Você está na página 1de 44

SECRETARIA DE ESTADO DE ESPORTES E DA JUVENTUDE SUBSECRETARIA DE ESPORTES SUPERINTENDÊNCIA DE ESPORTE EDUCACIONAL DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DE ESPORTE DE FORMAÇÃO

DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DE ESPORTE DE FORMAÇÃO MINAS OLÍMPICA GERAÇÃO ESPORTE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA
DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DE ESPORTE DE FORMAÇÃO MINAS OLÍMPICA GERAÇÃO ESPORTE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA
DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DE ESPORTE DE FORMAÇÃO MINAS OLÍMPICA GERAÇÃO ESPORTE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA
DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DE ESPORTE DE FORMAÇÃO MINAS OLÍMPICA GERAÇÃO ESPORTE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA
DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DE ESPORTE DE FORMAÇÃO MINAS OLÍMPICA GERAÇÃO ESPORTE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA
MINAS OLÍMPICA GERAÇÃO ESPORTE
MINAS OLÍMPICA
GERAÇÃO ESPORTE
QUALIFICAÇÃO TÉCNICA
QUALIFICAÇÃO TÉCNICA
DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DE ESPORTE DE FORMAÇÃO MINAS OLÍMPICA GERAÇÃO ESPORTE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA

ESTE MATERIAL

ESTE MATERIAL DISPONÍVEL NO SITE DA SEEJ www.esportes.mg.gov.br • Acesso Rápido • Programas • Minas Olímpica

DISPONÍVEL NO SITE DA SEEJ www.esportes.mg.gov.br

MATERIAL DISPONÍVEL NO SITE DA SEEJ www.esportes.mg.gov.br • Acesso Rápido • Programas • Minas Olímpica

Acesso Rápido

Programas

www.esportes.mg.gov.br • Acesso Rápido • Programas • Minas Olímpica Geração Esporte • Qualificação

Minas Olímpica Geração Esporte Minas Olímpica Geração Esporte

Qualificação Técnica •

www.esportes.mg.gov.br • Acesso Rápido • Programas • Minas Olímpica Geração Esporte • Qualificação Técnica

DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DE ESPORTE DE FORMAÇÃO

DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DE ESPORTE DE FORMAÇÃO • Apresentação da equipe Diretora: Gabriella Morena Adriana
DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DE ESPORTE DE FORMAÇÃO • Apresentação da equipe Diretora: Gabriella Morena Adriana
DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DE ESPORTE DE FORMAÇÃO • Apresentação da equipe Diretora: Gabriella Morena Adriana
DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DE ESPORTE DE FORMAÇÃO • Apresentação da equipe Diretora: Gabriella Morena Adriana
DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO DE ESPORTE DE FORMAÇÃO • Apresentação da equipe Diretora: Gabriella Morena Adriana

Apresentação da equipe

Diretora: Gabriella Morena

Adriana Coutinho (31) 3915-4607 Afonso Sobrinho (31) 3915-4608 Agda Rodrigues (31) 3915-4605 Kassia Kurzvski (31) 3915-4616

Marilda Poeiras (31) 3915-4612

Sobrinho (31) 3915-4608 Agda Rodrigues (31) 3915-4605 Kassia Kurzvski (31) 3915-4616 Marilda Poeiras (31) 3915-4612
APRESENTAÇÃO • Oriundo do Minas Olímpica Nova Geração (2005 a 2011) • 1ª Gestão Geração
APRESENTAÇÃO • Oriundo do Minas Olímpica Nova Geração (2005 a 2011) • 1ª Gestão Geração
APRESENTAÇÃO • Oriundo do Minas Olímpica Nova Geração (2005 a 2011) • 1ª Gestão Geração
APRESENTAÇÃO • Oriundo do Minas Olímpica Nova Geração (2005 a 2011) • 1ª Gestão Geração
APRESENTAÇÃO • Oriundo do Minas Olímpica Nova Geração (2005 a 2011) • 1ª Gestão Geração

APRESENTAÇÃO

APRESENTAÇÃO • Oriundo do Minas Olímpica Nova Geração (2005 a 2011) • 1ª Gestão Geração Esporte

Oriundo do Minas Olímpica Nova

Geração (2005 a 2011)

1ª Gestão Geração Esporte

setembro de 2011 a julho de 2013

Iniciação esportiva com foco no desenvolvimento das habilidades motoras

Inclusão social

2013 LANÇAMENTO DO PROGRAMA MINAS OLÍMPICA GERAÇÃO ESPORTE • 117 cidades 109 Municípios 08 Instituições
2013 LANÇAMENTO DO PROGRAMA MINAS OLÍMPICA GERAÇÃO ESPORTE • 117 cidades 109 Municípios 08 Instituições
2013 LANÇAMENTO DO PROGRAMA MINAS OLÍMPICA GERAÇÃO ESPORTE • 117 cidades 109 Municípios 08 Instituições
2013 LANÇAMENTO DO PROGRAMA MINAS OLÍMPICA GERAÇÃO ESPORTE • 117 cidades 109 Municípios 08 Instituições
2013 LANÇAMENTO DO PROGRAMA MINAS OLÍMPICA GERAÇÃO ESPORTE • 117 cidades 109 Municípios 08 Instituições
2013 LANÇAMENTO DO PROGRAMA MINAS OLÍMPICA GERAÇÃO ESPORTE • 117 cidades 109 Municípios 08 Instituições

2013

LANÇAMENTO DO

PROGRAMA MINAS OLÍMPICA

GERAÇÃO ESPORTE

117 cidades 109 Municípios 08 Instituições de Ensino Superior

11.700 educandos

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS GERAÇÃO ESPORTE ATENDIMENTO Nº fixo de crianças, meta de 90% de frequência METODOLOGIA
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS GERAÇÃO ESPORTE ATENDIMENTO Nº fixo de crianças, meta de 90% de frequência METODOLOGIA
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS GERAÇÃO ESPORTE ATENDIMENTO Nº fixo de crianças, meta de 90% de frequência METODOLOGIA
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS GERAÇÃO ESPORTE ATENDIMENTO Nº fixo de crianças, meta de 90% de frequência METODOLOGIA
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS GERAÇÃO ESPORTE ATENDIMENTO Nº fixo de crianças, meta de 90% de frequência METODOLOGIA
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS GERAÇÃO ESPORTE ATENDIMENTO Nº fixo de crianças, meta de 90% de frequência METODOLOGIA

GERAÇÃO ESPORTE

ATENDIMENTO Nº fixo de crianças, meta de 90% de frequência

METODOLOGIA

Dimensões dos Conteúdos (Conceitual, Procedimental

Dimensões dos Conteúdos (Conceitual, Procedimental e Atitudinal). Executar duas dimensões por dia. ÁREAS

e Atitudinal). Executar duas dimensões por dia.

ÁREAS ENVOLVIDAS

Esporte como meio de formação global (utilizar todas

as áreas). Foco no esporte.

FAIXA ETÁRIA

07 a 13 anos

PÚBLICO ALVO • Educandos de 07 a 13 anos • Abrir vagas para 07 a

PÚBLICO ALVO

Educandos de 07 a 13 anos

PÚBLICO ALVO • Educandos de 07 a 13 anos • Abrir vagas para 07 a 11

Abrir vagas para 07 a 11 anos

Apenas 10% para 12 e 13 anos

Fem e Masc

07 a 11 anos • Apenas 10% para 12 e 13 anos • Fem e Masc
07 a 11 anos • Apenas 10% para 12 e 13 anos • Fem e Masc
07 a 11 anos • Apenas 10% para 12 e 13 anos • Fem e Masc

Baixa renda e vulnerabilidade social

Matriculados e frequentes na escola

10% para 12 e 13 anos • Fem e Masc • Baixa renda e vulnerabilidade social
OBJETIVO GERAL Educar pelo esporte, promovendo a cultura esportiva, da atividade física e do lazer
OBJETIVO GERAL Educar pelo esporte, promovendo a cultura esportiva, da atividade física e do lazer
OBJETIVO GERAL Educar pelo esporte, promovendo a cultura esportiva, da atividade física e do lazer
OBJETIVO GERAL Educar pelo esporte, promovendo a cultura esportiva, da atividade física e do lazer
OBJETIVO GERAL Educar pelo esporte, promovendo a cultura esportiva, da atividade física e do lazer

OBJETIVO GERAL

OBJETIVO GERAL Educar pelo esporte, promovendo a cultura esportiva, da atividade física e do lazer para

Educar pelo esporte, promovendo a cultura esportiva,

da atividade física e do lazer para

alcançar o desenvolvimento integral do indivíduo.

PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA DOS EDUCANDOS
PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA DOS EDUCANDOS
PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA DOS EDUCANDOS
PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA DOS EDUCANDOS
PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA DOS EDUCANDOS
PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA DOS EDUCANDOS
PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA DOS EDUCANDOS

PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA

DOS EDUCANDOS

PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA META: 90% de frequência mínima todos os meses • Ofício para o
PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA META: 90% de frequência mínima todos os meses • Ofício para o

PERMANÊNCIA

E

FREQUÊNCIA

PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA META: 90% de frequência mínima todos os meses • Ofício para o prefeito
PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA META: 90% de frequência mínima todos os meses • Ofício para o prefeito
PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA META: 90% de frequência mínima todos os meses • Ofício para o prefeito

META: 90% de frequência mínima todos os meses Ofício para o prefeito e gestor caso a meta

não seja cumprida E FREQUÊNCIA META: 90% de frequência mínima todos os meses • Ofício para o prefeito e

POR QUE ÊNFASE NA

POR QUE ÊNFASE NA FREQUÊNCIA E PERMANÊNCIA? • É o maior problema enfrentado pelo Programa ao
POR QUE ÊNFASE NA FREQUÊNCIA E PERMANÊNCIA? • É o maior problema enfrentado pelo Programa ao

FREQUÊNCIA E PERMANÊNCIA?

É o maior problema enfrentado pelo Programa ao longo dos anos;

O educando é o foco principal portanto sua

presença é essencial;

Se os educandos não permanecerem no núcleo e se não forem frequentes você e sua equipe não alcançarão os objetivos do Programa;

e sua equipe não alcançarão os objetivos do Programa; • Os resultados de desenvolvimento
e sua equipe não alcançarão os objetivos do Programa; • Os resultados de desenvolvimento

Os resultados de desenvolvimento (motor,intelectual,social) e progressão ficam falhos Os resultados de desenvolvimento (motor,intelectual,social) e progressão ficam falhos

e descontínuos se o educando não é frequente.os objetivos do Programa; • Os resultados de desenvolvimento (motor,intelectual,social) e progressão ficam falhos

OBJETIVOS ESPECÍFICOS • Garantir o acesso dos educandos nas diferentes práticas corporais (esportes, jogos e
OBJETIVOS ESPECÍFICOS • Garantir o acesso dos educandos nas diferentes práticas corporais (esportes, jogos e
OBJETIVOS ESPECÍFICOS • Garantir o acesso dos educandos nas diferentes práticas corporais (esportes, jogos e
OBJETIVOS ESPECÍFICOS • Garantir o acesso dos educandos nas diferentes práticas corporais (esportes, jogos e
OBJETIVOS ESPECÍFICOS • Garantir o acesso dos educandos nas diferentes práticas corporais (esportes, jogos e

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

OBJETIVOS ESPECÍFICOS • Garantir o acesso dos educandos nas diferentes práticas corporais (esportes, jogos e

Garantir o acesso dos educandos nas

diferentes práticas corporais (esportes, jogos

e brincadeiras, dança, lutas, ginásticas, capoeira, entre outros), por 6h semanais;

Desenvolver as habilidades motoras dos educandos através de atividades corporais compatíveis com a faixa etária;

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

OBJETIVOS ESPECÍFICOS • Realizar competições, torneios e festivais locais e regionais envolvendo famílias e
OBJETIVOS ESPECÍFICOS • Realizar competições, torneios e festivais locais e regionais envolvendo famílias e

Realizar competições, torneios e festivais locais e regionais envolvendo famílias e comunidade oferecendo aos participantes a oportunidade desta prática como meio para ampliar a cultura esportiva na promoção da qualidade de vida da população;

esportiva na promoção da qualidade de vida da população; • Qualificar e acompanhar continuamente os educadores
esportiva na promoção da qualidade de vida da população; • Qualificar e acompanhar continuamente os educadores
esportiva na promoção da qualidade de vida da população; • Qualificar e acompanhar continuamente os educadores

Qualificar e acompanhar continuamente os

educadores envolvidos com o Programa;

da qualidade de vida da população; • Qualificar e acompanhar continuamente os educadores envolvidos com o
Qualificar educadores Acesso a práticas corporais PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA DOS EDUCANDOS Realizar jogos Desenvolver
Qualificar educadores Acesso a práticas corporais PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA DOS EDUCANDOS Realizar jogos Desenvolver
Qualificar educadores Acesso a práticas corporais PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA DOS EDUCANDOS Realizar jogos Desenvolver
Qualificar educadores Acesso a práticas corporais PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA DOS EDUCANDOS Realizar jogos Desenvolver
Qualificar educadores Acesso a práticas corporais PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA DOS EDUCANDOS Realizar jogos Desenvolver

Qualificar

educadores

Acesso a

práticas

corporais

PERMANÊNCIA

E

FREQUÊNCIA

DOS

EDUCANDOS

Realizar

jogos

Acesso a práticas corporais PERMANÊNCIA E FREQUÊNCIA DOS EDUCANDOS Realizar jogos Desenvolver habilidades motoras

Desenvolver

habilidades

motoras

INIMIGOS DA BOA FREQUÊNCIA • Educando que tem expectativas diferentes ao objetivo do Programa; •
INIMIGOS DA BOA FREQUÊNCIA • Educando que tem expectativas diferentes ao objetivo do Programa; •
INIMIGOS DA BOA FREQUÊNCIA • Educando que tem expectativas diferentes ao objetivo do Programa; •
INIMIGOS DA BOA FREQUÊNCIA • Educando que tem expectativas diferentes ao objetivo do Programa; •
INIMIGOS DA BOA FREQUÊNCIA • Educando que tem expectativas diferentes ao objetivo do Programa; •

INIMIGOS DA BOA

FREQUÊNCIA

INIMIGOS DA BOA FREQUÊNCIA • Educando que tem expectativas diferentes ao objetivo do Programa; • Falta

Educando que tem expectativas diferentes ao objetivo do Programa;

Falta de planejamento das atividades;

Atividades repetitivas e sem propósito; Equipe de educadores desmotivadas;

Confronto com outros programas no município.

PROPOSTA PEDAGÓGICA

PROPOSTA PEDAGÓGICA DIMENSÕES DOS CONTEÚDOS CONCEITUAL SABER SOBRE PROCEDIMENTAL SABER FAZER ATITUDINAL SABER SER E
PROPOSTA PEDAGÓGICA DIMENSÕES DOS CONTEÚDOS CONCEITUAL SABER SOBRE PROCEDIMENTAL SABER FAZER ATITUDINAL SABER SER E
DIMENSÕES DOS CONTEÚDOS
DIMENSÕES DOS CONTEÚDOS

CONCEITUAL SABER SOBRE

PROCEDIMENTAL SABER FAZER

ATITUDINAL SABER SER E RELACIONAR

Conteúdos

relacionados à aprendizagem de valores, atitudes e normas. Princípios ou ideias éticas,

predisposições

para atuar de determinada maneira, padrões ou

regras de comportamento.

de determinada maneira, padrões ou regras de comportamento. Conteúdos relacionados a conceitos ou ideias-chave corpo,

Conteúdos relacionados a conceitos ou ideias-chave corpo, organismo, saúde, esporte, técnica, tática,

qualidade de vida

e beleza.

Conteúdos que

se referem ao

fazer: jogar, fazer exercício físico.

tática, qualidade de vida e beleza. Conteúdos que se referem ao fazer: jogar, fazer exercício físico.
DIMENSÃO CONCEITUAL
DIMENSÃO CONCEITUAL

Conhecer as transformações por que passou a sociedade em relação aos hábitos de vida (diminuição do trabalho corporal em função das novas tecnologias) e relacioná-las com as necessidades atuais de atividade física.

Conhecer as mudanças pelas quais passaram os esportes. Por exemplo, que o futebol era jogado apenas na elite no

seu início no país, que o voleibol mudou as suas regras em

função da Televisão etc.

Conhecer os modos corretos da execução de vários exercícios e práticas corporais cotidianas, tais como:

levantar um objeto do chão, sentar-se à frente do computador, realizar um exercício abdominal adequadamente etc.

como: levantar um objeto do chão, sentar-se à frente do computador, realizar um exercício abdominal adequadamente
DIMENSÃO PROCEDIMENTAL
DIMENSÃO PROCEDIMENTAL

Vivenciar e adquirir fundamentos básicos dos esportes

coletivos e individuais, danças, ginásticas, lutas,

capoeira. Por exemplo, praticar a ginga e a roda da capoeira.

Vivenciar diferentes ritmos e movimentos relacionados às danças, como as danças de salão, street dance, danças típicas e outras.

Vivenciar situações de brincadeiras e jogos.

como as danças de salão, street dance, danças típicas e outras.  Vivenciar situações de brincadeiras
DIMENSÃO ATITUDINAL
DIMENSÃO ATITUDINAL

Valorizar o patrimônio de jogos e brincadeiras do seu

contexto.

Respeitar os adversários, os colegas e resolver os problemas com atitudes de diálogo e não violência.

Predispor a participar de atividades em grupos, cooperando e interagindo.

Reconhecer e valorizar atitudes não preconceituosas quanto aos níveis de habilidade, sexo, religião e

outras.

 Reconhecer e valorizar atitudes não preconceituosas quanto aos níveis de habilidade, sexo, religião e outras.
NA PRÁTICA
NA PRÁTICA

Na prática docente, não há como dividir explicitamente os

conteúdos na dimensão conceitual, atitudinal e procedimental,

embora possa haver ênfases em determinadas dimensões. Por exemplo, o professor solicita aos alunos que realizem o aquecimento no início de uma aula. Enquanto eles executam os movimentos de alongamento e flexibilidade, o professor explica-

lhes qual é a importância de realizar tais movimentos, o objetivo

do aquecimento, quais grupos musculares estão sendo exigidos, entre outras informações.

Assim, tanto a dimensão procedimental, como a conceitual são

envolvidas na atividade.

Pode-se, no mesmo exemplo, aprofundar reflexões acerca do respeito ao próprio limite e ao do colega, respeito às diferenças, sugerindo aos alunos que realizem exercícios em duplas. Desse modo, estamos tratando da dimensão procedimental e atitudinal.

aos alunos que realizem exercícios em duplas. Desse modo, estamos tratando da dimensão procedimental e atitudinal.
PASSOS PARA IMPLANTAÇÃO DO NÚCLEO 1. Contratar o coordenador e os monitores 2. Divulgar o

PASSOS PARA IMPLANTAÇÃO DO NÚCLEO

1. Contratar o coordenador e os monitores

DO NÚCLEO 1. Contratar o coordenador e os monitores 2. Divulgar o Programa no município 3.

2. Divulgar o Programa no município

3. Fazer inscrições dos educandos (Manter lista de espera)

Ficha de inscrição (site: link Execução)

Autorização dos pais

Xerox do comprovante de matrícula na escola, declaração

dos pais • Xerox do comprovante de matrícula na escola, declaração escolar, ou boletim do ano

escolar, ou boletim do ano de referência.

dos pais • Xerox do comprovante de matrícula na escola, declaração escolar, ou boletim do ano
dos pais • Xerox do comprovante de matrícula na escola, declaração escolar, ou boletim do ano
dos pais • Xerox do comprovante de matrícula na escola, declaração escolar, ou boletim do ano
PASSOS PARA IMPLANTAÇÃO DO NÚCLEO 4. Fazer cadastros no SIGE • Atualizar dados pessoais –

PASSOS PARA IMPLANTAÇÃO DO NÚCLEO

4. Fazer cadastros no SIGE

PARA IMPLANTAÇÃO DO NÚCLEO 4. Fazer cadastros no SIGE • Atualizar dados pessoais – coordenador (upload

Atualizar dados pessoais coordenador (upload do

contrato e diploma)

pessoais – coordenador (upload do contrato e diploma) • Cadastro monitores (upload do contrato e
pessoais – coordenador (upload do contrato e diploma) • Cadastro monitores (upload do contrato e
pessoais – coordenador (upload do contrato e diploma) • Cadastro monitores (upload do contrato e
pessoais – coordenador (upload do contrato e diploma) • Cadastro monitores (upload do contrato e

Cadastro monitores (upload do contrato e diploma/declaração estudante)

Cadastro educandos

PASSOS PARA IMPLANTAÇÃO DO NÚCLEO 5. Confeccionar e fixar a placa de identificação do núcleo

PASSOS PARA IMPLANTAÇÃO DO NÚCLEO

PASSOS PARA IMPLANTAÇÃO DO NÚCLEO 5. Confeccionar e fixar a placa de identificação do núcleo •

5. Confeccionar e fixar a placa de identificação do núcleo

Modelo disponível no site da SEEJ

Enviar foto por e-mail

disponível no site da SEEJ • Enviar foto por e-mail 6. Retirar material esportivo 7. Preparar
disponível no site da SEEJ • Enviar foto por e-mail 6. Retirar material esportivo 7. Preparar
disponível no site da SEEJ • Enviar foto por e-mail 6. Retirar material esportivo 7. Preparar

6. Retirar material esportivo

7. Preparar o núcleo para funcionamento do Programa

Organizar materiais esportivos

Organizar documentos

7. Preparar o núcleo para funcionamento do Programa • Organizar materiais esportivos • Organizar documentos

PASSOS PARA IMPLANTAÇÃO DO NÚCLEO

PASSOS PARA IMPLANTAÇÃO DO NÚCLEO 8. 9. Realizar reunião de pais (bimestralmente) Início das atividades no

8.

9.

Realizar reunião de pais (bimestralmente)

Início das atividades no núcleo

11 de novembro de 2013

Enviar o coordenador e os monitores para a Qualificação Técnica

atividades no núcleo • 11 de novembro de 2013 Enviar o coordenador e os monitores para

10.

atividades no núcleo • 11 de novembro de 2013 Enviar o coordenador e os monitores para
atividades no núcleo • 11 de novembro de 2013 Enviar o coordenador e os monitores para
atividades no núcleo • 11 de novembro de 2013 Enviar o coordenador e os monitores para
atividades no núcleo • 11 de novembro de 2013 Enviar o coordenador e os monitores para
atividades no núcleo • 11 de novembro de 2013 Enviar o coordenador e os monitores para

FUNCIONAMENTO

FUNCIONAMENTO Núcleos com 100 educandos Cada turma com 25 educandos • T1: 7/8 anos • T2:
FUNCIONAMENTO Núcleos com 100 educandos Cada turma com 25 educandos • T1: 7/8 anos • T2:

Núcleos com 100 educandos

Cada turma com 25 educandos

T1: 7/8 anos

T2: 9/10 anos

T3: 9/10 anos

T4: 11-12 anos

 

2ª FEIRA

4ª FEIRA

6ª FEIRA

8h 10h

T1- monitor 1 T2 monitor 2

T1

T1

T2

T2

10h 12h

T3 - monitor 1 T4 -monitor 2

T3

T3

T4

T4

1 T2 – monitor 2 T1 T1 T2 T2 10h – 12h T3 - monitor 1
1 T2 – monitor 2 T1 T1 T2 T2 10h – 12h T3 - monitor 1
1 T2 – monitor 2 T1 T1 T2 T2 10h – 12h T3 - monitor 1
1 T2 – monitor 2 T1 T1 T2 T2 10h – 12h T3 - monitor 1

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO Os educandos irão 3 vezes por semana permanecendo no núcleo por 2 horas
FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO Os educandos irão 3 vezes por semana permanecendo no núcleo por 2 horas

Os educandos irão 3 vezes por semana permanecendo no núcleo por 2 horas diárias.

As atividades se dividirão da seguinte forma:

diárias. As atividades se dividirão da seguinte forma: • 15’ – recepção e chamada • 1h30

15’ – recepção e chamada

1h30 atividade corporal envolvendo no

mínimo duas dimensões dos conteúdos. 15’ – lanche

duas dimensões dos conteúdos. • 15’ – lanche Os horários de funcionamento e de reunião da
duas dimensões dos conteúdos. • 15’ – lanche Os horários de funcionamento e de reunião da
duas dimensões dos conteúdos. • 15’ – lanche Os horários de funcionamento e de reunião da

Os horários de funcionamento e de reunião da

equipe devem ser definidos pelos educadores, de acordo com os modelos de grade horária.

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO Modalidades esportivas e atividades diversificadas • A equipe deve trabalhar com os educandos,
FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO Modalidades esportivas e atividades diversificadas • A equipe deve trabalhar com os educandos,

Modalidades esportivas e atividades diversificadas

A equipe deve trabalhar com os educandos, por período (02 a 03 meses, conforme disposto no SIGE):

Ex: nov/dez 2013

(02 a 03 meses, conforme disposto no SIGE): Ex: nov/dez 2013  01 modalidade coletiva +
(02 a 03 meses, conforme disposto no SIGE): Ex: nov/dez 2013  01 modalidade coletiva +
(02 a 03 meses, conforme disposto no SIGE): Ex: nov/dez 2013  01 modalidade coletiva +
(02 a 03 meses, conforme disposto no SIGE): Ex: nov/dez 2013  01 modalidade coletiva +

01 modalidade coletiva + 01 atividade diversificada Jan 2013 Livre Colônia de Férias Fev/março/abril 2013 01modalidade coletiva(outra)+01atividade

diversificada Maio/junho/julho 2013 01 modalidade individual + 01 atividade diversificada

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO • Só é possível uma repetição de atividade durante o programa. Então em
FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO • Só é possível uma repetição de atividade durante o programa. Então em

Só é possível uma repetição de atividade durante o

programa. Então em 2 anos o futsal só pode ser trabalhado 2 vezes A cada 2 modalidades coletivas, deve-se trabalhar 1 modalidade individual

PERÍO

MODALIDADE

ATIVIDADE

DO

ESPORTIVA

DIVERSIFICADA

1

Voleibol

Jogos e Brincadeiras

2

Futsal

Dança

3

Atletismo

Ginástica

4

Basquete

Gincana

5

Handebol

Lutas

6

Natação

Jogos e Brincadeiras

7

Futsal

Recreação

Basquete Gincana 5 Handebol Lutas 6 Natação Jogos e Brincadeiras 7 Futsal Recreação
Basquete Gincana 5 Handebol Lutas 6 Natação Jogos e Brincadeiras 7 Futsal Recreação
Basquete Gincana 5 Handebol Lutas 6 Natação Jogos e Brincadeiras 7 Futsal Recreação
Basquete Gincana 5 Handebol Lutas 6 Natação Jogos e Brincadeiras 7 Futsal Recreação

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO EVENTOS • Cada núcleo deverá realizar 01 evento esportivo, cultural ou de lazer

EVENTOS

Cada núcleo deverá realizar 01 evento esportivo, cultural ou de lazer a cada semestre

01 evento esportivo, cultural ou de lazer a cada semestre  ESPORTIVO • Torneio • Campeonato
01 evento esportivo, cultural ou de lazer a cada semestre  ESPORTIVO • Torneio • Campeonato
01 evento esportivo, cultural ou de lazer a cada semestre  ESPORTIVO • Torneio • Campeonato

ESPORTIVO

Torneio Campeonato (curta duração) Festival

Jogos Intermunicipais •

lazer a cada semestre  ESPORTIVO • Torneio • Campeonato (curta duração) • Festival • Jogos
Evento Esportivo Pontos Positivos  A competição é elemento fundamental do esporte, que dá sentido

Evento Esportivo

Pontos Positivos

A competição é elemento fundamental do esporte, que dá sentido a sua existência, e é nela que a manifestação do esporte se realiza em sua plenitude.

que a manifestação do esporte se realiza em sua plenitude. Pontos Negativos  A competição é

Pontos Negativos A competição é excludente Prioriza os mais hábeis Incita a violência Valoriza a disputa, vencer a qq custo.

a violência  Valoriza a disputa, vencer a qq custo. “Goste -se ou não, a competição
a violência  Valoriza a disputa, vencer a qq custo. “Goste -se ou não, a competição
a violência  Valoriza a disputa, vencer a qq custo. “Goste -se ou não, a competição

“Goste-se ou não, a competição e a concorrência são a alma e o grande motor do desporto e da vida”, segundo Bento (2006, p. 14)

a “

competição em si não é boa ou má, ela é o que fazemos

dela”, segundo Ferraz (2002, p. 37),do desporto e da vida”, segundo Bento (2006, p. 14) a “ competição em si não

Evento Esportivo

Evento Esportivo . "Isto é, devemos (pais e profissionais) avaliar quais competições são adequadas às exigências
Evento Esportivo . "Isto é, devemos (pais e profissionais) avaliar quais competições são adequadas às exigências
.
.
Evento Esportivo . "Isto é, devemos (pais e profissionais) avaliar quais competições são adequadas às exigências
Evento Esportivo . "Isto é, devemos (pais e profissionais) avaliar quais competições são adequadas às exigências
Evento Esportivo . "Isto é, devemos (pais e profissionais) avaliar quais competições são adequadas às exigências
Evento Esportivo . "Isto é, devemos (pais e profissionais) avaliar quais competições são adequadas às exigências
Evento Esportivo . "Isto é, devemos (pais e profissionais) avaliar quais competições são adequadas às exigências

"Isto é, devemos (pais e profissionais) avaliar quais competições são adequadas às exigências do desenvolvimento físico e psicológico do jovem atleta. Lançar jovens diretamente às competições sem prepará- los adequadamente e sem observar seu nível de desenvolvimento geral é

desperdiçar uma boa chance de educar“.

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO EVENTOS  CULTURAL • Apresentações artísticas – dança, teatro, técnicas circenses,
FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO EVENTOS  CULTURAL • Apresentações artísticas – dança, teatro, técnicas circenses,
FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO EVENTOS  CULTURAL • Apresentações artísticas – dança, teatro, técnicas circenses,
FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO EVENTOS  CULTURAL • Apresentações artísticas – dança, teatro, técnicas circenses,
FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO EVENTOS  CULTURAL • Apresentações artísticas – dança, teatro, técnicas circenses,

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO

EVENTOS

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO EVENTOS  CULTURAL • Apresentações artísticas – dança, teatro, técnicas circenses,

CULTURAL Apresentações artísticas dança, teatro, técnicas circenses, etc; Mostra de cinema (relativo ao tema trabalhado)

LAZER Manhã de recreação e lazer com a família; Passeio Ecológico

Excursão de acordo com o tema

trabalhado.

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO RECURSOS HUMANOS • Cada núcleo terá 1 coordenador e 2 monitores de Educação
FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO RECURSOS HUMANOS • Cada núcleo terá 1 coordenador e 2 monitores de Educação

RECURSOS HUMANOS

Cada núcleo terá 1 coordenador e 2 monitores

de Educação Física

Carga Horária da equipe - 14 h semanais, sendo:

3 dias x 4h = 12h

+2h reunião de equipe = 14h

Física • Carga Horária da equipe - 14 h semanais, sendo: • 3 dias x 4h
Física • Carga Horária da equipe - 14 h semanais, sendo: • 3 dias x 4h
Física • Carga Horária da equipe - 14 h semanais, sendo: • 3 dias x 4h
Física • Carga Horária da equipe - 14 h semanais, sendo: • 3 dias x 4h
REUNIÃO DE EQUIPE  A reunião de equipe é semanal  Todos devem participar 
REUNIÃO DE EQUIPE  A reunião de equipe é semanal  Todos devem participar 
REUNIÃO DE EQUIPE  A reunião de equipe é semanal  Todos devem participar 
REUNIÃO DE EQUIPE  A reunião de equipe é semanal  Todos devem participar 
REUNIÃO DE EQUIPE  A reunião de equipe é semanal  Todos devem participar 

REUNIÃO DE EQUIPE

REUNIÃO DE EQUIPE  A reunião de equipe é semanal  Todos devem participar  Definir

A reunião de equipe é semanal

Todos devem participar

Definir a pauta

Preencher ata da reunião(simplificada)

Assuntos

- Planejamento:semestral,mensal,semanal;

- Problemas do dia-a-dia;

- Comportamento dos alunos;

- Calendário e festas comemorativas;

- Encaminhamentos especializados;

- Aprimoramento da equipe.

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO De Novembro de 2013 a Outubro de 2014: RECURSOS SALÁRIO CARGA HUMANOS
FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO De Novembro de 2013 a Outubro de 2014: RECURSOS SALÁRIO CARGA HUMANOS
FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO De Novembro de 2013 a Outubro de 2014: RECURSOS SALÁRIO CARGA HUMANOS
FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO De Novembro de 2013 a Outubro de 2014: RECURSOS SALÁRIO CARGA HUMANOS
FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO De Novembro de 2013 a Outubro de 2014: RECURSOS SALÁRIO CARGA HUMANOS

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO

De Novembro de 2013 a Outubro de 2014:

DO NÚCLEO De Novembro de 2013 a Outubro de 2014: RECURSOS SALÁRIO CARGA HUMANOS HORÁRIA

RECURSOS

SALÁRIO

CARGA

HUMANOS

HORÁRIA

COORDENADOR

R$ 630,00 SEEJ + R$ 320,00 PROPONENTE TOTAL = $ 950,00

14

h

MONITORES

Estudante - R$ 480,00 SEEJ

14

h

Graduado - R$ 480,00 SEEJ + R$ 200,00 PROPONENTE TOTAL = R$ 680,00

 

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO De Novembro de 2014 a Junho de 2015 : RECURSOS HUMANOS SALÁRIO CARGA
FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO De Novembro de 2014 a Junho de 2015 : RECURSOS HUMANOS SALÁRIO CARGA

De Novembro de 2014 a Junho de 2015 :

RECURSOS

HUMANOS

SALÁRIO

CARGA

HORÁRIA

COORDENADOR

R$ 695,00 SEEJ + R$ 363,00 PROPONENTE TOTAL = R$ 1058,00

14

h

MONITORES

Estudante - R$ 545,00

14

h

Graduado - R$ 545,00 SEEJ +

R$ 200,00 PROPONENTE TOTAL = R$ 745,00

14 h MONITORES Estudante - R$ 545,00 14 h Graduado - R$ 545,00 SEEJ + R$
14 h MONITORES Estudante - R$ 545,00 14 h Graduado - R$ 545,00 SEEJ + R$
14 h MONITORES Estudante - R$ 545,00 14 h Graduado - R$ 545,00 SEEJ + R$
14 h MONITORES Estudante - R$ 545,00 14 h Graduado - R$ 545,00 SEEJ + R$
FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO De Julho de 2015 a Outubro de 2015 : RECURSOS SALÁRIO CARGA
FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO De Julho de 2015 a Outubro de 2015 : RECURSOS SALÁRIO CARGA
FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO De Julho de 2015 a Outubro de 2015 : RECURSOS SALÁRIO CARGA
FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO De Julho de 2015 a Outubro de 2015 : RECURSOS SALÁRIO CARGA
FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO De Julho de 2015 a Outubro de 2015 : RECURSOS SALÁRIO CARGA

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO

FUNCIONAMENTO DO NÚCLEO De Julho de 2015 a Outubro de 2015 : RECURSOS SALÁRIO CARGA HUMANOS

De Julho de 2015 a Outubro de 2015 :

RECURSOS

SALÁRIO

CARGA

HUMANOS

HORÁRIA

COORDENADOR

R$ 695,00 SEEJ + R$ 364,00 PROPONENTE TOTAL = R$ 1.059,00

14

h

MONITORES

Estudante R$ 545,00 SEEJ

14

h

Graduado+ R$ 545,00

 

R$ 200,00 PROPONENTE TOTAL = R$ 745,00

ATRIBUIÇÕES DO GESTOR

ATRIBUIÇÕES DO GESTOR • Gerenciamento técnico – garantir o alcance dos objetivos e metas do programa,

Gerenciamento técnico garantir o alcance dos objetivos e metas do programa, acompanhar o cronograma e a

realização das atividades;

Gerenciamento administrativo enviar documentação e o efetivo cumprimento do convênio;

•
documentação e o efetivo cumprimento do convênio; • Gerenciamento financeiro – garantir a aplicação

Gerenciamento financeiro garantir a aplicação correta e efetiva dos recursos disponibilizados pelo proponente e pelo concedente (controle orçamentário e prestação de contas);

Captar recursos (formalização de parcerias e convênios);

Realizar um processo de articulação e mobilização da comunidade e as ações do programa;

e convênios); • Realizar um processo de articulação e mobilização da comunidade e as ações do
ATRIBUIÇÕES DO GESTOR • Realizar a articulação do poder público (prefeitura e estado) e privado

ATRIBUIÇÕES DO GESTOR

ATRIBUIÇÕES DO GESTOR • Realizar a articulação do poder público (prefeitura e estado) e privado

Realizar a articulação do poder público (prefeitura e

estado) e privado empresas/patrocinadores / Universidades); Evitar que as falhas aconteçam, prevendo as possíveis

dificuldades e agindo preventivamente; Ser o articulador entre a prefeitura e a equipe técnica do programa no município;

Ser o articulador entre a SEEJ, a prefeitura e a equipe

técnica do programa; Manter a equipe do programa motivada e produtiva, e gerenciar as expectativas da equipe e dos beneficiados.

programa; • Manter a equipe do programa motivada e produtiva, e gerenciar as expectativas da equipe
CONVÊNIO SEEJ (CONCEDENTE) • Envio de Recursos; • Qualificação Básica e Técnica para os educadores;
CONVÊNIO SEEJ (CONCEDENTE) • Envio de Recursos; • Qualificação Básica e Técnica para os educadores;
CONVÊNIO SEEJ (CONCEDENTE) • Envio de Recursos; • Qualificação Básica e Técnica para os educadores;
CONVÊNIO SEEJ (CONCEDENTE) • Envio de Recursos; • Qualificação Básica e Técnica para os educadores;
CONVÊNIO SEEJ (CONCEDENTE) • Envio de Recursos; • Qualificação Básica e Técnica para os educadores;

CONVÊNIO

CONVÊNIO SEEJ (CONCEDENTE) • Envio de Recursos; • Qualificação Básica e Técnica para os educadores; •

SEEJ (CONCEDENTE) Envio de Recursos;

Qualificação Básica e Técnica para os educadores;

Videoconferência bimestrais;

Realização das avaliações contínuas da execução do

Programa;

Envio de material esportivo e uniformes para o

desenvolvimento do Programa;

Supervisões in loco Equipe Interna e externa

CONVÊNIO

CONVÊNIO MUNICÍPIOS - PROPONENTE • Disponibilizar instalações físicas adequadas e de acordo com a grade horária
CONVÊNIO MUNICÍPIOS - PROPONENTE • Disponibilizar instalações físicas adequadas e de acordo com a grade horária

MUNICÍPIOS - PROPONENTE

Disponibilizar instalações físicas adequadas e de acordo com a grade horária definida pelos educadores;

Garantir a limpeza, higienização e conservação das

instalações utilizadas; Realizar o gerenciamento do núcleo; Selecionar os educadores; Selecionar os educandos; Complementar o salário dos coordenadores; Fornecer o reforço alimentar aos educandos e distribuí- lo de forma adequada; Fornecer kits de Primeiros Socorros aos núcleos.

alimentar aos educandos e distribuí- lo de forma adequada; • Fornecer kits de Primeiros Socorros aos
alimentar aos educandos e distribuí- lo de forma adequada; • Fornecer kits de Primeiros Socorros aos
alimentar aos educandos e distribuí- lo de forma adequada; • Fornecer kits de Primeiros Socorros aos
alimentar aos educandos e distribuí- lo de forma adequada; • Fornecer kits de Primeiros Socorros aos
REFORÇO ALIMENTAR • Fornecer o reforço alimentar aos educandos diariamente sendo 01 líquido e 01
REFORÇO ALIMENTAR • Fornecer o reforço alimentar aos educandos diariamente sendo 01 líquido e 01
REFORÇO ALIMENTAR • Fornecer o reforço alimentar aos educandos diariamente sendo 01 líquido e 01
REFORÇO ALIMENTAR • Fornecer o reforço alimentar aos educandos diariamente sendo 01 líquido e 01
REFORÇO ALIMENTAR • Fornecer o reforço alimentar aos educandos diariamente sendo 01 líquido e 01

REFORÇO ALIMENTAR

REFORÇO ALIMENTAR • Fornecer o reforço alimentar aos educandos diariamente sendo 01 líquido e 01 sólido.

Fornecer o reforço alimentar aos educandos diariamente

sendo 01 líquido e 01 sólido. Sugestão de Cardápio Refeição:

Arroz temperado, arroz de forno, galinhada, mingau,

sopa, macarronada, tropeiro, canjica, canja, caldo de

mandioca, caldo de feijão, etc. Ou Lanche:

Líquido - suco de frutas, leite, achocolatado, iogurte, bebida láctea, pingado etc;

Sólido - pão com queijo, pão com presunto, pão com

carne, cachorro quente, bolos (cenoura, fubá, mandioca, chocolate), frutas da estação, barra de cereal, etc;

Acréscimo ou variação: gelatina, salada de frutas, mini pizza, pipoca, etc Não recomendado: biscoito recheado, doces, guloseimas em geral, salgadinhos condimentados, pão com manteiga, café (puro), etc

REFORÇO ALIMENTAR Aplicar critérios básicos • Observar e aplicar as condições de Higiene para armazenagem,
REFORÇO ALIMENTAR Aplicar critérios básicos • Observar e aplicar as condições de Higiene para armazenagem,
REFORÇO ALIMENTAR Aplicar critérios básicos • Observar e aplicar as condições de Higiene para armazenagem,
REFORÇO ALIMENTAR Aplicar critérios básicos • Observar e aplicar as condições de Higiene para armazenagem,
REFORÇO ALIMENTAR Aplicar critérios básicos • Observar e aplicar as condições de Higiene para armazenagem,

REFORÇO ALIMENTAR

REFORÇO ALIMENTAR Aplicar critérios básicos • Observar e aplicar as condições de Higiene para armazenagem,

Aplicar critérios básicos

Observar e aplicar as condições de Higiene para

armazenagem, manuseio e distribuição do lanche aos

educandos;

Utilização de equipamentos mínimos para quem fará a distribuição touca e luvas

Antes da merenda ser servida, o local deve ser

preparado, bem como os utensílios necessários.

O momento de distribuição da merenda precisa ser

organizado e prazeroso, propiciando uma interação agradável das crianças entre si, e destas com os profissionais envolvidos na merenda.

A hora do lanche pode ser uma hora educativa, em

que as crianças podem ser esclarecidas sobre os alimentos, os bons hábitos alimentares e de higiene.