Você está na página 1de 46

UNIVERSIDADEEDERALDERORAIMA

FaculdadedeArquitetura-UFRR

ProjetoI2015.1Prof.Arq.FelipeMelodeSouza

ProjetoI – 2015.1 – Prof.Arq.FelipeMelodeSouza ARQUITETURA RESIDENCIAL Severiano Porto Débora G. Pires
ARQUITETURA RESIDENCIAL Severiano Porto
ARQUITETURA RESIDENCIAL
Severiano Porto

Débora G. Pires

* BIOGRAFIA*

SEVERIANO MÁRIO VIEIRA DE MAGALHÃES PORTO nasceu em

Uberlândia-MG em 1928, mas

mudou-se ainda muito jovem para

o Rio de Janeiro, onde viveu boa parte de sua vida. Esta fora

cidade onde cursou

arquitetura,

também

do

Brasil, entre os anos de 1950 e 1954, universidade de onde

também saíram outros

importantes nomes como

a

Universidade

na

Niemeyer e Affonso Reidy.

saíram outros importantes nomes como a Universidade na Niemeyer e Affonso Reidy. IMAGEM 1 – Severiano

IMAGEM 1 Severiano Porto

* BIOGRAFIA*

* BIOGRAFIA* IMAGEM 2 – Catedral de Brasília • contexto arquitetônico favorável, a arquitetura moderna

IMAGEM 2 Catedral de Brasília

contexto arquitetônico favorável, a arquitetura moderna brasileira

encontrava-se em destaque,

eram tempos de glória e prestígio;

nova

capital

a

A

construção

para

de

uma

país

(1657

o

1960), deu ainda mais ênfase;

* BIOGRAFIA*

1964, ocorre um golpe Militar;

Período de repressão cultural afeta a produção arquitetônica;

Muitos arquitetos saem dos grandes centros, alguns, em fuga

do regime militar, e outros a serviço dos planos de integração

nacional;

e outros a serviço dos planos de integração nacional; IMAGEM 3 - Tanques circulando pelo Rio

IMAGEM 3 - Tanques circulando pelo Rio de Janeiro, em 1º de abril de 1964.

“Esta peregrinação de arquitetos por todo o pais

revelou uma crescente aproximação ao ambiente

e à população local, numa atitude de maior respeito ao regionalismo geográfico. Além da

maior valorização das características locais.”

(NEVES 2006)

* BIOGRAFIA*

1965-Severiano Porto foi convidado a desenvolver

projetos no Estado do Amazonas;

Foram 36 anos dedicados ao Estado. Mas desde

2001 Severiano mora no Rio de Janeiro;

* BIOGRAFIA*

Projetou obras importantíssimas

 

como o Estádio Vivaldo Lima (1965), o Campus da UFAM

(1970/1980), e a Pousada na de Silves( 1979/1983);

Ilha

IMAGEM 4 Estádio Vivaldo Lima

   

IMAGEM 5 Pousada na ilha de Silves

*RESIDÊNCIAS* Severiano*Porto
*RESIDÊNCIAS*
Severiano*Porto

Débora G. Pires

* Casa Robert Schuster*

* Casa Robert Schuster*

Robert Schuster, topografo austríaco, trabalhou por vários anos com Severiano Porto no Amazonas;

O terreno fica em um loteamento rural com grandes áreas de

vegetação densa e alta, às margens do Igarapé do Mariano, afluente do Rio Tarumã - Manaus. Isso resultava em um ambiente bastante sombrio, em que o sol praticamente não atingia o solo;

do Rio Tarumã - Manaus. Isso resultava em um ambiente bastante sombrio, em que o sol

* Casa Robert Schuster*

O

partido

arquitetônico

consistia

em

estar

atento

as

condições climáticas

locais

e

preservar

ao

máximo

a

vegetação original. Por isso, a habitação se eleva do solo,

a

permitindo

necessidade de retirada da vegetação;

melhor

ventilação

reduzindo

uma

e

* Casa Robert Schuster*

GEOMETRIA DA FORMA DA OCUPAÇÃO

* Casa Robert Schuster* • GEOMETRIA DA FORMA DA OCUPAÇÃO IMAGEM 6 – Geometria da forma
* Casa Robert Schuster* • GEOMETRIA DA FORMA DA OCUPAÇÃO IMAGEM 6 – Geometria da forma

IMAGEM 6 Geometria da forma de ocupação - térreo

SUNTRAÇÕES

* Casa Robert Schuster*

GEOMETRIA DA FORMA DA OCUPAÇÃO - térreo

Schuster* • GEOMETRIA DA FORMA DA OCUPAÇÃO - térreo IMAGEM 6 – Geometria da forma de

IMAGEM 6 Geometria da forma de ocupação - térreo

• GEOMETRIA DA FORMA DA OCUPAÇÃO - térreo IMAGEM 6 – Geometria da forma de ocupação

Bloco principal

* Casa Robert Schuster*

GEOMETRIA DA FORMA DA OCUPAÇÃO Pavimento I

• GEOMETRIA DA FORMA DA OCUPAÇÃO – Pavimento I BLOCO PRINCIPAL ANEXO IMAGEM 7 – Geometria

BLOCO PRINCIPAL

ANEXO

* Casa Robert Schuster* • VOLUMETRIA
* Casa Robert Schuster*

* Casa Robert Schuster*

* Casa Robert Schuster* • VOLUMETRIA
• VOLUMETRIA

VOLUMETRIA

* Casa Robert Schuster* • VOLUMETRIA RETÂNGULOS TRIÂNGULO CUBOS VAZIOS IMAGEM 8 – Volumetria

RETÂNGULOS

TRIÂNGULO

CUBOS

VAZIOS

IMAGEM 8 Volumetria

* Casa Robert Schuster*

FACHADA LESTE

FRONTAL

* Casa Robert Schuster* • FACHADA LESTE • FRONTAL IMAGEM 9 – Geometria da forma de
* Casa Robert Schuster* • FACHADA LESTE • FRONTAL IMAGEM 9 – Geometria da forma de

IMAGEM 9 Geometria da forma de ocupação - pav, I

* Casa Robert Schuster*

FACHADA NORTE

LATERAL DIREITA

* Casa Robert Schuster* • FACHADA NORTE • LATERAL DIREITA IMAGEM 10 – Geometria da forma

IMAGEM 10 Geometria da forma de ocupação - pav I

* Casa Robert Schuster*

FACHADAS SUL lateral esquerda

Robert Schuster* • FACHADAS SUL – lateral esquerda IMAGEM 11 – Geometria da forma de ocupação
Robert Schuster* • FACHADAS SUL – lateral esquerda IMAGEM 11 – Geometria da forma de ocupação

* Casa Robert Schuster*

FACHADAS OESTE

FACHADA POSTERIOR

* Casa Robert Schuster* • FACHADAS OESTE • FACHADA POSTERIOR IMAGEM 13 – Geometria da forma

IMAGEM 13 Geometria da forma de ocupação - pav I

* Casa Robert Schuster*

CORTE

* Casa Robert Schuster* • CORTE

* Casa Robert Schuster*

* Casa Robert Schuster* • PLANTA TÉRREA 1 – Copa 2 – Banheiro e Depósito

PLANTA TÉRREA

1 Copa 2 Banheiro e Depósito

* Casa Robert Schuster*

PLANTA PRIMEIVO PAVIMENTO

* Casa Robert Schuster* • PLANTA – PRIMEIVO PAVIMENTO 2 – Banheiros 3-Quartos 4-Varanda 5-Cozinha 6-Sala

2 Banheiros 3-Quartos 4-Varanda 5-Cozinha 6-Sala de Estar e Jantar

* Casa Robert Schuster*

PLANTA SEGUNDO PAVIMENTO

* Casa Robert Schuster* • PLANTA – SEGUNDO PAVIMENTO 4-Varanda

4-Varanda

* Casa Robert Schuster*

* Casa Robert Schuster* • COBERTURA • A cobertura foi feita em cavacos de madeira pregados

COBERTURA

A cobertura foi feita em cavacos de madeira

pregados sobrepondo-se.

Beirais amplos;

Forro em tiras de

madeira na parte íntima;

* Casa Robert Schuster*

ESTRUTURA

A residência tem toda sua estrutura feita em

madeira, são Lajes, vigas e pilares fabricados com

madeira lavrada própria

da região;

Pilotis no térreo;

* Casa Robert Schuster*

A casa possui vários níveis, já que a solução vertical adotada

reduziria

ao

mínimo

já que a solução vertical adotada reduziria ao mínimo IMAGEM 14 – Planta baixa a área

IMAGEM 14 Planta baixa

a

área

destinada

a

construção

(cerca de 213 m²).

Os níveis ocorrem em torno de

um grande vazio central que

promove uma circulação de ar e a integração dos ambientes;

* Casa Robert Schuster*

ABERTURAS E

Soluções de ventilação:

Uma grande quantidade de janelas ;

vedações de muxarabi;

Esquadrias de venezianas que

direcionam o fluxo de ar;

forro colocado a uma distancia razoável do telhado (ático);

que direcionam o fluxo de ar; • forro colocado a uma distancia razoável do telhado (ático);
que direcionam o fluxo de ar; • forro colocado a uma distancia razoável do telhado (ático);

IMAGEM 15 Muxarabis

que direcionam o fluxo de ar; • forro colocado a uma distancia razoável do telhado (ático);

* Casa Robert Schuster*

ACESSOS

* Casa Robert Schuster* • ACESSOS

* RESIDENCIA DO ARQUITETO* - 1979

* RESIDÊNCIA DO ARQUITETO*

Ao nos propormos a projetar e construir nossa própria casa, procuramos chegar a uma solução que a além de atender as

condições ecológicas da região, pudesse integrá-la quase que

espontaneamente ao terreno, com as colunas de tronos de maçarandubas e itauba saindo diretamente do gramado que

chega até as paredes como também utilizar a mão de oba

local em toda a sua plenitude. (Severino Porto in PRÊMIO, 1971).

* RESIDÊNCIA DO ARQUITETO*

PROPOSTA Os cômodos principais da

residência se desenvolvem em

torno de um grande jardim interno de pé direito duplo, vazado na

parte superior;

*RESIDÊNCIA DO ARQUITETO*

GEOMETRIA DA FORMA DA OCUPAÇÃO - térreo

Bloco principal

Jardim

Varanda

Anexo

DA OCUPAÇÃO - térreo Bloco principal Jardim Varanda Anexo IMAGEM 18 – Geometria da forma de
DA OCUPAÇÃO - térreo Bloco principal Jardim Varanda Anexo IMAGEM 18 – Geometria da forma de
DA OCUPAÇÃO - térreo Bloco principal Jardim Varanda Anexo IMAGEM 18 – Geometria da forma de

IMAGEM 18 Geometria da forma de ocupação - térreo

*RESIDÊNCIA DO ARQUITETO*

GEOMETRIA DA FORMA DA OCUPAÇÃO - térreo

Bloco principal

Anexo

DA FORMA DA OCUPAÇÃO - térreo Bloco principal Anexo IMAGEM 19 – Geometria da forma de

IMAGEM 19 Geometria da forma de ocupação - térreo

*RESIDÊNCIA DO ARQUITETO*

VOLUNE

IMAGEM 20 Geometria da forma de ocupação - térreo

*RESIDÊNCIA DO ARQUITETO*

FACHADA lESTE

LATERAL ESQUERDA

IMAGEM 21 Geometria da forma de ocupação - térreo

*RESIDÊNCIA DO ARQUITETO*

FACHADA NORTE

FRONTAL

IMAGEM 22 Geometria da forma de ocupação - térreo

*RESIDÊNCIA DO ARQUITETO*

FACHADA SUL

posterior

* RESIDÊNCIA DO ARQUITETO * • FACHADA SUL • posterior

*RESIDÊNCIA DO ARQUITETO*

FACHADA NORTE

FRONTAL

IMAGEM 22 Geometria da forma de ocupação - térreo

*RESIDÊNCIA DO ARQUITETO*

FACHADA OESTE

LATERAL DIREITA

* RESIDÊNCIA DO ARQUITETO * • FACHADA OESTE • LATERAL DIREITA

*RESIDÊNCIA DO ARQUITETO*

Corte

* RESIDÊNCIA DO ARQUITETO * • Corte

* RESIDÊNCIA DO ARQUITETO*

COBERTURA

A cobertura e toda de telhas de cimento amianto;

como a utilização de amplos beirais e varanda na fachada

oeste, que atenuam os efeitos da orientação desfavorável;

Na parte inferior da cobertura, painéis tipo muxarabi,

permitem circulação de ar pelo forro, e impedem a entrada de animais;

* RESIDÊNCIA DO ARQUITETO*

MATERIAIS

A residência, a critério do próprio Severiano Porto, deveria ser

construída com rapidez e baixo custo. Para tanto, a escolha da

madeira como principal material contribuiu muito para a realização

desses dois objetivos de projeto com redução de cerca de 25% dos

custos com relação a outras casas e foi construída dentro de um período de 6 meses.

* RESIDÊNCIA DO ARQUITETO*

MATERIAIS

A casa foi praticamente toda estruturada com madeira. Lajes

e pranchas, com o tipo sucupira, e nas colunas maçaranduba.

Boa parte da madeira usada na obra foi trazida e lavrada da mata, sofrendo cortes e acertos para preparo dos encaixes

no local da obra;

E lajes de concreto e paredes de alvenaria (banheiro do segundo pavimento);

Elementos vazados de concreto foram feitos no próprio canteiro de obra;

* RESIDÊNCIA DO ARQUITETO*

PISOS

O piso do pavimento térreo é de lajotas cerâmicas e o

do pavimento superior é de pranchões de madeira.

* RESIDÊNCIA DO ARQUITETO*

Aberturas:

Um painel fixo de venezianas horizontais (lambris)

acima da garagem barra o sol e quebra o impacto da

chuva de vento, sem impedir a livre circulação do ar.

Em toda a área da sala e jardim interno foram

utilizados elementos vazados de concreto e rasgos

verticais e horizontais com basculantes de alumínio,

que visam garantir boa ventilação cruzada.