Você está na página 1de 28
TRANSLOCAÇÃO BACTERIANA
TRANSLOCAÇÃO
BACTERIANA
P r o f . J O Ã O B A T I S T
P r o f .
J O Ã O
B A T I S T A
T A J R A
CIRURGIÃO
GERAL
MESTRE
EM
CIRURGIA

domingo, 16 de janeiro de 2011

HISTÓRICO

HISTÓRICO domingo, 16 de janeiro de 2011
HISTÓRICO domingo, 16 de janeiro de 2011
HISTÓRICO domingo, 16 de janeiro de 2011
HISTÓRICO domingo, 16 de janeiro de 2011

domingo, 16 de janeiro de 2011

TRAUMA X SEPSE X DMOS
TRAUMA X SEPSE X DMOS
TRAUMA X SEPSE X DMOS domingo, 16 de janeiro de 2011

domingo, 16 de janeiro de 2011

EVIDÊNCIAS SIRS PERSISTENTE E DMOS
EVIDÊNCIAS
SIRS PERSISTENTE E DMOS
EVIDÊNCIAS SIRS PERSISTENTE E DMOS domingo, 16 de janeiro de 2011 SIRS E DMOS AUSÊNCIA DE

domingo, 16 de janeiro de 2011

SIRS E DMOSSIRS PERSISTENTE E DMOS domingo, 16 de janeiro de 2011 AUSÊNCIA DE FOCO IDENTIFICÁVEL. Paciente Grande

AUSÊNCIA DE FOCO IDENTIFICÁVEL.EVIDÊNCIAS SIRS PERSISTENTE E DMOS domingo, 16 de janeiro de 2011 SIRS E DMOS Paciente Grande

Paciente Grande Queimado

Manutenção de um estado inflamatório persistente e desregulado?
Manutenção de um
estado inflamatório
persistente e
desregulado?
RESPONSÁVEIS ?????
RESPONSÁVEIS ?????
QUAL O MOTOR DESTE ESTADO ???
QUAL O MOTOR DESTE ESTADO ???

domingo, 16 de janeiro de 2011

TRANSLOCAÇÃO A BARREIRA INTESTINAL
TRANSLOCAÇÃO
A BARREIRA INTESTINAL
TRANSLOCAÇÃO A BARREIRA INTESTINAL domingo, 16 de janeiro de 2011   LINFONODOS VEIA PORTA Mecanismos de

domingo, 16 de janeiro de 2011

 
 

LINFONODOS

VEIA PORTA

  LINFONODOS VEIA PORTA

Mecanismos de proteção

ESTÉREIS

estudos de translocação
estudos de
translocação
   

Quebra

 

Modelo

Crescimento

bacteriano

de

barreira

Defesa

Antibióticos

+

-

-

Queimadura

-

+

+/-

Choque

-

+

?

Icterícia

-

-

+

Isquemia

   

?

Hepática

-

+

domingo, 16 de janeiro de 2011

EVIDÊNCIAS MODELOS EXPERIMENTAIS
EVIDÊNCIAS
MODELOS EXPERIMENTAIS

Translocation of Certain Indigenous Bacteria from the Gastrointestinal Tract to the Mesenteric Lymph Nodes and Other Organs in a Gnotobiotic Mouse Model

RODNEY D. BERG* AND ALVA W. GARLINGTON

Department of Microbiology and Immunology, Louisiana State University Medical Center, School of Medicine in Shreveport, Shreveport, Louisiana 71130

INFECTION AND IMMUNITY, Feb. 1979, p. 403411

Toll-like receptor-4 is required for intestinal response to epithelial injury and limiting bacterial translocation in a murine model of acute colitis.

Masayuki Fukata, 1 Kathrin S. Michelsen, 2 Rajaraman Eri, 3 Lisa S. Thomas, 3 Bing Hu, 4 Katie Lukasek, 3 Cynthia C. Nast, 4 Juan Lechago, 4 Ruliang Xu, 1,5 Yoshikazu Naiki, 2 Antoine Soliman, 2 Moshe Arditi, 2 and Maria T. Abreu 1

Am J Physiol Gastrointest Liver Physiol 288: G1055-G1065, 2005;

domingo, 16 de janeiro de 2011

TRANSLOCAÇÃO BACTERIANA CONCEITO
TRANSLOCAÇÃO
BACTERIANA
CONCEITO

Deslocamento de bactérias ou seus produtos do TGI para sítios estéreis.TRANSLOCAÇÃO BACTERIANA CONCEITO Wolochow et al 1966. Berg e Garlington 1979. domingo, 16 de janeiro de

Wolochow et al 1966.bactérias ou seus produtos do TGI para sítios estéreis. Berg e Garlington 1979. domingo, 16 de

Berg e Garlington 1979.de bactérias ou seus produtos do TGI para sítios estéreis. Wolochow et al 1966. domingo, 16

domingo, 16 de janeiro de 2011

através

COMPONENTES DA BARREIRA INTESTINAL
COMPONENTES DA
BARREIRA INTESTINAL
COMPONENTES DA BARREIRA INTESTINAL Groschwitz e Hogan. J Allergy Clin Immunol 2009 MECÂNICO Peristalse Muco Epitélio

Groschwitz e Hogan. J Allergy Clin Immunol 2009

MECÂNICO

PeristalseGroschwitz e Hogan. J Allergy Clin Immunol 2009 MECÂNICO Muco Epitélio Renovação epitelial Tipos de permeabilidade

Mucoe Hogan. J Allergy Clin Immunol 2009 MECÂNICO Peristalse Epitélio Renovação epitelial Tipos de permeabilidade e

EpitélioHogan. J Allergy Clin Immunol 2009 MECÂNICO Peristalse Muco Renovação epitelial Tipos de permeabilidade e funções

Renovação epitelialClin Immunol 2009 MECÂNICO Peristalse Muco Epitélio Tipos de permeabilidade e funções de proteção. domingo,

Tipos de permeabilidade e funções de proteção.

domingo, 16 de janeiro de 2011

COMPONENTES DA BARREIRA INTESTINAL
COMPONENTES DA
BARREIRA INTESTINAL
COMPONENTES DA BARREIRA INTESTINAL domingo, 16 de janeiro de 2011 MICROBIOLOGIA Aquisição de flora materna.

domingo, 16 de janeiro de 2011

MICROBIOLOGIA

Aquisição de flora materna. desenvolvimento imuneINTESTINAL domingo, 16 de janeiro de 2011 MICROBIOLOGIA Equilíbrio como proteção. Antagonismo bacteriano.

Equilíbrio como proteção. Antagonismo bacteriano.MICROBIOLOGIA Aquisição de flora materna. desenvolvimento imune Resistência a colonização. Inibição de contato.

Resistência a colonização.de flora materna. desenvolvimento imune Equilíbrio como proteção. Antagonismo bacteriano. Inibição de contato.

Inibição de contato.flora materna. desenvolvimento imune Equilíbrio como proteção. Antagonismo bacteriano. Resistência a colonização.

FUNÇÃO DA MICROBIOTA
FUNÇÃO DA MICROBIOTA

Como o TGI consegue distinguir bactérias comensais das patogênicas?FUNÇÃO DA MICROBIOTA Qual a importância do sistema comensal no desenvolvimento imunológico em mamíferos? domingo, 16

Qual a importância do sistema comensal no desenvolvimento imunológico em mamíferos?FUNÇÃO DA MICROBIOTA Como o TGI consegue distinguir bactérias comensais das patogênicas? domingo, 16 de janeiro

domingo, 16 de janeiro de 2011

Janine L. Coombes & Fiona Powrie Nature Reviews Immunology 8 , 435-446 (June 2008) GALT
Janine L. Coombes & Fiona Powrie Nature Reviews Immunology 8 , 435-446 (June 2008)
Janine L. Coombes & Fiona Powrie Nature Reviews Immunology 8 , 435-446 (June 2008)

Janine L. Coombes & Fiona PowrieNature Reviews Immunology 8, 435-446 (June 2008)

GALT

SISTEMA IMUNE DE DEFESA

domingo, 16 de janeiro de 2011

Potenciais rotas de translocação bacteriana
Potenciais rotas de
translocação bacteriana

Linfonodo

INVASÃO

rotas de translocação bacteriana Linfonodo INVASÃO Vascular Ducto torácico Linfa Coração Fígado domingo, 16
rotas de translocação bacteriana Linfonodo INVASÃO Vascular Ducto torácico Linfa Coração Fígado domingo, 16

Vascular

de translocação bacteriana Linfonodo INVASÃO Vascular Ducto torácico Linfa Coração Fígado domingo, 16 de
de translocação bacteriana Linfonodo INVASÃO Vascular Ducto torácico Linfa Coração Fígado domingo, 16 de

Ducto torácico

bacteriana Linfonodo INVASÃO Vascular Ducto torácico Linfa Coração Fígado domingo, 16 de janeiro de 2011

Linfa

bacteriana Linfonodo INVASÃO Vascular Ducto torácico Linfa Coração Fígado domingo, 16 de janeiro de 2011
bacteriana Linfonodo INVASÃO Vascular Ducto torácico Linfa Coração Fígado domingo, 16 de janeiro de 2011
bacteriana Linfonodo INVASÃO Vascular Ducto torácico Linfa Coração Fígado domingo, 16 de janeiro de 2011

Coração

Fígado

domingo, 16 de janeiro de 2011

EVOLUÇÃO DOS ESTUDOS
EVOLUÇÃO DOS ESTUDOS

FOCO NA INFECÇÃOEVOLUÇÃO DOS ESTUDOS FOCO NO HOSPEDEIRO domingo, 16 de janeiro de 2011

FOCO NO HOSPEDEIROEVOLUÇÃO DOS ESTUDOS FOCO NA INFECÇÃO domingo, 16 de janeiro de 2011

domingo, 16 de janeiro de 2011

EVOLUÇÃO DOS ESTUDOS FOCO NA INFECÇÃO FOCO NO HOSPEDEIRO domingo, 16 de janeiro de 2011
COMPONENTES ESTRUTURAIS
COMPONENTES
ESTRUTURAIS
COMPONENTES ESTRUTURAIS Groschwitz e Hogan. J Allergy Clin Immunol 2009 domingo, 16 de janeiro de 2011

Groschwitz e Hogan. J Allergy Clin Immunol 2009

domingo, 16 de janeiro de 2011

Desmosomas - lateraisJ Allergy Clin Immunol 2009 domingo, 16 de janeiro de 2011 Junções aderentes (AJ) -Laterais Tight

Junções aderentes (AJ) -LateraisAllergy Clin Immunol 2009 domingo, 16 de janeiro de 2011 Desmosomas - laterais Tight junction (TJ)

Tight junction (TJ) - ApicaisClin Immunol 2009 domingo, 16 de janeiro de 2011 Desmosomas - laterais Junções aderentes (AJ) -Laterais

Citoesqueleto2009 domingo, 16 de janeiro de 2011 Desmosomas - laterais Junções aderentes (AJ) -Laterais Tight junction

COMPONENTES ESTRUTURAIS DA BARREIRA
COMPONENTES ESTRUTURAIS DA
BARREIRA
COMPONENTES ESTRUTURAIS DA BARREIRA Groschwitz e Hogan. J Allergy Clin Immunol 2009 domingo, 16 de janeiro

Groschwitz e Hogan. J Allergy Clin Immunol 2009

domingo, 16 de janeiro de 2011

AJ -Caderinas/ cateninas.J Allergy Clin Immunol 2009 domingo, 16 de janeiro de 2011 TJ - Ocludinas,claudinas, moléculas de

TJ - Ocludinas,claudinas, moléculas de adesão funcional (JAMs)domingo, 16 de janeiro de 2011 AJ -Caderinas/ cateninas. Ocludinas - permeabilidade paracelular. Claudinas - canais

Ocludinas - permeabilidade paracelular. Claudinas - canais seletivos iônicos. JAMs -Imunoglobulina de adesão leucocitária.

MUTAÇÕES DETECTADAS EM TRANSLOCAÇÃO
MUTAÇÕES DETECTADAS EM
TRANSLOCAÇÃO

TABLE I. Transgenic or knockout mice and effects on intestinal barrier function

Protein

Transgenic or knockout

Function

Phenotype

Occludin

Gene deletion

TJ protein

No change in TJs or permeability

Claudin-1

Gene deletion

TJ protein

Die within 1 d of birth

Claudin-6

Epidermis transgenic

TJ protein

Disrupted TJ formation and increased epithelial permeability

JAM-A

Gene deletion

TJ protein

Increased intestinal permeability

 

Increased claudin-10 and claudin-15 expression

 

Increased susceptibility to DSS colitis

IL-9

Intestinal transgenic

Cytokine

Increased intestinal mast cell

 

Increased intestinal permeability

 

Increased susceptibility to oral antigen sensitization and anaphylaxis

IL-10

Gene deletion

Cytokine

Increased permeability; spontaneously have chronic colitis similar to CD

Groschwitz e Hogan. J Allergy Clin Immunol 2009

domingo, 16 de janeiro de 2011

DISFUNÇÃO DA BARREIRA INTESTINAL
DISFUNÇÃO DA
BARREIRA INTESTINAL

Fatores exógenos.DISFUNÇÃO DA BARREIRA INTESTINAL Apoptose epitelial e capacidade de regeneração. Citocinas sistêmicas Atividade

Apoptose epitelial e capacidade de regeneração.DISFUNÇÃO DA BARREIRA INTESTINAL Fatores exógenos. Citocinas sistêmicas Atividade imune intestinal Sistema nervoso

Citocinas sistêmicasexógenos. Apoptose epitelial e capacidade de regeneração. Atividade imune intestinal Sistema nervoso entérico

Atividade imune intestinalepitelial e capacidade de regeneração. Citocinas sistêmicas Sistema nervoso entérico domingo, 16 de janeiro de 2011

Sistema nervoso entéricoepitelial e capacidade de regeneração. Citocinas sistêmicas Atividade imune intestinal domingo, 16 de janeiro de 2011

domingo, 16 de janeiro de 2011

ESTUDO MOLECULAR FATORES PREDISPONENTES
ESTUDO MOLECULAR
FATORES PREDISPONENTES

TABLE II. Diseases associated with altered TJ protein expression and intestinal epithelial barrier function

Disease state

TJ proteins

Inflammatory cell/cytokine

Proposed mechanism

Food allergy

Not defined

Mast cells

Mast cell–mediated degradation of TJ proteins

IBD

Y Claudin-3, claudin-4, claudin-5, and claudin-8 [ Claudin-2

CD4 1 T cells IL-10, IFN-g , and TNF-a and MLCK

IFN-g– and TNF-a–mediated activation of MLCK leading to TJ disruption and dysregulation of claudin and occludin expression

Celiac disease

Occludin and ZO-1

Zonulin

Gliadin-induced zonulin secretion by intestinal epithelial cells

 

Zonulin-induced downregulation of

occludin/ZO-1

Diabetes

Not defined

Zonulin

Increased zonulin secretion

Stress

Occludin and ZO-1

Mast cells and corticotrophin- releasing hormone

Destabilization and redistribution of occludin/

ZO-1

Groschwitz e Hogan. J Allergy Clin Immunol 2009 REGULAÇÃO IMUNE DAS FUNÇÕES DE BARREIRA INTESTINAL

Groschwitz e Hogan. J Allergy Clin Immunol 2009

REGULAÇÃO IMUNE DAS FUNÇÕES DE BARREIRA INTESTINAL
REGULAÇÃO
IMUNE
DAS
FUNÇÕES DE
BARREIRA
INTESTINAL

Relação de defesa:

Linfócito/Epitélio

Intestino delgado: 1 para 10 Intestino Grosso: 2-5 por 100

Intestino delgado: 1 para 10 Intestino Grosso: 2-5 por 100 Alteração de fluxo iônico, permeabilidade e

Alteração de fluxo iônico, permeabilidade e redistribuição de moléculas de adesão.

domingo, 16 de janeiro de 2011

Controle neural do tgi
Controle neural do tgi
Intestino -Fugal Motores Aferente Cajal Interneurônio Cho Vasomotor Cajal Cho Aferente Cel mucosa
Intestino -Fugal
Motores
Aferente
Cajal
Interneurônio
Cho
Vasomotor
Cajal
Cho
Aferente
Cel mucosa
Enterocromafin
Vasomotor Cajal Cho Aferente Cel mucosa Enterocromafin Mazzone,A.;Fraguai.; Neurogastroenterology. Gastroenterol

Mazzone,A.;Fraguai.; Neurogastroenterology. Gastroenterol Clin N Am, 2007

domingo, 16 de janeiro de 2011

Sistema nervoso entérico
Sistema nervoso entérico

Regulação de absorção e secreção.Sistema nervoso entérico Regulação de fluxo sangüíneo Regulação de motilidade Regulação da atividade imune

Regulação de fluxo sangüíneonervoso entérico Regulação de absorção e secreção. Regulação de motilidade Regulação da atividade imune

Regulação de motilidadeabsorção e secreção. Regulação de fluxo sangüíneo Regulação da atividade imune Regulação de atividade

Regulação da atividade imuneRegulação de fluxo sangüíneo Regulação de motilidade Regulação de atividade regenerativa domingo, 16 de janeiro

Regulação de atividade regenerativaRegulação de fluxo sangüíneo Regulação de motilidade Regulação da atividade imune domingo, 16 de janeiro de

domingo, 16 de janeiro de 2011

Regeneração e tipos celulares intestinais
Regeneração e tipos
celulares intestinais

Paneth cell

domingo, 16 de janeiro de 2011

intestinais Paneth cell domingo, 16 de janeiro de 2011 TA cell Basement membrane Stem cell Mesenchymal

TA cell

Basement

membrane

Stem cell

Mesenchymal

cell

Enterócitos2011 TA cell Basement membrane Stem cell Mesenchymal cell Células produtoras de muco. Células de Paneth

Células produtoras de muco.de 2011 TA cell Basement membrane Stem cell Mesenchymal cell Enterócitos Células de Paneth Enterocromafins Stem

Células de Panethcell Basement membrane Stem cell Mesenchymal cell Enterócitos Células produtoras de muco. Enterocromafins Stem cells

EnterocromafinsBasement membrane Stem cell Mesenchymal cell Enterócitos Células produtoras de muco. Células de Paneth Stem cells

Stem cellsmembrane Stem cell Mesenchymal cell Enterócitos Células produtoras de muco. Células de Paneth Enterocromafins

Regulação neural do sistema imune do tgi
Regulação neural do
sistema imune do tgi

VIA ADRENÉRGICA

ATIVIDADE

PRÓ-INFLAMATÓRIA

domingo, 16 de janeiro de 2011

VIA COLINÉRGICA

Estudos em trauma craniano.

domingo, 16 de janeiro de 2011 VIA COLINÉRGICA Estudos em trauma craniano. A T I V
domingo, 16 de janeiro de 2011 VIA COLINÉRGICA Estudos em trauma craniano. A T I V

ATIVIDADE

ANTI-INFLAMATÓRIA

CONCLUSÕES

CONCLUSÕES As funções de Barreira são influenciadas por: 1. Equilíbrio microbiológico. 2.Atividades das células

As funções de Barreira são influenciadas por:

1. Equilíbrio microbiológico.

2.Atividades das células dendríticas.

3.Atividade neural

4.Estado de manutenção mecânico do epitélio.

5.Capacidade Regenerativa

domingo, 16 de janeiro de 2011

O INTESTINO BOMBA
O INTESTINO BOMBA
O INTESTINO BOMBA A SEMENTE DA DESTRUIÇÃO NA SEPSE E TRAUMA domingo, 16 de janeiro de

A SEMENTE DA DESTRUIÇÃO NA SEPSE E TRAUMA

domingo, 16 de janeiro de 2011

domingo, 16 de janeiro de 2011

OBRIGADO

www.tajramed.com.br