Você está na página 1de 2

Experiência com Rede Verde

Allison Rich
11/2009

Palavras-chave: conservação, natureza, pesquisar, Brasil, Rede Verde

Um funcionário da Rede Verde tem experiência em conectar os elos da conservação.

Em uma semana eu pesquisei sobre as substâncias tóxicas nos


produtos de limpeza, entrevistei produtores de produtos orgânicos,
visitei rios degradados e cozinhei uma deliciosa comida vegana. O
fato de trabalhar na Rede Verde cria uma nova percepção de
conservação: proteger nossos recursos naturais é um estilo de vida,
não uma ação solitária para aliviar consciências culpadas. Uma
abordagem holística da conservação fica clara quando eu viajo
através das selvas do Parque Nacional do Iguaçu: cada organismo
depende de outro. Quando nós Homo sapiens perceberemos a
natureza recíproca de nossas interações? Nós devemos
depender uns dos outros para manter nossas águas limpas,
produzir comida saudável para nossa família, compartilhar
informação e exigir uma mudança em nossa (falta de) ética
ambiental. O respeito recíproco entre a natureza e o Homo sapiens
é uma etapa necessária para a conservação. A melhor maneira de
focalizar o respeito entre os humanos e a natureza é
experimentando a natureza. Pesquisar os grandes gatos selvagens de Iguaçu é como receber um novo
conjunto de olhos que percebem um mundo alterado em detalhes.

Minha primeira lição na alfabetização da natureza é a linha férrea Linha


Martins, com seus 3.8 quilômetros no Parque Nacional do Iguaçu. Esta
linha é paralela a fazendas de gado, milho e soja que infestam a água
com agrotóxicos. A linha é exuberante: palmeiras altas e bambus
crescem como arranha-céus e enquanto eu tento compreender a
quantidade de organismos que vivem aqui Anne-Sophie assinala
meu primeiro arranhão no chão. Gatos grandes, como Pumas e
Jaguares, arranham o chão para marcar seu território – esses arranhões
são uma indicação da presença dos felinos. Minha pele se arrepia
enquanto eu penso no felino que esteve onde eu estou agora. Antes
deste momento, o mais próximo que eu estive de um puma foi de um
exemplar taxidérmico em um museu. Os gatos selvagens de Iguaçu
estão desaparecendo e pesquisas para sua conservação são práticas
caras na era moderna.

Rede Verde Conservation Network Inc. BN: 845495613NP0001


York street, 8 - 1st floor Moncton, NB E1C2X9 Canada
URL : www.rede-verde.org Email: info@rede-verde.org
O preço dos equipamentos de pesquisa é chocante e são contra um trabalho produtivo de
conservação de espécies: uma pesquisa bem fundamentada sobre gatos selvagens envolve várias
armadilhas fotográficas ($900 em média) e monitoramento telemétrico com colares ($2000 cada).
Embora a Rede Verde possua duas armadilhas fotográficas, a falta de financiamento estimula a
criatividade e cada novo arranhão de gato encontrado age como uma lição na mecânica da conservação.
Um arranhão claramente definível, pegadas ou fezes é uma oportunidade para obter novas informações.
A planilha de dados tem uma coluna para data, hora, coordenadas GPS, tipo de vegetação, espécies,
substrato da pegada, trilha de caça ativa ou inativa, comentários adicionais e fotos. Esses dados mostram
uma imagem completa da vida dos gatos selvagens do Iguaçu.

O aprendizado sobre os gatos selvagens do Iguaçu se traduz no conhecimento de que nós estamos
atrasados. A flora e a fauna estão desaparecendo antes que nós possamos descobrir. Este é o motivo
pelo qual nós devemos conectar os elos da conservação, trabalhar juntos para preservar a
espécie mais ameaçada: o Homo sapiens.

------------
Tradução para Rede Verde Conservation Network Inc.: Maria do Carmo Dias Bueno

Rede Verde Conservation Network Inc. BN: 845495613NP0001


York street, 8 - 1st floor Moncton, NB E1C2X9 Canada
URL : www.rede-verde.org Email: info@rede-verde.org