Você está na página 1de 361
Sumario (Apostila preparatéria para 0 concurso do ISGE, Edital n® 2 de 20 de setembro de 2013) Lingua PORTUGUESA Compreensio ¢ interpretagio de texto 03 ‘A organizagio textual dos varios modos de organizagio discursiva snes 8 Coeréncia e caesio 3B Ortogeatia a Classe, estrutura, formacio e significaSo de vocabulos. Derivac3o ¢ composicio. oo AL Aoracio e seus termos. & estruturacdo do periodo. se 89 As classes de palavras: aspectos moroldgicos sintticose estilsticos.. 55 Linguagem figurada.... 103 Pontuagao .. on 98 RACIOCINIO LGICO Avaliagdo da habilidade do candidato em entender a estrutura ldgica de relagdes entre pessoas, lugares, colsas ou eventos, deduzir novas informagbes e avaliar as condi¢des usadas para estabelecer a estrutura daquelas relagbeS eu ncansvnnne 106 Estruturas ldgicas; ldgica de argumentaglo; diagramas légicos... - 12a Aritmétiea, algebra e geametria basica 153 GEOGRAFIA Nogdes bisicas de cartografia: Orientagdo: pontos cardeais, 197 Localizac8o: coordenadas geograficas (latitude e longitude) 198 Representagio: leitura, escala, legendas e convensées .. - sn 202 Natureza e meio ambiente no Brasil: Grandes dominios climticos. Ecossistemas, ss 205 [As atividades econdmicas e a organizacao do espaco: Espazo agrério: madernizagio e conflitas 219 Espaco urbano: atividades econémicas, emprego e pobreza. A rede urbana e a5 Regiées Metropolitanas.. ss 225 Formagiio Territorial e Divisio Poltico-Administrativa: Divsdo Poliico-Administrativa, OrganlzacHo federatva van 230 CONHECIMENTOS ESPECIFICOS Conhecimentos especificos sobre o IBGE: informagées sobre a Instituigo, conceitos basicos para o desenvolvimento do trabalho na Agéncia e da atividade do Técnico de Coleta 232 CONHECIMENTOS GERAIS Elementos de politica brasileira, Cultura e sociedade brasileira: musica, literatura, artes, arquitetura, rSdio, cinema, teatro, jornais, revistas e televisio. Histéria do Brasil, Descobertas e inovagdes cientificas na atualidade e seus impactos na sociedade contempordnea. Meio ambiente e sociedade: problemas, politicas publicas, organizagées no governamentais, aspectas locals e aspectos globais. Panorama da economia nacional. O catidiano brasileiro 242 NOGOES DE INFORMATICA Correia Eletrénico (mensagens, anexacdo de arquivos, c6pias}.. 290 Periféricos, Componentes. 354 Estruturagio de diretérios, subdiretéros e arquivos ss B42 Windows 7 226 Browser 290 Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 3 Lingua Portuguesa Compreensio e interpretacio de texto Os concursos apresentam questdes interpretativas que tem por finalidade a identificagso de um — leitor auténomo, Portanto, 0 candidato deve compreender os niveis estruturais da lingua por meio da légica, além de necessitar de um bom léxica internalizado. As frases produzem significados diferentes de acordo com © contexte em que estio inseridas. Torna-se, assim, ecessario sempre fazer um confronto entre todas as partes que compdem o texto, Além disso, @ fundamental aprender as informacdes apresentadas por trés do texto e as inferéncias a que ele remete. Esse procedimento justfica-se por um texto ser sempre produto de uma postura ideoldgica do autor diante de uma tematica qualquer, Seméntica E © estude do significado das palavas e de suas modificagées de sentido. ‘+ Polissemia - Consiste no fato de uma palavra poder assumir virios significados, de acorde com o contexto em que esta inserida. Jodo era 0 cabeca da empresa. (cabeca: lider) Maria bateu a cabeea no vidro. (eabesa: parte do corpo) + Denotagio - € 0 uso de palavras em seu sentido prdprio, real Déime a cabeca. Fabia comprou um espelho, + Conotagie - £9 use de palavras em seu sentido figurado, subjetivo. Ele é 0 cabeco da turma, 0s olhos si0 0 espelho da olmo. 2 Questdes de concurso comentadas 1. (CESGRANRIO / 2012 / Chesf / Profissional de Nivel Superior / Administraco) As palavras podem assumir sentidos figurades, ou seja, significados diferentes das acepgées @ usos previstos pelos diciondrios, embora facilmente compreensiveis no contexto especifico em que se encontram. ‘A passagem do texto em que uma palavra em sentido figurado esta presente é: a) “Dal esta avalanche, este tsunami de informacées.” b) “0 estado de nossas células cerebrais, as nossas emagées; tudo isso pode representar uma limitagao ppara nossa capacidade de lembrar.” © "Para quem, como eu, viaja bastante © tem de trabalhar em aviGes ou em hotéis, € um recurso preciosa.” 4d) “Mas nao encontrel pen drive algum.” e) "Perguntei no aeroporto, entre! em contato com o taxi que me trouxera, iguel para casa: nada.” 26 Comentério: ‘A passagem do texto em que uma palavra em sentido figurade (ou conotativo) est presente é na alternativa "2", No texto, os termos “avalanche” e “tsunami” foram usados com 0 significado de “volume grandioso” “incontrolivel” de informagées. Gabari 2. (CESPE/2011/FUB/Nivel Médio) Texto para item seguinte 1 Ha gente no Brasil interessada em importar dos Estados Unidos da América (EUA) 0 Teach for America, o mals bbem-sucedido programa feito para atrair os melhores 4 estudantes de ensino mésio para a carreira de professor. No Brasl, 0s professores ttm saldo da parte menos qualificada da pirdmide —justamente aquela habitada por 20% dos alunos 7 como mais haixa rencimenta escolar do pais. Qualquer Inicitiva para mudar isso seré mais do que ber-vinda, © Teach for America consegue atrair os mals 10 talentosos alunos para a docéncia oferecendo-thes algo bem concrete. Depois de dois anos no papel de professor de escola ppiblica — tempo minimo de estada no programa —, esses 42. Jovens ingressam quase que automaticamente em algumas {das malores empresas americanas, com as quals 0 Teach for ‘America estabelaceu uma pragutiva parceria. Para as empresas, 16 recrutar gente que passou por la significa encurtar 0 complicado processo de busca por bons profisionals. Pela festreita pencira do programa sé passam os realmente capazos, 419 Parase ter uma ideia, apenas 0s alunos de otimo boletim tem diteito a inscrigdo e, ainda assim, 85% deles ficam de fora Considerando aspectos lexicais © tipoldgicos do texto, julgue o item subsequente. No texto, o vocibulo “peneira” (2.18) & empregado em sentido figurado, Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 4 £5 Comentario: Come jé estudamos, no sentido figurade [ou conotative), a8 palavras possuem um valor subjetiva. No texto, 0 termo “peneira” fol usado com o significado de “selecio”, pportanto esta ne sentido figurado, Gabarito: Certo 3. (Eletrobras / NCE) A frase abaixo em que a palavra {febre esté empregada em sentido figurado é. a} A febre nio.é um mal, afirmam os clentistas. b) Ha uma nova febre na Africa que estd matando os gorilas. c) Em geral, a febre vem aps uma infecg0 no organismo, d) Hé uma febre de pesquisas em todo © mundo. @) Afebre é uma alta de temperatura do corpo. “2 Comentario: No sentido figurado (conotativo) as palavras possuem um valor subjetivo, Na alternativa “d” 0 termo “febre” est usado com o significado de “desejo ardente”. Nas demais alternativas, o vocabula “febre” é empregado fem sentido real, ou seja, denotative Gabarito: D Come ler e interpretar bem um texto Basicamente, deve-se alcancar dois niveis de leitura: a informativa de reconhecimento e a interpretativa. A primeira deve ser felta de maneira cautelosa por ser 0 prrimeiro contato com 0 novo texto. Dessa leitura, extraem-se informagdes sobre o conteddo abordado & prepara'se 0 proximo nivel de leitura. Durante a Interpratagio propriamente dita, cabe destacar palavras- chave e passagens importantes, bem como usar uma palavra para resumir a ideia central de cada pardgrafo. Esse tipo de procedimento agua a meméria visual, favorecendo o entendimento. Nao se pode desconsiderar que, embora a interpretacao, seja Subjetiva, hé limites, A preacupaio deve ser a captacdo da esséncia do texto, a fim de responder as Interpretagées que a banca considerou como pertinentes. No caso de textos literarios, € preciso conhecer a ligacso, daquele texto com outras formas de cultura, outros textos, fe manifestacées de arte da epoca em que o autor viveu. Se nde houver essa visio global dos momentos literdrios e dos escritores, a Interpretac3opoderd_ficar comprometida. Aqui nio se podem dispensar as dicas que aparecem na referencia bibliografica da fonte e na Identifieagio do autor A ultima fase da interpretag3o concentra-se nas erguntas e opsdes de resposta. Aqui séo fundamentals, as marcagées de palavras como ni respectivamente etc. que fazem diferenga na escolha adequada. Muitas vezes, em interpretacdo, trabalha-se com 0 conceito do “mais adequado”, isto &, 0 que responde melhor a0 questionamento proposto. Por isso, uma resposta pode estar certa para responder 3 pergunta, mas ndo ser a adotada como gabarito pela banca examinadora por haver uma autra alternativa mais completa, Ainda cabe ressaltar que algumas questdes apresentam lum fragmento do texto transcrito para ser a base de andlise. Nunca dee de retornar ao texto, mesmo que, aparentemente, pareca ser perda de tempo. A descontextualizagio de palavras ou frases, certas vezes, & ‘também um recurso para instaurar a divida no candidato, Lela a frase anterior e a posterior para ter ideta do sentido global proposto pelo autor, dessa maneira a resposta sera mais consciente e segura. © Dicas de estudo: Abaixo passaremos algumas dicas sobre como estudar para questdes de interpretacdo de textos e também algumas técnicas para usar durante a prova: 1) Deixe seu cérebro bem treinado: resolva o maior imero possivel de questées de interpretacao de texto da banca organizadora da prova e também das provas anteriores do rao a0 qual voce prestard 0 concurso. Um exemplo de site onde vocé poders encontrar questées é ° www. questoesdeconcursos.com.br. Nesse site vocé poderd selecionar as questdes por assunto, banca, ano, ete., ou ent3o procurar no Google questées de Interpretacso de textos, enfim, questées para vord exercitar nlo faltario, 2) Cronometre o tempo de resolucdo: lembre- -se de {que voc® tera um tempo determinado para resolver a prova, Sendo assim, divida 0 niimero de questées pelo tempo que a banca disponibiliza para a realiza¢do da prova. Dessa forma voce descobrirs 0 tempo médio de cada questo, Ndo esqueca que voc’ deve dear parte dele reservado para preencher o gabarito ¢ também fazer a leitura feleitura dos textos de interpretacao. Vocé estaré bem treinado quando conseguir, em seus treinos, resolver cada questio dentro do tempo médi Nao adianta vocé gabaritar as questdes durante os seus estudos, se vocé levar o dobro do tempo que terd disponivel no dia da prova 3) Aumente seu vocabulario; imprima as provas ¢ tenha uma caneta marca texto sempre a mio. Destaque qualquer palaura que vocé nao saiba o significado, procure o seu significado no dicionério, anote os significados perto da palavra e guarde essas provas. Depois de um tempo, lela as provas novamente e veja se voct lembra dos significados. 4) Durante a prova: leis 0 texto © preste atencio também no titulo, na referéncia bibliogréfica da fonte Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 5 @ no nome do autor, essas informagées, muitas veres, darao dicas importantes para reforcar a ideia central do texto. 5) As pistas esto no texto. Esse @ © tinico tipo de questo em que voce pode *colar": todas as pistas para resolver as questées esto no proprio texta, par iss0, em nossa opinilo, & a parte mais facil da prova, uma ver que nd. exige do candidato pré- memorizagées de assuntos, apenas raciocinio. € uma das poucas questdes em que nio ha perigo de voce se deparar com um assunto que no estudou ou no decorou, 6) Recursos visuals: apds ler atentamente o texto uma ver, lela 2s perguntas de interpretacao e, em seguida, releia o texto, procurando nele as informagées que tornam cada alternativa Correta ou Incorreta. Vocé pode sublinhar, no texto, o trecho que refarca o julgamento de cada alternativa, colocando, 20 lado, a sua sugestio de resposta. Por exemplo 1A (guestio 1, alternative A), 18 (questio 1, alternative 8). Isso faciltars a localza¢io da informagio, caso voce tenha que reler o texto uma terceira vez, para chegar 23 conclusio correta Questio de concurso comentada (Cesgranrio/2013/BNDES/Técnico Administrative) léncia do esporte ~ sangue, suor ¢ anélises Na luta para melhorar a performance dos atletas [..], © Comité Olimpico Brasileiro tem, ha dois anos, um departamento exclusivamente voltado para a Ciéncia do Esporte. De estudos sobre a fadiga a compra de materiais para atletas de ponta, a chave do éxito € uma sé: 0 detalhamento personalizado das necessidades, Talento @ fundamental. Suor ¢ entrega, nem se fala, Mas. fo caminho para 9 aura alimpica nos dias atuals passa par conceitos bem mais profundos. Sem distingdo entre génios da espécie e reles mortais, a maquina humana 56 atinge © maximo do potencial se suas caracteristicas, Individuals forem minuciosamente estudadas. Num Universo olimpico em que muitas vezes um milésimo de segundo pode separar gloria e fracasso, entra em campo a Clénecia do Esporte. Porque grandes campeses também. so moldados através de andlises laboratoriais, projetos académicos e modernos programas de computador. A importincia dos estudos cientifices eresceu de tal forma que 0 Comité Olimpico Brasileiro (COB) ha dois anos criow um departamento exclusivamente dedicado ao tema. (.. — Nos trabathamos para potencializar as chances de resultados. O que se define como Ciéncia do Esporte é na verdade uma quantidade ampia de informagdes que so trazidas para que técnico e atleta possam utllza-las da melhor maneira possivel. Mas o lider sera sempre 0 treinador. Ele decide o que ¢ melhor para o atleta — ressalta o responsével pela geréncia de desenvolvimento € projetos esneciais, que cuida da area de Ciencia do Esporte no COB, Jorge Bichara, ‘A geréncia também abrange a coordenaco médica do comité. Segundo Bichara, a area de Ciéncia do Esporte esté dividida em sete setores: fisiologia, bioquimica, nutricdo, psicologia, meteorologia, treinamento esportivo e video anslise, Reposi¢ao individualizada Na prética, © atleta de alto rendimento pode dispor desde novos equipamentos, que o deixem em igualdade de condigbes de treino com seus principals concorrentes, até dados fisiolégicos que indicam 0 tipo de reposigio ideal a serfeita apos a disputa. — No futebol feminino, jé temos o peril de desgaste de cada atleta © pudemos desenvolver técnicas individuats de recuperacdo. Algumas precisam beber mais agua, ‘outras precisam de isoténico — explica Sidney Cavalcante, supervisor de Ciéncia do Esporte do comité, ..] {As Olimpiacias nia si laboratario para testes. £ preciso que todas as inovagées, indegendentemente da modalidade, estejam testadas e catalogadas com antecedéncia. Sichara afirma que © trabalho da area de Ciencias do Esporte nos Jogos pode ser resumida em um Ainico conceit: — Recuperagio, Essa & a palavra-chave. [..) CCUNHA, Ary; BERTOLDO, Sanny, Ciéncia do esporte ~sangue, suor e andlises. 0 Globo, Rio de Janeiro, 25maio 2012. 0 Globo Olimpiadas -Ciéncia a servico do esporte,p.6. 1. (Cesgranrio/2013/BNDES/Técnico Administrativo) Segundo 0 texto, atualmente, para um atleta ganhar uma ‘medalha de ouro, ele deve a) aliar talento e treinamento a outros recursos. b) fiar-se basicamente nas habilidades individuais, ©) deixar 0s treinos de lado e se concentrar nes novos conceitos. 4d) exigir do treinador um aprofundamento dos treinos de qualquer maneira. fe) aprimorar seu talento, entregando-se & pratica desportiva integralmente. 2 Comentario: ‘A alternativa correta 6 a letra “a” segundo informacdes extraidas do seguinte trecho do texto: “Talento & fundamental, Suor e entrega, nem se fala. Mas o caminho para 0 ouro alimpico nos dias atuais passa por conceitos ‘bem mais profundos. [..] Num universo olimpico em que ‘muitas vezes um milésimo de segundo pode separar gloria ¢ fracasso, entra em campo a Ciéncia do Esporte Porque grandes campedes também sdo moldades atraves Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 6 de anélises laboratoriais, projetos académicos modernos programas de computador.” Gabarito: & 2. (Cesgranrio/2013/BNDES/Técnico Administrativo) Segundo 0 texto, 0 responsével pelos projetos especiais & a} CoB b) atleta €)._ tecnico d) treinador e) Sr. Bichara 2 Comentério: © responsdvel pelos projetos especiais, segundo 0 texto, & © Sr, Bichara, conforme informagdes extraidas do seguinte trecho do texto: “..0 responsavel pela geréncia de desenvolvimento e projetos especiais, que cuida da rea de Ciéncia do Esporte no COB, Jonge Bichara.” Gabarito: € Texto para as questées de 3.36 RETRATOS DE UMA EPOCA Mostra exibe cartées-postais de um tempo que ‘nao volta mais. Em tempos de redes sociais e da presenca cada vez maior da internet no cotidiana, pouca gente se recorda de que nem sempre tudo foi assim t3o rapido, instantineo e impessoal. Se os adultos esquecem logo, criangas e adolescentes nem sabem como os avés de seus avés se comunicavam. Hé 15 dias, uma edueadora no Recife, Niedja Santos, indagou a um grupo de estudantes quais os meios de comunicag3o que eles conheciam. Nenhum citou cartées-postais. Pols eles j4 foram td importantes que eram usados para troca de mensagens de amor, de amizade, de votos de felicidades e de versos enamorados que hoje podem parecer cafonas, mas que, entre os séculos XIK € XX, sugeriam apenas 0 sentimento movido a sonho & romantismo, Para se ter uma Idela de sua importincia, basta lembrar um pouco da histsria: nasceram na Austria, nna segunda metade do século XIX, coma um nave meio de correspondéncia. € a invengio de um professor de Economia chamado Emanuel Hermann fez tanto sucesso que, em apenas um ano, foram vendidos mais de dez rmilh@es de unidades sd no Império Austro-Hungaro. Depots, espalharam-se pelo mundo e eram aguardados com ansiedade. = A moda dos cartdes-postais, trazida da Europa, sobretudo da Franca, na inicio do século passado para 0 Recife de antigamente, tornou-se uma mania que invadiu toda a cidade ~ lembra 0 colecionador Liedo Maranhio, que passou melo século colecionando-os e reuniu mais de 600, 253 dos quals est8o na exposigio “Postaes: A correspondéncia afetiva na Colegio Liedo Maranhio”, no Centra Cultural das Correios, na capital pernambueana © pesquisador, residente em Pernambuco, comesou a se interessar pelo assunto vendo, ainda jovem, 05 postais que eram trocados na sua prépria familia, Depois, passou a compra-los no Mercado Sao José, reduto da cultura popular do Recife, onde eram encontrados em ccaixas de sapato ou penduradas em cordées para chamar 4 atengio dos visitantes. Boa parte da colegio vem dai bal = Acho que seu impacto é justamente o de trazer para o mundo contemporaneo 0 glamour e o romantismo de um meio de comunica¢do t3o usual no passado ~ afirma © curador Gustavo Maia. = 0 que mais chama a atengéo & 0 sentimento romantico como conceito, que pode ser pereebido na delicadeza perdida de uma forma de comunicagio que hoje esta em desuso — reforga Gartira Ferraz, outea curadora da mostra. [..J LINS, Leticia. Retratos de uma época. Revista O Globo, Rio de Janeiro, 383, p. 26-28, 1o maio 2011. Adaptado, 3. (CESGRANRIO / 2011 / FINEP / Analista / Juridica) A ideia contida nos dois primeiros pardgrafos é a de que: a) a necessidade de comunicagSo _interpessoal desenvolveu-se s6 com a internet, b) 0s cartdes-postais eram, & sua época, considerados cafonas, ©) 2 atividade interpessoal realizada hoje pela internet era realizada, antes, similarmente por meio dos cartées-postais, 4) a importincia dos cartdes-postais se deveu ao fato de terem sido criados na Europa e, enti, trazidos para Brasil €) os cartdes-postais eram o principal meio de correspondéncia entre os professores na Austria, 2 Comentario: a) Incorreto. A comunicagao interpessoal sempre foi uma nnecessidade na vida do homem. A internet apenas determinou novas formas de isso acontecer. 'b)Incorreto. A autora cita © termo “eafonas” referindo-se 05 versos enamorados que antes eram escritos nos ‘cartbes-postals, romantismo este que hoje parece estar ‘em desuso, ©) Cotreto. Tanto pela internet, quanto pelos cartées ppostais, as mensagens de amor e carinho so trocadas. 4d) Incorreto. A importéncia dos cartées-postais se deveu 8 sua finalidade comunicativa na época @ ndo est ligada a0 seu local de origem. €@) Incorreto. O texto nBo cita que 05 cartées-postais eram © principal meio de correspondéncia, mas fala da sua importéncia na época. Também nao ha informac3o de que eram utilizados para comunicasao entre professores, apenas refere que 0 seu inventor era um professor de Economia, Gabarito: ¢ Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 7 4. (CESGRANRIO / 2011 / FINEP / Analista / Juridica) Pela leitura do texto, infere-se que a épaca do surgimento dos cartdes-postais se caracterizava por a} lentidao e fugacidade b) vagareza e permanéncia ©) _indiferenca e celeridade 4d) rapider e solidariedade ce} pessoalidade e velocidade Z Comentario: Releia 0 trecho: “Em tempos de redes sociais e da presenca cada vex maior da internet no cotidiano, pouca gente se recorda de que nem sempre tudo fol assim to répido, instantdneo e impessoal. Se a época, hoje, @ caracteriada como épida, instant&nea e Impessoal, isto ¢, 0 contrério da epoca do surgimento dos cartées-portais, entéo, podemos inferir que © periodo dos cartdes-postais tenha sido lento, devagar, duradouro, permanente, pessoal Gabarito: 8 5. (CESGRANRIO / 2011 /FINEP / Analista / Juridica) As afirmagdes abaixo relacionam-se 20 professor Emannuel Hermann, |= Deixou de ser professor de Economia, apés vender mais de dez milhoes de postals I—-Inventou os cartBes-postas IMI Nasceu na segunda metade do século XIX Esta contide no texto © que se afirma em a} |, apenas. b) Hl, apenas. ) Ill apenas. d) [ell, apenas. e} lel apenas. 2 Comentario: © texto, em momento algum, informa que Emannuel Hermann deixou de ser professor, tampouco cita a época de seu nascimento. Afirma que ele foi 0 criador dos cartdes-postais, langados como novo meio de comunicacio na segunda metade do século Xix. Sendo assim, a Unica afirmativa correta ¢ a I Gabarito: 8 6. (CESGRANRIO / 2011 / FINEP / Analista / Juridica) Em um carto-postal, Ié-se 0 seguinte: “Teu celestial sorriso / Me oleara, encanta e foscina, / Prometendo um paraiso, / Onde serds iue divina:” A relacio entre o trecho destacado e a explicagao ao seu lado esta corteta em: a} “Teu celestial sorriso” - a sarriso de quem remete o cartao, b) “[.] encanta e fascina” - 0 destinatario encantado, fascinado pelo sorriso. ©) “Prometendo um paraiso” - 0 remetente infere no sortiso uma promessa. d) “Onde seras luz [..." - @ palavra onde remete ao ¢) “Tu.] serds luz divina” - a luz € proveniente do céu e inerente ac paraiso. Comentario: a) Incorreto. “Teu celestial sorriso” - Trata-se do sorriso do destinatario, bb) Incorreto. “[..] encanta e fascina” - O remetente sente- se encantado, fascinado pelo sorriso daquele(a} a quem lenviou o cartio. ©) Correto. “Prometendo um parafso” - O remetente fentende que no sorriso da outra pessoa existe subentendida uma promessa 4d) Incorreto, “Onde serds luz [. remete ao paraiso. €) Incorreto. “[..] seras luz divina” ~ Nesse paraiso, 0 destinatario seré luz divida: a luz € 0 proprio destinatario. Gabarito:¢ - A palavra onde 7. (CESPE/2013/CNJ/ Analista_Judiciario/ Area ‘Administrativa) Um dos maiores méritos da sabedoria grega consistiu, justamente, em apresentar a moderacio, ‘ou bom senso, como a virtude suprema. No frontispicio. do templo de Apolo, em Delfos, uma das inscrigées célebres era: nada em excesso, Aquele que exerce seu direito sem moderage acaba por perdé-lo, Do mesmo modo, @ exigéncia excessiva por um mal sofrido transforma 0 exercicla do diceito em uma manifestacio de vinganga pura e simples. Nesse caso, a justica muda de lado: ela se desloca para o lado do adversério.[.] Considerando as ideias e 0s aspects linguisticos do texto ‘cima, julgue o item seguinte, Depteende-se do texto que, de acordo com as gregos, © exerciclo do direito 6 uma virtude suprema, 2 Comentirio: © item esta incorreto pois, de acorda com o texto temos "Um dos maiores méritos da sabedoria grega consistiu, justamente, em apresentar a moderacio, ou bom senso, como a virtude suprema.” Gabarito: Errado 8. (CESPE/2013/TRT/ 10° REGIAO (DF e TO)/ T Judictario) © Tribunal Regional do Trabalho da 10.8 Regio (TRT), apés autorizagdo da presidenta, efetuou a doagdo de diversos equipamentos, chamados de “passiveis de desfazimento”, 2 duas entidades: Creche Magia dos Sonhos @ Associagio dos Deficientes de Brasflis, Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 8 consideradas pela administraco do tribunal como legalmente aptas a receber os bens. ‘A medida @ de grande importéncia porque equipamentos considerados obsoletos ou de baixo rendimento para o TAT — como impresoras, teclados & computadores — padem ser muito dteis para instituigSes voltadas ao trabalho social, que no teriam como obté-los, a ndo ser pela via da doacio. Esse ato integra o ral de agées relacionadas a responsabilidade social do tribunal, intensificado a cada Bestdo, Internet: cwwu.trt10,jus.br> (com adaptacdes). Em relagio as idelas e estruturas linguisticas do texto acima, julgue 0 item a seguir. De acordo com os sentidas do texto, os equipamentos foram doados porque estavam com defeitos de fabricacao, 2 Comentario: O item est incorreto pois, de acordo com 0 texto temos: "A medida é de grande importancia porque equipamentos considerados obsoletos ou de baixo rendimento para o TRY [..J podem ser muito iteis para instituigées voltadas 30 trabalho social [..).” Sendo assim, 0s equipamentos foram doados por serem considerados obsoletos ou de baixo rendimento e nao porque estavam com defeitos de fabricacao. Gabarito: Errado A organizacao textual dos varios modos de organizacao discursiva. Tipologia textual ‘+ Texto Literdrio: expressa a opinido pessoal do autor, due 6 transmitida por mei de figuras: & impregnado de subjetivismo, Predomina a conotacio. Ex: um romance, um conto, uma poesia ‘* Texto nao literdrio: preacupa-se em transmitir uma mensagem de forma clara, objetiva, informativa, com sentido real. Predomina a denotacio. fx: uma notica de jornal, uma bula de medicamento. Tipos de composigao + Deserigaa: descrever & representar verbalmente um. ‘objeto, uma pessoa, um lugar, mediante a indicagao de aspectos caracteristicos, de pormenores individualizantes, Requer observagio cuidadosa, para tornar aquilo que vai ser desctito um modelo Inconfundivel. Nao se trata de enumerar uma série de elementos, mas de captar os tracos capazes de ‘ransmitir uma impressao auténtica. Por isso, impbe- se © uso de palavras especificas, _exatas, © Narrado: @ um relato organizado de acontecimentos reais ou imaginéries. Sio seus elementos constitutivos: personagens, circunstincias, ago; 0 seu nticleo & 0 incidente, 0 episddio, @ 0 que a distingue da descrigio € a presenca de personagens atuantes que esto quase sempre em conflite. Elementos envolvides na Narracie: a) Quem? Personagem, b) Qué? Fatos, enredo. ©) Quando? A época em que ocorreram os acontecimentes. 4) Onde? 0 lugar da ocorrénecia €] Como? © modo como se desenvolveram os acontecimentos. f) Por qué? A causa dos acontecimentas. * Dissertagiio: dissertar & apresentar idelas, analisé las; € estabelecer um ponto de vista baseado em argumentos l6gicos; é estabelecer relagdes de causa € efeito, Aqui no basta expor, narrar ou descrever, 6 necessério explanar e explicar. O raciecinio é que deve imperar nesse tipo de composigao e, quanto maior a fundamentas3o argumentativa, mais brilhante seré 0 desempenho, 6 Questies de concurso Comentadas 1. (CESGRANRIO / 2011 / FINEP / Analista / Juridica) © trecho “Hé 15 divs, uma educadora no Recife, Niedja Santos, indagou a um grupo de estudantes quais 0s meios de comunicagio que eles conheciam. Nenhum citou cartdes-postois.”(€. 6-9) classifica-se como do tipo textual narrativo, Porque ‘A narragio se caracteriza pela apresentacdo de um evento marcado temporaimente, com a participacio dos personagens envolvidos. Analisando-se as afirmagGes acima, conclui-se que a) as duas afirmagdes so verdadelras © a segunda justifica a primeira b) as duas afirmagSes so verdadeiras e a segunda nao Justifica a primeira. 6) a primeira afirmagdo é verdadeira e a segunda éfalsa. 4) aprimeira afirmagdo ¢ falsa e a segunda é verdadeira €) as duas afirmagées sto falsas. Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao a a 6 Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 9 B Comentario: A narracde se caracteriza pela apresentacio de um evento (no caso, a indagasso da professara ao grupo de estudantes) marcodo temporaimente ("Ha 15 dias... com a participacSo dos personagens envolvidos (professora e estudantes). Percebe-se que todos 0s elementos citados na segunda afirmacio, definidos como marcas do texto narrativo, podem ser encontrados na primeira afirmacSo, correspondente ao trecho extraide do texto. Gabarita: A (CESPE / 2012 / Instituto Rio Branco / Diplomata) Frogmento 1 4. Macunaima No fundo do matovirgem nasceu _Macunaima, herd a nossa gente. fo preto retmto e fio 60 meco da notte Howe um momento em que 0 slénca foi to grande ccailande 6 frumnuies dal Uren, que > inca tpinhanis pari uma criana Fei. Esa chang € que chrterom de Mcunaima Hong menince fer coisas do. srapantar. 02 peimeira passou mais de sek anos 30 falando. Si 0 inciavam 2 falar fexclamava! ~All Qe preeuigal © no dizia mals nada, Feava no canto da maloca, trepade no Iau de pasba, expiando © wabalho dos owas @ Drincoaimente os dol: manos que tinha, Manage Ja velhinho ligula forga dothomem, Fragmento 9 Carta pras icamiabas ‘As mul querifos sibdtas nossas, Senhoras Amazonas Tinta de Maio de Mil Novecentos «Vite e Seis, $0 Paulo N30 pouco vos supreenderd, por corte, 0 enderego @ linnas de sudade e muito amor, com desngradavel ‘nove. & bem verdade que na boa cade de sto Paulo — 3 maer do Universo, no dizer ce seus prolncs habltantes — io. sols taohecidas como TEafabav’, vos ‘ipiria, sindo que pelo apelatve de Amazonas; © de vés, se afirma, emvalgardes Pnetes belgeros © irdes do Welnde cfsse; © assim soi Chamadss. Multo nos pesou 2 nos, imperstor vossa, fais Aislates do crudizo, pordm hele de convir conosco que, asim, ficais mais heroicas © mais conspicuas, tocadas por e332 plétina respeitvel da tracgio eda pureza antiga tl io de Andtade, Macunaima, her sem nenhurt ‘ardter Rio de Jancto: ei, 2008.13, 97 «103 Considerando os aspects linguisticos e a estrutura da narrativa nos fragmentas apresentadas, extraides da ‘obra Macunaima, 0 Herdi Sem Nenhum Cardter, julgue os itens subsequentes. 2. Ambos os fragmentos apresentam a estrutura textual tipica da narrativa, recurso empregado pelo autor como forma de manter a coeréncia dos fatos narrados. 2 Comentario: ‘Apenas o fragmento | apresenta a estrutura textual tipiea da narrativa com os elementos: enredo, personagens, rnarrador, tempo, espaco. O fragmento Il é uma carta ¢ apresenta linguagem dissertativa/argumentativa 3. 0s trechos “filho do medo da noite" (2.2) © “Fieava no canto da maloca, trepado no jirau de paxidba” (2.10-11) fexemplificam a linguagem conotativa que caracteriza 0 fragmento | Z Comentirio: (Qs dois fragmentos apresentam sentidos e linguagens diferentes: > "Ficava no canto da maloca, trepado no jirau de paxiba" = sentido literal, linguagem denotativa, do diciondrio. > “Filho do medo da noite” = Sentido figurado, {inguagem conotativa, Gabarito: Errado 4, (CESPE / 2012 / STI / Técnico Iudiciario / Telecomunicagées Eletricidade) ‘A.um coronel que se queinava da vida de quartel, um jornalista disse = £ 0 senhor nao sabe como @ chato militar na imprensa Sirio Possenti, Os humores da lingua. S30 Paulo: Mercado de Letras, 1998, p. 86, Com relagdo as Idelas © 20s aspectos linguisticos do trecho acima, julgue o item a seguir. © emprege do vocébulo “chato*, eujo sentide & pejorativo, & inadequado ao género do texto em questio. 2 Comentario: (© vocabulo “chato” constitul parte de uma fala [indicada pelo travessio) ¢ reprodus linguagem informal. Tendo-se ‘em vista a indicagao da fonte coma texto de humor, a {inguagem informal nao é inadequada. Gabarito: Errado. 5. (CESPE / 2012 / Advocacia-Geral da Unio / Procurador Federal de 2.* categoria) Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 10 Texto A © sistema de cotas ~ no qual um determinado nimero de vagas, seja na universidade ou em uma empresa privada, é destinado a afro-descendentes — faz parte de um canjunte de politicas de ago afiemativa Como objetivo é corrigir desvantagens provocadas pela defasagem socioeconémica e educacional dos negros, costuma ser praticade durante um periode de tempo determinado, ou seja, até que as distorgées sejam corrigidas. ‘Varios poses adotam sistema. In: Correo Brazliense, 27/2/2002, "Tema doa“ p.7 corn adoptarées Texto B (ra, parece-me fora de duvida que o problema da desproporcdo da presenca de afro-descendentes nas Universidades tem ralz anterior: a falta de acesso a um ensino fundamental (e médio) publico, de boa qualidade, que habilite qualquer dos excluidos, sejam negros, indigenas, pobres ou trabalhadores vindos das classes socials menos favorecidas, a concorrer, em paridade com 05 “bem-nascidos”, a uma vaga nas universidades. E, em suma, 2 correcgo da profunda desigualdade social e econdmica da sociedade brasileira que estd a merecer das autoridades uma solucdo. Nao resolve o problema da discriminagio a garantia de acesso & universidade aos que do tiveram assegurado © ensino bésico em escolas pulblicas, com a mesma qualidade do que 6 oferecido na ‘maioria das escolas particulares e confessionais, Tratar do problema de acesso a educacio no Brasil, pals de grandes desigualdades econdmicas e socials, ¢ 0 mesmo que tratar da exclusio social. O problema tem, na verdade, ralz na desigualdade, e forgoso é convir que também 0 descendente de branco, mas pobre, nao Ingressa na universidade, especialmente nas publicas. 0 afro-descendente, se niio tem acesso ao ensino superior, do & porque & negro, mas porque é, em geral, pobre. Sendo pobre, continuaré frequentando escolas publicas que nao the daréo condicées para uma posterior formagdo universitéria, Quem duvida de que, assegurado 2 todos — afro-descendentes ou no — 0 acesso a0 ensino bésica de qualidade, 2 luta por uma vaga na universidade no seria mais Justa e menos diseriminatéria? ‘Ménics Sifuentes A quota de afo-descendentes nas universiéade. Correo Braziiense, Diroto & Justca, 18/2/2002. p. (com apt el Em relagio aos textos A e B, julgue a item a seguir: © texto A & expositivo, aproxima-se da linguagem conceitual da defini¢3o, enquanto o texto B é argumentativo e defende uma idela contraria a adoso da medida conceltuada no texto A. Comentario: © texto A -& expositivo, conceitua o que é um “sistema de cotas”, © texto B ~ dissertativo-argumentativo e defende ideia contra a0 sistema de cotas: Ex: “Nae resolve o problema da discriminaglo a garantia de acesso a universdade aos ‘que no tiveram assegurado 0 ensino médio em escolas ppiblicas, com a mesma qualidade do que é oferecido na ‘maioria das escolas particulares e confessionais. Gabarito: Certo 6. (CESPE / 2012 / MPE/PI / Analista Ministerial / Area Documentagio) 1 Na em das redes socal, sigumas formas de comunieagdo areairas ainda cto resultado. © canadense Hercle Hackett que 0 diga. Morador daha Principe Edvard, uma 4 das des provocias do Canad, le envion mas de 600, rrensogens em uma garrafa e recebeu 3100. repostas de pestoas de vanas partes do. mundo. De acordo com a BSC. 0 Canadense envia ar mensagens desde 1996, © sey métoda & simples, Harold uta gratis de suco de laranla e se certfea de que as mensagers estio com 10 cata, antes se envitios, eheca 9 sentido dos ventas — gue ever rumar de preferéncs para este ou sudoaste. Algumas carts demoraram 13 anos para volta ara ele 13 As tespostasvieram de regides coma Alea, Rissa, Holande, Reino Unido, Frange, Isanda © fstados Unidos da ‘Amenca, le acatou.fazendo amiges com as _mencazens 16 ctlando "Vinclos" — recabes até presents e cartes de Natal (© canadense iz que continua adorando se comunlcar 19_raiseficar” do que a camunicarao par Facebook e Twitter. Intencionaimente, nunca esloca @ numero de telefone ‘nas mensagens, para ecebe-as de volta da mesma manera ‘Amanda Camasmie, Canadense prove que comunicagio em ato mar é _\fca. n= Epoca Negocios. nteret: ~ com adaptacées) Fr Com relagio 8s estruturas linguisticas do texto acima, julgue o iter a seguir: Preserva-se a corregio gramatical do periodo a0 se substituir “cuja” (2.12) por cujaa ou por da qual. 25 Comentario: (© pronome relativo “cujo” (e variagées) no admite artigo e, sobretudo, deve ser usado somente quando se deseja indicar sentido de posse, Em razio disso, no admite troca por outro pronome relativo. Entenda: “|..] 0 progresso econémico provocado pela _Revolucao Industrial contribulu para a criagdo de um bance para a industria cuja func era mobilizar grandes somas de dinheiro [.-1" = cuja concorda em género e niimero como consequente (funcdo) e retoma 0 antecedente (banco), estabelecendo relagdo de pusse > A funcdo do banco. Portanto, muito cuidado com o sentida que voce estard atribuindo a0 seu texto 20 empregar o pronome culo (e variagées), pois seu uso requer conhecimento preciso sobre os mecanismos de coeréncia e coesdo textual. Gabarito: Errado 4, (CESPE / 2011 / BRB / Escriturdrio) 10 Inicio das operactes do primero ganco do. eras, fem 1803, pode ser considerado um marco fundamental na histéria monetéria do. Bras e de Portugal, nfo 56 porter sido 4-2 primeira instituigdo bancéria portuguesa, mas também por representar uma mudanca significatva no meio crculante do Brasil, j8 que houve emiss20 de notas bancéras. Até entdo, as 7 fungées de melo de troca e de pagamentos haviam sido umpridas exelusivamente por moedas mercadorias — 2 sxemplo do acicar e do algodo — e por moedas matilcas o otgindrlas de Portugal ¢ de outras partes do mundo ou cunhadas na Cold, A cumhagem de _mocdas na Coldnia desenvolveu-se 13 por meio da instalagdo, em Salvador, na Bahia, da casa da Moeda, em fins do steulo XVIl. No entanto, a prétiea de unhagem no interior da Colénia no ellminou, no Brasil, 3: 16 trocas realitadas por intermédio de moedas estrangeiras. No extreme norte, por exemplo, continuavam sendo usadas no comércio moedas mexicanas e peruanes, € no extrem sul, na 419. rea. onde atualmente se localiza o estado do Rio Grande do Sil, ereulavam inalstintamente moedas braileiras € dos paises eins Internat: (com adaptagBes} Com relago as estruturas linguisticas ¢ aos sentidos do texto acima, julgue o item seguinte: ‘A expressio “Até entio” (8.6) poderia ser substitulda por Até aquele momento sem prejuizo para 0 sentido ® a correcao do texto. 2 Comentirio: (0s advérbios possuem valores semanticos de acordo com aquilo que expressam nas oragdes, A substituieio de um termo por outro deve antes considerar se eles estabelecem a mesma relacto semantica no texto. No caso de “até ento” (2.6), “entdo” tem valor temporal, assim como a expresso "aquele momento”. Além disso, as informagbes retratadas no texto referem-se a ano de 1809 e 0 pronome “aquele” é 0 indicado para reportar passados remotos. Portanto, esté_corretamente ‘empregado. Gabarito: Correto. Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 19 Com relacdo as estruturas linguisticas e aos sentidos do texto abalxo, julgue os dois tens a subsequentes: 1 inicio das operagdes do primeico Banco do Brasil, fem 1805, pode ser considerada um marco fundamental na historia monetaria do Brasil e de Portugal, naa 86 porter sido 4 primeira insituigio bancévia portuguese, mas também por tepresentar uma mudanga signifativa no meia crulante do fat, 6 que houve emisedo de notas bancéras. Ats entao, ax 7 fungées de meio de troca e de pagamentos haviam sido cumpridas.exclusivamente. por moedas mercadorias — a fexemplo do agicar e do algedio — e por moedas metas 10 oFigindrias de Portugal © de outras partes do mundo ou cunhadas na Colénia A cunhagem de_moedas na Coldnia _desenvolveu-se 13 por meio da instalagio, em Salvador, na Bahia, da Casa da Moeds, em fins do século VIL. No entanto, 3 pratica de cunhager no intetior da Colénis no eliminou, no Brasl, as 1 trocas realzadas por intermddio de moedas ertrangeras. No fextremo norte, por exemplo, continuavam sendo usadas no comércio moedas meicanas e peruanas, e no extremo sul, na 419 rea. onde atualmente se localiza o estado do Rio Grande do Sul circulavam indstintamente moedas bratleiras © dos palees eines Internet: cwmurrowstatemalrescom> (com adaptarées 5. (CESPE / 2011 / BRB / EscriturSrio) Preservam-se a correedo gramaticale o sentido do texto ao se substituir o termo "No entanto” (€.14) por qualquer um dos seguintes: Perém, Contude, Conquanto, Tadavia, Entretanto, 2 Comentério: [AS conjungées s3o importantes elementos para a construstio coesa e coerente de um texto, A substituiglo de uma pela outra requer 0 conhecimento preciso das. relagdes de sentido que elas estabelecem entre as races ou periodas frasais que ligam. Pois bem, “no entanto” € conjunco coordenativa adversativa, isto é, exprime sentido de adversidade entre a idela antecedente fe a cansequente, fungdo igualmente exercida pelas conjungdes “porém”, “contudo", “todavia” “entretanto”. 46 a conjuncSo “conquanto” & subordinativa concessiva, ou seja, exprime ideia de concessio, tendo valor equivalente & conjungéo “embora”, por exemplo. Portanto, nem todas as conjungées do enunciado substituem correntemente a conjuncdo “no entanto”. Gabarito: Errado. 6, (CESPE/2011/BRB/Escriturétio) Mantém-se a correc30, gramatical e 0 sentido do texto ao se substituir a conjungio “jé que” (€.6) por uma das seguintes: pois, orquanto, visto que, uma vez que, 2 Comentério: [A conjunclo “jé que” & subordinativa e denota ideia de causa em relaglo 4 afirmaco anterior. O mesmo sentido 6 atribuido pelas conjuncées “visto que” e "uma vez que”. Por sua vez, as conjungdes “porquanto” e “pe {anteposta 26 verbo) exorimem ideia de explicarao, nao podendo, portanto, substituir coerentemente a expresso “ié que”. Gabarito: Errado, 7. (CESPE/2011/E8C/Cargos de Nivel Médio) 1 Melos de comunicagdo de massa _financisdos por dinhelro pablo e lives do controle privada comercial tem Side um modelo de comunicacio bastante explorado © 4 consolidado na maior das democracias modemas. Trata-se de ge tho antigo quanto 0 propria surgimenta da TV © do récio, Diversos pases sustentam hoje robustas coxporagdes de ida 7. plbbliea que concentram substancial ftia da audigncia e sBo recanhecides pela qualidade no conteido que produzem © 410 Uma das mals antiges em operacio € 2 BBC do Reino Unido, etiada nos anos 20 da’ século passado, A BBC tem Sewida come modelo paca multas outras experiéncas que 13 surgiram durante todo o século passado. Do porto de vista da legiimidade e relevincia, os sistemas pices de comunicagdo perantes hoje no mundo possuem um alto grau de aprovacdo 1b sotial. Segundo pesquisa reallada no ano de 2005 em sete paises (Franca, Coreta do Sul, Alemanha, Reino Unido, Ila Estados Unidos da América e Japio) pelo Broadcasting Culture 1g Research Institute — NHK, 4 em cada 5 cidadice consideram recassiio exist um sistema plblico de comunicagdo. Em palses como Alemanhs, Jap0 e Reino Unido — onde hd 22 cobranca de imposto espectico que financia midias publicas =, 50% dos entravstados consideraram importante pagar esse tipo de tributo para sustentar tis corporactes Idem, ibidem. Em relacdo as ideias ¢ estruturas linguisticas do texto cima, julgue o item subsequente: No trecho "Uma das mais antigas” (€.10), a elipse da expresso “corparacdes de midia publica” funciona como recurso coesvo. 25 Comentario: ‘A clipse 6 uma modalidade de figura de linguagem que onsiste na omissio de um termo ou expresso facilmente compreendida pelas referéncias do contexto, fim de tornar © texto coesivo e estiloso. Logo, em “Uma das mais antigas” (€.10), sabe-se que “antigas” cefere-se & “corporacées de midia piiblica”, expresso esta que fo! ‘mencionada na linha 6 e, por razGes de estilstica, optou- ‘e por sua omissdo na sequéncia, evitando a repeticao. Gabarito: Certo Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 20 8. (CESPE / 2011 / TES / Analista Judiciétio — Taquigratia) 1. Fleas deitado ne cama, sentindo-me infelie, chorando ‘com pena de mim, e chorar era ums espécie de enimente gara 2 minha alma. Ey assumia todas 26 culpas. Era culpade por Armande ter $2 corrompido, por ter se casado com um ator 15) mice; eulpeda por (lar aude Mari-ttadelene 2 38 liar d2 maidade que 2 pervert; culpado por ter tratado com hipecrta condescendéncia mulreres que de fato desprezava; culpado por ter dehaco Molare morrer abandonaca, Penze fem motrer Lembreime de um persamento de Montaigne que 40. dz ‘ers morte voluntirin 2 ‘mais bela» vida denende 39 ‘ontede de outrem,a morte, da no%%5 éque uma, no se) quanto tempo dutou essa fminha angustis, entre! na bbloteca do meu pal e apanhel na festante os ensaios de. Michel de Montaigne. Abri uma gina a0 acaso_ eli uma ‘ease que dia serum sinal de Foqueza, iio de vitude, ir agberarse sob o tumulo 3 fim do eseapar dos oles do destino. erceb), enquanto rela a seu info, que 9 irande pensador era conuadtovi, tha dividas, aZo era imune > sofrimento, © mui: tinha preconceitos, ra ijuslo nos seus 20 julgamentos, tinha suas fraquezas ¢ impertegses, mas sabia ‘que 120 no 9 tornava menos humana « diana, Nia se dizer (que ensinamentor vrei da letura. © certo que, sofa qual for (© moti de minha wansormagio, um si fa uma das baa, Selei um alazdo © com ele percorl as teas de meu pai Ena wots ds cavaiends, com! com um apetite que hava muito tempo nie nha. Poucos das depols eu _voltwa para ars Mew objetivo era descobrir quem, afna, hava envenerado Mole (Rubem Fonseca. O doente Moléve. S80 Paulo: Companhia das Letras, 2000, p. 124-5) Com relacdo as Ideias e 3s estruturas lingulsticas do texto cima, julgue o item seguinte, A locugio "a fim de” (£.16) por “para” manteria a correcdo gramatical e o sentido original do texto. 2S comentario: “A fim de” e “para” s8o locugso conjuntiva e conjuncio, respectivamente, que denotam finalidade. A substituicao de uma expresso pela outra nde interfere na semantica do periodo, tendo em vista que estabelecem a mesma Idela entre as oragées que ligam. Gabarito: Certo 9. (CESPE / 2011 / TIES / Analista Judiciério ~ Taquigratia) 1 Nicolau meteu-se na politica. Fm 1823, vamos achéo ra Constituinte. Nia ha gue caer ac mode por que ele cumpeiu fs deveres do cargo. integra, desinteressado, patriots, no 4A execca de grace essa virtudes publcas, mas a custa de muita tempestade moral. Pode-se dizer, metaforicamente, que a Frequéacia da eémara custavashe sangue preciso. NBo era s6 7. porque os debates Ihe pareciam insupertaves, mas também porque he era dificil encarar certos homens, especialmente em rertos dias. Montezuma, por exemple, parecia-he balfo, 10 Vergusiva, masudo, os Andeadas, execrivels, Cada dscurso, So s8-dos principals oradores, mas dos secundres, era para Nicolau verdadero supico. E,ndo ebstante, firme, pontual 13, Mune 2 votar30 0 achou ausente; aunca o nome dele soou sem co pela augusta sala. Qualquer que fosse 0 seu desespero, sabia conterse e pér a ideia de pitriaacima do alvo propria, 16 Talvez aplaudisse in petto 0 decreto de dissolucdo. Nio afm, mas ha bons fundamentos para crer que o Nicolau, apesar das rostras exteriors, gostou de ver dissoluida a assemblela. E se 550 conjetura & verdadeira, no menos 0 serd esta cutra: que 2 deportago de alguns dos chefes constituntes, decarados Inimiges publics, velo aguarihe aquele prazer. Nicolau, que padecera com os dscursos doles, nfo menos padecou com 0 allo, esto thes desse um certo relev. Se ele também fosse wxilado! (Machado de Assis. Verba testomentéria. In: J. Gledson. 50 contos de Machado de Assi, So Paulo: Companhia das Letras, 2007, p. 168 ~com adaptacSes} Com base no texto acima, julgue o item subsequente A substituigéo de “por que’ (2.2) por “jé que”, antecedida de virgula, manteria a correcio gramatical e 0 sentido original do texto. 25 Comentario: © “por que” do texto é a juncio da preposicdo por + 0 pronome relativo que. Possui o significado de “pelo qual” fe podera ter as flexdes: pela qual, pelos quais, pelas quais. Observe: “N80 hd 0 que dizer ao modo pelo qual ele ‘cumpriu os deveres do cargo.” “J que”, por sua vez, € uma conjungdo que inicia orag3o subordinada denotadora de causa. Sendo assim, por cexercerem fungées gramaticals e estabelecerem sentidos diferentes, uma expresso nlo pode substituir a outra A banca, mais uma vez, aplicou ums "pegadinha” 30 eandidato, induzindo-o 20 erro de apostar no “por que” {separado) como sendo 2 conjungao que estabelece causa {assim como “ja que"). No entanto, 6 o “porque” (junto) ‘que pode funcionar como conjuncéo causal. Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 24 10. (CESPE/2012/PC-CE/Inspetor de Policia Civil) 41 Muitos acreditam que chegamos 3 velhice do Fstado facional. Desde 1945, dizer, sua soberani fol ultrapassada pelas redes transnacionals de poder, especialmente as do 4 Gepitaismo global eda cultura’ poxmoderna, Alguns ppossmodernistaslevam mals longe a argurientaczo, afiemando (Que isso pO em reco a certeza ea racloalidade da culizagdo 7 moderns, entre cujos estecs prncoals se insere = noydo segura © unidimensional de soberania politica absoluta, inserida no conceto de Estado nacional No coragto hist6rico da sodiedade 410 modems, a Comunidade Europeia (CE) supranacional parece dar especial crédito 8 tese de que 2 soberania poltico-nacional vvem fragmentando-se. Al, terse as vezes anunciado a morte 13 eletiva do Estado nacional, embora, para essa viedo, uma ancsentadoria oportuns talves fosse a metdfora ma adequads, {© cientsta politico Philippe Schmitter argumentou que, 16 embora a situaclo curopeia seja singular, sou progresso para além do Estado nacional tem uma pertintncia mals genériea, pois “o contexto contemporsnce favorece sistematicamente a transformagio dos Estados em confederats, condomini) ou 20 federoui, numa variedade de contexto:" E verdad que a CE vem desenvolvendo novas formas politicas, que trazem & meméra algumas formas mais antigas, ‘como lembra © latim usago por Schmiter. Estas nos obrigam a rever nossas delat do que dovem ser os Estados 25 contemporineos e suas interrelagGes. De fate, nos utimos 25 anos, assstinos 9 reversses neoliberal e transnacionals de alguns poderes de Estados nacionais. No entanto, alguns de seus paderes continuam a creseer. Ao longo desse mesmo periodo recente, 0s Estados regularam cada vex mais 0s eseras privadas —ntimas do. cielo de vido © a familia. A regulamentagio estatal das relagbes entre homens ¢ mulheres, do violencia familar, do culdad com 05 files, do aborto e de hitos pessonis que costumavam ser consideraéos particulars, como 0 fumo, continua a crescer. A pola estatal de protesso ‘0 consume a0 meio ambiente continua a prolifera. Tudo indica que 0 enfraquecimenta do Estada nacional da Europa Ocidental & lgeto, desigual « singular. Em partes do mundo menos desenvoWvide, alguns aspirantes a Estados nacionas tambem estio fraquejando, mas por raxées diferentes, essencialmente “pré-mademae”. Na mar parte do mundo, os Fstadas nacionals continuam a amadutecer ov, pelo menas, estio tentando faré-o, A Europe nio & 0 futuro de mundo, 0% Fstadas do mundo so numeresos e continuam variados, tanto fem suas eetruturasatuais quanto em suas trajetéras ‘Michael Mann, Estados nacionals na Europa e noutros continentes:diversiiear, desenwaWer, na moreer. n: Gopal Balakrishnan, Um mapa da questze nacional. Vera Ribeiro (rad). Rio de Janelvo: Contrapento, 2000, p.311-4 (com adaptacées). Considerando as relagdes de sentido e as estruturas linguistieas do texto, julgue o seguinte item: Nao haveria prejuizo para o sentido do texto se a forma verbal “dizem” (2.2) fosse substituida por dizemos Comentario: “"Dizem” = verbo “dizer” flexionado na 3? pessoal do plural (eles/elas), @ nao ha referéncia na texto que nos leve ao conhecimento de quem seja o sujeito da acdo Portanto, 0 sujeito é indeterminado, "Dizemos" = verbo dizer flexionado na 1% pessoa do plural. Pela desinéncia verbal, descobrimos quem é 0 Sujeito (nds). Por essa razdo, esse sujeito classifica-se como desinencial ou eliptic. ‘Sendo assim, perceba que hd uma troca de sentidos com 2 proposta de substituicdo de uma forma verbal pela foutra. Na primeira, 0 autor do texto no $e inclu na acao, fenquanto na segunda ele tem participacso. Gabarito: Errado Ortografia Ortografia ¢ a parte da gramética que estuda a correta Bralia das palavras ‘A seguir, apresentaremos algumas orientacées basicas para empregar algumas letras que costumam gerar diividas, como, por exemplo, a utilizagdo do , 2, X, CH & outros. Porém, & importante voc® saber que nem sempre existir’ uma regra que possa ser aplicada, pois multes casos dependem da etimologia da palavra ou de mera convencdo ortogrdfica. Sendo assim, € necessério também que o candidato tenha o hdbito da leitura, a fim de memorizar naturalmente a escrita correta das palevras. Emprego das letras Emprego do “S" Empregamos a letra $ nos seguintes casos ‘© Nos substantivos derivados de verbos terminados em -nder, -ndir compreender ~ compreensio ‘expondir—expanstio ‘+ Apés ditongo. foisdo, louso, mausoléu ‘+ Nos verbos que derivam de palavras em que jd existe “5” ondilise ~ anatisar pesquisa ~ pesquisar Excesdo: catequese - catequizar + Nos sufixos -és, sa, -isa (indicadores de origem, rnacianalidade ou titulo) Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 22 francés, duguesa, poetise. ‘+ Nas formas dos verbos querer e por. quis —quiser, puseste— pus ‘+ Nos verbos cujo radical termina em -rg, rt. imergirimersao converter —canversio ‘+ Nos verbos cujo radical é -pel ou -corr. expelir—expulsio © Nos adjetivos terminados pelo sufixo -oso(a), indicador de abundancia, estado pleno. cheiroso, dengosa, formesa, harrarose 25 Questo de concursos comentada 1. (TIN ~ adaptada) Assinale a alternativa em que todas. as palavras esto corretamente grafadas: a} quiseram, formozo ) puzer, cheirosa ¢) poetisa, puser d) colza, marqués Zcomentirio: 2) Ereado: embora “quiseram’” esteja certo (emprega-se *S" nas flexes do verbo “querer"); “formozo” esta errado, pois utiliza “s” nos adjetivos terminados pelo sufixo “oso”. ») Errado: deve-se empregar “5° nas formas do verbo “por” ~ “puser”; “cheirosa” esta certo, pois utlizamos “s” nos adjetivos terminados pelo sufixo “osa’. <) Certo. 4) Errado. A grafia correta & “coisa”, pois utiliza “S” apés ditongo; “marques” esté certo, pois utiliza “S" nos sufixos “és, indicadores, de titulos de nobreza. Gabarito: € Emprego do “2” Empregamos a letra Z nos seguintes casos: + Nos nomes abstratos com sufixos -er ou -e2a, derivados de adjetivos, adjetivas /substantivos abstrato pido / pier rico /riqueza belo /belezo ‘+ No sufixo -zar, formador de verbos cujo radical no apresenta “S" hospital /hospitalizar cotual / atuolizar humano / humanizor 1+ No sufixo -izagio, formader de substantives eujo radical nfo apresenta “S". ‘humano / humanizagoo real/ reolizagao 2£ Questées de concursos comentadas 1. (Banco do Brasil) Grafia correta: a) Civilisar b) Humanisar ©) Padronisar 4) Paralisar ) Concretisar Comentar Utiliza-se © "2", no sufixo -zar, formador de verbos cujo radical no apresenta “s". a) Errado. 0 certo é civil/ciilizar. 'b) Errado. O certo é humano / humanizar. ©) Errado. O certo ¢ padrao / padronizar. 4) Certo. Paralisia / paralisar. Utiliza-se “S" nos verbos que derivam de palavras em que jS existe “S”. ©) Errado. 0 certo é concreto / coneretizar. Gabarito: 0 2. (Vestibular UF-PR) Assinale a alternativa, correspondente a gratia correta dos vocabulos: 1. Desli_e 2. VI_inho 3. Atrave_ 4. Empre_a a)2.25,5 b) 2.5.2.2 5,255 d)2,2,5,2 -€£Comentétio: NNosse tipo de questo é necessirio que o candidate tenha ‘o habito da leitura, para que possa preencher corretamente aslacunas. Deslize, vizinho, através e empresa. Gabarito: A Emprego do "x" em vez do “CH” Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 23 Empregamos a letra X nos seguintes casos: © Depois de ditongas. caixa, ameixa, exo, paixtio Excesdes: recauchutar (e derivados) « guache ‘+ Nas palavras de origem africana au indigena. caxombu, abocexi, xangé © Depois de silaba inicial “en” e “me”. enxada, enxagueca, enxoval México, mexer, mexitho Excegdes: encher (e derivados, como charco, ‘encharcar), mecha (e derivados], enchova Emprego do “c” © Nos substantivos derivados dos _verbos terminados em ter e torcer. ater~otengto ‘manter—manuten¢io torcer~torcéo contarcer— contorsao + Nos suflias -ago, -ago, Ago e Iga acentuagtio ricaco carniga Emprego do “SS” © Nos substantives derivados dos _verbos: terminados em gredir, mitir, ceder e cutie agredir—agressdo demitir— demissoo ceder ~cessao diseutie— diseussio © Depois de qualquer vogal normalmente aplica-se eer passado premissa promessa 1. Assinale a alternativa em que no ha erro de gratia a} feiche, enxada, progressio, distorsio b) feixe, enchada, progressao, distorssio )feixe, enxada, progressao, distorgao d) feiche, enchada , progressao, distorcio comentirio: + feive — utiliza-se "X” apés ditongo, + enxads ~ utilza-se 0X" apés a silaba “en” * progresséo — utiliza-se "SS" nos substantivos derivados dos verbos terminados em “gredit” (progredir — progressao) + distorcio — utlliza-se “G” nos substantives derivados dos verbos terminados em “torcer” (distorcer - distoreao}. Gabarito: ¢ Emprego do “Sc” Nos termos eruditos: Exemplos: acréscimo, _ascensorista,_consciéncia, descender, discente, fasciculo, fascinio, imprescindivel, miscigenagio, miscivel, plebiscito, rescisio, seiscentos, transcender, Emprego do “6” 2) Nos substantives terminados em -a ugem, Exemplos: barragem, miragem, viagem, origem, fuligem, ferrugem,rabugem. [[Excesior pajem elambujem 2) Nas palavras terminadas em -dgio, -égio, -igo, gio e ~igio. Exemplos: estégio, peddgio, privilégio, egrégio, prestigia, vestigio, relégio, refdgio 3) Nas palavras derivadas de outras que se grafam com we Exemplos: engessar (de gesso), massagista (de ‘massagem), vertiginoso (de vertigem), 4) Nos seguintes voesbulos: algema, auge, bege, estrangeiro, geada, gengiva, gibi, gilete, hegemonia, herege, megera, monge, rabugento, vagem Emprego do “i” 1) Nas formas dos verbos terminados em jar ou = jeart Exemplos: arranjat: arranjo, aeranje, arranjem despejar: despejo, despeje, despejem gorjear: gorjeie, gorjeiam, gorjeando cenferrujar: enfer‘uje, enferrujem Viajar: viajo, viaje, vigjem Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 24 ‘Atencio: Apesar de “viajar” e sua conjugagao serem cam 40 substantive € com 2) Nas palavras de origem tupi, africana, drabe ou exética Exemplos: canjica, paié, jerico, manjericao, Moji. 3) Nas palavras derivadas de outras que jé apresentam a Exemplos: Laranja ~ laranjeita; loja ~ lojista; lisonja ~ lisonjeadar; ngjo ~ nojeira; cereja ~ cerejeira; varejo — varejista;rijo — enrijecer; jeito ~ ajeitar. 4) Nos seguintes voeabulos berinjela, cafajeste, jeca, jegue, majestade, jeito, jejum, laje, traje, pegajento, Algumas dificuldades da lingua culta 2 (preposigao) / ha (verbo) / (contrag30) ‘a— Indica tempo futuro ou distincia. Ela voltard dagui a um ano. Ela moro a duzentos metros dogu hd / (faz) — Indica tempo passado. Ele chegou da Europa hd um ano. hd /(existe} Nesta sala hd vinte estudantes. Nesta sala ha varias janelas. (Obs.: ha — verbo haver no sentido de existir — Impessoal, por isso nBo faz plural. 4 — Fuso da preposigde a com o artigo a (erase). Fur feira 4 Questio de concurso comentada 1. (Auditor Fiscal da Receita federal/ESAF ~ adaptada) ‘Marque a opso que preencher corretamente as lacunas, “Completamente excluides das engrenagens de desenvolvimento da sociedade, os miseravels 80 reduzidos a uma condigae subumana. Seu tnica horizonte passa a ser __luta feroz pela sobrevivéncia. No listo do Valparaiso, poucos quildmetros de Brasilia, gente disputanda 08 restos com os animais.” ala, ha, ha b)a,hé, a claa ha d)a, 3,8 €)3,ha, 3 © Comentério: ‘A primeira lacuna completa-se com “a” (artigo definido {que antecede o substantivo “luta"). ‘A segunda lacuna completa-se com “a” (indica distancia ‘A terceira lacuna completa-se com “ha” {do verbo haver significando existi) Gabarito: ¢ ‘onde ~ onde donde Aonde para onde, a que lugar (usado com verbos que dao ideia de movimento para a frente). Aonde vocé vai? Aonde nos leva com tol rapidez? onde fem que lugar (usado com verbos que no indicam movimento} Onde estdio 0s livros? Donde le + onde. India origem (ideia de movimento vindo de tds). Donde vens? 2 Questéo de concurso comentada 1. (Auxiliar de Enfermagem do Trabalho/Progresso de Guarulhos S/A/FGV) Assinale a alternativa correta quanto ao emprego de “onde” e “aonde” a) Ronde vocé esteve? b) Aonde voce vai ©) Onde voce foi? 4) Onde nés vamos? 2 Comentirio: a) Errado ~ Correcdo: Onde (em que lugar) vac® esteve? bb) Certo ~ Aonde vocé vai? (para onde / a que lugar vocé vai?) Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 25 «) Errade ~ Correco: Aonde voce foi? jara Onde //a que lugar) 4d) Errado ~ Correso: Aonde nds vamos? jara onde / a que lugar) Gabarito: 8 ‘Mal~Mau Mal ‘+ incorretamente, irregularmente (oposto a bem) Ele dirige muito mal. + na sentido de “quando” ‘Mal Tiago chegou, saimos. © oque é nocivo. (O mal desse homem ¢ « preguica Mau Mau = ruim (oposto a bom). Esta 6 0 histéria de um homem mau, 25 Questies de concursos comentadas 1. (Agente de Fiscali2aglo/Camera Municipal de Guarulhos/Vunesp) Assinale a alternativa correta quanto a0 emprego das palavras mal / mau. a} A Petrobras aproveitars muito mau 0 g@s de suas jazidas. b) O mal combustivel nio serd congelado. ¢) A Amazénia continua senda mau explorada d) Nao hé mau que dure para sempre. fe) Aextracdo de petréleo é um mau negécto, 2 Comentario: a) Errado ~ Correcio: “A Petrobras aproveitard muito mal (bem) 0 gis de suas jazidas.” b) Errado ~ Correeao: “O mau (bom) combustivel n3o sera congelado. ¢) Etrado ~ Correcio: “A Amaz6nia continua sendo mal (bem) explorada.” 4) Errado - Corrego: “N30 hd mal (bem) que dure para sempre” ) Certo ~ 0 adjetivo “mau” opde-se a "bom"; “mal” equivale a “bem”, logo: “A extracio de petréleo é um ‘mau (bom) negécio.” Gabari 2. (Téeniea em Mecinica/Eletrobras/NCE) “Algo vai mal no organismo.” A frase abaixo em que houve troca indevida entre mal / mau & a) Todo 0 mal do organismo deve ser combatido, b)_Um mal habito pode provocar doencas. ©) Afebre n3o é um mal em si 4) Foi para o hospital, mal a febre comegou. ¢) © sistema do organismo combate qualquer mal que nele se instale. Comentario: a) Certo ~ Todo 0 mal (o que € nocive: problema) do ‘organismo deve ser combatido. bb) Errado ~ Deveria ter sido usado “mau”, visto que se trata de um adjetivo, tendo come opesto o terme "bom" Correo: “Um mau hébito pode provacar doencas.” ©) Certo —A febre no é um mal (problema) em si 4d) Certo ~ For para o hospital, mal (quando, logo que) a febre comecou. ) Certo ~ 0 sistema do organismo combate qualquer mal (problema) que nele se instale. Gabarito: 8 3. (Auxiliar de Servigos Gerais/CREF-SP) pouco, houve um estar entre os jogadores, pois eles nde sabiam ____estava a falha no esquema mentada pelo téenico, AAs palavras que preenchem as lacunas acima de forma adequada sko, respectivamente: a) Hd, mau e onde. b) A, maue aonde. ©) Ha, mau e aonde. 4d) A, male onde. e) Hi, maleonde. 2 Comentirio: 'No primeiro espaco: Ha. Usa-se “ha” quando equivalente "faz", referindo-se a tempo passado. No segundo espaco: mal. O vacabulo “mal”, opasto a “bem” No terceiro espaco: onde. O advérbio interrogativo “onde” equivale a “em que lugar", usado com verbos que ‘nao indicam movimento ~ “... pois eles nao sablam onde {em que lugar) estava a falha..”. Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 26 Gabarito: € Acerca de ~a cerca de~hé cerca de Acerca de = sobre, arespeito de: Folévamos acerca do futuro. Acerca de = a aproximadamente, perto de, 8 distincia aproximada de. Estivemas @ cerca de des metros do mar. = muro de protecao. A cerca da caso era amarelo, Ha cerca de = faz aproximadamente (indica tempo passado). 0 fata aconteceu hd cerca de duas semanas. = existem aproximadamente, Nesta sala hd cerca de duzentas erianges. 2 Questdes de concursos comentadas 1. (Agente de controle/Prefeitura de Aracatuba-SP/FGV) Assinale a alternativa ertada quanta ao emprego de “acerca de", “hd cerca de" e “a cerca de”. a} Ficou ha cerca de dez passos da esquina b) Fez uma exposicao acerca do impasse ¢) Viajou ha cerca de uma semana d) Dirigiu-se a cerca de cem pessoas, Z Comentario: a) Errado ~ Correcio: Ficou a cerca de (8 distncia aproximada de] dez passos da esquina. b) Certo ~ Fez uma exposigao acerca do (a respeito) do impasse, ¢) Certo — Viajou ha cerca de (faz aproximadamente ~ indicando tempo passado} uma semana. d) Certo — Dirigiu-se a cerca de (a aproximadamente) cem pessoas. Gabarito: 8 2. (Técnico da Receita federal/ ESAF) Indique a opcio que completa, com correcio gramatical e com coeréncia, as lacunas do texto abaixo. © Estado cresceu em termos de pestoal e, principalmente, em termos de recelta e despesas. Em muitos pafses, os servidores publicos, excluidos os trabalhadores das empresas estatais, correspondem __ 10 a 20 por cento da forca de trabalho, __no inicio do século XX essa proporcio estava préxima de 5 por cento ‘As despesas do Estado, por sua vez, __nesse periodo: ‘nos ultimos trinta anos __, variande entre 30 e 50 por cento do IB, Naturalmente, esse processo de rescimento ocorria 20 mesmo tempo em que as fungdes do Estado, principalmente na érea social (ule Carlos Bresser Pereira, com adaptacées) 2) acerca de / enquanto / multiplicaram-se / dobraram / se ampliavam. b) acerca de / quando / multipliear / dobraram-se / ampliava-se. ©) cerca de / quanto / multiplicaram / dobravam-se / se ampliava 4) emeerca de /em quanto / se multiplieava / dobrou / ampliavam. fe) de cerca de / por quanto / multiplicavam / dobravam-se / ampliava 2 Comentario: Podemos resolver esta questio com 0 preenchimento correto da primeira lacuna, uma ver que apenas a alternativa “a” apresenta a Unica opcdo possivel para: correspondem a cerca de (= a aproximadamente] 10 2 20 por cento da forca de trabalho...”. A partir desse fato, verificamos também que as demals palavras da alternativa s3o adequadas ao preenchimento das demais lacunas, comprovando 0 acerto da alternatha & Gabarit Cessio / sessio / seca0 ess: Significa 0 ato de ceder, 0 ato de dar. Ele fez 0 cessio dos seus direitos autorots. Rogério fez 0 cessbo do terreno para construgio da creche, Sessio: E 0 intervalo de tempo que dura uma reunigo, ‘uma assembleia Assistimos @ uma sessBo de cinema. Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 27 Seco: Significa parte de um todo, segmento, subdivisio. Lemos a naticia na seco de esportes. Compramos os presentes na seco de brinquedos. 25 Questo de concurso comentada 1, (Instituto de Artes Plisticas e Artesanato/ Prefeitura de Louveira-SP/Vunesp) Assinale a alternativa que completa, correta @ respectivamente, as lacunas das frases. |. Fomosassistira duas___de cinema, Ele foi____noexame. Il Os polieiais tinham um _para entrarna casa, |, O juiz nfo podia__uma bela carreira a0 advogado. a} sessdes / mal / mandado / prenunciar. ') segdes / mau / mandado / prenunciar. ) cesses / mau / mandato / pronunciar. 4) seccSes / mal / mandato / prenuncia. @) secdes / mau / mandado / pronunciar. Comentario: I. Sessdes (intervalos de tempo em que dura uma tarefa). |i, Mal (opde-se a “bem"). “Ele foi mal [bem) no exame.” lll, Mandado (ordem judicial) / mandato (delegacao incumbida por alguém, periodo de representacao politica). S4o parénimos. IV, Prenunciar (predizer, antecipar) / pronunciar (exprimir verbalmente). $30 pardnimos. Gabarito: A Aim =A fim de tim = semethante, parentesco, 1vosso ideo! afi, ‘tim de= para, com a finalidade de. Estudo afm de passar no concurs. Ao invés de ~ Em ver de Ao invés de = a0 contrério de. de estudar, ele dormiu Ao inv Em verde = em lugar de. Em vez de ir a0 parque, Pedro fot trabaihar. ‘Observagio: ‘A expressio “em vez de” pode ser usada nos dois casos citados, porém a expressao “ao invés de” @ usada apenas quando ha ideia de oposic30. ‘Ao encontro de - De encontro a Ao encontre de = em direc3o a, a favor de. Ful a0 encontra de minha avé, De encontro ser contra, indica chaque, A moto foi de encontro ao poste. Appar Ao par {A par = junto, informade. Ficardo andava g par de sua prima. Estou 9 par da situagdio. ‘Ao par = indica valor equivalente ou igual; refere-se a valores financeiros. 0 real esté ao por do délar. ‘Mas - Mais - Mas ‘Mas = porém, contudo — indica oposic3o. Fernanda trabalha multo, mas ganha pouco. Mais = oposto a menos, soma, Ginco mals trésé igual aoito. Mis = cuins (plural de mi) Elos néo sto mas 28 Quest3o de concurso comentada 1. (UFPR) Substitua os asteriscos, usando adequadamente mas/mais/mal/mau. Pedro e Jolo * entraram em casa, perceberam que as coisas no estavam bem, pois sua ima cagula escolhera lum * momento para comunicar aos pais que ica viajar nas férias; * seus dois irm3os deixaram os pals * sossegado ‘quando disseram que a jovem iria com as primas ea tia a) mau-mal-mais~mas b)_ mal—mal~mais—mais ©) mal—~mau—mas— mais Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 28 d)—-mal~mau-mas—mas fe) mau~mau~mas~mais Comentario: “Pedro ¢ Jo30 mal (= quando} entraram ma casa pois sua irma cacula escolhera um mau (pode ser substituldo por bom) momento para comunicar..” -- mas (porém, contude) seus dois mao.” debxaram 0s pais mais (oposto de menos) sossegados...” Gabarito: ¢ Por que ~ por qué ~ porque - porqué Por que Usado no iniclo de frases Interrogativas e também no sentido de: pelo qual (e flexes). Este é 0 caminho por que passo todos 0s dias. Nao entendi os motives por que eles foltaram, }0F que motivo, por que razéo. Por que ela fattou @ reunito? Porque razio voce ne compareceu? 10F qual (e flexdes), Por que (por qual) rua ondaremos? Por qué Usado em fim de frase interrogativa ou antes de pausa acentuada Voeé faltou por gud? Nao sei por qué ... nde sei Porque Usado em frases afirmativas (= como, pois, visto que, para que, de fato, uma ver que) Nao possei no concurso porque néo estudei. Porqué Usado quando for antecedido por artigo ou outro determinante (=motivo, raze ou causa). No sei 0 porqué de tua iritagdo. 28 Questdes de concursos comentadas 1. (Agente Tributério Estadual/MS ~ ESAF) No processo da mediacio, 0 trabalho do mediador —serd importantissimo, exercida por advogados assistidos e, —1____necessrio, por —_profissionats, ‘multidisciplinares, Ele tera funclo diferenciada do magistrado, 2 no julgard, __3___propiciara __4__ partes a analise de diferenciados pontos de vista, ‘estimulando a discussio, apontando fatos importantes e facilitando 0 entendimento. Em nenhum momento estimularé a contenda,__5__0 entendimento, e nao tomaré partido. (Carlos Miguel Aida, Mediagéo. In: Direito e Justia, Correio Braziliense, 15/07/01) Assinale a op¢o que indica 0 preenchimento incorreto da lacuna correspondente, a) 1-quando b) 2-por que ) 3—mas d) 4-as fe) S~mas 4 Comentario: Correcdo: “Ele terd funcdo diferenciada do magistrado, poraue (pols, visto. que..) nfo julgaré..” ‘Os demas itens esto corretos, Gabarito: 8 2. (Auditor Fiscal da Receita Federal/ESAF) Assinale 3 ‘opcio gramaticalmente incorreta. a) 0 teste decisive para saber qual a importancia das novas tecnologias é o seu Impacto sobre a produtividade da economia como um todo. b) 0 rapido crescimento da produtividade é 2 chave para a elevacio do padrio de vida. ©) Resta saber se esse crescimento mais acelerado é sustentavel. 4) Hoje, porém, j8 existem sinais de que o crescimento da produtividade verse acelerando. €) Durante anos, as pessoas simplesmente nfo conseguiam entender porque 0s computadores, aparentemente, no eram capazes de elevar a produtividade 2 Comentirio: (Ocorreu erro de grafia ou de impropriedade vocabular na alternativa E. Corregao: “Durante anos, as pessoas simplesmente no conseguiam entender por que (por que Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 29 ‘motivo, por que razio) 6s computadores, aparentemente, nao eram capazes de elevar 2 produtividade,” Gabarito: € Par— por Por = colocar. Va pr 0 carre no estacionamente. Por = preposicso. Ele anda por cominhos diferentes. Por hora ~ Por ora Por hora = por uma hora ager ganha viote reais por hora de trabalho, Por ora = por agora, por enquanto. Por ora, estou satisfeite com teu trabalho. Senio-Senio Sendo = caso contrario, a nao ser, exceto, mas. Nao estacione naquele local, sendo vocé seré multado. Lucas nada foz, sendo reclomar. Nao era ouro, sendo (= mas) prata. Sento = defeito, Havia um sendo naquela resposta. Sendo. = caso ndo, no caso de nao, Se nao chover, iremos acampar. Tampouco - Te pouco Tampouco = também nao ou nem. Rofae! nao estuda tompouce trabotha, To pouco = muito poco, Ele ganha 10 pouco! Demais - De mals Demais = excessivamente, em demasia Maria estuda demais. Demais = 0s outros, os restantes. +. 0s demais. nao comporeceram, Demais = além disso. Nao irei ao cinema, demais preciso estudar. De mal mais (oposto a de menos). Fabio comeu de mais, Questies de concurso comentadas 1. (CESPE / 2012 / TC-DF / Auditor de Controle Externo) 1 ‘A Teoria Geral do Estado mostra coma surglu = se treanizov, a0 longo do tempo. 0 Estado. Nas formas primitives fe organizarso socal, sinda tntals, 0 poder ora cancentrade 4 nas mics de um nico chef, soberaro @ absolut, com poder de vida © morte sobre seus subordinados, fazendo © executand hi 1 Na Antiguidade cldsic, as chileacdes grea € romana foram 25 que primeira facram uma tentatva de fomportinsr © poder nando istuigce: como 2 E2ésis eo 10 Senado. Contudo, essa weperincia foi posta de lado quando te trevas.mecieyis tomaram canta a Europa, farendo-s rmergulnar em mil anos de estagnacio, ob as mios de senhores 13 feuabis rls e papas, que nao canheciam outro limite sendo seu propio poe, © fim da dade Média, no stclo WV, @ 0 15 ressurgimerto as cidodes, no periado _ renascentist, rapresentaram profundas musaneas para a sociedade do epoca, mas, do ponto da wsta police, ssiu-se 2 uma concentraczo 19. ina malar do poder nas mios dos soberanos, rls absolutos, te, sob 0 peso de sia autordade, unfcaram os diversct feudos © formaram varios des Estados modemos que hole 22 ronhecemos. Excegio 2 e552 rara fol a slater, onde, | em 1215, 0 poder do rel passou 2 ser um Tanto litado_ pelos rnobres, que 9 sbrigaram a pedir sutorsagdo = um conselho 25 _tanetiuise por vintee cinco bares para aumentarosimpostos ‘A fim ce fazer valer essa cxgénca, fol assinada 2 Magna Cara. Nastia 0 embriae do pariamenta moderns, com 3 28 flnadade precipua de lntaro poder do re Elton. Poli hinior. Desafose prspectivas do poder lgiltivo no séeulo XX. Inter: (com 26398343) Com relagSo aos aspectos lingufsticos do texto, julgue o item que se segue: Na linha 13, 2 substituige do vocdbulo “sendo” por se no, embora gramaticalmente correta, prejudicaria o sentido do texto. 2 Comentario: Usa-se “sen8o ijunto) quando a expresso equivaler a: Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 30 = "do contro", Ex: Estudos, sendo serds reprovade, = exceto", “a no ser’, Ex: Ninguém, sendo cle, seria capaz dessa foranho. ~ "defeito”,“deslize”. Ex. Ele encontrou um sendio no meu trobeiho Usa-se “se nio" (separada) quando a expressio incicar ideia de condiclo. Ex: Sendo chover, rei festa. Observe que o “se”, em “se nic” (separado) pode ser substituide por “caso” ~ Caso ndo chovo, ied festa Sendo assim, 2 substituigso de “senlo” por “se nto” causaria no $6 erro gramatical, como também semantico 20 periodo em questo. Gabarito: Errado 2. (IBGE/CESGRANRIO/2007) Leia o texto abaixo para responder 8 questo a seguir. Segundo também leio, ele conta com a assisténcia de lum advogado, mas, 20 que parece, no tem direito a fianga endo pode explicar suas agdes e, certamente, teve pedido de habeas corpus indeferide — porque ninguém fala cachorrés com a necessiria fluéncia para um evento dessa magnitude. Tampouco sei se a prisdo é arbitraria, apesar de ser verdade, segundo testemunhas, que ele mordeu alguém, que deu queixa em juizo..” 3. (IBGE/CESGRANRIO/2007) Em “Tampouco sei se a prisio @ arbitréria’, a parte em destaque pode ser substituida, sem alteraclo de sentido, por: a} Também nfo seise. b) Apenas sei que... €) Mal seise. d)_Seit8e pouco que. e} Seitanto que, & Comentario: Pode ser substituida por “Também no sei se a prisio & arbitrsi Gabarito: A 4. (IBGE/CESGRANRIO/2007 - adaptada) ".. Nao generalizo sobre as epistolas recebidas — algumas de ldgica modelar. Tampouco é errado ou condenével passar a ilagdes sobre o autor ou sobre as consequéncias do que esté dizendo, Mas nada disso pode passar por cima do que esti escrito e da sua Idgica..” Com base no texto, julgue o item a seguir: Tampouco significa também no. (a) Certo (8) Errado Gabarito: A 5, (IBGE/Agente de Pesquisa e Mapeamento/ UFRJ/2005, = adaptado) “Por que nesses casos pode, mas no caso de um feto sem cérebro nio?...". "Por que”, nesse caso, & gratado em dois vocabulos porque € um interrogativo. O item abaixo em que a palavra sublinhada deveria ser grafada em um sé vocibulo é: a) De repente, 0s catdlicos passaram a pressionar o STF. 'b) Os ministros do STF decidiram a cerca do aborto, ©) Adecisio foi apertada, por isso é passivel de mudanga, 4d) Nada de mais grave ocorreu apés a decisSo do STF. €) Se ndo ocorrerem mudancas, © aborto seré proibido. 28 Comentétio: a) Correto: Nao se escreve “de repente" junto 1b) Incorreto: Corregao: “Os ministros do STF decidiram acerca (sobre, a respeito de) do aborto.” ©) Correto: A palavra “por isso” junto n&o existe. 4d) Correto: “de mais” = a mais {oposto a de menos). fe) Corteto: “se no” = no easo de nfo Gabarito: 8 6. (CESGRANRIO / 2011 / TRANSPETRO / Técnico de Contabilidade) De acordo com a ortografia da lingua portuguesa, associe as palavras a esquerda A letra ou 20 digrafo propostos a cireita, I-exce_f0 Poss N—marginall_ar -e_tranho IV—ma_imo ‘As associagbes corretas sao: a) 1-1 R,I=T,1V~S. b) 1a, 1-P,I-T,W—R I=, IIS, il-T,1V—P ) 1-5,11-@, lll-R,V-T e) 1-T,lI-@,lI-R,1V~P 26 Comentério: Nem sempre, a relagdo entre fonemas e letras tem correspondéncia exata. Por isso, pode ocorrer de uma ppalaura possuir nimero de letras diferente do numero de sons e vice-versa, bem como o fonema (som) nao corresponder grafia correta da palavra, conforme definem as regras de ortografia oficial. Sendo assim, fique sabendo que a) usase ¢ em palavras derivadas de vocdbulos terminados em TO (ex: exceTO > exceCdo, cant > eanGao, junTO > junca 'b) 0s verbos terminados em ISAR slo escritos com $ somente quando essa letra fizer parte do radical da palavra de origem limproviSar > improviSagao), com Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 31 excecio de catequeSe > catequiZar; os terminados em I2AR (marginalizar) serdo escritos com Z quando a palavra de origem no tiver 0 radical terminado em S (ex: ‘marginal > marginaliZacao); ¢) MAXIMO. tem origem do latim maximus, par isso rmanteve 0 x1na forma aportuguesada, mesmo tendo valor de ss; d) Como regra geral, as palavras que em latim se iniciavarn por ex- mantiveram a mesma grafia a0 passarem para portugues (ex: expectorare > expectoror). fas palavras que se iniciavam por sem latim deram origem a derivados com es- em portugués (ex: spatula -> espétula). Ha, contudo, excesbes: algumas palavras que se escreviam com ex- em latim evoluiram para es em portugués, como 0 caso de extraneo > estronho. Assim, foram consagradas pelo uso e se encontram averbadas nos melhores dicionarios de portugues. Gabarito: 0 7. (CESGRANRIO / 2011 / Petrobras / Técnico de Administragao e Controle Junior) Os vocdbules “discussio", “atingimos” @ “empresa” slo grafados, respectivamente, com ss, 6 @ 5. So grafadas, respectivamente, com essas mesmas letras, as seguintes palavras: a} a__ambarcar, 0__eriza, requl__ito. )la__Iddo, impin ir ieri__ério. c) 0b__ecado, here__e, he__ itar. d) re__useitar, gor__eta, parali__ar. e) can___aco, ja__e, morali__ar. 2 Comentario: a} Incorreta, Escreve-se: agambarcar, ojeriza, requisito. b) Correta, Escreve-se: lagsidio, impingir, irris6rio. c) _ Incorreta, Escreve-se: obeecado, herege, hesitar. d) Incorreta, Escrave-se: ressuscitar, gorjeta, paralisar. fe) Incoreeta, Escreve-se: cansaco, laje, moralizar. Gabarito: 8 8. (CESGRANRIO / 2011 / TRANSPETRO / Analista de Sistemas Kinior) Complete as frases da segunda coluna com a expressio adequada 8 norma-padrao. I-porque ~porque = porque P—As pessoas ficaram tranquilas_nio tiveram de refazer o trabalho, Q-NBo seio de tanta preocupacio com a pressa, R—Afinal, tantas ddvidas com a terapia, z S~lgnero rardo as pessoas no se habituam & solidao, O preenchimento dos espagos com as expressdes que tornam as sentencas corretas resulta nas seguintes associacées: a) 1-P,lI-S,1lI-Q b) 1-5, =P, 1a ) t-8,NI-R, ie d) 1-R,lI-P ms e) 1-Q, 11-8, l-P Comentério: Por que - Tem sentido de “por qual raz80" ou “por qual motive": Ignoro por que rozdo as pessoas ndo se habituam @ sotiddo. Porque - Tem sentido de explicacéo, podendo ser substitifo por “pois”, “uma vez que”: As pessoas ficaram ‘tranquilas porque nd tiveram de refozer 0 trabalho. Porqué -£ substantivo e tem significado de “o motivo", raz40". Vem acompanhado de artigo, proneme, adjetivo ‘ou numeral: Nao sei 0 porque de tanta preocupacéo com a pressa. Por qué - Quando vier antes de um ponto, seja final, interrogativo ou exciamagio, deveré vir acentuado © continuar’ com o significado de "por qual motivo’, “por ual razio", como é o caso da frase Afinal, tontos dividas com a terapio, por qué? Gabari Emprego do hifen {conforme novo acordo ortografica) Emprega-se o hifen nos seguintes casos: ‘= Na divisdo das silabas. com-pustado-ri-z0-da ‘+ Para unir os pronomes obliquos a0 verbo. ‘Amé:lo, enviarthe-emes + Unir 0s sufixos agu, guacu, © mirim, se o elemento anterior terminar em vogal acentuada Braficamente ou em ténica nasal Sabié-quacu, andé-ocu, agal-mivim. ‘+ Palavras compostas ~ $6 se ligam por hifen os elementos das palaveas compostas em que conservam cada uma a sua propria acentuacio, porém formando um novo sentido. Ano-luz, arco-tris, médico-cirurgite, tio-avé, tenente-coronel, amor-perfeito, primeiro- -minisiro, guarda-noturno, porto-alegrense, afro: asidtico, azulescure, segundo-feiro, guarda- ‘chuva. Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 32 ‘Mas, atenglo: as palavras compostas em que se perdeu a ‘ogo de composicdo so grafadas sem hifen: Ultrassom, mandachuva, paraquedas, pontapé. ‘+ Nos compostos com os elementos além, aquém, recém, sem ‘Além-tdmulo, aguém-mar, recém-formado, sem- vergonha. © Na palavra geral — ligada a substantivos, indicande fungao, lugar de trabalho ou érgo. diretor-geral, secretério-geral. ‘+ Nas formas duplicadas das onomatopeias. + Emprega-se o hifen para ligar duas ou mais palavras que ocasionalmente se combinam, formande, nao propriamente, vocibulos, mas encadeamentos vocabulares. em combinacses histéricas ou de topénimos ocasionais Divisa liberdade-iquoldade-fraternidade, © ponte Rio-Niteréi, Téquio-Rio de Janeiro, acordo Brasil Portugal + Gr8 e gro — Nos topBnimos compostos iniciados, pelos adjetivos gr, gro ou por forma verbal ou cujos elementos estejam ligadas por artigo, Gr-Bretanha, Gréo-Pard, Quebra-Dentes, Traga- Mouros, Trica-Fortes, Entre-os-Rios, Bafa de Tados-os-Santos. Observagdes: Os demais topanimos compastos escrevern- se com os elementos separados, sem hifen, Costa Rica, Porto Alegre, América do sul, Belo Horizonte. Excega0: Guiné-Bissau. © Emprega-se o hifen nas palavras compostas que dlesignam espécies botnicas ¢ animais Couvesfior, —erva-doce, —_ervilha-de-cheiro, andorinho-do-mar, cobro-d’égua, bem-te-vi, quero-quero. © Bem - Em geral, a forma bem é separada por hifen. bem-aventurade, bem-estar, bem-vindo, bem- humorado, bem-amado, bem-ditaso. ‘Observasio: O advérbio bem pode se aglutinar com palavras comegadas par consoantes, ‘enfazejo, benfeito, benfeltar. ‘© Mal - © advérbio mal separa-se por hifen quando a palavra seguinte comeca por vogal, | ouh, ‘Mal-agradecido, mal-estar, mal-humorado, mal- ipo. Observacio: Quando mal se refere a doenca, grala-se com hifen. Ex.: Malsfrane®s (= sifilis). Emprego do hifen com prefixos e pseudoprefixos + Ex (com sentido de estado anterior ou ccessamento), vice, vizo-, sota-, soto- e as formas ténicas pré, pré-e pos. Ex-diretor, ex ministro, vice-presidente,vizo -rei, sota-piloto, soto-mesire, pré-natol, pos: -graduacao, pré-ofricono. + Nas formagses com prefixos (tais como: ante, anti, contra, entre, extra, hiper info, intr, sobre, sub-, super, supra’, ultra, ete) @© em formacdes com elementos ndo_autinomos ou falsos prefins, de origem grega e latina (como aero-, agro-, argu, autor, bio, eletro-, geo-, hidro., inter, macro:, maxi, micro-, min, mutt, nec, pan, phir, proto, pseudor, retra-, semi, tele-, etc), s6 se emprega o hifen nos seguintes 1) Diante deh ‘onte-histérico, anti-higiénico, contra: sharménico, —infra-hepético, macro-histérico, min-hotel, supra-humano, sub-humano, geo- historia, neo-helénico, pseudo-histéria, semi- hospitalar, 2°) Vogal repetida ‘Anti-inflamatério, arqui-inimigo, auto- -observasdo, contra-otague, extra-alcance, infra assinodo, micro-ondos, tele-educa;o, semi- internata, 3") Consoante repetida Inter-regionsl, inter-relacdo, inter-racial, sub- loco, hiperealiste, super-répido, — super- roméntico, ‘+ Separam-se com hifen os prefixos terminados em (ab-, ob-, sob-, sub-] quando a palavra seguinte comesar com r,b, eh. Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 33 ‘ab-reogo, ob-rogar, sub-roda, sub-regiée, sub- hepatica, sub-bibliotecério, sub-humano. ‘+ Separam-se com hifen os prefixos terminados em, d (ad), quando a palavra seguinte comecar com ¢ ed. ad-renal, od-digetal Nao se separam com hifen nos seguintes casos: + Nao se separam com hifen os prefixes des- e in-, quando o segundo elemento perdeu o h inicial desumano, indbil + No se separa por hifen o prefixo co» Quando a palavra seguinte comecar pela letra bh, esta desaparece. Covbrigacdo, coordenar, cooperagao, coerdeiro, coabitar. ‘+ Nao se separam com hifen os prefixos an-e re- Anaerébico, analfabeto, reeleicio, reencontro. No se usa hifen com 0 termo no com func3o prefix. 1ndo agressio, nao violéncia Atengio: Quando o prefixo ou pseudoprefixo terminar em vogal e a palavra seguinte comecar por F ou s, essas consoantes duplicam-se (r,s): Antissocial, contrassenso, pseudossibio, infrassom, suprassumo, antirrevolucionério, autorretrato, orquirtval, extrarrépido, N30 se emprega o hifen entre os prefixos ou pseudoprefixes terminados em vogal e quando o elemento seguinte for iniciado por vogal diferente. Autoestima, coautor, extraescolar, _infraestrutura, contraindicacto, extraoficial, intraocular, semianalfabeto, ultraespecial, autoaprendizado, pseudoartsta, 25 Questées de concursos comentadas 1. (Fiseal de Renda/Ri/Sefaz/FGV — adaptada) Em antimaterialista, utilizou-se corretamente a regra de emprego do hifen com o prefixo anti. Assinale a alternativa em que isso nfo tenha acorrido a} anti-higiénico b) antiaéreo ©) antirrébico d)antissemita ) antiinflacionsrio 6 Comentario: a) Certo: antihigiénico ~ 0 hifen teré emprego obrigatério nos prefixos que terminam em vogal sseguidos de palavra iniciada porh. 'b) Certo: antiaéreo ~ nao se emprega o hifen entre os refixos ou pseudoprefixos terminados em vogal & quando 0 elemento seguinte for iniciado por vogal diferente ©) Certo: antiredbico ~ quando © prefixo ou pseudoprefixo termina em vogal ¢ a palavra seguinte ‘comeca por rou s, essas consoantes duplicam-se. 4) Certo: antissemita ~ mesmo caso ja explicado na alternativa C €) Errado: 0 correta ¢ anti-inflacionério ~ nos casos em {que surjam prefixos terminados em vogal, seguidos por vocabulos que se iniciem por vogal idéntica, havers ‘emprego obrigatério do Gabarito: € 2. (FGv/Advogado/Senado Federal ~ adaptads) Em néo efetivasio, aplicou-se corretamente 2 regra do hifen. Das palavras abaixo, somente uma estd correta. Assinale- a) sécio-ambiental b) tele-reportagem ©) macro-encefalia 4d) transshumano e) sub-repticio 4 Comentirio: a) Errado, Correcio: socieambiental ~ 0 hifen sera ‘empregado apés prefixos ou elementos prefixais que terminarem por vogal ¢ forem seguidos por vocabulo que se inicie com a mesma vogal, © que ndo é 0 caso presente, bb) Etrado. Corregdo: telerreportagem — terminando 0 prefixo ou elemento prefixal por vogal e sendo seguido por palavea iniciada por ¢ ou s, no se emprega hifen e a consoante deve ser dobrada. ©) Errado. Corre¢do: macroencefalia ~ n3o se emprega hifen ligando prefixos ou elementos prefixals a vocsbulos {que iniciem por vogal diferente daquela que finaliza 0 rimeiro elemento, 4d) Errado, Corregio: transumano ~ no se separa com hifen os prefixos quando o segundo elemento perde oh inicial €) Certo. Emprega-se hifen apds 05 prefixos ab-, ad-, ob-, sob- e sub- quando o vocdbulo seguinte iniciar por r. Gabarito: € Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 34 3. (FGV/Investigador de Policia Civil/Rl/Secretaria de Seguranga Publica - adaptada) No termo inter- regionais, utiizou-se corretamente a regra do hifen diante de palavras que se iniciam com a letra r. Assinale a(s) alternativa(s) em que isso nao tenha ocorrido, a} I= micro-regido b) lI ~sub-regido €)_Ml—super-regional d) IV-intra-regional 2) V—pseudo-regizo ab Liev b) ile e) UlWwev d) ill Ve -€ Comentario: 1). Errado. Correcdo: microrregiio ~ prefixos ou radicals ‘empregados como tal (falsos prefixos) terminados em vvogal no se ligarso por hifen a vocabulos seguintes que comecem por r ou s, havendo o emprego duplicado das consoantes indicadas. I) Correto. Sub-regiso ~ 0s prefixos ab-, ad-, ob-, s0b- & sub- ligar-se-Bo por hifen as palavras que se iniciem por r. Ill) Correto. Super-regicnal ~ os elementos prefixais terminados em consoantes diferentes de me n serio ligados por hifen a0 vocabulo seguinte caso este comece com consoante igual 4 que finalizou o primeira elemento, IN) Errado. Corregao: intrarregional prefixos ou radicais, ‘empregados como tal (flsos prefixos) terminados em vvogal nao se ligardo por hifen ao vocabulos seguinte que comece por ous, havendo o emprego duplicada dessa consoante V} Errado. Correcio: pseudorregito a justificativa é a mesma da alternativa anterior. Gabarito: A 4. (Rnalista de Recursos Humanos/Ministério da Culturs/FGV) No vorsbulo pré-escola 0 prefix pré mantém-se separado por hifen. Assinale 2 alternativa ula palavra, contendo esse mesmo prefixe, no tenha sido gratada na forma preferida atualmente a} preestabelecer b) predeterminar. c) prévestreia d) pré-existincia, e) pré-matricula, Zi Comentirio: Lembre-se da regra: somente utiliza-se hifen nas formas ténicas de pré, pré e pds. Nas formas atonas, néo se utiliza hifen Sendo assim, devemos identificar em qual das alternativas no esta sendo corretamente empregado 0 bifen, a) Correto. Preestabelecer ~ “pre” (dtono) sem hifen. 'b) Correto . Predeterminar ~ “pre” (dtono) — sem hifen. ©) Corteto. Pré-estreia~"pré" (tonico) — com hifen. 4) Errado. © correto & “preexisténcia”, uma vez que 0 prefixo “pré” é dtono. Usa-se “pré’, sempre com hifen, ‘quando for t6nico; “pré, sem hifen, quando for tone. €) Correta. Pré-matricula ~ “pré” (ténica) ~ com hifen Gabarito: 5. (Administraglo/BNDES/Cesgranrio - adaptada) Assinale a op¢io em que a palavra é grafada com hifen do mesmo modo que bem- a) inter-regional b) sécio-econdmico, ©) semiscirculo. 4) pan-continental fe) auto-controle. 26 Comentério: a) Certo, Grafase com hifen, pois so consoantes repetidas ~ “inter-regional 'b) Errado. Correcio: socioeconémico (vogais diferentes = sem hifen}. ©) Ertado, Correcdo: semicirculo, O prefixo “semi” separa-se por hifen apenas antes de palavras iniciadas pela mesma vogal (= #) ou h 4) Errado. Correcio: pancontinental. © prefixo “pan separa-se com hifen apenas antes de palavras iniciadas por vogal, m,n eh €) Errado. Correco: autocontrole. © prefixo “auto” somente se separa com hifen antes de palavras iniciadas pela vogal o (vogal repetida) e por h. Gabarito: Acentuacio grafica (conforme novo acordo ortogréfico) Acentuam-se _graficamente, conforme timbre aberto {acento agudo) ou fechade (acento circunflexo), as vogais tonieas das palaveas: 41. Monossilabas t@nicas terminadas em: 2, as: pas, id ©, €5: pe, 16s 0,05: 76, nds. 2. Oxitonas terminas em: a, a8: maracujé, verds. Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 35, €, es: 0té, chinés, 0, 08: av6, av6s, poletd, ‘em: além, armazém. (Observagio: As formas verbals terminadas em a, ee @, seguidas de Ia, las, lo, los, so acentuadas normalmente de acordo com a regra das oxitonas. x: amé-la, conté-|os, fazé-lo, imp6-los, 3, Paroxitonas terminadas em: 4, Bs, Ho, Hos: drf8, dfs, 6rgto, bénctios isis (ei Ji, grétis, quei, téxtets. fon, ons: pldncton, protons tum, uns, us: dibum, foruns, virus, biimus, In, 4, x dil, hifen, cardter, térax. pe: biceps, forceps ditongo crescente ea, e0, ia, ie, o, a0, ua, uo, eu, ete, seguidos ou nao de s]: ndusea, deo, ciencias, véeuo, barbérie, tries. Nota: com exceso das terminacdes ons e uns, as paroxitonas terminadas em ns no so acentuadas: hifens,itens, polens. (Observasa0: Os prefixos paroxltonos terminados em ier no so acentuados: 5x: semi-intensive, super-répido, 4, Proparoxitonas: todas so acentuadas. 4rabe, autdgrafos, céntico. 5, Ditongos abertos: acentuam-se os ditongos abertos elfs), 0i(s), eu(s) das monossilabas e das oxitonas. rei, cu, anéis, faréis, chapéus. (Observagdo: Nao se acentuam os ditongos abertos das paroxitonas. Ex. geleia, jboia, epopeia, heroico. 6. Hiatos: 0 uw @ 0 I ténicos, quande forem a segunda vogal de um hiato oral e estiverem sozinhos na silaba (ou acompanhados de s), receberao acento grafico. heroina [he-ro-i-na), fosea (farts-ca), gaticho (ga-d-cho), balaustre (ba-la-ts-tre), Observacées "Nao se acentuam 0 1¢ 0 u dos hiatos quando: a) estiverem repetidos: xii-ta. 1b) seguidos de letra diferente de s:a-in-ca, Ra-ul. ©) quando a sflaba seguinte comecar por nh, tornando o hiato nasal: ra-F-aho, mo-Fnho. 4) nas palavras paroxitonas, 0 1 0 u dos hiatos forem precedidos de ditongo: bai-u-ca, fer-u-ra, "*So acentuados o ifs) e u(s) tOnicos (mesmo precedidos de ditongo) pertencentes as oxitenas, portanto em pposigao final da palaura: Pau, tel-d, tel-ds, tulul tuls, 7. Acento diferencial abrigatério por (verbo) pode (pret. perfeito} or (areposi¢ao) pode (presente) Gbs.: 0s demais acentos diferenciais deixaram de ser usados. 8. Verbos “ter” e “vir: acentua-se com acento cireunflexo a3 pessoa do plural do presente do indicative dos verbos “ter” e "vir". O singular permanece sem acento. eletem — elestém ele vem ~ eles vém 9. Derivados de “ter” @ “vir": acentua-se com acento agudo a 22 pessoa do singular do presente do indicative dos verbos “ter” e “vir’: jé na 3° pessoa do plural, ‘emprega-se 0 acento circunflexo. ele mantém~ eles mantém ele provém ~ eles provém 10, Hiatos “oo” e “ee”: no se acentua a primeira vogal dos hiatos “00 e “ee 00, enjoo, perdoo, creem, leem, descreem. 11. Para (terceira pessoa do singular do presente do indicative do verbo parar], pelo neve acordo ortogratico passa a dispensar 0 acento que o diferenciava da preposicao “para”. ‘Ana nfo para de conversar. (verbo Mandel um e-mail para ele. {preposicio) © mesmo ocore com para, elemento de palavra composta, come para-brisa, para-raios, para-choque ete. Jé 0s termos paraquedas, paraquedista e paraquedismo, pelo novo acordo, perderam ngo sé 0 acento, mas também o hifen, Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 36 12. Polo: pelo novo acordo ortogréfico passa a dispensar 0 acento: pola Norte, polo Sul (extremidades do eixo da Terra); polo magnético, polos opostos (pontas extremos, lugares oposts); polo petroquimico, polo cultural ponto ‘onde gravita atividade importante); polo aquatica (esporte) Ziquestdes de concurses comentadas 1, (CESGRANRIO / 2011 / FINEP / Técnico / Apolo Adm e Secretariado) Que palavra obedece 3 mesma regra de acentuagao que pais? a} Compas b) Bau €) Indio d) Negécios e) Aguia 2 Comentirio: a} Incorreta — Regra de acentuacao: oxitona terminada em 0s (com- ps). b) Correta - Regra de acentuacdo: u t6nico isolado em hiato, Em uma separacdo silébica, quando ocorrer hiato e @ segunda vogal desse hiato for i ou wu ténicos, ‘acompanhados ou no de s, haverd acento, como é 0 cas0 de parts e bat, Outros exemplos: pro-F-bo, favts-ca, cavise te, sativa, ba-la-is-tre, car-na-ticba, al, pa-ra-i-so, sa de, he-ro-Lna. Se o I for seguido de nh, nfo haverd acento = mo-i-nho, ta-L-nha, cam-pa-i-nha, re-de-mo-t-nho, ¢) Incorreta, Regra de acentuacSo: paroxitona terminada fem ditongo crescente (in-dio], ) Incorreta. Regra de acentua¢ao: paroxitona terminada lem ditongo crescente (ne-g6-clos). ) Incorreta. Regra de acentuacdo: paroxitona terminada fem ditongo crescente (4-gula) Gabarito: 8 2. (CESGRANRIO / 2011 / Petrobras / Administrador Minior) Em relacdo as regras de acentuacao grafics, a frase que NAO apresenta erro é: a) Ele no pode vir ontem & reunio porque fraturou o pé. bb) Encontrei a moeda caida perto do sofa da sala. ¢) Alguém viu, além de mim, helicéptero que sobrevoava o local? d) Em péssimas condigOes climaticas voc® resolveu viajar parao exterior @) Aqui so eu é que estou preocupado com a saiide das criangas. 2 Comentario: a} Incorreta. Foi ocultado 0 acento diferencial em “Ele ndo ‘péde vir ontem..”. Péde é 2 forma do passado do verbo poder (pretérito perfeito do indicativo), na 3* pessoa do singular. Pode & 2 forma do presente do indicativo, na 3° pessoa do singular. Exemplo: Ontem, ele nao péde sair ‘mais cedo, mas hoje ele pode. bb} Incorreta, Deveria haver acento agudo na palavra caida’, justificado pela regra do 1 isolado em silaba por hiato. ©) Correta, As palavas “Alguém” e “além” justiticam-se pela regra das oxitonas terminadas em “sem”. J4 a palavra “helieéptera” & uma proparexitana justificada pela ui rregra dessa classificacao: todas as proparoxitonas sao acentuadas em sua silaba ténica, 4d) Incorreta. A palavra “climatica” deve ser acentuada, uma vez que se trata de palavra proparoxitona. €) Incorreta. “S6" € um monossilabo t6nico com som aberto e, por isso, deve receber acento agudo. Gabarito: ¢ 3. (Administrador de Banco de Dados/Ministério da Educagdo/FGV) Assinale a alternativa em que a palavra tenha sido acentuada seguindo regea distinta das demais. a) Amazénia b) planetaria ) resistencia 4d) niveis ©) paises 2 Comentario: Vejamos as justifieativas para os acentos grificas encontradas n35 palavras de cada alternative da questio: a) Amazénia — paroxitona terminada em ditongo crescente, b) Planetéria ~ paroxitona terminada em ditongo crescente, ©) Resisténcia ~ paroxitona terminada em ditongo crescente. 4) Nivels ~ paroxitona terminada em ditongo creseente. €) Paises ~ acentuam-se as vogais ie u, quando tOnicas, isoladas em silaba e ocuparem a segunda posicao de um hiato oral pa-tses Como podemos ver, somente o vocabulo da alterativa “"e” possul justficativa diferente das demais. Gabarito: € 4. (Consultor de Orcamento/ Nivel Superior/ Senado Federal / FGV) Assinale a alternativa em que a palavra tenha sido acentuada seguindo regea distinta das demais. a) consciéncia b) juizos €) pretério 4d) epis6dlos ) importsncia 2 Comentario: Vejamos as razdes de emprego dos acentos gréticos nas ppalavras fornecidas em cada uma das alternativas.. 2) Voeabulo paroxitono terminado em ditongo crescente. 'b) Vogal i como em segunda posicéo de hiato oral, tonico e Isolado em sliaba. Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 37, €) Vocibule paroxitene terminade em ditongo crescente. d) Vocébulo paroxitone terminado em ditongo crescente. } Vocsbula paroxitono terminado em ditongo crescente. Como podemos ver, somente a alternativa b possul justticativa diferente das demais Gabarito: 8 5. (INSS/Procurador Autérquico) Indique 2 Unica alternativa em que nenhuma palavra deve ser acentuada graficamente a} lapis—canoa- abacaxi— jovens bb) rum ~ sezinho ~ aquele ~ traiu c)_ saudade ~ onix ~ grau ~ orquidea d) yoo ~legua ~ assim — tenis Z Comentario: a} lépis ~ as paroxitonas terminadas em is devem ser acentuadas; no entanto, conoa, abacaxi e jovens 130 s30 acentuadas, b) nenhuma palavra desta opgio tem justifiestiva para acento gréfico, portanto é a escolha certs, ) 6nix~paroxitona terminada em x, deve receber acento grafico; arquidea — paroxitona terminada em ditongo crescente (ea), deve receber acento; as demais palavras ino tém causa para acento, d) légua ~ recebe acento por ser paroxitona terminada fem ditongo crescente; ténis ~ é acentuada por ser paroxitona terminada em is; as demais palavras desta alternativa no devem ser acentuadas. Note que a palavra voo tem um histo, “00”, que, com 0 novo acordo ortogréfico, perdeu @ acento. Gabarito: 8 Trema Nao se usa trema nas palavras da lingua portuguesa. Observagées: Eliminou-se o trema no w dos grupos gue, gui, que, qui quando pronunciado e dtono (semivogal) ‘aguentar, linquica, tronquilomente, cinquento, etc. Mantém-se 0 trema nas palavras derivadas de nomes préprios estrangeiros: Mailer - malleriano Eliminou-se o acento agudo no u ténica dos grupos gue, sui, que, qui: argui, averigue, etc. Zi Questées de Concursos Comentadas 1. (CESPE / 2011 / Correios /Agente de Correios / Carteiro) S40 acentuados graficamente de acordo com a ‘mesma regra de acentuacdo grafica os vocabulos a) também e coincidéncia b) quilometros e tivéssemos ©) jogé-la e inerivel 4d) Escécia e nés. €) correspondéncia e tras 26 Comentirio: a) TAM-BEM = Regra: palavra oxitona terminada em “em"/ CO-IN-CI-DEN-CIA = Regra: palavra paroxitona terminada em ditongo crescente. b) QUILO-ME-TROS = Regra: todas as _palavras proparoxitonas sdo acentuadas / TIVES-SE-MOS = Regra: todas as palavras proparoxitonas 30 acentuadas ©) J0-GA/ A= Regre ‘terminadas em " acentuam-se as palavras oxitonas ", “e” e “0”, inclusive as formas verbais do infinitive que perdem a consoante “«” para se ligarem a pronomes obliquos /o, a, ios, fas (iogar + la = jogé-la) / IN-CRI-VEL = Regra: acentuam-se as paroxitonas terminadas em “L". 4) ES:CO.CIA = Regra: palaura paroxitona terminada em ditongo crescente / NOS = acentuam-se os monossflabos tOnicos terminados em “a”, “e” e “o”, seguidos ou néo de". €) COR-RES-PON-DEN-CIA = Regra: paroxitona terminada em ditongo crescente / TRES = acentuam-se_os monossilabos tOnicos terminados em “a", “e" e “o", seguidos ou néo de“. Gabarito: 8 2. (CESPE / 2011 / FUB / Cargos de Nivel Médio) Para se ter uma ideia, apenas 0s alunos de étimo boletim tém —Direito & inscriglo e, ainda assim, 85% deles ficam de fora Monica Weinberg. Tomara que d@ certo. Internet: - (com adaptages) No que se refere & estrutura textual e a aspectos gramaticais do texto, julgue o item a segulr. Em razio do contexto, 0 acento grifico empregado na forma verbal “tem” é obrigatério. Comentario: Qs verbos “ter” € “vir” e seus derivados distinguem a terceira pessoa do singular (ele/ela) da terceira do plural {eles/elas) por meio do acento circunflexo. © sujeito da forma verbal “tém”, no texto acima, é“os alunos” (= eles). Logo, “eles tém direlto d inscricdo”. Gabarito: Certo 3. (CESPE / 2011 / STM / Técnico Judiciério / Area ‘Administrativa) A regra de acentuagio grafica que Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 38 justifica 0 emprego do acento gréfico em “aeroportuario” a mesma que justifica 0 emprego do acento em “meteorol6gica”. Z Comentirio: AcE-RO-POR-TU-A-RIO = Regra: acentuam-se as palauras paroxitonas terminadas em ditongo crescente METE-O-ROLO-GI-CA = Regra: Todas as palavras proparoxitones devem ser acentuadas. Conclusso: a regra que justlica@ acentuagdo dessas duas palavrasnio & a mesma Gabarito: Erado 4. (CESPE / 2011 / TREES / Téenico / Operacio de Computadores) As palavras “catastrofe” e “climtica” recebem acento gréfico com base em justificativas gramaticais diferentes. 25 Comentario: CA-TAS-TRO-FE = Regra: Todas as palavras proparoxltonas devem ser acentuadas. CLLMA-TL-CA = Regra: Todas as palavras proparoxitonas devem ser acentuadas. Conclusdo: a regra que justifica a acentuacdo dessas duas palavras ¢ a mesma. Gabarito: Errado 5. (CESPE / 2011 / TRE-ES / Técnico / Opera¢do de Computadores) Em “contribuiram”, 0 emprego do acento grafico justfica-se pela presenga de ditongo em silaba tonica, Comentario: CONTRIBUIRAM > COM-TRI-BUAGRAM. Perceba que as \vogais “u” ¢ "i" se encontram na palavra “contribuiram” e no processo de separacdo silébica elas se separam. A esse fendmeno da-se © nome de hiato. Sendo assim, die a regra de acentuaclo dos hiatos que: devem ser acentuados oie o“u"tonicos quando estiverem isolados em hiato, formando silaba sozinho ou acompanhado de s” (somente de s’, isto € em JU-Z do hé acento). Outros exemplos: ea-{/ do-ido / sa-t-de (Obs.: NBo recebem acento 0 “i” € 0 “u” t6nicos isolados lem hiato quando forem precedidos de ditongo (fei-u-a / bbo-cai-u-va} ou seguidos de ‘nh’ (ra-inha/ cam-pa-i-nha). Gabarito: érrado 6. (CESPE / 2011 / PC-ES / Cargos de Nivel Superior / Conhecimentos BAsleos - Escrivao de Policia, Perita Telecomunica¢io, Perito Papiloscépico) Os vocdbulos "espécies", "dificels" © "histéricas” s3o acentuados de acordo com a mesma regra de acentuacao grafica © Comentario: | que naquele a ocorre erase: jun ES-PE-CIES = Regra: acentuam-se as palavras paroxitonas terminadas em ditongo crescente, DLFI-CEIS = Regra: acentuam-se as palavras paroxitonas ‘terminadas em ditongo crescente. HIS-TO-RI-CAS = Regra: acentuam-se todas as palavras proparoxitonas. Conclusdo: a regras que justifica a acentuagio dessas palavras nao éa mesma. Gabarito: Errado Emprego do sinal indicativo de crase Crase @ a fusdo da preposigio a com o artigo a oucom oa inicial dos pronomes demonstratives aquele, aquela, ‘aquilo, Na escrita, & indicada por meio do acento grave ( ). Para que ela ocorra, & necessério que haja: 9) um termo regente que exija 0 preposicto a; +b) um termo regido que seja modificade pelo artigo @ ou por um dos pronomes demonstrativos de 3° pessoa ‘mencionados acima, ode ata, A crase acorrera sempre que 0 termo anterior cexigir a preposicio ae a termo posterior admitit 0 artigo aouas Vou a a praia. = Vou é praia Para se certficar, substitua o termo feminino por tum masculino. Se a combinagdo ao for necesséria, a crase sera indispensdvel Bx: Vou d prota, / Vou ao clube. Emprego obrigatério do sinal de crase Sempre ocorreré crase 4) Nos casos em que a regra geral puder ser aplicada, 6x: Dirigu-se & professoro 2) Nas locugdes conjuntivas, adverbiais e prepositivas (formadas por a + palavra feminina}, Exemplos; ‘A medida que passa 0 tempo, a violéncia aumenta. 0 povo brasileiro vive & mercé de pollticos, ‘muitas dos vezes corruptos. Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 39 Gosto muito de scir 6 noite. 3) Na indieag30 do nimero de horas, quando, a0 trocar 0 nimero de horas pela palavra meio-dia, obtivermos a expresso ao meio-dia. Retornou as olto horas em ponto. (Retornow a0 meio-dia em ponte.) 4) as expresses & moda de, & maneira de, mesmo quando essas estiverem implicitas. ‘Ex: Farel paro a jentar uma bacalhoada (4 moda de Portugal) @ portuguesa. Emprego facultative do sinal de crase 1) Diante de pronomes adjetivos possessivos femininos. Vou a sua casa. / Vou a sua casa (Vou a seu apartamento/_ao seu apartamento} Obs. se 0 pronome for substantive possessivo, o sinal de crase serd obrigatério. Vou a sua festa e voc@ ira a minha 7 Vou a (aa) seu baile e vocé ir ao meu. 2) Diante de nomes préprios femininos. Nao me referia a Eliana. / Nao me referia a Eliana. (Nio se refere a Roberta / ao Roberto). 3) Depois da preposicao até. Fo| até a porta. / Fol até 3 porta. (Foi até o portao / até ao porta), Casos em que nunca ocorre crase 1) Dlante de palavras masculinas, Nao pode acorrer artigo 2 (feminino) antes de palavea masculina; se houver a, sera preposigao. x: Saiu 2 cavalo ¢ softeu uma queda 2) Diante de verbos. Nao hé artigo antes de verbo, pois teste se transformaria em substantive; se houver a, sera preposigao. Bx: Ele estd opto a concorrer ao cargo. 3) Diante de nome de cidade (topénimo) que repudie o artigo. Ex: Turistas vio frequentemente a Tiradentes. DICAS: Descubra se 0 nome da cidade aceita artigo: use 0 verbo “voltar", Se houver contragio de preposigio & artigo, existiré crase. Vou a, volte da, crase hd. Vou a, volto de, crase por qué? x: Fut d Espanha/ Voltei da Espanha, Ful o Tiradentes/ Voltei de Tiradentes. Se 0 nome da cidade estiver determinado, a crase seré obrigatéria Ex: Ful a histdrieo Tiredentes. Fui a Roma dos Césares, 4) Em expressées formadas por palavras repetidas (um: ‘uma, frente a frente, etc.) Ex.: Olhomo-nos cara a cara, 5) Quando 0 a estiver no singular, diante de uma palavea no plural. Se houvesse artigo, ele estaria no plural, pois acompanharia a flexao do substantive. x.: Como posso resistir a pessoas to ‘encantadoras? (Como posso resist as pessoas...) 6) Diante do artigo indefinido uma. Nao pode haver um artige definide (determinante) juntamente com um indefinido, que generaliza o substantive, Ex. Isto me levou a uma decisdo dréstica. 7) Diante da expresso Nossa Senhora e de nomes de santos, bx. Entregareia Nossa Senhora da Conceicae ‘minha oferenda, 8) Diante da palavea terra, quando esta significar “terra firme”, “tomada em oposi¢ao a mar ou ar” 640s pilotos f6 voltaram a terra. 9) Diante da palavra easa (no sentido de “lar”; “moradia") quando esta nao estiver determinada por adjunto adnominal Ex: Nao voltorei a casa esta semana. aso a palavra casa venha determinada por adjunto adnominal, ocorrerd a crase. Ex: Ndo voltorei @ casa de meus pais esta 10) Diante de pronomes que nfo admitem artigo: relatives, indefinidos, pessoais, de tratamento ¢ demonstrativos (nJo iniciados pela vogal a). Bx: Dei a ela oportunidade de se redimir. Solicito a V.$8 a confirmacao do pedido. Fale’ a vérias pessoas sobre a reunido. 411) Diante de numerais cardinals quando estes se referem a substantivos nao determinados pelo artigo. Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 40 x: Daguia duas semanas retornarei ao trabalho, Crase da preposigao “a” com pronomes demonstrativos Preposigéo a + pronames demonstrativas = &, aquilo, Aquelels), aquela(s) Exc: Assistimos dquela peco teatrol. © a serd pronome demonstrative quando significar aquela. Zi Questdes de concurso comentadas 41. (CESGRANRIO / 2011 / FINEP / Analista / Juridica) (O sinal indicativa da erase & necessério em: a} Os cartdes-postais traztam as novas noticias de quem estava viajando. b) Recife abriga a mostra de antigos cartées-postais, fruto do esforco de um colecionador. ¢) Reconhecer a importancia de antigos habitos, como a troca de cartées-postais, é valorizar o passado. d) Enviar um cartdo-postal aquela pessoa a quem se ama era, nos séculos XIX e XX, uma forma de amor, fe) Durante muito tempo, e em varios lugares do mundo, a moda de trocar cartées-pastais permaneceu © Comentario: Crase ¢ a jungio da preposicSo “a” [exigida pelo verbo) com 0 artigo definido "a/as", ou ainda da preposieao “a” com as iniciais dos pronomes demonstratives aquelas), aquele(s), aquilo ou com © pronome relative a qual (as quais). a} Incorreta. 0 verbo “trazia” & transitive direto, nao fexigindo prepesicao ~ Trazia 0 qué? As novos noticias (’as" = artigo), b) Incorreta. 0 verbo “abriga” @ transitivo direto, no exigindo preposicio — Abriga 0 qué? A mostra de ontigos cartées-postais (*2* = artigo). c) Incorreta, © verbo “reconhecer” é transitive direto, no exigindo preposico ~ Reconhecia o qué? A importéncia de antigos habitas ("a" = artigo), d) Correta, © verbo “enviar” é transitivo direto e indireto. iro caso, no exige preposicio ~ Enviar o qué? Um cartdo-postal. 14 no segundo caso, © verbo exige a preposicao “a” - Enviar a quem? A aquela pessea ["a” = preoposigao + aquela = pronome demonstrativo). Nesse aso, ha a fusdo dos dois "as" e o acento grave € 0 sinal que indica essa fusdo, e) Incorreta. Em *.. a moda de trocar cartées-postais..", temos apenas um artigo definido feminino que determina a palavra “casa”. Gabarito: 2. (CESGRANRIO / 2011 / TRANSPETRO / Técnico de Contabilidade) © sinal indicative de crase @ necessario em: a) A venda de computadores chegou a reduzir 0 preso do equipamento. b) Os atendentes devem vir a ter nove treinamento. ©) Epossivel ir as aulas sem levar o notebook. 4) Nao desejo a ninguém uma vida infeliz. fe) Ainstrutara chegou a tempo para a prova 26 Comentirio: a) Incorreta. “.. chegou a reduzir o prego. crase antes de verbo. bb) Incorreta. deve vir ter..” - NA existe erase antes de verbo, ©) Correta, “E possivel ir as aulas..” = verbo “ir” exige ppreposic3o (quem vai, vai a.. algum lugar). Nesse caso, hhavera erase se apés o verbo existir “a" [artigo feminino singular) + “aula” (substantivo feminino singular) ou “as” {artigo feminino plural) + “aulas” (artigo feminino plural) Em “Vou a festas” ndo existe crase, uma ver que apds a ppreposicao “a” existe substantivo feminino plural e nao singular. 4d) Incorreta ~ “Noo desejo a ninguém.." -Nao existe crase quando, apds a preposicdo, existe pronome indefinido, no 350, a palavra “ninguém”. ) Incorreta - “A instrutora chegou @ tempo.” ~ Nao existe crase antes de palavra masculina -tempo. Gabarito: ¢ Nao existe 3. (CESGRANRIO / 2011 / Petrobras / Administrador inior) Em qual dos pares de frases abaixo 0 a destacado deve apresentar acento grave indicativo da erase? a) Sempre que possivel ndo trabalhava a noite. / Néo se referia a pessoas que nao participaram da seminario. b) No conte a ninguém que receherei um aumento salarial. / Sua curiosidade aumentava a medida que lia 0 relatétio. ©) Apés 0 julgamento, fiearam frente a frente com o acusado. / Seu comportamento descontroiado levou oauma situacdo irremedisvel 4) Q auditério WV fica no segundo andar, a esquerda, / 0 ‘bom funcionario vive a espera de uma promocdo. ) Aja com cautela porque nem todos so iguais a vocé. 7 Por recomendacdo do médico da empresa caminhava da quadra dois a der. Comentério: a) Incorreta. “A noite”: usa-se crase antes de locugées adverbiais femininas. / “a pessoas’: no existe crase antes de substantivos no plural, estando 0 "a" no singular. b) Incorreta. “a ninguém’: no ha crase antes de pronomes indefinidos / “a medida que”: emprega-se 0 Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas al Sinal grave para indiear a crase em locucdes conjuntivas femininas. ¢) Incorreta. “frente a frente”: no hd crase entre expresses repetidas / "a uma situagdo”: ndo ha crase antes de artigos indefinidos. d) Correta. “A esquerda” © "A espera” so locucées adverbiais femininas e por isso recebem o acento grave. @) Incorreta. “a voc” ~ “dois a de2": ndo existe crase antes de pronomes de tratamento (com excecao de senhora e senhorita), bem como nao existe crase antes de numerals, Observagdo: No caso de locucdes adverbiais que exprimem hora determinada e nos casos em que 0 Aumeral estiver precedido de artigo, acentua-se: Chegamos &s oito horas da noite; Assisti 8s duas sessbes, de ontem. Gabarito: D Classe, estrutura, formagdo ee significagio de vocdbulos. Derivacio e composicao. Estrutura ¢ formagao das palavras [As palavras podem ser divididas em varios elementos, chamados morfemas, Sao 08 seguintes: © Radical — € 0 elemento camum as palavras da ‘mesma familia, © radical contém o significado, liveo, liveaia, Nureiro ferro, ferreiro, ferrugem (Observagio: As palavras que possuem o mesmo radical chamam-se eognatas. Exemplos: certo, certeiro, incerto, certez0, et. + Afixos ~ so elementos mérficos que se juntam, 0 radical, formando novas palavras 0s afixos dividem-se em: a} Sufixos — vim depois do radical. ‘mortal, lealdade, fornalha, socialista b) Prefixos—vém antes do radical infeliz, esligar, bisneto + Desinéncias ~ so elementos indicadores das flexdes. Podem ser {a} Nominais ~ indicam 0 género e 0 nimero dos tomes (substantivos, adjetivos, numerais e prenomes). Exemplo: Alunos: -o = desinéncia de género (masculino);-s jesinéncia de nmero (plural). b) Verbais - indicam a flex3o de modo, tempo, rimero © pessoa des verbos. Foldvamos: -va (desinéncia mado temporal pretérito imperfeite do indicativo); mos (desinéncia nimero pessoal = 1? pessoa do plural) ‘+ Vogal tematica ~ ¢ a vogal que se coloca depois do radical (nos nomes e nos verbos). Pode ser: a) Nominal ~ figura depois do radical dos nomes sem indicar 0 género: Casa, terra, povo, leite b) Verbal: A vogal temstica indica a conjuncao a que pertence. Sao trés: a, ee. Pular (1 eonjugagao); prender (22 conjugacie); partir (32 conjugacao) Observacio: O verbo “p6r" (derivado de poer) & da 2 conjugacao. ¢ Tema ~é 0 radical somado 8 vogal temética.. Pular > tema = pula Partir > tema = parti ‘Observagio: Hé palavras que nado tém tema (atemiticas), ‘pols elas s3o indivisiveis, ou seja, apenas possuem radical Exemplos: mar, so, fell, mulher, javali. ‘+ Vogal e consoante de ligago ~ so elementos ‘que se colocam entre o radical e os sufixos para facilitar a prondincia. ‘soci + (2) + nho ~2 6 cansoante de ligacko. gas + 6 + metro ~6 6 vogal de ligagao. Radicais de origem latina Radical | Significado Exempio [awe [campo Fagrieutor ambi [ambos mbidestro a Tabata {pian arbori | arvore [ arborizar uri [aura mre a tare figes rn ase aaah caplet [eabesa Tespitat cida Taue mata [homicida cola [que habita | silvicola ad Si atari reutwa | to de ctivar —[ eaeeaura Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas a2 dico que diz rmaledicente Radicais de origem grega | doceo que ensina docente fero que contém ou | mamifero Radical Significado Exemplo produz cro. alte acrépole Ferri erro terico aero ar ‘aerédrome fico que faz ou bbenéfico agogo que conduz pedazogo produz algia dor nevralgia fide t€ fidedigno alo outro alopatia forme forma uniforme andro varao androce frater irmao fraternidade ‘anemo ‘vento [anemometro fugo ‘que foge ou centrifuge angels mensagelro evangelho afugenta ante flor ‘antotago, [gene ascido em alienigena antropo. homer antropologia gero ‘que-contém ou | lanigero arcaio antigo areaismo produz Aristo. melhor, nabre | aristocrata ini fogo ignivoro ritmo ‘numero aritmética Ico lugar | localidade arquia ‘governo monarquia ludo jogo ludoterapia arto pio artéfago mater mae ‘materno astro astro astrologia mort morte mortifere auto prdprio ‘autoeritica multi muitos multinacional aro peso [Barémetro acu lhe ocular bata que caminha acrobat ani todo onipotente “batraco ‘sano, bbatraquio opera ‘obra, trabalho | operério biblio livro. biblistilo aro ‘que produz oviparo ‘bio vida iogratia pater pal paternal ‘bronco igarganta ‘broncoseopia pede ne bipede 260 elo, mau cacéfato isc peixe piscicultura call belo caligrafia lurk varios pluricelular cardio coragio cardiologia pluvi chuva pluvial carpo. fruto endocarpo populo ovo popular cefalo cabeca cencefalite ‘auer crianga uericultura ceramo barro [cerdmica ‘quad quatro quadrilatero ano azul cianeto quero ‘que procura inguérito ‘ino do inofilia radio radio radiémetro ito célula leucécito reti eto retilineo claro verde clorofla Sapo sab50 sapondceo cosmo mundo cosmogratia silva Tloresta silvicultor eracia forga, poder democracla sono som uunissono croma cor cromatico sul asi mesmo. suicida ‘erono tempo [eronologia tango. que toca tangivel da(e)tilo dedo datllografia wi wes trimestre deca dez decimetro umbra sombra ‘umbroso. delo visivel psicodélico ual um unicelular ‘demo ovo demografia Vago ‘que vaga nnoctivazo dendro arvore dendrofobia vermi verme vermifuge derma pele dermatologista video que ve vidente dinamo forga | dinamémetro_ vini vino vinieultura doxo opinio ortodoxo vor! vor vociferar ‘drama cortida hipdrome volo que quer benévolo eco. casa economia’ voro ‘que come carnivoro ‘edro face, lado poliedro, electro eletricidade eletrélise enea ove eneasslabo enters Intestino entérico ‘entomo inseto fentomico ergo trabalho ergofobia Todos 0s Direitos Reservados — www. autodidataeditora.com.br — Prolbida a cépia e distribuicso Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 4B ertro vermelho ertrose no mdscule crioplegia estes sensagio estética iia dez mil miriametro etno ava etnoloaia miso que odela | misantropo eto costume itica mone um 6 monograma fase ‘que come hematdfono ‘morfo ferme amorto filo ‘amigo filésot0 necro morte necrapsia fio planta fraago nefro rim nefrite fs natureza Tisiologico neo. nove neolatino fobo que teme hidréfobo eure nev) neurologia foto luz fotdgrafo nieto noite nietofobia fone voz, som fonema ‘mono ie auténomo freno mente, ‘renologia, frente oss doenca nasocémio dliafragma oclo mmultidio eclocracia gaacto Tete wanciore ‘odonto deme odontetogta samo casamento peligame ats serpente ofidica gastro estémago aastite oftalmo othe [oftalmoloaista geo terra seclogia oligo poucs oligaravia geno nascimento | genética nies nha onicofagia sero velho geriatri nie sonho onirieo [gimno nu simnofobia ‘noma nome! onomastice gine mulher ineceu orto rato, correta | ertografa glauco verde slouconita smo impulso endosmose alico doce alicose oto ouvido atite glossa, glota lingua glossario, poliglota paleo antigo | paleografia hagio soarado hasiografia pan tudo panteismo [hidro dave hidrémetro aaul espesso paguimetre [helio sol heliotropisme [pate doenga patologia hema sangue hemécia pedi instrugio enciclopedia hepta sete heptagons penta cinco entagono nialo wera rialino pepsis cigestao [dispepsia hiro sagrado rieréeifo pinaes quadro pinacoteca hipno sono hipnose pireto febre antipirético ipo cavalo hipico iro fego piretéenico holo inteire holofote leo cheio pleonasmo [homo igual homdfono pluto rico lutoeracia icono imagem iconociasta pode, pado | pé dpade, pododigial iets eine ictiéfago pol mmuitoe poligrafo igio rsp idiomatico poli cidade Petr6poli isso igual isometria metrépole Talia fata dislalia peeudo fae Bseudoprofeta Tata adoragio idolatria psico alma psiquico Teco branco Teuedcito lero aa dliptero lipo ardura lipemia ilo mil quildmetro Tiss alissolugho hidrlise quiro mio quiromante ito pedra ttografa requis coluna vertebral | raquitieo logo palavra dilogo ‘ino nari rinite logia estudo cronalogia riz0| raiz rizotonico macro srande macrocéfalo sacaro agicar sacarose smancia adivinhaglo | quiromancia scopia ato dever datiloscopia mania inclinagso maniaco selene tua selenita mezalo arande imegalomania sema sinal semafora melano negro melandsia siamo terremota sismico mero parte isomero sofa sabedoria teosofia metro medida erondmetro stico verso distico micro equeno mierébio stoma boc estomaite melo medula poliomielite strato exércto estratégia Todos 0s Direitos Reservados — www. autodidataeditora.com.br — Prolbida a cépia e distribuicso Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 44 ‘alo tamule epitsfio ob ‘oposigio, pasigio | opor, oblongo talasso mar talassocracia em frente tanato morte tenatofobia per movimento percorrer, perdurar, aqui rapido taquicardia atraves de, muito, | pernoitar, perpassar erapia cura sonoterapia duracao terma ‘ealor termémetro (ost, pos- | posi¢do posterior | postergar, pospor tetra quatra tetraedra pre- anterioridade, | predizer, tipo figura arquétipo superioridade _| predominar tono tensio,tom mondtono pro- posicaoem frente, | proclamar, topo Tugar ropderafo movimento para | progredir ene estrangai senofotla frente fete Se sefogiaied te repetigio, ‘ele, ressoar ilo madeira silogravura intensidade aid Tanai on retro movimento para | retroagir 200 animal oologia| tras semi ‘metade, quase | semictreulo, semimorto Prefixo de origem latina Tae, | RIE ear | subebele,ser Pre a Eas super, posigao superior | superpor, ab-,abs- | afastamento, | abjurar, abster-se sobre sobreposto separa’ trans, através de, além | transpor, transladar, aire aproximagio, | adjunto, abelrar trast, | de traduzr, tresnoitar diregso tres: ambe duplicidade ‘ambivalente ea: além de, excesso | ultramer, | ante- posigio anterior | antepor ultramoderno. rae GaAs boat | Sara, vice, vis- | substituiglo vice-diretor, ben., bem: benfeitor visconde bis: bi das veres tisneto, bipede Prefixos de origem grega circum, | em redor de circumpolar, circun- circunscrever brafien Sant Exemplo ae aoao ave | euplating aan privagao, negagio | ateu, anarquia com, con, | companhia, compatriota, ane repeticho, andiise, con combinacao eantemporaneo, separa, anacrénico coautar anf duplicidade anfibio contra: oposielo, ago | contrapor ant posit antiaéreo contents apo" separagio apécrifo de, des, ds | movimento para | decapitar, desviar, arqui, arce- | posigdo superior | erquiduque, balxo, desleal, dseardar areebispo afastamento, cata movimento para | cataclismo, negagio,acdo baixo, ordem catSlogo contcaria di duas vezes rato ex, e5,e | movimento para | exportar, escamar, dia: através de didlogo fora, mudanga, | emigrar dis: dificuldade dispepsia separacio en: emi inelusso encéfalo, extra posigio exterior, | extraterreno, emblem rioridade endo~ posigao interior | endocraniano ins im, para , importa, ep posi¢So superior | enigrafe em-,en- | dentro; posigao | migrar, embarcar, eu, ev" exceléncia eufonia, interna enlatar evangelho ins im niegacko inuti,imperfeto, exe; exo | movimento para | Exodo, éctipo, ilegal fora exégeno Tater, entre | posiglo interpor, enteeliaha emt metade emisterio intermediaria hiper- posigao inferior | hipaderme Intra; Intro- | movimento para | intraocular, meta- mudanga metamorfose dentro introspeceio para proximidade paralelo justa- posi¢do a0 lado de | justaposicdo per: em torno de perimetro Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 45 pro: posigie anterior | prdlogo simultaneidade | sinfonia, simpatia, silogisma Sufixos 0s sufixos podem ser: + Nominais - quando formam substantivos ow adjetivos. Exemplos: bondade (substantivo) / perigoso (adjetivo) + Verbais ~ quando formam verbos. folhear, soltitar + Adverbiais ~ quando formam advérbios, © nico sufixo adverbial é -mente, que se acrescenta a0 objetivo feminino, se o objetivo for biforme. bondosamente (de “bondosa” —feminino) zeligiosamente (de “religiosa” ~ feminine) utilmente (de “Gti!” ~forma uniforme) simplesmente (de “simples” ~ forma uniforme) (Os sufixos nominais exprimem: ‘© Sentido aumentativo 80: paredio -ago, -aga: balango, barcaga -arra: bocarra -anuil: corpancil -ardu: fogaréu -dzio: copazio -edo: rochedo sorta: cabegorra -uga: dentuca © Sentide diminutive -acho, icho(a), cho: riacho, rabicho, barbicha, gorducho -ebre: casebre 20, -eca,-ico, i sel: corde! ela, -etho, -ilhola), -ejo: viela, rapazelho, farroupitho, cartilha, lugarejo ete, -eta, eto, -ota, -ote: corpete, saleta, coreto, velhota, fracote -inho, -zinho(a), -inofa), -im, -ito: lapisinho, papelzinho, ‘mdozinha, pequenino, pequenina, flautim, rapazito ito: rapazito -isco, -usco: petisco, chamusco ola, -ulo, -culo, -cula: fazendola, gldbulo, versiculo, radicula + Indicadores de lugar -ario(a): vestidrio, papelaria -eiro: banheiro -douro: bebedours -t6rio: dormitério -ato: pensionato + Indicadores de ago, qualidade ou estado faulada : aragem -aria: pirataria -e2, -exa: surdez, beleza -dade: maldade -dio: mansidao -anga: esperanga repugnancia paciéncia -sio: oracio slat alegria ice, -cie: meiguice, calvicie -ismo: herolsmo -menta: ferimenta ude, -tude: quietude, atitude -ume: azedume ura: formatura ida: mordida ‘+ Indicadores de colegso ada: boiada -agem: romagem -al: bambuzal -alha: gentalha -ama, -ame: dinkeirama, vasilhame -atia, rio: casario, infantaria seca: mapoteca -edo: arvoredo -elro: cancioneiro fa, “0: cavalaria, mulherio -mento: armamento -ugem: penugem sume: cardume ‘+ Indicares de origem, naturalidade aco: austrfaco -aico: hebraico I provengal -ano: alagoano hungaro -Atica: asistico -elro: brasileiro -enho: salvadorenho eno: chileno sense: amapaense -€s: escorts -eu: europeu Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas 46 sista: paulista -Ita: moscovita -ol: espanhol ota: cairota sno: latino ‘© Indicadores de abundancia ose: harrarase -onho: medenho sudo: narigudo ento: purulento + Indicadores de intensidade imo: facilime sérrimo: paupérrimo -Issimo: belissimo ‘+ Indicadores de artes, ciéncias -fat astronomia zoologia sina: medicina ‘+ Indicadores de doutrinas, sistemas politicos, filoséficos e religiosos -ismo: socialismo, espirtismo, eristianismo -ista: budista, comunista ano: republicano, luterano + Indicadores de doenga e inflamagao pneumonia -ismo: raquitismo site: gastrite -0se: trombose sl: Febril + Indicadores de referéncia, relagio, ico: biblico (relative & Biblia} -ino: bovino (relativo a boi) celeste (relativo a céu) 2: campestre (relativo a campo} -itimo: maritimo (relativo a mar) ‘+ Indicadores de profissao ou “agente de ago” -ante: navegante -ente: servente -ério: bancério -dor: nadador seiro: ferreiro sista: jornaliste (sjor: agressor tor: cantor ‘* Indicadores nomenclatura cientifica -ato: -eto,-ito: sulfato, cloreto, sulfite -eno: acetileno ina: atropina io: potissio sitet rinite olde: alealoide ol: fenel 0s sufixos verbais exprimem: a) acdes repetidas (verbos frequentativos). ‘marejar, espernear, esbravefar b) acdo menos intensa (verbos diminutivos): bebericar, adocicar, chuviscar ©) ago causadora (verbos causativos): esfrir,rubortear, esquentar 4d) ago indicativa de mudanga de estado enriquecer, umedecer, onoitecer 2 Questdes de concursos comentadas 1. (Assistente administrativo/BESC/FGV) Assinale 2 alternativa em que sufixo formador da palavra apresente o mesmo valor que o presente no vocabulo “dirigente” a) crescimento b) investimentos €) persistencia 4d) rendimento ) trabalhador 2 Comentario: a) Errado. 0 sufixo da palavra “crescimento” indica aco ou resultado da acio, bb) Errado. O suflxo da palavra “investimentos” indica acto ou resultado da acto, ©) Errado. © sufixo de “persisténcia” indica acio, resultado de ago, qualidade ou estado. 4d) Errado, O sufixo de “rendimento” indica aco ou resultado de agio. €) Correto. Os suftxos das palavras “dirigente” ¢ “trabalhador” indicam “agentes de acao” Gabarito: € 2. (UEA/AM) Assinale a alternativa cujo sufixo tem © mesmo valor significative do que mudanga, a) traigao Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao Apostils Preparatoria Concurso IBGE/2013 ~ Cargo: Técnico em Informagdes Geograficas e Estatisticas a7 ) jogador ) dignidade d) navegante e) pobreza 2Comentitio: Nas palauras “mudanca" e “traicio", 05 sufixos -anca e - Go indicam resultado de aco. Nas demais alternativas, temos: b) Errado: Jogader > -or, indica profissio ou oficio. C) Etrado: Dignidade > -dade, indica qualidade. d) Errado: Navegante > -ante, indica profissio ou oficio. @) Errado: Pobreza - ez(a), Indica estado. Gabarito: & Formagao das palavras Na lingua portuguesa, podemos dividir as palavras em: ‘© Primitivas ~ so palavras simples, que nao resultam de outras da lingua portuguesa, flor, casa, pedra + Derivadas ~ sio palavras que se formam de utras, com 0 acréscimo de afixos. floreira, casebre, pedreira ‘+ Simples ~ so palavras que possuem apenas um. radical, alto, cavalo, tempo + Compostas ~ sdo palavras que possuem mais de um radical cavalo-mariaho, passatempo Processo de formacio de palavras 1) Derivagto — € 0 processa de formag30 de palavras a partir de uma primitiva. Os tipos de derivacio sie: + Prefixagio — € 0 acréscimo de um prefixo a0 radical, desanimar (prefixo = des) infeliz(prefixo = in) + Sufixagdo - € © acréscimo de um sufixo a0 radical, vandialismo (sufixe = Ismo) saboraso (sufixo = oso) + Prefixagdo e sufixagao - é 0 acréscimo de um prefixa e de um sufixo ao radical infelizmente (prefixo: in; sufixo: mente) inutilidade (prefixo: in; vogal de ligacdo: i; sufixo: dade) + Parassintética — & 0 acréscimo simultaneo © obrigatério de um prefix e de um sufixo a0 radical, sem que a palavra possa existir apenas com um dos fixes. ‘empobrecer |na0 existe a palavra “empobre” nem “pabrecer") desalmado (no existe “desalma” nem “almado' = Regressiva ~ & a eliminagdo de elementos da ppalavra primitiva lutar—luta estudar- estudo '¢ Imprépria - Ocorre com a mudanga da classe gramatical de uma palavra, Eterrivel ouvir um no. (advérblo convertido em substantive) Congestionamento monstro (substantive convertido em adjetive) 26 Questdes de concursos comentadas 1. (Ceasa-MG/Administrador/Fumare) “O choro foi t30 Intenso que 0s pais pediram socorro ao médico.” ‘A palavra sublinhada é formada por: a) derivagao regressiva, b) derivacao imprépria. ©) derivacao parassintética <) composigao por aglutinacio - Comentario: ‘A palavra destacada é formada por derivaclo regressiva, isto 6, ocorre uma diminuigdo da palavra primitiva: choro (de “chorar”). Gabarito: 2. (Assistente Administrative/BESC/FGV) Assinale @ alternativa em que a palavra seja formada por proceso diferente do de “investimento” a) crescimento, b) especialmente, /rendimentos. (carn adaptacBes} Na linha 13, a substituie30 do vocabulo “sendo” por se rndo, embora gramaticalmente correta, prejudicaria 0 sentido do texto: Comentério: Usa-se “seno” (junto) quando for possivel substituir essa fexpressio por: caso contrério, do contrério, de outro ‘mode, a nio ser, mas sim Ex: Estude bastante, seniio no conseguird aprender o suficiente! (= caso contrario, do contrario) Usarse “se ndo” quando for possivel substituir essa expresso por: caso nio, quando nao. Ex: Se no fossem meus pais, nao seria quem sou! (=caso 1nd) / A maioria dos alunos, se nfo toda a sala, entregou pesquisa no dia. (quando nde) Logo, observamos que a grafia e proniincia so equivalentes, mas 0 sentido de sendo (junto) © se ndo (separado) so diferentes. A questo ests ERRADA por afirmar que 2 substituigdo de tais vocdbulos manteria a oragao "gramaticalmente correta’’ Todos os Direitos Reservados — www.autodidataeditora.com.br — Proibida a cépla e distribuicao