Você está na página 1de 1

Page 1 of 1

Atendimento ao Público Clientes
Atendimento ao Público
Clientes

Unidades

Serviços

Anatomia Patológica

Citologia

Diagnóstico por Imagem

Coleta Domicilar

Escritórios Regionais

Exames de Genética

Exames de Imagem

Exames Laboratoriais

Medicina Nuclear

Vacinas

Informativos Técnicos

Busca por Assunto

Bacteriologia

Biologia Molecular

Bioquímica

Genética

ccc

Criovida

Diagnóstico por Imagem

Endocrinologia

Hematologia

Imunologia

Líquido Seminal

Parasitologia

Toxicologia e HPLC

Triagem Neonatal

Uroanálise

Vacinas

Para abrir os arquivos .pdf

Para abrir os arquivos .pdf
Uroanálise Vacinas Para abrir os arquivos .pdf Bioquímica INFLUÊNCIA DE HEMOGLOBINAS (Hb) ALTERADAS NAS

Bioquímica

INFLUÊNCIA DE HEMOGLOBINAS (Hb) ALTERADAS NAS DOSAGENS DE

GLICOHEMOGLOBINA (HbA1c)

A determinação da HbA1c é um excelente método para avaliação e controle do diabetes indicando também o risco de

suas complicações (Goldstein 2000)-(1) (Trial Research Group 1993)-(2). Existem mais de 20 métodos utilizados em lab oratórios para d eterminação da HbA1c. As Hb alteradas representam cerca de 10% dos diabéticos. As mais freqüentes são HbS e HbC (Frank 2000)-(3). A hemoglobina pode apresentar alterações químicas. A mais freqüente é a carbamil Hb que aparece nos urêmicos e Acetil Hb em pacientes que tomam cronicamente aspirina (Waykam 1993)-(4). Estas últimas não afetam a dosagem por HPLC por nós utilizada.

ALTERNATIVAS Quando existe influência na HbA1c impedindo controle do diabetes, sugere-se o controle com a Proteína glicada (Pg) ou Albumina glicada (Ag). A HbA1c faz uma retrospectiva do controle do diabético nos 2 a 3 meses que precederam o teste. A Pg e Ag fazem uma retrospectiva curta (2 semanas) e não se correlacionam com as complicações do diabetes

(Goldstein 2000)-(1), além de serem métodos menos sensíveis.

COMO IDENTIFICAR HEMOGLOBINAS INTERFERENTES?

O importante é que na presença de hemoglobinopatias que interferem na HbA1c, o nosso aparelho de HPLC não só

mostra nestas hemoglobinopatias resultados muito alterados, sem lógica, como emite sinais claros em sua curva, com picos inesperados demonstrando que interferentes estão presentes, indicando a cromatografia ou eletroforese de Hb. Resultados muito elevados, acima de 15% ou muito baixos como abaixo de 2% sugerem interferências (Chen 1998)- (5). O método do Lab. H. Pardini mostra que sempre ocorre redução.

VANTAGENS DOS MÉTODOS MODERNOS Os métodos modernos de cromatografia são afetados pelas mais freqüentes variações heterozigotas, tais como HbAS,

HbAC e HbAE e dão indicações destas variantes, ou seja, dão alarmes claros, o que não acontece nas formas mais

raras (Costa 1997)-(6) e (Roberts 1999)-(7). Ocorrendo uma redução de 50% da HbA, logo ocorre uma redução da

HbA1c na mesma proporção.

DESVANTAGENS DO HbA1c - IMPORTANTE! CONTRA INDICADO:

Todos os métodos existentes não podem ser usados para o controle do tratamento de diabéticos na presença de pacientes homozigotos para HbS, HbC ou doença por HbSC. Estes métodos não refletem nestes pacientes o controle glicêmico a longo prazo porque estão alteradas a formação e velocidade do metabolismo da HbA1c (Khuu 1999)-(8). Não usar HbA1c nestes pacientes, ou seja, sugerir Pg ou Ag.

INCIDÊNCIA CONFORME A RAÇA E PAÍS As variantes das hemoglobinas tem incidências completamente diferentes do mundo, exemplo: HbS heterozigotos mais comum nos Estados Unidos, 7,8% nos afroamericanos, 1% dos Americanos e 30% nos Africanos Sub-Sahara (Nigerianos) (Reid 1992)-(9).

O HbC heterozigoto afeta 2,3% dos Afroamericanos e 30% dos Nigerianos.

HbE heterozigoto incide em 30% dos indígenas do sul da Ásia.

HEMOGLOBINA FETAL

A hemoglobina fetal (HF) no nascimento chega a 70% da Hb total caindo abaixo de 5% com 6 meses. Na persistência

hereditária a HbF atinge concentrações acima de 30% da Hb total, 1,5% da população dos Estados Unidos têm > 2% de HF podendo chegar até a 12% nos americanos hospitalizados (Cox 1999)-(10). HbF abaixo de 5% da Hb total não afeta a maioria dos métodos de HbA1c. A técnica que o Lab. H. Pardini usa (HPLC), é incomparavelmente melhor que os métodos enzimáticos. Possui alta sensibilidade, separa claramente a HbF da HbA e HbA1c, portanto é segura para determinação da HbA1c (Khuu 1999)-(8). -Talassemia e drepanocitose podem elevar a HbF em 2 a 20% da Hb total. Estas hemoglobinopatias, b-talassemia e drepanocitose podem interferir em hemoglobinas que circulam em menor quantidade como HbA2 e HbF, também afetando a HbA1c porque podem participar direta ou indiretamente, piorando condições pré-existentes, como anemia ferropriva (Tarin 1999)-(12). Hemólise, hemorragia (Panzer 1982)-(13) e transfusão de hemácias (Weinblatt 1986)(14) todas estas, independentemente, podem alterar a HbA1c.

Uma colaboração do Departamento Científico do Instituto Hermes Pardini.

do Departamento Científico do Instituto Hermes Pardini.
do Departamento Científico do Instituto Hermes Pardini.

http://www.hermespardini.com.br/inf_tecnicos/depto.php?cod_depto=83

28/03/2011