Você está na página 1de 2

FERIDAS

Avaliação do risco de úlcera de pressão em doentes hospitalizados utilizando a Escala de Braden

Autores

Pedro Miguel Garcez Sardo*, Cláudia Simões**, José Joaquim Marques Alvarelhão***, João Filipe Fernandes Lindo Simões****, Elsa Maria Oliveira Pinheiro de Melo*****

Apresentadores

Pedro Miguel Garcez Sardo*

Introdução: As úlceras de pressão são um grave problema de saúde pública (EPUAP, 2009; Ferreira, Miguéns, Gouveia, & Furtado, 2007). Atualmente a escala de Braden é um dos principais instrumentos de avaliação do risco de desenvolvimento de úlceras de pressão utilizados mundialmente, em conjunto com o juízo clínico de enfermagem (Braden, 2012). A DGS recomenda que nos internamentos hospitalares seja avaliado o risco de desenvolvimento de úlceras de pressão de 48 em 48 horas através da Escala de Braden (DGS, 2011). Objetivos: Este estudo teve como objetivo caracterizar o risco de desenvolvimento de úlcera de pressão, em doentes hospitalizados durante o ano de 2012, de acordo com a avaliação da Escala de Braden, no momento de admissão nos serviços de internamento do Centro Hospitalar do Baixo Vouga, EPE – Unidade de Aveiro. Metodologia: Estudo descritivo e retrospetivo, quantitativo, com análise de dados sociodemográficos, clínicos e dos registos das avaliações dos resultados totais e parciais da Escala de Braden efetuados na base de dados do Sistema de Apoio à Prática de Enfermagem®. Foram incluídos doentes admitidos pela urgência ou com internamento programado, durante o período de 1 de janeiro a 31 de dezembro de 2012. Foram excluídos os doentes com idade inferior a 18 anos, provenientes de transferências dentro do próprio hospital e internados nos Serviços de Psiquiatria, Ginecologia, Obstetrícia e Medicina Intensiva. Resultados: O estudo abrangeu 8147 doentes (Homens - 52%; Mulheres – 48%). Com uma média de idades de 66.4 ± 18.1 anos (média ± DP). Admitidos pelo serviço de urgência (74%) e de forma programada (26%). Os doentes foram internados em unidades médicas (44%) e em unidades cirúrgicas (56%). A mediana do tempo de internamento foi de 7 dias, embora 8% dos doentes estivesse hospitalizado mais de 20 dias. Na primeira avaliação, a média do resultado total da Escala de Braden foi de 17,8. Ser classificado na classe de risco é estatiscamente significativo para as variáveis género (feminino OR 1,39; 95%IC [1,27-1,53]), idade (>65 anos OR 5,05; 95%IC [4,51-5,65]), proveniência (urgência OR 8,15; 95%IC [6,96-9,5]), área de internamento (médica OR 2,71; 95%IC [2,46-2,97]), tempo de internamento (>20 dias OR 2,38; 95%IC [2,03-2,80]) e o diagnóstico ICD-9. O estudo evidenciou que os doentes apresentaram uma melhoria nos valores da escala de Braden entre a primeira e última avaliação (p<0,001). Conclusões: A idade superior a 65 anos, a maior duração do tempo de internamento e o diagnóstico, são factores de risco para o desenvolvimento de úlceras de pressão, podendo ser indicadores importantes para a implementação de medidas de prevenção adequadas a cada situação. O diagnóstico de saída ICD-9 de traumatismo, doenças vasculares ou respiratórias, apresentam maior risco de desenvolvimento de úlcera de pressão. Contudo é necessária a avaliação mais pormenorizada de outros fatores para compreender melhor outras variáveis que influenciem este risco. Palavras-chave: Úlcera Pressão; Escala Braden; Hospitalização; ICD-9 Referências bibliográficas (max. 4 - Norma APA): Braden, B. J. (2012). The Braden Scale for Predicting Pressure Sore Risk: reflections after 25 years. Adv Skin Wound Care, 25(2), 61. doi:

10.1097/01.ASW.0000411403.11392.10DGS. (2011). Escala de Braden: Versão Adulto e Pedriátrica (Braden Q). Lisboa: Direção-Geral da Saúde.EPUAP. (2009). Prevention and treatment of pressure ulcers: quick reference guide. Washington DC: National Pressure Ulcer Advisory Panel.Ferreira, P. L., Miguéns, C., Gouveia, J., & Furtado, K. (2007). Risco de Desenvolvimento de Úlceras de Pressão: Implementação Nacional da Escala de

* Centro Hospitalar do Baixo Vouga / Universidade de Aveiro / Universidade do Porto, Serviço de Urgências / Escola Superior de Saúde / Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar [pedro.sardo@ua.pt] ** Universidade de Aveiro, Química *** Universidade de Aveiro, Escola Superior de Saúde **** Universidade de Aveiro, Escola Superior de Saúde ***** Universidade de Aveiro, Escola Superior de Saúde [elsamelo@ua.pt]

Braden. Loures: Lusodidacta.

* Centro Hospitalar do Baixo Vouga / Universidade de Aveiro / Universidade do Porto, Serviço de Urgências / Escola Superior de Saúde / Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar [pedro.sardo@ua.pt] ** Universidade de Aveiro, Química *** Universidade de Aveiro, Escola Superior de Saúde **** Universidade de Aveiro, Escola Superior de Saúde ***** Universidade de Aveiro, Escola Superior de Saúde [elsamelo@ua.pt]