Você está na página 1de 4
Aula Prática 1 – Máquinas Elétricas para Automação Prof. Cassiano Rech Prof. Tadeu Vargas E

Aula Prática 1 – Máquinas Elétricas para Automação Prof. Cassiano Rech Prof. Tadeu Vargas

EXPERIÊNCIA 1 – ENSAIO EM CURTO-CIRCUITO E A VAZIO

1

OBJETIVOS

O

objetivo desta experiência é possibilitar a

determinação dos parâmetros do circuito equivalente de transformadores monofásicos em

regime permanente através de ensaios a vazio e

em

curto-circuito realizados em laboratório.

1.1

NOMENCLATURAS

AT

e BT – Alta e Baixa Tensão

H1

e H2 – Terminais do lado de AT

X1

e X2 – Terminais do lado de BT

2 ENSAIO A VAZIO

2.1 MATERIAL NECESSÁRIO

A tabela a seguir descreve o material necessário para a realização deste ensaio.

 

Equipamento

Patrimônio

1

VARIAC monofásico

 

1

Voltímetro

 

1

Amperímetro

 

1

Wattímetro

 

1

Transformador monofásico

 
 

Cabos para ligação

 

2.2 PREPARAÇÃO

Anotar os dados de placa do transformador a ser ensaiado.

Potência nominal

S N =

[VA]

Tensão nominal V N =

[V]

Corrente nominal I N =

[A]

do Patrimônio

NP =

2.3

EXECUÇÃO

(i) Ligar o transformador em uma fonte de tensão variável, com frequência nominal, usualmente alimentando o lado de BT e deixando em vazio (aberto) o lado de AT, conforme esquema a seguir. Obs. Verificar se o VARIAC esta na posição 0 V.

V N = V v a z i o

 

I

v a z i o

 
 

W

   

X

1

   
   
   
 
A
A
P S L
P S
L
 
V 1
V
1
     
   
   
   
L   V 1           H 1 X 2 H 2 Figura

H 1

  V 1           H 1 X 2 H 2 Figura 1.

X

2

H

2

Figura 1. Diagrama para ensaio a vazio

(ii) Anotar a relação de transformação de placa.

V

1_placa

V

2_placa

Alimentar o transformador com o valor da tensão nominal (V 1 = V N ).

(iii) Anotar os valores da potência, corrente, tensão da Figura 1.

V vazio (V)

I vazio (A)

P vazio (W)

2.4 GUIA DE ANÁLISE

(i) Calcular a porcentagem da corrente primária a vazio relativa à corrente nominal para V 1 = V N .

I N (A)

I vazio (A)

I vazio (%)

parâmetros

magnetização, referidos ao lado de AT e de BT.

(ii) Calcular

os

da

impedância

R =

C

V vazio

2

P vazio

X =

M

V vazio

2

Q vazio

de

S

vazio

= V

vazio

I

vazio

Q =

vazio

2

vazio

P

vazio

2

S

(iii) Determinar o valor do fator de potência em

vazio.

cos( ϕ ) =

Aula Prática 1 – Máquinas Elétricas para Automação Prof. Cassiano Rech Prof. Tadeu Vargas 3

Aula Prática 1 – Máquinas Elétricas para Automação Prof. Cassiano Rech Prof. Tadeu Vargas

3

ENSAIO EM CURTO-CIRCUITO

3.4

GUIA DE ANÁLISE

3.1

MATERIAL NECESSÁRIO

A

seguir está descrito o material necessário para a

(i) Calcular a porcentagem da tensão primária em curto circuito, relativa a tensão primária nominal para I curto = I N .

realização deste ensaio:

 

Equipamento

Patrimônio

1

VARIAC monofásico

 

1

Voltímetro

 

1

Amperímetro

 

1

Wattímetro

 

1

Transformador monofásico

 
 

Cabos para ligação

 

3.2

PREPARAÇÃO

Os dados de placa do transformador a ser ensaiado são os mesmos do ensaio anterior (ensaio a vazio).

3.3 EXECUÇÃO

(i) Ligar o transformador a uma fonte de tensão variável, frequência nominal, alimentando o lado

de AT e curto circuitando o lado da BT, conforme

ilustra o esquema a seguir:

Obs. Verificar se o VARIAC esta na posição 0 V.

V c u r t o

I N = I c u r t o W H 1 X 1 A
I
N = I c u r t o
W
H 1
X 1
A
P S
L
V
H 2
X 2

Figura 2. Diagrama para ensaio em curto-circuito

(i) Anotar os valores da potência, corrente e tensão do ensaio.

V curto (V)

I curto (A)

P curto (W)

V

N

V

curto

V curto (%)

(ii) Calcular os parâmetros da impedância série equivalente do transformador, referidos ao lado de AT e de BT. Considerando que:

R

4

EQ 1

=

P

curto

I

curto

2

S

curto

X

EQ 1

= V

curto

I

=

Q

curto

I

curto

2

curto

Q curto

2

curto

P

curto

2

= S

QUESTÕES

a) Quais os objetivos da realização do ensaio a vazio? Este ensaio deve ser normalmente no lado de AT ou de BT? Por quê?

b) Quais os objetivos da realização do ensaio em

curto-circuito?

c)

transformador ensaiado.

Esboce

os

circuitos

equivalentes

do

Aula Prática 1 – Máquinas Elétricas para Automação Prof. Cassiano Rech Prof. Tadeu Vargas E

Aula Prática 1 – Máquinas Elétricas para Automação Prof. Cassiano Rech Prof. Tadeu Vargas

EXPERIÊNCIA 2 – ENSAIO DE POLARIDADE E DE CONEXÕES SÉRIE E PARALELO

1

OBJETIVOS

Considerando a ligação da Figura 3 a polaridade

O

objetivo desta experiência é possibilitar que o

do transformador pode ser definida com a seguinte relação:

aluno conheça a determinação da polaridade de um transformador por meio de um ensaio. Além disso, após a determinação da polaridade são apresentados alguns arranjos de transformadores com ligações em série e/ou paralelo, com o intuito da determinação das tensões de operação dos terminais de AT e BT do transformador para a configuração desejada.

2 ENSAIO DE POLARIDADE E CONEXÕES SÉRIE E PARALELO

Os testes de identificação de bobinas e de polaridade são fundamentais quando se considera a maneira pela qual os enrolamentos múltiplos de um mesmo transformador ou vários transformadores individuais podem ser ligados em série ou em paralelo com o intuito de obter diferentes níveis de tensão. Para ligar enrolamentos em paralelo, os mesmos devem apresentar a MESMA tensão e a MESMA polaridade instantânea. Caso contrário, circulariam elevadas correntes em ambos enrolamentos, uma vez que as suas impedâncias internas equivalentes são relativamente pequenas.

3

ENSAIO DE POLARIDADE COM MÉTODO DA CORRENTE ALTERNADA

3.1

MATERIAL NECESSÁRIO

A seguir está descrito o material necessário para a

realização deste ensaio:

 

Equipamento

Patrimônio

1

VARIAC monofásico

 

2

Voltímetros

 

1

Transformador monofásico

 
 

Cabos para ligação

 
Relação Polaridade V 1 < V 2 Oposta V 1 > V 2 Igual H
Relação
Polaridade
V 1 < V 2
Oposta
V 1 > V 2
Igual
H
1
X
1
V
V
1
H
2
X
2
V
2

Figura 3. Método da corrente alternada

4 FORMAS DE LIGAÇÃO DAS CONEXÕES SÉRIE E PARALELO

4.1 MATERIAL NECESSÁRIO

A seguir está descrito o material necessário para a realização deste ensaio:

 

Equipamento

 

Patrimônio

1

VARIAC monofásico

   

2

Voltímetros

   
 

Transformador

 

com

 

1

derivações

na

entrada

e

na

saída

 

Cabos para ligação

   

Para cada forma de ligação determine qual tensão pode ser aplicada no enrolamento primário e qual tensão é obtida no enrolamento secundário.

Obs.

enrolamento.

aos níveis de tensão de cada

Atenção

AT e BT em série 1 1 0V 1 1 0V 1 6V 1 6V

AT e BT em série

1 1 0V 1 1 0V
1 1 0V
1 1 0V
1 6V 1 6V
1 6V
1 6V

AT e BT em série

1 1 0V 1 1 0V
1 1 0V
1 1 0V
1 6V 1 6V
1 6V
1 6V

AT em série e BT em paralelo

1 1 0 V 1 1 0 V
1 1 0
V
1 1 0
V
1 6 V 1 6 V
1 6 V
1 6 V

Aula Prática 1 – Máquinas Elétricas para Automação Prof. Cassiano Rech Prof. Tadeu Vargas

AT em paralelo e BT em série

1 1 0 V 1 1 0 V
1 1 0 V
1 1 0 V
1 6 V 1 6 V
1 6
V
1 6
V

AT em paralelo e BT em paralelo

1 1 0 V 1 1 0 V
1 1 0 V
1 1 0 V
1 6 V 1 6 V
1 6 V
1 6 V

AT em série e BT em paralelo com conexão errada

1 1 0 V 1 6 V 1 1 0 V 1 6 V
1 1 0
V
1 6 V
1 1 0
V
1 6 V