Você está na página 1de 11

PAUTA DE REINVIDICAÇÕES CLARIANT

O SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS QUÍMICAS, FARMACÊUTICAS E


SIMILARES DO SUL FLUMINENSE, ENCAMINHA A CLARIANT S/A., A MINUTA DO TEXTO DAS
REIVINDICAÇÕES DOS TRABALHADORES ESPECÍFICOS DESTA EMPRESA, PARA RENOVAÇÃO
DO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009/2010. A PRESENTE PAUTA FOI APROVADA NA
ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, REALIZADA NO DIA 03 DE NOVEMBRO DE 2009.

Cláusula 1ª- REAJUSTE SALARIAL

A Empresa concederá a partir de 1° de novembro de 2009, aos empregados representados pelo sindicato,
um reajuste nos salários conforme o índice integral de variação da inflação medido pelo INPC, no período
compreendido entre 1º de novembro de 2008 à 31 de outubro de 2009, e um reajuste correspondente a
6,0% (seis por cento) como aumento real para todos os salários.

Cláusula 2° - PISO SALARIAL

A Empresa garantirá, a partir de 1º novembro de 2009, que nenhum de seus trabalhadores perceberá
remuneração menor que R$ 941,93 ( Novecentos e quarenta e um reais e noventa e três centavos), ainda
não incluídos neste valor os reajustes previstos na Cláusula 1ª deste acordo.

Cláusula 3ª- ADIANTAMENTO QUINZENAL

A Empresa concederá, até o dia 15 (quinze) do mês, um adiantamento quinzenal correspondente a 40%
(quarenta por cento) do salário nominal, inclusive com o adicional de periculosidade;

Cláusula 4ª - ADICIONAL DE TEMPO DE SERVIÇO – ATS

A empresa pagará adicional de 1% (um por cento) do salário base do empregado e, quando for o caso da
Gratificação de Função por ano completo de serviço até o máximo de 15% ( quinze por cento ) do salário
base.

Cláusula 5ª - ADICIONAL DE PERICULOSIDADE .

A Empresa pagará o adicional de 30% (trinta por cento) de periculosidade, mensalmente, sem qualquer
perícia ou retroatividade.

Cláusula 6ª - ADICIONAL NOTURNO

O adicional noturno previsto em Lei, será remunerado com o acréscimo de 41,56% ( quarenta e um e
cinqüenta e seis por cento).

§ 1°- A este percentual aplica-se o percentual da diferença do horário reduzido noturno ( de 60 para 52,5
minutos), que é de 14,29 ( quatorze e vinte e nove por cento), totalizando um acréscimo na hora noturna,
incluindo as duas previsões legais, de 47,5 ( quarenta se sete e meio por cento).

§ 2°-Com o objetivo de melhorar o equilíbrio financeiro dos funcionários, entre o meses de trabalho
noturno e diurno a, EMPREGADORA pagará antecipadamente 40% do adicional noturno a que o
funcionário terá direito quando for trabalhar no horário noturno , ou seja, 19% de adicional noturno será
pago nos meses de trabalho diurno, como antecipação, sendo descontado, do adicional noturno, nos
meses de trabalho noturno.

Cláusula 7ª - ABONO ADICIONAL


Para trabalhadores com mais de 45 (quarenta e cinco) anos de idade e com 5 (cinco) anos ou mais de
serviço contínuo prestado à Empresa, fica garantido que, em ocorrendo rescisão de contrato, por iniciativa
da empresa, ser-lhe-á pago um abono adicional em valor correspondente a 30 (trinta) dias, com base no
seu último salário, de modo a garantir uma indenização que somada ao aviso prévio totalize 60 (sessenta)
dias, sem prejuízo do direito estabelecido pelo artigo 9° da Lei 7.238/84, exceto rescisões por justa causa
ou falta grave.

§ 1°- No caso de aviso prévio trabalhado, os trabalhadores abrangidos por esta cláusula deverão cumprir
apenas 30 (trinta) dias de aviso prévio.

§ 2° - Caso na vigência deste acordo ocorra promulgação de Lei específica sobre o aviso prévio, gerando
benefício superior ao estatuído nesta cláusula, esta será observada, cessando os termos acordados no
caput desta cláusula em benefício dos trabalhadores.

Cláusula 8ª- ADICIONAL DE SUBSTITUIÇÃO

O trabalhador que substituir outro, integralmente, de função hierárquica superior, fará jus durante o
período de substituição a diferença entre seu salário nominal e o salário nominal do substituído.

§ 1º - comunicação do evento de que trata esta cláusula se efetivará mediante comunicação escrita do
superior imediato ao Departamento de Recursos Humanos, com conhecimento da Gerência do
Departamento.

$ 2º - Excluídos desta cláusula os colaboradores envolvidos na política de treinamento onde o objetivo é o


desenvolvimento pessoal nas diversas tarefas da área ou setor (Job Rotation).

Cláusula 9ª - HORAS EXTRAS.

As horas extraordinárias serão remuneradas na forma seguinte:

a) As horas extras trabalhadas, conforme dispõe o artigo 59 da CLT, serão remuneradas com acréscimo
de 70% ( setenta por cento) sobre o valor da hora normal.

b) As horas extras trabalhadas em domingos, feriados e descanso semanal remunerado (DSR), serão
remuneradas com acréscimo de 130% (cento e trinta por cento) sobre o valor da hora normal.

c) No caso de convocação de trabalhador fora das dependências da Empresa, para trabalho


extraordinário, ser-Ihe-ão computadas 03 (três) horas normais de trabalho, além das horas, efetivamente
trabalhadas, remuneradas com acréscimo de 80% (oitenta por cento) sobre o valor da hora normal, desde
que o colaborador não esteja incluído na escala de sobreaviso ou não tenha havido prévia convocação por
escrito.

d) Ocorrendo necessidade do trabalhador dobrar jornada de trabalho por falta justificada ou não de seu
colega do turno seguinte, e, no interesse da Empresa, as horas correspondentes serão remuneradas com
acréscimo de 130% ( cento e trinta por cento) sobre o valor da hora normal.

e) A todo trabalhador que tiver sua jornada de trabalho prorrogada por motivo de urgência de tal forma que
ela se prolongue por até doze horas, sejam oito normais e quatro extraordinárias, ser-Ihe-à assegurado o
intervalo de onze horas interjornadas, mesmo que, para isto ele deixe de trabalhar no início da jornada
seguinte, por tantas horas quantas necessárias forem para completar o intervalo legal. As horas não
trabalhadas por aplicação deste parágrafo serão remuneradas.

Cláusula 10ª- ESCALA DE SOBREAVISO

A empresa poderá efetuar uma escala de sobreaviso para atendimento de suas necessidades, sendo essa
escala divulgada antecipadamente para que os colaboradores envolvidos possam se programarem.
§ 1º - Serão pagas 1/3 ( um terço) das horas em que o colaborador estiver de sobreaviso, ou seja, se
estiver na programação para estar de sobreaviso das 1800hs as 0600hs serão pagas, na folha de
pagamento do mês seguinte a escala, 4 horas normais ( 12hs/3=4horas).

§ 2º - Estando o colaborador escalado de sobreaviso este deverá permanecer em sua residência, ou local
de acesso semelhante e que esta seja comunicado á empresa antecipadamente para atendimento de
qualquer emergência.

§ 3º - Se durante o sobreaviso o colaborador for chamado para atendimento as horas do efetivo


atendimento serão pagas como previsto na cláusula 9ª deste acordo.

§ 4º - A escala de finais de semana terão o mesmo colaborador escalado para sobreaviso no sábado e no
domingo, pois desta forma o colaborador terá metade dos finais de semana comprometidos com essa
escala.

Cláusula 11ª- ADIANTAMENTO DE 13° SALÁRIO.

O valor correspondente a 1a (primeira) parcela do 13° (décimo terceiro) salário será paga quando da
concessão das férias.

Cláusula 12ª- PAGAMENTO E/OU DESCONTO DE HORAS

O pagamento das horas extras e/ou descontos de atrasos e faltas serão efetivados no mês subseqüente
com os salários atualizados.

Cláusula 13ª- PROGRAMA DE PARTICIPAÇÃO NOS RESULTADOS (PPR)

A Empresa fará um demonstrativo da previsão dos indicadores do Programa de Participação nos


Resultados até a data de 30 de novembro do ano em referência.

Cláusula 14ª - FÉRIAS .

As férias obedecerão aos seguintes critérios:

A) DA CONCESSÃO DAS FÉRIAS.

O início das férias coletivas, individuais ou antecipadas, integrais ou não, não poderá coincidir com
domingos e feriados ou dias já compensados e para os trabalhadores que trabalhem em turno , o início
das férias deverá sempre ocorrer após a folga:

B) DO RETORNO DE FÉRIAS.

A Empresa não poderá promover a dispensa do trabalhador nos 30 (trinta) dias subsequentes à data em
que este retorna das férias, sob pena de ter que pagar-Ihe um valor adicional correspondente a
60(sessenta) dias com base no último salário, sem prejuízo do aviso prévio a que por lei tiver direito e da
indenização de que trata o Art. 9° da lei 7.238, de 29.10.84, salvo rescisões por justa causa ou falta grave.

C) O ADICIONAL DE FÉRIAS

O Adicional de Férias será de 1 (um) Salário Nominal.

Cláusula 15ª- TRABALHO EM TURNO


A empresa , em suas unidades produtivas, adota também o turno fixo de 12(doze) horas, obedecendo o
horário das 07h00 às 19h10 e das 19h00 às 07h10, com 1(uma) hora para repouso/alimentação, com
escala de 2 (dois) dias de trabalho e 2 (dias) de folga e 3 (três) dias de trabalho e 2 (dois) dias de folga e 2
(dois) dias de trabalho e 3 (três) dias de folga.

Esta escala propicia que a cada 15 (quinze dias) o funcionário tenha 3 (três)dias de folga coincidentes com
Sexta, sábado e Domingo e a carga semanal média será de 39h20m, considerando o ciclo de 12 (doze)
meses.

§ único - Atendendo a conveniência dos próprios empregados, visando melhor equilíbrio financeiro, em
conseqüência de percepção do adicional noturno, o horário poderá ser trocado trimestralmente, de forma
que o empregado que vinha trabalhado no horário das 7h00 às 19h10, passará a trabalhar das 19h00 às
7h10 e vice-versa.

Cláusula 16ª - JORNADA DE TRABALHO

A jornada semanal de trabalho, para todos os trabalhadores que não fazem turno, terá a duração de
42h30mn ( quarenta e duas horas e trinta minutos).

Cláusula 17ª - MARCAÇÃO DO PONTO

Haverá dispensa da marcação de ponto nos intervalos para refeição (uma hora) e descanso (quinze
minutos) na forma da Portaria n° 3.082/84

Cláusula 18ª- TRABALHADOR ESTUDANTE-TURNO

Nos dias designados para provas escolares mensais e mediante prévia comunicação dos interessados,
com a devida comprovação da instituição de ensino, e antes da elaboração da escala semanal os turnos
serão organizados de modo que não haja coincidência entre o horário de trabalho e o horário de provas
escolares dos trabalhadores estudantes.

Cláusula 19ª - AVISO PRÉVIO

o Aviso Prévio deverá ser comunicado pela Empresa por escrito e contra recibo, esclarecendo se será
trabalhado ou não. No caso de Aviso Prévio trabalhado, o trabalhador terá direito de escolher entre as
somas das horas (redução), transformadas em dias ou redução simples de duas horas diárias, previstas
no artigo 488 da CL T.

Cláusula 20ª - JUSTIFICATIVAS PARA AUSÊNCIAS

Além dos motivos amparados pela Lei, a Empresa reconhece como justificadas as ausências do
trabalhador nos casos de:

A - Falecimento do cônjuge, pais, filhos e irmãos, no limite de 03(três) dias, a contar da data do evento
com comprovação através de certidão de óbito quando do retorno.

B - Casamento, no limite de 05 (cinco) dias corridos, a contar da data do evento, com comprovação
posterior por meio de certidão própria.

C - Doença do cônjuge e/ou filho, com internação, devidamente comprovada por atestado médico ou
hospitalar, no limite de 01 (um) dia.

Cláusula 21ª- RECRUTAMENTO INTERNO


A Empresa, quando ocorrerem vagas em seus quadros, procurará divulgá-las junto aos trabalhadores
potencialmente qualificados para as mesmas, buscando o aproveitamento dos trabalhadores/estagiários,
de forma oferecer-lhes oportunidades de promoção e crescimento profissional.

Cláusula 22ª- SUBSTITUIÇÃO DEFINITIVA DE FUNCIONÁRIO

A substituição definitiva de funcionário, fará com que a Empresa, preferencialmente, nas promoções que
tiver que realizar, procure beneficiar o maior número possível de trabalhadores, observada a estrutura de
sua linha hierárquica.

Cláusula 23ª- ESTÁGIO

A Empresa dará preferência nos estágios aos dependentes de funcionários, desde que, a seu critério, em
iguais condições com outros dependentes.

Cláusula 24ª- CIPA

As eleições da CIPA deverão ser divulgadas internamente e comunicada ao Sindicato, com a devida
antecedência.

Cláusula 25ª - GARANTIA DE APOSENTADORIA

O trabalhador dispensado sem justa causa, e que conte com mais de 10 (dez) anos de serviço na
Empresa, faltando no máximo 24 (vinte e quatro) meses para sua aposentadoria, ainda que proporcional,
terá a sua contribuição ao INSS como desempregado, reembolsada pela Empresa, até conseguir um novo
emprego, durante o prazo máximo de 24 (vinte e quatro) meses.

§ Único -A referida contribuição terá como base o último salário do trabalhador dispensado, acrescido
posteriormente dos reajustes legais previdenciários vigentes á época, respeitando-se os preceitos da Lei
8.213/91.

Cláusula 26ª - GARANTIA DE EMPREGO POR ACIDENTE DE TRABALHO

Fica vedada a dispensa do trabalhador afastado por acidente do trabalho, por um período de 12 (doze)
meses após a cessação do auxílio acidentário, independentemente de percepção de auxílio acidente, sem
prejuízo do aviso prévio e na forma prevista no artigo 118 da Lei 8.213 de 24.07.91.

Cláusula 27ª - GARANTIA DE EMPREGO OU SALÁRIO POR MOTIVO DE DOENÇA

O funcionário afastado por motivo de doença, desde que recebendo benefício do INSS por período
superior a 15 (quinze) dias, terá garantia de emprego ou salário por 90 (noventa) dias, após o término do
período da licença, exceto os casos de contrato de trabalho por prazo determinado, justa causa, pedido de
demissão e acordo entre as partes.

Cláusula 28ª - ASSISTÊNCIA MÉDICO-HOSPITALAR PARA EX- TRABALHADORES

A Empresa intercederá junto ao seu convênio médico-hospitalar envidando todos os esforços para garantir
a continuidade do convênio nas proporções e formas seguintes:

A - APOSENTADOS.
Aos trabalhadores com mais de 10( dez) anos de trabalho na Empresa, que venham a sé aposentar, será
garantido o pagamento após seu desligamento da Empresa, dos primeiros seis meses da mensalidade do
plano médico e hospitalar, bem como a sua esposa ou companheira, continuar o convênio às suas
expensas, sem carência:

B - TRABALHADORES DISPENSADOS SEM JUSTA CAUSA.

Aos trabalhadores com mais de 10 ( dez) anos de trabalho na Empresa, que sejam dispensados sem justa
causa e que permaneçam desempregados, será garantido o pagamento dos primeiros três meses da
mensalidade do plano médico e hospitalar, permitindo ao mesmo, se interessado, continuar o convênio às
suas expensas, sem carência.

C – MENSALIDADES.

A Empresa tentará manter o valor da mensalidade dos planos referidos nos parágrafos anteriores, pelo
menos próximo ao custo per capita, vigente à época da saída do trabalhador.

Cláusula 29ª- COMPLEMENTAÇÃO SALARIAL (INSS)

A Empresa complementará o valor do auxílio-doença e ou Acidente do Trabalho percebido pelos


trabalhadores em gozo destes benefícios perante a Previdência Social (INSS), nos doze primeiros meses.

§ 1° -Os salários dos trabalhadores afastados por motivo de doença e ou acidentes do trabalho e que
recebam benefícios do INSS, serão reajustados no mesmo percentual que for concedido a todos os
trabalhadores em atividade.

§ 2° -Será complementado o valor do Abono Anual (13° salário) percebido pelos trabalhadores afastados
pela Previdência Social em gozo de auxílio-doeriça durante o primeiro ano de afastamento.

Cláusula 30ª - FILHOS MAIORES

Terão direito ao consórcio médico hospitalar os filhos dos trabalhadores maiores até 24 (vinte e quatro)
anos, desde que e enquanto estudantes universitários e sem rendimentos próprios.

§ Único -Os filhos de trabalhadores até 24 (vinte e quatro) anos, sem rendimentos próprios, enquanto
cursando cursos preparatórios para concurso vestibular ou cursos profissionalizantes regulamentares,
desde que comprovem tal situação por atestado de matrícula renovável a cada seis meses, terão direito ao
beneficio disposto no caput da presente cláusula.

Cláusula 31ª - DIREITO À CRECHE

Com o objetivo de incrementar o amparo à maternidade e a à infância, bem como propiciar a melhor
utilização dos recursos despendidos normalmente pelas empresas, através de convênios - creche, as
partes signatárias do presente acordo, analisada a Portaria MTb-3.296, de 03.09.86, estabelecem as
seguintes condições que deverão ser adotadas pela empresa, com relação a manutenção e guarda dos
filhos de suas empregadas:

§ 1º - A Empresa manterá local apropriado para guarda e vigilância do(s) filho(s) de sua(s) empregada(s),
no período de amamentação, ou concederão, alternativamente, às mesmas um reembolso de despesas
efetuadas para este fim:

§ 2º - O valor do reembolso corresponderá às despesas com a guarda, vigilância e assistência ao filho


registrado legalmente, até o limite de 50% do Piso Salarial (cláusula 2ª do Acordo Coletivo) vigente na data
do reembolso.

§ 3ª - O reembolso somente beneficiará a empregada que esteja em serviço na empresa.


§ 4º - O reembolso também beneficiará a empregada que adotar legalmente, neste caso o reembolso
iniciará quando for apresentada a documentação de adoção e cessará quando a criança completar 24
meses.

§ 5º - O reembolso também beneficiará o empregado que obtiver a guarda legal e exclusiva dos filhos.

§ 6º - Em todos os casos o reembolso cessará quando a criança beneficiada completar 24 meses de


idade.

§ 7º - Dado seu caráter substitutivo do seu preceito legal, bem como por ser meramente liberalidade e não
remunerativo, o valor do reembolso não integrará a remuneração para quaisquer fins.

Cláusula 32ª - AUXÍLIO FUNERAL

No caso de falecimento do trabalhador , a Empresa reembolsará aos beneficiários legais, as despesas


com funeral, no valor até 2,5 (dois vírgula cinco) menores salários vigentes à época.

§ único Salvo se a Empresa tiver Plano Seguro de Vida em grupo.

Cláusula 33ª- LICENÇA PARA ADOTANTE

Para empregada que adotar ou obtiver guarda judicial para fins de adoção de criança será concedida
licença maternidade, nos termos do Art. 392-A da Consolidação das Leis do Trabalho, observado o
seguinte:

a) No caso de adoção ou guarda judicial de criança até 1 (um) ano de idade, o período de licença será de
120 (cento e vinte) dias.

b) No caso de adoção ou guarda judicial de criança a partir de 1 (um) ano até 4(quatro) anos de idade, o
período de licença será de 60 (sessenta dias) dias.

c) No caso de adoção ou guarda judicial de criança a partir de 4 (quatro) anos até 8 (oito) anos de idade,
o período de licença será de 30 (trinta) dias.

d) A licença-maternidade só será concedida mediante apresentação do termo judicial de guarda à


adotante ou guardiã.

Cláusula 34ª- GESTANTE

A funcionária gestante terá garantia de emprego até 120 (cento e vinte) dias após o término da
estabilidade prevista na Constituição Federal, exceto dispensa por justa causa ou pedido de demissão.
Nos últimos casos, as rescisões serão feitas com assistência do Sindicato, sob pena de nulidade.

Cláusula 35ª- AUXÍLIO FILHO EXCEPCIONAL

A empresa reembolsará, aos seus empregados, mensalmente em folha de pagamento, a título de auxílio,
o valor correspondente a até 80%(oitenta por cento) do salário normativo vigente no mês de competência
do reembolso, as despesas efetiva e comprovadamente feitas pelos mesmos com educação especializada
de seu(s) filho(s) excepcional (is), assim considerado(s) os portadores de limitação psicomotora, os cegos,
os surdos, os mudos e os deficientes mentais, comprovado por médico especialista e ratificado pelo
médico da empresa e, na falta deste, por médico do convênio ou do INSS, nesta ordem de preferência.

Cláusula 36ª- VALE TRANSPORTE


A empresa abrangida pelo presente Acordo Coletivo, concede aos seus empregados o vale-transporte nos
termos e disposições definidos na Lei n. 7418 de 16/12/85, com redação dada pela lei n. 7619 de
30/09/87.

Cláusula 37ª - TREINAMENTO PARA BOMBEIROS

A Empresa pagará aos bombeiros as horas de atendimento eventual, fora do horário normal de trabalho,
bem como as horas de treinamento e as da escala de sobreaviso, com base nos cargos assim definidos
pela Empresa:

- COMANDANTE;
- CHEFE DE GRUPO;
- BOMBEIRO I,II E III.

§ único - As horas serão pagas nas seguintes bases mais os reajustes previstos na cláusula 1ª deste
ACT:

- COMANDANTE : R$ 60,12/hora;
- SUBCOMANDANTE R$ 43,64/hora;
- CHEFE DE GRUPO: R$ 27,17/hora;
- BOMBEIRO I: R$ 23,30/hora;
- BOMBEIRO II: R$ 19,42/hora;
- BOMBEIRO III: R$ 15,56/hora.

Cláusula 38ª - ASSISTÊNCIA SINDICAL

As homologações das rescisões de contrato de trabalho dos trabalhadores da Empresa, nos termos do
artigo 477 parágrafo primeiro da CLT, preferencialmente, serão feitas nas dependências do Sindicato, com
assistência do Diretor Sindical.

Cláusula 39ª - MENSALIDADES ASSOCIATIVAS

A Empresa descontará em folha de pagamento as mensalidades associativas do Sindicato, desde que


autorizadas por seus empregados.

§ Único – O desconto da mensalidade associativa sindical será de 1% (um por cento) do Salário Base,
sendo que por deliberação da Diretoria do Sindicato este percentual terá um teto estipulado de R$ 15,00
(quinze reais) para todos os trabalhadores da Clariant S/A.

Cláusula 40ª - MENSALIDADES DA COOPERATIVA DE CRÉDITO

A empresa manterá, sempre que autorizado pelo empregado, o desconto em folha de pagamento do
capital de subscrição e integralização das quotas partes, parcelas referentes a contrato de empréstimo
pessoa, e outros contratos firmados pelo funcionário e a Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos
Trabalhadores nas Indústrias Químicas, Farmacêuticas e Similares do Sul Fluminense Ltda.
COOPERQUIM

§ Único - A empresa se compromete a assegurar o acesso, previamente agendado, de representantes da


cooperativa de crédito – COOPERQUIM, as suas instalações.

Cláusula 41ª - CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL


A título de contribuição assistencial para o Sindicato a empresa pagará, em dezembro 2.009, o valor
correspondente a 6 pisos salariais da categoria (descritos na cláusula 2ª deste acordo), vigentes na época
do pagamento.

§ Único – O pagamento da indenização a que se refere esta cláusula substitui o desconto da contribuição
assistencial dos empregados, portanto, não há necessidade de nenhuma demonstração de oposição ao
desconto citado por parte dos empregados.

Cláusula 42ª - LICENÇA PARA DIRETOR SINDICAL

Quando houver assunto de interesse relevante da classe a ser resolvido e sendo necessária a presença
física de Diretor do Sindicato, (trabalhador da Empresa) mediante prévia comunicação verbal e posterior
comprovação por ofício do Sindicato, terá este as suas ausências abonadas até o limite máximo mensal
de 16 (dezesseis) horas. As ausências não utilizadas no mês não serão transferidas e nem acumuladas
para os meses subsequentes.

Cláusula 43ª – DELEGADO SINDICAL

Tendo em vista a necessidade permanente de atuação de um representante sindical para tratar de


assuntos de interesse dos trabalhadores da Clariant S/A., o Sindicato encaminhará a empresa o nome de
2 (dois) Delegados Sindicais, devidamente escolhido em assembléia ou processo eleitoral interno. O
Delegado Sindical terá garantida sua estabilidade conforme regimento eleitoral do Sindicato.

Cláusula 44ª- ENTENDIMENTO ENTRE SINDICATO E EMPRESA

o Sindicato e a Empresa darão preferência à negociação como forma de prevenir ou resolver quaisquer
conflitos esgotando todos os recursos antes de adotarem qualquer outra providência, inclusive junto ao
Ministério do Trabalho, Justiça do Trabalho e Autoridades em Geral.

Cláusula 45ª- COMUNICAÇÃO DO SINDICATO

Toda e qualquer comunicação escrita do Sindicato para os trabalhadores, a serem afixados em quadro de
aviso serão enviadas primeiramente ao Departamento de Recursos Humanos.

§ Único -Tal procedimento não implicará em veto, censura ou cerceamento das prerrogativas do
Sindicato.

Cláusula 46ª - INFORMAÇÃO DE ADMISSÃO, AFASTAMENTO E DEMISSÃO DE TRABALHADORES .

A Empresa encaminhará ao Sindicato, mensalmente, uma relação de trabalhadores admitidos e,


trimestralmente, uma relação de trabalhadores afastados pelo INSS, onde constará a data do afastamento
e/ou retorno.

Cláusula 47ª - ACOMPANHAMENTO DO ACORDO

A Empresa compromete-se a realizar reuniões trimestralmente com o Sindicato.

§ Primeiro -Tais reuniões serão realizadas nos meses fevereiro, maio e agosto, devendo as mesmas
serem formalmente agendadas mediante ofício, a ser remetido com antecedência mínima de 30 (trinta
dias) em relação à data de reunião.

§ Segundo -Tais reuniões visam, inclusive, operacionalizar o disposto na cláusula, e, especialmente,


propiciar o acompanhamento do presente acordo.
Cláusula 48ª - AJUDA ODONTOLÓGICA PARA APOSENTADOS

A empresa pagará ao sindicato, durante a vigência deste acordo, o valor mensal de 3 (três) pisos da
categoria (descritos na cláusula 2ª deste acordo), para custear o plano de assistência odontológica à
aposentados.

Cláusula 49ª - MANUTENÇÃO DE CONQUISTAS

As vantagens já concedidas espontaneamente pela empresa, ou, em Acordos e Dissídios


anteriores na forma em vigor nesta data, serão mantidas, não podendo ser reduzidas por força deste ACT
ou alteradas em prejuízo dos empregados.

§ Único - Vencida a vigência deste ACT, não havendo na data-base novo instrumento coletivo que venha a
substituí-lo, fica ajustado que, enquanto não houver novo ACT, ou sentença Normativa, ficam prorrogados
automaticamente os efeitos das cláusulas dispostas no presente instrumento, de acordo com a Lei.

Cláusula 50ª - BENEFÍCIOS IGUAIS OU SUPERIORES


Serão adotadas obrigatória e imediatamente pela empresa as modificações oriundas da legislação,
referentes ao regime celetista, editadas durante a vigência deste acordo, desde que mais benéficas aos
empregados.

Cláusula 51ª – PREVISÃO DE TERMO ADITIVO


As partes acordam, em casos especiais, incluir Termos Aditivos a este Acordo, na medida em que se
fizerem necessários e previamente acordados.

Cláusula 52ª - AÇÃO DE CUMPRIMENTO

A empresa garantirá que as divergências em relação às cláusulas do presente Acordo sejam dirimidas
perante a Justiça do Trabalho através de Ação de Cumprimento, em que o Sindicato atue na condição de
substituto processual dos(as) empregados(as), independentemente de outorga de procuração individual
dos(as) mesmos(as).

Cláusula 53ª - LEGISLAÇÃO APLICÁVEL

Aplicar-se-á às disposições do presente Acordo Coletivo de Trabalho, o disposto na legislação em vigor,


de acordo com o artigo 613, da CLT.

Cláusula 54ª - CATEGORIA DIFERENCIADA

Os funcionários enquadrados em categoria profissional diferenciada, tais como: motoristas, desenhistas,


telefonistas, contabilistas, secretárias, etc., perderão automaticamente todas as vantagens conferidas com
o presente acordo, no momento em que reclamarem ou optarem pela percepção de qualquer vantagem
decorrente de Acordo ou Dissídios Coletivos, nos quais sejam partes os sindicatos das categorias
profissionais diferenciadas a que eventualmente pertencerem.

Cláusula 55ª - ABRANGÊNCIA DO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO

O presente Acordo Coletivo de Trabalho abrange todos os empregados da empresa representados pelos
signatários do presente acordo, bem como, todos os trabalhadores que porventura estiverem laborando no
parque fabril da empresa, contratados direta ou indiretamente devendo a esses ser aplicados todos os
termos do presente contrato.

Cláusula 56ª – MULTA


No caso de descumprimento de quaisquer cláusulas do presente acordo, a empresa estará obrigada ao
pagamento de multa de 10% (dez por cento), do salário-piso da categoria, por dia de atraso, em favor de
cada empregado, revertida ao mesmo trabalhador, sempre no prazo máximo de 10 (dez) dias após o
pagamento dos salários, permanecendo inadimplente a empresa por mais de 15 (quinze) dias, a referida
multa será majorada a 1(um) piso da categoria por dia de atraso paga na mesma forma acima
convencionada. A presente penalidade encontra-se fixada de conformidade com o que exige o inciso VIII,
do artigo 613, da CLT.

Cláusula 57ª – VIGÊNCIA DO ACORDO


O presente acordo vigorará pelo prazo de 1(um) ano com início em 01 de novembro de 2009 e término em
31 de outubro de 2010.

Resende, 09 de novembro de 2009.