Você está na página 1de 20

Aquisição da

linguagem 2º
ano, 2º
semestre

O Multiculturalismo

Raquel Santos
Raquel Teixeira
Tânia Bernardo
Palavras – chave

 Multiculturalismo

 Escola Multicultural

 Pais

 Educador

 Integração
O que é o
Multiculturalismo?

 O multiculturalismo é um termo que descreve a existência de muitas culturas


numa localidade, cidade ou país, sem que uma delas predomine.

Esta implica as minorias no país onde se encontram: negros, índios, ciganos,


homossexuais, entre outras.

Implica diferentes níveis de mudanças envolvendo toda a educação básica e


todos os alunos; combate o racismo e outras formas de discriminação nas escolas
e na sociedade.
Portugal e a tradição
monocultural

 Como área de estudo, a educação multicultural surgiu há duas décadas nos


países com mais tradição multicultural: Estados Unidos da América, Canadá e
Austrália;

 Em Portugal, este conceito surgiu mais tarde, sobretudo devido à forte


tradição monocultural reinante, assim como pela centralização do sistema
educativo, que foi durante muitos anos, o reflexo da sociedade, também ela
monocultural;

 Nesta altura, a diversidade era encarada como geradora de problemas e não de


enriquecimento.
Educação e escola
multicultural

 A educação multicultural implica o respeito pelo desenvolvimento pessoal dos


alunos, assim como a intervenção dos pais nos programas escolares e a utilização de
materiais e recursos educativos;

 A escola multicultural aceita e defende o pluralismo das famílias e das


comunidades dos alunos e estrutura-se para acolher a diversidade dos seus alunos;

 A sociedade portuguesa, à semelhança da maioria das sociedades desenvolvidas,


caracteriza-se por uma crescente diversidade. A origem da educação multicultural
está relacionada, em Portugal, com o facto de recebermos, a partir de determinado
momento, grandes contingentes de povos de outros países, com diferentes costumes,
tradições, religiões, crenças e, claro, línguas;
Educação e escola
multicultural – cont.

 Deve prevenir deficientes interpretações culturais ou manifestações de


racismo no contacto com as minorias;

Com o passar do tempo e devido a diversas acções de mudança, a


multiculturalidade deixou de ser percepcionada como um problema para passar
a ser entendida como um factor potenciador de um enriquecimento pessoal e
social;

 Em Portugal e no resto do mundo, começam a empreender-se novos processos


de reforma educativa. Assim, discute-se a educação para os valores, para a
igualdade de oportunidades, para a tolerância, para a paz, para a educação
inter/multicultural, para a educação ambiental e anti-racista, muito embora
estejamos ainda confrontados com manifestações de intolerância, preconceito,
racismo e xenofobia. Estas demonstrações são igualmente visíveis no contexto
escolar.
Intervenção dos pais
e da comunidade

 A escola deve organizar-se de forma multicultural, envolvendo nos seus


órgãos os pais dos alunos das minorias e criando projectos multiculturais que
unam os esforços de todos os intervenientes do processo educativo;

 Este tipo de educação implica a intervenção, para além da dos alunos e do


professor , de outros agentes exteriores ao cenário da sala de aula, como os
pais.
Implica, ainda, que o ambiente da escola seja favorável à diversidade e que os
currículos, as interacções e as estratégias sejam ajustados a todos os alunos,
proporcionando-lhes igualdade de oportunidades educativas.
Multiculturalidade em
contexto educativo

A multiculturalidade educativa deve:


 proporcionar uma pluralidade de conhecimentos e de processos de ensino
adequados à diversidade cultural, linguística e de estilos de aprendizagem;

 ser anti-racista;

 ser um ambiente físico, programas, estratégias e interacções que reflictam e


acolham a diversidade da comunidade;

 ter como referência a melhoria da situação dos menos favorecidos. Para isso, deve
promover a qualidade das relações interculturais e dos processos de ensino, que
devem ser adequados a todos os alunos;
Multiculturalidade em
contexto educativo –
cont.
 basear-se numa pedagogia crítica, que dá voz aos alunos e os envolve em
processos de reflexão e de descoberta;

 focar a mudança de atitudes;

 ser um meio reflexivo de concretização da justiça social, devendo articular


teoria, reflexão e prática.
Educação Multicultural e
a formação de professores

 As pesquisas realizadas destacam como um dos desafios para a construção de uma


proposta de educação multicultural a incorporação desta temática nos currículos das
instituições destinadas à formação de professores;

 Por isso a formação deve ajudar os professores a desenvolverem uma nova


identidade, uma nova postura, assim como “novos saberes, novos objectivos, novos
conteúdos, novas estratégias e novas formas de avaliação”;

Infelizmente é muito raro no espaço das salas de aula, os professores desafiarem os


alunos a reflectir e investigar as questões relacionadas com a vida e a cultura dos
grupos mais próximos do contexto local a que pertencem.
Educação Multicultural e
a formação de
professores – cont.

A educação tem reservado momentos de exploração e negação das culturas,


desejos e subjectividades destes grupos. Nesse sentido, uma formação
multicultural deve voltar-se para o local de modo que os educadores possam
romper com tais práticas possibilitando aos educandos “afirmar as suas tradições
culturais e recuperar as suas histórias reprimidas”;

“A educação multicultural vem em auxílio do professor para melhor desempenhar


sua tarefa de falar ao aluno concreto. Ela valoriza a perspectiva do aluno, abrindo o
sistema escolar e construindo um currículo mais próximo da sua realidade cultural.”
Moacir Gadotti.
Educação Multicultural e a
formação de professores –
cont.

 Uma formação multicultural propõem superar o mero reconhecimento da


existência de diferentes culturas, e deve instrumentalizar os professores com
análises que lhes permita perceber criticamente “como a linguagem é muitas vezes
utilizada para construir realidades ideológicas que encobrem o brutal racismo que
desvaloriza, inválida e envenena outras identidades culturais”. Macedo

 A linguagem nesse sentido tornasse um importante objecto de reflexão para a


formação multicultural ao partimos da ideia de que possui uma relação muito
próxima com a formação das identidades e legitimação de determinadas culturas.
A importância do
educador

O professor para a educação multicultural deve:

 ter o espírito aberto e aceitar a complexidade;

 ser imparcial e não ter preconceitos;

 saber escutar e respeitar perspectivas distintas;

 ter em atenção as alternativas existentes;

 questionar-se quanto às possibilidades de erro e procurar razões para os


problemas;

 reflectir sobre a forma de melhorar o já existente.


A importância do
educador – cont.

Um bom professor deve desenvolver práticas pedagógicas que


possam sensibilizar as crianças para a multiculturalidade e
para a reflexão através da observação dos diferentes mundos
culturais.
Actividades com que podemos
abordar o multiculturalismo na
escola

Jogo
Antes de dar início ao jogo podemos conversar um pouco com as crianças para
reflectirmos sobre a importância de ter e de ir à escola. É conveniente conduzir o
diálogo no sentido de verem a escola como um meio familiar e habitual nas suas
vidas.
Quando já se deram a conhecer as funções da escola, pode fazer-se uma pergunta e
deixá-la no ar: como são as escolas das outras partes do mundo?
O jogo começa neste ponto. As crianças têm de imaginar como serão as outras
escolas. Propomos as seguintes zonas: O Pólo Norte, onde faz muito frio e está tudo
cheio de neve e de gelo; a selva, onde vivem os animais selvagens e a vegetação é
densa; o deserto onde faz muito calor e só há dunas de areia fina; em África onde há
poucas condições de vida; etc.
Desta maneira jogam teatralizando como seriam as aulas nestes ambientes, o soalho,
o quadro de ardósia, as mesas e as cadeiras, os brinquedos, os livros, os professores e
os alunos, as pinturas…
Actividades com que podemos
abordar o multiculturalismo
na escola - cont.

Histórias
Estas são um instrumento de trabalho na educação intercultural se
soubermos explorá-lo, recolhendo dele a maior vantagem para a sociedade
plural que estamos a construir.
As histórias, até podem ser escritas por crianças da escola, sendo um
ponto de partida para o diálogo educativo, um apelo ao respeito e
desenvolvimento dos direitos humanos, um desafio a comportamentos
sociais fundamentais na igualdade e na dignidade dos cidadãos e um
convite à partilha constante dos valores que cada cultura traz consigo.
Actividades com que podemos
abordar o multiculturalismo na
escola – cont.

Receitas tradicionais
Muitos são os pratos tradicionais de Portugal. Mas nem só no nosso país os
há. E porque não confeccionar com as crianças uma receita tipicamente
portuguesa e uma outra típica de outro país. Assim poderíamos dar-lhes a
conhecer que não só existem receitas diferentes de região para região como
de país para país, as quais fazem parte de um leque de costumes dessa
região.
Para pensar….

“Somos todos juntos um conjunto e não podemos fugir da nossa


etnia. Índios, brancos, negros e ciganos, nada de errado nos seus
princípios”.
Este excerto da canção de Chico Science & Nação Zumbi alerta
para algo que os livros de história já apontavam há bastante tempo,
o facto de que vivemos em sociedades multiculturais e que qualquer
tentativa de definição de fronteiras rígidas entre uma cultura e outra
não passa de um exercício inútil de tentar separar todos os
ingredientes de um bolo depois de ele já estar pronto.
Clique no ecrã preto para visualizar