Você está na página 1de 9

Agrupamento de Escolas Nadir Afonso – Chaves

1. Introdução

O Plano de Acção das Bibliotecas Escolares para o quadriénio 2009/2013 encontra-se dividido em
quatro grandes áreas de intervenção: apoio ao desenvolvimento curricular; leitura e literacias;
projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidade e gestão da biblioteca.
Com base na análise SWOT efectuada verificámos os pontos fortes e as fraquezas que passamos
a descrever:

PONTOS FORTES

 A BE está presente nos documentos estruturantes do Agrupamento


 Participação da coordenadora das BE’s no Conselho Pedagógico
 Existência de duas professoras bibliotecárias
 Determinação e perseverança das PB’s para vencer obstáculos do dia-a-dia
 Empenho e dinamismo das PB’s na realização das tarefas inerentes ao cargo
 Definição de tarefas para os elementos da equipa e apoio
 A BE funciona em horário contínuo, correspondente ao dos alunos
 A BE procura estar actualizada de modo a responder às solicitações dos
utilizadores
 BE dotada de bons equipamentos (computadores novos com ligação à Internet;
projector multimédia);
 Auscultação aos docentes para actualização/enriquecimento do fundo
documental
 Articulação de actividades e material com as bibliotecas/ escolas do Agrupamento
 Trabalho articulado com os docentes de Língua Portuguesa / ACND para a
execução de projectos de promoção da leitura recreativa
 Coordenação do PNL - elaboração de um Projecto PNL do Agrupamento
 Organização de actividades de promoção da leitura e da escrita: semana da
leitura, concursos de escrita, encontro com escritor, feira do livro, exposição de
trabalhos,…
 Inserção no PAA de projectos de trabalho entre escolas e/ ou entre turmas de
vários níveis de ensino;
 Disponibilização de guiões de pesquisa de apoio ao utilizador
 A BE promove o uso da Internet e das TIC como ferramenta de acesso à
informação, produção e como um recurso da aprendizagem
 Solicitação de temas a tratar ao nível dos PCT/ ACND para a disponibilização de
materiais;
 Elaboração de relatórios de avaliação das actividades dinamizadas pela BE
 Produção de materiais de apoio ao tratamento de determinados temas

Plano de Acção das Bibliotecas Escolares 2009-2013 1


Agrupamento de Escolas Nadir Afonso – Chaves

PONTOS FRACOS

 Colecção aquém da desejada no que respeita à variedade e quantidade


 Instalações pouco espaçosas, atendendo ao nº de alunos das Escolas
 Sistema de catalogação interrompido na Escola Sede e inexistente no 1º ciclo
 Dificuldade em modificar a postura dos outros face à BE, nomeadamente a sua
valorização enquanto espaço dotado de recursos materiais e humanos
fundamentais ao trabalho diário da sala de aula;
 Pesquisa de informação sem recurso a um guião de pesquisa
 Falta de um sistema de avaliação contínua dos serviços
 A Escola não tem uma cultura de auto-avaliação das práticas implementadas
 Verba atribuída para actualização da colecção é insuficiente
 Em revisão o documento de PDC
 Falta de tempo, por parte da equipa, para a realização de todas as tarefas
necessárias

Para cada área de intervenção foram formulados objectivos e propostas de actividades em


consonâncias com as metas do Projecto Educativo do Agrupamento.

A- APOIO AO DESENVOLVIMENTO CURRICULAR

Metas do Projecto Educativo

“Garantir a estes alunos uma maior qualidade nas respostas educativas e escolares,
equacionadas no âmbito de uma gestão mais flexível do currículo por parte do professor,
permitindo aos alunos uma efectiva inclusão na escola e no meio”

“Promover o trabalho em equipa entre professores e a partilha de materiais diversos”


“A BE/CRE tem que ser vista como um recurso, dentro da escola e da sociedade de
informação em que estamos inseridos, como uma estrutura dotada de equipamentos e
recursos passíveis de alteração de práticas de aprendizagem (metodologias activas),
permitindo a criação de situações diversificadas e ambientes promotores de autonomia e
construção do conhecimento, contribuindo deste modo para o sucesso escolar na escola”.
“Promover o ensino diferenciado; a aprendizagem cooperativa; as aprendizagens activas
através da experimentação e da reflexão sobre a prática; a avaliação contínua e
diferenciada; o apoio sócio-educativo e psicológico, no sentido de uma escola inclusiva.”

Plano de Acção das Bibliotecas Escolares 2009-2013 2


Agrupamento de Escolas Nadir Afonso – Chaves

“O processo ensino-aprendizagem centra-se no aluno e numa lógica de pesquisa


(aprender a aprender), autonomia e rigor científico. Trabalhar competências metodológicas
ao nível da recolha, do tratamento e da organização da informação vão alicerçando o
sucesso escolar dos alunos.”

“Organizar e implementar um sistema de ocupação dos alunos durante o horário escolar.”

Fundamentação:
Ao longo do tempo, “o acto de ler tem sido objecto de investigações mais ou menos
profundas, onde se têm cruzado influências da psicologia, linguística, antropologia,
sociologia, informática, cibernética, modelos de aprendizagem e prática pedagógica”
(Sequeira, 1998:73). A leitura assume, assim, um carácter transversal, visto que o sucesso
escolar dos alunos depende da sua aquisição. Os estudos relatados sobre os índices de
literacia no nosso país mostram que pouco se tem evoluído na forma de tratar o problema
e que Portugal é, lamentavelmente, o País da União Europeia onde a população
apresenta os mais baixos comportamentos de leitura e de recurso à informação e o que
apresenta uma maior taxa de abandono escolar precoce (41,1%). A leitura ocupa, um
lugar de realce na sociedade actual, pelo que se torna fundamental ensinar o aluno a ler,
já que é através da leitura que adquire a informação e é confrontado com novos
conhecimentos. vantagens dos que a fazem bem e depressa são importantes. A leitura
está ligada a todos os actos do dia-a-dia (como por exemplo, leitura de rótulos de
produtos, informações em locais públicos, preenchimento de impressos, cheques,
documentos, as posologias dos medicamentos, as instruções de equipamentos
electrónicos de uso doméstico, etc). Não dominar esta ferramenta é altamente limitativo,
tornando os sujeitos “analfabetos funcionais” (Credaro:2004).
Fortalecer o hábito e a compreensão da leitura é um objectivo primordial.
A produção de materiais e a elaboração de dossiers com fichas de trabalho e respectivas
soluções é uma aposta deste nosso plano de acção, assim como textos de apoio para
várias disciplinas ou áreas.
Preparar semanas temáticas de apoio às actividades lectivas e comemorações de
efemérides. A formação de utilizadores deverá ser uma área prioritária de intervenção
neste quadriénio, para que todos os utilizadores possam usufruir dos recursos da
biblioteca cada vez mais e melhor.

1 - OBJECTIVO GERAL: APOIAR AS ACTIVIDADES LECTIVAS DE ENSINO-APRENDIZAGEM

1.1 Fazer o levantamento periódico, com os docentes, das oportunidades de colaboração


com a BE, de acordo com as planificações e currículos.
1.2 Organizar com os docentes o apoio da BE aos alunos nas Áreas de Projecto

Plano de Acção das Bibliotecas Escolares 2009-2013 3


Agrupamento de Escolas Nadir Afonso – Chaves

1.3 Produzir materiais didácticos e outros documentos de apoio.


1.4 Organizar dossiers temáticos.

B. LEITURA E LITERACIAS

Metas do Projecto Educativo

“Investir no Plano Nacional de Leitura”

“Fomentar o gosto pela leitura e pela consulta de informação”

“Incentivar a curiosidade e o interesse pelo saber através da promoção e dinamização de


concursos que fomentem o gosto pelas diferentes áreas do conhecimento”

“Neste âmbito, a BE/CRE, deve contribuir para o desenvolvimento da informação de modo


a garantir a literacia necessária para formar cidadãos activos.”

Fundamentação:

Uma boa parte das campanhas de animação da leitura falham precisamente porque se põem em
prática sem ter em conta o modo como se processam as diversas operações que intervêm durante
o processo leitor e sem as quais o leitor não pode compreender o texto para o interpretar e
perceber. Os livros seleccionados devem ser escolhidos com base em critérios de qualidade. A
imposição, muitas vezes, de textos que não são atractivos, pode ser contraproducente para os
interesses e objectivos que nos propomos alcançar. Fortalecer o hábito e a compreensão da
leitura é um objectivo primordial da Escola, a iniciar na educação pré-escolar e a consolidar nos
restantes ciclos de ensino.
Porém, ao falarmos do gosto, do interesse pela leitura, referimo-nos à aquisição da leitura
compreensiva, leitura que vai mais além do acto de unir sons, reconhecer grafias, recordar
significados, decifrar palavras. A realização de diversas actividades condutoras da promoção do
livro e da leitura tem sido uma prioridade no nosso trabalho. Continuaremos apostar na criação de
hábitos de leitura e formar jovens leitores, tendo sempre em atenção a leitura e a literacia de
leitura.

2 - OBJECTIVO GERAL : PROMOVER E ANIMAR A LEITURA

2.1 Elaborar guias de leitura segundo diferentes critérios


2.2 Desenvolver actividades diversas de promoção do livro e da leitura
2.3 Planear a vinda de escritores à BE

Plano de Acção das Bibliotecas Escolares 2009-2013 4


Agrupamento de Escolas Nadir Afonso – Chaves

C. PROJECTOS, PARCERIAS E ACTIVIDADES LIVRES E DE ABERTURA À COMUNIDADE

Metas do Projecto Educativo

“Organizar e implementar um sistema de ocupação dos alunos durante o horário escolar”.


“ Promoção do sucesso educativo e alargamento das competências dos alunos na área de
Língua Portuguesa.”

Fundamentação:
São várias as acções que poderão ser desenvolvidas pelos professores-bibliotecários nas
bibliotecas, tais como: organizar o trabalho com base em materiais e recursos diversificados,
dando atenção a situações do quotidiano; organizar trabalhos, prevendo a utilização de linguagens
de comunicação diversificadas; organizar actividades, elogiando situações de interacção e de
expressão oral e escrita que permitam aos alunos intervenções personificadas, autónomas e
críticas; apoiar os alunos na descoberta das diversas formas de organização da sua
aprendizagem; promover actividades integradoras dos conhecimentos, nomeadamente a
realização de projectos; criar na escola espaços e tempos para intervenção livre dos alunos;
organizar acções, prevendo e orientando a execução de actividades individuais, a pares, em
grupos e colectivas. A frequência de utilizadores muito heterogéneos, com diferentes níveis de
exigência, quer em termos de leitura, quer de utilização e acesso as recursos informáticos, quer na
procura de apoio a projectos muito distintos, exige um grau de competências muito diversificadas
da equipa e dos colaboradores.
Relativamente a parcerias, consideramos interessante criar um grupo de trabalho das bibliotecas
escolares do concelho, de modo a possibilitar a partilha de experiências, assim como a
dinamização de actividades conjuntas. Pensamos reunir uma vez por mês ou sempre que as
actividades assim o justifiquem.

3– OBJECTIVO GERAL : REFORÇAR E AMPLIAR O PAPEL FORMATIVO DA BE

3.1 Organizar com os docentes o apoio aos alunos em métodos e técnicas de estudo nas
horas de apoio ao estudo
3.2 Estabelecer parcerias com a escola e ou comunidade para a realização de acções da
iniciativa das BE´s.

D. GESTÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR

Metas do Projecto Educativo

Plano de Acção das Bibliotecas Escolares 2009-2013 5


Agrupamento de Escolas Nadir Afonso – Chaves

“ Elaborar um Plano Anual de Actividades articulado, quer entre ciclos quer entre as
diversas áreas do currículo”
“ Promover o gosto pela divulgação dos trabalhos através de exposições e da
utilização dos recursos informáticos nos diferentes estabelecimentos de ensino que
podem partir da iniciativa dos professores da turma ou dos conselhos de docentes e
Departamentos/grupos disciplinares/ Directores e Titulares de Turma.”

Fundamentação:
Neste quadriénio pretendemos actualizar o manual de procedimentos, assim como a
actualização do regulamento interno da BE e regimento.
Pensamos que, para tal teremos de dar continuidade à implementação de
instrumentos de avaliação das actividades da BE.
A BE funciona durante o horário lectivo, sem interrupção para almoço, à excepção das
bibliotecas de 1º ciclo, sendo este serviço assegurado pelas assistentes operacionais.
A BE da escola-sede ficará aberta, às quartas-feiras, 2 horas durante o período da
noite. As BE’s têm zonas funcionais adequadas: acolhimento, leitura informal, leitura
de materiais impressos, multimédia e internet e zona de vídeo e áudio.
O fundo documental está bastante desactualizado, pelo que teremos de proceder ao
seu desbaste seguindo uma politica adequada.
A informatização do fundo documental não tem funcionado por não ter havido um
elemento na equipa com formação em Bibliobase. Nos próximos anos lectivos o
serviço vai ser assegurado com o apoio de um professor de TIC, o qual irá tentar
produzir um catálogo em rede e registos actualizados, das bibliotecas do
agrupamento, visto não haver por parte da entidade competente disponibilidade para
organizar o catálogo em linha das BE’ do 1º Ciclo. Continuamos a apostar na
organização dos recursos humanos, tentando facultar acções de formação de
utilizadores da BE. A equipa é constituída por quatro elementos, incluindo a
coordenadora. Para além desta equipa, temos um grupo de professores
colaboradores que desejamos manter, mas que poderá sofrer alterações a qualquer
momento. Cada professor tem tarefas próprias, participando em todas a actividades
da BE, sempre que seja necessário. A coordenadora, conforme consta do
Regulamento Interno da Escola, tem assento no Conselho Pedagógico.
O Director tem sempre demonstrado abertura e disponibilizado verbas para aquisição
de acervo para as BE´s. Realizamos algumas actividades para angariação de receitas,
como é o caso das feiras do livro.
Até ao momento fizemos listagens de documentos (livro e não-livro) existentes na BE
e dos livros do PNL.
Temos como objectivo criar um boletim informativo de periodicidade mensal, a ser
distribuído pelas escolas do agrupamento.

Plano de Acção das Bibliotecas Escolares 2009-2013 6


Agrupamento de Escolas Nadir Afonso – Chaves

4 – OBJECTIVO GERAL: CONTRIBUIR PARA UMA GESTÃO MAIS EFICIENTE DA BE

4 . 1 Apresentar e divulgar amplamente o Plano de acção da BE na escola e comunidade.


4.2 Actualizar o manual de procedimentos
4.3 Criar instrumentos de recolha e registo sistemático de dados para avaliação da actividade
da BE
4.4 Manter dossiers organizados com toda a documentação existente na BE.

5- OBJECTIVO GERAL: MELHORAR AS CONDIÇÕES DE INSTALAÇÃO E EQUIPAMENTO NA ESCOLA -SEDE

5.1 Melhorar o software hardwere existente na BE


5.2 Adquirir um PC para o módulo de pesquisa do catálogo
5.3 Melhorar as condições de trabalho no gabinete da equipa
5.4 Elaborar nova planta da BE
5.5 Adquirir mesas para os computadores

6- OBJECTIVO GERAL : ORGANIZAR OS RECURSOS HUMANOS

6.1 Manter a equipa da BE e a equipa de apoio


6.2 Estabelecer o conteúdo funcional dos elementos da equipa
6.3 Estabelecer um horário com os tempos e formas de participação das professoras
bibliotecárias e da restante equipa
6.4 Manter a participação regular da coordenadora no Conselho Pedagógico
6.5 Definir um plano de formação breve para os elementos da equipa e professores do
agrupamento

7 – OBJECTIVO GERAL: MOBILIZAR RECURSOS FINANCEIROS

7.1 Organizar actividades conducentes à realização de receitas


7.2 Apresentar ao órgão de gestão uma proposta de orçamento devidamente fundamentada.

8– OBJECTIVO GERAL : ESTABELECER E APLICAR UM CONJUNTO DE PRINCÍPIOS DE POLITICA


DOCUMENTAL ADEQUADOS À ESCOLA.

8.1 Avaliar o acervo


8.2 Proceder à conservação e restauro de obras
8.3 Realizar o desbaste periódico da colecção do fundo documental
8.4 Recolher pedidos e sugestões de aquisição de documentos junto da comunidade

Plano de Acção das Bibliotecas Escolares 2009-2013 7


Agrupamento de Escolas Nadir Afonso – Chaves

9- OBJECTIVO GERAL :M ANTER O FUNDO DOCUMENTAL ORGANIZADO

9 .1 Manter o livro de registo actualizado


9.2 Automatizar o catálogo a 20%
9.3 Facilitar o acesso à informação e documentação existente, mediante um sistema
adequado de classificação, indexação, cotação e arrumação em livre acesso.

10 – OBJECTIVO GERAL : DIFUNDIR RECURSOS

10. 4 Elaborar listagens da documentação existente na BE para as diferentes áreas e


conteúdos programáticos
10.5 Divulgar o catálogo existente/ listagens online
10.6 Manter o boletim mensal da BE
10.7 Divulgar novidades de leituras no site da escola e da BE
10.8 Promover a mostra de trabalhos realizados pelos alunos

11- RECURSOS HUMANOS

Director Executivo
Professoras - bibliotecárias
Equipa BE
Professores colaboradores
Professores do Agrupamento
Pais/ associação de pais e encarregados de educação
Alunos do Agrupamento
Assistentes operacionais
Elementos da Comunidade

12- CALENDARIZAÇÂO

Ao longo de quatro anos lectivos e de acordo com o PAA.

13- ACÇÕES A IMPLEMENTAR

 Mostrar as potencialidades da BE ao serviço da aprendizagem dos alunos e comunidade


educativa;
 Sensibilizar para o papel da BE como espaço de construção de conhecimento e de prazer
e não como penalização
 Desenvolver, de forma sistemática, actividades no âmbito da promoção da leitura.

Plano de Acção das Bibliotecas Escolares 2009-2013 8


Agrupamento de Escolas Nadir Afonso – Chaves

 Organizar sessões de leitura com o objectivo de promover o gosto pela leitura.


 Continuar a desenvolver as propostas do PNL
 Promover encontros com escritores
 Promover articulação da leitura com os diferentes domínios curriculares e com os
docentes.
 Incentivar os alunos a utilizar a BE para ler de forma recreativa, para se informar ou para
realizar trabalhos escolares.
 Conseguir aumentar a utilização dos recursos da BE, por professores de todos os
Departamentos
 Afectar à equipa outros elementos do pessoal docente
 Promover sessões de formação em Bibliobase, para elementos da equipa
 Disponibilizar uma colecção variada e adequada aos gostos e interesses dos alunos e
professores.
 Actualizar o documento de PDC
 Desbaste da colecção
 Aplicação de questionários a alunos sobre as suas preferências
 Disponibilização, na Plataforma Moodle, da listagem do fundo documental para cada área
disciplinar
 Divulgação das aquisições/ofertas
 Desenvolvimento de acções de formação/ reflexão sobre o papel e funções da BE na
Escola
 Desenvolvimento de acções de formação para docentes e encarregados de educação
sobre a importância da leitura, como apoio e progressão nas aprendizagens
 Incentivar os alunos o acederem à leitura em ambientes digitais
 Facultar aos alunos/ professores sites de interesse
 Convencer os alunos de que a Internet não é o único meio para investigar, estimulando o
acesso a outros suportes
 Desenvolver trabalhos e interagir com equipamentos e ambientes informacionais variados.
 Promover formação na área da literacia da informação
 Elaborar instrumentos de avaliação
 Questionários a alunos e professores
 Registos sobre a utilização da BE
 Registos das opiniões sobre as acções realizadas

Chaves, 30 de Outubro de 2009


As professoras - bibliotecárias

___________________________________ __________________________________

Plano de Acção das Bibliotecas Escolares 2009-2013 9