Você está na página 1de 2

www.juventuderevolucao.

org

Manifesto do 10º Encontro Nacional da Juventude Revolução – IRJ

QUEREMOS UM FUTURO PARA A JUVENTUDE!


Organizemo-nos para a revolução!
AOS JOVENS DO BRASIL milhares de soldados estadunidenses, entre eles muitos jovens, que
Todos nós sabemos bem a situação que a juventude vive em todo são empurrados para a guerra, sem a perspectiva de um futuro! A per-
o mundo! Sabemos que estamos ameaçados pela fome que já pro- seguição continua contra os negros da Diáspora. Nos EUA a política
voca revoltas abertas em vários países do mundo, e por todas as de- de genocídio do povo negro por parte dos governantes é um fato. E
sastrosas conseqüências da atual crise econômica mundial. Somos usaram a tragédia do Furacão Katrina na região de Nova Orleans para
as maiores vítimas de uma política permanente de guerra contra os uma limpeza étnica. Até hoje, mais da metade dos atingidos, em sua
povos, de ofensivas que buscam retirar nossos direitos, e o próprio maioria negros, ainda não puderam voltar para suas casas!
direito a um futuro! Todos nós sabemos que essa é a realidade deste
sistema capitalista! GUERRA EM NOSSO CONTINENTE
Não estamos dispostos a aceitá-la! E buscamos abrir uma saída! Há poucas semanas, vimos a guerra chegar ao nosso continente.
Tropas do exército colombiano atacaram o território do Equador, com
OCUPAÇÃO E CRIME NO HAITI apoio das forças armadas dos EUA. Bush e o presidente Uribe, sob
Não aceitamos a ocupação do Haiti que já dura quatro anos. Tropas a desculpa da guerra ao terrorismo, ameaçam jogar sua máquina de
brasileiras lideram as forças da ONU para fazerem o papel de coturno guerra contra a soberania das nações e dos povos de nosso conti-
de Bush no solo haitiano. nente. O que querem é fazer o que já fazem no Iraque, no Afeganistão,
Nesse momento o povo haitiano se rebela contra a alta dos preços na Palestina. É a política das “fronteiras flexíveis”, da “soberania rela-
e tomam as ruas para protestar. Em resposta as forças de ocupação tiva” de Bush, contra a soberania das nações.
abrem fogo.
Como relata a carta de um militante haitiano dirigida ao presidente CRISE IMOBILIÁRIA, CRISE FINANCEIRA,
Lula que chegou ao nosso encontro: CRISE DO CAPITALISMO
“Alguma coisa desonesta se passa com os seus soldados no Haiti. A A crise em curso na economia estadunidense arrasta a economia
responsabilidade repousa em você, Presidente da Silva. Você é o seu mundial para um fosso sem fundo. Segundo o próprio Fundo Mone-
comandante-em- chefe. O que fazem os seus soldados ao povo ino- tário Internacional, o custo dessa crise chegará a quase US$ 1 trilhão.
cente do Haiti é pior do que as forças armadas do Haiti foram acusadas Todo esse montante consumido para salvar bancos e investidores. O
de fazer. (...)Presidente Lula da Silva, o que você diria a Fredi Romelus que o Wall Street e Washington querem é que os povos de todo o
por sua perda terrível? Seu filho de um ano, Nelson Romelus. Qual foi mundo paguem essa conta. Por isso exigem mais tratados de livre
seu crime ? Por que ele foi executado pelos seus soldados? (...) Você comércio, mais desregulamentação e privatizações.
e seu governo ficarão silenciosos sobre essas atrocidades?”
É possível não se indignar e se revoltar frente a isso? É possível RESISTÊNCIA E LUTA
aceitar que o governo do presidente Lula, eleito por 58 milhões de Mas os povos resistem. Essa resistência levada em nosso conti-
brasileiros para tomar medidas de soberania desrespeite assim a so- nente demonstra que o movimento dos povos pela revolução está
berania do povo haitiano? presente.
A Juventude Revolução não aceita essa ocupação, por isso inicia Um exemplo disso são as medidas de nacionalização do governo
neste momento uma campanha de abaixo-assinado, para exigir do Hugo Chávez que, sob o fundo da mobilização das massas, acena
governo Lula a imediata Retirada das Tropas Brasileiras do Haiti. To- com medidas concretas de soberania, medidas essas que apoiamos
dos os militantes da JR-IRJ irão se engajar nessa campanha, e convi- incondicionalmente.
damos todos aqueles que não querem ver brasileiros sendo obrigados Defendemos integralmente a nação equatoriana contra a absurda
a assassinar o povo irmão do Haiti e ferir sua soberania a se engajar agressão das forças militares da Colômbia assessorada pelo imperial-
nesta luta conosco! ismo estadunidense.
Nós estamos com o povo boliviano e o governo Evo Morales pela
GUERRAS E GENOCÍDIOS unidade do país frente ao plebiscito da falsa autonomia promovido
Vemos conflitos e mais conflitos. Só no Iraque, mais de meio mil- pelas elites para explodir a nação.
hão de pessoas foram mortas pela criminosa ocupação militar, destes, Estamos com os jovens e trabalhadores argentinos, que lutam por
mais de 4000 jovens estadunidenses. Pretensas guerras étnicas es- um futuro e pela memória de luta de seu povo, e sofrem perseguições
condem os interesses das multinacionais que querem pilhar e rapi- mesmo depois da ditadura! Isso tem que parar!
nar as riquezas naturais dos povos deste continente. Sem contar os Do México recebemos uma saudação da reunião de jovens real-
izada no II Encontro Continental contra os Tratados de Livre Comércio, brasileiras do Haiti!
as Privatizações e pela Soberania, e nos colocamos claramente ao • Ruptura do acordo do Etanol, de Lula com Bush! Reforma Agraria já!
lado do governo legítimo de André Manuel López Obrador em defesa • Não as privatizações! Pela defesa dos recursos naturais! A Vale é
da companhia estatal de petróleo Pemex contra o usurpador Calderon, nossa! Pela anulação do Leilão de sua privatização! Pela reestatização
agente de Bush. de tudo que foi privatizado, a começar pelas áreas de petróleo, fer-
E não estamos fora desse movimento do continente. No Brasil ex- rovias e estradas!
igimos do governo Lula a anulação do leilão da Vale do Rio Doce e a • Passe Livre estudantil para todo estudante ter como chegar a sua
reestatização de tudo que foi privatizado, em resposta aos anseios de escola! Organizar e divulgar a batalha por uma delegação dia 28 de
todo povo e juventude que votaram em Lula contra as privatizações e maio exigindo Passe Livre do presidente Lula!
pelo atendimento de suas necessidades! • Pelo direito ao aborto no sistema de saúde público!
• Drogas, não obrigado. A juventude quer educação, emprego, es-
UM LIVRE DEBATE porte, diversão e arte!
Em nosso encontro a palavra foi tomada pelos delegados que mostr- • Não a repressão policial! Não a redução da maioridade penal! Que-
aram a realidade. remos a juventude nas escolas e não nas cadeias!
De Pernambuco ouvimos : “Em minha cidade hoje 85% da terra é • Fim do genocídio da juventude negra! Justiça para Anderson,
canavial. Antes íamos ao Ceasa na Capital para vendermos jaca e punição para os responsáveis! Liberdade para o Mumia Abu-Jamal!
mandioca que plantávamos. Hoje temos de ir ao Ceasa para comprar • Vaga para todos nas universidades públicas! O direito à educação
essas coisas para poder comer. O que reina é a cana para o Etanol”. é de todos os jovens!
Do Rio de Janeiro também escutamos: “Essa crise financeira está • Nenhum estudante fora da universidade! Matricula dos inadimplen-
queimando bilhões e bilhões, para salvar bancos, mas não há dinheiro tes das universidades privadas! Pela redução das mensalidades! Pelo
para o serviço público. No Rio de Janeiro a epidemia de dengue que fim do ensino pago!
assola milhares de pessoas é resultado desse tipo de política.” • Não aos cortes de verbas! Mais verbas para educação! Rubrica de 200
Uma delegada paulista relatou a “dura realidade dos jovens trabal- milhões para assistência estudantil já! Contra as fundações de “apoio”!
hadores do telemarketing, super-explorados”. • Revogação do Reuni! Queremos nossos diplomas e profissões!
Diversos delegados relataram a situação da educação tanto nas Exigir de Lula que revogue esse decreto!
escolas, nas universidades publicas ou nas particulares a situação é • Revogação do Prouni! Transferência dos estudantes atendidos
caótica. Nas escolas, há repressão policial, os estudantes muitas vez- pelo programa para universidades federais!
es abandonam os estudos por falta de passe-livre, os professores são • Não aos Tratados de Livre Comércio, instrumentos do capital contra
mal-remunerados e a estrutura é precária. Nas universidades públi- as nações, os povos e a juventude. É preciso romper com o Mercosul.
cas, o governo (e o imperialismo) ataca com o REUNI, que ameaça os Pela fraternidade entre os povos, pela União das Nações Soberanas e
diplomas profissionais. Muitos estudantes não têm como permanecer Povos Livres das Américas!
na universidade por falta de assistência estudantil. As fundações de Nós exigimos que o presidente Lula atenda as reivindicações da ju-
apoio são um verdadeiro paraíso de desvio de verbas públicas! Nas ventude já. E não fique de braços dados com Bush e sua política!
particulares os estudantes são impedidos de estudar por estarem in-
adimplentes, como se o estudante tivesse culpa de não ter dinheiro INDEPENDÊNCIA PARA LUTAR!
para pagar! Nós, da Juventude Revolução, não temos os recursos e meios ma-
A delegada venezuelana foi clara: “viemos aqui com grande esforço teriais das agências do imperialismo, nem tampouco das ONGs e de
e vejo que ninguém está buscando beneficio próprio”. Ao contrário, o todos que perfilam nos Fóruns Sociais. Mas temos plenas condições
que queremos é uma saída para todos os jovens e é nesse sentido que de ajudar a juventude a superar seus obstáculos, que emperram a luta
estamos de acordo quando ela diz que “só a união faz a força”. pela revolução. Não por razões sobrenaturais ou outras, mas porque
somos independentes de todos aqueles que atacam a juventude.
A JUVENTUDE VAI SE UNIR! É essa independência que nos dá força e disposição para lutar pelas
E O IMPERIALISMO VAI CAIR! reivindicações da juventude.
Em nosso encontro ainda recebemos saudações da França, dos
EUA, do México, do Equador e da Bolívia. CONSTRUIR A JUVENTUDE REVOLUÇÃO – IRJ!
Da França os companheiros da AJR (membro da IRJ) dizem “Na Por isso nos dirigimos a juventude para que se organize conosco.
França e na Europa, os jovens revolucionários observam com esper- Construam núcleos da JR-IRJ que em 2009 fará 20 anos de muita luta
ança este 10° Encontro Nacional da Juventude Revolução que, temos pelos direitos da juventude e pelo socialismo!
certeza, assinalará um passo adiante no combate para a construção Nós rejeitamos o discurso fácil daqueles que se adaptam ao gov-
da IRJ, no combate contra a barbárie e para a revolução, combate que erno de plantão e não se dispõem a colocar as nossas reivindicações
passa hoje pela ruptura com os Tratados de Livre Comércio, a ruptura em primeiro lugar, ajudando desse modo os inimigos da juventude. Da
com a União Européia e todas as instituições do imperialismo”. mesma forma rejeitamos também aqueles que dividem os jovens e
Da Bolívia, os jovens de Revolución Juvenil saúdam e relatam a suas organizações estudantis, cumprindo um papel contrário aos nos-
situação de crise de sua nação onde as oligarquias e o imperialismo sos interesses!
querem dividir a nação e o povo boliviano, e apontam a saída: “A pala- Rejeitamos todas as idéias de que é possível humanizar esse siste-
vra chave é unidade. Unidade de todos os setores: jovens, operários, ma capitalista. Não há saída para a juventude nesse sistema! Não há
camponeses e suas organizações, a Central Obrera Boliviana (COB), futuro algum a não ser que os jovens se organizem e através da luta
o MAS e todos aqueles que se reivindicam da defesa dos interesses construam um novo futuro! É por isso que afirmamos nossa posição:
populares e da ‘agenda de outubro’ para enfrentar juntos a direita e o
imperialismo que agora levanta o pretexto das autonomias regionais -- ESTAMOS COM A REVOLUÇÃO!
para não permitir nenhuma medida de recuperação de nossas rique-
zas!” Juiz de Fora – MG, 21 de abril de 2008

VAMOS À LUTA! 10º Encontro Nacional da J


Por isso nós, 91 delegados de 11 estados do Brasil reunidos no 10º uventude Revolução – IRJ
Encontro Nacional da Juventude Revolução - IRJ dizemos: 91 delegados auto-financiados de 11 Estados,
• Pelo fim da ocupação militar do Haiti! Retirada imediata das tropas com 2 delegados internacionais, Venezuela e EUA