Você está na página 1de 2

Referncia BOURDIEU. Ofcio do socilogo (cap.

2)
(s):

Pgina
(s)

Assunto

Comentrios/Anotaes/Citaes

45

Criao do Objeto

O ponto de vista, afirma Saussure, cria o


objeto. [...] o real nunca toma a iniciativa, j que
s d resposta quanto questionado.

Objeto real
x
Objeto da cincia

...nada se ope mais s evidncias do senso


comum do que a distino entre o objeto real,
pr-constitudo pela percepo, e objeto da cincia,
como
sistema
de
relaes
construdas
propositalmente.

Sociologia espontnea

O socilogo nunca conseguir acabar com a


sociologia espontnea e deve se im por uma
polmica
incessante
contra
as
evidncias
ofuscantes que proporcionam, sem grandes
esforos, a iluso do saber imediato e de sua
riqueza insupervel. Ope-se construo do
objeto social medida que o traz como uma
representao social pronta e acabada.

Tentao do profetismo

Toda verdade, afirma Nietzsche, simples:


no ser isso uma dupla mentira? Tornar alguma
coisa desconhecida em alguma coisa conhecida traz
alvio, tranqiliza o esprito e, alm disso,
proporciona um sentimento de poder. Primeiro
princpio: uma explicao qualquer prefervel
falta de explicao. Como, no fundo, trata-se de nos
desembaraar de representaes angustiantes, no
as observamos de muito perto com o objetivo de
encontrarmos os meios para chegar a elas: a
primeira representao pela qual o desconhecido
declara-se conhecido faz tanto bem que a
consideramos como verdadeira

Falsa neutralidade

O socilogo que no submete suas prprias


interrogaes interrogao sociolgica no estaria
em condies de fazer uma anlise sociol gica
verdadeiramente neutra das respostas que elas
suscitam.

Prenoes

Essas
prenoes,
representaes
esquemticas e sumrias que so formadas pela
prtica e para ela retiram sua evidncia e
autoridade como observa Durkheim, das funes
sociais que desempenham.

Toda prtica cientfica


implica pressupostos
teoricos

Ao recusar a formulao explcita de um


elenco de hipteses baseado em uma teoria, ele
fica condenado a aplicar pressupostos que no so
diferentes das prenoes da sociologia espontnea
e da ideologia, isto , as questes e conceitos que
temos como sujeitos sociais quando no desejamos
t-los como socilogos.
[...]desde a elaborao dos questionrios e a
codificao at a anlise estatstica, constituem
outras
tantas
teorias
em
ato,
enquanto
procedimentos de construo, conscientes ou
inconscientes, dos fatos e das relaes entre os
mesmos.

Analogias e construo de
hipteses ajudam a recortar
o objeto

0. Em poucas palavras, a comparao


orientada pela hiptese de analogias constitui no
s o instrumento privilegiado do corte com os dados
pr-construdos, que pretendem com insistncia ser
tratados em si mesmos e por si prprios, mas
tambm o princpio da construo hipottica de
relaes entre as relaes.

A inevitabilidade das
hipteses

Você também pode gostar