Você está na página 1de 4

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA 16ª VARA DO JÚRI DA COMARCA DE SÃO PAULO/SÃO PAULO

Processo Criminal nº 1083/2014

IGOR BENEVIDES AMARO FERNANDES, já qualificado nos autos

do processo criminal em epígrafe, que lhe move a Justiça Pública, vem muito

respeitosamente à presença de Vossa Excelência, por sua advogada que ao final

subscreve, dentro do prazo legal, apresentar RESPOSTA ESCRITA À ACUSAÇÃO,

com fulcro no art. 406 do Código de Processo Penal, pelas razões de fato e de direito

a seguir expostas.

1 DOS FATOS

De acordo com a denúncia, IGOR BENEVIDES AMARO

FERNANDES, no dia 25 de agosto de 2014, por volta das 16h, na saída do Shopping

Center Morumbi, e sua esposa, JORDÂNIA DE OLIVEIRA BARBOSA, foram

abordados por MÉVIO DA SILVA, que discutiu com o casal, proferindo palavras de

baixo calão contra a esposa daquele, tentando, inclusive, agredi-la fisicamente com

um soco no rosto, ocasião na qual o denunciado sacou uma arma de fogo, que estava portando, pedindo para que a vítima se deitasse no chão, o que não foi feito, pelo contrário, a vítima teria colocado uma das mãos na parte de trás da bermuda e partido para cima do denunciado, dando a entender que sacaria uma arma, oportunidade em que o denunciado, supondo que seria morto, desferiu um único disparo contra a vítima. Isso porque esta era um antigo desafeto de IGOR BENEVIDES AMARO FERNANDES, devido ao fato de a esposa deste ser ex- companheira da vítima, tendo, inclusive, MÉVIO DA SILVA ameaçado várias vezes meu cliente dizendo que iria matá-lo na próxima ocasião em que se encontrassem. O acusado foi denunciado pelo art. 121, § 2º, II e IV, do Código Penal Pátrio. E a denúncia foi acolhida pela presente Vara.

2 DO DIREITO

Ora, diante do exposto, Vossa Excelência, resta claro que IGOR BENEVIDES AMARO FERNANDES agiu em legítima defesa imaginária, o que configura uma descriminante putativa, prevista no art. 20, § 1º, da norma incriminadora. Neste sentido, cabe citar Rogério Greco, para quem, “fala-se em legítima defesa putativa quando a situação de agressão é imaginária, ou seja, só existe na mente do agente1 . Cita-se, por oportuno, que “a tese defensiva de legítima defesa, real ou putativa, só enseja a absolvição sumária do acusado quando os elementos de convicção até então produzidos a demonstram de forma cabal, inarredável induvidosa.” (Recurso Criminal nº 2014.044813-0 - SC, Rel. Des. Paulo Roberto Satorato, Data do julgamento: 05/08/2014, Primeira Câmara Municipal). Então, como pôde ser constatado pela doutrina e jurisprudência, de modo absolutamente induvidoso, estamos diante de um caso de absolvição sumária, já que IGOR BENEVIDES AMARO FERNANDES, pelo fato de já ter sido ameaçado anteriormente, e, acreditando que as promessas seriam, por fim, cumpridas, sacou

1 GRECO, Rogério. Curso de Direito Penal Parte Geral, v. I, p. 327.

sua arma e deferiu um único tiro contra MÉVIO DA SILVA, que, infelizmente, caiu sem vida.

3 DO PEDIDO

Isto posto, requer as seguintes providências:

I - Que seja recebida a presente resposta escrita à acusação, para que surtam os efeitos legais;

II - Que seja determinada a absolvição sumária do acusado, de

acordo com o que reza o art. 397 do Código de Processo Penal e que o mesmo seja

considerado inocente;

III Que sejam intimadas e ouvidas as testemunhas arroladas, in

fine.

Protesta provar o alegado, através de todas as provas admissíveis em direito, especialmente a oitiva das testemunhas arroladas, o depoimento dos policiais envolvidos e o próprio depoimento.

Nestes Termos,

Pede Deferimento.

São Paulo, 12 de setembro de 2014.

Jordânia de Oliveira Barbosa

Advogada

OAB/SP 3611

ROL DE TESTEMUNHAS

Allyson Arnault Silva e Sousa, brasileiro, solteiro, estudante universitário, residente na Rua Bezerra da Silva, nº 466, São Paulo/SP. RG nº 4566987863221, CPF nº 58382860.

João Ítalo Faustino Umbelino, brasileiro, casado, policial militar, residente na Rua Padre Antônio Martins, SN, São Paulo/SP. RG nº 7832326539130, CPF nº 66325668.

Jordânia de Oliveira Barbosa, brasileira, casada, Médica Veterinária, residente na Rua Henrique Dias, nº 09, São Paulo/SP. RG nº 3300042373011, CPF nº 88123224.