Você está na página 1de 10

______ ME

MADEIRA EMIGRANTE
- Serviço de Notícias Regionais -

Actualidades:

Madeira registou na última semana


as maiores chuvadas de sempre
A Ilha da Madeira registou na passada semana o maior índice de precipitação de
sempre, com a queda de 112 milímetros de água por metro quadrado no espaço de 24
horas.
Perante os números e as consequências do temporal, o presidente da Câmara
Municipal do Funchal diz que a cidade “aguentou-se bem”, salientando o trabalho que
vem a ser feito para evitar os problemas causados pelo mau tempo, tais como a
reflorestação das serras e a limpeza permanente das redes de águas pluviais e das
ribeiras.
Durante um ou dois dias, a Madeira esteve sob aviso vermelho com todos os serviços
de socorro - bombeiros, polícia, serviços camarários e de acção social – de prevenção.
Só no Funchal, as equipas de socorro, num total de 156 pessoas auxiliadas por 25
viaturas, acudiram a 75 situações de emergência.
Miguel Albuquerque, o presidente da autarquia, fala num prejuízo de 1,5 milhões de
euros causado na rede viária, com a queda de alguns muros de suporte. A este valor,
acresce os custos de reparação dos complexos balneares da Barreirinha, São Tiago,
Lido e Ponta Gorda que, naturalmente, foram fortemente fustigados pela “irritação” do
mar.
As fortes chuvadas e a enorme quantidade de precipitação que caiu encharcaram os
solos e, consequentemente, houve alguns aluimentos de terra que obrigaram ao
encerramento de algumas estradas no Funchal.
Um pouco por toda a Ilha, o Serviço Regional de Protecção Civil notificou o
encerramento de algumas estradas ao trânsito por motivos de limpeza,
designadamente em Santana, Porto da Cruz, Ribeira Brava e Campanário.

Câmara do Funchal com programa


de 3 milhões de euros para revitalizar comércio
A Câmara Municipal do Funchal e a Associação de Jovens Empresários da Madeira
(AJEM) têm, em conjunto, 3 milhões de euros para revitalizar as zonas da Nazaré e da
Estrada Monumental, ambas na cidade.
______ ME

O Programa de Sistemas de Incentivos de Revitalização Comercial (SIRE) é


financiado através do FEDER, pelo Intervir+, e gerido pelo Instituto de
Desenvolvimento Empresarial da Madeira. Tem como objectivos valorizar o espaço
público de intervenção, bem como contribuir para o dinamismo e qualificação
comercial, visando a diversificação e qualificação da oferta comercial assumindo
igualmente uma integração urbanística.
O Presidente da AJEM, Jaime Filipe Ramos, garantiu que mesmo que os empresários
estejam num período difícil devido à crise, "neste momento, e perante este quadro
este comunitário, importa aproveitar esta oportunidade. Uma oportunidade que não
deve ser desperdiçada porque no futuro poderá ser pior", afirmou. Em causa estão,
num levantamento feito pela AJEM, cerca de 150 empresas dos ramo de serviços e de
comércio, que podem vir a beneficiar deste programa.
Do total dos 2.964.000 euros disponibilizados, a componente privada é de 1.641.600
euros. A financiada pelo Sistema de Incentivos é de 1.140.000 euros e os restantes
182.400 euros são responsabilidade da câmara local.
Para o Presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Albuquerque, esta é uma
demonstração da política de proximidade que tanto "se quer nesta altura". "Neste
momento, queremos executar políticas de proximidade em conformidade com as reais
necessidades dos empresários, para evitar a realização de projectos em abstracto",
disse.
As entidades beneficiárias podem ser micro e pequenas empresas, e estruturas
associativas. As despesas elegíveis para as empresas passam por obras de
remodelação, aquisição de equipamentos e máquinas, aquisição de tecnologias de
informação e comunicação, entre outros critérios.

Mau tempo provoca derrocadas,


inundações e queda de árvores
As fortes chuvas que caíram durante a noite de terça-feira na Madeira provocaram
várias derrocadas, inundações, queda de árvores e de muros, mas não há registo de
danos pessoais. O concelho mais atingido pelo mau tempo é o de Santana, no norte
da Madeira, onde foram registados várias estradas cortadas devido a derrocadas nos
locais de Faial, Cruzinhas, São Roque do Faial e Arco de São Jorge, de acordo com
um contacto pelas corporações dos 11 concelhos da região.
Na cidade do Funchal, a parede de uma habitação caiu no Lombo da Quinta, em São
Gonçalo, devido a cedência do terreno, "mas não há danos pessoais", disse uma fonte
dos Bombeiros Municipais do Funchal.
______ ME

O Instituto de Meteorologia (IM) colocou, nesse dia, a Madeira sob aviso vermelho, o
mais grave, devido à precipitação e à intensidade do vento.
De acordo com o IM os períodos de chuva ou aguaceiros, seriam por vezes muito
fortes e acompanhados de trovoada e vento forte com rajadas que podem atingir os 70
quilómetros por hora nas regiões montanhosas.

Concelho de Santana foi dos mais afectados


pelo temporal e derrocadas isolam várias freguesias
O presidente da câmara de Santana, um dos concelhos mais afectados pelo temporal
que assolou a Madeira, disse que a "chuva caia a potes" no Norte da ilha, tendo
provocado derrocadas que isolaram temporariamente várias freguesias, mas "sem
razão para alarme".
Em declarações à agência Lusa, Rui Moisés adiantou que "a chuva forte que caia de
forma ininterrupta" provocou diversos deslizamentos que isolaram as freguesias da
Ilha, S. Jorge, Arco de S. Jorge e S. Roque do Faial, mas os acessos já foram
restabelecidos.
"Já todas as freguesias têm o acesso reposto, mas como continua a chover a
intervenção é perigosa porque os taludes estão instáveis", acrescentou, em
declarações proferidas na última terça-feira.
"Não há razão para alarme, mas não podemos actuar de forma mais imediata",
adiantou.
O presidente da Câmara referiu ainda que terça-feira foi dia de absentismo escolar" no
concelho, sendo que várias escolas da localidade estavam também encerradas, casos
da secundária de Santana e da do 1º ciclo de S. Roque do Faial, e as outras "estão a
funcionar a meio gás porque as condições das estradas não permitem a realização de
transportes municipais".
O autarca mencionou existirem casos de lama e inundações em residências, "sem
danos pessoais, situações que estão a ser avaliadas pela câmara e pelos serviços
sociais". "A nossa prioridade é a segurança da população e a abertura das estradas",
sublinhou.
As derrocadas estavam a afectar ainda a circulação nas estradas que ligam S.
Vicente, Seixal e Porto Moniz, na costa norte.
No concelho do Funchal também houve registo de estragos, designadamente na zona
do Vasco Gil, onde duas pessoas tiveram de ser realojadas por a chuva ter causado
danos nas fundações da habitação. No sítio do Vale Paraíso, na freguesia da
Camacha, concelho de Santa Cruz, a ribeira transbordou, provocando inundações em
algumas habitações e soterrou duas viaturas.
______ ME

A forte precipitação condicionou o movimento aéreo no Aeroporto Internacional da


Madeira, com quatro voos cancelados e seis que tiveram de mudar a rota, tendo
aterrado apenas três aviões, no último dia 2

Adiamento das Finanças Regionais


é só para movimentar aparelho do Governo contra a Madeira
O presidente do governo madeirense, Alberto João Jardim, acusou o PS de provocar a
"dilação no tempo" do processo de revisão da Lei das Finanças Regionais (LFR) "só
para ter tempo de movimentar o aparelho contra a Madeira".
Jardim convocou, na última sexta-feira, dia 29 de Janeiro, a comunicação social para
reagir a críticas do ministro das Finanças numa entrevista à RTP, durante a qual
acusou o Governo da Madeira de ser "despesista". O governante insular começou por
recusar fazer qualquer comentário sobre a revisão da LFR, "porque as coisas estão a
ser conduzidas".
Mas acrescentou que "tem de haver uma Lei das Finanças Regionais. Não vamos
trocar essa lei por uma inscrição no Orçamento de Estado de uma verba inferior à que
a Madeira tem direito e todos os
partidos reconheceram". "Não vamos continuar a adiar as coisas, visto tem isto que
ser esclarecido antes da lei do Orçamento de Estado", disse.
Jardim salientou que, no actual quadro, a posição da Madeira é "não dar qualquer
imagem de intransigência, de boicote a qualquer entendimento".
Contudo, o responsável do executivo regional, considerou que "o que se está a ver é
que dilação no tempo por parte do PS é só para ter tempo de movimentar o poderoso
aparelho contra a Madeira". Referiu nunca ter "ouvido o ministro das Finanças dizer
directamente que se demitia, os jornais disseram que o primeiro-ministro dizia que o
faria".
"Não temo eleições antecipadas, o país está farto disto, é importante que haja um
outro primeiro-ministro e um outro Ministro das Finanças", declarou o líder regional.
Jardim mencionou ainda que o Governo da República ao ter entrado nas negociações
para a revisão da Lei das Finanças Regionais apenas "meteu o bedelho" neste
assunto quando "ninguém lhes pediu nada".
O presidente do Governo Regional, que se demitiu em 2007, provocando eleições
antecipadas, utilizando como justificação a Lei das Finanças Regionais, garantiu que
se o processo de revisão do
diploma falhar agora em São Bento, "não há razões, em função da conjuntura, para se
demitir".
______ ME

Jardim concluiu ainda que o "Governo Regional espera que a oposição na Assembleia
da República, coerente com as posições anteriormente assumidas, vote em termos de
os portugueses verem se o primeiro-ministro e o ministro das Finanças se demitem,
conforme adiantado, a fim de Portugal respirar e ter esperança".

Polícia Judiciária identificou


menor suspeito de falsificar notas
A Polícia Judiciária (PJ) do Funchal anunciou no dia 1, ter identificado um menor
suspeito de falsificar notas de 20 euros.
Em comunicado, a PJ adianta ter também apreendido a impressora utilizada para o
fabrico das mesmas. A PJ acrescenta ter também identificado três suspeitos de terem
feito circular uma dezena de notas de vinte euros falsas, em diversos
estabelecimentos comercias na zona leste da cidade.
A PJ identificou e deteve ainda um indivíduo pela presumível autoria da prática do
crime de uso de documento de identificação alheio.O indivíduo, detido em flagrante
delito, é de nacionalidade estrangeira e tem 41 anos de idade.

Vigilantes da natureza desempenham


"papel único" no arquipélago
Os vigilantes da natureza desempenham na Madeira um "papel único" e o objectivo é
que sejam cada vez menos policias e se tornem mais comunicadores e "anfitriões",
afirmou o director do Parque Natural da Madeira.
Em declarações à agência Lusa, Paulo Oliveira falava a propósito Dia Nacional do
Vigilante da Natureza que se assinalou terça-feira, dia 2, com uma conferência no
Funchal. Este responsável referiu que a Madeira tem presentemente um corpo de
vigilantes composto por 34 elementos e "era bom que tivesse mais cinco, o que
permitiria não sobrecarregar os que estão ao serviço".
"O trabalho não fica por fazer e tem sido realizado com sucesso, o que acontece é que
lhes é exigido mais, o que não aconteceria com um corpo mais alargado", argumenta.
Para Paulo Oliveira, os vigilantes da natureza desempenham um papel "único e
importante" no arquipélago, sendo responsáveis por ajudar e fiscalizar nas diferentes
reservas naturais e áreas protegidas sob a tutela do Parque Natural, casos das Ilhas
Selvagens e Desertas, Porto Santo, Garajau, Rocha do Navio, Ponta de São
Lourenço.
Destaca que são ainda "agentes de conservação da natureza, dando apoio em todas
as áreas, como aos investigadores e colaboram nos projectos de conservação, de que
são exemplos o lobo-marinho e a Freira da Madeira.
______ ME

Além disso, dão também apoio logístico nas diferentes reservas, na manutenção dos
materiais ali colocados, referiu. "Mas há uma vertente das suas funções que se vai
exigir mais no futuro, que é serem comunicadores e anfitriões, um papel fundamental
na recepção, explicação e transmissão de valores aos visitantes das zonas
protegidas", sublinha. "Pretendemos que sejam cada vez menos polícias e mais
comunicadores, porque os vigilantes da natureza têm um papel único na região e são
uma peça complementar e importante no ramo da intervenção, dentro da panóplia das
forças e corpos que existem, como a Polícia Florestal", realçou.
A conferência que assinalou no Funchal a data da constituição do corpo de Vigilantes
da Natureza há 22 anos visou "dar a conhecer esta carreira profissional e alertar para
a importância que estes representam no mundo da conservação da natureza e da
biodiversidade, associado aos problemas que nos afecta a todos nós, as alterações
climáticas".
Contou com a participação do director do Parque Natural da Madeira, Paulo Oliveira, e
do secretário regional do Ambiente e Recursos Naturais, Manuel António Correia.

Projectos de conservação da natureza continuarão


a ser apoiados mesmo sem financiamentos internacionais
O secretário regional do Ambiente da Madeira prometeu que a região continuará a
apoiar os projectos de conservação da natureza em curso mesmo quando deixarem
de ter financiamento internacional.
Manuel António Correia falava na cerimónia comemorativa do Dia Nacional do
Vigilante da Natureza, ocasião em que anunciou que foi autorizado pela secretária
regional das Finanças madeirense, "apesar de todos os constrangimentos, a abertura
de um concurso para mais quatro elementos" deste corpo de profissionais no
arquipélago que é presentemente constituído por 34 pessoas.
O governante salientou que os vários projectos de conservação em curso, casos do
lobo-marinho e da freira da Madeira, "não vão acabar quando findarem os
financiamentos internacionais e continuarão porque são opções de fundo do povo
madeirense". Manuel António Correia argumentou que para dar continuidade este tipo
de trabalho, se for necessário, a Madeira "vai bater a outras portas e suportá-lo com
meios próprios".
Realçou que tem sido realizado um "trabalho intenso nestas áreas, mas discreto, que
vai ser rentabilizado e valorizado", mencionando que as comemorações do Ano
Internacional da Biodiversidade são uma oportunidade para dar visibilidade a estes
projectos que "poderão ter agora atenção redobrada".
______ ME

Manuel António Correia destacou a importância do reforço do corpo de vigilantes da


natureza neste arquipélago, visto que a conservação é "uma área crucial para a
região".
Falou destes profissionais como "autênticos amantes da natureza" e elogiou o seu
desempenho, esforço, abnegação e os bons resultados do trabalho que
desempenham. Nesta cerimónia foi atribuído um "elogio" colectivo ao corpo de
vigilantes madeirenses que "ao longo dos tempos têm sido a face operacional, pela
forma com o trabalham unidos" e dois louvores, um a Jacques da Mata pelo seu
"trabalho de longevidade" e outro a Luís Amberto Silva por se destacar mundialmente
pelos seus conhecimentos técnicos e apoio a inúmeros projectos científicos.

Economia:

Casal dinamarquês homenageado


pelas 35 viagens efectuadas à Madeira
O Governo Regional da Madeira, através da Secretaria Regional do Turismo e
Transportes, homenageou esta semana, no Funchal, um casal de dinamarqueses que
visita a Ilha pela 35º vez.
Na origem da atracção que o casal sente pela Madeira estão o clima, a amabilidade
das pessoas e o vinho Madeira.
Desde a primeira viagem em 1984, estes dinamarqueses sempre ficaram hospedados
no mesmo hotel, durante dez dias, na zona do Lido, onde gostam de passear à noite e
conversar com as pessoas que encontram pela rua.
“Para nós é agradável saber que há clientes que gostam da nossa Região. Por outro
lado, há aqui clientes que nos trazem avaliações para acompanharmos e seguirmos. A
senhora do casal disse que gosta de encontrar madeirenses, quando faz passeios a
pé, e que estes mostram vontade de ajudar e interagir”, disse a secretária regional do
Turismo, Conceição Estudante, no acto de homenagem.
Perante estes indicadores, a governante acredita na consolidação dos valores de
captação de turistas nos mercados nórdicos e, por isso mesmo, continua o trabalho de
promoção e a presença nas feiras de turismo.

Cultura:

Santana abre festas de carnaval


depois de vários dias de temporal
______ ME

A “Festa dos Compadres”, que se realiza na Cidade de Santana e que todos os anos
atrai largas centenas de madeirenses e turistas, abre as festividades do Carnaval na
Região, desta vez incluindo fogo-de-artifício e cortejo alegórico.
O evento é da responsabilidade da Câmara Municipal de Santana e este ano será
alargado a dois dias. No primeiro dia, haverá o passeio no centro da cidade das
comadres e compadres, o “Cortejo Folião”, animação musical e cerimónia de entrega
de prémios. No domingo, o Cortejo Etnográfico percorre as principais ruas do centro
da cidade, seguido da já bem conhecida “Sentença dos Compadres”.
A “Festa dos Compadres” deste ano fica marcada pelo temporal que assolou todo o
Concelho de Santana ao longo desta semana, o que levou o presidente da Câmara,
Rui Moisés, a considerar “brutal” o volume prejuízos registados.
As fortes e intensas chuvas que caíram em Santana provocaram quedas de árvores e
pedras, deslizamentos de terras e o fecho de estradas, obrigando a autarquia a
colocar no terreno cerca de 25 máquinas de limpeza e retroescavadoras para proceder
à reposição da normalidade
“Estamos numa altura em que é preciso que a normalidade impere no concelho e as
pessoas retomem os seus trabalhos. Estamos a inventariar e a fazer com que as
pessoas compreendam que há prioridades”, salientou o jovem autarca.
O temporal dos últimos dias devastou várias localidades do Concelho de Santana.
“Temos graves prejuízos em estradas, taludes, casas, garagens, carros. Não há
memória de um prejuízo tão grande no município, dizem os mais antigos. Há mais de
40 anos que não acontecia algo com esta intensidade”, explicou Rui Moisés.

Escritor José Eduardo Agualusa


fala no Funchal do novo romance
O escritor José Eduardo Agualusa vai publicar em breve um novo romance que versa
a “construção da Língua Portuguesa” e cuja história “passa-se nos diversos territórios
de expressão portuguesa”.
Agualusa, que foi o orador convidado de uma conferência que teve lugar no Arquivo
Regional da Madeira, revelou que o livro deverá sair em meados de Outubro ou
Novembro deste ano.
Falando do novo acordo ortográfico, o escritor angolano diz nunca ter entendido “a
dimensão da polémica”, considerando que esta é uma questão pouco importante e
que “não vai afectar a vida das pessoas”.
José Eduardo Agualusa considerou mesmo “uma polémica ridícula” e que apenas tem
efeitos “em termos políticos” para países como Angola e Moçambique, “que importam
livros de Portugal e do Brasil e não exportam”.
______ ME

“O Acordo Ortográfico tem apenas que ver, como o próprio nome indica, com a
ortografia e não com as variantes linguísticas”, desvalorizou o escritor, referindo que “o
facto de haver uma ortografia única no território português não quer dizer que os
madeirenses, alentejanos ou a gente do Porto não continuem a falar da mesma
maneira”.

Desporto:

Club Sports Madeira assinala


50 anos de Rali Vinho Madeira
A Comissão Organizadora do Rali Vinho Madeira realiza na noite deste sábado uma
cerimónia de entrega de medalhas alusivas aos “50 Anos da Volta à Ilha – Rali Vinho
Madeira”.
Inserido ainda nas comemorações do centenário do Club Sports Madeira e das bodas
de ouro do Rali Vinho Madeira, o evento reveste-se de uma carácter muito particular
na exacta medida em que a 50ª edição do Rali Vinho Madeira revelou-se uma das
mais competitivas de sempre, não só pela presença de diversas marcas oficiais, mas
também pela inscrição de pilotos consagrados a nível mundial.
O presidente da direcção do Club Sport Madeira e da Comissão Organizadora do Rali
Vinho Madeira, Paulo Fontes, disse ao Jornal da Madeira que esta iniciativa visa
“distinguir os colaboradores, participantes e sponsors que abrilhantaram a edição de
ouro do rali Vinho Madeira e os 100 anos do clube”.
Paulo Fontes salientou ainda o objectivo de distinguir também os melhores pilotos da
Região ao longo das últimas 30 edições, altura em que o Rali Vinho Madeira passou a
integrar o Campeonato da Europa.

Marítimo volta a vencer


e devolve Leixões à crise
O Marítimo regressou aos triunfos na Liga portuguesa de futebol, após quatro
derrotas, ao vencer no terreno do Leixões, por 2-1, em jogo que encerrou a 17.ª
jornada da Liga de futebol.
Em queda desde a 13.ª jornada, a equipa insular voltou a vencer e fê-lo fora de casa,
algo que só tinha sucedido uma vez, deixando o conjunto de José Mota no penúltimo
lugar da classificação, com 14 pontos, apenas mais três do que o último, o
Belenenses.
Depois da vitória precisamente no Restelo, após oito jornadas sem ganhar, a equipa
de Matosinhos regressou aos maus resultados, apesar de ter começado melhor,
______ ME

inaugurando o marcador logo aos 4 minutos, por Hugo Morais, que marcou o quinto
golo no campeonato.
No entanto O Marítimo acabou por dar a volta ao resultado com golos de Diakité e
Kléber, aos 11 e 19 minutos, respectivamente, o segundo dos quais marcado quando
estava já em superioridade numérica.
O árbitro Paulo Costa expulsou Caué, aos 14 minutos, deixando o Leixões reduzido a
10 unidades durante 76 minutos, mas Diakité também viu o cartão vermelho, por
acumulação de amarelos, e as peças reequilibraram-se aos 60 minutos.
Com este triunfo, o Marítimo subiu para o 8.º lugar, com 22 pontos, ultrapassando na
tabela classificativa o Rio Ave, que soma 20 pontos, e ficando a um ponto do 7.º, o
Vitória de Guimarães.

Marítimo com mais três


reforços no "mercado"
O Marítimo confirmou um vínculo laboral com mais três reforços, o defesa francês
Jeremy Sapina, o guarda-redes polaco Mateusz Bak e o avançado finlandês Hermanni
Vuorinen.

FC Porto goleia Nacional


e continua perseguição aos da frente
O FC Porto continua na perseguição ao líder Sporting de Braga e ao Benfica, ao
golear na Madeira o Nacional, por 4-0, em jogo da 17.ª jornada da Liga de futebol.
Varela (30, de grande penalidade, e 85 minutos) e Falcão (45 e 62) marcaram os golos
dos tetracampeões nacionais, que estão a seis pontos do líder Sporting de Braga e a
três do Benfica.

**MADEIRA EMIGRANTE – FIM – 6 DE JANEIRO DE 2010**