Você está na página 1de 22

Ecossistemas lóticos

 sistemas fluviais
 ecossistemas abertos
 importam e exportam, dinamicamente,
 nutrientes,
 energia e
 água.
 fator mais importante rio
 transporte horizontal
 águas sistemas fluviais
 características dos ecossistemas terrestres
Ecossistemas lóticos

 Caracterizado pela oxidação matéria


orgânica
 produção < que respiração
(P/R < 1)
 sistemas fluviais considerados heterotróficos
 clima
 fornece - energia e água
 estabilidade da bacia hidrográfica
 geologia
 dá a cada bacia característica distintiva
Composição química água dos
rios
 dependem:
 tipo e composição das formações geológicas
 intensidade e composição da água das chuvas
 reações entre água e solo ou sedimento
 nos rios tropicais (África e América do Sul)
 matéria orgânica proveniente da vegetação da bacia
Composição química água dos
rios
 Pedologia,
 geomorfologia,
 climatologia,
 tributários,
 vegetação
 influenciam na composição física, química e
biológica de um rio, ao longo dos eixos espacial e
temporal, tendo importância especial na ecologia
de sistemas fluviais
Atividades humanas

 podem aumentar ou diminuir:


 quantidade de água escoada superficialmente
 cheias ou secas
 transporte qualitativo e quantitativo
sedimentos e matéria orgânica
 efluentes domésticos e industriais
 Influencia parâmetros de qualidade da água
 pH, condutividade, O.D., nutrientes (fosfatos e
nitrogênio), metais pesados, pesticidas, material em
suspensão (orgânico e inorgânico), entre outros
Bacias Hidrográficas Brasileiras

Bacia Hidro Área(103Km2) %Vazão(m3/s)


Amazonas 3900 133.380
Tocantins 757 11.800
Atlântico Norte 76 3.660
Atlântico Nordeste 953 5.390
São Francisco 634 2.850
Atlântico Leste 1 242 680
Atlântico Leste 2 303 3.670
Paraguai 368 1.290
Paraná 877 11.000
Uruguai 178 4.150
Atlântico Sudeste 224 4.300
Brasil 8512 182.170
Fonte:Superintendência de Estudos e Informações Hidrológicas – ANEEL; Dados
referentes à área situada em território brasileiro.
Áreas alagadas

 Definição:
 são áreas cobertas de água doce rasa durante
pelo menos uma parte do ciclo anual.
 Fator-chave da produção:
 hidroperíodo – periodicidade das flutuações do
nível da água.
 Sistemas muito abertos
 Recebem forte influentcia dos ecossistemas
terrestres e aquáticos
Classificação das áreas alagadas

 Alagados ribeirinhos
 localizados em depressões de baixa altitude em planícies
de inundação associadas com rios.
 Alagados lacustres
 estão associados cm lagos ou com braços de rios
represados
 Alagados palustres
 abrangem os sistemas denominados diversamente de
pântanos, charcos, brejos e águas temporárias que
ocorrem em depressões não diretamente ligados a lagos
ou rios.
Importância das áreas alagadas

 Considerados ambientes insalubres – até década


70 – devido febre amarela, malária, entre outras.
 Atualmente:
 Ambientes de fundamental importância na autodepuração
de rios e lagos;
 Local de reprodução, desenvolvimento e habitat de várias
espécies aquáticas – insetos, peixes, crustáceos,
molusculos, plantas aquáticas, microcrustáceos, répteis,
aves e mamíferos.
 Ambiente objeto de estudos, recuperação de suas áreas e
uso no tratamento de efluentes.
Ecossistemas marinhos
 cobrem 70% da superfície terrestre;
 profundo – 6.000 m
 vida em todas profundidades
 vida mais densa litoral continente e ilhas;
 ambiente contínuo
 temperatura, salinidade e profundidade – principais
barreiras movimento organismos
 oceanos circulam todo tempo devido
 Aquecimento (equador) e resfriamento (polos)
 correntes profundas
 diferença na densidade devido á temperatura e salinidade
 ventos - correntes superficiais
 rotação da terra
Correntes do litoral brasileiro

 correntes das Guianas e do Brasil


 banham litoral norte, nordeste e parte sudeste
brasileiro com águas quentes equatoriais;
 correntes das Malvinas
 banham litoral sul e parte do sudeste podendo
chegar até o Rio de Janeiro com água fria vinda
do pólo sul
Variação nível do mar
 Provocada pela atração lua e sol – formam as marés
 importantes nas regiões litorâneas – devido variedade e densidade de
organismos
 influenciam comunidades intertidais – regulam suas atividades de
acordo com as marés.
 marés criam habitas diferentes;
 periodicidade de 12 horas e meias
 2 marés altas por dia
 50 minutos mais tarde a cada dia
 maré de sizígia – maior amplitude da maré
 força sol e lua atuam juntos – ocorrem quinzenalmente
 maré de quadratura – menor amplitude da maré
 força sol e lua - se anulam
 Amplitude das mares
 menos de 30 cm em alto mar até 15 metros em certas baías
 Variam em locais diferentes do mundo – tabelas de mares locais
Características físico-químicas

 salinidade – 35%0 ( água doce 0,5%0 )


 alcalino – pH 8,2;
 fortemente tamponado – resistente à variação de
pH
 muitas vezes pobre em nutrientes
Divisão do oceano
 Plataforma continental
 profundidade 150 a 200 m

 largura 120 a 1.300 km

 zona intertidal – região entre mares


 zona nerítica – região de águas rasas sobre a plataforma
continental
 região oceânica
 região além da plataforma continental
 região batial

 talude continental
 fossas, canhões e dorsais
 “pé” continental
 planície abissal
Regiões de ressurgência

 águas frias e ricas em nutrientes que vem das


regiões profundas dos oceanos;
 formação – ventos que sopram do continente para o
oceano na região dos taludes continentais
 características da água:
 ricas em nutrientes
 alta produtividade – ambiente eutrófico – maré vermelha
 rico em peixes e aves
 ambientes terrestres desérticos freqüentemente com
neblina
Estuários
 é uma massa de água costeira semi fechada que
possui uma ligação livre com o mar aberto.
 fortemente afetado pela ação das marés e da
mistura com água doce;
 exemplos:
 foz de um rio, uma baía costeira, um alagado marinho e
massas de água atrás de restingas;
 propriedades importantes:
 altamente produtivos
 locais de criação de mariscos, ostras e caranguejos;
 berçário para vários tipos de camarões e peixes – proteção
contra predadores e alimento farto
Estuário do rio Amazonas
Estuário rio da Prata