Você está na página 1de 16
MANUAL TÉCNICO DE PLANTAS COMESTÍVEIS Guia de identificação em campo

MANUAL TÉCNICO DE PLANTAS COMESTÍVEIS

Guia de identificação em campo

MANUAL TÉCNICO DE PLANTAS COMESTÍVEIS Guia de identificação em campo

Como testar se uma planta é comestível

Ao caminhar ou explorar uma floresta, há muitas plantas que atraem sua atenção e parecem comestíveis. Em casos extremos, pode até ser essencial para sua sobrevivência comer plantas encontradas na natureza. Se

você precisar testar uma planta para determinar se ela é comestível, siga estes passos. Eles podem salvar sua vida.

Faça sua lição de casa. Tome algumas precauções antes de iniciar caminhadas ou acampar em uma nova área. Leia sobre as plantas venenosas locais para saber quais você deve evitar com certeza. Qualquer bom

andarilho deve ser capaz de reconhecer uma hera venenosa e um carvalho. Saiba mais sobre outras plantas venenosas locais em um livro botânico da área.

Evite plantas com seiva e bordas pegajosas . A maioria das plantas com seiva serve para abelhas e insetos, não para seres humanos. Seivas e substâncias pegajosas podem indicar uma secreção venenosa,

sendo melhor evitá-las. Não arrisque com o perigo . Há vários indicadores de plantas venenosas. Tenha - os em mente ao tentar identificar plantas comestíveis. A seguinte lista contém os indicadores de plantas que devem ser evitadas:

Espinhos

 

Folhas brilhantes, reluzentes

 

Cogumelos

(alguns são comestíveis, mas a maioria não são)

 

Flores em forma de guarda-chuva

 

Bagas brancas ou amarelas

 

Seiva ou óleos leitosos ou amarelados

 

Cheiro de amêndoas ou sabão

Folhas em grupos de três

 

1.

Prove. Corte as folhas ou o caule de uma planta. Procure por uma substância clara, fibrosa. Então, pegue um pequeno pedaço da planta e coloque na boca. Mastigue o pedaço por alguns minutos sem engolir.

Preste atenção a qualquer gosto azedo, formigamento, dormência ou ardência que você possa sentir. Se algum destes ocorrer, cuspa o pedaço imediatamente. Se não houver efeitos adversos após cinc o ou dez

minutos, então engula o pedaço.

 

2.

Pausa para processar . Após decidir engolir uma planta, você assume o risco. Não continue a comer mais da mesma planta. Em vez disso, espere pelo menos meia hora antes de tentar comer mais. Seu organismo

pode precisar de tempo para processar antes que você possa ter certeza de que a planta não é venenosa.

 

Como saber se uma fruta no mato é comestível?

 

A

melhor

dica

é

observar

o

comportamento

dos

animais

selvagens.

“O que

eles

consomem pode ser

aproveitado pelo homem”, diz o coronel Marcos Carias de Oliveira, ex -instrutor do Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs) do Exército brasileiro. A dúvida sobre um fruto desconhecido pode pintar num simples

passeio ecológico ou numa situação extrema, quando a decisão de comê -lo ou não é uma questão de sobrevivência. Na primeir a hipótese, talvez o melhor conselho seja não arriscar. É que, apesar de existirem

pequenos truques para identificar o que é ou não comestível, a lista de exceções à regra é grande. Algumas raízes, por exemplo, podem ser ingeridas sem problema quando cozid as, mas são venenosas quando cruas. Já

certas frutas que são deliciosas quando maduras se transformam em um prato indigesto se colhidas antes do tempo. “O fruto da mangaba quando verde é venenoso e impróprio para o consumo, causando intoxicações que

podem levar à morte”, diz o engenheiro agrônomo Carlos Ruggiero, da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Jaboticabal (SP). Ou seja, as dicas do infográfico desta página até ajudam, mas não são infalíveis. Por isso, para colocá-las em prática, só mesmo num momento limite e não por simples curiosidade.

Pavor à primeira mordida Diante de frutos e vegetais desconhecidos, siga as pistas deixadas por animais

FIQUE LONGE DO “CAL”

A sigla CAL quer dizer “Cabeludo, Amargo e Leitoso”. Se o fruto em questão tiver essas três características somadas, nem pense em comê-lo. Porém, a existência de apenas uma ou duas dessas características não

impede o consumo o kiw i, por exemplo, tem a casca “cabeluda” e o mamão pode soltar uma espécie de leite SABOR APROVADO

Procure frutos grandes que estejam bicados por pássaros ou mordidos por animais. Os peritos em sobrevivência na selva garantem que 90% do que os animais comem também pode ser consumid o pelos

humanos

NO RASTRO DO ALMOÇO

Seguir pegadas de pequenos animais é uma boa tática. Ela podem levar até árvores e plantas frutíferas. Ao chegar perto delas e olhar para o alto, provavemente você irá encontrar frutos mordidos pelos animais

A RAIZ DO PROBLEMA Muitas raízes e brotos subterrâneos podem ser consumidos crus, como o rabanete e a cenoura. Se você achar

um vegetal conhecido, tudo bem comê-lo in natura. Mas, se pintar a dúvida se uma raiz ou broto é comestível, é melhor cozinhá-lo. O inhame bravo, por exemplo, é venenoso cru, mas cozido não.

ALGUMAS PLANTAS COMESTÍVEIS

Azedinho Nome científico: Oxalis acetosella (e outras sp.) Família botânica: Oxalidaceae a mesma da carambola! Nomes populares: trevo, três- corações Come-se: folhas e caules, crus ou cozidos

corações Come-se: folhas e caules, crus ou cozidos Caruru Nome científico: Amaranthus viridis (e outras sp.)
Caruru
Caruru

Nome científico: Amaranthus viridis (e outras sp.) Família botânica: Amaranthaceae - a mesma da quinoa! Nomes populares: bredo, amarantus Come-se: folha, caule e sementes cozidos

Dente-de-leão Nome científico: Taraxacum officinale Família botânica: Asteraceae - a mesma da alface! Nomes populares: taraxaco, soprão Come-se: a planta toda, crua ou cozida

taraxaco, soprão Come-se: a planta toda, crua ou cozida Maria-pretinha Nome científico: Solanum americanum

Maria-pretinha Nome científico: Solanum americanum Família botânica: Solanaceae - a mesma do tomate e pimenta! Nomes populares: pimenta-de-cachorro, caraxixá Come-se: os frutos maduros (pretos)

- a mesma do tomate e pimenta! Nomes populares : pimenta-de-cachorro, caraxixá Come-se: os frutos maduros

Perna-de-saracura Nome científico: Alternanthera philoxeroides Família botânica: Amaranthaceae Nomes populares: bredo-d’água, lagunilha, tripa-de- galinha, erva-de-jacaré Come-se: folhas e ramos jovens crus ou cozidos

Come-se: folhas e ramos jovens crus ou cozidos Picão Nome científico: Bidens pilosa Família

Picão Nome científico: Bidens pilosa Família botânica: Asteraceae Nomes populares: picão-preto, carrapicho-de-duas- pontas Come-se: folhas e caules jovens crus ou cozidos

Asteraceae Nomes populares: picão-preto, carrapicho-de-duas- pontas Come-se: folhas e caules jovens crus ou cozidos

Pincel-de-estudante Nome científico: Emilia sonchifolia Família botânica: Asteraceae Nomes populares: serralhinha, bela-emília Come-se: a planta toda, crua ou cozida

bela-emília Come-se: a planta toda, crua ou cozida Serralha Nome científico: Sonchus oleraceus Família

Serralha Nome científico: Sonchus oleraceus Família botânica: Asteraceae Nomes populares: chicória-brava Come-se: a planta toda, crua ou cozida. Gosto peculiar.

botânica: Asteraceae Nomes populares: chicória-brava Come-se: a planta toda, crua ou cozida. Gosto peculiar.

Taioba Nome científico: Xanthosoma sagittifolium Família botânica: Araceae Nomes populares: macabo, mangarás, orelha-de- elefante Come-se: folhas cozidas

mangarás, orelha-de- elefante Come-se: folhas cozidas Tanchagem Nome científico: Plantago major Família

Tanchagem Nome científico: Plantago major Família botânica: Plantaginaceae Nomes populares: transagem, plantagem, sete- nervos Come-se: folhas e sementes crus ou cozidos

Plantaginaceae Nomes populares: transagem, plantagem, sete- nervos Come-se: folhas e sementes crus ou cozidos

Trapoeraba-azul Nome científico: Commelina erecta Família botânica: Commelinaceae Nomes populares: erva-de-santa-luzia, capim-gomoso Come-se: folhas e ramos tenros cozidos

capim-gomoso Come-se: folhas e ramos tenros cozidos As Plantas Silvestres Comestíveis Rosa-Silvestre – Rosa

As Plantas Silvestres Comestíveis

Rosa-Silvestre Rosa Canina

A Rosa- silvestre é uma planta que tem a sua origem na Europa, Ásia ocidental e norte de África. Pode chegar a ter até 3 metros de altura e 2 metros de largura. A folhagem dessa planta é caduca, a sua cor é um verde matizado na parte superior e um tom de verde azulado na base.

A planta que consegue se dar bem em todos os tipos de solo gosta mesmo de um clima rústico de até - 15°C. Para que cresça saudável é interessante cultivá- la no sol com um pouco de sombra.

Planta Comestível Por Que:

As flores da Rosa-silvestre são brancas e formadas por cinco pétalas perfumadas que quando atingem o seu apogeu, entre maio e julho, passam pelo período de floração. Nesse período aparecem frutos carnudos que são chamados de “cynorrhodon” e que tem um tom de vermelho.

chamados de “cynorrhodon” e que tem um tom de vermelho. Trata- se de um fruto bastante
chamados de “cynorrhodon” e que tem um tom de vermelho. Trata- se de um fruto bastante

Trata- se de um fruto bastante rico em Vitamina C o que lhe fornece propriedades fortificantes, adstringentes e diuréticas.

Fruta-Pão Artocarpus Altilis

A planta conhecida como Fruta-pão também pode ser chamada de

Fruteira-pão, Castanheira, Árvore-do-pão, Pão-de-massa e outros nomes. Essa árvore se encaixa na categoria de Árvores Frutíferas que também pode ser utilizada como árvore de frutos medicinais.

O clima preferido de cultivo da Fruta-pão é o Equatorial, Oceânico,

Subtropical, Tropical. A sua origem é a Oceania, Indonésia e Nova Guiné. Pode chegar a ter mais de 12 metros e gosta de sol pleno como luminosidade ideal. O seu ciclo de vida é perene.

Planta Comestível Por Que:

A fruta-pão é uma árvore frutífera que tem parentesco com a Jaca

(Artocarpus heterophyllus). Os seus frutos são bastante conhecidos pelos seu grande valor nutricional e também porque oferecem uma grande variedade de possibilidades na culinária.

Para se ter uma ideia os frutos dessa árvore silvestre são a base alimentar de alguns povos polinésios. Existem duas variedades de frutas-pão: apyrena (conhecida como fruta-pão de massa) e seminífera (fruta-pão de caroço que conta com inúmeras sementes comestíveis).

de caroço que conta com inúmeras sementes comestíveis). Munguba – Pachira Aquática A Munguba pode ainda
de caroço que conta com inúmeras sementes comestíveis). Munguba – Pachira Aquática A Munguba pode ainda

Munguba Pachira Aquática

sementes comestíveis). Munguba – Pachira Aquática A Munguba pode ainda ser conhecida como Cacau-selvagem,
sementes comestíveis). Munguba – Pachira Aquática A Munguba pode ainda ser conhecida como Cacau-selvagem,

A Munguba pode ainda ser conhecida como Cacau-selvagem,

Castanheiro-de-guiana, Castanheira-da-água, Falso-cacau, Castanheiro-do-maranhão, Mamorana entre outras. Essa árvore se encaixa na categoria de Árvores Frutíferas e gosta do clima

Subtropical, Tropical e Equatorial.

A sua origem está ligada a América Central e também a América do

Sul. A luminosidade para que essa planta cresça saudável é a sol

pleno. O ciclo de vida dessa planta é perene.

Planta Comestível Por Que:

A monguba é uma bela árvore tropical que possui um caule frondoso

e a sua copa é arredondada. Pode chegar a alcançar até 18 metros de altura, para encontrar um espécime desses é necessário ir a ambientes brejosos ou mesmo em margens de rios e lagos. O nome científico “aquatica” advém exatamente dessa característica, as suas folhas são grandes e palmadas. Essas são divididas em 06 a 09 folíolos verdes e brilhantes. As flores são também muito bonitas e perfumadas. Os frutos dessa árvore são grandes e compridos, bastante parecidos com o Cacau. Contêm paina sedosa e branca que serve para envolver as sementes. Essas sementes de Monguba são comestíveis e podem ser consumidas fritas, torradas ou assadas. Também é possível consumi- las trituradas como um sucedâneo do café ou chocolate.

O sabor diferenciado e cheio de personalidade fazem dos frutos da Monguba bastante

famosos.

Piteira-do-Caribe Agave Angustifólia

famosos. Piteira-do-Caribe – Agave Angustifólia A Piteira-do-caribe cujo nome científico é Agave

A Piteira-do-caribe cujo nome científico é Agave angustifólia possui

outros nomes populares como Agave-da-borda-amarela e simplesmente Agave. Podemos classificar essas plantas como fazendo parte do grupo de Arbustos Tropicais. O clima favorito dessas plantas é o Mediterrâneo, Tropical, Equatorial e Subtropical.

A origem dessa planta é a América do Norte, América Central e

também as Antilhas. Em relação a sua altura pode medir entre 0.6 a 0.9 metros. A luminosidade ideal para essas plantas é a sol pleno. O ciclo de vida dessas plantas é perene.

Planta Comestível Por Que:

Essa planta escultural é adaptada a seca e as suas folhas são rígidas, longas, em forma de espada e dispostas em roseta, nas suas margens possuem coloração branco-creme ou amarelo. Elas possuem espinhos nas pontas de suas folhas, o tronco curto e serve para a produção de Mezcal, esse é o nome genérico dos licores mexicanos que incluem a famosa tequila.

dos licores mexicanos que incluem a famosa tequila. Palmeira de Dendê, Dendezeiro – Elaeis Guineenses A

Palmeira de Dendê, Dendezeiro Elaeis Guineenses

A Palmeira de Dendê ou também conhecida como Dendezeiro é uma

palmeira que tem sua origem na Costa Ocidental da África (Golfo da

Guiné). Apesar de nós brasileiros acreditarmos que o Dendezeiro é originário da Bahia há que se ressaltar que não é bem assim.

Na realidade a sua origem é na África e ele foi trazido para o Brasil durante século XVII. O fato de o Dendezeiro ser bastante utilizado na Bahia se dá pela boa adaptação da planta silvestre na região do litoral baiano.

Essa planta pode chegar a ter mais de 15 metros de altura, os seus frutos são alaranjados e a semente ocupa totalmente esse fruto.

Planta Comestível Por Que:

O Dendezeiro é considerado comestível pelo fato de que seu fruto

conhecido como Dendê é utilizado para a produção do famoso óleo

de Dendê. É dele que se extrai o óleo de Dendê que é bastante

utilizado na culinária baiana. Uma verdadeira delícia sem a qual a maravilhosa culinária baiana não seria a mesma.

utilizado na culinária baiana. Uma verdadeira delícia sem a qual a maravilhosa culinária baiana não seria
utilizado na culinária baiana. Uma verdadeira delícia sem a qual a maravilhosa culinária baiana não seria

Hera Terrestre (Glechoma hederacea ou Nepeta hederacea) - muitas vezes considerada erva daninha, de flores labiadas violeta, é terapéutica para os problemas dos rins e sistema urinário pois é diurética e purificante (liberta o chumbo do organismo), para a maioria das mucosas como ouvidos, nariz, garganta e sistema digestivo, dores

de dentes e ouvidos, inflamações dos olhos, é anti-

inflamatór ia para gripes e resfriados (rica em vitamina C), para a flautência e para doenças de fígado ou baço. O chá é excelente para limpar as vias respiratórias e o sistema digestivo. As folhas novas podem ser comidas crus em saladas para dar

um aroma, em infusão ou cozidas como espinafres.

A seiva acelera o tratamento de feridas quando

aplicada externamente. Não confundir com a Malva neglecta. Não usar em dose elevada

(pode ser irritante para o estômago) e usar com precaução. Vulgar.

para o estômago) e usar com precaução . Vulgar. Como identificar cogumelos e fungos As guelras

Como identificar cogumelos e fungos

precaução . Vulgar. Como identificar cogumelos e fungos As guelras são apenas uma característica de

As guelras são apenas uma característica de identificação para cogumelos

Os cogumelos podem ser deliciosos ou então um produto venenoso de fungos; eles contêm esporos que ajudam a espalhar a espécie ao soltá- los no chão e no ar. Identificá- los e saber diferenciá- los dos demais fungos exige muitas técnicas diferentes, inclusive paciência. A cor, tamanho, formato, textura, cheiro e ambiente do cogumelo afetam sua identificação final, portanto, antes de comer qualquer tipo silvestre, se familiarize com os métodos adequados de identificação e possíve is perigos.

Instruções

Tire uma foto do cogumelo e da área ao redor com uma boa câmera, fazendo anotações sobre o ambiente em um caderno. Alguns cogumelos preferem certas condições ambientais, que ajudarão a identificá- los mais tarde.

Anote o máximo de características do cogumelo possíveis, incluindo a cor, textura ou quaisquer informações sobre o capuz, caule e guelras dele.

Pegue muitas amostras do cogumelo ao puxá - lo do chão, tomando cuidado de manter a estrutura da raiz inteira e não quebrar nenhuma parte do caule.

Corte o cogumelo pelo meio na vertical com uma faca, para poder vê - lo transversalmente. Anote o formato, tamanho e cor das guelras e sua relação do capuz com o caule do cogumelo. Por exemplo, considere se as guelras estão conectadas ao caule ou se o capuz faz uma curva em direção a ele.

Corte o capuz para outra amostra e a coloque com as guelras viradas para baixo sobre uma folha de papel branco ou embrulho de plástico. Coloque uma tigela sobre o cogumelo e deixe por uma noite inteira. Pela manhã, remova a tigela e o cogumelo para revelar uma impressão dos esporos. Anote a cor e o padrão destes.

Cheire o cogumelo e registre os distintos odores. Alguns cogumelos têm cheiros

facilmente reconhecíveis que podem lhe ajudar

a identificá- los.

Pegue todas as informações e compare- as a um guia legítimo de identificação de cogumelos e fungos. Mesmo que só uma característica do seu cogumelo não se encaixe com a informação do guia, não o coma, pois ele pode ser de uma espécie diferente.

Dicas & Advertências

Muitas cidades possuem sociedades micológicas que mantêm encontros regulares de identificação, onde você pode levar seus cogumelos para identificação gratuita feita por profissionais.

Nunca coma um cogumelo, a menos que você tenha certeza quanto à sua comestibilidade e identificação. Há muitas variedades que são extremamente venenosas e possivelmente fatais.

Araruta (Maranta arundinaceaL. - Amarantaceae)

Também conhecida como agutingue-pé, ararutacaixulta, araruta-comum, araruta- palmeira e embiri. É planta herbácea perene podendo atingir de 1,5 a 1,8 m de altura. Um intrincado complexo de pequenos caules rizomatosos é formado no sistema radicular. As estruturas subterrâneas (caules rizomatosos) são utilizadas para consumo, especialmente para a extração de amido. Apreciado e procurado por suas características organolépticas, o amido é de ótima digestibilidade.

de amido. Apreciado e procurado por suas características organolépticas, o amido é de ótima digestibilidade.

Beldroega (Portulaca oleraceaL. - Portulacaceae)

Beldroega (Portulaca oleraceaL. - Portulacaceae) Possui outras denominações como: salada-de-negro, caaponga, porcelana,

Possui outras denominações como: salada-de-negro, caaponga, porcelana, bredo-de- porco, verdolaga, beldroega-pequena, beldroega-vermelha, beldroegada-horta.

Planta herbácea prostrada, anual, suculenta e ramificada com ramos de 20 a 40 cm de comprimento.

É uma planta que se desenvolve em climas diversos desde os subtropicais aos tropicais. O solo deve ter bom teor de matéria orgânica. Comumente encontrada como planta invasora por se propagar facilmente e ser adaptada às condições climáticas brasileiras. Pela sua rusticidade e resistência a prolongadas secas, é encontrada em todo território brasileiro, até nas ruas das cidades.

em todo território brasileiro, até nas ruas das cidades. Bertalha (Basella albaL. Syn e B. rubra-

Bertalha (Basella albaL. Syn e B. rubra- Basellaceae)

É também chamada espinafre-tropical, espinafreindiano, bertalia, folha-tartaruga.

Trata-se de uma planta trepadeira, vigorosa, com as folhas espessas de coloração verde- clara

Capuchinha (Tropaeolum majus L. - Tropaeoleceae)

Possui outros nomes populares como: chaguinha, chagas, papagaios, flor-De-

nomes populares como: chaguinha, chagas, papagaios, flor-De- As folhas sangue,

As folhas

sangue, agrião-do-méxico,flor-de-chagas,espora-de-galo,agrião-grande-do-Peru

É uma planta anual,

suculenta e que se alastra com facilidade.

são arredondadas de coloração azul-esverdeada, suas flores são vistosas com a

coloração que varia de amarela a vermelho-escura. Pode ser utilizada tanto como planta ornamental como planta alimentícia.

Como hortaliça possui toda a parte aérea comestível, incluindo caules, folhas, flores, botões florais e frutos verdes. As sementes em conserva lembram alcapar- ras. As folhas e as flores apresentam sabor picante, muito parecido ao do agrião.

apresentam sabor picante, muito parecido ao do agrião . Cará-do-ar (Dioscorea bulbifera L. - Dioscoreaceae)

Cará-do-ar (Dioscorea bulbifera L. - Dioscoreaceae) Popularmente conhecido como cará-do-ar, cará-voador, cará-aéreo, cará- moela, cará-traramela, cará-de-árvore. É planta trepadeira e apresenta tubérculos aéreos que surgem nas axilas das folhas.

Esses tubérculos são utilizados como alimento e é boa fonte de fósforo.

Existe uma diversidade de tubérculos aéreos com variações no tamanho, formato e coloração externa e interna.

Jurubeba ( Solanum scuticum (M.) Nee - Solanaceae) jupeba, Recebe outros nomes populares como: juribeba,

Jurubeba (Solanum scuticum (M.) Nee - Solanaceae)

jupeba,
jupeba,

Recebe

outros

nomes

populares

como:

juribeba,

jurupeba, gerobeba e joá-manso.

jurubebinha,jurubeba-verdadeira,

É um arbusto recoberto de pelos curtos, semiperene, de porte médio, com

altura que varia de 3 a 5 m. Apresenta folhas esbranquiçadas e aveludadasna face inferior. O fruto é uma baga redonda, branco-esverdeada com cerca de 13 mm de diâmetro. É mais utilizado na culinária e no preparo de bebida alcoólica tônica. Como planta medicinal, podem ser utilizados raízes, folhas,flores e frutos. Considerada uma planta rústica, não exigente em fertilidade do solo, sendo própria de clima tropical e subtropical. É encontrada em quase todo o Brasil.

e subtropical. É encontrada em quase todo o Brasil. Ora-pro-nóbis (Pereskia aculeata Mill. - Cactaceae) como

Ora-pro-nóbis (Pereskia aculeata Mill. - Cactaceae)

como lobrobo.

(Pereskia aculeata Mill. - Cactaceae) como lobrobo. É também conhecida Seu nome vem do latim, ora-pro-nóbis

É também conhecida

Seu nome vem do latim, ora-pro-nóbis e significa “rogai por nós”.

É uma planta perene, com características de trepadeira,mas

sença de anteparo, com folhas suculentas lanceoladas.

Para produção das mudas, deve ser utilizado material proveniente da região inter-

pode crescer sem a pre-

mediária do caule, localizada entre as partes mais tenras e as partes mais lenho- sas da haste, pois esse material apresenta um melhor pegamento. Logo após o corte, as estacas devem ser colocadas num leito, para que haja enraizamento. Esse leito poderá ser constituído de uma parte de terra de subsolo (barranco) e uma pa rte de esterco curtido. As estacas devem ser enterradas até um terço do seu compri- mento.

Macrófita

aquática

emergente

TAIOBA

em brejos e margens

de corpos d'água. É uma

espécieco smopolita, apenas não ocorrendo nas zonas polares. Typha é único gênero

da família Typhaceae e possui cerca de 10 a 12 espécies. Três espécies são citadas

para o RS: Typha latifolia, T. domingensis e T. subulata, todas com usos alimentícios.

Segundo

Valdely

(2007) é provável

que ocorram mais

espécies,

aumentando

o

percentual

total de espécies

da flora

com potencial

alimentício,

porém são

morfologicamente muito similares. Não estando em águas contaminadas podem ser consumidas indistintamente.

Segundo

pesquisas

realizadas

na Flora Ilustrada

Catarinense,

as 3 espécies

de

Typha encontradas no RS ocorreriam em SC, entretanto a T. domingensis foi a única localizada pelos autores das Typhaceae nesta publicação.

A parte aérea pode ser queimada para obtenção de sal vegetal. O broto (palmito)

pode ser consumido cru ou cozidos.

Os rizomas

são fontes

amiláceas,

podendo ser consumidos

assados ou

transformados em farinha. O pólen é utilizado

para fazer pães, biscoitos, para colorir o

arroz ou ser misturado ao mel. Os grãos de pólen do gênero Typha são usados em diferentes regiões do mundo com diversas finalidade: medicinal, alimentícia, cerimonial.

e as vantagens (sabor e
e as vantagens
(sabor e

Framboesa-silvestre; Morango-do-mato

(Rubus rosifolius) Família:ROSACEAE Esta é uma espécie com ampla distribuição, ocorrendo em diversos países. No Brasil

registros para MG, RJ, SP, PR,SC e RS.

O

botânico

Hoehne, em 1946, já relatava

o seu potencial

produtividade) desta espécie em relação à espécie européia Rubus idaeus. Planta arbustiva, de herbácea a lenhosa, de 1m à 1,5 m de altura. Caule cilíndrico, sulcado, com acúleos pungentes, com indumento seríceo. Folhas compostas com 7- 5- 3- 1 folíolos. Inflorescência uniflora, flores brancas. Fruto apocárpico, constituído de drupéolas

vermelhas.

Caraguatá; Bananinha-do-mato

de drupéolas vermelhas. Caraguatá; Bananinha-do-mato (Bromelia antiacantha) Família:BROMELIACEAE É uma espécie

(Bromelia antiacantha)

Família:BROMELIACEAE

É uma espécie terrícola, atinge 2 m de altura, sendo muito utiliza-da como

cerca viva. Caule curtíssimo, grosso.

Folha ereta, pouco recurva no ápice,coberta de espinhos nas margens, sendo

que os da base são voltados para baixo e os do meio da folha para o ápice

São voltados para cima.

Antes do aparecimento da inflorescência, o que antecede o período reprodutivo, a espécie apresenta no

Antes do aparecimento da inflorescência, o que antecede o período

reprodutivo, a espécie apresenta no centro da roseta brácteas vermelhas.

Essa bromélia é rica em bromelina,uma proteinase, com grande potencial na

indústria alimentícia. Bem manejadas ela tem um grande potencial para fruti-

cultura e horticultura, por conta do seu palmito.

Como podemos ver, existem muitas plantas comestiveis. Algumas são de determinadas regiões, que somente com um instrutor especializado, poderão ser identificadas. Lembre-se em caso de dúvida, não coma. Uma boa maneira de identificar é através de fotos das plantas, para comparação.

em caso de dúvida, não coma. Uma boa maneira de identificar é através de fotos das