Você está na página 1de 7

1

Trabalho realizado por: Mathieu/Nº100716 e Henrique/Nº100717

Turma nº250

Índice

Desenvolvimento físico e capacidades motoras.............................................3


Capacidades motoras................................................................................. 4
Composição Corporal............................................................................... 4
Afectividade.......................................................................................... 5
Qualidade do meio Ambiente.............................................................5
Conclusão....................................................................................... 6
Bibliografia.................................................................................. 7

2
Desenvolvimento
físico e
capacidades
motoras
Existem cinco capacidades motoras, sendo elas: a resistência, a
força, a agilidade, a flexibilidade e a velocidade. O período de
desenvolvimento de cada uma das capacidades é diferente das
outras, razão pela uma ginasta atinge o seu auge antes de um
futebolista atingir o seu. As capacidades motoras são também
determinadas pelo factor genético, razão pela qual os praticantes das
diversas modalidades têm características próprias. Os diferentes
desportos exigem algumas capacidades motoras. Por exemplo, um
bom ginasta deve ter muita agilidade, flexibilidade e força. Outro
exemplo daquilo que foi dito acima é o exemplo do velocista: um bom
velocista necessita de desenvolver muito a sua velocidade. No que
toca ao factor genético, para alguns desportos é necessário diferentes
características genéticas. Um basquetebolista alto tem mais
hipóteses para ser um bom jogador. Uma pessoa forte, por muito que
se esforce, nunca conseguirá ser um campeão de velocidade. Para se
atingir um bom desenvolvimento das capacidades motoras é
necessário um treino, no entanto é de salientar que o treino não é
solução para se tornar um profissional em qualquer modalidade. É
necessário ter em conta o factor genético para escolher a modalidade
certa para se praticar. Cada capacidade motora, sendo elas: a força, a
resistência, a agilidade, a flexibilidade e a velocidade, têm diferentes
modos de se desenvolver.

3
Capacidades
motoras
Capacidade refere-se ás qualidades inatas de uma pessoa como um
talento, um potencial. Exemplos de capacidades motoras são a força,
a resistência, a flexibilidade, etc., enquanto a habilidade refere-se as
coisas apreendidas desenvolvidas. A expressão capacidades motoras
é a expressão mais correcta e precisa na terminologia internacional
para definir os pressupostos dos movimentos desde os mais simples
aos mais complexos

Composição
Corporal
A composição corporal é considerada um componente da aptidão
física relacionada à saúde por diversos autores, devido às relações
existentes entre a quantidade e a distribuição da gordura corporal
com alterações no nível de aptidão física e no estado de saúde das
pessoas.

Reduzir a quantidade de gordura e/ou aumentar a quantidade de


massa muscular estão entre os anseios de grande parte dos
praticantes de exercícios físicos. Esta preocupação pode ser notada
não somente do ponto de vista estético, mas também de qualidade
de vida dos indivíduos, já que a obesidade está associada a um
grande número de doenças crónico - degenerativas.

Nesse sentido, a importância da avaliação da composição corporal


deve-se ao fato de a massa corporal isoladamente não poder ser
considerada um bom parâmetro para a identificação do excesso ou

4
da carência dos diferentes componentes corporais (massa gorda,
massa muscular, massa óssea e massa residual), ou ainda das
alterações nas quantidades proporcionais desses componentes em
decorrência de um programa de exercícios físicos e/ou dieta
alimentar.

Afectividade
Afectividade é a relação de carinho ou cuidado que se tem com
alguém íntimo ou querido.

É o estado psicológico que permite ao ser humano demonstrar os


seus sentimentos e emoções a outro ser vivo. Em psicologia, o termo
afectividade é utilizado para designar a susceptibilidade que o ser
humano experimenta perante determinadas alterações que
acontecem no mundo exterior ou em si próprio. Tem por constituinte
fundamental um processo cambiante no âmbito das vivências do
sujeito, em sua qualidade de experiências agradáveis ou
desagradáveis.

Identificar interpretar factores de saúde e de risco associados a


prática da física actividades.

Qualidade do meio
Ambiente
O mundo actual vive uma grave crise de valores e oportunidades
protagonizada por vários séculos de exploração e desigualdades. No
entanto, esta visão, alicerçada sobre valores antropocêntricos e
fragmentados, centra seu enfoque no ser humano e precisa ser
superada por uma outra que privilegie a interdependência, a
igualdade de oportunidades e a solidariedade, com uma nova visão a
cerca da relação do homem com o entorno.

Neste sentido Rei gota (1994) sustenta e identifica uma proposta


que vai além de um mero sinónimo de meio natural. Para tanto
Tavares (2002) difere claramente Meio Ambiente de Educação
Ambiental:

• Meio ambiente - Definido como o lugar determinado e ou


percebido onde os aspectos naturais e sociais estão em

5
relações dinâmicas e em constante interacção, acarretando
processos de transformação da natureza e da sociedade.

• Educação Ambiental - Será entendida como uma perspectiva


educativa, com carácter de educação permanente, que pode
estar presente em todas as disciplinas, na tentativa de enfocar
a compreensão e resolução de todos os problemas ambientais
planetários.

Conclusão

O que nos concluímos com este trabalho foi que temos que tratar da
nossa saúde porque á doenças muito perigosas e sem praticar
desporto ou ter um devido cuidado podemos vir a ter uma dessas
doenças.

Concluímos também que foi um trabalho muito interessante e


criativo.

6
Bibliografia
Site: www.Google.pt (Wikipedia)