Você está na página 1de 1

D14 CADERNO 2 QUINTA-FEIRA, 28 DE JANEIRO DE 2010

O ESTADO DE S.PAULO

q q q q q q q
segunda-feira terça-feira quarta-feira quinta-feira sexta-feira sábado domingo

Verissimo MATTHEW
SHIRTS

LÚCIA
ARNALDO
JABOR
ROBERTO
DAMATTA
LUIS
FERNANDO
VERISSIMO
IGNÁCIO DE
LOYOLA
BRANDÃO
MARCELO
RUBENS
PAIVA
VERISSIMO

JOÃO UBALDO
RIBEIRO
GUIMARÃES MILTON ADRIANA
HATOUM FALCÃO DANIEL PIZA

OverdadeiroGeorgeClooney CARLINHOS MÜLLER


Longedemimquererdifamaral- tíveis e um queixo decidido, há, encontrariam petróleo no local.
guém, mas acho que no caso do obviamente, botox. Ele tem per- E sua sovinice é lendária. Levou
George Clooney o que está em nasfinas e desvio no septo. É sol- nadadeirasquandovisitouVene-
jogo é a autoestima da nossa es- teiro, portanto, claro, gay. Tem za, para não gastar com táxi.
pécie, os homens que não são casa num dos lagos italianos, o É notório, em Hollywood, o
George Clooney. Todas as nos- quejáésuspeito,edizemquean- mau hálito do George Clooney.
sas qualidades e todos os nossos da pelos seus chãos de mármore Quando ele fala em algum even-
atributos, físicos e intelectuais, depois do banho de espuma ves- to público, as primeiras três fi-
desaparecem na comparação tindo um longo caftã bordado e leiras do auditório sempre fi-
com o George Clooney. As mu- sendo borrifado com perfumes cam vazias. Atrizes obrigadas a
lheres não escondem sua adora- florais pelo seu amante filipino trabalhar com ele têm direito a
ção pelo George Clooney. O pró- Tongo,enquantoseuamanteita- umadicional porinsalubridade,
prioGeorgeClooneynadafazpa- liano, Rocco, prepara a salada em dobro se houver cenas de
ra diminuir a idolatria e nos dar de rúcula completamente nu. beijo. Outra coisa: a asa. Não
uma chance. Fica cada vez mais George Clooney bate na mãe to- adiantam as imersões em espu-
adorável, cada vez mais George dasasquintas-feiras.Éextrema- ma na sua banheira em forma
Clooney. E se aproxima da per- mente burro. Só leu um livro até de cisne, nem os perfumes flo-
feição. É bonito. É charmoso. É hoje e não lembra se foi O Peque- rais borrifados, o cheiro persis-
rico. É bom ator. Faz bons fil- no Príncipe ou O Grande Gatsby. te. Sabem que George Clooney
mes. Está envolvido com as me- Nos filmes em que faz persona- esuasexilasseaproximamame-
lhorescausas.Equedentes!Não gens mais reflexivos, contratam tros de distância, e muita gente
temosdefesacontraessemassa- umdublêparaascenasdelepen- aproveita o aviso para fugir.
cre. Só nos resta a calúnia. sando.Foielequepropôsademo- Além de tudo, tem seborreia
Os dentes são falsos. Ali onde lição da Torre Eiffel porque já e é Republicano.
elas veem pomos da face irresis- era mais que evidente que não Passe adiante. ●

Política Cultural:
PAULO PINTO/AE-27/10/2009

Lei Rouanet
sai da gaveta
e enfrenta
Congresso
Texto prevê que governo nunca destine
menos de 40% ao Fundo de Cultura

Jotabê Medeiros rão incentivados, haverá


CNICs setoriais, com repre-
É uma mudança radical na filo- sentação paritária do governo
sofia de incentivo à cultura no e da sociedade civil. O Fundo
País. A nova Lei Rouanet, cujo Nacional de Cultura também
textofoiassinadoanteontempe- poderá receber dinheiro de
lo presidente Lula, prevê que o doações, legados e subven-
Fundo Nacional de Cultura ções, e esse dinheiro não segui-
(FNC) nunca poderá ter menos rá o critério de partilha acima.
do que 40% do orçamento do Não será permitido o incentivo
MinC. Até hoje, o fundo (que a obras, produtos, eventos cir-
permite o incentivo direto, sem cunscritos a coleções particu-
que o produtor precise captar lares ou circuitos privados que
dinheironomercado)recebeva- tenham limitações de acesso. PINACOTECA – Instituição do Estado de SP pediu R$ 13 milhões para renúncia fiscal em 2009, mas reforma da Lei Rouanet veta novo pedido
lores irrisórios e aleatórios. A A União deverá enviar 30% JUAN GUERRA/AE-25/10/2008
maior parte dos recursos chega dos recursos do FNC para fun- editais de seleção pública, e a para realimentar o FNC. serão repassados aos gover-
via renúncia fiscal – empresas dos públicos de Estados, muni- lei estipula um prazo de 30 dias Os institutos e fundações (li- nos, não faria sentido que o se-
adiantam o dinheiro aos produ- cípios e do Distrito Federal para que sejam avaliados – um gadas a bancos ou grandes em- tor público captasse. Com um
tores culturais, e depois são (com a observância de serem desafio extra para o governo, presas) estão enquadrados na fundo novo, forte, que cumpre
reembolsadas na hora de decla- destinados no mínimo 10% pa- já que atualmente os atrasos faixa dos 40%, e todos têm de um papel importante, esta res-
rar oseuImpostodeRenda(IR). ra cada região do País, como são constantes por falta de pes- colocar pelo menos 20% do trição nos parece natural”, dis-
Foram criados 9 fundos seto- forma de promover a descen- soal técnico qualificado. Para próprio bolso (antes, a renún- seAlfredo Manevy, ministroin-
riais–ArtesVisuais,ArtesCêni- tralização do investimento). a análise dos projetos, o gover- cia era de 100%). terino da Cultura, ao site do
cas,Música,AcessoeDiversida- Mas, para receber o dinheiro, no prevê na lei contratar espe- Projetos da administração Grupo de Institutos e Funda-
de, Patrimônio e Memória, Estados e municípios deverão cialistas ou instituições. pública só poderão captar até ções (Gife). Segundo estimati-
Ações Transversais e Equaliza- constituir órgãos colegiados e Osprojetos culturaiscom po- 10%, para evitar concorrência va do governo, inicialmente o
ção, Audiovisual, Inovação do observar as regras da lei. tencialderetornocomercial(fil- com os mercados. É o caso, por fundo vai ter cerca de R$ 800
Audiovisual (o que compreende A renúncia fiscal continua mes como os da Xuxa e dos Tra- exemplo, dos museus paulistas, milhões, a renúncia será de R$ 1
curtas-metragens, médias-me- existindo, mas também mu- palhões, por exemplo, enqua- que agora terão de reformular bilhão e o orçamento, excluída
tragens e experimentalismo) e dou. Os contribuintes (pessoas dram-se nessa categoria) pode- seus orçamentos – a Pinacote- a renúncia, de R$ 2,2 bilhões (o
Livro, Leitura, Literatura e Hu- físicas ou jurídicas tributadas rãoserfinanciadosemum siste- ca do Estado pediu, para 2009, maiordaHistória,conforme an-
manidades (cuja divisão, para com base no lucro real) pode- MANEVY – Fundoautorizarestrição ma de parceria, que poderá to- R$13milhões,eobteveautoriza- tecipou o Estado no dia 15). ●
separar literatura do mercado, rão deduzir 40%, 60% e 80% do mar até 20% da dotação anual ção para captar R$ 12 milhões.
será definida em lei específica). imposto de renda devido quan- de pessoa jurídica). Um siste- do FNC. Para tanto, serão dire- Entretanto, os fundos públicos
Desses 9 fundos, sete terão do financiarem um projeto cul- ma de pontuação definirá em cionados para os Fundos de In- dos Estados e municípios pode-
entre 10% a 30% do total dos tural (valor limitado a 6% do im- qual faixa (40%, 60% ou 80%) o vestimento Cultural e Artístico rão redirecionar seus recursos
Confira o texto integral da
recursos – o restante irá para o posto devido, quando se tratar incentivador se encaixa. (Ficarts). O Banco Central do para essas instituições. nova Lei Rouanet no site
audiovisual, segundo o texto. de pessoa física, ou 4% do im- O recebimento dos projetos Brasilseráogestordessaparce- “Na medida em que existe
www.estadao.com.br/e/d14
Para decidir quais projetos se- posto devido, quando se tratar culturais será feito mediante ria, e os lucros obtidos voltarão um fundo que tem recursos que

Mercado Editorial:
rações de uma mesma família ria no Brasil Durante o Roman-

Tinta Negra abre as portas de seu bazar que convivem com a recusa da
memória. O estranhamento ini-
cial, provocado por experimen-
tismo, de estudo do pesquisa-
dor Ubiratan Machado; Comi-
da e Filosofia, primeiro volume
tos linguísticos que transfor- da coleção Trilogia de Epicuro,
mam as palavras e rompem sobre filosofia e gastronomia e
Nova editora chega apostando em textos jornalísticos e estudos literários com regras gramaticais, logo é que traz apresentação da chef
transformado em sedução, ali- Roberta Sudbrack; e Metendo
mentada pela dissecação tanto o Pé na Lama, relato pessoal so-
Ubiratan Brasil Editorial, pequena editora que explicaaeditoraMichelleStrzo- Para marcar sua presença, da palavra como das relações bre como foi o primeiro Rock in
abre oficialmente suas portas da.“Uma de nossasmetas éres- a Tinta Negra lança seis volu- daquela família. Rio, em 1985, assinado por Cid
Na cultura oriental, bazar é um esta semana com grandes gatar autores brilhantes, mui- mes, dos quais Lugar (112 pá- A primeira fornada da Tin- Castro, publicitário que criou
tradicionalespaço deintercâm- ideias: apostar no garimpo de tos inéditos por aqui, outros gs., R$ 29), romance de estreia ta Negra traz ainda Contos a famosa marca do festival.
bios mas, ao contrário do Oci- joias pequenas no formato, mas que estão no ostracismo, bem do mineiro Reni Andrade, será Mais Que Mínimos, coletânea A união de textos jornalísti-
dente, onde as trocas são pura- infinitas na qualidade. comotextosperdidos.Alémdis- lançado hoje, a partir das 19 ho- de pequeninos textos da jorna- coscom estudos literários e cul-
mente comerciais, lá há tam- “Perseguimos textos e auto- so, vamos privilegiar nichos co- ras, na Livraria Cultura do Con- lista e escritora Heloisa Sei- turais vai orientar os passos da
bém a socialização da cultura. res interessantes e de nível, que moliteraturahispano-america- junto Nacional. Trata-se de xas; O Livro da Metaficção, Tinta Negra, garante Michelle,
Foi baseado nessa filosofia que sejamindependentesdo mains- na, Leste Europeu e uma linha uma narrativa nebulosa e en- obra de teoria literária de Gus- apostandoespecialmentenape-
nasceu a Tinta Negra Bazar tream da literatura universal”, de pensamento, filosófica.” volvente em torno de quatro ge- tavo Bernardo; A Vida Literá- renidade dos ‘long sellers’. ●

Você também pode gostar