Você está na página 1de 3

SEM0550 Transferência de Calor e Massa 2° semestre 2014 Engenharia Mecatrônica Prof. Cristiano Bigonha Tibiriçá

LISTA DE EXERCÍCIOS N° 2 Entrega 17/09 Solucionar os exercícios segundo a seguinte convenção:

Seja o Z USP um número com unidade especificada em cada exercício. Z USP =40 se o NºUSP termina em 0, 1, 2 ou 3. Z USP =50 se o NºUSP termina em 4, 5, ou 6. Z USP =60 se o NºUSP termina em 7, 8, ou 9.

Aula (13/08): Resistência de Contato; Coeficiente Global de Transferência de Calor;

1. Duas placas em aço inoxidável, com espessura de 10 mm, estão sujeitas a uma pressão de contato

de 1 bar sob vácuo. Nestas condições, há uma queda global de temperatura através das placas de 2Z USP

°C. Qual é o fluxo térmico através das placas? Qual é a queda de temperatura no plano de contato?. Propriedades nas tabelas 3.1 e A.1 do INCROPERA.

2.Uma tubulação de aço inoxidável 316 tem um diâmetro interno 6 cm e de 8 cm de diâmetro externo com uma camada de isolamento (85% magnésia) de 2 mm em torno dele. O líquido flui dentro dele a 112 °C e coeficiente de transferência de calor h i =6Z USP W/m²K. O ar exterior do tubo tem 20 °C, com h 0 =6 W/m²K. Calcular U com base na área interior. Esboçar o equivalente circuito elétrico, mostrando todas as temperaturas conhecidas. Discutir os resultados. Propriedades do material na tabela A.1. do LIENHARD 3rd Ed. 2006.

Aula (19/08): Condução Unidimensional em Regime Estacionário; Eq. da Difusão de Calor;

3. Um cone truncado 30 cm de altura é construído de cimento Portland. O diâmetro no topo é de 15

cm, e a parte inferior é de 7,5 cm. A superfície inferior é mantido a 6 °C e o topo, a Z USP °C. A outra superfície é isolada. Assuma transferência de calor unidimensional e calcular a taxa de transferência de calor em Watts de cima para baixo. Para fazer isto, a transferência de calor, Q, tem de ser a mesma em cada secção transversal. Escreva a lei de Fourier localmente, e integrá-lo de cima para baixo para obter uma relação entre este Q desconhecido e as temperaturas finais conhecidas. Propriedades do material na tabela A.1. do LIENHARD 3rd Ed. 2006

4. A placa mostrada na figura é isolada em cinco lados. O sexto lado é exposto a uma temperatura

ambiente por meio de um coeficiente de transferência de calor. O calor é gerado na placa a uma taxa de 1,0 kW/m³. A condutividade térmica da placa é de 0,2 W/mK. (a) Resolva a distribuição de temperatura na placa, observando todos os pressupostos que você deve fazer. Identificar claramente as condições de contorno. (b) Calcular a temperatura na face frontal e traseira da placa. (c) Mostre que a sua solução fornece os fluxos de calor esperados na parte de trás e da frente.

h  Z USP 2
h 
Z USP
2

W

/

m K

²

5. Uma esfera isotérmica de diâmetro 3cm é mantida a 80 °C em uma grande região de barro. A

temperatura do barro longe da esfera é mantida a 10 °C. Quanto calor deve ser fornecido para a esfera manter a temperatura se para o barro k=1,28 W/mK? (Dica: Você deve resolver o problema do valor

limite não na esfera, mas sim no barro em torno ela.)

Aulas (20/08 e 26/08): Número de Biot; Aletas;

6. Quanto deve ser o comprimento de cobre com 0,4 cm de diâmetro, se a temperatura da sua ponta

isolada supera o ar circundante em 20% de temperatura (T 0 -T )? T ar =20 °C e h=28 W/m 2 K (incluindo convecção e radiação). k cu =398 W/mK.

7. Uma aleta cilíndrica tem uma constante imposta de fluxo de calor q 1 em uma ponta e q 2 na outra

extremidade, e é resfriada por convecção ao longo de seu comprimento. Desenvolver a distribuição da temperatura adimensional na aleta. Especialize-se este resultado para o q 2 = 0 e L → ∞.

Aula (27/08): Condução Multidimensional em Regime Estacionário; Método Gráfico.

8. Lembrar o modelo bidimensional dado na aula e as suas características geométricas. Estas são

definidas por uma altura H e comprimento L. As condições de contorno são do tipo Dirichlet:

temperatura T 2 para a parte superior e T 1 na parte inferior e as laterais.

2

T

x

2

2

T

y

2

0 con

T  

T

1

T

2

en

y

0 ;

x

0 y

x L

en

y H

 

Cuja solução analítica e a seguinte serie segundo Incropera y DeWitt (1999), esta é:

(

T x y

,

)

T

1

2

T

2

T

1

1

n

1

n

1

1

sen

n

n x senh n y L

/

 

 

L senh n H L

/

Para a equação anterior, as temperaturas da solução convergem em n=100 aproximadamente, com erro de 1%. Uma solução numérica para a distribuição de temperatura é ilustrada na Fig. 8a. No caso da Fig. 8b. apresenta outras condições de contorno.

caso da Fig. 8b. apresenta outras condições de contorno. Figura 8a. Figura 8b. Questões: a) Para

Figura 8a.

8b. apresenta outras condições de contorno. Figura 8a. Figura 8b. Questões: a) Para a figura 8a.
8b. apresenta outras condições de contorno. Figura 8a. Figura 8b. Questões: a) Para a figura 8a.

Figura 8b.

outras condições de contorno. Figura 8a. Figura 8b. Questões: a) Para a figura 8a. Segundo o

Questões:

a) Para a figura 8a. Segundo o que você observa. Qual é a temperatura incluída nos cantos (x,y)=(0,1) e

(x;y)=(1;1)?. Explique o problema nos cantos quando tem duas condições de contorno diferentes nas

laterais. Se a condição de contorno na parte superior muda para convecção com ar quente, qual condição de contorno iria incluir nos cantos?

b) Para a figura 8b. Ressaltam-se as isotermas no eixo vertical, aparentemente estas se movem com

velocidade superior comparado com o eixo horizontal. Esta observação não é devido ao material seja ortotrópico. Este material é isotrópico com condutividade e propriedades uniformes. As isotermas se movem mais rapidamente para a superfície superior devido a duas fontes de calor q 0 incluídas nas coordenadas (x;y)=(1;0) e (x;y)=(1;0,2). Então, quais são as condições de contorno que observa na figura?

c)

Figuras 8a e 8b. Quais são a linhas adiabáticas?

d) Figuras 8a e 8b. Além dos dados entregados em cada figura, se o material é cobre, é possível estimar aproximadamente uma taxa de calor transferido através do método gráfico? Justifique o simou nãoe calcular se é possível.

Aulas (02/09 e 03/09): Diferenças Finitas; Resolução de Equações Geradas pelo Método das Diferenças Finitas.

9. Deduzir equação de diferenças finitas para um nó central cúbico em coordenadas cartesianas 3D em regime permanente para as seguintes condições de contorno:

a) Temperaturas conhecidas nos nós exteriores ao nó central;

b) Convecção numa face do cubo e temperatura conhecida nas outras faces do cubo.

Faça os esboços do elemento em cada condição de contorno.

Aulas (16/09 e 17/09): Condução em Regime Transiente; Método da Capacitância Global; O Sólido Semi-Infinito.

10. Um corpo de volume e área de superfície conhecidas e temperatura T i é subitamente imerso num banho cuja temperatura está a aumentar como T banho = T i + (T i -T 0 ) e t/τ . Vamos supor que h é conhecido, que τ = 10ρcV/hA s , e que t é medido a partir do momento da imersão. O número de Biot do corpo é pequeno. Encontre a resposta à temperatura do corpo. Traçar a resposta e a temperatura do banho como uma função do tempo até t = 2τ.