Você está na página 1de 17

D296/D297

D296/D297 PT Guia de Instalação Detectores de Fumaça de Feixe de Longo Alcance
D296/D297 PT Guia de Instalação Detectores de Fumaça de Feixe de Longo Alcance

PT

Guia de Instalação

Detectores de Fumaça de Feixe de Longo Alcance

D296/D297 PT Guia de Instalação Detectores de Fumaça de Feixe de Longo Alcance
D296/D297 PT Guia de Instalação Detectores de Fumaça de Feixe de Longo Alcance

D296/D297 | Guia de Instalação |

PT

| 2

Notas sobre a FCC

Este equipamento foi testado e está de acordo com os limites para um Dispositivo Digital de Classe B, conforme a Parte 15 das Normas da FCC (Federal Communications Commission).

Estes limites foram projetados para fornecer proteção razoável contra interferência prejudicial, quando o equipamento é operado em um ambiente residencial.

Este equipamento gera, usa e pode irradiar energia de radiofreqüência. Se não for instalado e utilizado de acordo com as instruções e recomendações do fabricante, pode causar interferência prejudicial às radiocomunicões. Entretanto, não há garantias que

a interferência não ocorrerá em uma instalação em

particular. Se este equipamento causar interferência

prejudicial à recepção de rádio ou de televisão, a qual pode ser determinada desligando-se e ligando-se o equipamento, o usuário é encorajado a tentar corrigir

a interferência tomando uma ou mais das medidas a

seguir:

Reorientar ou reposicionar a antena de recepção.

Aumentar a separação entre o equipamento e o receptor.

Conectar o equipamento em uma tomada em um circuito diferente daquele no qual o receptor está conectado.

Consultar o seu representante ou solicitar ajuda a um técnico qualificado de rádio ou TV.

O livreto da FCC How to Identify and Resolve Radio-TV Interference Problems (número 004-000-00345-4) pode ser útil. Ele está disponível no seguinte endereço:

1.

U. S. Government Printing Office Washington, DC 20402

Descrição

Os Detectores de fumaça de feixe de longo alcance D296 e D297 possuem um transmissor e um receptor separados.

A direcionabilidade interna oferece flexibilidade de

cobertura sem suportes. O sincronismo de sinal automático e ajuste de alcance reduzem os custos de instalação. A sensibilidade e o tempo de resposta de alarme selecionáveis oferecem flexibilidade de instalação.

2.

Operação

Cada transmissor do D296 e D297 envia um feixe infravermelho invisível de uma freqüência e intensidade específicas. Cada receptor do D296 e D297 detecta e mede a intensidade do feixe (consulte a Figura 1).

Figura 1: Transmissão infravermelha 1 - Transmissor 2 - Feixe 3- Receptor
Figura 1:
Transmissão infravermelha
1
- Transmissor
2 - Feixe
3- Receptor

Como a fumaça obscurece o feixe, o receptor detecta uma diminuição na intensidade do sinal e mede essa diminuição. O receptor compara o nível de sinal com dois limites predefinidos: um limite de alarme que é definido usando-se a chave de sensibilidade e um limite de problema que é predefinido em aproximadamente 10%. Se o sinal cair abaixo do limite de alarme para o período de alarme programado, o receptor sinaliza um alarme (consulte a Figura 2).

Figura 2: Obscurecimento do feixe 1 - Transmissor 3- Objeto atrapalhando 2 - Feixe 4
Figura 2:
Obscurecimento do feixe
1 - Transmissor
3- Objeto atrapalhando
2 - Feixe
4 - Receptor

Se o sinal cair abaixo do limite de problema por mais de 20 segundos (causado, por exemplo, por um objeto bloqueando o feixe), o receptor sinaliza uma condição de problema (consulte a Figura 3).

D296/D297 | Guia de Instalação |

PT

| 3

Figura 3: Bloqueio do feixe 1 - Transmissor 3- Objeto bloqueando 2 - Feixe 4
Figura 3:
Bloqueio do feixe
1 - Transmissor
3- Objeto bloqueando
2 - Feixe
4 - Receptor

O receptor automaticamente compensa a perda

gradual de sinal causada por acúmulo de poeira e sujeira na tampa. Depois de uma perda de sinal de

50%, o receptor indica um problema. Quando o acúmulo de poeira e sujeira são eliminado ou o bloqueio é removido, o detector automaticamente retorna ao seu nível de operação normal.

O receptor indica um problema se a intensidade do

feixe aumentar mais do que 20% por mais do que 20

segundos. Um problema pode ser causado por um desalinhamento inicial ou pela remoção de um bloqueio parcial do feixe durante o alinhamento.

Execute um alinhamento de ajuste fino descrito na Seção 6.3, Alinhamento de ajuste fino, na página 78.

3. Considerações sobre a instalação

A localização e o espaçamento corretos do D296 e

D297 são críticos em um sistema de alarme de

incêndio instalado e operando adequadamente.

Para obter os melhores resultados, coloque os detectores e distribua-os de acordo com o Standard 72

da NFPA (National Fire Protection Association), que é o código nacional de incêndio. Este padrão está disponível por um custo nominal a partir do seguinte

endereço:

NFPA Protection Association Batterymarch Park Quincy, MA 02269

Em todas as instalações, o julgamento de um bom engenheiro deverá prevalecer.

Não use espelhos. Instale detectores com uma linha de visão limpa entre o transmissor e o receptor.

Elimine objetos que se movam do caminho do feixe.

Defina a sensibilidade com base na distância entre o transmissor e o receptor (consulte a Seção 6.2, Ajuste de sensibilidade, na página 8).

Monte os detectores diretamente no teto ou nas paredes laterais. Não monte os detectores onde o caminho do feixe fique paralelo a uma distância de 10,2 cm de um canto.

Para um teto inclinado, certifique-se de que o caminho do feixe esteja dentro da distância de 1 m do topo do teto.

O sistema de exaustão de ar pode evitar que a fumaça atinja os detectores montados próximos ao teto. A exaustão do ar ocorre quando a fumaça, que sobe por ser mais quente do que o ar que a circula, atinge um nível onde ela possui a mesma temperatura que o ar que a circula e não sobe até o teto. Se isto for possível, instale feixes extras onde a exaustão é esperada.

Evite áreas com concentrações normais de fumaça, como cozinhas e garagens.

Não instale detectores onde as temperaturas normais do ambiente sejam inferiores a -30°C ou superiores a +54°C.

3.1 Evite fontes de calor e de movimentação de ar

Coloque os detectores D296 e D297 onde o caminho do feixe não passe próximo a saídas de aquecimento ou refrigeração.

Não monte os detectores onde haja ar quente ou frio soprando diretamente sobre o caminho do feixe.

Os sistemas de aquecimento, ventilação e condicionamento de ar (HVAC) podem soprar fumaça para longe do caminho do feixe. A fumaça deve se acumular no caminho do feixe para ser detectada.

D296/D297 | Guia de Instalação |

PT

| 4

Não monte aquecedores próximos do caminho do feixe. O calor pode distorcer o feixe.

Teste a distorção do feixe monitorando a voltagem do sinal.

Depois da configuração, a voltagem do sinal do detector deve ser de 4 Vcc. Monitore a voltagem e ligue todos os dispositivos de aquecimento e refrigeração na área. A voltagem do sinal não deve flutuar mais de 0,20 Vcc. Se isso ocorrer, reposicione o detector para evitar esses distúrbios.

3.2 Evite fontes de luz intensa

A luz do sol e a iluminação proveniente de fontes de luz intensa como as lâmpadas de exposição de sódio de alta pressão, de vapor de mercúrio e iluminação halógena, podem provocar sinais imprecisos. Não aponte o receptor na direção de quaisquer dessas fontes.

Luz do sol: Não aponte o receptor diretamente onde haja nascer ou pôr-do-sol. Se estiver instalando o receptor onde a luz do sol não possa ser evitada, monte-o levemente mais alto do que o transmissor e aponte-o para baixo na direção do transmissor. Isto faz com que o receptor olhe abaixo da linha do horizonte.

Luzes intensas: Não monte o receptor onde ele fique diretamente apontado para lâmpadas expostas de sódio de alta pressão, vapor de mercúrio e halógenas. Consulte a Figura 4 para evitar luzes expostas.

Figura 4: Evitando luzes expostas 1 - Receptor 2 - Não coloque luzes intensas nesta
Figura 4:
Evitando luzes expostas
1 - Receptor
2 - Não coloque luzes intensas nesta área.

Lâmpadas fluorescentes expostas também podem criar um problema, especialmente em corredores longos onde uma série de lâmpadas é perpendicular ao feixe. Lâmpadas incandescentes não são problema desde que não estejam diretamente no caminho do feixe.

3.3 Use a bitola e o comprimento de fio corretos

Os detectores de fumaça de feixe são freqüentemente usados para proteger grandes áreas, o que exige longas extensões de fios para alimentação dos detectores e sinalização das condições de alarme. A voltagem disponível na extremidade de longas extensões de fios pode não ser suficiente para alimentar o detector, especialmente quando o sistema estiver funcionando com a bateria de reserva. Use a bitola de fio correta ao instalar os detectores.

Consulte a Tabela 1 para obter a bitola e o comprimento adequados do fio, e a quantidade de pares de transmissores e receptores.

Tabela 1: Bitola e comprimento do fio

 

Comprimento

 

Tamanho do fio

 
 

do fio

 

14 AWG

 

16 AWG

 

18 AWG

 

(1,8 mm)

(1,5 mm)

(1,2 mm)

152

m

20

pares

13 pares

8

pares

304

m

10

pares

6

pares

4

pares

762

m

4

pares

3

pares

2

pares

1.524 m

2

pares

1

par

1

par

3.4 Forneça uma superfície de montagem estável

Sempre escolha superfícies de montagem estáveis.
Sempre escolha superfícies de montagem estáveis.

Sempre escolha superfícies de montagem estáveis.

Sempre escolha superfícies de montagem estáveis.

Os detectores de fumaça de feixe dependem de medição do feixe projetado para detectar a fumaça. Condições de problema ou alarme podem ser provocadas pelo deslocamento no alinhamento do feixe quando o transmissor ou receptor se move.

Nunca monte um detector em um suporte suspenso, como um cano ou pedaço de madeira que seja suportado em apenas uma das extremidades. Este tipo de montagem pode criar um efeito de pêndulo que multiplica muito até mesmo movimentos muito pequenos em uma extremidade do suporte. Por exemplo, um movimento de 5,1 cm se converte em um desalinhamento de feixe na faixa de 6 a 107 m. Apóie as superfícies de montagem nos cantos opostos para reduzir o efeito de pêndulo.

D296/D297 | Guia de Instalação |

PT

| 5

Sempre selecione superfícies que não estejam sujeitas

à movimentação da estrutura do edifício. Os circuitos

de compensação automática do D296 e D297 eliminam a maioria dos problemas criados por expansões e contrações normais da estrutura dos edifícios. Em algumas situações incomuns, as paredes e estruturas de suporte podem estar sujeitas a movimentações mais significativas por conta da operação de equipamentos pesados como guindastes ancorados no topo das paredes.

Quando houver incerteza sobre a estabilidade da superfície de montagem, meça a voltagem do sinal no detector. Esta voltagem deve ser de 4 Vcc. O desalinhamento do feixe pode fazer com que esta voltagem aumente ou diminua. O detector indica uma condição de problema quando a voltagem aumenta para mais de 4,8 Vcc ou diminui para menos de 2 Vcc por um longo período. Uma condição de problema também ocorre quando a voltagem diminui para 0,4 Vcc por mais de 20 segundos. Consulte a Seção 7.3, Calibração da voltagem de referência, na página 9 para leitura da voltagem.

Se acreditar que a superfície de montagem se moverá, reposicione o detector para uma superfície estável ou acrescente suportes à superfície de montagem para evitar a movimentação.

A montagem do detector em uma caixa de montagem

elétrica quadrada ou octogonal de 10 cm pode entortar a placa de montagem. Isso pode ocorrer por que as guias dos parafusos da caixa de montagem estão desalinhadas em relação às bordas superiores da caixa de montagem. Se você apertar demais os parafusos de montagem, a placa de montagem entortará para dentro na parte inferior, fazendo com que o dispositivo óptico aponte para baixo.

As irregularidades nas superfícies da borda da caixa de montagem ou nas guias dos parafusos pioram esta condição. Use apenas caixas de montagem com superfícies planas e regulares e guias de parafusos em perfeitas condições. Aperte os parafusos de montagem para fixar a placa de montagem com 5 cm ou torque de 0,9 k para minimizar o desalinhamento provocado por causa da placa de montagem torta.

3.5 Efeitos da exaustão em ambientes frios

Em ambientes extremamente frios, como armazéns não aquecidos, a fumaça resfria muito rapidamente e é menos provável que ela suba até o teto. Acrescente mais detectores em alturas mais baixas para compensar.

3.6 Carga de incêndio esperada

Ao projetar um sistema de alarme de incêndio, considere as cargas de incêndio esperadas dentro da aplicação. Por exemplo, os incêndios provocados pela ignição de líquidos inflamáveis à base de petróleo geralmente causam o rápido surgimento de uma fumaça espessa. Quando este tipo de incêndio for provável, use configurações de sensibilidade de 0 ou 1 para um tempo de resposta de 5 segundos.

4.

Montagem

Não use este produto em aplicações externas.
Não use este produto em aplicações externas.
Não use este produto em aplicações externas.
Não use este produto em aplicações externas.

Não use este produto em aplicações externas.

Não use este produto em aplicações externas.

1. Instale uma caixa elétrica quadrada ou octogonal de 10 cm (não fornecida) em uma superfície rígida que não esteja sujeita a movimentos ou vibrações.

Se não estiver montando esses detectores em uma caixa elétrica, certifique-se de que a superfície não possa ser movida ou vibrada. Por exemplo, não monte o detector diretamente em um teto suspenso sem suporte extra.

2. Remova o parafuso na porta de acesso do receptor. Então, remova os quatro parafusos da tampa (consulte a Figura 5).

Figura 5: Porta de acesso e tampa 1 - Porta de acesso 2 - Parafuso
Figura 5:
Porta de acesso e tampa
1 - Porta de acesso
2 - Parafuso de montagem da tampa (4)

3. Remova a placa posterior do receptor desparafusando o único parafuso de montagem do topo da placa de circuito impresso e separando as duas placas (consulte a Figura 6).

D296/D297 | Guia de Instalação |

PT

| 6

Figura 6: Remoção da placa posterior 1 - Remova o parafuso para expor a placa
Figura 6:
Remoção da placa posterior
1 - Remova o parafuso para expor a placa posterior.
2 - Slot de montagem (4)
3 - Entrada da fiação
4 - Não remover.

4. Encaminhe a fiação que vem da caixa elétrica através das entradas de fios.

Desligue a alimentação de todos os fios.
Desligue a alimentação de todos os fios.
Desligue a alimentação de todos os fios.
Desligue a alimentação de todos os fios.

Desligue a alimentação de todos os fios.

Desligue a alimentação de todos os fios.

5.

5. Monte a placa posterior na caixa elétrica.

6. Encaixe a placa de circuito na placa posterior usando um único parafuso de montagem.

7. Repita os passos de 1 a 6 para montagem do transmissor.

Fiação

Ligue a alimentação somente quando todas as conexões tiverem sido feitas e inspecionadas.
Ligue a alimentação somente quando todas as conexões tiverem sido feitas e inspecionadas.
Ligue a alimentação somente quando todas as conexões tiverem sido feitas e inspecionadas.
Ligue a alimentação somente quando todas as conexões tiverem sido feitas e inspecionadas.

Ligue a alimentação somente quando todas as conexões tiverem sido feitas e inspecionadas.

Ligue a alimentação somente quando todas as conexões tiverem sido feitas e inspecionadas.

Consulte a Figura 7 e a Tabela 2 quando estiver conectando os terminais do transmissor e do receptor.

conectando os terminais do transmissor e do receptor. Não instale em circuitos de incêndio verificados. Não

Não instale em circuitos de incêndio verificados.

Não enrole o excesso de fios dentro das unidades.

Figura 7: Fiação de um único D296 ou D297 1 - Receptor 2 - Resistor
Figura 7:
Fiação de um único D296 ou D297
1 - Receptor
2 - Resistor de final de linha (EOL)
3 - Transmissor
4 - FACP

Tabela 2: Terminais do transmissor e receptor

Tipo

Terminal

Descrição

Terminal

1

e 2

Terminais de entrada de alimentação. Consulte a Seção 11.0, Especificações na página 14 para obter as voltagens de operação.

Receptor

1, 2 e 3

Contatos de relé auxiliar em forma de “C”. Terminais 1 e 2 abertos no alarme de incêndio; Terminais 2 e 3 fechados (curto-circuitados) no alarme de incêndio.

Receptor

4

e 5

Contatos de alarme de incêndio Normalmente Abertos (NA) fechados (curto-circuitados) no alarme de incêndio.

Receptor

6

e 7

Contatos de problema Normalmente Fechados (NF) para alarme de problema.

Receptor

8

e 9

Terminais de entrada de alimentação. Consulte a Seção 11.0, Especificações na página 14 para obter as voltagens de operação.

D296/D297 | Guia de Instalação |

PT

| 7

Para redefinir após um alarme de incêndio, desligue a alimentação do receptor por um mínimo
Para redefinir após um alarme de incêndio, desligue a alimentação do receptor por um mínimo
Para redefinir após um alarme de incêndio, desligue a alimentação do receptor por um mínimo
Para redefinir após um alarme de incêndio, desligue a alimentação do receptor por um mínimo

Para redefinir após um alarme de incêndio, desligue a alimentação do receptor por um mínimo de 1 segundo. Se o painel de incêndio não permitir a redefinição, instale uma chave em série com o Terminal 8.

de 1 segundo. Se o painel de incêndio não permitir a redefinição, instale uma chave em

5.1 Placa do indicador remoto

A D306 Placa do indicador de teste remoto acompanha o D296 como um acessório padrão. Apesar da D306 não ser necessária, o fabricante recomenda sua instalação para verificar a condição do detector a partir do nível de aterramento. Se estiver usando uma placa do indicador remoto D306 ou D307, instale o conector do indicador remoto no receptor agora (consulte a Figura 8).

Figura 8: Conexão da D306 Placa do indicador de teste remoto 1 - Conector da
Figura 8:
Conexão da D306 Placa do indicador de
teste remoto
1 - Conector da D306 Placa de Teste do Indicador
Remoto*
2 - D296/D297 Receptor
3 - EOL
4 - FACP
5 - D306 Placa do indicador de teste remoto
Fiação: a=laranja, b=azul, c=preto, d=vermelho,
e=amarelo, f=verde, g=violeta
* Consulte a Seção 7.5, Conector da placa do indicador
de teste remoto (página 10) para o teste remoto.

1. Coloque a D307 em até 30,5 m de distância do receptor e faça a conexão com um fio 8 AWG (1,2 mm) ou de maior bitola. É possível fazer a conexão da D306 até uma distância máxima de 152 m do receptor.

2. Deslize o conector do indicador remoto sobre os pinos localizados à direita da barra de terminais do receptor.

Consulte Instruções de instalação da D307 (N/P: 32071) se estiver conectando uma

6.

D307.

Configuração

Antes de executar uma configuração, certifique-se de que todas as conexões tenham sido feitas e estejam seguras. Então, ligue a alimentação do transmissor e do receptor.

1. Pressione o botão do modo de alinhamento do transmissor, localizado acima do LED verde (consulte a Figura 9), para que ele possa ligar enquanto a tampa estiver removida.

Figura 9: Placa do circuito transmissor mostrando o botão do modo de alinhamento 1 -
Figura 9:
Placa do circuito transmissor mostrando o
botão do modo de alinhamento
1 - Botão do Modo de alinhamento
2 - LED verde

2. Certifique-se de que o LED verde pisque. Se o LED estiver apagado, verifique se há alimentação e se a polaridade está correta nos Terminais 1 (–) e 2 (+). Se o LED verde ficar aceso, há uma falha no transmissor. Retorne o transmissor para a fábrica.

D296/D297 | Guia de Instalação |

PT

| 8

3. Verifique os três LEDs do receptor (consulte a Figura 10). É normal que os três LEDs esteja acesos neste momento, com o LED verde piscando ou aceso. Se todos os LEDs estiverem apagados, verifique se há alimentação e se a polaridade está correta nos Terminais 8 (-) e 9 (+).

Figura 10: LEDs do receptor 1 - LED de alarme (vermelho) 2 - LED de
Figura 10: LEDs do receptor
1 - LED de alarme (vermelho)
2 - LED de problema (amarelo)
3 - LED normal (verde)

4. Monte uma Luz Estroboscópica para Alinhamento D309 ou equivalente, como uma Faraday 5508, o mais próxima possível do receptor, preferencialmente no topo do receptor.

5. 5. Aponte o D309 para o transmissor usando-o como seu guia de pontaria. Uma luz de alinhamento pode não ser necessária para separações de curta distância.

6.1 Alinhamento preliminar

Cada módulo óptico possui dois espelhos de alinhamento, um em cada lado, para um alinhamento inicial (consulte a Figura 11).

1. Olhe para um dos espelhos de um único ângulo que esteja a um mínimo de 61 cm do módulo.

O módulo óptico aponta para os objetos vistos no espelho quando a mira do orifício frontal laranja estiver no centro das miras do orifício posterior (consulte a Figura 12). Use as miras posterior e frontal da mesma forma que usa miras para apontar uma arma de fogo.

Figura 11: Módulo óptico 1 - Sintonia fina vertical 5 - Espelho de alinhamento 2
Figura 11: Módulo óptico
1 - Sintonia fina vertical
5 - Espelho de alinhamento
2 - Vista frontal
(3)
3 - Sintonia fina
6 - Mira do orifício posterior
horizontal
(2)
4
- Vista lateral
7 - Mira do orifício frontal

2. Gire o módulo óptico do transmissor para a esquerda ou direita até ver a imagem da luz de alinhamento (ou a imagem do receptor, se a luz de alinhamento não estiver sendo usada) no espelho.

Figura 12: Espelho de alinhamento - Mira do orifício posterior (2) 1 2 - Mira
Figura 12: Espelho de alinhamento
- Mira do orifício
posterior (2)
1
2
- Mira do orifício frontal

3. Se o módulo óptico estiver inicialmente alinhado muito para cima ou muito para baixo, ajuste o parafuso de ajuste Allen de sintonia fina vertical (com a chave Allen fornecida) lenta e suavemente até ver a imagem.

4. Use os parafusos de ajuste de sintonia fina vertical e sintonia fina horizontal para ajustar a imagem no centro do espelho (alinhada com as miras dos orifícios frontal e posterior).

D296/D297 | Guia de Instalação |

PT

| 9

5. Recoloque e fixe a tampa do transmissor.

6. Certifique-se de que o LED verde do transmissor esteja piscando.

7. Recoloque e fixe a porta de acesso do transmissor.

8. Alinhe o receptor à imagem do transmissor seguindo os passos de 1 a 7.

9. Certifique-se de que o LED verde esteja piscando, indicando que o alinhamento preliminar está concluído.

10. Se o LED verde do receptor não estiver piscando, repita os passos de 1 a 9 para o receptor.

6.2 Ajuste de sensibilidade

1. Selecione a configuração de sensibilidade adequada com base na distância entre o transmissor e o receptor (consulte a Tabela 3 que lista as distâncias incluindo algumas configurações que se sobrepõem). Selecione uma configuração mais baixa para uma detecção mais sensível ou selecione uma configuração mais alta para maior imunidade a alarmes falsos.

Tabela 3: Configurações de sensibilidade

 

Configuração

Sensibilidade

Resposta

Comprimento

da chave

de alarme

do feixe

0

30%

5

s

9

m a 31 m

1

60%

5

s

31

m a 107 m

2

20%

30

s

9

m a 15 m

3

30%

30

s

14

m a 23 m

4

40%

30

s

21

m a 31 m

5

50%

30

s

27

m a 43 m

6

60%

30

s

37

m a 55 m

7

70%

30

s

49

m a 107 m

8*

     

9*

     

* Não use as posições 8 e 9. Elas não são válidas.

 

2. Configure a chave de Sensibilidade do receptor para sua configuração selecionada. A chave de Sensibilidade está localizada à direita do módulo óptico. O indicador (ou marcação do apontador) desloca-se ao longo da lateral do eixo das chaves (consulte a Figura 13).

Figura 13: Chave de sensibilidade
Figura 13: Chave de sensibilidade

6.3 Alinhamento de sintonia fina

1. Conecte o Cabo de teste D1005 (fornecido) aos pinos 1, 2 e 3 de P6. Estes pinos estão localizados à direita da barra de terminais do receptor (consulte a Figura 14).

Figura 14: Conexão do D1005 1 - Fios do conector (a=branco, b=vermelho [+], c=preto [-]
Figura 14: Conexão do D1005
1 - Fios do conector (a=branco, b=vermelho [+],
c=preto [-]

Se o conector da Placa do indicador remoto estiver instalado, desconecte-o temporariamente.

2. Conecte um voltímetro de 20.000 Ohms/Vcc (ou superior) aos terminais preto (–) e vermelho (+) do D1005. Configure a escala do voltímetro para que seja possível ver as leituras que variam de 0 a 5 Vcc.

D296/D297 | Guia de Instalação |

PT

| 10

Se o receptor captar o feixe, o LED verde pisca e os LEDs vermelho e amarelo ficam acesos.

Se o LED verde acender, o feixe não está atingindo o receptor. Realinhe de acordo com o procedimento descrito na Seção 6.1, Alinhamento preliminar, que começa na página 7.

4. Observe as leituras do voltímetro. Ajuste o módulo óptico do receptor usando os parafusos de sintonia fina horizontal e vertical para obter a máxima leitura do voltímetro.

Este é o processo de alinhamento mais crítico. Para obter a operação mais efetiva do

Este é o processo de alinhamento mais crítico. Para obter a operação mais efetiva do sistema, certifique-se de ter uma voltagem de pico durante o alinhamento de sintonia fina.

 
Ao executar o alinhamento de ajuste fino, mantenha seus braços e mãos longe da frente

Ao executar o alinhamento de ajuste fino, mantenha seus braços e mãos longe da frente do receptor e do caminho do feixe.

 
 

A leitura de pico da voltagem máxima varia dependendo da distância entre o transmissor e o receptor. A faixa de voltagem de pico aceitável varia entre 0,50 e 5,00 V. A voltagem no receptor é maior para distâncias mais curtas.

Anote a voltagem de alinhamento. Ela poderá ser útil se precisar solucionar um problemas em um outro momento.

Obtenha a voltagem de pico para conseguir um detector estável e sem problemas.

Obtenha a voltagem de pico para conseguir um detector estável e sem problemas.

5. Depois de concluir o alinhamento de sintonia fina, remova o cabo de teste.

6. Recoloque e fixe a tampa do receptor.

7. Verifique o status do LED verde do receptor para garantir que ele ainda esteja piscando.

8. Com o voltímetro ainda conectado ao cabo de teste, reinstale o cabo no conector P6. Encaminhe o cabo de teste através da abertura na tampa (terminal vermelho na direção do centro do receptor).

9. Neste ponto, execute um Teste de alarme. Conecte os fios branco e preto do D1005. Redefina o receptor desligando temporariamente a alimentação.

10. Pressione o botão de configuração do receptor, localizado abaixo de P6 e teste a conexão do cabo (consulte a Figura 15).

Figura 15 Botão de configuração do receptor

Figura 15 Botão de configuração do receptor 1 - LEDs 2 - Botão de Configuração

1 - LEDs

2 - Botão de Configuração

Somente pressione o botão de Configuração se as tampas estiverem encaixadas no transmissor e no

Somente pressione o botão de Configuração se as tampas estiverem encaixadas no transmissor e no receptor.

 
 

Começa um processo de configuração automático interno de 1 a 2 minutos. Esta configuração termina em uma voltagem de referência que é usada para medir os bloqueios do feixe.

Os LEDs vermelho e amarelo apagam e o LED verde fica aceso. Depois de algumas flutuações de voltagem, o voltímetro mostra 5,0 Vcc.

Durante este período, não bloqueie o feixe ou movimente as unidades.

Durante este período, não bloqueie o feixe ou movimente as unidades.

11. No final da configuração, o LED verde do receptor pisca e a voltagem cai para uma faixa entre 3,8 e 4,2 Vcc. Use esta voltagem como referência ao comparar leituras posteriormente para determinar a necessidade de limpeza. Se a voltagem não estiver dentro desta faixa, pressione o botão de Configuração.

12. Depois da configuração, remova o cabo de teste.

13. Reconecte o conector da D306 se estiver utilizando-a.

D296/D297 | Guia de Instalação |

PT

| 11

7.

Informações adicionais

7.1

Redefinição do alarme de incêndio

1. Redefina o receptor após um alarme de incêndio desligando a alimentação do receptor por, no mínimo, 1 segundo.

2. Religue a alimentação (consulte a Seção 7.4, Falta de alimentação).

7.2 Limpeza

1. Limpe a parte externa das tampas no mínimo uma vez por ano. Use um limpador de janelas comum e um pano limpo e macio. Sob condições normais, não haverá um alarme de problema se o feixe não for continuamente bloqueado por mais de 18 segundos.

2. Verifique novamente a voltagem de referência. Se a voltagem for menor do que 3,8 Vcc ou maior do que 4,2 Vcc, calibre os receptores (consulte a Seção 7.3, Calibração da voltagem de referência).

A limpeza das tampas é necessária para que seja possível obter leituras adequadas da voltagem
A limpeza das tampas é necessária para que seja possível obter leituras adequadas da voltagem
A limpeza das tampas é necessária para que seja possível obter leituras adequadas da voltagem
A limpeza das tampas é necessária para que seja possível obter leituras adequadas da voltagem

A limpeza das tampas é necessária para que seja possível obter leituras adequadas da voltagem de referência.

A limpeza das tampas é necessária para que seja possível obter leituras adequadas da voltagem de

7.3 Calibração da voltagem de referência

1. Verifique a voltagem de referência do detector no mínimo uma vez por ano. Verifique a voltagem mais freqüentemente se for exigido pelas regulamentações locais ou pelas autoridades de regulamentação.

2. Remova a porta de acesso do receptor e meça a voltagem de referência usando o cabo de teste fornecido. Também é possível medir a voltagem na D307 (se ele for utilizado).

3. Se a voltagem for menor do que 3,8 Vcc, remova a tampa e use a chave de Configuração para executar um ajuste de sintonia fina.

Se a voltagem for maior do que 4,2 Vcc, pressione o botão de Configuração. Você não precisa calibrar se a voltagem estiver entre 3,8 e 4,2 Vcc.

7.4 Falta de alimentação

Quando a alimentação é desligada e religada no receptor, como no caso de uma falta de alimentação ou redefinição de alarme, as informações de voltagem de referência originais são perdidas.

Se a tampa estiver no lugar durante a reinicialização, o receptor automaticamente reinicializa o processo de configuração interno para obter uma nova voltagem de referência quando a alimentação é religada. Se a tampa estiver fora do lugar, recoloque-a e pressione o botão de Configuração.

7.5 Conector da placa do indicador de teste remoto

1. Conecte momentaneamente os terminais laranja e preto do conector para produzir um Alarme de teste (consulte a Figura 16).

Figura 16 Conector da placa do indicador remoto

Figura 16 Conector da placa do indicador remoto 1 - Teste de alarme remoto (fio laranja)

1 - Teste de alarme remoto (fio laranja)

2 - Saída de voltagem de referência analógica (fio azul)

3 - Comum (-) (fio preto)

4 - LED vermelho (fio vermelho)

5 - LED amarelo (fio amarelo)

6 - LED verde (fio verde)

2. Para um teste remoto, instale uma chave momentânea entre os fios laranja e preto.

3. Conecte os fios preto e azul a um voltímetro analógico para medir a voltagem de referência.

4. Conecte os fios vermelho, amarelo e verde aos LEDs remotos.

Cada terminal de fio é limitada em corrente a um máximo de 10,0 mA (corrente contínua).

D296/D297 | Guia de Instalação |

PT

| 12

7.6 Densidade da fumaça e obscuridade

A obscuridade total do feixe infravermelho depende

da densidade e da largura da nuvem de fumaça ao longo do caminho do feixe. Conforme a largura da

nuvem de fumaça aumenta, uma fumaça menos densa

é necessária para uma obscuridade igual do caminho

do feixe. Assuma que a nuvem de fumaça tem a distância total do caminho do feixe. Selecione a obscuridade total necessária para um alarme configurando o Potenciômetro de sensibilidade de acordo com a Seção 6.2, Ajuste de sensibilidade, na página 8.

A obscuridade total do feixe pela fumaça aumenta

com a distância entre os detectores (há mais fumaça dentro do caminho do feixe). Assim, você pode reduzir a sensibilidade do detector aumentando a distância. A sensibilidade do detector também é menor em distâncias maiores por que a obscuridade provocada por outros contaminadores, como a poeira,

aumenta.

Defina a sensibilidade do detector para responder à obscuridade de fumaça adequada e reduzir a chance de uma falsa ativação.

Por exemplo, se a densidade de fumaça esperada for de 0,5%/30 cm, a obscuridade a 15 m será de 20%.

A obscuridade a 95 m será de 73% (consulte a

Figura 17).

Figura 17: Gráfico de densidade da fumaça e obscuridade 1 - Densidade da fumaça 2
Figura 17: Gráfico de densidade da fumaça e
obscuridade
1 - Densidade da fumaça
2 - Sensibilidade mínima, segundo o UL
3 - Sensibilidade máxima, segundo o UL
4 - Distância entre o transmissor e o receptor

Consulte a Tabela 4 para obter as configurações do potenciômetro de sensibilidade e de obscuridade total, necessárias para um alarme.

Tabela 4: Potenciômetro de sensibilidade e obscuridade

Configuração do potenciômetro de sensibilidade

Obscuridade total no alarme

2

20%

0

ou 3

30%

4

40%

5

50%

1

ou 6

60%

7

70%

D296/D297 | Guia de Instalação |

PT

| 13

7.7 Medidas de sensibilidade de campo

O D296 e D297 compensam automaticamente os efeitos de acúmulo de poeira e sujeira em suas tampas.

Eles também compensam o envelhecimento dos componentes. A NFPA exige que a sensibilidade do detector seja medida no campo dentro do período de um ano da sua instalação inicial e a cada ano alternado depois disso (consulte a norma NFPA 72).

Solicite um D308 Kit de teste de campo para testar a sensibilidade do detector no campo. Consulte a Tabela 5 para obter informações sobre alarme para os filtros D308 e o kit de teste de sensibilidade, fornecidos com os detectores.

Tabela 5: Sensibilidade e resposta

 

Configurações de

Sem alarme

Com alarme

sensibilidade

2

0% (sem filtro)

Filtro de 40%

0 ou 3

0% (sem filtro)

Filtro de 60%

4

20% (com filtro)

Filtro de 60%

5

20% (com filtro)

Filtro de 80%

1 ou 6

40% (com filtro)

Filtro de 80%

7

40% (com filtro)

Filtro de 80%

Use o Kit de teste de sensibilidade para verificar a sensibilidade do detector somente durante a instalação. Para teste de campo, use o D308.

Cada filtro diminui o sinal do detector em um valor específico. Quando você colocar um filtro no módulo óptico do receptor por no mínimo 30 segundos (5 segundos para a posição 0 ou 1), é possível determinar a configuração de sensibilidade aproximada do detector instalado por sua resposta, como mostra a Tabela 5.

O teste desses detectores ativa um alarme de incêndio. Informe a todo o pessoal envolvido
O teste desses detectores ativa um alarme de incêndio. Informe a todo o pessoal envolvido
O teste desses detectores ativa um alarme de incêndio. Informe a todo o pessoal envolvido
O teste desses detectores ativa um alarme de incêndio. Informe a todo o pessoal envolvido

O teste desses detectores ativa um alarme de incêndio. Informe a todo o pessoal envolvido antes da execução de um teste.

desses detectores ativa um alarme de incêndio. Informe a todo o pessoal envolvido antes da execução

D296/D297 | Guia de Instalação |

PT

| 14

8. Solução de problemas

Tabela 6: Solução de problemas

 

Transmissor

LED

Condição

Solução

 

Piscando

Normal

 

Apagado

1. Não há alimentação no transmissor.

 

1. Religue a alimentação nos Terminais 1 e 2.

 

2. Botão do Modo de alinhamento não pressionado.

2. Pressione o botão Modo de alinhamento.

3. O transmissor falhou.

 

3. Substitua o transmissor.

 

Receptor --- Modo de alinhamento

 

LED

LED

LED

Terminais 4 e 5

Terminais 6 e 7

Condição

Solução

vermelho

amarelo

verde

Aceso

Aceso

Piscando

Aberto

Aberto

O

alinhamento é aceitável.

 

Aceso

Aceso

Aceso

Aberto

Aberto

O

feixe está bloqueado ou o receptor

Libere o caminho do feixe ou realinhe o receptor.

está desalinhado.

Aceso

Piscando

Piscando

Aberto

Aberto

A

configuração de sensibilidade é

Configure o receptor para a configuração adequada.

inválida.

Aceso

Apagado

Apagado

Aberto

Aberto

Não há alimentação.

Verifique a alimentação nos Terminais 8 e 9.

Receptor - Modo normal

 

Apagado

Apagado

Aceso

Aberto

Fechado

O

receptor está inicializando. Ele

 

estabiliza dentro de um período de 60 a 120 segundos

Apagado

Apagado

Aceso

Aberto

Aberto

O

receptor está inicializando. A porta

Recoloque a porta de acesso.

de acesso foi removida ou está solta.

Apagado

Apagado

Piscando

Aberto

Fechado

Normal.

 

Apagado

Apagado

Piscando

Aberto

Aberto

A

porta de acesso foi removida ou

Recoloque a porta de acesso.

está solta.

Apagado

Aceso

Aceso

Aberto

Aberto

Problema. O feixe está bloqueado ou desalinhado.

Libere o caminho do feixe ou realinhe o receptor.

Apagado

Aceso

Piscando

Aberto

Aberto

Problema. Se a voltagem de referência for menor do que 2 Vcc, a poeira e sujeira na lente reduziu a intensidade do sinal ou a vibração desalinhou o receptor.

Limpe as tampas do transmissor e receptor. Se a voltagem de referência não retornar a 4 Vcc, realinhe o receptor e pressione o botão de Configuração.

Apagado

Aceso

Piscando

Aberto

Aberto

Se a voltagem de referência for maior do que 4,8 Vcc, a intensidade do feixe aumentou por causa de um feixe inicial desalinhado ou da remoção de um bloqueio parcial na configuração.

Execute um alinhamento de sintonia fina do receptor e use o botão de Configuração.

Aceso

Apagado

Piscando

Fechado

Fechado

Alarme.

Determine a causa do alarme

e

redefina o receptor.

Aceso

Apagado

Piscando

Fechado

Aberto

Alarme. A porta de acesso foi removida ou está solta.

Determine a causa do alarme

e

redefina o receptor.

 

Recoloque a porta de acesso.

Aceso

Aceso

Aceso

Fechado

Aberto

Alarme e problema. Ocorreu um alarme e, em seguida, o feixe foi bloqueado.

Determina a causa do alarme

e

redefine o receptor. Libere

o

caminho do feixe.

D296/D297 | Guia de Instalação |

PT

| 15

9. Instalação de vários detectores D296 e D297

Para tetos lisos e regulares, monte os detectores de forma que haja espaçamento de até 18,3 m entre os caminhos de feixe (com até a metade deste espaçamento entre o caminho do feixe e a parede lateral, a parede paralela ao caminho do feixe).

Outros espaçamentos dependem da altura do teto, das características do fluxo de ar e das exigências de resposta. O espaçamento mínimo entre os detectores adjacentes é de um 1/10 (um décimo) da distância entre o transmissor e o receptor. Por exemplo, se o comprimento do feixe for de 91 m, coloque os detectores a um mínimo de 9,1 m de distância um do outro. Consulte a Figura 18 para obter o layout de posicionamento.

Figura 18: Posicionamento do transmissor e receptor 1 - Receptor 3 - Transmissor 5 -
Figura 18: Posicionamento do transmissor e receptor
1 - Receptor
3 - Transmissor
5 - Máximo de 16,3 m
2 - FACP
4 - Resistor de final de linha (EOL)
Quando dois ou mais detectores adjacentes forem inst alados na mesma área, alterne as localizações
Quando dois ou mais detectores adjacentes forem inst alados na mesma área, alterne as localizações
Quando dois ou mais detectores adjacentes forem inst alados na mesma área, alterne as localizações
Quando dois ou mais detectores adjacentes forem inst alados na mesma área, alterne as localizações

Quando dois ou mais detectores adjacentes forem instalados na mesma área, alterne as localizações dos transmissores e receptores. Se o transmissor e o receptor não forem alternados, certifique-se de que o espaçamento entre os detectores seja de 1/5 da distância do transmissor para o receptor.

certifique-se de que o espaçamento entre os detectores seja de 1/5 da distância do transmissor para

D296/D297 | Guia de Instalação |

PT

| 16

10. Fluxograma de instalação rápida

Figura 19: Fluxograma de instalação rápida
Figura 19: Fluxograma de instalação rápida

D296/D297 | Guia de Instalação |

PT

| 17

11.

Especificações

Tabela 7: Especificações

Voltagem de operação

D296: 18,0 a 32,0 Vcc D297: 10,2 a 15,0 Vcc

Corrente em estado de espera

Receptor D296: 45 mA em 24 Vcc Transmissor D296: 20 mA em 24 Vcc Receptor D297: 50 mA em 12 Vcc Transmissor D297: 20 mA em 12 Vcc

Corrente de alarme do receptor

D296: 60 mA em 24 Vcc D297: 75 mA em 12 Vcc

Alcance (a distância entre o transmissor e o receptor)

9 m a 107 m

Espaçamento (a distância entre os sistemas)

Permite até 18 m entre os sistemas. Espaçamento de 18 m confirmado pelos testes do Underwriters Laboratories, Inc. (UL).

Direcionalidade

Óptica apontável internamente para ajuste de ±90° na horizontal e ±10° na vertical.

(apontamento)

Sensibilidade

Campo selecionável para obscuridade de feixe de 20%, 30%, 40%, 50%, 60% ou 70%.

Contatos de alarme

Contatos normalmente abertos (NA) classificados para o máximo de 1 A em 60 Vcc para cargas resistivas em corrente contínua. Não usar com cargas capacitivas ou indutivas.

Contatos de problema

Contatos normalmente fechados (NF) classificados para o máximo de 1 A em 60 Vcc para cargas resistivas em corrente contínua. Não usar com cargas capacitivas ou indutivas.

Contatos de alarme auxiliar:

Contatos em formato de "C" (NA, C, NF) classificados para o máximo de 1 A em 60 Vcc para cargas resistivas em corrente contínua. Não usar com cargas capacitivas ou indutivas.

Violação

Receptor: Chave de violação de porta de acesso em série com contatos de problema. Transmissor: Quando a tampa é removida, a chave de violação da tampa interrompe a transmissão.

Sinalização do sistema

Sistema convencional a quatro fios. Não usar com sistemas que incorporam um recurso de verificação de alarme.

Atraso de sinal

Incêndio: Selecionável entre 30 ou 5 segundos Problema: 20 ± 2 segundos

Tabela 7: Especificações (continuação)

Temperatura

As temperaturas de armazenagem e operação variam entre -30°C e +54°C. Para instalações aprovadas pela UL Listed, a faixa é de 0°C a 54°C.

Montagem

Os detectores são projetados para montagem em caixas elétricas quadradas ou octogonais de 10 cm (não fornecidas).

Normas e aprovações

UL S3019 ULC CS692 MSFM Permit #1943 NY City MEA Acceptance

#MEA274-93-E

CSFM #7260-1062:106 FM Job #OX2A9.AY CE

Acessórios padrão

D306 Placa do indicador de teste remoto e cabo de teste

Acessórios opcionais

D307 Placa do indicador de teste remoto D308 Kit de teste de campo D309 Luz de alinhamento D1005 Cabo de teste