Você está na página 1de 1

Libertao Nacional, Renascimento Nacional, Restituio da Nao ao Povo,

CommonweaIth, quaisquer que sejams rubricas utilizadas ou as novas frmulas


introduzidas, a descolonizao sempre um fenmeno violento. descolonizao
simplesmente a substituio de uma "espcie" de homens por outra "espcie" de
homens. Sem transio, h substituio total,completa, absoluta.
Sem dvida poder-se-ia igualmente mostrar o aparecimento de uma nova nao, a
instalao de um nvo Estado, suas relaes diplomticas, sua orientao
poltica,econmica. Mas ns preferimos falar precisamente dsse tipo de tbula rasa que
caracteriza de sada toda descolonizao.
Sua importncia invulgar decorre do fato de que ela constitui, desde o primeiro dia, a
reivindicao mnima do colonizado.
Para dizer a verdade, a prova do xito reside num panorama social transformado de aIto
a baixo. A extraordinria importncia de tal transformao ser ela querida, reclamada,
exigida. A necessidade da transformao existe em estado bruto,impetuoso e coativo, na
conscincia e na vida dos homens e mulheres colonizados. Mas a eventualidade dessa
mudana igualmente vivida sob a forma de um futuro terrificante: na conscincia de
uma outra "espcie" de homens e mulheres:os colonos.
A descolonizao, que se prope mudar a ordem do mundo, , est visto, um programa
de desordem absoluta. Mas no pode ser o resultado de uma operao mgica, de um
abalo natural ou de um acrdo amigvel. A descolonizao,sabemo-lo, um processo
histrico, isto , no pode ser compreendida, no encontra a sua inteligibilidade, no se:
torna transparente para si mesma seno na exata medida em que se faz discernvel o
movimento historicizante que lhe: d forma e contedo.
A descolonizao o encontro de duas fras congnitamente antagnicas que extraem
sua originalidade precisamente dessa espcie de substantificao que segrega e alimenta
a situao colonial. Sua primeira confrontao se desenrolou sob o signo da violncia, e
sua coabitao ou melhor, a explorao do colonizado pelo colono - foi levada a cabo
com grande refro de baionetas e canhes. O colono e o colonizado so ve1hos
conhecidos. E, de fato, o colono tem razo quando diz que "os" conhece. o colono que
fz e continua a fazer o colonizado. O colono tira a sua verdade,isto , os seus bens, do
sistema colonial.