Você está na página 1de 2

12/05/2015

RevistaCult»AdemocraciaparaalémdoEstadodedireito?

​ RevistaCult»AdemocraciaparaalémdoEstadodedireito? A ssine 08007033000 SAC Bate­papo E­mail
​ RevistaCult»AdemocraciaparaalémdoEstadodedireito? A ssine 08007033000 SAC Bate­papo E­mail

BUSCAR

MarciaTib u ri WelingtonAndrade OficinaLiterária naCult TVCULT naWeb EspaçoCULT LojaCULT Home >
naCult TVCULT
naCult
TVCULT
naWeb EspaçoCULT
naWeb
EspaçoCULT

Home >Edições >137 >AdemocraciaparaalémdoEstadodedireito?

AdemocraciaparaalémdoEstadodedireito?

OdesafiodepensarademocraciaemtudoaquiloqueseencontraàmargemdoEstadode

VladimirSafatle

MasoEstadodemocráticoexcedeoslimitestradicionalmenteatribuídosaoEstadodedireito.

Experimentadireitosqueaindanãolheestãoincorporados,éoteatrodeumacontestaçãocujo

objetonãosereduzàconservaçãodeumpactotacitamenteestabelecido,masqueseformaa

partirdefocosqueopodernãopodedominarinteiramente.”Quemdizessasfrasesnãoéum

adeptodaesquerdarevolucionáriaqueestariaàprocuradomelhormomentoparasolaparas

basesdoEstadodedireito.EssassãofrasesdeClaudeLefortemAinvençãodemocrática:um

livrolargamentededicado,aocontrário,àcríticadassociedadesburocráticasnoantigoLeste

Europeu.Nessasfrases,estãosintetizadasalgumasreflexõesmaioressobrearelação

intrincadaentrejustiçaedireito.Relaçãoqueultimamentetendemosaignorar,comosetudo

aquiloqueacontecesseàmargemdoEstadodedireitofossenecessariamenteilegale

profundamenteanimadodepremissasantidemocráticas.Poistalveztenhamosperdidoa

capacidadedepensarqualosentidodestademocraciaque“excedeoslimitestradicionalmente

atribuídosaoEstadodedireito”.Umpontodeexcessoquesemostrou,aolongodahistória

contemporânea,ummotorfundamentaldasdinâmicasdopolítico.

Talveztenhamosperdidoacapacidadedepensarademocraciacomopontodeexcessoem

relaçãoaoEstadodedireitoporqueacreditamosquetudooquesecolocaforadoEstadode

direitosópoderiaterpartecomomaisclarototalitarismo.QuemestáforadoEstadodedireito

parecesecolocaremumaposiçãosoberana,posiçãodestesquepoderiamnãosesubmeterà

lei,modificarcontinuamentealeiaobel­prazerdoscasuísmosecircunstâncias.Vemosapenas

doiscandidatosocupandoessaposição:ocriminosoqueviolaabertamentealeiquegarantea

segurançadoEstadodedireitoou(eaíascoisascomeçamasecomplicar)olegisladorque

afirmaque,emsituaçõesdeexceção,comoemcasodeguerra(massabemoshojecomoécada

vezmaiscomplicadodistinguirestadodeguerraeestadodepaz)oudecrise(massabemos

hojecomohásempreumacrisegraveàespreita),certosdispositivoslegaispodemser

Noentanto,épossívelqueexistaumterceirocasodeexcessoemrelaçãoaoEstadodedireito,

umexcessomuitobempostoporJacquesDerridapormeiodaseguinteafirmação,que

encontramosemForçadelei:“Querologoreservarapossibilidadedeumajustiça,oudeuma

lei,quenãoapenasexcedaoucontradigaodireito,masquetalveznãotenharelaçãocomo

direito,oumantenhacomeleumarelaçãotãoestranhaquepodetantoexigirodireitoquanto

excluí­lo”.Pode,pois,ajustiçanãoapenasexcederodireito,masmantercomeleumarelação

tãoestranhaquepareçasecolocaremumaindiferençasoberana?Gostariadeinsistirqueessa

possibilidade,longedesolaparefragilizarademocracia,éoqueafundaeafortalece.Pois

essapossibilidadeéumoutronomeparaaquiloquenormalmentechamamosde“política”.

Conhecemossituaçõesnasquaisajustiçasedissociadodireito.Trata­sedesituaçõesnasquais

nosdeparamoscomum“Estadoilegal”.Mesmoatradiçãopolíticaliberaladmite,aomenos

desdeJohnLocke,odireitoquetodocidadãotemdesecontraporaotirano,delutardetodas

asformascontraaquelequeusurpaopodereimpõeumEstadodeterror,decensura,de

suspensãodasgarantiasdeintegridadesocial.Nessassituações,ademocraciareconheceo

direitoàviolência,jáquetodaaçãocontraumgovernoilegaléumaaçãolegal.

Valeapenainsistirnessaquestão.Podemosdizerqueumdosprincípiosmaioresque

constituematradiçãodemodernizaçãopolíticadaqualfazemosparteafirmaqueodireito

fundamentaldetodocidadãoéodireitoàrebelião.Nãocreiosernecessárioaquifazera

gênesedaconsciênciadaindissociabilidadeentredefesadoEstadolivreedireitoàviolência

contraumEstadoilegal.NoquedizrespeitoaoOcidente,ébemprovávelquesuaconsciência

nasçadaReformaProtestantecomanoçãodequeosvaloresmaiorespresentesnavidasocial

EDIÇÃO 201 EDIÇÕES ANTERIORES

EDIÇÃO 201

EDIÇÃO 201 EDIÇÕES ANTERIORES

EDIÇÕESANTERIORES

EDIÇÃO 201 EDIÇÕES ANTERIORES
EDIÇÃO 201 EDIÇÕES ANTERIORES http://revistacult.uol.com.br/home/2010/03/a­ d

12/05/2015

RevistaCult»AdemocraciaparaalémdoEstadodedireito?

podemserobjetodeproblematizaçãoecrítica.Elaestápresente,porsuavez,noartigo27da

DeclaraçãodosDireitosdoHomemedoCidadãode1793,documentofundadorda

modernidadepolítica.Artigoqueafirma:“quetodoindivíduoqueusurpeasoberaniaseja

assassinadoimediatamentepeloshomenslivres”.Aindahoje,elaaparecenoartigo20,

parágrafo4daConstituiçãoalemãcomo“direitoàresistência”(RechtzumWiderstreit).

EncontramosumdireitosimilarenunciadoemváriasConstituiçõesdeestadosnorte­

americanos(NewHampshire,Kentucky,Tennesse,CarolinadoNorte,entreoutros).De

maneirasintomática,issodemonstracomoaquelesqueprocuramtransformarosque

participaramdalutaarmadacontraoregimemilitarbrasileiroem“terroristas”colocam­se

Lembremosaindaquenãodevemoscompreenderaideiafundamentaldessedireitoà

resistênciasimplesmentecomoonúcleodedefesacontraadissoluçãodosconjuntosliberaisde

valores(direitoàpropriedade,afirmaçãodoindividualismoetc.).Naverdade,emseuinterior

encontramosaideiafundamentaldequeobloqueiodasoberaniapopular(etemostodoo

direitodediscutiroquedevemoscompreenderpor“soberaniapopular”)deveserrespondido

pelademonstraçãosoberanadaforça.Queademocraciadeva,pormeiodesseproblema,

confrontar­secomaquiloqueGiorgioAgambenchamade“oproblemadosignificadojurídico

deumaesferadeaçãoemsiextrajurídica”,ou,ainda,coma“existênciadeumaesferadaação

humanaqueescapatotalmenteaodireito”,queeladevaseconfrontarcomumaesfera

extrajurídica,masnemporissoilegal,eisalgoclaro.Poisdevemosinsistiraquique,mesmoem

situaçõesemquenãoestamosdiantedeum“Estadoilegal”,oproblemadadissociaçãoentre

Muitosgostamdedizerque,nointeriordademocracia,todaformadeviolaçãocontrao Estadodedireitoéinaceitável.Masese,longeserdeumaparatomonolítico,odireitoem sociedadesdemocráticasforumaconstruçãoheteróclita,emqueleisdeváriasmatizes convivemformandoumconjuntoprofundamenteinstáveleinseguro?Porexemplo,nossa

Constituiçãode1988nãoteveforçaparamudarváriosdispositivoslegaiscriadospela

Constituiçãototalitáriade1967.Aindasomosjulgadosportaisdispositivos.Nessesentido,não

seriamcertas“violações”doEstadodedireitocondiçõesparaqueexigênciasmaisamplasde

justiçasefaçamsentir?FoipensandoemsituaçõesdessanaturezaqueDerridaafirmavasero

direitoobjetopossíveldeumadesconstruçãoquevisaexporassuperestruturasque“ocultame

refletem,aomesmotempo,osinteresseseconômicosepolíticosdasforçasdominantesda

sociedade”.Quempodedizeremsãconsciênciaquetaisforçasnãoagirameagemparacriar,

reformaresuspenderodireito?Quempodedizeremsãconsciênciaqueoembatesocialde

forçasnadeterminaçãododireitoterminanecessariamentedamaneiramaisjusta?

Poressasrazões,ademocraciaadmiteocaráter“desconstrutível”dodireito,eelaoadmitepor

meiodoreconhecimentodaquiloquepoderíamoschamardelegalidadeda“violaçãopolítica”.

Pacifistasquesentamnafrentedebasesmilitaresafimdeimpedirquearmamentossejam

deslocados(afrontandoassimaliberdadedecirculação),ecologistasqueseguemnavioscheios

delixoradioativoafimdeimpedirqueelesejadespejadonomar,trabalhadoresquefazem

piquetesemfrenteafábricasparacriarsituaçõesquelhespermitamnegociarcommaisforça

exigênciasdemelhoriadecondiçõesdetrabalho,cidadãosqueprotegemimigrantessem­

papéis,ocupaçõesdeprédiospúblicosfeitasemnomedenovasformasdeatuaçãoestatal,

Antígonaqueenterraseuirmão:emtodosessescasosoEstadodedireitoéquebradoemnome

Noentanto,égraçasaaçõescomoessasquedireitossãoampliados,queanoçãodeliberdade

ganhanovosmatizes.Semelas,certamentenossasituaçãodeexclusãosocialseria

significativamentepior.Nessesmomentos,encontramosopontodeexcessodademocraciaem

relaçãoaodireito.Umasociedadequetemmedodessesmomentos,quenãoémaiscapazde

compreendê­los,éumasociedadequeprocurareduzirapolíticaaummeroacordoreferente

àsleisqueatualmentetemoseaosmodosqueatualmentetemosparamudá­las(comosea

formaatualdaestruturapolíticafosseamelhorpossível–levandoemcontaoqueéosistema

políticobrasileiro,pode­seclaramentecompreenderocaráterabsurdodacolocação).

Nofundo,estaéumasociedadequetemmedodapolíticaequegostariadesubstituí­lapela

polícia.Poisaviolaçãopolíticanadatemavercomatentativadedestruiçãofísicaousimbólica

dooutro,doopositor,comovemosnaviolênciaestatalcontrasetoresdescontentesda

populaçãoouemgolpesdeEstado.Antes,elaéaforçadaurgênciadeexigênciasdejustiça.É

claroquedevemoscompreendermelhoroquedevemoschamaraquide“justiça”.Nãosetrata

dealgumaformadeprincípioreguladorposto.Certamente,elaestámaisligadaàexperiência

materialdobloqueiodereconhecimentoedosofrimentosocialemrelaçãoàsimposições

produzidaspelascondiçõessocioeconômicasedisciplinaresdenossasformasdevida.

Notemoscomoasuspensãodaleiemnomedosofrimentosocialedobloqueiode

reconhecimentoéqualitativamentedistintadasuspensãodaleifeitaporpráticastotalitárias.

Poisasuspensãopolíticaéamaneiradedizerqueodireitoseenfraquecequandonãoémais

capazdereconhecersuasprópriaslimitações.Eissoéfeitoapartirdeumaoutraespéciede

“direito”(asaspassãoderigor)cujofundamento,comodiziaLefort,“nãotemfigura”,é

marcadoporum“excessofaceatodaformulaçãoefetivada”,oquesignificaquesua

formulaçãocontémaexigênciadesuareformulação.Ésóassumindoesseexcessoquea

i apodee xi st ir . Comente Compartilhar Imprimir Curtir 157pessoascurtiramisso.Sejaopr
imeiroentreseusamigos. ARTIGOS RELACIONADOS TWITTER Tweets Follow Revista Cult 5h @revistacult
imeiroentreseusamigos. ARTIGOS RELACIONADOS TWITTER Tweets Follow Revista Cult 5h @revistacult

TWITTER

Tweets Follow Revista Cult 5h @revistacult Parabéns, Rubem Fonseca, pelos 90 anos e mais 30
Tweets
Follow
Revista Cult
5h
@revistacult
Parabéns, Rubem Fonseca, pelos 90 anos e mais
30 livros publicados! pic.twitter.com/bvoblkJY3F
Expand
Marcia Tiburi
10 May
@marciatiburi
Ideologia da Maternidade. No meu blog da
@revistacult
revistacult.uol.com.br/home/2015/05/i…
Retweeted by Revista Cult
Expand
Tweet to @revistacult