Você está na página 1de 1

Uma improvisao a partir de uma clula meldica

Para a criao de uma cano, de um tema bem sucedido, preciso escolher bem a ideia de partida, aquela clula
rtmico-meldica que d o start para o desenvolvimento da composio.
J um improviso no possui indicaes rigorosas quanto ao respeito da coerncia da forma. Todavia, escolhida uma
clula, podemos desenvolver uma ideia at em nossos improvisos. Vejamos, por exemplo, um improviso baseado nas
notas guias de cada acorde, acompanhadas, em cada compasso, por outra nota de aproximao diatnico-cromtica.

Anlise do trecho:
- Compasso 1: uso das duas notas guias de Cm7 e de uma nota de aproximao cromtica.
- Compasso 2: a nota Sib prolongada at se movimentar para a nota L (nota guia de F7 e de Bb7M).
- Compasso 3: uso das duas notas guias de Bb7M e de uma nota de aproximao diatnica.
- Compasso 4: uso das duas notas guias de Eb7M. A nota D pode ser considerada a antecipao de uma das notas
guias do acorde sucessivo, o Am7(b5).
- Compasso 5: uso das notas guias D (b3) e Mib; este ltimo o b5 do acorde; tratando-se de um acorde meiodiminuto, interessante evidenciar o b5; a nota R aproximao ao b5.
- Compasso 6: uso das duas notas guias com um F natural que nota de aproximao ao 3 do acorde. A nota Sib
uma antecipao de uma das notas guias do acorde sucessivo, o Gm7.
- Compasso 7: a cifra no especifica nenhum stimo grau. Nesse caso, o uso da oitava ou do quinto grau representam
boas escolhas.

www.terradamusica.com.br