Você está na página 1de 29
F RANZ WEISS MANN
F RANZ WEISS MANN
F RANZ WEISS MANN

F

RANZ
RANZ

WEISSMANN

F RANZ WEISS MANN
BIOGRA FIA - 1911 - Franz Weissmann nasceu na Áustria - 1921 - Chega ao
BIOGRA FIA - 1911 - Franz Weissmann nasceu na Áustria - 1921 - Chega ao
BIOGRA FIA - 1911 - Franz Weissmann nasceu na Áustria - 1921 - Chega ao
BIOGRA FIA - 1911 - Franz Weissmann nasceu na Áustria - 1921 - Chega ao

BIOGRAFIA

- 1911 - Franz Weissmann nasceu na Áustria

- 1921 - Chega ao Brasil com a família, fixando-se no interior de São Paulo

- 1939 - Ingressa na Escola Nacional de Belas Artes, onde estuda

Arquitetura e Pintura, permanece até 1941. Buscando um pensamento menos acadêmico do que o encontrado na Escola Nacional, passa a estudar desenho e escultura em pedra com August Zamoysk.

- 1944 - É convidado por Guignard, para participar da constituição da

primeira escola de arte moderna na cidade de Belo Horizonte, idealizada por Juscelino Kubitschek, na qual permanece até 1956, formando na cidade toda uma geração de artistas, à qual pertencem, entre outros, Amilcar de Castro, Farnese de Andrade e Mary Vieira. Nesta época desenvolve uma série de desenhos e modelagens figurativas.

BIOGRAFIA

- 1951 - Participou, no Rio, das atividades concretistas e da formação do Grupo Frente. Recebe o Prêmio Matarazzo de Escultura no Salão de Arte Moderna. Participa da 1ª Bienal Internacional de São Paulo. Conquista o 1° lugar no concurso de Monumento ao Pracinha, promovido pela Prefeitura de Belo Horizonte.

- 1959 - Assina junto com Amilcar de Castro, Ferreira Gullar, Lygia Clark, Lygia Pape, Reynaldo Jardim e Theon Spanudis, o Manifesto Neoconcreto. Parte em viagem para a Europa com a família . Participa da Konkrete Kunst, Remontagem da Exposição Internacional de Arte Concreta organizada por Max Bill. No final deste mesmo ano, volta com a família para o Brasil.

- 1960-65 - viajou pela Europa e Extremo Oriente, a partir daí, residindo em Paris, Roma e Madrid, desenvolvendo uma fase nova, expressionista, de chapas de metal amassado.

- 1965 - voltou ao Brasil, retornando pouco depois ao construtivismo.

nova, expressionista, de chapas de metal amassado. - 1965 - voltou ao Brasil, retornando pouco depois
nova, expressionista, de chapas de metal amassado. - 1965 - voltou ao Brasil, retornando pouco depois
nova, expressionista, de chapas de metal amassado. - 1965 - voltou ao Brasil, retornando pouco depois
nova, expressionista, de chapas de metal amassado. - 1965 - voltou ao Brasil, retornando pouco depois

BIOGRAFIA

- 1969 - Integra o grupo de artistas que se recusa a participar da X Bienal Internacional de São Paulo, em solidariedade ao boicote internacional que protestava contra a ditadura no Brasil.

- 1979 - É homenageado pelo jornal O Globo, que lhe concede o titulo de “Carioca Honorário”, pela “humanização da paisagem trazida por suas esculturas a locais públicos do Rio”. Participa da coletiva de inauguração da Galeria Aktuell no Rio de Janeiro.

- Participou de várias mostras nacionais e internacionais de arte

construtiva nos anos 60 a 80 e de outras coletivas no exterior, como as Bienais de Veneza: 32ª/1964 e 36ª/1972, esta com Salas Especiais e grandes esculturas nos jardins; e a 11ª Bienal de Escultura ao Ar Livre do Museu de Middelheim, em Antuérpia, Bélgica. Figurou em várias Bienais de São Paulo, com Sala Especial, na 8ª/1965 e participação na Sala Especial “Em Busca da Essência”, na 19ª/1987. Obras sua figuram em Museus, Instituições Culturais, coleções particulares, edifícios empresariais. Suas peças de grandes formatos podem ser encontradas em espaços públicos de várias cidades do Brasil.

empresariais. Suas peças de grandes formatos podem ser encontradas em espaços públicos de várias cidades do
empresariais. Suas peças de grandes formatos podem ser encontradas em espaços públicos de várias cidades do
empresariais. Suas peças de grandes formatos podem ser encontradas em espaços públicos de várias cidades do
empresariais. Suas peças de grandes formatos podem ser encontradas em espaços públicos de várias cidades do

BIOGRAFIA

- 1993 - Recebe, no Rio de Janeiro, do Ministério da Cultura, através da

Funarte, o Prêmio Nacional de Arte por ocasião do XIII Salão Nacional de Artes Plásticas. Participa do Brasil 100 Anos de Arte Moderna, mostra da Coleção de Arte Brasileira de Sérgio Fadel no Museu Nacional de Belas Artes / Rio de Janeiro.

- 1994 - Apresenta a série “Mondrianas” em homenagem a Piet Mondrian no Gabinete de Arte Raquel Arnaud / São Paulo.

- 2000 - Exposição individual: Franz Weissmann na Galeria Anna Maria Niemeyer / Rio de Janeiro. Integra o módulo Modernismo da Mostra do Redescobrimento: Brasil+ 500anos, na Fundação Bienal de São Paulo.

- 2005 - Exposição coletiva: A Poética da Forma - Museu Arte

Contemporânea, Niterói. Falece em sua residência no Rio de Janeiro, dia 18 de julho.

A Poética da Forma - Museu Arte Contemporânea, Niterói. Falece em sua residência no Rio de
A Poética da Forma - Museu Arte Contemporânea, Niterói. Falece em sua residência no Rio de
A Poética da Forma - Museu Arte Contemporânea, Niterói. Falece em sua residência no Rio de
A Poética da Forma - Museu Arte Contemporânea, Niterói. Falece em sua residência no Rio de
- Suas obras podem ser descritas nos seguintes estilos: Figurativismo - Os primeiros trabalhos do
- Suas obras podem ser descritas nos seguintes estilos: Figurativismo - Os primeiros trabalhos do
- Suas obras podem ser descritas nos seguintes estilos: Figurativismo - Os primeiros trabalhos do
- Suas obras podem ser descritas nos seguintes estilos: Figurativismo - Os primeiros trabalhos do

- Suas obras podem ser descritas nos seguintes estilos:

Figurativismo

- Os primeiros trabalhos do escultor foram baseados neste estilo. Observa-se que sua obra figurativista era inquieta e não limitava a uma concepção acadêmica. As figuras humanas foram aos poucos geometrizadas, havia uma crescente simplificação, elas se tornavam mais finas, mais construídas com uma progressiva valorização dos espaços.

problema do espaço me absorvia integralmente e

espaços. problema do espaço me absorvia integralmente e O “ a massa, a figura, já não

O “

a massa, a figura, já não contava no meu trabalho”

Há um total abandono desse estilo por volta de 1954.

Título : O 'flautista' Ano : 1954 Técnica : escultura de bronze

ESTI OL

Concreto - A partir 1950 o artista elabora trabalhos de cunho construtivista, neste há uma

Concreto

- A partir 1950 o artista elabora trabalhos de cunho construtivista, neste há uma busca incessantemente pela essência da figura, e também a realização de esculturas com forma cada vez mais geometrizantes, nas quais o espaço vazado já aparece como um elemento definidor em seus trabalhos.

já aparece como um elemento definidor em seus trabalhos. - Em 1957 Franz Weissmann reuniu-se ao

- Em 1957 Franz Weissmann reuniu-se ao grupo neoconcreto.

- Em 1957 Franz Weissmann reuniu-se ao grupo neoconcreto. Título : Blocos Modulares Ano : 1953
- Em 1957 Franz Weissmann reuniu-se ao grupo neoconcreto. Título : Blocos Modulares Ano : 1953
- Em 1957 Franz Weissmann reuniu-se ao grupo neoconcreto. Título : Blocos Modulares Ano : 1953
- Em 1957 Franz Weissmann reuniu-se ao grupo neoconcreto. Título : Blocos Modulares Ano : 1953

Título : Blocos Modulares Ano : 1953 Técnica : Escultura em alumínio

ESTI OL

Informalismo - Na década de 1960 suas obras, conhecidas como amassados, são alinhadas ao informalismo,
Informalismo - Na década de 1960 suas obras, conhecidas como amassados, são alinhadas ao informalismo,
Informalismo - Na década de 1960 suas obras, conhecidas como amassados, são alinhadas ao informalismo,
Informalismo - Na década de 1960 suas obras, conhecidas como amassados, são alinhadas ao informalismo,

Informalismo

- Na década de 1960 suas obras, conhecidas como amassados, são alinhadas ao informalismo, Weissmann neste momento abandona a construção geométrica, sendo apontados pelos críticos como um intervalo expressivo em sua pesquisa, na qual a preocupação com a materialidade toma o primeiro plano.

a preocupação com a materialidade toma o primeiro plano. Título : Série amassados Ano : 1966

Título : Série amassados Ano : 1966 Técnica : Escultura em alumínio

a materialidade toma o primeiro plano. Título : Série amassados Ano : 1966 Técnica : Escultura
a materialidade toma o primeiro plano. Título : Série amassados Ano : 1966 Técnica : Escultura
a materialidade toma o primeiro plano. Título : Série amassados Ano : 1966 Técnica : Escultura
a materialidade toma o primeiro plano. Título : Série amassados Ano : 1966 Técnica : Escultura

ESTI OL

Concreto / Neoconcreto - Nesta fase, no qual se inicia por volta de 1966, Franz
Concreto / Neoconcreto - Nesta fase, no qual se inicia por volta de 1966, Franz
Concreto / Neoconcreto - Nesta fase, no qual se inicia por volta de 1966, Franz
Concreto / Neoconcreto - Nesta fase, no qual se inicia por volta de 1966, Franz

Concreto / Neoconcreto

- Nesta fase, no qual se inicia por volta de 1966, Franz Weissmann retorna às suas experimentações com formas geométricas e modulares, desta vez atua no sentido de anular a presença do material, de torná-lo secundário ou acessório. Para ele, então, o verdadeiro material não era o alumínio, o ferro ou a madeira, mas o vazio.

Título : Coluna Neoconcreta Ano : 1979 Técnica : Escultura em aço pintado

o ferro ou a madeira, mas o vazio. Título : Coluna Neoconcreta Ano : 1979 Técnica
o ferro ou a madeira, mas o vazio. Título : Coluna Neoconcreta Ano : 1979 Técnica
o ferro ou a madeira, mas o vazio. Título : Coluna Neoconcreta Ano : 1979 Técnica
o ferro ou a madeira, mas o vazio. Título : Coluna Neoconcreta Ano : 1979 Técnica
o ferro ou a madeira, mas o vazio. Título : Coluna Neoconcreta Ano : 1979 Técnica

ESTI OL

O Plano ANOPL - Em geral as obras de Franz Weissmann caracteriza pela substituição do
O Plano ANOPL - Em geral as obras de Franz Weissmann caracteriza pela substituição do
O Plano ANOPL - Em geral as obras de Franz Weissmann caracteriza pela substituição do
O Plano ANOPL - Em geral as obras de Franz Weissmann caracteriza pela substituição do

O Plano

ANOPL

- Em geral as obras de Franz Weissmann caracteriza pela substituição do volume pelo plano e o fio, pela valorização do espaço e não da massa. O plano é trabalhado com os elementos da poética weissmanniana: o corte, a dobra, e a torção. O resultado final entre o plano e suas articulações com o elemento vazado, produz a tridimensionalidade característica de Weissmann. (o volume é virtual, ele é sugerido.)

COR - Anteriormente á 1967 os matérias empregados eram apresentados na sua cor natural, posteriormente
COR - Anteriormente á 1967 os matérias empregados eram apresentados na sua cor natural, posteriormente
COR - Anteriormente á 1967 os matérias empregados eram apresentados na sua cor natural, posteriormente
COR - Anteriormente á 1967 os matérias empregados eram apresentados na sua cor natural, posteriormente

COR

- Anteriormente á 1967 os matérias empregados eram apresentados na sua cor natural, posteriormente a esta data a utilização da cor pintada se torna fundamental em seus trabalhos, pelo fato de proporcionar mais força expressiva e dinâmica as esculturas e também quebrar o silêncio da pureza geométrica. A cor também foi utilizada como instrumento de unificação. A cor une os elementos e os planos entre si porque dá continuidade ao espaço. Quando foi preciso criar contrastes de sombra e luz, ou de profundidade, usou-se cores distintas, exatamente com a função contrária, a de acentuar as diferenças de planos no espaço. Weissmann considerava que cada obra exigia uma cor.

espaço. Weissmann considerava que cada obra exigia uma cor. Título : Três Pontos Ano : 1957

Título : Três Pontos Ano : 1957 Técnica : Escultura em ferro recortado

Pontos Ano : 1957 Técnica : Escultura em ferro recortado Título: Formas Ano: 1987 Técnica: Aço

Título: Formas Ano: 1987 Técnica: Aço e Pintura Automotiva

Obra: Sem Titulo Técnica: Ferro Monocromatico e pintura automotiva COR Título: Dobradura Ano: 1987 Técnica:
Obra: Sem Titulo Técnica: Ferro Monocromatico e pintura automotiva COR Título: Dobradura Ano: 1987 Técnica:
Obra: Sem Titulo Técnica: Ferro Monocromatico e pintura automotiva COR Título: Dobradura Ano: 1987 Técnica:
Obra: Sem Titulo Técnica: Ferro Monocromatico e pintura automotiva COR Título: Dobradura Ano: 1987 Técnica:
Obra: Sem Titulo Técnica: Ferro Monocromatico e pintura automotiva COR Título: Dobradura Ano: 1987 Técnica:

Obra: Sem Titulo Técnica: Ferro Monocromatico e pintura automotiva

COR

Técnica: Ferro Monocromatico e pintura automotiva COR Título: Dobradura Ano: 1987 Técnica: Aço e Pintura

Título: Dobradura Ano: 1987 Técnica: Aço e Pintura Automotiva

Figurativismo

Figurativismo SAR OB
Figurativismo SAR OB
Figurativismo SAR OB
Figurativismo SAR OB

SAROB

Figurativismo SAR OB
Figurativismo SAR OB
Figurativismo SAR OB
Figurativismo SAR OB
Figurativismo SAR OB

O POETA DAS FORMAS LIVRES

- A obra de Weissmann nega qualquer ideia estática de monumento em favor da celebração do transitório. As suas articulações com o cubo, o retângulo ou a fita serão expansivas ou concentradas, mas invariavelmente instáveis e provisórias.

- Num plano mais abstrato de reflexão, a experiência do espaço vazio, recorre ao arquiteto tcheco Adolf Loos e o estilo modernista internacional, despojado, de linhas novas e arrojado. Caracterizado por formas retilíneas e básicas, espaços internos abertos e a exclusão radical do ornamento. A densidade das esculturas de Weissmann parte desta potência e princípio. O desdobramento é uma percepção estética auto-referente, adicional e intuitiva, sempre à procura da complementação com a cor. Pois ela é parte da obra. Usada para estabelecer relações com o observador e provocar o status da escultura como arte pública.

SAROB

da obra. Usada para estabelecer relações com o observador e provocar o status da escultura como
da obra. Usada para estabelecer relações com o observador e provocar o status da escultura como
da obra. Usada para estabelecer relações com o observador e provocar o status da escultura como
da obra. Usada para estabelecer relações com o observador e provocar o status da escultura como

Fitas

Fita Torção
Fita Torção

Fita" - escultura em aço pintado 1985 - Pinacoteca do Estado - Parque da Luz

SAROB

pintado 1985 - Pinacoteca do Estado - Parque da Luz SAR OB “Grande quadrado preto com

“Grande quadrado preto com fita”, 1985 - Aço pintado, 240 x 240x 120 cm Coleção MAM - SP, doação artista.

1985 - Aço pintado, 240 x 240x 120 cm Coleção MAM - SP, doação artista. Fita

Fita Portal

Fita amarela (“Marco”) - 2003

1985 - Aço pintado, 240 x 240x 120 cm Coleção MAM - SP, doação artista. Fita
1985 - Aço pintado, 240 x 240x 120 cm Coleção MAM - SP, doação artista. Fita

Planos

Planos SAR OB Rio de Janeiro Quadrado em Torção no Espaço, 200x160x220 cm, Aço Pintado, 1985.

SAROB

Rio de Janeiro Quadrado em Torção no Espaço, 200x160x220 cm, Aço Pintado, 1985. Casa de Cultura Laura Alvim, Ipanema

Quadrado em Torção no Espaço, 200x160x220 cm, Aço Pintado, 1985. Casa de Cultura Laura Alvim, Ipanema

Plano Inclinado

Quadrado em Torção no Espaço, 200x160x220 cm, Aço Pintado, 1985. Casa de Cultura Laura Alvim, Ipanema
Quadrado em Torção no Espaço, 200x160x220 cm, Aço Pintado, 1985. Casa de Cultura Laura Alvim, Ipanema
Quadrado em Torção no Espaço, 200x160x220 cm, Aço Pintado, 1985. Casa de Cultura Laura Alvim, Ipanema
Quadrado em Torção no Espaço, 200x160x220 cm, Aço Pintado, 1985. Casa de Cultura Laura Alvim, Ipanema

Plano em 3 pontos - 2000

Plano em torção no espaço - 2000

o s - 2 0 0 0 Plano em torção no espaço - 2000 Plano desarticulado

Plano desarticulado - (Dois cubos) - 2000

SAROB

Janela em 3 pontos - 2000

2000 Plano desarticulado - (Dois cubos) - 2000 SAR OB J a n e l a
2000 Plano desarticulado - (Dois cubos) - 2000 SAR OB J a n e l a
2000 Plano desarticulado - (Dois cubos) - 2000 SAR OB J a n e l a
2000 Plano desarticulado - (Dois cubos) - 2000 SAR OB J a n e l a
Diagonais Flor tropical - 1989 Diagonais em preto e branco - 1975 - 2001 Coluna

Diagonais

Flor tropical - 1989

Diagonais em preto e branco - 1975 - 2001

Flor tropical - 1989 Diagonais em preto e branco - 1975 - 2001 Coluna diagonal -1988

Coluna diagonal -1988

Flor tropical - 1989 Diagonais em preto e branco - 1975 - 2001 Coluna diagonal -1988

Coluna dorsal estreita - 2004

SAROB

Flor tropical - 1989 Diagonais em preto e branco - 1975 - 2001 Coluna diagonal -1988
Flor tropical - 1989 Diagonais em preto e branco - 1975 - 2001 Coluna diagonal -1988
Flor tropical - 1989 Diagonais em preto e branco - 1975 - 2001 Coluna diagonal -1988
Flor tropical - 1989 Diagonais em preto e branco - 1975 - 2001 Coluna diagonal -1988

Construções

Construção em triângulos (Pinças) - 2000

Construções Construção em triângulos (Pinças) - 2000 Construção em triângulos (transitável) - 2000 SAR OB Seta

Construção em triângulos (transitável) - 2000

SAROB

Seta (construção em fita) - 1977

- 2000 SAR OB Seta (construção em fita) - 1977 São Paulo MAM (Museu de Arte
- 2000 SAR OB Seta (construção em fita) - 1977 São Paulo MAM (Museu de Arte
- 2000 SAR OB Seta (construção em fita) - 1977 São Paulo MAM (Museu de Arte
- 2000 SAR OB Seta (construção em fita) - 1977 São Paulo MAM (Museu de Arte

São Paulo MAM (Museu de Arte Moderna de São Paulo) – Parque do Ibirapuera 'Angels' (Cantoneiras), 1975

Janelas

Sequência de janelas c.1970 - 2003
Sequência de janelas c.1970 - 2003

Sem título - 2002

SAROB

Janelas Sequência de janelas c.1970 - 2003 Sem título - 2002 SAR OB
Janelas Sequência de janelas c.1970 - 2003 Sem título - 2002 SAR OB
Janelas Sequência de janelas c.1970 - 2003 Sem título - 2002 SAR OB
Janelas Sequência de janelas c.1970 - 2003 Sem título - 2002 SAR OB
Neoconcretas Brasilia "Três Pontos", obra instalada no Museu de Arte de Brasília (MAB). Módulo neoconcreto
Neoconcretas Brasilia "Três Pontos", obra instalada no Museu de Arte de Brasília (MAB). Módulo neoconcreto
Neoconcretas Brasilia "Três Pontos", obra instalada no Museu de Arte de Brasília (MAB). Módulo neoconcreto
Neoconcretas Brasilia "Três Pontos", obra instalada no Museu de Arte de Brasília (MAB). Módulo neoconcreto

Neoconcretas

Neoconcretas Brasilia "Três Pontos", obra instalada no Museu de Arte de Brasília (MAB). Módulo neoconcreto 1957

Brasilia "Três Pontos", obra instalada no Museu de Arte de Brasília (MAB).

obra instalada no Museu de Arte de Brasília (MAB). Módulo neoconcreto 1957 - 94 Sequência neoconcreta

Módulo neoconcreto 1957 - 94

de Arte de Brasília (MAB). Módulo neoconcreto 1957 - 94 Sequência neoconcreta - 2001 SAR OB

Sequência neoconcreta - 2001

SAROB

Espaço circular - 1957 - 2004

Cubo

Cubo Cubo mutável - 1952 - c. 1970 C u b o v a z a

Cubo mutável - 1952 - c. 1970

Cubo vazado - 1951 (versão definitiva em aço inox de 1974)

1 9 5 1 (versão definitiva em aço inox de 1974) Dois cubos lineares virtuais (Estrutura

Dois cubos lineares virtuais (Estrutura Linear) - 1954

Coluna concreta vazada - 1953 - 1998

SAROB

em aço inox de 1974) Dois cubos lineares virtuais (Estrutura Linear) - 1954 Coluna concreta vazada
em aço inox de 1974) Dois cubos lineares virtuais (Estrutura Linear) - 1954 Coluna concreta vazada
em aço inox de 1974) Dois cubos lineares virtuais (Estrutura Linear) - 1954 Coluna concreta vazada
em aço inox de 1974) Dois cubos lineares virtuais (Estrutura Linear) - 1954 Coluna concreta vazada

- O Cubo Vazado - A precisão geométrica é um fator de clareza e de liberdade. Suas possibilidades e desenvolvimentos consecutivos identificam a obra de Weissmann com a criação, em 1951, ainda em Belo Horizonte, do Cubo Vazado, considerado uma das primeiras esculturas construtivas brasileiras. Foi um rompimento definitivo com a figuração, partindo do cubo como recurso tridimensional e do quadrado como elemento plano. Weissmann desarticula o cubo, que se abre despojado do seu núcleo, e equilibrado em uma de suas arestas. "É como se seu peso tivesse sido abolido. A posição é virtual, não absoluta - uma das possíveis, apenas. O vazio se torna uma outra dimensão, presente e sensível. O vazio ocupa, preenche e positiva: fica, por assim dizer, concreto."

ocupa, preenche e positiva: fica, por assim dizer, concreto." O Cubo Virtual (1952) ou ou pornocubo.

O Cubo Virtual (1952) ou

ou pornocubo. 1952 - 70

SAROB

ocupa, preenche e positiva: fica, por assim dizer, concreto." O Cubo Virtual (1952) ou ou pornocubo.
ocupa, preenche e positiva: fica, por assim dizer, concreto." O Cubo Virtual (1952) ou ou pornocubo.
ocupa, preenche e positiva: fica, por assim dizer, concreto." O Cubo Virtual (1952) ou ou pornocubo.
ocupa, preenche e positiva: fica, por assim dizer, concreto." O Cubo Virtual (1952) ou ou pornocubo.

Fios

Estrutura nº 1 – 1954 (2° prêmio de escultura da Bienal de SP em 55

1 – 1954 (2° prêmio de escultura da Bienal de SP em 55 Dois cubos lineares
1 – 1954 (2° prêmio de escultura da Bienal de SP em 55 Dois cubos lineares

Dois cubos lineares virtuais (Estrutura Linear) - 1954

SAROB

cubos lineares virtuais (Estrutura Linear) - 1954 SAR OB Coluna 'japonesa' - 1950 (primeira coluna

Coluna 'japonesa' - 1950 (primeira coluna construtiva do artista

- 1950 (primeira coluna construtiva do artista Três cubos lineares virtuais (Em ordem crescente) - 1954
- 1950 (primeira coluna construtiva do artista Três cubos lineares virtuais (Em ordem crescente) - 1954
- 1950 (primeira coluna construtiva do artista Três cubos lineares virtuais (Em ordem crescente) - 1954
- 1950 (primeira coluna construtiva do artista Três cubos lineares virtuais (Em ordem crescente) - 1954

Três cubos lineares virtuais (Em ordem crescente) - 1954

São Paulo Nossa Caixa Escultura em aço - Avenida Paulista 460 Nossa Caixa Metro Brigadeiro
São Paulo Nossa Caixa Escultura em aço - Avenida Paulista 460 Nossa Caixa Metro Brigadeiro
São Paulo Nossa Caixa Escultura em aço - Avenida Paulista 460 Nossa Caixa Metro Brigadeiro

São Paulo Nossa Caixa Escultura em aço - Avenida Paulista 460 Nossa Caixa Metro Brigadeiro

em aço - Avenida Paulista 460 Nossa Caixa Metro Brigadeiro Manoel Macedo Galeria de Arte -
em aço - Avenida Paulista 460 Nossa Caixa Metro Brigadeiro Manoel Macedo Galeria de Arte -
em aço - Avenida Paulista 460 Nossa Caixa Metro Brigadeiro Manoel Macedo Galeria de Arte -

Manoel Macedo Galeria de Arte - SP Arte 2008 Rua Lima Duarte, 158 Belo Horizonte - MG - Brasil

SAROB

"Diálogo" - escultura em aço 4,43m x 5,15m x 1,50m 1979 SAR OB

"Diálogo" - escultura em aço 4,43m x 5,15m x 1,50m 1979

SAROB

"Diálogo" - escultura em aço 4,43m x 5,15m x 1,50m 1979 SAR OB
"Diálogo" - escultura em aço 4,43m x 5,15m x 1,50m 1979 SAR OB
"Diálogo" - escultura em aço 4,43m x 5,15m x 1,50m 1979 SAR OB
"Diálogo" - escultura em aço 4,43m x 5,15m x 1,50m 1979 SAR OB
São Paulo "Escultura" - escultura em ferro 1986 Museu da Casa Brasileira SAR OB

São Paulo "Escultura" - escultura em ferro 1986 Museu da Casa Brasileira

SAROB

São Paulo "Escultura" - escultura em ferro 1986 Museu da Casa Brasileira SAR OB
São Paulo "Escultura" - escultura em ferro 1986 Museu da Casa Brasileira SAR OB
São Paulo "Escultura" - escultura em ferro 1986 Museu da Casa Brasileira SAR OB
São Paulo "Escultura" - escultura em ferro 1986 Museu da Casa Brasileira SAR OB
SAR OB Rio de Janeiro Lâmina Larga em Torção no Espaço, 220x220x220 cm, Aço Pintado,

SAROB

Rio de Janeiro Lâmina Larga em Torção no Espaço, 220x220x220 cm, Aço Pintado, 1980. Edifício IBM do Brasil, Botafogo

Rio de Janeiro Lâmina Larga em Torção no Espaço, 220x220x220 cm, Aço Pintado, 1980. Edifício IBM
Rio de Janeiro Lâmina Larga em Torção no Espaço, 220x220x220 cm, Aço Pintado, 1980. Edifício IBM
Rio de Janeiro Lâmina Larga em Torção no Espaço, 220x220x220 cm, Aço Pintado, 1980. Edifício IBM
Rio de Janeiro Lâmina Larga em Torção no Espaço, 220x220x220 cm, Aço Pintado, 1980. Edifício IBM

REFERÊNCIA

FRANZ WEISSMANN Disponível em: <http://www.franzweissmann.com.br>. Acesso em: 16 dez. 2012.

BIOGRAFIA Weismann Disponível em: <http://www.memorial.org.br/biografia-weismann/>. Acesso em: 16 dez. 2012.

BIOGRAFIA Weismann Disponível em: <http://www.memorial.org.br/biografia-weismann/>. Acesso em: 16 dez. 2012.
BIOGRAFIA Weismann Disponível em: <http://www.memorial.org.br/biografia-weismann/>. Acesso em: 16 dez. 2012.
BIOGRAFIA Weismann Disponível em: <http://www.memorial.org.br/biografia-weismann/>. Acesso em: 16 dez. 2012.
BIOGRAFIA Weismann Disponível em: <http://www.memorial.org.br/biografia-weismann/>. Acesso em: 16 dez. 2012.