Você está na página 1de 5

Relaxamento

Introdução

Para a sexologia clínica, conhecer e saber lidar com

a ansiedade e' imprescindível. E considerada a cau

sa mais freqüente dos distúrbios da função sexual.

A palavra ansiedade vem da expressão grega

ansheimque significa "estrangular, oprimir, sufocar". Angústia vem do latim angor. "falta de ar" ou "opressão". Esses termos dizem respeito à experiên cia subjetiva da ansiedade. Já a palavra pânico tem relação com Pã que, segundo os gregos, aterrori

zava os incautos, e com

o

deus

Fobos (daí a ex

pressão fobia), aquele que inspirava terror.

Há neste livro um capítulo específico no qual ire

mos discorrer, com mais detalhes, sobre a ansiedade".

Agora importa apenas esclarecer que ela possui dois

componentes: um psicológico e outro somático.

Definimos o relaxamento ou relaxação como

sendo um estado psicofísico. no qual a diminuição do tônus muscular se faz acompanhar por uma

sensação de repouso, bem-estar e tranqüilidade.

E impossível o indivíduo está tenso (ansiedade

a nível muscular) e ao mesmo tempo relaxado. As

técnicas de relaxamento se fundamentam nesse fato.

t-7

E válido mencionar que essas técnicas têm suas

Í

raízes históricas nos procedimentos orientais de

*j

meditação. Sua aplicação formal no arsenal psico-

£

terapêutico ocidental ocorreu no começo do sécu-

°í

Io XX. com o Relaxamento Procressivo de Edmund

Jacobson (1938) e o Relaxamento Autógeno de

Schultz (1932). A partir daí surgiram outras moda

lidades de relaxamento.

As diferentes técnicas de relaxamento têm padrões

diferentes de aprendizagem (Verae Vila. 2008). No

relaxamento autógeno o mecanismo estaria rela cionado com a representação mental das conseqüên

cias motoras decorrentes da sensação de peso e

calor: no relaxamento progressivo o mecanismo seria a discriminação perceptiva das sensações de

tensão e relaxação dos diferentes grupos muscula

res: ao passo que. nas técnicas de respiração, o

mecanismo seria através das interações cardiorres-

piratórias do controle vagai, aumentando a ação

parassimpática do funcionamento cardiovascular. O fato é que o relaxamento ora funciona como parte integrante de outras técnicas, como a dessen-

sibilização sistemática, por exemplo, ora como

procedimento isolado. Dado sua enorme utilização.

" Desejo sexual: ansiedade e depressão.

ele é considerado como uma espécie de "aspirina comportamentar. Como sabemos, na ansiedade há uma ativação excessiva do sistema simpático. O relaxamento é

a estratégia, não farmacológica. mais adequada para diminuir essa ativação, porque tende a aumentar a

atividade parassimpática. É de certa forma, um

simpatolítico. se bem que a intensidade da respos

ta depende das variações individuais.

Dentre os numerosos procedimentos psicoterá-

picos para induzir o relaxamento, os mais utilizados,

na TREC são as técnicas de respiração, o relaxa

mento muscular progressivo de Jacobson, e o

relaxamento diferencial pela técnica de Kegel.

Técnicas de respiração

As técnicas de respiração têm como objetivo dotar

o indivíduo de habilidades para controlar as modi

ficações funcionais que ocorrem nas situações de

estresse ou ansiedade.

Saber respirar é importante para levar ao organis mo o oxigênio necessário para seu correto funciona

mento. Se o

indivíduo não está convenientemente

oxigenado há aumento dos níveis de ansiedade, de

pressão e fadiga.

Embora existam muitos outros procedimentos

que nos ensinam como realizar uma boa respiração,

adotamos o programa de treinamento de controle res

piratório proposto, em 1995, por Francisco Javier

Labrador e seus colaboradores (Labrador et ai. 1995).

O programa consta de seis exercícios de comple

xidade crescente. O paciente deve buscar um ambien

te tranqüilo e sem ruídos, ficar numa postura cômoda

e com os olhos fechados.

Cada exercício dura 2 a

4min. seguidos por igual intervalo de descanso.

Primeiro exercício: inspiração abdominal ou diafragmática

O objetivo é fazer com que o paciente dirija o ar inspirado para a parte inferior dos pulmões. Para isso o paciente deve posicionar uma mão acima do

umbigo e outra acima do estômago. Ele deve fechar os olhos e observar o fluxo da respiração. Se o

exercício for

realizado de

modo correto, a

mão

situada no abdômen percebe o movimento dos

músculos abdominais para os

ocorre com a mão acima do estômago.

Se a mão que está na posição superior notar que o tórax está subindo e descendo a cada respiração,

lados, o que não

você ainda precisa praticar o primeiro exercício.

Para muitas pessoas, o sucesso só se consegue com

15

a

20min.