Você está na página 1de 6

Centro Educacional ROSA CHAMMA

Formando alunos e cidadãos completos

Estrelas, constelações e galáxias


 O universo é formado por vários grupos de galáxias, das quais contém estrelas, corpos celestes,
gases e etc.
 O Sol é a estrela mais importante para nós aqui na Terra pois, sem ele, a vida não existiria.
 Mas o Sol é apenas uma nesse enorme universo de estrelas existentes.
 Apesar de parecerem pequenas, existem estrelas maiores que o Sol.

Constelação:

 Constelação é um grupo de estrelas.


 Os povos mais antigos relacionaram esses grupos de estrelas a algumas figuras para facilitar a
identificação desses no céu.
 Conhecendo as constelações e seus nomes ficava mais fácil navegar, definir estações do ano e
fazer calendários.
 Atualmente existem 88 constelações.

Estrelas:

 Todas as estrelas emitem luz, como por exemplo o Sol.


 Quando vemos uma estrela, estamos vendo seu passado e captamos a luz que ela emitiu para o
espaço.
 A luz é uma energia com velocidade de 300 mil km/s.
 O Sol está a 149600000 km da Terra e sua luz leva cerca de 8 minutos para chegar a Terra.
 Depois do Sol, a estrela mais perto de nós é a Próxima de Centauro.
 Ela está a uma distância de 40 trilhões de km da Terra. Isso significa que a luz dela leva 4,2
anos para chegar aqui.
 Ano-luz é a distância que a luz percorre no espaço no período de um ano.
 Próxima de Centauro está a 4,2 anos-luz da Terra.
 Ano-luz é uma “unidade” de distância e não de tempo.
 Através do estudo da luz das estrelas se descobre a distância, seu movimento e sua
composição.
 Estrelas menos quentes → vermelhas.
 Estrelas mais quentes → amarelas ou brancas.
 Estrelas ainda mais quentes → branco-azuladas.
 Os astrônomos não estudam somente a luz das estrelas, mas também as ondas de rádio, raio X
e outras formas de energia delas.

Galáxias:

 Galáxia → conjunto de estrelas, nuvens de gás, poeira e outros corpos celestes unidos pela
gravidade.
 Gravidade → força de atração que age entre os corpos do Universo.
 O Universo contém mais de 200 bilhões de galáxias.
 O número de estrelas varia de uma galáxia para outra, algumas chegam a ter trilhões de
estrelas.
 As galáxias possuem várias formas: elípticas, espiral e algumas podem ser irregulares .
 O nosso Sistema Solar encontra-se localizado na Via Láctea, que é a nossa galáxia.

Via Láctea:

 Galáxia de faixa branca onde encontra-se o sistema solar e conseqüentemente nosso planeta.

6ª ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL II CIÊNCIAS – UNIVERSO


Centro Educacional ROSA CHAMMA
Formando alunos e cidadãos completos

 A Via Láctea tem provavelmente a forma de espiral. O sistema solar é um pequeno ponto dentro
da Via Láctea.
 Ela mede cerca de 120 mil anos-luz e contém cerca de 200 bilhões de estrelas.

O começo do universo:

 Analisando a luz das estrelas é possível saber a velocidade com que elas estão se afastando ou
se aproximando, sua composição química, idade, temperatura, massa e etc.
 Com isso, os cientistas descobriram que as galáxias estão se afastando, ou seja, o Universo
está se expandindo.
 Assim, podemos concluir então que no passado, as galáxias estavam mais próximas.
 A partir daí os cientistas, propuseram que toda a matéria do universo estava compactada em um
único ponto, muito comprimida e em altíssimas temperaturas → aconteceu o big-bang (grande
explosão).
 Acreditam que essa explosão (início do Universo) ocorreu a 15 bilhões de anos.

Big-bang:

 Após a explosão a temperatura começou a diminuir.


 Os átomos que formam a matéria se originaram de prótons e elétrons.
 Esses se agruparam em nuvens de gases e nessas nuvens surgiram as primeiras galáxias e
estrelas.

O Sistema Solar
 Tem aproximadamente 5 bilhões de anos;
 Localiza-se na Via Láctea.
 Conjunto de 8 planetas, 61 satélites naturais, asteróides ,
meteoróides e cometas, além de gás e poeira inter-planetários;
 A trajetória dos planetas e suas órbitas em torno do Sol estão aproximadamente no mesmo
plano – Zodíaco;
 Os planetas possuem 2 tipos de movimentos:
 Translação: eles percorrem uma órbita elíptica ao redor do Sol. A Terra leva
cerca de 365 dias para completá-lo.
 Rotação: eles giram sobre o próprio eixo. esse movimento
determina o dia solar médio, que na Terra possui 24 horas.

 Já os movimentos dos planetas é facilmente percebido; alguns mudam de posição em questão


de horas.
 Devido ao movimento da Terra, as constelações, parecem mudar de posição. Porém, isso não
ocorre.
 As estrelas, apesar de parecerem piscar (devido a mudanças na atmosfera), tem brilho fixo.
 Já os planetas, não tem luz própria, ou seja, não geram sua própria luz; o brilho na verdade é a
luz do Sol e de estrelas refletida por eles.

6ª ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL II CIÊNCIAS – UNIVERSO


Centro Educacional ROSA CHAMMA
Formando alunos e cidadãos completos

 Caso Plutão: em 2006 a União Astronômica Internacional o classificou como planeta anão, por
que? Para ser um Planeta é necessário:
 Estar em órbita ao redor do Sol (OK).
 Ter massa suficiente para que adquira forma quase esférica, por atração
gravitacional (OK).
 Ter eliminado os corpos capazes de se deslocar sobre uma órbita próxima
(NÃO).
 Os planetas podem ser divididos em 2 grupos:
 Planetas interiores ou rochosos: estão mais próximos do Sol e são constituídos
de matéria sólida (Mercúrio, Vênus, Terra e Marte).
 Planetas exteriores ou gasosos: estão mais afastados do Sol e possuem muito
mais matéria gasosa do que sólida (Júpiter, Saturno, Urano e Netuno).
 O ex-planeta Plutão (planeta anão) é provavelmente formado de um núcleo
rochoso, água congelada e gases.

A origem do sistema solar:

 É resultado da ação da força gravitacional sobre uma nuvem de poeira e gás. As partículas
começaram a chocar-se e fundir-se umas às outras, formando corpos cada vez maiores.

O Sol:

 O Sol é a nossa estrela, é quem fornece luz e calor para todo o Sistema Solar. Ele possui uma
massa muito grande, por isso mantém unidos e arrasta pelo Universo os nove planetas com
suas luas.
 O núcleo Solar gera toda a sua energia (cerca de 15 milhões de ºC).
 Nessa temperatura, os núcleos dos átomos de Hidrogênio se fundem e formam átomos de Hélio.
 Diâmetro do Sol: 1.4 milhões de km.

Os planetas:

 Corpos celestes sem luz própria e relativamente frios que giram ao redor de uma estrela.

Mercúrio

 Sem água e quase sem atmosfera, a temperatura varia de 400ºC de dia a -200ºC à noite.
 Mercúrio é o planeta mais próximo do Sol e o menor em tamanho.
 A superfície é parecida com a da Lua, com crateras.

Venus

 É parecido com a Terra no seu tamanho, massa (núcleo de ferro, manto rochoso e uma crosta) e
distância em relação ao Sol.
 É conhecido como “Estrela d’Alva” (alva é a 1ª luz ao amanhecer.
 Atmosfera 90X mais densa que a da Terra, composta principalmente de CO². Essa atmosfera
provoca um forte efeito estufa onde a temperatura pode chegar a 450ºC.
 Não tem água.

Marte

 A temperatura de sua superfície varia entre -25ºC de dia e -120ºC.


 Marte tem muitas crateras e vales.

6ª ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL II CIÊNCIAS – UNIVERSO


Centro Educacional ROSA CHAMMA
Formando alunos e cidadãos completos

 A atmosfera é muito rarefeita, (com pressão equivalente a 1% da pressão atmosférica da Terra),


com maior parte de CO².
 Não há água líquida, só um pouco de água congelada e pouquíssimo vapor d’água.

Júpiter

 É maior que todos os outros planetas juntos.


 Tem núcleo de ferro. A atmosfera é a maior parte de hidrogênio e um pouco de Hélio.
 A temperatura é cerca de -150ºC.

Saturno

 É o segundo maior planeta.


 Possui anéis constituídos de pedaços de gelo e rochas que giram ao redor do planeta.
 A temperatura média é de -140ºC.

Urano

 Urano também tem anéis, mais finos e mais escuros que os de Saturno.
 A atmosfera é formada por hidrogênio e um pouco de Hélio e metano.
 A temperatura média é de -210ºC.
 O núcleo é envolvido por uma mistura de água e gases de amônia.

Netuno

 Netuno também tem núcleo rochoso e um conjunto de anéis, assim como Urano.
 O núcleo é envolvido por um oceano de água.
 A atmosfera é formada por hidrogênio e um pouco de Hélio e metano.
 A temperatura média é de -210ºC.

Plutão

 Deixou de ser um planeta e agora é classificado como um planeta anão.


 Sua órbita elíptica é bastante alongada e seu plano é inclinado em relação aos outros planetas.
 É completamente gelado (água congelada), com temperatura média de -220ºC.
 A atmosfera é formada, provavelmente, por metano, podendo haver também nitrogênio e CO².

Satélites:

 Satélites naturais → astros que giram em torno dos planetas. Ex: Lua.
 Satélites artificiais → colocados em órbita ao redor da Terra.

Asteróides:

 Pequenos corpos celestes que parecem grandes rochas e se formaram durante a origem do
sistema solar. Grande parte está localizada entre Marte e Júpiter no Cinturão de Asteróides.

Cometas:

 Pequenos fragmentos que restaram da formação do sistema solar nas áreas mais externas. Ex:
Halley.
 Quando sua órbita é perturbada pela atração gravitacional dos corpos celestes, esse se move
para dentro do sistema solar.

6ª ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL II CIÊNCIAS – UNIVERSO


Centro Educacional ROSA CHAMMA
Formando alunos e cidadãos completos

 Os cometas possuem uma parte sólida: núcleo (rocha, gelo e gases congelados). Quando se
aproximam do Sol, o gelo do núcleo sublima (sólido → gasoso) e há liberação de gás e poeira
formando a cabeleira em volta do núcleo e uma ou mais caudas, que geralmente é brilhante.

Meteoróides, Meteoros e Meteoritos:

 Meteoróides → fragmentos de matéria que ainda estão fora da atmosfera terrestre.


 Meteoros → fragmentos de matéria que ao entrarem na
atmosfera terrestre se aquecem produzindo um fenômeno luminoso (“estrela cadente”).
 Meteoritos → fragmentos maiores que não são totalmente destruídos e também caem na Terra.

Explorando o espaço:

 Graças a invenção de alguns aparelhos, tornou-se possível a visualização do espaço:


 Telescópio → captam a luz.
 Radiotelescópio → captam ondas de rádio emitidas por estrelas, etc.
 Telescópios espaciais → estão livre da turbulência atmosférica.
 Satélites artificiais → podem fotografar e transmitir as informações.
 Foguetes espaciais → são impulsionados pela combustão de um gás, geralmente o Hidrogênio.
 Sondas espaciais → veículos sem tripulação guiados por sinais de rádio da Terra.
 Naves espaciais → veículos com tripulação que coletam amostras de solo.
 Ônibus espaciais → leva e traz tripulantes.
 Estações espaciais → ficam em órbita com astronautas.

Existe vida em outros planetas?

 Para que exista vida como nós conhecemos os outros planetas precisam ter condições mínimas
necessárias para essa existência.
 Muitos deles tem altas temperaturas, não tem água, a atmosfera não contém oxigênio, etc.
 Muitos estudos tem sido realizados em Marte, porém, até agora nada foi comprovado sobre a
existência de algum tipo de vida.
 Muitos cientistas acreditam que exista vida em outras galáxias. Porém, o Universo é muito
grande, portanto é difícil de se saber.
 Se houver vida inteligente em outro planeta, nós poderíamos captar com o auxílio do
radiotelescópio.

A Terra e seu satélite


A Lua e suas características:

 Não tem atmosfera.


 Não tem água.
 Não tem vida.
 Não há vulcões, porque sua parte interna não apresenta magma.
 Na Lua existem muitas crateras que são formadas pelo impacto dos corpos celestes do passado.
 Encontramos regiões chamadas mares.
 Possui os movimentos de rotação e translação. Com o tempo os dois movimentos coincide, por
isso ela tem sempre o mesmo lado (ou face) voltado para a Terra. O outro lado fica oculto.
 Não possui luz própria: ela reflete a luz do Sol. A iluminação que recebe do Sol varia e partes
diferentes dela ficam claras ou escuras, à medida que percorre sua órbita. Por tudo isso, quando
vista aqui da Terra, a Lua apresenta diversos aspectos no decorrer de seu trajeto. Esses diversos
aspectos são chamados fases da Lua.
 As fases da Lua são:

6ª ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL II CIÊNCIAS – UNIVERSO


Centro Educacional ROSA CHAMMA
Formando alunos e cidadãos completos

• Lua Nova – Num certo ponto de sua trajetória, a Lua ocupa uma posição em que sua
metade iluminada pelo Sol fica totalmente oposta à Terra. Por isso a Lua não pode ser
vista no céu.
• Lua crescente – Quando a Lua muda a sua posição em relação à Terra, a parte dela
voltada para nós começa a receber luz do Sol, e uma região cada vez maior fica
iluminada. A Lua é vista em forma de C.
• Lua Cheia – Á medida que a Lua segue sua trajetória, a região iluminada vai
aumentando, até que a Lua fica em posição oposta à do Sol em relação à Terra. A face
da Lua voltada para a Terra fica então toda iluminada.
• Lua Minguante – Continuando na sua trajetória, a parte iluminada voltada para a Terra
vai diminuindo. Com isso, apenas a metade da face da Lua vista da Terra fica iluminada.
A Lua aparece no céu na forma de D.

 A Lua é a principal causa do fenômeno das marés. A força de atração entre a Terra e a Lua e
entre o Sol e a Terra provoca a subida e a descida do nível das águas do mar.

Os eclipses

Quando um corpo celeste passa na frente de outro, acontece o que chamamos de eclipse. Nos
dois tipos de eclipses o que acontece é que o Sol, a Terra e a Lua estão alinhados. O que muda é a
posição de cada um.
No eclipse lunar, a Terra fica entre o Sol e a Lua. É quando vemos no céu a Lua ser encoberta
pela sombra da Terra. No eclipse solar, a Lua passa entre o Sol e a Terra, projetando sua sombra
sobre a Terra. O eclipse pode ser total ou parcial. No eclipse total da Lua, a Terra encobre a Lua com
sua sombra. Mesmo assim, a Lua não fica "no escuro", porque os raios solares que incidem sobre a
Terra são desviados pela atmosfera e acabam iluminando a Lua. No eclipse total lunar, a Lua ganha
uma cor avermelhada.
O eclipse total do Sol ocorre quando a Lua encobre completamente o Sol. Nas regiões onde o
eclipse é visível, o dia escurece e, como não há luz do Sol, dá para ver no céu os planetas e as estrelas
mais brilhantes.

6ª ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL II CIÊNCIAS – UNIVERSO