renha um plano de redengao para anjos (veja resposta 55). Uma expli que ver com a queda dos anjos nao-eleitos. O texto de | Timéteo 5:21 da a entender que Deus selecionou um grupo especial dentre os an- jos benevolentes para servir como testemunhas do vindouro juizo final (Ap 14:10; Mt 25:31; Le 9:26; 1 Ts 3:13).” Esta interpretagao se adapta ao contexto da passagem, pois Paulo incumbe Timéteo de s instrugdes pastorais “sem prevengao, nada fazendo com parcialidade... Nao te tornes ctimplice de pecados de outrem. Con- Ao alternativa para a palavra eleitos nao tem nada guardar s setva-te a ti mesmo puro” (1 Tm 5:21-22). Paulo esté exortando Ti- moteo a ter certeza de que esté conduzindo seus negécios com justi- ¢a, pois Deus, Jesus Cristo © um grupo especial de anjos estio obser vando sua condura, ¢ julgarao suas agdes no ultimo dia (2 Co 5:05 1 Co 3:11-15). Os anjos eleitos podem indicar 0 que 0 Rolos do Mar Morto chamam de “anjos da Presenga” (1 QSb 4.25; 1 QH 6.13; compare com fubilew 1.27-2:2; ( Enague 9.13 20.1-7; 40.1-10; Testamento de Levi 3.4-8). Esses so “anjos de um escalio especial mais clevado, que ficam diante da face (da presenga gloriosa) de Deus [isto é, esto num estado de gléria mais elevado que de outros anjos|; esse rermo tam- bem ¢ conhecido no resto do judaismo” (I Enoque 39.1; Odes de Saloméo 4.8; Testamento dos Doze Patriarcas 19; 4Esdras 16.663 com- FER). SOBRE ANIOS, BEMONIOY F BATALI IA ESPIRIEUAL parccom Dn hits Zo 14.5), Este grupo de anjos pode também estar tolacronide conta idéia do céu como um tribunal real com um conettie angclical (SI 58:1; 89:6-9; Jr 23:18; 1 Rs 22:19-22; [6 15:8: 16920: compare com I Enoque 14.21; | QH 3.35; 1 QM 12,7-8). Lacaa, novamente, J que estamos especutlando, esses anjos da pre- sengade Deus podem fancionar da mesma maneira que os querubins © seratins, Nao cobrimos todas as varias classes de anjos. Ainda temos de discuti as diferentes classes de anjos caidos, ou deménios, bem como stands. Além disso, ainda temos de mencionat o maior de todos os “anjos”, o anjo do Senhor, Existem outras possiveis classes ou esca- Joes de anjos sobre as quais sabemos muito pouco. As “hostes celestiais” podem ser uma classe de anjos guerreiros (SI 148:2; Tg 5:4); 08 °Vi- classe distinta (Dn 4:13, 17, 23 - a NIV tray, “mensageiro” . Compare com I Enogue 6.16; Ordeulo Sibilino gilantes” podem ser outr 1.95: féstamenta dos Doze Patriarcas 5.5-6). Alem daqucles mencio- nados nas Escrituras, hé muitos outros grupos sobre os quais sabemos nada (compare Dr 29:29). ——>) Percunta 10 =~ Quem sao os arcanjos? Nas Escrituras, certos anjos de alto escalao sao chamados de arcanjos (id 9 Ap 12:7-9 Dn 12:1). Ja aprendemos que Miguel é 0 tinico arcanjo identificado como tal nas Escrituras, embora Daniel 10:13 dé a idéia de que existem outros. Muitos identificam Gabriel (“herdi de Deus”) como outro arcanjo, talver porque, como Miguel, cle tem um nome préprio (Dp 8:16; 9:21; Le 111-19, 26-38). O nome proprio Rafael aparece nos livros apécrifos (Tobias 5:4). Alguns argumentam que & possivel identificar sete arcanjos: Miguel, Gabriel e Rafael, urés deles (7 Enoque 20.1-8, 21; 40.9-10; 81.5; 9021-22; Tobias 12.15; 1 QM 9.16; Testamento de Levi 8.1; compare com Ap 8:2). Os nomes dos outres arcanjos va iam em cada lista, mas geralmente sao Uriel, Raguel, Seraqael (Zeraquiel ow Araqacl) ¢ Haniel (Remiel ou Anacl). Na histéria judaica mais recen- t, Lanuel foi substituide por Uriel. Na histéria da Igreja, 0 papa Hacporin, 0 Grande, (540-604) listov os sete como Miguel, Gabriel, Katicl, Uriel, Simiel, Orifiel e Zacariel. Nao ha consenso quanto a limitar 0 ntimero de arcanjos em ete, De acordo com Gustav Davidson, a literatura judaica antiga ‘amber relaciona outros nomes como Baraquiel, Jchudiel, Sealticl, Oniticl, Sabrael, Arael, laoth, Adonael ¢ Zadkiel. Miguel ou Rafael é cralmente mencionado como o lider, Outros anjos principais si0 \sracl, o anjo da morte, e Israfel, o anjo da musica que toca 5 ra Gombeta no dia do julgamento.” - PERGUNTA 11 “Jesus é 0 arcanjo Miguel? Na tentativa de negara divindade de Cristo, as Testemunhas de Jeova virmam que Jesus na verdade é 0 arcanjo Miguel. De acordo com A Jarre de Vigia, Jesus é um anjo de alto escalio, até mesmo um peque- no deus, mas nao Deus o Filho, a eterna segunda pessoa da Trindade. Uma excelente forma de refutar essa ftlsa crenga & pedir as ‘Testemu- nhas de Jeovd que mostrem os textos biblicos que identificam Jesus com Miguel. Em nenhum lugar a Biblia faz. cal afirmagao. AAs Yestemunhas de Jeovd com freqiiéncia citam | “lessalonicen- ses 4:16: “Porque © mesmo Senhor descera do céu com alarido, & com voz de arcanjo, ¢ com a trombeta de Deus...” (ARC). Este versiculo afirma que a voz de um arcanjo acompanhara Cristo em sua segunda vinda.?' Mas isto nao quer dizer que Jesus seja 0 arcanjo, nem que esse arcanjo seja Miguel. Existem outras razbes para rejcitar a alegagao de que Jesus é 0 arcanjo Miguel. Primeiro, a Biblia declara que Miguel é “um dos primeiros principes” (Dn 10:13). Sc ele fosse Jesus, terfamos de con- cluir que existem outros Cristos! Diferente de Miguel, todavia, o suatus de Jesus & nico — cle nao 0 compartilha com mais ninguém (1 Co 8:1-5; 1 Tin 2:5; Jo 14:6). Segundo, nenhum anjo recebe ado- ragio de-homens, mas os seres humanos tem permissdo para adorar a Cristo (Me 8:2; 9:18; 14:33: 20:20; 28:16; compare com Cl 2:18; Ap 19:9,10). Terceiro, Jesus recebe adoracdo de todos 08 anjos, 0 que significa que o proprio Miguel o adora (Hb 1:6; Ap 5:11-14), Afinal, o SPY Yer os SOBRE ANJOS, DEMONIOS F BATALITA ESPIRITUAL tyes ny nae .tdotun uns aos outros — bons anjos adoram somente (Dc Por esas tazoes, concluimos que Jesus nao é 0 arcanjo Miguel. Percunta 12 “4 Jesus 60 Anjo do Senhor do Antigo Testamento? ©) Anjo do Senhor 0 anjo mais preeminente no Antigo Testamento.”* Ditercntemente dos outros anjos, esse mensageiro particular as vezes parece ser Deus (Gn 22:11-18; 32:24-31; Os 12:2-4; Gn 48:15-16; Ux 23:20-21; Jz 2:1-5; 6:11-24; 13:21,22). Depois que Hagar, a ser- va de Sara, se encontrou com esse anjo, “cla invocou 6 nome do Senhor, que lhe falava: Tu és Deus que vé; pois disse ela: Nao olhei cu neste lugar para aquele que me vé?” (Gn 16:7-13). Quando Deus se encontron com Moisés na sarga ardente (Ex 3), 0 texto refere-se a cle como “o Anjo do Senhor” (Ex 3:2; compare com Atos 7:30-38). ]. M. Wilson faz trés sugestOes concernentes & identidade deste anjo: (1) 6 Anjo do Senhor pode ser simplesmente um anjo com uma missao especial; (2) pode ser uma descida momentinea de Deus numa realidade visivel (uma teofania); (3) pode ser o Cristo pré-encarnado, o Logos (Verbo) de Deus.” A primeira sugestio de Wilson parece dificil de conciliar com a forma direta que as Escricuras as vezes igua- lam esse anjo a Deus. A segunda sugestio parece mais plausivel, jé que a teofania é uma manifestagdo indirera de Deus que esconde a natureza transcen- dente dele. Ao contrario da encarnagao de Cristo, que é uma revela- ga0 permanente de Deus, as teofanias sio manifestagSes temporé- rias, Um estudioso escreveu: “Deus € compreendido por Israel como uma realidade diferente do mundo ¢ nao-limitada por ele (1 Rs 8:27; Am 9:2-4; SI 139). Nas teofanias, porém, Deus se revela por uma autolimitagao a lugares especificos e formas particulares dentro do proprio mundo”."” Uma vex que ninguém poderia olhar para Deus em sua verdadeira esséncia ¢ sobreviver (Ex 33:20-23), 0 Anjo do Senhor seria uma manifestagao indireta de Deus aos homens. O ini- co problema com este ponto de vista é que as vezes 0 Anjo do Senhor parece ser outra pessoa além do Senhor (2 Sm 24:16; Ze 1:11-13; Px 23:20 20; Nm 20:16).7* Poe MGMT AMOS, u \ terecira sugestio de Wilson é que 0 Anjo do Senhor € uma jruinao de Cristo antes de sua encarnagao, Esta visdo concilia o pa- crevem Deus como 0 whose entre algumas dessas passagens que de \njo do Senhor, ¢ outras que fazem uma distingdo entre os dois. De jedquet forma, precisamos evitar qualquer dogmtatismo,”" porque hapte ¢ possivel que nenbum dos significados mencionados acima te totalmente 0 significado da expression “Anjo do Senhor”, As os pode tefetir-se & propria presenga de Deus, enquanto em ou- 1 ynvasibes pode designar apenas um anjo enviado por cle, Um teé- low daz a seguinte afirmagio: 1) Deus que se revela por meio do malak fanjo| de forma siguma pode estar pres nice num corpo humano ow como um wor pessoal permanente, mas aparece somence durante um pe- iodo limitado da histéria, ow seja, na epoca do antigo Israel, numa vatiedade de formas, ora numa chama, ora com aspecto hasmano, ora num sonho, ora numa experiéncia coletiva. PERGUNTA 13 - ~, Quem é 0 principe do exército do Senhor? {su Josué 5213-15, pouco antes de Israel conquistar a cidade de Jeties, {sue encontrou-se com uma figura peculiar que se descreve como 0 principe do exército do Senhor”. Quando Josué se prostrou diante ler principe, cle declarou: “Descalga as sandiilias de teus pés, porque hs Tuyar em que estas é santo”. O anjo do Senhor disse a mesma coi 1 Moises na sarga ardente (Ex 3:2-6). Paradoxalmence, do mesmo modo que 6 anjo do Senhor, o prin- vipe do exército do Senhor aparece tanto como mensageiro do Se- thor quanto como o proprio Senhor. Parece que & 0 Senhor falando ont fosaé em Josué 6:2 (o texto de Josué 5:13 ~ 6:5 deve ser visto como uma unidade liceriria). Com toda probabilidade, o princi- pe do exército do Senhor é Cristo pré-encarnado ou uma teotania 11). Em favor da primeira opgao, quando compa- tantos o nome de Deus com o grande “EU SOU” na sarga ardente com Joao 8:53-59, descobrimos que Jesus também afirmou ser “EU. (veja_respos 32 98) PERLPSTAS SOBRE ANTOS, DEMONIOS F KATALHA ESPIREFUAL SOU". Ele ambem & 0 comandante dos exércitos do céu em Apo- calipse 191 14, —) Percunra 14 “. ~~ Quantos anjos existem? Nao sabemos 0 numero exato de anjos. Desde os tempos mais anti- gos, pessoas de diferentes culturas sempre acreditaram num enorme numero de seres celestiais. Antes de Newton propor a existéncia da gravidade, as culturas antiga ¢ medieval achavam que os anjos con- trolavam as forgas da natureza e moviam os astros em suas érbitas (cf. 2 Enoque 4.1,2).* Por isso consideravam-se os anjos incontéveis como as estrelas do firmamento. Ainda hoje muitos acreditam que pelo menos um anjo da guarda vigia cada réncia de mais de seis bithées de anjos. (Esse ntimero, porém, depen- de da hipotese questionavel de que hd um anjo encarregado de guar- dar cada pess Em Apocalipse, o ntimero de anjos que adoram diante do trono de Deus é de “milhdes de milhdes ¢ milhares de milhares” (Ap 5:1 1-13). Uma vez que se trata de um livro altamente simbélico, duvidamos que o néimero de anjos seja pouco maior que cem milhées.” A conta de Joao no Apocalipse pode ser apenas uma forma figurada de ex- 3). A palavra grega para “milhares de milhares” (myrios) que aparece nesta passagem ma provavelmente indica um mimero de anjos grande demais para con- 3; Jd 14; ser humano, implicando a exis- xa. Falaremos mais sobre isso no préximo capitulo). pressar um ntimero incontavel de anjos (Jé 25:2 rar pelos meios comuns (Hb 12:22; compare com Mt 26 Dn 7:10; Dt 33:2; SI] 68:17). As literacuras judaica ¢ crista antigas nos dao amostras diversas da natureza e das caracteristicas dos anjos. Eles aparecem em diferen- tes maneiras para diferentes pessoas, ¢ alguns parecem ser de um escaldo mais elevado que outros. Se existem classes diferentes de an- jos, segue-se que nem todos os anjos fazem a mesma coisa. ‘Todos eles para cumprir, ¢ Lem papéis especificos para desempenhar e tarefi este sero assunto do préximo capitulo. PERGUNTAS SOBRE AS ATIVIDADES Dos ANJOS © filme Grand Canyon, Mack, o personagem do ator Kevin Kine, icmmbra-se de quando uma mulher salvou sua vida. Quando ele esta- \ 4 para atravessar uma avenida em Los Angeles, ela 0 puxou de volta part o meio-fio enquanto um énibus passava zunindo. Por poucos « cntimetros ele nao foi atingido, Mack nunca ficou sabendo o nome «la tnuther, pois ela seguiu seu caminho no meio da multidao daque- 1a calgada. Ele notou que ela usava um boné de um time de beisebol ue Pitsburgh, justamente o seu time predileto. Mack ficou se per- suntando se nao seria um anjo. Nos filmes a tarefa dos anjos € ajudar os seres humanos, € a ‘iblia muitas vezes fala sobre anjos protegendo os filhos de Deus. Otis sto as atividades dos anjos? Eles ainda interferem nos assuntos lhumanos? Nés temos anjos da guarda? Neste capitulo, examinare- mos 0 ttabalho dos anjos, —) Percunta 15 ad Existem anjos da guarda? Ia muitos relatos de protegdo sobrenatural por parte de anjos da yoanli Uma advogada do centro da cidade contou que um anjo de ‘a PPE) SEAS SOME ANIOS, DEMONTON F RATALFLA ESPIEEFUAL uns don metios de altuna impediu que ela fosse assaltada por uma gangne | Por outta lado, o ex-mérmon Wolly Tope estabeleceu um Hmeteno de evangelizagio para outros mérmons desiludidos. Em dhril de 1992. cle teve um encontro com o destino. Quando ouviu vobre on cumultos que ocarriam em Los Angeles, ‘Lope saiu as ruas pane prepay pant os manifestantes. Foi espancado clo gravemente por Une gangte que entrou em coma. Tope morreu no ano seguinte, sem tet recuperado a consciéncia depois da surra, Por que os anjos -geram Wolly Tope durante os tumultos? Se todas as pe tte prol sas ont pelo menos os cristios tm um anjo da guarda, onde estava 0 anjo da gnarda de’Fope naquela noite? A cenga em anjos da gnarda née & nova. Os antigos pensadores do mundo grego © romano, como Patio, Menandro, Phutarco Vlotino acteditavam nos guardiaes espirituais, assim como os escrito- ves babilénios c assitins.’ As tradigdes judaicas antigas afirmavam que todas as pessoas tinham um anjo da guarda (bilew 35.175 Testa- meute de Levi 5,3; Filo De Gigantibus 1 2 Macabeus 3.25; 10.29; 11.6; 15.23) De acordo com uma inter- pretagao dos filhos de Israel no deserto, Deus ordenou aos anjos da ; compare com Tabias 5A: guarda dos israclitas para nao intercederem mais em favor deles, pois unhanr-se tornado muito rebeldes (Pseudo-Filo 15.5; compare 11.12 59.4). Nos Rolos do Mar Morto os anjos protegem os humildes, os zados ¢ os drfios (I QE 5.20-22; compare com Me 18:10) Muitos dos pais da Igreja criam em anjos da guarda, mas discor- despr davam quanto & Rungao deles. O Paster de Hermas (ts. 140-155) iepisira que os anjos da guarda cram designados para rodas as pessoas iM andinte 6.2.4-3), mas Jeronimo (342-420) acreditava que o peca- do impede esses anjos de ajudar os impios Ur Jeremiam 30.125 com parccom FHomilias 33'S de Basilio; 1 Enogue 100.5). Ambrosio (339- 47), por outro lado, acteditava que os justos nde tinham anjos da roatde Os santos tinham de lutar na vida sem ajuda celestial para obterenr une gloria maior no fururo (In Silos Duvidicos 37.43).' Mahe Lombade (E1001 160) acreditava que cada anjo da guarda Chi tespamavel por varias pessoas (Senzengay 2.11). Contrariamente, Fug OSTA SOBRE AS ATEVIDADES DOS ANTOS 8 guns defendiam que algumas pessoas tém mais do que um anjo da swarda (compare com Mt 18:10-13). Os catélicos romanos ainda ) Percunta 18 & — Eerrado comunicar-se com os anjos? Nao seria cerrado manter comunicagio com os anjos bons que se a? Na miaioria dos casos, as pessoas que afirmam cer-se comunicado com manifesta a és, Mas quantos de nés jé tiveram tal experiénci injes foram as iniciadoras da conversagio. Alpumas pessoas mal-in- formadas, por exemplo, oram aos anjos. O pai da Igreja Anibrésio (339 97) influenciou a posterior idéia catélica romana da comuni yao com oy anjos. Ele ensinava it bola, por witias razoes. “Devemos orar aos anjos que nos im dados como guardiaes”.'” Essa agao, porém, € contréria a Bi- HRCA TAY SOBRE AS ATIVIGADES OOS ANTOS u Quando Joao se prostrou para adorar 0 anjo que lhe mostrou as © anjo disse: “V8, no facas isso; sou conservo revelagies profetica stemunho de Jesus; adora a vou & dos teus irmaos que manrém 0 « Ficus’ (Ap 19:10; compare com 2 8-9). Paulo parecia advertir vontia a Comunicagao com os anjos quando escreveu: “Ningudin se ‘ica drbitro contra vés outros, pretextando humildade € culto dos ayjos...” (Cl 2:18). Alguns podem argumentar que nao estio ado. indo os anjos, mas apenas pedindo que intercedam diante de Deus nr seu favor. Entretanto, nao ha nenhuma indicagao bibliea de quc Jevemos orar a qualquer outro além de Deus (compare com Mt 4:10). ver gute os anjos intercedem em favor dos homens é wna coisa, ort aes anjos como mediadores & outra coisa bem diferente. \ Biblia identifica Jesus como o tinico mediador de que precisamos 3; 1 Vin 2:5) atamios aos anjos, esumos declarando implicitamiente que Jesus hante de Deus-Pai lo 14:6-14; compare com 1 Co 1:1- ws € suficiente como mediador, (E curioso que nossos desejos peca sinosos, bem como o diabo, tendem a atrair nossa oragao para tudo vid pata Jesus, nosso Unico mediador verdadeiro.) Se oramios a sto é santo demiais, ¢ nos otros mediadores por achar que Jesus Cris iignos de nos dirigir a ele, estamos exercendo uma falsa humilda- Deus envio seu Lilho para morrer na cruz por nossos pecados e nossas fale rin temos 0 privilégio, a despeito de , de nos aproxi saat de Deus por intermédio de seu Filho, Jesus Cristo. Se ofissemos a tim anjo © nossa oragio fosse “respondida’, no via uma indicagao de que nossas fucaras oragdes deveriant set Luisidas a esse anjo, em ver de Deus? fissa é uma maneira pela qual podenios ser desviados de orar ao Senhor, Alguns médiuns da Nova (a comunicam-se com “anjos”. Se cles realmente se comunican com noclades reais, mio se trata de anjos bons, Nenhum espirito da parte dk Deus nos desviaria do cnsino de que Jesus Cristo & 0 tinico media 1-6). \lguuns pregadores da fé ensinam que tem autoridade espiritual der de que precisamos (GH 1:8-9; 1 Jo pata Lalar com os anjos & encarregiclos de fazer o que pedem. Sera sjucessa-crenca é biblica? Em nenhum lugar nas Lscrituras encontra- ere re seres humanos tém o direiro de dar ordens aos anjos bene- F SCL SORE ANJOS, DEMONIOS E BATALHA ESPIRITUAL volentes, quando muito, encontramos passagens que levam a con- 10 epost. advertindo contra falar presungosamente com os seres angelicans (2 Pe 210-11; Jd 8-10).7 Nas Escrituras, so os anjos que dao ordens aos seres humanos (por exemplo, At 10:3-6; 12:7-8). Dar ordens aos anjos nao é muito diferente do que orar a eles como intercessores em nosso favor. Ambas as atividades implicam iniciar uma comunicagSo com os anjos e as duas sio contrétias & Biblia. Essa comunicagio seria mais um tipo de magia do que oragdo — ou seja, 0 anjo funcionaria como um génio ou um talisma. Anjos bons realizam a vontade de Deus, nao a nossa. Nao podemos manipuld-los. ——) Percunta 19 cm 2, Quais sao algumas das realizagdes dos anjos? Os anjos realizam varias atividades referentes aos seres humanos, além de protegé-los. Eis uma breve lis atividades: L. Os anjos revelam a vontade de Deus aos homens. Os anjos reve- laram o futuro a profetas como Daniel. No Novo Testamenta, reve- laram a Joao os propésitos de Deus para o futuro. Os anjos nao so- mente revelaram o futuro, mas num sentido mais geral, revelaram a vontade de Deus aos santos (Nm 22:31-35; 2 Rs 1:3-4; J6 33:2 ade algumas de suas outras At 27:23-25; compare com I Reis 13:18; Testamento de Rubem 5:3; Testamento de Issacar 2:1; Testamento de José 6:6; fosé ¢ Azenate \A). -5, um anjo revelou ao centuriao gentio Cornélio que Em Atos 1 Deus reconhe: contecimento resultou suas obras religiosas. Este a no primeiro derramamento do Espirito Santo sobre cristéos gentios (Ar 10:44-11:18). Os anjos transmitiram mensagens de Deus para os homens no Antigo Testamento, Ao que parece, 0 anjo do Senhor foi o mediador principal no Antigo Testamento (Ex 3), ¢ 0 Novo Testamento afirma que os anjos transmitiram a lei a Moisés (GI 3:19; Hb 2:2; Ac 7:53). Conquanto a lei do Antigo Testamento tenha sido cumprida em Cristo (ib 7:12-25; 8:7-13; 10:1-10), os anjos continuaram a transmitir Je SORRE AS ATIVIDADES DOS ANIOS. u -lacoes divinas no Novo Testamento (Ap 1:1). De acordo com as 1. ciuitas, eles nao revelam nenhuma informagao contraria sobre o mectho ou o final dos tempos (Gl 1:8-9; Ap 22:18-19). ©. anjos podem manitestar-se no mundo fisico, mas também jenbons comunicar-se com os homens em sonhos € visdes. O anjo jw veatout Cornélio veio por meio de uma visio (At 10; compare soy < (28), Os anjos também apareceram aos homens por meio 1 csuhos (por exemplo, Gn 28:12; Me 1:20; 2:13; 2:19-20), mbora cm outras ocasides tenham-se manifestado no mundo fisico eu det TL). (Js anjos ministram para os seres humanos. Uma das fungdes wapars dos anjos é servir ao povo de Deus (Hb 1:14). Uma ma- nonade fazerem isso é dar diregao. Quando Abraao incumbiu seu vn Lliezer de encontrar uma noiva para seu filho Isaque, disse: “O uot Deus do céu ... enviard 0 seu anjo, que te hd de preceder, ¢ tonmitas de La esposa para meu filho” (Gn 24:7). De modo provi- (nual, 0 anjo dirigiu Eliezer aos parentes de Abraao, especificamen- 6 Bobcea, que tornou-se esposa de Isaque. No Novo Testamento, vn nye dirigiu Filipe, o evangelista, para converter 0 eunuco etfope WS tb). Mnitas vezes Deus envia anjos para fortalecer, encorajar ¢ prote- vs ccu povo (1 Rs 19:3-7; Le 22:43; compare com 1 QM 17.5-8) «+ veotente de Eliseu ficou com medo quando o rei da Siria enviou une eetcito para prender o profeta. Eliseu respondeu: “Nao temas; [erque mais séo os que estao conosco do que os que estao com eles. (hoa Phiseu, ¢ disse: ‘Senhor, peco-te que Ihe abras os olhos para que ya) Senhor abriu os olhos do mogo, ¢ ele viu que o monte estava cu” (2 Rs 6:15-17). 1) screit© sirio entao ficou temporariamente cego. - Inte cle Cavalos ¢ carros de fogo, em redor de Eli + Os anjos ausiliam Deus em questoes relacionadas & escatologia. \ palavia escatologia refere-se & doutrina das “tiltimas coisas”, ou en- mos sobre morte, vida apés a morte, céu e inferno, ¢ o final dos tempos. © livro de Apocalipse est repleto de anjos comprometidos Sony as qjutestées do fim do mundo. Depois que 0 mendigo chamado | cate niorreu, foi levado ao seio de Abrado (paraiso) pelos anjos Hhe to) , PO MTRGUS ESS SOBRE AROS, DEMONIOS | RATALIA ESPIREEUAL 1% atnjor realream feitos melagrosos. Os anjos demonstram a toalihule do mundo sobrenatural (At 5:19; 12:7-11; Ex 14:19). Onande Sadraque, Mesaque ¢ Abede-Nego recusaram prostrar-se diane da imagen de ouro do rei Nabucodonosor (Dn 3:8-29), fo- tam jogados na fornatha. Entrecanto, foram totalmente preservados day chamay quando um anjo de Deus apareceu, Aténito com 0 que vin, © rei Nabucodonosor exclamou: “Veja quatro homens soltos, que andam passeando denero do fogo, sem nenhum dane; ¢ 0 aspec- * (Dn 3:25). Um anjo imbém auxiliou Daniel dentro da cova dos ledes (Dn 6:22). — Prrounra 20 _» Os anjos ou os deménios trazem c: wo do quarto é semethante a am filho dos deuses famidades sobre os impios? Os demonios sao responsivers por tazer tragédias sobre os impios fou essa Carel & reservada aos anjos de Deus? A Biblia descreve anjos destruidores que parecem ser demonios. O anjo do abismo, cujo nome significa destruigéo tanto no hebraico quanto no grego, reina sobre afanhotas fere s que atormentarae todos os que nav tiverem a marca do selo de Deus na fronte (Ap 9:1-11). Este anjo parece idéntico 2 “besta que sobe do abismo” ¢ mata as duas testemunhas de Deus (Ap 113-7). Depois que o rei Saul se tebelou contra o Senhor, “um espiri- to da parte do Senhor o atormentava” (1 Sm 16:14; compare com V9: (1 Sit 16:23). Saul estava sob a influéncia dele quando tentou por 3). Este espirito deixava Saul sempre que Davi tocava a harpa duas vezes tirar a vida de Davi (18:10-1 1; 19:9-10). Como um anjo maligno poderia ser enviado por Deus? Ao que parece, Deus permi- Hin que um espirito demoniaco atormentasse Saul por causa de seu estade de apostasia. © profera Micaias descreveu Deus entronizado com as hostes calestiais ao seuredor. Um espirita afirmou que podia enganar o “Respondent ¢ vor na bic de todas os seus proferas’. Disse o Senhor: “Fito engana- perverse tei Acab ‘Sairei, ¢ sere’ espirito mentivo- © fave-o assim” (ERs 22:22). Deus per Las, catulr prevaleceris; 8 TRGUNTAS SOBRE AS AEIVIDADES DOS ANIOS us mitiu que um espirito mentiroso enganasse Acabe porque este se rebelara contra Deus. O espirito enganador influenciow os falsos pro- reray para darem ao rei uma mensagem positiva, que ele venceria a batalha em Ramote-Gileade. Lim ver disso, Acabe morreu na bata- Ua como Micaéas tinha advertido (1 Rs 22:6, 23-38). Em oud ocasides, porém, parece que anjos bons trazem cala- tidade sobre os impios. Em Génesis (9:11, anjos bons feriram os homens de Sodoma de cegueira; em Daniel 4213-26, um anjo bom inunciou o jufzo de Deus sobre 6 rei Nabucodonosor por causa do orgulho. Em 2 Reis 19:35, 6 anjo do Senhor destruiu o exército dos wsirios depois que desafiaram 0 Deus de Israel. O anjo do Senhor couse uma praga sobre Israel depois que Davi pecou ao fazer um censo ilegitimo do seu exercito (2 Sm 24:16). Un anjo de Deus feria Herodes com uma enfermidade no estdmago porque cle nao dew sloria a Deus depois que 0 povo clamou: “E voz de um deus, ¢ nao de (Ac 12:21-23). Em outros casos, nao fica claro se os anjos cram bons ou maus. homeny Far exemplo, o Senhor enviow uma “legiéo de anjos portadores de auales” contra o Egito (SU-78:49), Semelhantes aos galanhocos de socalipse 9, uma legido de anjos destréi aqueles que nao possuem rete marea na fronce em Ezequiel 9:1-11."* O texto de 1 Corin- sos 10:10 diz. que os israclitas que murmuraram contra Deus foram nyortas pelo “anjo destruidor”. Semelhantemente, os Rolos do Mar \forto descrevem uma classe de anjos conhecidos como anjos des- saridores que setvem a Belial — outro nome para Satands (1 QM 15:12; 14:30), mas em outras passagens os anjos da destruigao ser vem ao Senhor (1 Qs 4.12; CD 2.6; compare com Testamento de Vufiali 8:6; Pseudo-Filo 15.5). Desse modo, vemos que Deus parece usar tanto os anjos bons somo os maus para caviar calamidade sobre os impios. Aparente- mente, os anjos caidas desejam causar dano a humanidade, por isso. ss vezes Deus permite que 0s anjos do mal ataquem os injustes, mas os. Como no orden que os anjos bons tragam juizo sobre os pervers coo de Davi, Deus tambén traz juizo sobre os justos quando come- tem pecados graves. Deus também pode permitir que os justos sejam " Ph Gey Pe oar WatOS, DEMONIOS E BATALIA ESPIRIFOAL witout por damenion pura que até deles seja testada (J 1-2). En- Heointe. oe Tcatunes prceem nunca indicar que anjos bons trazem Calitics sobte os piistos que esto cumprindo fielmente a vontade dle Deus Prrcunra 21 Qual foi a participagaéo dos anjos na vida de Cristo? a Os anjos tiveram participagao na vida de Cristo durante todo o scu ministério, Desempenharam quatro papéis importantes: (1) fazer anunciagées, (2) proteger os filhos de Deus, (3) ministrar par: c (4) auxiliar o Scnhor nas atividades dos tiltimos dias.* Primeiro, os anjos anunciaram eventos especiais na vida e no ministério de Jesus. Gabriel anunciou 0 nascimento dele & Virgem Maria (Le 1226-38). Um “anjo do Senhor” instruiu José a colocar no filho o nome “Jesus” (Mt 1:18-25; compare com Le 2:21). Anjos anunciaram © nascimento do Messias aos pastores (Lc 2:8-13). O anjo Gabriel anunciou o nascimento de Joao Batista, precursor de Jesus, a Zacarias (Le 1:11-20). Os anjos anunciaram a ressurreicao de Cristo em todos os Evangelhos (Mc 28:2-7; Mc 16:5; Le 24:4-7; Jo 20:1 1-12). Segundo, os anjos protegeram e ditigitam as pessoas ligadas \ vida de Cristo. Um anjo alertou José em sonho para fugir para 0 Egito ances de o rei Herodes mandar matar todas as criangas com menos de dois anos n a José que era seguro voltar para a Palestina (Me 2:19-21). Quando Cristo foi preso, declarou que havia mais de 12 legidies de anjos envia- Cristo a regiao (Mt 2:13). Os anjos também disseram dos pelo Pai A sua disposicao para the proporcionar protecao celestial (Mi 26:53). lerceiro, os anjos ministraram para C isto fortalecendo-o ¢ en- corajando-o. Depois que ele foi tentado por Satands, tendo jejuado no, deserto por 40 dias, os anjos vieram ¢ o serviram (Mc 4:11; Mc 1:13). Podens terthe providenciado alimento, como os corvos alimentaram Hias no deserto depois de ter sido perseguido pela rainha Jezabel PURGLINTAS SOBRE AS ATIVIDADES DOS ANTOS 45 (1 Rs 19:5-8), A proviséo angelical de Deus contrastou com a suges- tio do diabo para que Jesus saltasse do pindculo do templo para que os anjos o protegessem (Mr 4:5-6). Um anjo também confortou Je- sus enquanto ele orava no jardim do Getsémani (Lc 22:43). Finalmente, os anjos acompanharao Cristo em sua Segunda Vinda (Mt 25:31; Mc 13:26; 14:62). Eles reunirao os eleitos em Cristo (Mc 24:31; Mc 13:27), separarao os justos dos injustos (Mc 13:36-42; compare com Ap 14:14-20), executar (Mt 16:27; Mc 8:38) e se sentardo para julgar juntamente com Cri (o (Mc 8:38; Le 9:26; 12:8-9). Esta ultima atividade pode indicar a atribuigao especial do “tribunal” celestial dos “anjos eleitos” mencio- nado em 1 Timéteo 5:21. As obras dos anjos na vida e no ministério de Cristo refletem as atividades deles no Antigo Testamento. Por exemplo, 0 anjo do Se- nhor anunciou nascimentos (Gn 16:11; Jz 13:3-5). Entretanto, ne- nhum anjo no Antigo Testamento teve 0 privilégio de anunciar o hascimento do filho de uma virgem ou sua ressutreigao dentre os » 0 juizo sobre os impios mortos. Nos Evangelhos, a fungao dos anjos centraliza-se na pessoa de Cristo.*" A tarefa principal dos anjos no Novo Testamento € levar adiante o reino de Deus por causa de Jesus Cristo. =e PeRGUNTA 22 <= «Os anjos sabem quando ser a segunda vinda de Cristo? Cristo esta voltando antes do que vocés imaginam, Na verdade, Miguel ja esta se preparando para tocar a trombeta a qualquer mo- mento”, estas foram as tltimas palavras ditas por um caroneiro des- conhecido que desapareceu do banco de tras do carro de um casal de cristios que viajava numa estrada deserta do Arizona.” Sera que os injos podem revelar o tempo da volta de Cristo? Definitivamente os anjos esto comprometidos em revelar men- sagens de Deus sobre o futuro (Gn 31:11-13; Ze 2:3-5; Dn 12:7-13; \p 1:1). Eles sabem detalhes de como Cristo voltara. Por exemplo, os dois anjos que apareceram aos discipulos depois da a ensao de i Mw 9 PERGUNTAS SOBRE ANJOS, DEMONTOS E BATALIIA ESPIRITUAL Joss proc limuaram: “Esse Jesus que dentre vés foi assunto ao céu, assim viedo modo como o vistes subir” (At 1:11). Jesus, porém, declitour especificamente que Deus ocultou dos seu retorno (Mt 24:36; Me 13:32). Nenhum anjo nunca revelou a anjos © tempo do ninguém a data da volta de Cristo. — >) Percunta 23 = Como 05 anjos auxiliarao Deus no final dos tempos? Embora os anjos nao saibam a data da volta de Cristo, eles desempe- nharao um papel significativo auxiliando o Senhor no final dos tem- 40 mencionados trazendo calami- pos. No livro de Apocalipse, cles dades sobre 0s fmpios. Sete anjos estardo encarregados das sete trom- betas que trario sete pragas diferentes sobre os impios (Ap 8-9). De- pois que o sexto anjo tocar sua trombeta, quatro anjos s dos “para matar um tergo da humanidade” (Ap 9:15)" Sete anjos estardo encarregados de sete a0 libera- ilices que tra rao grandes tormentos sobre a humanidade (Ap 16). Esses anjos trarao jutzo sobre os per- versos, nao sobre os justos (Ap 19:14-21; 21s 1:7; Jd 14-16, comy recom I Fyogue 90:20-27; CD 2.5-7). De fato, um anjo ordena aos quatro anjos que retém os quatro ventos que tefreiem outros casti gos até que 0 justos sejam marcados na fronte com o selo de Deus (Ap 7). Osanjos também acompanhario Cristo cm sua vinda (Mt 16:27 Le 12:8-9; Me 13:26; 14:62; Dn 7:9-10, compare | QH 335-36; 10:34-35; 1 QM 15:14), eles separarao os justos dos impios (Mt 13:39-42, 49-50; Ap 14:14-20), reunirao os eleitos em Cristo (Me 24:31; Ap 14:14-16, compare com 1 Exogue 100.4), aparente- mente também estarao encarregados de manter os registros das obras dos homens, que serio abertos no dia do juizo (In 7:10, compare com 1 Enoque 89.61-77; 90.14 Sofonias 3. 0; 2 Enoque 19:5; Apocalipse de 3 De spectaculus de Vervuliano 27). Finalmente, um anjo esti encarregado de prender Satands com uma grande corrente ¢ kang lo. no abismo onde ficaré por mil anos (Ap 20:1-3)." PE RGUNTAS SOBRE AS AFIVIDADES DOs ANJOS ‘ —) Percunia 24 Ha exemplos contempor4neos de anjos que vi- sitam humanos? ( Se servimos a um Deus que pode nos abengoar de formas extraordi- initias, € se cremos que ele é poderoso para fazer milagres na presente cra, entéo podemos cret que ocasionalmente Deus pode abeng eres humanos com visitas angelicais. Muitos cristéos contempora- © 0 testemunho sicos relatam encontros pessoais com anjos. Segue: ste dois encontros desses. Conhego pessoalmente o casal mencionado no primeiro cestemunho. Sempre é possivel dar outras explicagdes petra tais fendmenos. Mas nao devemos tentar racionalizar tudo com base numa falta de disposigio de aceitar que algo sobrenatural pode wontecer, Lronicamente, muitos cristaos estao sempre prontos a acre- sitar que qualquer encontro sobrenatural em nossos dias seja demo- ar dea Biblia relatar muito mais encontros de snjos do que com espititos malignos, Por outro lado, parece que al- vans ocultistas consideram seus encontros sobrenaturais invariavel- aLico, apes antos com eaente como angelicais, nao demoniacos. No final, o leitor deve deci- ei Jin por si proprio se cré ou nao que os dois encontros descritos a wuir sao visitas angel ais genuinas. Alguns anos atras, Benjamin ¢ Jacquie Cortez da cidade de La Puente, na Califéenia, oravam ao Senhor para adotarem uma crian- oa, Certa vez, quando visitavam uma casa de recuperagao em ‘Tijuana, no México, conheceram um garotinho que tinha um zelo incomum ivles coisas de Deus. Ele orava ¢ adorava da mesma forma que os tultos com os quais convivia, O diretor do centro permitiu que 0 incnino morasse ki porque nao tinha onde morat. Sua mae era pros- cuuta.¢ ele nao conhecia seu pai. Benji ¢ Jacquie comegaram a crer sme era a vontade de Deus que adotassem aquele mening. Entretan- vo ainda preeisavam conseguir o consentimento da mae dele. Jacquie indon pelas ruas de Tijuana buscando informagées sobre © paradeiro da mae. Parecia que ninguém a conhecia. 8 Fntie, como que surgindo do nada, um jovem alto ¢ de boa iparcncia disse que sabia onde Jacquie podia encontrar a mae. Acom- 48 179) PT ELEN TAS SOBRE ANJOS, DEMONIOS E BATALHA ESPIRIFUAL panko sare uni cascbre sujo onde se encontrava a mae do menino. Chsande Jacquie foi agradecer ao rapaz, ele tinha desaparecido. A wou os documentos que autorizavam a adogao, Mais tarde Jacquic ¢ o marido perguntaram se alguém conhecia 0 rapaz que a Ievara até aquela mae. Ninguém jamais o tinha visto nem sabia quem cra. Benjamin e Jacquie acreditam que 0 homem que os levou até a mie do garoto cra um anjo. Em janeiro de 1996, Doug McCleary, um pastor envolvido na renovagao de Toronto, escreveu um e-mail chamado “Despertamento”: mae [Em] nosso encontro bi-semanal de renovacao hoje a noite, alguns de nds ouvimos (¢ alguns “sentiram”) o coro celestial. Era a tiltima miisica do programa... (cu estava no piano...) Subitamente ouvi algo que soava como um grupo de vozes fortes afinadas ecoando: “Santo, Santo, Santo”, todos ao mesmo tempo, no ritmo da musica... Eu ndo conseguia ima- ginar quem estava cantando. Entao peguei o microfone ¢ co- mecei a acompanhar o que estava ouvindo. Perguncei: “Quem esta fazendo esse coro? Esta realmente esmerado”. Ninguém respondeu... Durante aquele tempo (talvez uns dois minu- tos), 2 atmosfera dentro do templo mudou. As pessoas come- garam a dangar, a celebrar ¢ a rejubilar-se, ¢ eu ainda ouvia as vozes... ecoando, repetindo: “Santo, Santo, Santo”. Quando terminou, perguntei & congregacao: “Alguém mais ouviu aqui- Jo?”. Varias pessoas levantaram a mao, até 0 guitarrista, que afirmou que ouviu as vozes, percorreu a congrega olhos e percebeu que ninguém estava cantando. $6 podiam ser anjos. 10 Com os > PERGUNTA 25 Qual uma boa maneira de nos lembrar das ati- vidades dos anjos? — Vocé jad se perguntou 0 que os anjos fazem durante o dia todo? ‘Toms de Aquino acreditava que 0s anjos dos escaloes ma aqueles dos escaldes mais baixos. Uma vez que os anjos mais elevados s altos iluminam PERCUNTAY SOBRE AS ATIVIDADES DOS ANJOS a estao mais proximos de Deus, recebem conhecimento que podem (ransmitir para os outros de menor nivel (Suma Contra os Gentios 106.1-3). Mais importante para 0 nosso propésito, William Hendrickson criou um artificio mneménico que pode nos ajudar a lembrar algumas das atividades dos anjos, segundo a Biblia.’ Auriliares de Cristo (2'Ts 1:7), 0 Cabega exaltado (EF 1:21-225 Cl 2:10). Boas novas concernentes & salvagio sao trazidas por eles (Le 2:14; 24:45 AC 1115 1 Tim 3:16). Coristas celestiais (Le 15:10; 1 Co 13:1; Ap 5:1 1-12) Defensores dos filhos de Deus (S1 34:85 91:11; Dn 6:22; 10:10, 13, 20; Mt 18:10; At 5:19; 2 Ts 1:7-10; Ap 12:7) Exemplos de obediéncia (Mt 6:10; 1 Co 11:10) PERGUNTAS SOBRE Anjos Caibos ] océ gosta de filmes de terror, como O Exorcista, Sexta-feira 13 00 | Noite des Mortos Vivos? Bem, agora nas livrarias evangélicas vocé pode adquitir livros como Porcos na Sala, de Frank ¢ Ida Hammond “Unilit), por exemplo. Os leitores de “livros cristaos” podem experi- mentar os mesmos calafrios que tém quando assistem a filmes de ‘error, Sera que estamos sendo feitos de bobos para acreditar que as lorgas do mal sao mais poderosas do que a Biblia diz que so? O bem sempre prevalece sobre o mal nesses livros cristéos, mas isso também nao acontece em muitos filmes de terror? Seri que tais livros nao cnfatizam demais o poder do diabo? Tanto a cultura secular como a vist foram inundadas de um scinio mérbido pelo mal. Creio que iempo de colocarmos os demonios em seu devido lugar, discernindo o que as Pscrituras realmente ensinam sobre eles. Vamos deixar de rmos 0 assunto ade os romances de terror cristios enquanto anali ty demonologia. 82 99 PERGUNTAS SOBRE ANIOS, DEMONIOS b BATALHA ESPIRITUAL ioe) PERGUNTA 26 +, Os deménios existem de fato? A questao dos deménios deixa muita gente incomodada. Alguns pen- sadores modernos negam a existéncia dos demdnios, enquanto ou- tros tentam dar-thes outtas explicagoes. O tedlogo recente Rudolf Bulemann reservou os deménios para a mitologia. Ele afirmava que “é impossivel utilizar a energia elécrica, o controle remoto submetermo- nos as modernas técnicas da medicina ¢ ao mesmo tempo acreditar no mundo de deménios ¢ espiritos do Novo Testamento”.! O ocultismo dos séculos XIX e XX, contudo, da a entender outra coisa. Por que tantas pessoas rém interesse por satanismo, bruxaria, espiritismo € muitas outras atividades ocultistas? O fato é que atualmente muitos praticantes do ocultismo estao encon- trando um verdadeiro poder nessas praticas — esto experimentando algo genuino. Este poder yem daquilo que a Biblia define como de- moniaco. Durante toda a histéria s poltergeis 34). Alguns relatos foram desmas nao todos. Eu mesmo certa vez tive uma experiéncia dessas. Senti como se estivesse sendo atacado por uma forga hostil ¢ invisivel — aquilo que a Biblia chama de deménio.” mpre houve relatos comprovados de ou atividades de “assombragoes” (veja também a resposta arados como fraudulentos, mas E quanto ao confronto de Jesus Cristo com deménios? Seré que estava apenas dando um espeticulo? Os possessos de deménio sabiam que ele era o Filho de Deus (Me 8:28-29; Me 1:24, 34; 3:11-12). Isso demonstra que inteligéncias espirituais superiores, capares de reconhecer quem Jests cra, possuia aquclas pessoas. S. E. McClelland explica que de acordo com alguns tedlogos, com uma certa predispo- siggo contra o sobrenatural, os confrontos de Jesus com deménios “representavam apenas a acomodagio dele as crengas dos campone- ses palestinos da época, de nenhuma maneira refletindo sua propria opiniao quanto as causas das afligdes dos individuos”.’ Em outras palavras, por causa das multidées supersticiosas que acreditavam em deménios, Jesus fingia também crer neles ¢ agia de acordo. 1 Ys SOBRE ANION CAIDOS: uM Negar os deménios é desacreditar a mensagem do evangelho, sons fests afirmava que o seu poder sobre os demdnios era um sinal 4 que o reino de Deus tinha chegado (Mt 12:28; Le 11:20).4 Até os os de Jesus afirmavam que ele expulsava deménios. Todavia, riccavam que ele fazia isso pelo poder de outro deménio (Mc 3:22; ly 12:24). Fontes da antiguidade judaica ¢ greco-romana confir- sum nim que Jesus € seus discfpulos eram conhecidos como magos- ucistas.” Algumas tradiges judaicas antigas, por exemplo, afirma- nt que “Jesus de Nazaré... praticava magia, seduz povo de Israel” (6. Sinédrio 43a. compare com 107b). Origenes es- ia e desviava 0 “seveut a respeito de um anticristéo: “Celsus afirma que € pelo nome te certos demdnios, ¢ pelo uso de encantamentos, que os cristaos murccem possuir poderes [miraculosos]; referindo-se, suponho, a pra- ca daqueles que expulsam espititos por meio de encantamentos” intra Celsus 1.6), Jesus tinha tamanha reputaga » de exorcista que fnesmo Os NAO-cristaos tentavam exorcizar em seu nome (7éstamento ic Saloméo 6.8; 22.20; Papyrus Graece Magicae 4.1234; Contra Cekus 2.49, compare com Le 9:49; At 19:13).° Seria agradavel acteditar que os deménios nao existem ¢ que Lo jamais poderiam nos perturbar ou influenciar, assim como seria bom ceditar que no existe mal no mundo. Entretanto, a realidade das sirocidades humanas testemunha da realidade da impiedade. A sin- ese da impiedade repousa nos poderes demoniacos. Mesmo 0 psicé- ogo C. G. Jung, ele proprio envolvido em ocultismo, admite 0 se- suinte com relagao aos demonios: © homem, que aparentemente havia triunfado sobre o demonismo da natureza, involuntariamente se absorveu den- tro de sie assim tornou-se marionete do diabo... quando esses produtoy [os fatores demoniacos da psique] foram considera- dos inteais ¢ ilusérios, suas fonces de forma alguma foram blo- queadas ou se tornaram inoperantes. Pelo contririo, depois que ficou impossivel para os deménios habitarem nas rochas, arvores, montanhas ¢ nos rios, eles utilizaram seres hurmanos como habitagdes muito mais perigosas. se SP) PECTIN TAS SOBRE ANIOS, BEMONIOS F RAALIA ESPIRITUAL Perc ra 27 Quais os conceitos usados nas Escrituras para descrever os deménios? A palavra grega para deménio é daimonion (Mt 7:22; 9:34; Me 1:34; Ap 9:20). Este termo € unili: imundo ou espitito maligno, dependendo da versio do Novo ‘lesta- mento. Hé varios conceitos biblicos associados & palavra deménio. 1, Deménios como daimon.Originalmente os gregos entendiam i palavra ditimon referindo-se a poderes sobrenaturais que serviam coma ado para conceitos como diabo, espirito es ¢ os homens € intermediarios entre os deus upervisionavam o cu mos (Symiposion de Plato, 2026; Opera et Dies, de Hestodo, 122). Essas forga das ao destino A protegio. Os gregos em geral as consideravam esp(- al.” No Novo ga do Antigo ‘Lesta- is podiam ser boas ou mas ¢ freqiientemente eram associa- ritos de mortos ‘Testamento e na Septuaginta (LXX, a versio gr 10s quais era concedido poder sobrenatu mento) os demdnios sao chamados de daimonion ou daimonia, em ver da palayra grega ckissica daimon. Aparentemente, 0s escritores béblicos transformaram a palavra para enfatizar a idéia de que os de monios eram totalmente impios. Nao sao as criaturas ou as sombras benignas encontradas na literatura grega. Apesar disso, Mateus usa a palavra dzimon para relerit-se ao(s) dembnio(s) chamado(s) Legiao que Jesus confrontou (Mt 8:31). 2. Os deménios como os deuses dos idélatas. A Biblia vewrata os (Dt 32:17; SL106:37; X; Is 13:21; 34:12; so, os demdnios nao eram literalmente deuses. deménios como “deuses” adorados pelos idélatr: 1 Co 10:20-21, compare com S1.91:6; 96:5 LX 65:3, 11). Apes Paulo afirma que existe apenas um Deus por nacureza (GI 4:8) ¢ ar di aqueles que praticam a idolatria esto tendo comunhao com dems- nios (I Co 8:1-5, compare com 10:20-21). A palavra hebraica para esses demonios € sedim (Dt 32:17: SI 106:37)."" Na literatura babilonica as vezes os sedi sao hostis, as veres protetores. Talvez durante © period em que Isracl caiu na idola tria, tenha exaltado os sedim como deuses, mas depois os istaclitas re- conheceram que estes cram espiritos maus quando se arrependeram.” SOBRE ANION CMDS 3 Os deméonios como o reine das trevas. Nao deveria ser surpresa nia demoénios se relacionam com o “reino das trevas” (Le 22:53; © yO: 14s EF 6:12; Cl 1212-13). Nesses contextos, trevas represen- » tulsidade, pecado ¢ impureza, em contraste com a luz, que signi- » verdade, santidade € pureza (compare Jo 3:19-21; Rm 13:12: x45; 1 Jo 1:5-7). Nos Pergaminhos do Mar Morto, duas for- + tam uma contra a outta. Os filhos da lu guerreiam contra os vos filhos das trevas CL QM 11-16; 3.695 1310-10: bL17s Fe TQS 3.18). 1 Os deminios como sirim. Os stirim (da rain stin “bode”) as os cram chamados de “peludos”. No Antigo ‘Testamento, a Nova bao tneernacional da Biblia (ainda nao cotalmente disponivel em Higués) traduz esse termo como “idolos bodes” (Ly 17:7). Geral- bite eram associados aos sitiros da mitologia, que se pareciam com tous grego Pan (2 Cr 11:15 KJV). A Biblia os descreve como ani- vos selvagens que viviam nay ruinas abandonadas dos desertos 16.215 34:14, compare com |r 50:39; Ap 18:2).!" O tei ferobodo sa uma tendéncia idélatra no reino do Norte quando nomeou rdotes para liderar 0 culeo aos stiri (2. Cr 11:15). 5. Os deménios como lilit. Numa passagem do Antigo Festamen- »demonio flit €é mencionado como a “ruxa da noite” em algu- v tradugdes em inglés (Is 34:14 RSV}. Nao sabemos se Isafas en- sia /ilit como um demdnio ou apenas como um animal do deser- >A palavra dilft pode ter vindo da Babilénia, onde se releria a um taonio das tempestades, relacionado aos ventos.!" As vezes lilit & ' Nas antigas tradigdes hy Oriente Medio, flft atacava as mulheres grividas no momento do 'scrita como “lantasma feminino da noite”. vaito, Digia-se que queria devorar as criangas, assim como Satansis tava devorar o menino recém-nascide em Apocalipse 12:1-3 (com pre com esiamento de Salomio 4:\-2; 131-3). A wadigao judaica suatizava Zilit como um satiro com cabelos longos € asas, que con bia crianeas demoniacay € tentava seqiiestrar os homens durante 6 Visto que temo um entendimento limitado de como os antores + Antigo ‘lestamento interpretavam alguns termos que acihames 56 INTAS SOBRE ANJOS, DPMONIOS # BATALHA ESPIRITUAL de examinar, devemos evitar 0 dogmatismo. Ainda que seja verdade que as culturas antigas € as tradicées judaicas mais recentes associa- vam os sedim, stirim e lilit a deménios, podemos apenas conjecturar que os autores dos livros biblicos entendiam esses termos da mesma maneira que nds. Fica claro que os deménios séo chamados de daimonion no Novo Testamento e que séo nitidamente a fonte por tras de varias praticas malignas. Y~ PERGUNTA 28 —s Que sido deménios? A Biblia afirma que os deménios s4o anjos cafdos perversos que tra- balham ao lado de Satands (Ap 12:7; Jd 6, compare com Mt 25:41).”” Entao, por natureza, os deménios sao seres sobrenaturais como os anjos, de forma que se pode esperar que tenham os mesmos atribu- tos que os outros anjos. A diferenca fundamental entre anjos e de- médnios esté no carater: os demdnios sdo perversos € os anjos siéo bons. Em outras palavras, os deménios trabalham para 0 reino de Satands, cujo objetivo ¢ destruir o povo de Deus. Agora examinare- mos mais detidamente a natureza e os atributos dos deménios. 1. Os deménios sao espiritos. Como os anjos, os deménios sao seres desprovidos de matéria.'"* A Biblia declara que os cristaos nao lutam contra a carne € © sangue, mas contra potestades espirituais (Ef 6:11-12). Jesus disse que quando um deménio ¢ expulso de uma pessoa, busca outra habitagao. Isto implica que os demdnios podem ser espiritos sem corpo (Le 11:24-26). Sao chamados de espititos (pneuma) em varias passagens (por exemplo, 1 Sm 16:14; Mt 8:16; Mc 1:23; Mc 9:17-25; 1 Jo 4:1, compare com / Enoque 15:10-12; Jubileu 10:5-8; 11:5; Testamento de Da 6:1). Porém nao devemos atribuir um deménio a todas as passagens biblicas em que aparece a palavra espirito. Além do Espirito Santo, do espirito humano, ¢ dos espititos imundos, ha muitas passagens que mencionam a palavra espirito referindo-se a uma atitude, uma influéncia, uma mentalida- de ou disposigao (Mt 5:3; 2 Tm 1:7 ARC). 2. Os deménios sito seres pessoais. Os demOnios nio sto forgas impessoais. Toda vex que catéstrofes naturais como tornados ou Fer IAS SOBRE ANJOS CAmDOS . nidagdes destroem a vida e as propriedades, nao devemos caracte- ‘isa tais forgas como deménios. Estes sao seres pessoais com intelec- » cmogdes ¢ vontade. Primeiro, os deménios tém intelecto.Eles sa- han que Jesus € 0 Filho de Deus (Mc 1:24, 34; 5:6). Os deménios podem influenciar as pessoas a receber doutrinas enganadoras que as lem desviar da verdade (1 Tm 4:1-6; Jo 4:1-4). Uma jovem escrava cnha um “espirito de adivinhagao” (Piton); esse nome do espirito jovavelmente indicava a reivindicagao de seus proprietdrios de que +. profecias dela eram tao boas quanto as de Piton ou do deus Apolo ‘Oriculo de Delfos)."? O deménio que a possufa lhe dava poderes linitados de telepatia e de premonigao (At 16:16-18). Segundo, os deménios tém emogées. As Escrituras muitas vezes suthuem medo aos deménios. A Biblia diz que eles tremem diante 2» Li presenga de Deus (Tg 2:19) ¢ temem Jesus. Um endemoninhado, vo ver Jesus, “gritou” e implorou para nao ser atormentado (Lc 8:28). vatands € descrito como furiosamente irado ao ser expulso do céu Mp 12:12). lerceiro, os deménios tém autodeterminagdo. Quando Cristo onfrontou a legiio de deménios, eles preferiram entrar nos porcos a rem langados no abismo (Le 8:31-32). Os anjos cairam porque rwolheram desobedecer a Deus (Jd 6). 3. Os deménios sto maus. As veres eles sao chamados também de espiritos malignos” (1 Sm 16:14; Mc 12:43; At 19:12-13, compare sum Jubilew 10:3-13; 11:4). Bles tém comportamentos pecamino- os, como mentir (1 Tm 4:1-5; Jo 8:44), mas principalmente sio -onsiderados maus porque afastam-se de tudo o que é bom ¢ tém com 2:15; Ef 6:11-12), Isso implica que em algum ponto entre o designio original da criagdo ¢ a morte de Cristo, algo deu errado. As fag, incluindo os poderes 4 volsas na cl invisiveis, tinham- ngelicais se desviado. Finalmente, 0 destino final dos deménios no inferno irgumenra que de algum modo eles agoes (Mr 25:46). Evidentemente certos espiritos se desviaram do plano original de Deus para eles. Leoria 2: Os deménios catram junto com Satanis nos primérdios da io culpados por sua vrtagdo. Se a primeira teoria parece um tanto indigesta, cis outra: Deus originalmente criou todos os anjos bons, mas expulsou um erupo deles do céu por se terem rebelado contra ele. Eles agora asso- o de Deus — a huma- lant a terra, tentando destruir a coroa da criags nidade, Esta visio normalmente supde que os demdnios cairam jun- concernentes a natureza 1 com Satands, Embora haja varias teori xata do pecado de Satands, poucas tentativas jé foram feitas para ntender por que alguns anjos decidiram segui-to, Na literatura judaica antiga, 0 diabo e seus anjos se exaltaram ’ Enoque 29:4) ¢ se recusaram a adorar Adao quando Deus 0s in- umbiu dessa tarefa (Apaculipse de Sedrach 5; Vida de Adio e Eva 1,116.4). No segundo dia da criagao, “Sataniel”, aparentemente inv areanjo, caiu das alturas com os anjos sob scu comando (2 Eno- rue 29, 69). Semelhantemente, alguns cristios da Igreja primitiva -nsinavam que uma vez que os anjos néo tém uma nacureza carnal pecaminosa, 0 pecado dos anjos caidos foi espiritual, envolvendo or- culho ¢ inveja contra Deus. Os deménios pecaram voluntariamente ho momento em que foram criados ou na queda de Satands. O diabo cduviut muitos anjos de escalées inferiores (Tomas de Aquino, Suma «patra os Gentios, 63.1-9, compare com Didlogo com Trifo, 0 Juden, de Justine Martir 141). A tinica passagem biblica que dé a entender que os anjos cairam dessa maneira é Apocalipse 12:9: Satands caiu depois de guerrear contra oareanjo Miguel, © seus anjos cairam junto com ele, Alguns estudio- os alegam que este evento faz alu mas outros afirmam que Apocalipse 12 se cumpriré em alguma data vo festuco (compare com Ap 4:1; 12:12)! De qualquer maneira, jo a queda original dos deménios, 60 99 PERGUNTAS SOBRE ANTOS, DEMONTOS F RATALHA ESPIRETUAL passagem nao nos diz por que os anjos decidiram rebelar-se. Ambas as interpretagdes s4o possiveis, mas em minha opinido nenhuma das duas é adequada. No contexto de Apocalipse 12 a queda dess anjos significa a vit6ria de Cristo sobre as forgas das trevas por meio de sua vida, morte, ressurreigao ¢ 0 (Ap 12:5-12, compare com Le 10:17-18). A primeira vinda de Cristo inaugurou o estabele- cimento do Reino de Deus na terra ¢ assim nos introduz numa uma nova era escatoldgica (ou os tltimos dias, Mc 12:28; At 2:17-23). Em Apocalipse 12, a expulsio dos anjos retrata um acontecimento ns celeste que aponta para a vitéria de Cristo na cruz, ¢ possui implica- gGes atuais © futuras. A idéia de anjos escolhendo cair junto com Satands é atraente porque confirma que Deus é bom e originalmente criou todas as coisas boas. Para ser coerente com o registro de Génesis, esta aborda- gem implica que em algum ponto entre 0 sexto dia da criagio (Gn. 1:31) ea seducao de Eva (Gn 3) 08 anjos cairam porque livremente esco- Iheram pecar contra Deus. Entretanto, tudo o que a Biblia nos per- mite coneluir & que havia um anjo caido durante o tempo de Adio € Eva —a Serpente, geralmente interpretada como Satands. Teoria 3: Os deminios sao os espiritos dos “filhos de Deus” que cai- ram em pecado em Génesis 6, ou os espiritos dos seus descendentes, os “gigantes”, ow ambos. Muitas eviden: “filhos de Deus” eram anjos caidos. No livro de Jé, quando os filhos de Deus se apresentam diante dele, Satands estd entre os seres celestiais (6 1: “filhos de Deus” em Deuteronémio 32:8 (LXX) muito provavelmente se refere a anjos. Além disso, 0 “filho de Deus” ou 0 “filho dos deu- jas sustentam a idéia de que os ; 2:1; 38:7). Ja observamos anteriormente que a expresso ses” é interpretado como anjos, mesmo pelos gentios (Dn 3:25). Esta teoria afirma que os filhos de Deus manifestaram-se no mundo fisico € pecaram tendo telagdes sexuais com mulheres humanas. Conse- qiientemente, foram destruidos no dilivio. Eles, ou seus descenden- tes, os “gigantes”, agora so espiritos sem corpo € perversos que va gueiam pelo mundo buscando corpos para habitar (J. Enogue 15:8; 16:15 19:1; Segunda Apologia de Justino Mactir 5, 10). (Voltaremos a esse assunto nas prdximas respostas.) URIS SOBRE ANFOS CAIDOS a Porém nao fica claro que os anjos mencionados em Génesis 6 mari toda a espécie dos seres que agora chamamos de deméni- os, Se assim for, provavelmente alguns desses deménios foram amar- sulos ¢ banidos para o Tartaro (termo usado pelos gregos para desig- aro inferno) até o dia do julgamento, enquanto outros perma- necem livres para gerar a destruigdo (2 Pe 2:4; Jd 6, compare com F< $31; Ap 9:1; 1 Pe 3:19-21).° Outra alternativa seria que os anjos ‘jue pecaram em Génesis 6 pertenciam a uma classe separada de an- roy caidos que agora estdo presos ¢ julgados. Entao teriamos um gru- jo de anjos que provavelmente caitam com Satans no sexto dia da “agi, que ainda estao livres, ¢ um segundo grupo de anjos que cafram im Genesis 6, que ja foram punidos e aprisionados no Tértaro, ~ Percunta 30 <7, Quem sio os “filhos de Deus” mencionados em Génesis 6? Inés opinides competem para sera interpretagao mais accita de Génesis 4:14: “Como se foram multiplicando os homens na terra, e lhes nasceram filhas, vendo os filhos de Deus que as filhas dos homens cram formosas, tomaram para si mulheres, as que, entre todas, mais ihes agradaram. Entao disse 0 Senhor: ‘O meu Espirito nao agird para sempre no homem, pois este é carnal; ¢ os scus dias serao de cento ¢ vinte anos’, Ora, naquele tempo havia gigantes na terra; ¢ rambem depois, quando os filhos de Deus possuiram as filhas dos homens, as quais Ihes deram filhos; estes foram valentes [gibborim I'M, gigantes LXX], vardes de renome, na antiguidade”. Visdo 1: A expresso “filhos de Deus” refere-se a linhagem piedosa dle Sete. t Sete, terceiro filho de Adao (Gn sea linhagem de Caim, aquele que assassinou 0 proprio irmao, Abel (Gn 4). Em outras palavras, a passagem relata a mistura da linhagem piedosa de Sete com a linhagem perversa de Caim. Essas unides pro- sta visio afirma que os “filhos de Deus” eram os filhos de -4). “Filhas dos homens” refere- duzitam homens extremamente perversos; por isso, Deus mandou o dilivio para destruir a todos, exceto Nog ¢ sua familia (Gn 6:5-22). 6. PEPE. TAS SOMRE ANIOS, DEMONIOS F RAPALA ESPIRITUA: Os delensores desta visto tém muita dificuldade para encontrar ovidencias que a comprovem, Nao ha uma boa razao para acharmos que as “lithay dos homens” sejam descendentes de Caim. Nas Es- es filhos de Deus passagens nao se crttutas, ceetos homens 40 considerados as ve (Dt Fist, compare com Ex 4:22; Os 1:10), mas relerem aos filhos de Sete, referem-se, sim, aos filhos cleitos de Israel.” Nao encontramos evidéncias biblicas que déem base a idéia de que os filhos de Sete eram considerados filhos de Deus. Esta inter- pretagio pressupde que “o que Genesis 6 realmente quer dizer é que aram-se com ‘as filhas de outros ho- ‘os filhos de alguns homens’ cz ’... Isso se faz mais implausivel pelo versiculo 1, em que ‘ho- ”8 A interpretago de que os filhos de Deus sao os filhos de Sete parece ser um argumento especial- mens men’ se refere a toda a humanidade. mente concebido para evitar a conclusio desagradavel de que os fi thos de Deus eram de fato anjo: Visao 2- “Filhos de Deus” refere-se aos gouernantes reais. Esta v go “filhos de Deus” &¢ sto encialmente outra forma supde que a expre para a palavea governantes. Em alguns lugases a Biblia refere-se aos 3 89:19; 2 Sm 7:14; 1 Cr 17:13; 22:10). Culturas antigas do Oriente Médio muitas vezes se referiam reis como filhos de Deus (SI 2 A realeza como descendentes dos deuses, principalmente no Egito.” ssim, Génesis 6:2 significa que os governantes da terra aparente- mente acrescentavam ao seu harém qualquer mulher que desejassem dentre as “filhas dos homens”. Yo 0. O texto enfatiza que as relagdes em Ganesis 6:2 e 6:4 eram perversas (compare com 6:3, 5). Nao esti claro, contudo, por que Deus abominaria essa poligamia a ha problemas com essa vis ponto de destruir toda a terra com o dikivio, Muito tempo depois do diltivio, os israclitas praticaram a poligamia sem cair no desagrado de Deus. O proprio Jacé tinha varias esposas, bem como o rei Davi. Logo. a visio dessa poligamia real parece ter sido concebida pela his- a posterior. Gordon Wenham observa: “A interpretagao ida na exegese hebraica por volta do ulo 11 d.C., em parte, ao que parece, devido & conviccao de que anjos nao poderiam praticar rel ria judaic real (de Gn 6.2] foi introduz meio do jes sextiais ¢ em parte para suprimir especulacées sobre eles”. FAS SOBRE ANTOS CAIDOS us Visio 3, “Fithos de Deus” refere-se aos anjos caidos, Por mais estra- sis que possa parecer, esta visto é a que possui mais evidencias a seu cor, Primeiro, a Biblia da base & nogéo dos anjos como “filhos de “ou “filhos dos deuses” (J6 1:6; 2:1; 38:7; Dt 32:8 LXX; vty 4:25), No livro de Judas eles sao 0s anjos caidos que “abandon: a oseu proprio domicilio, cle [o Senhor} tem guardado sob trevas, v4 alyemas eternas, para o juizo do grande dia” (Jd 6; compare com Peta. Ju cita uma passagem de / Knoque Jd 11), conticman- vajuc uma de suas fontes era essa tradigae judaica particular, Em J angue, anjos chamados de Vigilantes cobigaram as mulheres bo- vas da terra. O lider era Semy. 2, € 200 anjos vieram com ele para a oa, Entre out coisas, ensinaram encantamentos magicos aos se- humanos e tiveram relagoes 8 ssuais com as mulheres para se produ- sem numa raga de gigantes (1 Enoque 6:1-16:4; 54:6, compare com ! woque 18). Esta visto é fortalecida pelo fato de muitas fontes an- I ts apoiarem essa relagio sextial entre anjos € seres humanos, Pri recita, muitas outras tradigdes judaicas confirmam a mesma histéria © Gigantibus 6-7, 16, 60 de Filo, Antiguidades dos Judeus 3.1 de clo: Jrbilew 5.1 $s. 721-22; 10.3-5; 2 Apocalipse de Barnque 50:1; 6 2 Bnoque 7A sss Testamento de Ruben 5.6-7) bem como antigas itigdes cristas (Sedbre 0 iu das Vingens 1 de ‘Vercutianos Content \ureide 5.85 Sobre Oracdo 22; Pacdagogus 3 de Clemente de Mexandria; Cartas de Paulinus de Nola 23). Os Rolos do Mar Morto também interpretam os “filhos de Deus” smo anjos, descritos como os “Filhos do Céu”, “Santos” ¢ os “Vigi- Unies Celestiais”, que cafram do seu estado celeste“! Além disso, uituras antigas do Oriente Médio, como as descritas em textos io rnariticos, referem-se aos “filhos de Deus” como membros do pant living, iuldia semelhance ao antigo conceico judaico dos anjos diante in concilio de Deus (Jb 1-2). Segundo, entender os filhos de Deus como anjos ajuda a expli Sos OS Casamentos 1 por que os israclitas teriam considerado perv ticuicionados em Genesis 6, Relagdes sexuais entre anjos ¢ seres hu- tuatios teria sido algo semethance as unices sexuais entre deuses hnmanos, comuns na mitologia greco-romana, Essas relagdes mistas 64 979 Gh WECLEAS SOMRE ANTOS, DEMONIOS BATALHA ESPIRITUAL sem dtividi tern ide contra a nogao israelita de que santidade exige sepatag.to, orden ¢ integridade. A lei de Moisés proibia toda mistura dle dias substncias sem relagao uma com a outra (Ly 19:19; 20:16; De 725; 209-91). lcreciro, a identificagao dos filhos de Deus como anjos também se adapta bem a tradigao judaica de que o pecado dos anjos tinha que ver com cobiga. Com relagao a Génesis 6:2, Gordon Wenham escteve: A seqiténcia de “viram... formosas... tomaram” [em Gn 6:2] faz um paralelo muito préximo dos termos empregados em Génesis 3:6 [a tentagao de Eva no Eden], e dé a entender a pecaminosidade da acao dos filhos de Deus. Quando a mu- Iher [Eva] viu ¢ tomou [o fruto], ultrapassou um limite est: belecido pelo Senhor. A esséncia do pecado de Adao foi aquie cer com a transgressio da mulher comendo 0 fruto que ela the deu. Aqui a falta das filhas dos homens provavelmente foi terem consentido em ter relagao sexual com “os filhos dos deu- ses”. Também se deve ter em mente que os pais das jovens deveriam também ser implicados, pois, se nao houve estu pro nem sedugao, seria preciso a aprovagao deles para essas unides.** Dadas as opinides populares ¢ as teorias da época, parece que os Icitores originais da Biblia, juntamente com os apéstolos, provavel- mente entendiam os “filhos de Deus” em Génesis 6 como anjos cai- dos. Com certeza esta visdo abre a caixa de Pandora. Como explicar a declaragao de Jesus em Mateus 22:30 de que os anjos nao se casam, implicando que si assexuados? O que isso realmente significa? Sig- nifica que os anjos nao podem se casar porque por natureza é impos- sivel para eles? Ou significa que nao se casam para nao violar os limi- tes estabelecidos por Deus para eles? Se a tiltima op¢ao for a correta, adapta-se bem 3 idéia de Judas 6, Na alusio de Judas a Génesi 6, os anjos parecem ter violado © padrao de Deus abandonando a disposi- do apropriada de nao se casar. Mesmo que 0s anjos nao pudessem se casar durante a época de Cristo, i so nao significaria necessariamente HURUINTAS SOBRE ANJOS CAIDOS oe «jue todas as classes de anjos, bons ou maus, nunca foram capazes de dos. Ha um segundo problema com a visio dos filhos de Deus como mente ocorreu na da humanidade, como podemos crer que anjos tiveram rela- vcs com mulheres e tiveram descendentes? Deveriamos considerar « relate como ficticio? A idéia de que os deuses tinham relagdes sexuais © casar em tempos pa: inyos: se aceitamos que o relato de Génesis re: histor om os humanos estava presente em muitas culturas antigas.*' Na sitologia grega, (ais lendas so abundantes. Se todas as lendas forem upenas ficgdo, por que aparecem com tanta insisténcia nas culturas? lendas sobre uma grande inundagao presentes em virias culturas diferentes dao credibilidade ao dilivio de Noé, por cremos que as uc nao podemos dizer o mesmo das lendas sobre os “filhos de Deus”? Pade ser que a idéia de anjos tendo relagées sexuais com seres huma- nes viole 6 racionalismo da nossa mentalidade moderna. Entao, por que tant S pes: jue alguns deles comeram com Abraao em Geénesis 18:2-22? Ou, continuam acreditando que os anjos sao espiritos se refere a cas bo qhe unto, por que tantos cristdos continuam « teditando no nascimento virginal? A verdadeira questdo, entao, é «citamos Génesis 6:1-5 como um evento sobrenatural inexplicavel. Se os anjos realmente se manifestavam em forma humana, como onseguiram duplicar a estrutura do DNA humano para poderem sei descendentes? (se de fato nossa atual compreensao da estrutura lamana estiver correta). Mesmo que os anjos sejam seres sobrenatu- ‘ats ¢ inteligentes bastante para fazer isso, criar vida humana parece «um trabalho reservado unicamente a Deus. Lalvez a melhor explic. nham de uma tradigao judaica ¢ da Igreja primitiva, as quais dao a niender que os filhos de Deus viram a impiedade dos humanos e ) antiga para essas relagGes sexuais ve- pediram a Deus que thes desse corpos para que pudessem vir & terra para ensinar aos homens leis e moral. [sso aconteceu durante 0 tem- po de Jerede, filho de Maalaleel (Gn 5:17-18). Por isso Maalaleel -atacou no filho o nome de Jerede, que significa “descida”. Foi nesse + mpo que os anjos desceram a terra, vindos do eéu. Porém, depois sjuc receberam corpos humanos, cairam na mesma paixao de todos 66 oy Fo SORE ANION, DEMONIOS b RATALHA PSPIRIFUAL oy hunnanesc eaticgaram-se aos prazeres da carne, desejando mulhe- res tertenas. Scus descendentes eram homens poderosos, de poder fora do comum. Quando Deus enviou o dilivio, esses homens se tlogaram e agora sao espiritos sem corpy, ou deménios (Jubilew 4.15; Homilias 8-9 de Pseudo Clemente). Outra alternativa seria reconhe- cermos nossa ignorine a sobre esta questa. Podemos nao ter a capa cidade de descobrir uma explicagao histérica adequada para esta pas- sagem no momento. | =) Percunta 31 Por que os descendentes dos filhos de Deus sao chamados de “gigantes”? — Génesis 6 registra que os descendentes dos “filhos de Deus” eram ‘gigantes”. No hebraico, a palavra usada & vefilim (Gn 6:4-5). Se os filhos de Deus cram anjos caidos, entao esses gigantes deveriam ser parcialmente demonfacos. Entretanto, a versio King James (ARC) da Biblia ea Septuagint os chama de “gigantes”, traduzido da pala- vra grega “gigantes”. Varias possibilidades ji foram apresenta A mais provavel é que o termo hebraico nefilim derive da palavra napal, que significa “cait”. Isso implica al- gumas explicacdes possiveis para o termo “nefilim”: jas para explicar a identidade dele: [ TIPO DE QUEDA EXPLICACAO Queda Moral | Eles cairam moralmente (apostararam). Mas isso se refere mais aos seus pais, a menos que entendamos que simples- m imorais (Gn 6:5: compare com Siraque 16.7). mente os netilins er: | Nepel significa aborto, talvez dando a | entender que o nascimento deles se ori- ginou de uma relagao imoral entre seus ' | | pais ¢ mulheres tertenas (compare com i Nm 5:11-31) SULNEAS SOBRE ANTON CAIDOS 6 1 Etec « Assassinos: 1 Eles ssing-los. [sso combina o caréter tradig6es judaicas € com com a | dete | Génesis 9:6 airam” sobre outros no. sentido de “ Mortos } Eles sio os que “cairam” ou forum assa sinados. bso supoe que Deus os destruiu | completamente no diltivio (Gn 6:17, | compare com Jubilew 10.3-5; Sabedoria | de Salomao 14.6), ou cles foram os pre- | | decessores dos gigantes que posterior | | mente foram destruidos pelos israclitas (Dr 2:10-12; 3: | recom Barugue 3.26-28). 1; 2 Sm 21:16, compa lalver a combinagao de alguns desses significados dé a melhor ‘nnagem do cardter dos nefilins. A tiltima definigao leva a outras im jicagoes se comparada com Ezequiel 32:20-28. Esta passagem pode wir fazendo alusio ao texto de Génesis 6:1-4, na medida que des- rece a derrota dos grandes guerreiros (compare com Gn 10:8-9).° »* satus dos nefilins de grandes guerreiros pode ter algo que ver com » designagio deles de gigantes. Além disso, o significado da palavra clilim nos informa pouco sobre a estatura deles. Além de Géne ramos apenas uma referencia biblica vs nefilins. Quando Moisés enviow os 12 repres is 6, encont entantes das tribos para espiarem a terra de Canaa, eles yoltaram com um relatério desinimador: “a terra, pelo meio da qual passamos a espiar, é terra sac devora os seus moradores; ¢ todo 0 povo que vimos nela sto hamens de grande estatura. ‘lambém vimos ali gigantes (os filhos de aque sio descendentes de gigantes)"’, ¢ éramos aos nossos prépri- »alhos como gatanhotos, ¢ assim também o éramos aos seus olhos” ‘Nin $3:32-33). Fissa passagem relaciona os nefilins com os enaquins (“povo da tavata’) © com os refains (De 2 0-11, 20-21), todos povos de gran- Joostatura, Os guerreiros filisteus gigantescos, entre eles Golias, cram 68 9 PERCENT AS SOBRE ANJOS, DEMONTOS E RATALHA PSMIRITUAL descendentes dos refains (2 Sm 21:16-22; | Cr 20:4-8, compare com Apocalipse de Barugue 3.26). Ogue, rei de Basa, era um refaita cuja Guna ou sarcofago media quatro metros de comprimento por dois de largura (Dt 32, DES Aparcniemente uma antiga tradigao or. 1 origindria da Mesopo- tamia afirmava que os nefilins eram homens de grande estatura. Nao sabemos qual 0 verdadeiro tamanho deles, mas pode-se imaginar que alguns tinham a mesma altura de Golias (1 Sm 17:4). Como se su- bentende pelo texto de Nuimeros 13:33. 0s israelit ber da grande estatura dos nefilins antes mesmo do relato dos espias. Sempre se supée que cram verdadciros gigantes pareciam ja sa PERGUNTA 32 Os descendentes dos gigantes existem atual- mente? = Ja demonstramos que os nefilins ou gigantes, mencionados em Génesis 6, existiam antes do dilivio, Eram descendentes dos filhos de Deus ¢ de mulheres humanas. Entretanto, em Nuimeros 13:32-33 o nome deles aparece novamente. Na historia ¢ na tradigao judaicas, isso ocorreu centenas de anos depois do dikivio. Se os israelitas viram os nefilins na terra de Canaa, podemos supor que descendentes de dem6nios sobreviveram ao dihivio de Noe? Se entendemos isso como histéria real, nao significa, entao, que algumas pessoas que estao vi- fEoaete Ege aooeoe arco rr ane ECE ee ete Renan Alguns estudiosos acreditam que o dilivio foi um acontecimen- to local, afetando a regizo da Mesopotamia, nao toda a terra. Desse modo, alguns nefilins poderiam ter escapado, fugindo para regides montanhosas ou viajando de barco par: interpretagao & muito dificil de conciliar com o relato de Génes terras mais distantes.” E, is (6:17; 7:17-24), que enfatiza a universalidade das éguas do dikivio, as quais “cobriram todos os altos montes que havia debaixo do céu” (Gn 7:19), Visto que propésito de tal inundagio era eliminar a impiedade, por que Deus teria deixado que alguns nefilins es 7)" ‘apas- sem (compare Gn S SOIT ANIOS CAO, “ Uma vez que Nrimeros 13:33 é a tinica outra mengio dos nefilins © Fscrituras, devemos examind-la cuidadosamente (veja também posta 31). Josué € Calebe rel -sninda enaquita (Enaquim) vivia ali, mas nao associaram essa tribo os nefilins (Nm aram que uma raga muito forte 26-30, compare com 14:6-9), Os outros dez ; toes deram um relatério negative, mencionando os nefilins ¢ di- 2-33). Pode- cr claramente que © relatéri negative continha exageros com alo que diante deles, “eram como gafanhotos” (1 hago ao tamanho dos habitantes da terra. Se o relato inclufa infor- vioes falsas, poderiam estar mentindo quando disseram que os vaquins eram descendentes dos nefilins. Certamente, os habitantes ss rorra pode iam ser parecidos com os antigos nefilins devido a esta 1 clevada, mas nao quer dizer que eles (anaquins € refains) eram cnstmente descendentes dos nefilins. Da mesma forma, 0 especia- amento ‘Limothy Ashley escreveu: “De acordo 31-33], fica claro que o relatério da maioria dos 1s foi condenado por ser falso ¢ desprovido de fe." cus em Antigo Te no texto [Nm 1: Considerando que a mengao dos nefilins em Numeros 13:32-33 vvece tefletir uma informagao falsa dada pelos espides israclitas, | Somos supor com seguranga que os nefilins foram completamente srurdos no diltivio, nao deixando nenhuma descendéncia. (2 Percunra 33 Os demé6nios sao fantasmas? (ry fintasma & a “alma ou o espectro de uma pessoa morta, geral- nie aparecendo como um ser vivo ou como uma aparéncia nebu- hos ocasionalmente em outras formas”. Os demdnios, por outro Hide no sao almas de falecidos, a menos que sejam associados as ntos dos nefilin de Génesis 6. As vezes, na literatura antiga, acredi- | + se que os demdnios eram espititos de pe ole Guernt de Josef 1:599, 607; 6:47; Histéria Natural de Plinio oas mortas (por exem- (118). A Biblia entende as sombras (rpaim) como os espiritos dos srotas, ou 0 que geralmente acreditamos hoje serem fantasmas I "6°55 SE88: 10,1: Py 2:18; Is 14:9; 26:14). Quando os discipu 70 99 FERGUS EAS SOBRE ANJOS, DEMONIOS F RAFALHA SSPIRIFUAE los viram Jesus caminhando por cima da agua, ¢ depois, quando ele ressuscitou dentre os mortos (Le 24:39), confundiram-no com um fantasma (gr. phantasma, Me 14:26; Mc 6:49; compare com Jo 20:8 LXX: Sabedoria 17:14; Antiguidades de Josefo 1:331-33). Os fantasmas podem retornar do mundo dos mortos para nos visitar ou a sombrar? Algumas passagens biblicas dio apoio a rata possibilidade de pessoas volearem do mundo dos mortos. Moisés ¢ Elias apareceram a Cristo no Monte da ‘Iransfiguragéo (Me 9:1-10; Le 9:28-33), ¢ alguns estudiosos acreditam que pode realmente ter sido 0 profeta Samuel quem apare ua Saul quando este consulrou a feiticeita (1 Sm 28:8-16)", ainda que seja claro que a aparigio nao ocorreu como um resultado do poder dela, mas sim como resultado de uma intervengao divina. © nao regras. Além disso, essas visitas ndo sto 0 mesmo que assombra- ais casos, porém, sao raras excegdcs, & des. Saul consultou a feiticeira num ato de rebeliao contra Deus € como conseqiiéncia morret no campo de batalha (compare com 1 Cr 10:13,14). O homem rico descrito em Lucas 16:19-31 nao teve permissao para alertar seus irmaos quanto aos tormentos do Hades, 0 que leva muitos especialistas a supor que os espiritos dos inerédulos sao pre sos “sem dircito a fianga” até o dia do julgamento. O espitito dos ctistios aparencemente vai direto para a presenga de Deus, assim que eles morrem (2 Co 5:4-8; Fp 1:21-24). Nao se uata de um ensino biblico normative que o espirito dos santos podem voltar para visitar os vivos; por outro lado, nao haé nenhuma evidéncia bibli- ca explicita de que eles nao portem fazer isso." Mesmo assim, a Biblia considera a consulta aos mortos (necromancia) como um pecado grave (Dt 18:9-12; compare com | Cr 10:13-14). Mutitas pessoas alegam que foram visitadas por um parente fale- cido, seja cm sonho, numa visdo ou numa aparigao fisica. Como podemos discernir as visitas que ndo sia iniciadas pela pessoa visita da? ‘Tais incidentes devem ser avaliados caso a caso, para se derermi- nar a fonte. Pode ser um sonho intenso ocasionado pela tristeza, ou permitido por Deus para aliviar a dor da perda de um ente querido (Ac 16:9). ‘Tambeém pode ser uma alucinagao, um deménio, um anjo FAS SOBRE AMIOS EATON ualguma outra coisa. Em altima andlise, se o fantasma ensina se- talos ou falsas doutrinas, ou se encoraja a pessoa a envolver-se com tinsmo, cerramente nao pode cer sido enviado por Deus. - PERGUNTA 34 » Qual é a diferenga entre gdrgulas, duendes, poltergeistes e deménios? cont o apenas pegas da arquitetura antiga e medieval. Sav cons das nos ntos dos tethados dos edificios e seryem para escoar a - ty Na Roma antiga tinham a forma de ledes, mas na arte goriea sunamse figuras grotescas com chifres ¢ asas. Embora considera- © coino protetoras do edificio, nao se acreditava que as girgulas oot criatutas reais (no Antigo ‘Testamento, os dois querubins que | sgium a area da alianga aparentemente tinham uma fungio se- . Longe de serem deménios, acreditava-se © gdrgulas afastavam os maus espiritos. so falclore ocidental, 0 duende & um espitito que fica vagando, vindo confusio. Dizia-se que os duendes batiam nas panclas, vam as portas, moviam pegas da mobilia ¢ roubavam as roupas © icemir das pessoas." Os antigos babilénios e assitios acreditavam vw eduende era uma espécie de demdnio semi-humano, Os duendes clos hamados de Jilu, lilitu e ardat lili; por isso, eram associ 4)" itos barulhentos”) to demdnio “it do Antigo ‘Testamento (Is 3: Colrergeistes (palavra alen i que significa “esp joch sev sindnimo dos antigos duendes. Vitam méveis do fugar, f- sy baculho com as panelas, atitam objetos © rasgam roupas, Hi votecs relatos de que atiram pedras (em geral com baixa velocidade) + scain fogo em roupas ou pessoas (combustao espontinea), John ines Wesley contaram sobre um poltergeiste que costumava per o. Eles Kan nam de “Velho Jeffrey”. A atividade dos poltergeistes pode Goto east pastoral de Epworth nos momentos de ot 411 juqquizos ou miscria, pois as pessoas que tiveram experiéncias oo hos gotalmente se mudaram de residéncia, se feriram ¢ chega 72 79 PEREUSEAY SOBRE ANIOS. DEMONIOS [KATALIN ESPIRIFUAL ram até a sutcidar-sc. © O alvo preterido dos poltergeistes em geral sio adolescentes © pessoas envolvidas no ocultismo. Alpuins afirmam que poltergeistes nao sao espiritos, mas uma for~ ma extrema de psicocinese — uma liberago explosiva de energia psi- quica pessoal, Mas uma vez que esses fendmenos sio sempre destrutivos, nunca bons, e estao associados ao ocultismo, os polter- geistes Sd0 mais provavelmente demédnios. J. Stafford Wright afirma que “uma vez que o centro da tempestade é comumente uma pessoa, € possivel que os espiritos usem algum tipo de forga vital, freqiiente- mente relacionada com 0 desenvolvimento sexual, forga essa que eles podem materializar o suficiente para mover objetos. Seria uma espé- cie de sublimagao fi oe PERGUNIA 35 Existem diferentes escalées no reino das trevas? a do instinto sexual”." O reino das trevas deve ter um certo senso de ordem e de hierarquia, s demonia pois as forg, rém Satands como lider ¢ parecem organi- zadas ¢ unidas na oposigo a obra de Deus. Jesus disse: “Se um reino Se, pois, Satands se levantou contra si mesmo, ¢ esti dividido, nado pode estiver dividido contra si mesmo, tal reino nao pode subsistir subsistir; mas perece” (Mc 3:24, 26). Nao sabemos a hierarquia exa- ta dos deménios, nem temos uma lista de todas as suas categori- as. Sabemo s, porém, que existem varios tipos de poderes espirituais da maldade, embora possa haver algumas sobreposigoes entre eles (1 Co 15:24; EF 1:21; 6:10-12, compare com 2 Macabens 3.2 que O1.10; 2 Enogue 20-22; Testamento de Levi 3). 1 Eno- Principados (gr. archat). As vezes a literatura biblica considera “principados” ou “dominadores” como algo mais do que simples governantes humanos. A categoria elevada deles é bem evidente. Paulo os classifica como ameagas potenciais, embora nao possam separar os santos do amor de Cristo (Rm 8:38, compare Cl 2:10). sao seres celestiais que guerreiam contra os santos (EF 3:10; 6:12 Cl 2:15). éssas Forgas #9 RGUNTAS SOBRE ANJOS CAIDOS Potestades (gr. dos” estdo as “potestades” ou poderes. O termo é utilizado para os sxousid). Intimamente relacionadas aos “principa poderes mundanos (Rm 13:1-3) ¢ em algumas passagens adquire uma dimensio spiritual em oposigao ao reino de Cristo (1 Co 15:24; 1:21; 3:10; 3.8: 2 Enogue 20.1). Outro termo grego que muitas vezes apare- ce intimamente relacionado com os poderes stamento de Levi 2; Cl 1:16; 2:15, compare com 7 spirituais é dynameis {Xs 1 Enoque 61.10). Principes (sarim). A palavra hebraica sari retere-se ao “princi- (Rm 8:38; Ef 1:21, compare com Dn 8:10 L pe” do reino da Pérsia e ao “principe” da Grécia, que sa0 governantes espirituais (Dn 10:13, 20-21), Eles tém grande poder, pois parecem vigiar nagdes inteiras. O principe da Pérsia lutou contra o arcanjo Miguel, mas foi derrorado, E possivel que a expressio “governantes desta era” (gt. archontes) seja equivalente 4 que Paulo emprega no Novo Testamento para esses seres (Ef 6:12).°" Se assim for, esses governantes” influenciaram as autoridades humanas para sen- ienciarem Jesus Cristo & morte (1 Co 2:6, 8). Paulo diz na mes- ina passagem que s¢ esses “poderosos” tivessem conhecimento dos vestiltados positivos decorrentes da morte de Cristo, jamais o teriam ruciticado. ‘igilantes ou filhos de Deus. Em 2 Pedro 2:4 ¢ Judas 6, a Biblia se vfere aum grupo de anjos que atualmente estdo acorrentados nas trevits por causa do pecado que cometeram. Ainda que esse pecado nao seja especificado, & evidente que essas passagens falam sobre os lithos de Deus” que coabitaram com as mulheres da terra em Gée- nesis 6 Na tradigao judaica, esses anjos sao conhecidos como “Vigi- hantes” (veja respostas 29 ¢ 30). Deménios. As Escrituras falam muito mais de demdnios, espiri- cox emundos ou malignos que de qualquer outra classe de forgas da onpicdade (por exemplo, Mr 7:22; 8:31; 12:24; Me 1:34; Le 8:30; 8 Teg 2:19). Es sLicamt ow possuiem seres humanos. Kin $ s sao os espiritos dos quais se relata que As varias classes de deménios que ttabalham contra o reino de Hus tem poder limitado. O poder de Cristo excede muitissimo o poder das trevas (EF 1:21; Cl 2:9-10). Cristo é supremo sobre todas 4 DONT AS Son DUMOINTOS be BATALI PSPIREEOAL essas Forgas porque cle criou codos os poderes espirituais, até aqueles que posteriormente se desviaram (CL 1:16). Ele os derrotou por meio de sua morte © ressurreigao (Cl 2:15; Mc 28:18; Fp 2:10-11) ¢ os 25). O amor de Cristo é cio poderoso gue “nem altura, nem profundi- subjugara compleramente em sua segunda vinda (1 Co 15:2 dade, nem qualquer outra criatura podera” separar os santos dele (Rin 8:39). Daniel Reid nota que essa passagem de Romanos pode “se reterir ao zénite € a » nadir dos corpos celestiais, ¢ assim abran- ger toda a extensio das forgas celestiais (compare com I Enogue 18.3, EI) > PERGUNTA 36 ~~ Quantos deménios existem? Alguns afirmam que os anjos que cairam com Satanas, mencionados em Apocalipse 12:9, formam a terga parte das “estrelas” que o dragao arrastou consigo do céu enr Apocalipse 12:3. Elles supoem que os demédnios formam um tergo de todo 0 reino angelical. Contudo, essa interpretagao carece de credibilidade por uma série de motives. Primeiro, nao hi evidéncias suficientes para afirmar que os acon- te aatanas ¢ de seus anjos no inicio da criagao. A queda de Satands ¢ seus anjos em Apo- calipse 12 parece enquadrar-se melhor no periodo da primeira vinda mentos em Apocalipse 12 descrevam a queda de -5, 10-12, compare de Cristo, tendo implicagoes futuras (Ap 12:4 com Le 10:18) Segundo, se “estrelas” se refere aos anjos que foram langados & terra junto com Satarcis em Apocalipse 12:4, como acabaram nova mente no “céu” em Apocalipse 12:72 Essa interpretacdo parece incoe rente com © contexto. ‘Terceiro, em Apocalipse 12:3, “estrelas” parece referir-se aos santos, nao aos anjos. Os santos so comparados as “estrelas do eu” (Dn 12:3; Me 13:43, compare com Fp 2:15) que habitam os “luga- 3 20). Numa 1 Apocalipse 12, 0 povo de Deus & res celestiais” em Cristo (EF | + 2:6, compare com passagem profética semethante descrito como “estrelas” que foram derrubadas pelo governador FCRETAY SOBRE ANTOS CAIDOS cléucida Antioco Epifanes, um tipo de anticristo (Dn 8:10, 13, 24). Uma ver que as Escrituras descrevem uma g ande perseguicao ontra 0 povo de Deus ¢ a apostasia, as estrelas do céu que sio der subadas em Apocalipse 12:3 podem descrever esse faco (2 Ts 2:33 | Tin 4:1, compare com Mt 24:9-13; Jd 13; Ap 9:1), A Biblia nunca menciona © mimero de demonios que existem. sus expulsou toda uma le; ido, provavelmente milhares deles, do , ndemoninhado gadareno (Mc 5:1-13). Paulo atirma que quando ultuam seus fdolos, os gentios iddlatras de fato estao adorando de manios (1 Co 10:20-21). Assim, se supomos que os deménios estio 10 de todos os cultos a fdolos do mundo, por tras de apenas uma fra cada estamos falando de uma quantidade enorme deles. Mas nao ha Lirko para acreditar que os demonios si numerosos bastante para pionar cada ser humano na terra © tentar perturbs-los continua: vente, Contrariande pelo menos uma tradigio judaica (Benakor 3a, vile nao devemos achar que ele: Arvores, plantas ou t0- has. Nao remos nenhuma razto para crer que todos os bithoes de Loncristios do mundo sejam todos possufdos por deménios, Qual F que seja 0 ntimero de anjos que cairam, nio foram suficiente 237-8). bente numerosos pare = PERGUNTA 37 Os deménios podem materializar-se? derrotar os anjos bons (Ap | + ov anjos bons jé apareceram em figura humana, sersi que os demo- ‘ies podem fazer o mesmo? Em seu liveo He Came to Set the Captives Se (Ke Veio para Libertar os Cativos), Rebecea Brown afirma que -» deménios podem manifestar-se como lobisomens ¢ outras criaru- ve medonhas. De a rdo com uma tradigio judaica, embora os de- ios scjam espiritos, precisam de comida ¢ agi ua ¢ podem se mani- ir como seres humanos.”? Entretanto, nao ha nenhuma referén- © pa Biblia de deménios manifestando-se fisicamente. Sim, os “filhos de Deus” de Génesis 6 podem terse manifesta- foc tay a interpretagao dessa passagem parece dar a entender que vo crun demdntos antes da manifestagao fisica na terra (veja respos: 76 9 PEIGOSSTAS SOWRE ANIONS DEMONIOS F BATALEIA FSPHEEPUAL tas 29 © 30). Se os demonios pudessem manifestar-se em forma fisica, anos? (Mt 12:43; Le 11:46-48) No entanto, cles sie capazes de causar danos quando possuem 0 cor- soa (At 19:16).° por que tentariam possuir seres hun po de ums pe PERGUNTA 38, O que significa 0 poder de Cristo sobre os de- monios? > Em varias passagens dos Evangelhos, Jesus confronta as forgas das tre- , expulsando deménios com regularidade (Me 1:34, 39; 3:11-12). Uma ver na sinagoga, ele expulsou um demdnio que revelou a iden- 333-36). Na terra dos gerasenos, Jesus curou um endemoninhado violenco tidade de Cristo como 0 “Santo de Deus” (Me 1:25-24; Le# que vivia num cemitério, expulsando dele uma legiio de demonios. Os deménios se apossaram de uma manada de porcos, que saltaram no mat € se afogaram (Me 5:1-20; Le 8:26 um jovem que era possesso de um demonio destruidor que the cau- sava epilepsia (Mt 17:14-21; Me 9:14-29; Le 9:37-43). Expulsou sete deménios de Maria Madalena (Me 16:9; Le 8:2) ¢ curou uma 3). Cristo também curou mulher que aparentemente estaya encurvada por um espirito que the deformava as cos as (Le 13:10-17). Sem estar fisicamente presente sim mes mo expulsou os demdnios a distancia (Me 7:24-30; Me 15:21-28). As multidoes ficavam maravilhadas com a autoridade que Jesus tinha sobre as forgas das trevas (Mt 9:32-34). Alguns difundiam a 28) enquanto outros junto com uma menina siro-fenicia endemoninhada, Jesus mensagem sobre seu poder (Me 1:2 ~ que anteriormente tinham medo dos deménios ~ ficaram com medo de Jesus (Le 8:34-37). Emi vez de admitir que Jesus agia por meio do Espirito de Deus, alguns lideres religiosos preferiram blastemar con- tra 0 Espirito Santo afirmando que Jesus expulsava demonios pelo poder de Belzebu, © principe dos demonios (Mt 12:22-32). Jesus Cristo proclamou que sua autoridade para expulsar demonies cra um sinal de que o reino de Deus estava-se manifestando na terra (Mc 1 8; Hb 6:5). 8; Le 11:20, compare com Atos 8:5-12; PERGUNTAS SOBRE ANIOS CAIDOS, David Aune afirma que no Antigo ‘Testamento ha apenas um exorcista, Davi, que tocaya sua harpa para expulsar o espirito maligno que ator- mentava o rei Saul (1 Sm 16:14-23, compare com Pseudo Filo 60) A tradicao judaica afirma que Salomao, filho de Davi, era um exce- lente exorcista (Antiguidades Judaicas, 8.2.5 de Josefo: Pesigta Rabbati 69", compare com Testamento de Salomdo). Portanto, os judeus previ- ram uma era futura em que os deménios seriam expulsos por uma iigura davidica (Zc 13:2, compare 1 QS 4.19-21; 1 QM 14.10). As- sim, Jesus, o novo “filho de Davi”, cumpriu essa expectativa expul- sando deménios e proclamando o inicio da era dos tiltimos dias iMc 12:22-23; 15:21-28, compare com Me 7:29-30; Ar 1-2). A autoridade divina de Cristo, bem como sua afirmagao de que todo aquele perfodo influenciado pelo reino das trevas estava che- gando ao seu final, distinguia-o dos outros exorcistas da época tLe 10:18; Jo 12:31). O especialista em Novo’ Testamento James Dunn jeclara: Ele [Jesus] mao deu a entender que os exorcismos judaicos também demonstravam a proximidade do Reino. Pelo contrs- rio, distinguiu-se deles; os sews exorcismos cram realizados pelo Expiritoldedo de Deus. Isso fica muito claro no que ele disse 27; Le W1:218). Jesus enearava seus exorcismos nao somente como a cura de sobre amarrar o homem forte (Mt 12:29; Me J pessoas atormentadas, nao somente como a expulsio de de- ménios, nem somente como vitéria sobre Satands, mas como amartar as forgas do mal, o que deveria ser feito no final dos tempos. A batalha final jé estava em andamento © Satamas ja estava sendo derrotado (cf. Le 10:18). Essas afirmagées impli- cam um clara senso dat distingao escatoligica de sew poder: os tos poderosos de Jesus eram a seus proprios olhos tio célebres quanto os milagres do Exodo, ¢ da mesma maneira anuncia- vam uma nova cra.” Para estender o reino de Deus aqui na terra, os que acreditam na nova dispensagao devem seguir o exemplo da auroridade de Cristo chre os deménios operando no poder do Espirito. Pois, como Dunn “onde esta o Espirito, ali esté 0 reino”. shsetv 78 99 PEGGES IAS SOBRE ANIOS, DEMONIOS 1 BATALEA ESPIRE Ua — ) Percunra 39 =, O que sao as “doutrinas de deménios”? “Ora, o Espirito afirma expressamente que, nos uiltimos tempos, al- guns apostatarao da fé, por obedecerem a espiritos enganadores ¢ a cnsinos de deménios” (1 Tim 4:1). A Biblia declara que alguns ensi- namentos (douttinas) procedem de deménios. Que doutrinas sio essas? Paulo declara que qualquer um que ensine qualquer evangelho que ndo seja o verdadeiro evangelho, mesmo que tenha recebido cal ensino de um anjo, ¢ amaldigoado (angtema) (GI 1:8-9; compare com | Co 15:1-3). Paulo advertiu os cristios de Efeso que depois da sua partida surgiriam falsos mestres (At 20:29-30). Jesus também fez, Averténcia (Mt 5-20; 24:4-5, 23-27). Qualquer dou- trina que afasta as pessoas de Cristo pertence ao “espirito do anticristo” (1 Jo 4:1-6). Por que as escrituras falam to severamente contra falsos ensi- a mesma a nos? O texto de 1 Timéteo 4:1-5 relaciona as doutrinas de demdnios com os hipécritas © mentirosos que impedem ay pessoas de experi- mentar as béngaios naturais de Deus, como alguns alimentos ¢ 0 sexo no matriménio. As forgas das trevas tentam desviar os cristios por meio de falsos ensinos para fazé-los abandonar a fé crista em favor de outro espirito, outro evangelho © outro Cristo (2 Co 11:1-14) Semelhantemente, a vida das pi das disso & a seita das ‘lestemunhas de Jeova. A sua organizagao Torre de oas é destruida quando 0 sentido ituras biblicas & distorcido (2 Pe 3:16). Um exemplo atual Vigia proibe seus adeptos de receber transtusio de sangue, com base en interpretagao erronea das Escrituras, causando a morte desneces- sdria de muitas pessoas. FE fundamental que saibamos por que cremos em que cremos & devemos ter uma posigaio firme contra qualquer lider de seita. Preci- santos por a prova todas as doutrinas (Ac 17:11; 118 5:21). Estao de tcordo com as E'scricuras? Glorificam a Cristo como tinico Salva- slot, que morreu na cruz para salvar a humanidade dos seus pecados (Jo 3:16)? Ensinam que Jesus é Deus-Filho, a segunda pessoa da -35 Mt 28:19; Hindade, que &o Criador, nao uma criagao (Jo 1: Peg cUINTAS SOBRE ANIOS CAIDOS, " 11 2:13; Hb 1:8)? Ensinam que a salvagao é totalmente pela graga, jor meio da fé (Ef 2:8-9 Os deménios levam muitas pessoas a se desviar moralmente, principalmente para a idolatria (1 Co 10:1-22; Lv 17:7; Dt 32:17; or 11:15; SL 106:37; At 17:18, compare com / Enoque 99.7; Jubi- ei L115 22.175 Primeina Apologia 1.5 de Justine Martir; Supplicatio 'o.1 de Athendgoras; Contra Celum 7.69 de Origenes)."' A idolatria jistorce a verdadeira imagem de Deus € desvia a atengao das pessoas she adoragao somente a Deus, deixando-as abertas para outras tenta- oes. Finalmente, a idolatria leva as pessoas a adorar os deménios, jue podem personificar os deuses, os idolos ou as imagens que so veneradas (1 Co 10:20; Ap 9:20). n resumo, as doutrinas de deménios consistem em ensina- ientos ou influéncias que desviam as pessoas do verdadeiro Deus e ws levam a heresias, degradagio moral ¢ influéncia de espiritos enga- adores. a PeRGUNTA 40 Os deménios sao a causa de enfermidades? ©) Novo Testamento apresenta muitos exemplos de deménios que ausam enfermidades. Jesus expulsou um deménio de epilepsia de vm rapaz (Mt 17:14-21; Me 9:14-29, 33; Le 9:37-43). Expulsou leménios de pessoas que eram cegas ¢ mudas (Met 9:32-34; 12 11:14-15) e expulsou deménios de pessoas que sofriam de insani- Jade (Mt 8:28-34; Me 5:1-205 Le 8:26-39). No entanto, nao deve- isos achar que todos os casos de cegueira, epilepsia ou outras enfer- nidades sejam resultado de atividade demoniaca. Curar enfermida- sles ¢ expulsar demonios nem sempre é a mesma coisa (Me 1:34; Me 8165 Le 7:21 5 At 5:16; 8:7). Quando oram por enfermos, os cristios devem evitar aquilo que nnuitos operadores de milagres fazem. A menos que tenham claras wvidenei s de que estao lidando com demdnios, nao devem dirigir-se siretamente a epilepsia, ao cancer ou a qualquer outra moléstia como, se ac tratass - de um demonio intcligente, capaz de arender a repreen 80 99 -PERGUNTAS SOBRE ANIOS, DEMONIOS 1 BATALHA SPIRITUAL sao. Una cnfermidade impessoal nao nos pode ouvir! Se presungosa- mente afirmarmos que uma enfermidade tem origem demoniaca ¢ a pessoa pela qual oramos nao for curada, parecerd que o diabo preva- leceu. Hii uma maneira methor de orar pelos enfermos. Devemos tirar a atengao da enfermidade em si, do nosso préprio poder ¢ pedir a Deus que cure 0 individuo por meio de Cristo. Pesquisar 0 mundo dos deménios nao é tarefa facil. Alguns po- dem ter sentido um certo desconforto ao ler esta parte do livro. Estamos tentando entender as forgas demonfacas para nao sermos nés mesmos enganados por elas, Quando se trata de assunto tio sé- rio, a ignorancia nao é uma virtude. (O capitulo 6 discute uma série de outras questoes relacionadas com a huta humana contra os de- mdnios.) Os cris (1 Jo 4:4). Jesus di autoridade para langar os impios no inferno (Mt 10:28). Werner os nao tém nada que temer com relacio a eles ¢ que devemos temer somente a Deus, que tem Foerster escreve: “Na grande reducao do medo de deménios, porém, devemos ver um efeito da fé do Novo ‘Testamento em Deus como Guardiao do seu povo. A luz dessa Fé, todo medo de demdnios di lager a uma seguranga inabalivel”. PERGUNTAS SOBRE SATANAS 66 hifudo”, “tinhoso”, “capeta’, “capiroto”, “beigudo”, “coisa- ui”, “rabudo”, “samento”sao alguns dos apelidos pelos quais 0 diabo s dos séculos. Tais nomes 0 transformam tem sido chamado atrav: num espirito travesso, fabuloso, num gnomo, num gremlin ou num duende. J. B. Russell observa: ], como Fxis a lerrytop, Charlot, Federwisch, Hinkebein, Heinekin, Rumpelstiliskin, Robin Hood, Robin Goodfellow ¢ Knecht dos eram populares ndo somente devido em centenas de nomes [na cultura anglo-s Ruprecht, Esses apel associagao que tinham com os “andes”, mas também porque dar ao Diabo um nome absurdo ¢ oferecer um antidote con- tra o medo que cle ger imar o diabo como adversdrio. Embora Jamais devemos subi seja retratado como uma figura cémica, com chifres, capa ¢ um uridente, na Biblia cle é Satanas, lider dos anjos caidos. Neste capitu- Jo analisaremos quem é Satanas, como ele caiu € 0 que faz. Também scpararemos os aspectos miticos daquilo que a Biblia fala sobre o verdadeiro Satands. 82 99 PE RGUSSTAS SOBRG: ANJOS, DEMONIOS & BATALHA ESPHRETUAL >) Percunra 41 =, Satands era um belo anjo chamado Lucifer? A crenga mais difundida sobre a queda de Satands baseia-se em Isaias 14:12: “Como caiste do céu, 6 estrela da manha, filho da alva! Como foste langado por terra, tu que debilitavas as nagbes!”. O texto pros- tentou clevar seu trono acima das estrelas ¢ segue ¢ diz que Liicifi tornar-se semelhante ao Altissimo, mas Deus o langou nas profundezas do abismo (Is 14:13-15). Essa passagem com freqiiéncia é comparada com Fzequiel 28:11-19, que supostamente fala de Liicifer como © rei de Tiro vivendo no jardim do Eden. Ele cra um belo querubim, mas Deus the diss “Elevou-s © teu corago por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do cou resplendor; lancei-te por terra, diante dos reis te pus, para que te contemplem” (Hz 28:17). Alguns chegam a afirmar que Lucifer era 0 regente do coro celestial com base nos homes dos instrumentos relacionados em Ezequiel 28:13, versio Almeida Revista ¢ Corrigida. Daf, a teoria popular afirmar que Sata- nas, como Laicifer, cai em algum momento no inicio da criagio. A Bibli Satands é Lucifer. Uma leitura do contexto de Isaias 14 ¢ de Ezequiel porém, nunca, em lugar nenhum, afirma diretamente que 28 suscita sérias dtividas com relagao a credibilidade da teoria de que “Laicifer é Satan O rei de Tiro um homem que age como wn deus (Ez 28). Nao ha nenhuma boa razao para igualar o rei de‘Tiro mencionado em Ezequiel com Satanas ou Lucifer. De fato, essa idéia nao faz. sentido quan- do lemos que o Senhor denuncia 0 rei de Tiro (por intermédio do profeta); “Nao passas de homem ¢ nio és Deus” (28:2). Satands nao Is Ap 12:7-9). Além disso, se esta passagem descreve a queda original, Enem homem nem deus, mas o lider dos anjos caidos (Mt 25 quando Satanas foi langado & terra ¢ reduzido a cinzas diante dos reis? (Q8:17-18) Obviamente Ezequiel 28 descreve 0 que afirma desctever = 0 rei de ‘Tiro, Ezequiel (25-32) denuncia varias nagdes da antiguidade ¢ seus reis, entre eles Amom, Moabe, Ldom, Filistia ¢ Egito. ‘Tire ¢ PERGUNTAS SORE SATANAS. ‘ ipenas mais uma das nagées contra as quais foi anunciado 0 juizo. O livro de Ezequiel (26-28) parece empregar uma linguagem sarcdstica c hiperbélica contra o rei, que representa a cidade de Tiro (28:4-5, 13, 15, 18, compare com a hipérbole de Ez 31, especialmente w. 8 9). O rei, como uma metonimia para a cidade, & retratado como possuidor de grande beleza e gloria devidas & riqueza da cidade, do comércio € do actimulo de pedras preciosas. Ezequiel, portanto, em tom sareéstico faz alusao ao rei de Tire como quem vive em meio de pompa ¢ belez: « como Adao que vive no agradavel jardim do Eden (28:13-15). Isso vorna sua queda ainda mais drastica — sua cidade seria reduzida a um monte de cinzas (v. 18). Deus ¢ iho, mas também pela desonestidade nos negécios (v. 18). Isso difi- : como um querubim que vive na presenga de Deus, igaria o rei nao somente por orgu- cilmente seria verdade com relagao a Licifer ou Satanas. Alguns reconhecem que essa passagem se refere a um rei huma- no, Mas sustentam que num sentido mais profundo, descreve a ori- com de Satands por causa da alusio ao jardim do Eden ¢ a idéia de ‘un anjo glorioso se corrompendo2 slo rei, antes do seu pecado (Kz 28:15) pode nao ser uma referéncia 2neretanto, a itrepreensibilidade w» estado original de pureza do querubim, mas, como muitos estudio- os observam, ao estado de Adio (Ez 28:15; 28:13, compare com (an 2).8 Mesmo que aceitemos a possibilidade de a passagem referir- a queda de Satands, como determinariamos que versiculos e pala- vras dao a entender essa idéia, sem sermos arbitrarios na selegao? Em ‘ado caso, o texto nao indi claramente em nenhum lugar que Sata- nis uma ver foi um anjo chamado Liicifer. Liicifer é 0 rei de Babilénia (Is 14). A palavea Liicifer aparece na verso King James da Biblia em lingua inglesa. No hebraico, a pala- sé hélel, derivada do verbo “brilhar”, e significa “aquele que brilha” on “estrela @alva”. Licifer & a versao latina dessa palavra. Ela foi uutroduzida no texto de Isafas 14:12 pelos textos dos pais da Igreja, omoa Hexapla de Origenes ea Vulgata de Jerénimo. A Biblia Valgara da pela Igreja ocidental por volta de 600 d.C.) iantbém emprega a palavra Liicifér para a expressdo “luz da manha” nt Jo 11:17 ¢ Salmos 109:3 (110:3°1M), ¢ para os signos do zodiaco “amplamente utiliz 84 9 PEEGIESTAS SOBRE ASJOS, DFMONIOS E BATALHA ESPIRITUAL em Jo 38:52. Nao vejo como alguém poderia dizer que Satands origi- falmente era Laiciler a partir dessas passagens! 1 Ocontexto de Isaias 14 declara explicitamente que a pass agem & um “motejo contra o rei de Babilénia” (14:4). O rei é retratado meta: foricamente como o deus babilénio chamado Aéle/, que tenta alcan- imo, © rei gar os céus. Entretanto, em vez de tornar-se como o Alt é langado no abismo como um homem comum (compare com 0 orgulho de Nabucodonosor ¢ sua subseqiiente humilhagi em Dn 4; veja também Ob 4). Isafas poderia estar utilizando um mito popular babilénio, ao qual, porém, faz algumas mudangas dras- substitui o deus cafdo héle/ pelo rei da Babiloni o por Deus Essa técni setia o equivalente a comegar a falar sobre uma figura folclérica po- pular ¢ depois substituir seu nome pelo de um lider nacional. O rei de Babilénia, nao Satands, e 4 em foco, porque “subjuga as nagées” (Is 14:12). E dificil ver como Satands poderia subjugar nagdes inteitas em sua queda original, quando elas ainda nem existi- am, Aquele que reivindica ser semethante ao Alussimo em Isaias 14:14 &o mesmo que € precipitado no reino dos mortos, ¢ de quem duas vezes se declara ser homem (14:15-17). Satands pode ter assumido a forma de serpente, mas nunca foi homem. Devemos notar também que hélel foi precipitado no “abismo” (Is 14: 15, compare com 14:12, 19-20). No Antigo ‘lestamento, a palavra “abismo” em geral denota um local de sepultamento ou uma prisdo (SE 28:1; 30:3; Is 24:225 38:18 ; Jr 371163 Ez 312143 Ze 9:11, compare com Ap 9:1), Da mes- ma forma, 0 contexto de | an vias 14 demonstra esse uso. Se ess pass gem descreve a queda original de Satanis, como pode ele ter sido langado no abismo ¢ posteriormente encontrado acusando Jo diante de Deus 20 céu (J6 1-2, compare com Ze 3:1-4; Ef 2:2; 6:12)? Como acontece em Ezequiel 28, alguns podem pensar que en- quanto Isaias 14:12 fala do rei de Babilénia, faz também alusao 2 queda original de Liicifer.* Todavia, se lermos Isafas 14 sem estar pre- viamente condicionados a pensar que Satands & Lucifer, provavel- mente nao chegaremos & conclusio de que o texto alude 4 queda original de Sarands. Como, entio, chegamos & alirmagao dogmirica de que Satanas antes era um anjo bom chamado Licifer? SEN aS SOmRY SAPANAS. Nao existe, no Novo Testamento nem nos escritos dos pais apos- solicos nenhuma afiemagio de que Satands uma ver foi um belo anjo hamado Licifer. As uradig6es judaicas nem mesmo fazem uma liga- satana onos, nas tradig vo clara entre ¢ Isaias 14 antes do ano 100 d.C“ E como ja ss judaicas as especulagées sobre anjos ¢ deménios vin abundantes. Origenes, pai da Igreja que viveu no século IIL, parece ser 0 re ponsivel pela promulgagio da teoria de Liiciter como Satanis na lgreja vista: (De Principiis 1.4-5, de Origenes, compare com Preticio 6; exapla Is 14:12). Muitos resistiram a teoria de Origenes. Por plo, até 0 século TV, um bispo cristéo ainda podia chamar-se $a0 | ucifer e seus seguidores serem conhecidos como luciferianos!” En- xem 1-8 pais da [greja posteriores que popularizaram a idéia de que aiands antes era um anjo bom chamado Liicifer estao Agostinho, vodro Lombardo e ‘Tomas de Aquino (por exemplo, De Genesi ad vexem 3.10 de Agostinho; Senrencas 2.6 de Pedro Lombardo).* De erdo com o especialista em Antigo ‘lestamento John Oswalt, pare- <1 que os antigos expositores reformados nao estabeleciam nenhuma syigdo entre Satanis ¢ Liicifer em Isafas 14:12. Em sua obra-prima, auto Perdido (1667), John Milton a: ! 80; 5.743). Atualmente, a teoria de Satands como Ltcifer cornou- socia Satands & queda de Leicifer vetdade evangélica” sem nenhuma evidencia biblica sequet. Isto vio &negar que Satands seja um anjo caido, mas precisamos questio- 4 noyso fundamento para chamé-lo de Licifer a Percunta 42 » Como Satands caiu? vausénci: de uma evidencia que identifique Licifer com Satands, ie sabemos obre a queda original de Satands? Vairias passagens 4 Uscrituras ja foram utilizadas para desctever a queda de Sarands, re claramen- quando examinadas mais de perto, nenhuma se refe var stra queda original, Génesis 3 descreve uma serpente que enga- 2:9; 20:25 Apocalipse de nou Adao ¢ Eva (compare com Apocalipse | Juv 17:4). A serpente foi punida por Deus, que a condenou a 86 OO FERGUS TAS SOBRE. ANIOS, DEMONIOS E BATALEA ESPIREFUAL arrastar-se sobre 6 proprio ventre no pd da terra e estabeleceu inimi- 1 ¢ os seres humanos (Gn 3:14-15). Se essa pas refere a queda original de Satands, nao nos é dito por que ele decidiu rade cnire ¢ agem se enpanar Eva em primeiro lugar; 0 texto pressupde o cardter engana- dor de Satands. Todavia, biblicamente falando, isso ¢ 0 mais perto que podemos chegar da queda moral dele A presenga de Cristo na terra marcou o inicio da derrota de Sati nds, Jesus disse: “Fu via a Satands caindo do céu como um relimpa- go" (Le 10:18) ¢ “Chegou 0 momento de ser julgado este mundo, € agora o seu principe sera expulso” (Jo 12:31; compare com 16:11). Essas passagens, porém, no se referem 2 queda original de Satands O dragio ¢ seus anjos sio lancados para a terra depois de terem Suta- do contra Miguel e seus anjos, no final do ministério terreno de Jesus Cristo (Ap 12:9-11, compare Téstamento de Aser 7.3; Odes de Salomédo 22.5: Testamento de Salomio \4; 2 Apocalipse de Barugue 29.4; Salmos de Salomao 2.25; Ordculos Sibilinos 8.85; Escada de Jacé 12-13). O dragio representa o monstto que traz. caos 2 ctiagio na litera- tura antiga do Oriente Préximo. Assim, alguns propoem que apli- ando 0 principio Urzeir wird Endzeit (0 tempo primevo torna-se 0 tempo final) encontrado na literatura apocaliptica (por exemplo, alu- ses a Genesis em Apocalipse 21-22), Apocalipse 12 pode aludir a queda moral original de Satands. Mas a passagem fala sobre uma queda posicional que ja pressupde seu car: por que cle ter pervertido. Nao explic iu moralmente no principio.” Como 0 “acusador dos irmaos”, Stands tinha acesso ao concilio de Deus no edu e podia requerer permissio para testar individuos (J6 1-2; Ze 311-45 Le 22:31-32, compare com 1 Enoque 40.7; Jubilen 1.20; 48,15-18; Apocalipse de Sofonias 4.2).! Apocalipse 12:10 indi- ca que ele foi “destituido” de sua posigao quando Cristo morreu ¢ ressuscitou."’ O confinamento de Satands no abismo sem fundo por mil anos ¢ seu fim posterior no Lago de fogo parecem ser julga- mentos diferentes (Ap 20). Portanto, a Biblia registra varias “que- das” que sto mais bem compreendidas como varios juizos contra 0 PLS ANAS SOBRE SAFANAS na nova dispensagio | iigamento por meio da obra Jodo 12:31-32; 16:5-105 jutzo ‘SOBRE SATANAS TEXTO BIBLICO ucda moral original? | Génesis 1-3? fulgamento na jardin do den | Genesis 3 ‘ulgamento no estabelecimento | Lucas (0:18, compare com eo reino de Deus aqui na terra i 10:17, 19-20; 1 a Jesus Cristo co inicio de | | espiatoria de Cristo na nova | Hebreus 2:14-175 Colosserses Sspensagao f2: 4-15, compare com pocalipse 12:9-L1 rigamento e aprisionamento nos | Apocalipse 20:1 timos dias | \ sino Linal ne hago de fogo | Aposilipse 20:10 Uma ver que a queda de Satands pode ser vista em estigios, ns podem pensar que scu pecado foi progressivo. Seu papel como cador celestial no Antigo Testament pode-nos levar 2 conclusio jue ele nao agiu contra a vontade de Deus. Seu momento crucial juando tentou Jesus no deserto (Mt 4). Jesus, porém, declarou © diabo cra mentiroso € assassino “desde 0 principio” (Jo 8:44, ypare com 1 Jo 3:8). A Nova Versio Internacional (NVI) da Bi- vtraduy a expression grega ouk estaken de Joa 8:44 como “nao se ut’ i verdade, O uso do tempo imperfeito grego aqui pode im- her que Satands vivia num estado continuo de falsidade e de assas- co. A palavra principio relaciona-se ao papel de Satands como as- Fino, fa que cle nao pode matar anjos (como espiritos, cles nunca voici), esse papel s6 pode dizer respeito aos seres humanos. O by Chomicida porque instigou a queda de Adao, a qual estendeu vaorte para toda a humanidade (Hb 2:13-14). Como o instigador 8, 11-15). Por isso, bon Sed alirma que o diabo vinha pecando desde 0 inicio da histé che ndio, fe: com que Caim matasse Abel (1 Jo: ode Isracl, mas nao menciona o que aconteceu antes." 88 919 PERLE TAS SOBRE ANJOS, DEMONIOS BATALILA ESPR infere a queda original de Sataniis. O versiculo declara que o bispo nao deve ser “nedfito”, “para Alguns alirmam que 1 Timéteo 3 nao succder que se ensoberbega, e incorra na condenagao do diabo”. Seri que isso significa que Satands caiu originalmente por causa do orgulho? A “condenagao do diabo” neste versfculo nao deve ser inter- pretada como 0 juizo de Deus contra Satands, mas como o julgamen- to do diabo sobre qualquer bispo que se tornar orgulhoso. O diabo, que traz “oprébrio” ¢ “lago” no v. 7, €0 mesmo que traz.a condena- 40 no v. 6 (compare com 2 ‘Tm 2:26; 1 Tm 5:14). A palavra grega para condenagio, krima, nao é precedida de artigo definido. Isso dé a entender que o diabo tem permissio para trazer um julgamento especificado sobre Iideres da Igreja que pecam. Se esse versiculo se referisse a queda de Sarands, deveriamos esperar que tivesse o artigo grego to antes de krima (10 krima): 0 julgamento que Deus exerce sobre 0 diabo.'' Uma vez que a Biblia fala pouco sobre este assunto, podemos encontrar conjecturas razodveis concernentes a queda original de Sa tands nos esctitos dos pais da Lyreja. Origenes acreditava que 0 diabo ao ur devido ao seu orgulho ¢ Deus criou o universo fisico para com- pensar o pecado do diabo € seus anjos. Embora nio afirmassem tudo silio € Agostino tam- bem acreditavam que a queda de Satands foi causada pelo orgulho. o que Origenes ensinaya, os pais Atandsio, Bas Os monges dominicanos, como Alberto, 0 Grande, ¢’lomas de Aqui- no, acreditavam que o diabo pecou no primeiro instante da criagdo devido ao orgulho."' Entretanto, parece pouco provavel que ele te- nha caido antes do sexto dia da criagao, jé que até entao tudo na criagdo de Deus era muito bom (Gn 1:31). Isso nos deixa com varias alternativas em relagao 4 queda original de Satanas 1. Deus crion Satands como Satands. Poderiamos apelar para a soberania de Deus ¢ afirmar que ele criow Satands como Satands para realizar os propdsitos de bondade do préprio Deus. Esta visio, evi- dentemente, abre novamente a caixa de Pandora com relagao 4 bon- dade de Deus ¢ 0 problema do mal (veja resposta 28). Nao explica por que Satands € mora (Le 10:18; Ap 12). Serd que Deus e Satands estado apenas fazendo mente corrupto ¢ recebe castigo de Deus HGLINTAS SOBRE SATANAS ss sma encenagao de “mocinho e bandido” por nossa causa? Esta linha ic raciocfnio leva a uma aparente contradigao de tudo o que sabemos wbre a bondade e a fidelidade de Deus. 2. Satanis cain por causa do orgulho. A veoria mais popular é que Satands caiu devido ao orgulho. Porém, uma vez que essa teoria nor salmente se baseia na identificagao de Satands com Lucifer em isaias 14 ¢ Ezequiel 28, carece de suporte contextual. Todavia, o ti isto ~ que é a personificagaio de todo o mal, semelhante a Sata- sais — tem como caracteristica o orgulho, o gabar-se de grandes coisas Zle também busca ser -4; Ap 13, compare com Dn 7:8, 20; 8:10-11). 3. Satands caiu por causa da inveja. De acordo com certas tradi- © proferir palavras arrogantes contra Deus. «dorado (2 ves judaicas, por causa da inveja, Satands recusou-se a adorar Adao ' jue scus anjos adorassem Adio quando aadora ando Deus exigiti (veja resposta 28). Mas por que Deus exigiria ada a Deus omente? Um antigo documento judaico, A Vide de Adao e Eva Jo € reser’ 12-16), tenta atenuar o problema afirmando que Satands se recusou adorar a imagem de Deus em Adio.” A veneragao da imagem de Adao a parte, se a queda original de nds estava de alguma forma relacionada 3 inveja, o objeto dessa saveja poderia bem ter sido Adio." Sarands pode ter sentido inveja uma criatura terrena criada & imagem de Deus, principalmente Porque essa c tura passou a receber aten o € privilégios especiais negados a cle (Gn 1:26-30; 2:9-16, 22-25). Esta linha de raciocinio « adapta ao fato de Deus ter criado tudo “muito bom” até o sexto dia 1h criagao (Gn 1:31). Dé a entender que © primeiro castigo contra ands foi a maldigéo que Deus langow sobre a serpente em Génesis +} 4-15 (veja resposta 44). Seu primeiro pecado teria sido abrigar a niveja no coragao ¢ planejar enganar o primeito casal humano. Com certeza, 0 primeiro pecado de Satands poderia ter sido uma cinbinagao de inveja ¢ orgulho (ou quase tudo que se relacione com ses sentimentos). Se a queda de Satands ocorreu no jardim do Eden, « orgulbo poderia estar ligado a idéia de inveja, porque parece havet ui aspecto de orgulho relacionado & serpente (veja resposta 44). 90) JO PENGTSSE aS SONKE ARIOS, DEMONROS F BALALEEN FSPIRETEAL 1. Como Satuuds cain continua um mistério. Valvez devamos “en- goli?’ nosso orgulho ¢ admitir que a queda de Satands permanece um mistério (Dt 29:29), Devemos evitar tentar forgar passagens biblicas L responder perguntas que talvez elas nunca tenham tencionado res- ponder. eS PeRGUNTA 43. Por que Deus permitiu a queda de Satands se ja sabia do mal e do sofrimento que se seguiriam? Se Satanas cai no inicio da criagao, por que Deus the permitiu cair? Um Deus que conhece o futuro deveria saber que etiar anjos com a fiberdade de se rebelar poderia acabar trazendo caos, sofrimento ¢ mal pa acr ado. Entao, por que Deus permitiu que tudo isso acon », criando um anjo que cle sabia de antemao que irta se rebelar contra cle? Relacionado a essa questio est todo o problema do mal. Se Deus € um Deus bom, por que permite que o mal continue na criagio dele? Mas 0 que estamos realmente dizendo aqui? Gostariamos que Deus tivesse criado um mundo em que seus stiditos nao tivessem liberdade de escolha? Que gloria Deus receberia se anjos ¢ seres hu manos tivessem sido pré-programados para adord-lo? Que relaciona- mento de amor genuino Deus poderia ter com suas criaturas se clas fossem obrigadas a amii-lo? Anjos ¢ seres hamanos podem escolher 0 que é mal em vez do que € bom, porém a liberdade de escolha em si Ealgo bom. Nao poderia haver nenhum amor a Deus nem 6 desen- volvimento de um carver piedoso sem o potencial real de pecar con tra Deus. Creio que Deus ja sabia do mal que sobreviria por ter dado livre arbitrio a Sarands. Aparenremente Deus pensou que seria um bem maior compartilhar uma relagio de amor miituo com algumas de suas criaturas do que ter todas clas amando-o ¢ adorando involunta- riamente. Nos mesmos tomamos decisdes semethantes quando deci dimos com quem nos casar, ter filhos, fazer amizade etc., mesmo sabendo da dor ¢ do sofrimento potenciais que essas decises podem