Você está na página 1de 10

SENAI/CETEL

Curso Técnico em eletrotécnica – Módulo III Instrutor (a): Tabita

Maquinas

Laboratório.

Adeildo Pacheco Segal

Belo Horizonte

2015

Proposta

Intender como funciona as bobinas as excitações de enrolamento de uma maquina corrente continua (CC),saber o porque das oscilações e variações de corrente na armadura ,corrente de campo ,rotação e tensão.

RESUMO

MOTOR CORRENTE CONTINUA (CC) .

Os motores cc são basicamente constituídos de duas partes uma móvel (estator), e a outra rotativa (rotor).

ESTATOR; Estator: composto de todo o conjunto de elementos fixados à carcaça da máquina. O Estator é composto, basicamente, por: a. Carcaça:

serve de suporte ao rotor, aos polos magnéticos e como caminho de fechamento para o campo magnético; b. Enrolamento de Campo: são as bobinas que geram um campo eletromagnético intenso nos polos do motor. Motores de ímã permanente não possuem enrolamentos de campo; c. Polos ou Sapatas Polares: distribuem o fluxo magnético produzido pelas bobinas de campo ou pelos ímãs permanentes. d. Escovas: são barras de carvão e grafite que fazem o contato elétrico permanente com o comutador ou os anéis coletores do rotor.

Rotor: Composto de todo o conjunto de elementos fixados em torno do eixo, internamente ao estator. O Rotor é composto, basicamente, por: a. Eixo da Armadura: é responsável pela transmissão da energia mecânica para fora do motor, pelo suporte dos elementos internos do rotor e pela fixação ao estator por meio de rolamentos e mancais. b. Núcleo da Armadura: é composto por lâminas de material ferromagnético especial (Ferrosilício), isoladas umas das outras, com ranhuras axiais na sua superfície para acomodar os enrolamentos da armadura.

Excitações

Excitações são fundamentais, pois o mesmo fornece força ao fluxo eletro magnética para que se tenha uma força contra eletro motriz (FCEM) desta

forma conseguimos ter uma força que faz a maquina cc sair de sua inercia criando um movimento rotativo e velocidade (RPM).As máquinas de corrente contínua são classificadas de acordo com o tipo de excitação do enrolamento do campo, que são as seguintes:

Excitação Serie;

Excitação Shunt (paralela);

Excitação independente ou separada;

Excitação composta ou mista;

Materiais: 1. Amperímetro analógico. 2. Multímetro digital. 3. Voltímetro analógico. 4. Cabos bananas. 5. Bancada de

Materiais:

  • 1. Amperímetro analógico.

  • 2. Multímetro digital.

  • 3. Voltímetro analógico.

  • 4. Cabos bananas.

  • 5. Bancada de ligações contendo (bobinas de campo independente,serie ).

  • 6. Um motor de4 corrente continua (cc).

  • 7. Tacógrafo.

  • 8. Duas fontes variáveis cc.

Objetivo:

Através de montagens de circuito de uma bobina de campo independente e uma serie, comparar e realizar experimentos que nos permita o compreendi mento técnico das relações de transformações na maquinas baseando-se em conceitos básicos excitações de campo, e a relações do mesmo na tensão/rotação/corrente.

Montagens/experimentos.

1-Excitação independente; fazer uma montagem de circuito com bobina de campo independente. Essa ligação tem o diferencial de ser alimentada por duas fontes variáveis diferentes. Exemplo;

Montagens/experimentos. 1-Excitação independente; fazer uma montagem de circuito com bobina de campo independente. Essa ligação tem

2-depois de montar o circuito acima vamos alimentar as duas bobinas shunt e a da armadura com tensão de 70 a 100 v na bobina shunt e de 100v fixo na armadura.

Montagens/experimentos. 1-Excitação independente; fazer uma montagem de circuito com bobina de campo independente. Essa ligação tem

3-após fazer as montagens fazer o recolhimento de dados e montar um grafico para ser analisado e comparado com ligação no campo shunt e no campo serie da armadura.

Medições

Tensão bobina

100

v

90 v

80 v

70 v

shant.(vb)

Tensão na armadura. (va)

100

v

100 v

100 v

100 v

Tensão tacógrafo. (TC)

96 v

100,9v

109,5v

118,2v

Corrente bobina shunt.(IBS)

0,6ª

0,52A

0,48A

0,4A

Corrente na

3A

3,3A

3,8A

4,2ª

Armadura. (IA)

Rotação. (RPM)

1600rp

1681rp

1825rp

1970rp

m

m

m

m

 

Nesse primeiro gráfico monstra a oscilação de tensões na bobina de campo shunt e tensão de armadura fixa.

Excitação independente

2000 1500 1000 500 0 Tensao bobina shant.(vb) 4° 3° Tensao tacografo.(TC) 2° Corrente na Armadura.(IA)
2000
1500
1000
500
0
Tensao bobina shant.(vb)
Tensao tacografo.(TC)
Corrente na Armadura.(IA)

Excitação independente

8000 7000 6000 5000 4000 3000 2000 1000 0 1° 2° 3° 4°
8000
7000
6000
5000
4000
3000
2000
1000
0

Nessa segunda analise nos mudamos e passamos oscilar tensão na armadura e tensão fixa na bobina de campo shunt.

VBS

VA

VTC

IBS

IA

RPM

100v

110v

147v

0,4A

5,5A

2450rpm

100v

120v

160v

1,1A

5,8A

2683rpm

 

3000

2500

2000

1500

1000

500

0

100v 120v 160v 1,1A 5,8A 2683rpm 3000 2500 2000 1500 1000 500 0 4-Agora fazer a
100v 120v 160v 1,1A 5,8A 2683rpm 3000 2500 2000 1500 1000 500 0 4-Agora fazer a

4-Agora fazer a montagem de excitação em serie e repetir os passos anteriores (1,2,3

5-recolhimento dos dados circuito de campo em serie. VBS VA VTC IC RPM 10v 8v 16v
5-recolhimento dos dados circuito de campo em serie. VBS VA VTC IC RPM 10v 8v 16v

5-recolhimento dos dados circuito de campo em serie.

VBS

VA

VTC

IC

RPM

 

10v

8v

16v

6,4A

266rpm

 

891,6rp

20v

17,8v

53,5v

7,6A

m

 

1395rp

30v

26,7v

83,6v

8A

m

 

108,

1803rp

40v

36,9v

2v

8,6A

m

 

127,

2121rp

50v

46,5v

3v

9,2A

m

3000 2500 2000 1500 1000 500 0 Analise dos testes feitos em laboratório, foi que todos

3000

2500

2000

1500

1000

500

0

3000 2500 2000 1500 1000 500 0 Analise dos testes feitos em laboratório, foi que todos
3000 2500 2000 1500 1000 500 0 Analise dos testes feitos em laboratório, foi que todos

Analise dos testes feitos em laboratório, foi que todos os procedimentos feitos nas bobinas de campo procedem com uma relação proporcional de variações de fluxo magnético, de tensão aplicada de corrente e de força contra eletro motriz dependendo de suas configurações sendo nesse processo o campo shunt independente ou serie.

Todas as ligações apresentaram uma variação diretamente relacionada na variação de tensão (cc).ou seja quando se oscila tensão aplicada na bobina de campo as relações de fcem e de rpm variam diretamente proporcionalmente, o mesmo se da para corrente de bobina de campo como a bobina de armadura a única diferença e que a variação não se da no mesmo sentido de magnitude.

Podemos observa que a bobina de campo shunt e a primeira a entrar e ultima a ser desenergizada, por uma simples explicação no momento de alimentação nos terminais de ligação da bobina shunt ela gera uma indução contra eletromotriz que e responsável por manter uma proporção de contra partida de corrente e tensão aplicada fazendo com que a corrente gerada seja de certa forma subtraída com a induzida fazendo com que se abaixe e se estabilize corrente nominal.

Observamos que a corrente de armadura foi em todas as medições do campo independente mais alta do que a bobina de campo shunt. Podemos também observar que nesse caso a resistência de campo shunt e mais alta do que a resistência de campo serie.

Resistência shunt (Ω)

Resistencia serie(Ω)

166Ω

0,4

Conclusão.

Por tanto podemos afirmar que nas variações de tensão na bobina de campo shunt as variações de velocidade ou rotação são bem menores do que se variarmos tensão na armadura.

A partida da ligação circuito serie em cc , a corrente de partida inicial e muito elevada podendo atingir sem problemas 20 ate 30 vezes sua corrente nominal e concluímos que a corrente no circuito shunt e bem menor que o circuito serie. Em contra partida em ligação serie conseguimos atingir rotação bem superior a do shunt com pequenas margens de variação de tensão aplicada em seus terminais.

Bibliografia;

Ariovaldo V. Garcia Fri Aug 7 18:29:12 EST 1998