Você está na página 1de 20
Doenças Transmissíveis /Doenças Crônicas Não – Transmissíveis (DCNT)
Doenças Transmissíveis /Doenças
Crônicas Não – Transmissíveis
(DCNT)
Saúde Coletiva ll – 3º período Técnico em Enfermagem Prof.ª Eva
Saúde Coletiva ll – 3º período
Técnico em Enfermagem
Prof.ª Eva
Doenças Transmissíveis
Doenças Transmissíveis
• A doença – desajustamento ou uma falha nos mecanismos de adaptação do organismo ou
• A doença – desajustamento ou uma falha nos
mecanismos de adaptação do organismo ou uma
ausência de reação aos estímulos a cuja ação está
exposto. O processo conduz a uma perturbação da
estrutura ou da função de um órgão.
2 categorias de doenças:
• Doença Infecciosa – manifestação resultante de uma
infecção;
• Doença não infecciosa – todas aquelas que não
resultarem de infecção: doença coronariana, diabetes e
outras – chamadas também de doenças não
transmissíveis
Conceitos Básicos
Conceitos Básicos
• Doença crônica: doenças que desenrolam a longo prazo • Doença aguda: são de curta
Doença crônica: doenças que desenrolam a longo
prazo
Doença aguda: são de curta duração
Infecção: penetração e desenvolvimento ou
multiplicação de um agente infeccioso no organismo
Doença contagiosa: doenças infecciosas cujos agentes
etiológicos atingem os sadios através do contato direto
desses com os indivíduos infectados. Ex: sarampo
Doença transmissível: qualquer doença causada por
um agente infeccioso, que se manifesta pela transmissão
deste agente, de uma pessoa ou animal infectados ou de
um reservatório a um hospedeiro suscetível.
Conceitos Básicos • Doenças Quarentáveis: podem levar a restrição de atividades aos comunicantes, durante o
Conceitos Básicos
• Doenças Quarentáveis: podem levar a restrição de atividades aos
comunicantes, durante o período máximo de incubação, a fim de
evitar a propagação da doença. Atualmente uma medida em
desuso.
• Doenças de isolamento: exigem a segregação dos indivíduos
doentes durante o período de transmissibilidade da doença.
Ex: tuberculose – isolamento respiratório – uso de máscaras.
cólera – isolamento entérico – luva para lidar com as fezes.
• Período de Transmissibilidade: período durante o qual o agente
infeccioso pode ser transferido de uma pessoa infectada a outra.
• Infectividade: capacidade que tem de certos organismos de
penetrar e de se desenvolver ou multiplicar-se no hospedeiro,
ocasionando infecção.
• Patogenicidade: é a qualidade que tem o agente infeccioso de,
uma vez instalado no organismo do homem, produzir sintomas em
maior ou menor proporção dentre os hospedeiros infectados.
Conceitos Básicos
Conceitos Básicos
• Virulência: é a capacidade de um bioagente produzir casos graves ou fatais • Dose
• Virulência: é a capacidade de um bioagente
produzir casos graves ou fatais
• Dose infectante: é a quantidade do agente
etiológico necessária para iniciar uma infecção
• Poder invasivo: capacidade que tem o parasita
de se difundir, através de tecidos, órgãos e

sistemas do hospedeiro. Imunogenicidade: também chamado de poder imunogênico, é a capacidade que tem o bioagente para induzir imunidade no hospedeiro

também chamado de poder imunogênico, é a capacidade que tem o bioagente para induzir imunidade no
Conceitos Básicos • Transmissão: transmitir significa levar ou fazer passar algo de um ponto a
Conceitos Básicos
• Transmissão: transmitir significa levar ou fazer passar
algo de um ponto a outro.
• Veículos de transmissão: veículos são objetos ou
materiais contaminados que sirvam de meio mecânico,
auxiliando um agente infeccioso a ser transportado e
introduzido em um hospedeiro suscetível. São veículos: a
água, leite, outros alimentos e objetos contaminados.
Dentre os objetos citam-se peças de vestuário, roupas
de cama, utensílios de cozinha, instrumentos cirúrgicos e
fômites (objetos de uso do doente), e mais
partículas
de solo, poeira, ar, produtos biológicos, sangue para
transfusão, soro e plasma.
Exemplos de principais veículos de Doenças Transmissíveis • Alimentos: Teníase – Taenia solium, Taenia saginata
Exemplos de principais veículos de
Doenças Transmissíveis
• Alimentos: Teníase – Taenia solium, Taenia
saginata
• Fômites – Infecções hospitalares. Ex. cândida,
Staphylococcus
• Água utilizada como bebida – cólera,
hepatite A, poliomielite, Salmoneloses,
Shigeloses
• Ar atmosférico – caxumba, tuberculose,
varicela, sarampo, gripe, rúbeola
• Sangue para transfusão – AIDS, sífilis,
doença de Chagas
Mecanismos de Eliminação
Mecanismos de Eliminação
a) organismo infectado expele para o exterior, por ação Por eliminação natural: processo pelo qual
a)
organismo infectado expele para o exterior, por ação
Por eliminação natural: processo pelo qual um
natural. Ex: saliva, sêmem, secreções vaginais, mãe
para feto.
b) Por extração mecânica: processo pelo qual
bioagentes patogênicos são retirados do seu
hospedeiro. Ex: seringa, mosquitos.
c) Por morte de indivíduos infectados: só pode
ocorrer com a morte do hospedeiro infectado e com o
uso, como alimento, de parte do seu corpo. Ex: Taenia
saginata e solium veiculadas no músculo de porco e
gado abatidos.
Entrada em um novo Hospedeiro a) Diretamente de outro indivíduo da mesma espécie interiormente infectado.
Entrada em um novo Hospedeiro
a)
Diretamente de outro indivíduo da mesma
espécie interiormente infectado. Ex: contato
sexual
b)
Diretamente da mãe para o feto por via
placentária. Ex: doença de chagas, rubéola.
c)
Diretamente de indivíduos de outra espécie
igualmente suscetível. Ex: o vírus rábico – passado
ao homem pela mordida de cão raivoso.
d)
Introduzido por ação ou com a contribuição de
um vetor biológico infectado. Ex: o agente da
peste bubônica Yersinia pestis, é levado a circulação do
novo hospedeiro por picada de pulgas.
e)
Veiculado por algum elemento não vivo, seja
físico ou biológico. Ex: mãos contaminadas,
alimentos, instrumentos contaminados.
Mecanismos de Penetração a) Ingestão: água, alimentos em geral, mãos e objetos quando levados a
Mecanismos de Penetração
a)
Ingestão: água, alimentos em geral, mãos e objetos
quando levados a boca.
b)
Inalação através das vias respiratórias. Ex: gripe,
sarampo.
c)
Mãe para feto por via transplacentária.
d)
Penetração através das mucosas. Ex: olhos, boca.
e)
Penetração através da pele. Ex: feridas cirúrgicas
ferimentos acidentais, queimaduras podem servir de
porta de entrada para agentes infecciosos.
f)
Deposição sobre a pele seguida de propagação
localizada. Ex: fungos, dermatites, acesso ao couro
cabeludo, unhas, pele, por contato direto com
indivíduos infectados, ou indiretamente por contado
com objetos, pisos úmidos, instrumentos de barbearia
e manicure.
Mecanismos de Penetração
Mecanismos de Penetração
g) Penetração ativa por alguma forma de sobrevivência do bioagente patogênico. Ex: indivíduos infectados com
g) Penetração ativa por alguma forma de
sobrevivência do bioagente patogênico. Ex:
indivíduos infectados com Sarcoptes scabiei, agente da
sarna, entram em contato com o suscetível.
h) Introdução no organismo com auxílio de objetos
e instrumentos. Ex: acesso por orifícios naturais ou
através de perfurações cirúrgicas ou acidentais.
Transmissão por transfusão de sangue, pois a
penetração do bioagente se da por intrusão, no corpo,
com auxílio de objeto mecânico
i) Introdução em tecido muscular ou na corrente
sanguínea, por picadas de inseto ou por mordedura
de animais.
j) Ingestão com tecido animal utilizado como
alimento. Ex: teníase
Transmissão Direta Imediata
Transmissão Direta Imediata
O bioagente patogênico, sem passagem pelo meio ambiente, irá até o meio interno do individuo,
O bioagente patogênico, sem passagem
pelo meio ambiente, irá até o meio interno
do individuo, onde se desenvolve ou se
multiplica, estabelecendo a infecção.
Ex: DST, gonorreia, sífilis, herpes genital,
AIDS, candidíase, hepatite B.
Transmissão Direta Mediata
Transmissão Direta Mediata
Quando é eliminado por um individuo infectado, situado nas proximidades de um suscetível, com passagem
Quando é eliminado por um individuo
infectado, situado nas proximidades de
um suscetível, com passagem reduzida
pelo meio ambiente, até o meio interno do
individuo suscetível, onde se desenvolve
ou multiplica, estabelecendo a infecção.

3 possibilidades de veiculação do bioagente no contato mediato
3 possibilidades de veiculação do
bioagente no contato mediato
1. Por meio das mãos
1. Por meio das mãos

2. Por meio de fômites ex: chupeta, criança com gripe e coloca na boca de outra criança

criança com gripe e coloca na boca de outra criança 3. Por secreções oro nasais ex:
criança com gripe e coloca na boca de outra criança 3. Por secreções oro nasais ex:

3. Por secreções oro nasais ex: falar, tossir, espirrar (sarampo, tuberculose, hanseníase)

na boca de outra criança 3. Por secreções oro nasais ex: falar, tossir, espirrar (sarampo, tuberculose,
Transmissão Indireta
Transmissão Indireta
 Agentes patogênicos são eliminados e necessitam de um veículo ou hospedeiro intermediário, para percorrer
 Agentes patogênicos são eliminados e necessitam de um
veículo ou hospedeiro intermediário, para percorrer a
distância entre o individuo infectado e o suscetível.
Ex: Esquistossomose
 Doente elimina ovos das fezes nas proximidades de água
e que tenha caramujos das espécies B. glabrata, B.
straminea ou B. tenagophila, para que neles penetrem
para servir de intermediário do individuo suscetível.
Outro ex: Doença de Chagas
Doenças Crônicas Não – Transmissíveis (DCNT)
Doenças Crônicas Não – Transmissíveis
(DCNT)
Compõe – se de 4 elementos: 1. Biologia Humana 2. Estilo de Vida 3. Ambiente
Compõe – se de 4 elementos:
1. Biologia Humana
2. Estilo de Vida
3. Ambiente
4. Organização do Sistema de Atenção a
Saúde
Estilo de Vida
Estilo de Vida
Inclui hábitos e comportamentos adquiridos social ou culturalmente – tabagismo, alcoolismo, preferências dietéticas
Inclui hábitos e comportamentos adquiridos social
ou culturalmente – tabagismo, alcoolismo,
preferências dietéticas (sódio, quantidade
de calorias), medicações, drogas,
sedentarismo, não utilizar equipamentos
de proteção – EPI, decisão pessoal de
aderir a tratamentos e medidas
preventivas – individuo tem controle sobre
seus hábitos e atitudes prejudiciais a saúde.
Ambiente
Ambiente
Eventos externos ao corpo • Física – características do relevo, hidrografia, clima, etc. – poluentes
Eventos externos ao corpo
• Física – características do relevo, hidrografia, clima, etc.
– poluentes ambientais do ar, água e do solo, pesticidas.
• Social – nível sócio econômico, escolaridade.
• Psicológica – estresse e as tensões sociais
Organização do Sistema de Atenção a Saúde Disponibilidade quantitativa e qualitativa e a abrangência da
Organização do Sistema de Atenção a
Saúde
Disponibilidade quantitativa e qualitativa e a
abrangência da medida preventiva, curativa e de
reabilitação para toda a população, dependem
do sistema de atenção a saúde.
“Querendo prevenir males de ordinário contingente, o homem prudente vive sempre em tortura, gozando menos
“Querendo prevenir males de ordinário
contingente, o homem prudente vive
sempre em tortura, gozando menos do
presente do que sofre no futuro”.
Marquês de Maricá