Você está na página 1de 47
FNK-P Sector Técnico Departamento de Formação Curso de Treinador de Karaté de Nível I DIDÁCTICA

FNK-P Sector Técnico Departamento de Formação

Curso de Treinador de Karaté de Nível I

DIDÁCTICA DO KARATE

Objectivos

Ao

nível

da

Didáctica,

desenvolver

o

estudo

dos

fundamentos técnicos do Karaté.

Introduzir

o conceito

de

Didáctica

na

construção do

modelo Pedagógico de abordagem ao Karaté

 

Introduzir

uma

fundamentação

didáctica

Eclética

do

Karaté no âmbito das situações de Combate;

 

Desenvolver

os

fundamentos

técnicos

ofensivos

e

defensivos;

DEFINIÇÃO

Etimologicamente, didáctica significa “arte de ensinar”

Didáctica do Karaté é vista como o estudo científico da organização das situações de aprendizagem do ponto de vista da “matéria ou conteúdo de ensino”

Karaté - A nossa matéria de ensino.

SABEDORIA PEDAGÓGICA (EXPERTISE)

Habilidades de ensino Matéria de ensino
Habilidades de
ensino
Matéria de
ensino

FUNDAMENTOS TÉCNICOS

Focar a atenção
Focar
a
atenção

Na Na

abordagem inicial

abordagem inicial

dos dos gestos gestos básicos básicos

APRENDIZAGEMAPRENDIZAGEM
APRENDIZAGEMAPRENDIZAGEM

dodo combatecombate dede KaratéKaraté

OO queque éé Aprender?Aprender?

ProcessosProcessos nana AprendizagemAprendizagem MotoraMotora

- Aquisição; - Retenção; - Transfer.

FUNDAMENTOS TÉCNICOS

COMBATECOMBATE -- SITUAÇÃOSITUAÇÃO CAÓTICACAÓTICA DEDE GRANDEGRANDE COMPLEXIDADECOMPLEXIDADE

EUEU
EUEU
OUTROOUTRO
OUTROOUTRO
DE GRANDE GRANDE COMPLEXIDADE COMPLEXIDADE EUEU OUTROOUTRO realidade realidade global global e e não não

realidaderealidade globalglobal ee nãonão exclusivamenteexclusivamente técnicatécnica

GestãoGestão IntegradaIntegrada dasdas CondicionantesCondicionantes dada TarefaTarefa

bio-fisiológicasbio-fisiológicas biomecânicasbiomecânicas bio-informacionaisbio-informacionais
bio-fisiológicasbio-fisiológicas
biomecânicasbiomecânicas
bio-informacionaisbio-informacionais
afectivo-emocionaisafectivo-emocionais
histórico-culturaishistórico-culturais

FUNDAMENTOS TÉCNICOS

ficarficar dede formaforma sistemáticasistemática atentoatento aoao estudoestudo profundoprofundo dosdos gestosgestos básicosbásicos dodo combate,combate, semsem perderperder aa coerênciacoerência comcom oo todotodo queque éé aa realidaderealidade combatecombate

SITUAÇÕES PEDAGÓGICAS

SITUAÇÕES PEDAGÓGICAS

Enquadramentos do Karaté

MarcialMarcial BudoBudo sécséc XIX-XXXIX-XX CompetitivoCompetitivo XXXX

PopulaçõesPopulações EspeciaisEspeciais IdososIdosos

Populações Especiais Especiais Idosos Idosos Infantil Infantil Federado Federado AutárquicoAutárquico

InfantilInfantil

FederadoFederado

AutárquicoAutárquico EscolarEscolar
AutárquicoAutárquico
EscolarEscolar

EtcEtc

Jogos de Distância

Jogos de Distância 1. Progressivamente introduzem-se as seguintes componentes criticas: a. Deslocar-se de forma
Jogos de Distância 1. Progressivamente introduzem-se as seguintes componentes criticas: a. Deslocar-se de forma
Jogos de Distância 1. Progressivamente introduzem-se as seguintes componentes criticas: a. Deslocar-se de forma

1. Progressivamente introduzem-se as seguintes componentes criticas:

a. Deslocar-se de forma deslizante (sem saltar)

b. Manter os apoios afastados na direcção do movimento

c. Centro de gravidade baixo pela flexão das articulações dos membros inferiores

d. Braços em posição de guarda

2. O atacante deve-se centrar desde os deslocamentos simples para a frente e para

trás até a procura do momento certo para entrar no adversário. O defesa deve tentar manter a distância que o atacante quebra permanentemente.

Jogos de Toques

Tocar é diferente de bater controlo / respeito

de Toques Tocar é diferente de bater controlo / respeito Defesa : Faz uma guarda Deixa

Defesa:

Faz uma guarda Deixa tocar

Atacante:

Toca no que está aberto

Jogos de Desequilíbrio

Jogos de Desequilíbrio Tentar fazer mexer os pés do adversário Direcção /Sentido das forças Polígono de

Tentar fazer mexer os pés do adversário

Direcção /Sentido das forças Polígono de sustentação

Pegas - Jogos de Luta em Pé

Polígono de sustentação Pegas - Jogos de Luta em Pé • Puxar, empurrar e manter a

• Puxar, empurrar e manter a posição frontal ao adversário;

• Desequilibrar o adversário e controlar diferentes partes do seu corpo;

• Usar o peso do corpo em pé e no solo;

• Objectivo: imobilizar.

Quedas

Quedas Após sensação de desequilíbrio deve haver: · rápida flexão dos joelhos, aproximando as nádegas do
Quedas Após sensação de desequilíbrio deve haver: · rápida flexão dos joelhos, aproximando as nádegas do

Após sensação de desequilíbrio deve haver:

· rápida flexão dos joelhos, aproximando as nádegas do solo

· enrolamento do tronco

· flexão da cabeça, levando o queixo ao peito

· batimento dos braços no momento final da queda, pois aumentam a

superfície de contacto com o solo e, consequentemente, aumentam a superfície de dispersão de energia

Jogos de Imobilização

Jogos de Imobilização Não deixar o outro sair do chão (omoplatas) Controlo do tronco / cintura

Não deixar o outro sair do chão (omoplatas)

Controlo do tronco / cintura escapular

Utilização do peso de todo o corpo

Jogos de Saudação

Ordem

Respeito

Segurança

Socialização

Jogos de Saudação Ordem Respeito Segurança Socialização

EMANCIPAÇÃO DOS ELEMENTOS CONSTITUTIVOS

Kihon

Kata

Bunkai

Kumité

EMANCIPAÇÃO DOS ELEMENTOS CONSTITUTIVOS

DIDÁCTICADIDÁCTICA DODO KUMITÉ?KUMITÉ? DIDÁCTICADIDÁCTICA DODO KATA?KATA? DIDÁCTICADIDÁCTICA DODO KIHON?KIHON? DIDÁCTICADIDÁCTICA DODO BUNKAI?BUNKAI?

KUMITÉ - A SITUAÇÃO DE REFERÊNCIA FUNDAMENTAL UM PONTO DE PARTIDA E DE CHEGADA

FUNDAMENTOS DE ORGANIZAÇÃO DIDÁCTICA

PRINCÍPIOS:

Simplificação da situação combate;

Estruturação dos exercícios preparatórios

Informações de retorno (F-B)

Descoberta autónoma e orientada das soluções

FUNDAMENTOS DE ORGANIZAÇÃO DIDÁCTICA

NÍVEIS DE AQUISIÇÃO:

Aproximação global à técnica;

Análise

Síntese

FUNDAMENTOS TÉCNICOS OFENSIVOS / DEFENSIVOS

COMPORTAMENTOCOMPORTAMENTO OFENSIVOOFENSIVO visavisa provocarprovocar ouou aproveitaraproveitar umauma diminuiçãodiminuição dodo equilíbrioequilíbrio energéticoenergético dodo adversário,adversário, concomitanteconcomitante comcom oo aumentoaumento dodo próprio,próprio, ouou seja,seja, oo ataqueataque eficazeficaz éé aa acçãoacção energeticamenteenergeticamente superiorsuperior queque visavisa diminuirdiminuir aa capacidadecapacidade energéticaenergética dodo adversárioadversário

COMPORTAMENTOCOMPORTAMENTO DEFENSIVODEFENSIVO visavisa neutralizarneutralizar oo equilíbrioequilíbrio energéticoenergético positivopositivo dodo adversário,adversário, concomitanteconcomitante comcom oo aumentoaumento dodo próprio,próprio, rumorumo aoao contra-ataquecontra-ataque

POSIÇÃOPOSIÇÃO DEDE GUARDAGUARDA

POSIÇÃO POSIÇÃO DE DE GUARDA GUARDA

POSIÇÃOPOSIÇÃO DEDE GUARDAGUARDA

POSIÇÃO POSIÇÃO DE DE GUARDA GUARDA • Deslocamentos Deslocamentos rápidos rápidos em em qualquer qualquer

DeslocamentosDeslocamentos rápidosrápidos emem qualquerqualquer direcçãodirecção ee sentido;sentido;

ExecuçãoExecução dede ataques;ataques;

ExecuçãoExecução dede defesas.defesas.

POSIÇÃOPOSIÇÃO DEDE GUARDAGUARDA

Para quê? Observação / Protecção Cobertura / Preparação de Ataques / Defesas Equilíbrio / p
Para quê?
Observação / Protecção
Cobertura / Preparação de
Ataques / Defesas
Equilíbrio / p rotecção
Deslocamentos rápidos
Direcção dos deslocamentos
Aproveitamento da
elástica.
energia

Características da Posição de Base (Guarda)

Cabeça levantada, em posição natural, olhando o sdversário

M. Superiores flectidos pelos cotovelos naturalmente junto ao tronco

Tronco naturalmente direito virado para o adversário

M. Inferiores co m joelhos e tornozelos flectidos

Pés afastados e alinhados na direcção do adversário, à largura dos ombros e co m as pontas viradas para a frente.

A planta dos pés contacta com o solo mais com a parte anterior do que com o calcanhar

POSIÇÃOPOSIÇÃO DEDE GUARDAGUARDA

POSIÇÃO POSIÇÃO DE DE GUARDA GUARDA MEMBROS INFERIORES MEMBROS SUPERIORES

MEMBROS INFERIORES MEMBROS SUPERIORES

DESLOCAMENTOSDESLOCAMENTOS

ExistemExistem trêstrês formasformas básicasbásicas dede deslocamento:deslocamento:

EmEm linhalinha (na(na direcçãodirecção comcom oo adversárioadversário frentefrente // trás);trás);

LateraisLaterais (na(na direcçãodirecção perpendicularperpendicular aosaos anteriores);anteriores);

ConjugadosConjugados ouou OblíquosOblíquos (direcções(direcções queque cruzamcruzam asas duasduas anteriores).anteriores).

DESLOCAMENTOSDESLOCAMENTOS

DeslocamentosDeslocamentos emem linha:linha:

OO deslocamentodeslocamento deslizantedeslizante (um(um sempresempre àà frentefrente dodo outro);outro);

OO deslocamentodeslocamento naturalnatural (o(o dede trástrás avançaavança parapara aa frente);frente);

OO deslocamentodeslocamento duploduplo emem sucessãosucessão (um(um avançaavança parapara oo lugarlugar dodo outro)outro)

DESLOCAMENTOSDESLOCAMENTOS EMEM LINHALINHA

DESLOCAMENTOS DESLOCAMENTOS EM EM LINHA LINHA O O passo passo deslizante deslizante ( ( yori-ashi yori-ashi

OO passopasso deslizantedeslizante ((yori-ashiyori-ashi))

Este tipo de deslocamento sobre um pé de acção com ajustamento posterior serve para distâncias relativamente curtas. A rotação horizontal da cintura pélvica (ancas) não é grande, mas pode existir acompanhando a sucessão de apoios.

DESLOCAMENTOSDESLOCAMENTOS EMEM LINHALINHA

DESLOCAMENTOS DESLOCAMENTOS EM EM LINHA LINHA O O passo passo natural natural ( ( ayumi-ashi ayumi-ashi

OO passopasso naturalnatural ((ayumi-ashiayumi-ashi))

Este tipo de deslocamento sobre um pé eixo, serve para vencer distâncias relativamente grandes, permitindo que exista uma rotação horizontal da cintura pélvica (ancas) em torno do pé eixo, o que deverá ser aproveitado no âmbito da cintura escapular (ombros).

DESLOCAMENTOSDESLOCAMENTOS EMEM LINHALINHA

DESLOCAMENTOS DESLOCAMENTOS EM EM LINHA LINHA O passo em sucessão ( tsugi-ashi ) Este tipo de

O passo em sucessão (tsugi-ashi)

Este tipo de deslocamento sobre um pé eixo e logo a seguir sobre o outro, serve para vencer grandes distâncias. A rotação horizontal da cintura pélvica não é muito grande, mas pode existir acompanhando a sucessão de apoios, e suportanto a rotação da cintura escapular.

TÉCNICASTÉCNICAS DEDE ATAQUEATAQUE

FASE OFENSIVA

constituída pelas acções técnico-tácticas de ataque dirigidas ao adversário

TÉCNICASTÉCNICAS DEDE ATAQUEATAQUE

PRINCÍPIO DO EQUILÍBRIO OFENSIVO/DEFENSIVO

O PRATICANTE EM ATAQUE DEVE CONTINUAR PREPARADO PARA:

Continuar a atacar se não concretizou os objectivos e continua equilibrado perante o adversário; Passar para a fase de preparação e reorganização do seu ataque; Passar à fase de defesa se o adversário reagir em contra- ataque.

TÉCNICASTÉCNICAS DEDE ATAQUEATAQUE

TIPOS DE TÉCNICAS DE ATAQUE

Directas (Oi-Zuki, Gyaku-Zuki, Mae-Gueri, Kizami- Zuki, Maeken-Zuki, etc.); Circulares (Mawashi-geri; Ura-Mawashi-Gueri, Uraken- uchi; etc.); Rotativas Directas (Yoko-Geri Kekomi; Ushiro-Gueri, etc.); Rotativas Circulares (Ushiro-mawashi-gueri).

TÉCNICASTÉCNICAS DEDE ATAQUEATAQUE

TÉCNICAS DIRECTAS são aquelas em que a superfície de contacto percorre um espaço rectilíneo desde o seu ponto de partida ao alvo

um espaço rectilíneo desde o seu ponto de partida ao alvo São técnicas que visam o

São técnicas que visam o alvo aberto mais perto da posição de guarda

TÉCNICASTÉCNICAS DEDE ATAQUEATAQUE

TÉCNICAS ROTATIVAS DIRECTAS adicionam à trajectória rectilínea da superfície de contacto uma rotação do corpo

da superfície de contacto uma rotação do corpo São técnicas que visam também o alvo aberto

São técnicas que visam também o alvo aberto mais perto da posição de guarda

TÉCNICASTÉCNICAS DEDE ATAQUEATAQUE

TÉCNICAS CIRCULARES Aquelas em que a superfície de contacto percorre uma trajectória em semi-círculo

de contacto percorre uma trajectória em semi-círculo São técnicas que visam alvos abertos para além da

São técnicas que visam alvos abertos para além da posição de guarda

TÉCNICASTÉCNICAS DEDE ATAQUEATAQUE

TÉCNICAS CIRCULARES COM ROTAÇÃO Adicionam à trajectória circular das superfícies de contacto um movimento de rotação do corpo

superfícies de contacto um movimento de rotação do corpo São técnicas que visam alvos abertos para

São técnicas que visam alvos abertos para além da posição de guarda, imprimindo grandes velocidades lineares às superfícies de contacto

TÉCNICASTÉCNICAS DEDE DEFESADEFESA

FASE DEFENSIVA

engloba acções técnico-tácticas neutralizadoras das acções ofensivas, tentando também desequilibrar defensivamente o atacante de forma a poder contra-atacar

TÉCNICASTÉCNICAS DEDE DEFESADEFESA

PRINCÍPIO DO EQUILÍBRIO OFENSIVO/DEFENSIVO

EM DEFESA O PRATICANTE DEVE:

Neutralizar a acção ofensiva do adversário; Continuar a defender se não desequilibrou defensivamente o adversário que continua em acção ofensiva; Passar para a fase de preparação e reorganização do seu ataque; Passar ao contra-ataque se neutralizou o ataque e desequilibrou defensivamente o adversário atacante.

TÉCNICASTÉCNICAS DEDE DEFESADEFESA

TIPOS DE TÉCNICAS DE DEFESA

Blocagem

Derivação

Esquiva

TÉCNICASTÉCNICAS DEDE DEFESADEFESA

TÉCNICAS EM BLOCAGEM A forma mais grosseira de neutralizar a acção ofensiva. Este tipo de acção deverá impedir que o ataque se realize.

A forma mais grosseira de neutralizar a acção ofensiva. Este tipo de acção deverá impedir que
A forma mais grosseira de neutralizar a acção ofensiva. Este tipo de acção deverá impedir que

TÉCNICASTÉCNICAS DEDE DEFESADEFESA

TÉCNICAS EM DERIVAÇÃO Traduz-se numa força que faz modificar a trajectória do ataque. É na verdade, a acção mais utilizada em treino e competição

numa força que faz modificar a trajectória do ataque. É na verdade, a acção mais utilizada
numa força que faz modificar a trajectória do ataque. É na verdade, a acção mais utilizada

TÉCNICASTÉCNICAS DEDE DEFESADEFESA

TÉCNICAS EM ESQUIVA

A forma mais subtil de neutralizar a acção ofensiva do adversário. Esta acção defensiva pode significar ausência de contacto corporal e para isso os deslocamentos do corpo são essenciais

acção defensiva pode significar ausência de contacto corporal e para isso os deslocamentos do corpo são

Conclusões

Didáctica do Karaté é vista como o estudo científico da organização das situações de aprendizagem do ponto de vista da “matéria ou conteúdo de ensino”; •A abordagem ecléctica às diversas situações características do combate inerme – os fundamentos do Karaté; •Situações pedagógico-didácticas: os jogos (distância, desequilíbrio, toques, imobilização); •Os fundamentos técnicos ofensivos e defensivos são uma base de entendimento didáctico do Karaté que permitem a sua utilização em ensino e treino.

fimfim

joaquimgoncalves2@gmail.com