Você está na página 1de 3

Encontro Europeu pela Família, em Madrid: “É bom ser

uma família cristã!”

Jornal VV, 2010-01-10

http://www.jornalw.org/index.php?cont_=ver2&id=813&tem=1&lang=pt

Partiram rumo a Madrid para o Encontro Europeu pela Família. Na bagagem


levavam a vontade de testemunhar que o futuro da humanidade passa pela família.
À VOZ DA VERDADE, a família Marcos deixa a garantia: “É bom ser uma família
cristã”.

Entre a azáfama do Natal e da passagem de ano, Isabel e José Marcos, os pais,


juntamente com os filhos, Samuel e Clara, fizeram as malas e puseram-se a
caminho. O destino? Madrid. O objectivo? Testemunhar a importância que a família
tem no futuro da humanidade.

“Fomos chamados a mostrar ao mundo que é bom ser uma família cristã, que a
família cristã tem os valores que salvam o Homem e dão sentido à formação de
cada um”, conta a mãe, Isabel. O pai, José, complementa: “Ouvimos diariamente
através da comunicação social que a família está destruída. Mas nem tudo é tão
mau. Há famílias onde ainda se pode viver o amor! E não me refiro a esse amor
que agora se fala muito, mas no amor de dar a vida. Esse foi um dos testemunhos
do encontro”.

A família Marcos, da paróquia da Brandoa, pertence ao Caminho Neocatecumenal e


não quis deixar de estar presente no Encontro Europeu pela Família
(www.porlafamiliacristiana.com) que decorreu em Madrid, Espanha. Foram milhares
as famílias, provenientes não só de Espanha como também de diversos países
europeus, incluindo Portugal, que se congregaram em Madrid, no passado dia 27 de
Dezembro, para reivindicar “o modelo da verdadeira família: a Sagrada Família de
Nazaré”.

Cristo une as famílias

Apesar de morarem na Brandoa, junto a Lisboa, o Natal da família Marcos foi


passado perto da Guarda. “A 24 de Dezembro, véspera de Natal, fomos para uma
terra situada depois de Vilar Formoso e regressámos a Lisboa logo no dia de Natal.
E nesse mesmo dia 25 começámos os preparativos para a viagem para Madrid que
era… no dia seguinte”, conta Isabel. Impulsionada pelo tema do encontro, “O
Futuro da Europa passa pela Família”, a família Marcos partiu rumo à capital
espanhola no sábado, dia 26, pela hora do almoço. Só da Brandoa partiram seis
autocarros. “Da paróquia da Brandoa éramos 300 pessoas, mas a nível nacional o
Caminho Neocatecumenal levou ao Encontro Europeu pela Família em Madrid mais
de 1500 portugueses”, salienta José.

Em Madrid, a família Marcos foi recebida na paróquia São Saturnino, que tem doze
comunidades neocatecumenais. “Todos os que partimos da Brandoa fomos
acolhidos com uma grande celebração numa paróquia das redondezas de Madrid.
Presentearam-nos com um jantar, rezámos Laudes e foi feita a distribuição pelas
casas. Imagine, trezentas pessoas foram acolhidas em casas de espanhóis que
nunca tinham visto”, enaltece a mãe, salientando o que une todas estas famílias:
“Isto é a comunhão dos santos! Este era também o espírito do encontro! Todos
nós, ali presentes, portugueses e espanhóis, estávamos unidos por Cristo”.

Depois de uma noite bem dormida, era chegado o grande dia. Em Madrid
apanharam muito frio. Nada que os demovesse. A eles e a muitos milhares de
cristãos. “Por trás desta família pequena que é a nossa, eu consegui ver uma
família muito maior, que é a Igreja”, aponta o pai, José. Para Isabel, foi muito bom
o testemunho de Igreja vivenciado em Madrid. “Tenho a convicção profunda de que
Deus me ter chamado a estar na sua Igreja foi a maior herança que recebi e que
procuro transmitir à minha família. É tão bom estar na Igreja. É bom ter uma
comunidade cristã onde caminhamos. É tão bom ter uma paróquia!”, assegura a
mãe.

Em Madrid, a família Marcos sentiu-se tocada pelos sinais deixados pelas famílias
cristãs e hoje, cerca de duas semanas após o encontro, garante: “A Igreja é o local
onde reina o amor e a unidade”.

Ter uma família cristã é um dom de Deus

Casados há vinte anos, o casal Marcos diz que a educação cristã dos filhos foi uma
coisa natural: “Somos apenas uma família que coloca Deus como a luz que nos
guia”. A herança deixada aos filhos? “Que é bom ser cristão! Que Deus é bom!
Perceber que Deus está connosco e nos ajuda!”, garante a mãe, Isabel.

Para a filha Clara, de 16 anos, “a família é o suporte da humanidade”. Depois de se


questionar o que iria fazer a Madrid, esta jovem compreendeu: “Inicialmente,
pensei que o encontro era só para casados, mas agora vejo que não, que o futuro
está em mim, no meu irmão e em todos os outros jovens. Mas este é um futuro
que passa pela família”. Clara diz que, “se Deus quiser”, daqui a uns anos os papéis
invertem-se e será ela a transmitir a fé aos seus filhos.

Actualmente, numa sociedade cada vez mais laicizada, Clara confessa que “é um
dom de Deus ter uma família cristã”. Esta opinião é partilhada pelo irmão, Samuel,
de 18 anos: “O amor de Deus é uma herança que nos é deixada. Não é uma casa
ou um emprego, porque não é isso que nos faz felizes, mas é esta certeza de que
Deus nos ama”.

Em 2011, destino… Madrid!

A família Marcos, da paróquia da Brandoa, pertence ao Caminho Neocatecumenal e


é uma família com muitos quilómetros na bagagem. Sempre com o objectivo de
evangelizar e testemunhar a sua fé. Participaram em Jornadas Mundiais da
Juventude, sendo Colónia (2005) e Sidney (2008) bons exemplos disso mesmo.

“Agora, claro, depois do Encontro Europeu pela Família em Madrid, pensamos


também participar na próxima Jornada Mundial da Juventude em 2011… que vai
decorrer Madrid”, brincam.
Informação complementar:

Papa convida cristãos a darem testemunho das suas convicções

Numa mensagem difundida no encontro das famílias, Bento XVI voltou a apelar à
defesa da família baseada no casamento entre um homem e uma mulher e
convidou os cristãos a darem testemunho das suas convicções.

Numa intervenção via satélite, antes da recitação do Angelus, o Papa defendeu


a família fundada no matrimónio entre um homem e uma mulher. “Um dos maiores
serviços que nós, cristãos, podemos prestar aos nossos semelhantes é oferecer-
lhes o nosso testemunho sereno e firme da família fundada no matrimónio entre
um homem e uma mulher, salvaguardando-a e promovendo-a pois ela é de suma
importância para o presente e o futuro da humanidade”, salientou o Santo Padre.

Aos fiéis reunidos no Vaticano e em Madrid, Bento XVI pediu ainda fidelidade a
Cristo: “Que nos vossos lares se respire sempre o amor de total entrega e
fidelidade que Jesus trouxe ao mundo com o seu nascimento, alimentando-o e
fortalecendo-o com a oração diária, a prática constante das virtudes, a
compreensão recíproca e o mútuo respeito”.

A generosidade da família cristã

“O modelo da família cristã é o que responde fielmente à vontade de Deus e, por


isso, é ele que garante o bem fundamental e insubstituível da família para os seus
membros, para toda a sociedade e, não em último lugar, para a Igreja”. A garantia
foi deixada pelo presidente da Conferência Episcopal Espanhola e arcebispo de
Madrid, cardeal Antonio María Rouco Varela, que presidiu à missa pela família na
capital espanhola, acompanhado por três dezenas de bispos espanhóis e uma
dezena de cardeais e arcebispos europeus.

A homilia, que foi interrompida por diversas vezes pelos aplausos dos participantes,
centrou-se na generosidade da família cristã. “Em quem e onde é que as crianças,
os deficientes, os doentes, os excluídos podem encontrar o dom da vida e o amor
incondicional, senão em vós, pais e mães das famílias cristãs?”, questionou o
cardeal Rouco Varela.

O arcebispo de Madrid não esqueceu as dificuldades que afectam a família em


Espanha e na Europa, designadamente “a facilitação jurídica do divórcio até
extremos impensáveis até há pouco tempo” e a eliminação cultural e legal “da
consideração do matrimónio como a união irrevogável de um homem e de uma
mulher, aberta à procriação dos filhos”. Diante deste panorama “à primeira vista
obscuro e desolador”, o cardeal Rouco Varela evocou a intervenção que João Paulo
II proferiu naquele mesmo local, em 1982, convidando os participantes a “continuar
a dizer „sim‟ ao matrimónio e à família”.

Diogo Paiva Brandão