Você está na página 1de 12

ANTÓNIO CERVEIRA PINTO Nome completo: António Maria Fonseca de Cerveira Pinto Natural de: Macau Data de nascimento: 27/11/1952

Residência: Rua João da Silva, 170, 2º / 2775-586 CarcavelosTelefone pessoal: 965 416 370 E-mail: antonio.cerveirapinto{arroba}gmail{ponto}com

Resumo

Analista político e cultural, artista, escritor, consultor e programador cultural.

Atividades principais: análise política, crítica de arte e cultural, criação artística, programação cultural e direção de projetos criativos.

Publicou até à data mais de 2000 textos sobre política, cultura e arte.

Autor dos blogues:

— O António Maria <http://o-antonio-maria.blogspot.pt/>

— Chrôma kai Symmetria <http://chroma-kai-symmetria.blogspot.pt/>

Fundou e dirige desde 1994 a empresa Aula do Risco.

Convidado para inúmeros colóquios e conferências, desde 1973.

No campo artístico a sua obra desenvolve-se, sobretudo, como um processo de análise filosófica dos processos constitutivos, formais e de legitimação da arte moderna e contemporânea.

Participou em mais de 30 exposições (coletivas e individuais).

Desenvolveu com o arquiteto Carlos Sant’Ana um estudo sobre a extensão de Lisboa para a Margem Esquerda do Tejo — ‘O Grande Estuário’ (2005).

Propõe e dirigiu os principais conteúdos do Pavilhão do Território na Expo ’98, com destaque para o projeto “Portugal Digital” (um modelo de navegação entre apontadores URL sobre mapas, o qual antecedeu em 7 anos o Google Maps), e ainda para um projeto de ‘realidade mista’, integrando o modelo cerâmico de um golfinho, com sensores de instintos básicos, interagindo com um ambiente virtual—“S3A, uma história interactiva de golfinhos”.

Foi pioneiro no desenvolvimento e implementação dos primeiros domínios web em museus e centros de arte em Portugal e Espanha (1994-96).

Desenvolveu com vários artistas e arquitetos o modelo especulativo para uma cidade de arte e tecnologia em Montemor-o-Novo (1995), da qual faria parte um Museu Virtual (cujo protótipo deu lugar ao primeiro CD-ROM multimédia, interativo e generativo concebido e produzido em Portugal).

No âmbito da Europália, participou com Graça Pereira Coutinho na exposição "In kader van Europalia ‘91, Portugese kunst in Turnhout de Warande", De Warande, Turnhout, Bélgica (1991).

António Cerveira Pinto

Bios

1

Desenhou o programa e estudo prévio (com o arquiteto Jose Ramón López- Calvo) para o Museo de Arte y Nuevas Tecnologias, na Corunha (1987).

Participou na exposição inaugural de Centro de Arte Museo Reina Sofia, “Procesos: cultura y nuevas tecnologías” (1986).

Participou como autor, curador e artista na exposição e evento da década de 1980: “Depois do Modernismo” (1983).

Participou na XII Bienal de Paris (1982).

Está representado em várias coleções de arte, públicas e privadas.

Estudos

Estudos secundários completos, Liceu de Oeiras, Liceu Padre António Vieira (Lisboa), Liceu D. Manuel II (Porto), Liceu Gil Eanes (Cabo Verde).

Curso de Arquitetura (frequência), Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, Lisboa, Portugal (1972-1974). Voltou a inscrever-se no curso de arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa (1984), não chegando a frequentá-lo.

Estudou pintura com Regina Alexandre, Carcavelos, Portugal(1973-1974).

Aprendeu filosofia com Egídio Namorado, Carcavelos, Portugal(1970-1973).

Função Pública

Foi professor eventual do Ensino Secundário em 1973-74.

Foi admitido na Administração Pública como técnico em 1986.

É técnico superior da Administração Pública, Ministério das Finanças (s/ atividade, n/ remunerado).

Principais cargos

Diretor artístico do The New Art Fest (2016 -)

Diretor da Galeria Quadrum, Lisboa (1998-2009).

Diretor de conteúdos do Pavilhão do Território, EXPO '98

(1997-1998).

Fundador e director da Aula do Risco, Lisboa (1994 -).

Crítico de arte do jornal Independente, Lisboa (1990-2000).

Crítico de arte da revista Kapa, Lisboa (1990-1993).

Diretor e comissário da Casa de Bocage, Setúbal (1982).

António Cerveira Pinto

Bios

2

Responsável pelo setor vídeo da desaparecida Galeria Nacional de Arte Moderna, Secretaria de Estado da Cultura, Lisboa (1979-1981).

Coordenador da Divisão de Artes Plásticas do Ministério da Cultura

(1983-1984).

Programação cultural (seleção)

Depois do Modernismo, Lisboa (1983).

Litoral, Kiosco Alfonso, Corunha (1986).

Arquitetura Nova em Trás-os-Montes, Kiosco Alfonso (1986).

Ex-Mater, Badajoz, Lisboa (1996, 1997).

Diretor de projetos do Pavilhão do Território, EXPO ’98, Lisboa

(1998).

Bienal da Maia, Maia (1999).

Un Caso Notable, apresentação da galeria virtual do MEIAC, ARCO '00 (Madrid).

SAT1, Seminário de Arte e Tecnologia, MEIAC, Badajoz (2000)

cAT, Conferência de Arte e Tecnologia, CCB-Centro Cultural de Belém, Lisboa (2000).

Des-juego / de-game, para o MEIAC; ARCO ’01, Madrid.

Museo Inmaterial / Wireless Museum, para o MEAIC; ARCO ’04, Madrid.

Metamorfosis, MEIAC, Badajoz (2006).

Bios4, CAAC, Sevilha (2007).

Olho por olho, mente por mente, Galeria Luís Serpa Projectos, Lisboa

(2013-2014).

The New Art Fest, Lisboa (2016)

Consultoria e direção criativa

Museo de Artes y Nuevas Tecnologias, programa de arquitetura e de conteúdos, Município da Corunha (1986).

EXPO’98, Pavilhão do Território, diretor de projetos (1997-1998).

Museo Iberoamericano de Arte Contemporáneo, MEIAC (desde 1999).

La LABoral, seminario estratégico sobre o futuro 'centro de arte y creación industrial', Gijón (2002).

‘Casa dos Vulcões’, programa e direção criativa, Pico, Açores (2004, 2015 2016, -).

António Cerveira Pinto

Bios

3

‘Centro de las Artes de La Coruña’, estudo estratégico e programa ["Estudio de Diseño de Contenidos"], Corunha (2005).

'Un espacio para el nuevo arte', seminario (privado) sobre o futuro C4— Centro de Creación Contemporánea de Córdoba, Córdoba (2005).

‘Centro de Monitorização e Investigação das Furnas (CMIF)’, programa e direção criativa, São Miguel, Açores (2005-2012).

‘Terminal 7’, programa e direção criativa do futuro centro de arte, desporto e natureza, Setúbal (2013- ).

‘Arte y Naturaleza (AyN)’, projeto e direção editorial da plataforma digital e futuro programa de residências sobre arte e natureza da Fundación Ortega Muñoz, Badajoz (2014-).

‘Museu Digital museu-zer0://centr0 de arte d1g1tal’, antevisão programática e de conteúdos/ concurso público/ com o arquiteto Vítor Neves, Santa Catarina da Fonte do Bispo (2014).

‘Segunda Cidade’, estudo, cartografia e desenho de cidades imateriais digitais, em rede, e pós-contemporâneas. Este programa assenta num City Lab, no seio do qual existe um Acelerador de Partículas Criativas. O primeiro caso de estudo foi designado: Lisboa 3.0/ Lisboa Semântica.

Atividade crítica nas seguintes publicações periódicas

O Independente (1989-2000).

Kapa.

As Escadas Não Têm Degraus.

MID.

Arq’a.

Expresso.

Diário de Notícias.

Diário Popular.

Fundou e dirigiu o suplemento cultural do jornal O Globo, Sétimo Dia

(1984).

Livros e publicações

Observações sobre a Cor e a Recepção | Fotografias de Jorge Molder. Ed. autor, 1984.

O Lugar da Arte. Quetzal, 1989.

Menos Arte. Centro Cultural do Alto Minho, 1993.

António Cerveira Pinto

Bios

4

Metamorfosis (catálogo). Badajoz, MEIAC, 2006.

TOYZE/ Red Label (c/ António Carvalho), Stolen Books, 2014.

Exposições (seleção)

1979

Reflexões sobre Arte [e.i.], Galeria Opinião, Lisboa.

SACOM II [e.c.], Museo Vostell Malpartida, Malpartida de Cáceres.

1980

ARTA: António Cerveira Pinto Leonel Moura, Julião Sarmento, José Barrias,

António Palolo [e.c.], Arta, Lisboa.

Arte Portuguesa Hoje [e.c.], SNBA, Lisboa.

Formol [e.i.], CAPC, Coimbra.

Mediatable [e.i.], SNBA, Lisboa.

1981

Formol Mediatable Entropia [e.i.], SNBA, Lisboa, Portugal.

Les Enérvés [e.i.], Diferença, Lisboa, Portugal.

Do Seu e nosso ponto de vista [e.c.], Cooperativa Árvore, Porto, Portugal.

Il Fallait la Raser [e.c.], Cooperativa Árvore, Porto, Portugal.

My TV Set, Portuguese Video Art [e.c.], Corroboree Art Gallery, Iowa, USA.

1982

Morceaux Choisis au Hasard, XII Biennale de Paris [e.c.], Muséed’Art Moderne de la Ville de Paris, Paris, France.

1983

Território N.5, Depois do Modernismo [e.i.], SNBA, Lisboa, Portugal.

1984

Observações sobre a Cor e a Recepção [e.i.], Galeria Cómicos,

António Cerveira Pinto

Bios

5

Lisboa, Portugal.

1986

Litoral [e.c.], Kiosco Alfonso, A Coruña, España.

Procesos, Cultura y Nuevas Tecnologías [e.c.], Centro de ArteReina Sofia, Madrid, España.

1989

Página Branca, Objecto Identificado como Caixa de Luz [e.i.], Faculdade de Arquitectura, Lisboa, Portugal.

Paragoya [e.i.], Loja de Desenho, Lisboa, Portugal.

1990

Chroma kai Symmetria [e.i.], Galeria Graça Fonseca, Lisboa.

Os Dois Filósofos, Pavilhão Portugal, Bienal de Veneza [e.c.], Galeria Graça Fonseca, Lisboa, Portugal.

1991

Alguns Filósofos [c/ Jorge Molder], comissariado de Jorge Castanho, Convento de S. Francisco e Galeria dos Escudeiros, Beja, Portugal.

O Filósofo Vermelho [e.c.], Galeria Graça Fonseca, Lisboa, Portugal.

Graça Coutinho | Antonio Pinto, ["In kader van Europalia ‘91, Portugese kunst in Turnhout de Warande"] [e.c.], De Warande, Turnhout, Bélgica.

Há Um Minuto Do Mundo Que Passa [e.c.], Fundação de Serralves, Porto, Portugal.

Arte Pública, Festas da Cidade [e.c.], Lisboa, Portugal.

Historia [e.c.], Galeria Oliva Arauna, Madrid, España .

1992

Fundação de Serralves, Um Museu Português, Expo’92 [e.c.], Sevilha, España.

Deuterotipos [e.i], Centro Cultural do Alto Minho, Viana do Castelo, Portugal.

Already Made [e.c.], Galeria Graça Fonseca, Lisboa, Portugal.

1993

António Cerveira Pinto

Bios

6

Arte Pública, Projectos & Ideias [e.c.], Galeria Quadrum, Lisboa, Portugal.

Dissertação sobre o crime [e.i.], Galeria Graça Fonseca, Lisboa, Portugal.

Arte Portuguesa [e.c.], Auditório de Galicia, Santiago de Compostela, España.

1994

Dissertação sobre o Crime (II) [e.i.], Galeria Diferença, Lisboa, Portugal.

2000

ReadMe, Galeria Quadrum (do ciclo s/ Metamorfose do Cubo Branco) [e.c.], Lisboa, Portugal.

Error 404, Galeria Quadrum (do ciclo s/ Metamorfose do Cubo Branco) [e.c.], Lisboa, Portugal.

Un Caso Notable [e.c.], MEIAC, ARCO '00, Madrid, España.

2001

Illegal Operation (do ciclo s/ Metamorfose do Cubo Branco) [e.c.], c/ Acácia Thiele, Galeria Quadrum , Lisboa, Portugal.

Verão (do ciclo s/ Metamorfose do Cubo Branco) [e.c.], Galeria Quadrum, Lisboa, Portugal.

2002

Bazar (do ciclo s/ Metamorfose do Cubo Branco) [e.c.], GaleriaQuadrum, Lisboa, Portugal.

2003

Cabaret Voltaire 3 (do ciclo s/ Metamorfose do Cubo Branco) [e.c.], Galeria Quadrum, Lisboa, Portugal.

2014

No concept, Central Station, Mostra '14 [e.c.], Lisboa, Portugal.

2015

Vintage ‘85, two paintings inside Chambre Ardente, MOSTRA '15 [e.c.], Lisboa, Portugal.

Flying to the Ground, vídeo, 6’48”, Free International Forum 5, Bolognano, Italy.

António Cerveira Pinto

Bios

7

Obras nas seguintes coleções públicas

Museu de Serralves.

Museu Berardo.

Museo Extremeño e Ibero Americano de Arte Contemporáneo.

Museo Vostell Malpartida.

Principais conferência e colóquios

1973

"O fim do Livro", Palácio das Galveias, Lisboa.

1982

"A destruição da legenda", III Encontros de Fotografia de Coimbra, Coimbra.

1983

"Depois do Moderno", Faculdade de Arquitectura, Lisboa.

1984

"Um lugar comum pós-moderno", AR.CO, Lisboa.

1985

Curso de Verão da Universidade Menendez Pelayo, Corunha.

"Arte: a situação de usufruto e o estado de recepção", AR.CO, Lisboa.

1987

“Milenarismos”, MARCA, Festival de Arte Contemporânea, Funchal.

Architectural Association, Londres.

1988

Forum, Forum Picoas, Lisboa.

1989

António Cerveira Pinto

Bios

8

"Estética Contemporânea: Experiência e Discurso", Fundação de Serralves, Porto.

1994

"A Descoberta", Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa.

"A Fotografia na Arte Contemporânea", Universidade de Santiago de Compostela, Santiago de Compostela.

"IX Encontro de Filosofia", Universidade de Coimbra, Coimbra.

1995

Centro de Formação de Professores, Viana do Castelo.

1996

Fundação de Serralves, Porto.

Conferências da Arrábida, Convento da Arrábida, Arrábida.

1998

Arte e Internet, Goethe Institut, Lisboa.

Centro de Formação de Professores, Viana do Castelo.

2000

“Interdisciplinaridades”, Faculdade de Belas Artes do Porto, Porto.

2001

Semana Interdisciplinar, Universidade Católica, Porto.

2002

“Las dos Culturas: el net.art”, Aula de Cultura, C.A.M., Valéncia.

“Liberdade e Segurança após o 11 de Setembro”, Universidade Lusófona, Lisboa.

“Encontros sobre Arte Terapia”, Hospital de Júlio de Matos, Lisboa.

2003

EXPERIMENTA. “1000 Plateaux. Future Use Of Media” [David Linderman / Fork

António Cerveira Pinto

Bios

9

Unstable Media = dealing with complexity; Ronald Nameth = believe in the individual, Rick Poyner = being critical, António Cerveira Pinto = moderador], 26.10.2003.

2004

“Por Donde Van Los Tiros En El Arte Ultimo”. Centro de Arte Juan Ismael. Forte Ventura.

“Mundos Digitales. Net art”. Aula Sociocultural. Corunha.

2005

Audiovisualització de l'art — del film d'art a l'screen art", Mediateca, Caixa Forum, Fundació "la Caixa".

2009

“A.M.Lisboa: plataforma transcultural para o século XXI?”, Lisboa.

2010

“À Volta da Mesa Talks Around The Table” | “Plataformas Colaborativas e Redes Informais”, 16.11.2010. Galeria Luis Serpa Projectos, Lisboa.

2013

“À Volta da Mesa Talks Around The Table” | Ciclo “Olho por olho, mente por mente”. Galeria Luís Serpa Projectos, Lisboa.

2014

“À Volta da Mesa Talks Around The Table” | Ciclo “Olho por olho, mente por mente”. Galeria Luís Serpa Projectos, Lisboa.

Conversa sobre Pires Vieira. Fundação Carmona e Costa, Lisboa.

2015

“Zer0 / the future of knowledge-intensive based art”, Tavira.

Programas de Televisão

2015-2016

“Política Sueca, RTP3 (57 emissões)

António Cerveira Pinto

Bios

10

Bibliografia ativa (devido à sua extensão remetemos para os seguintes sítios web:

Bibliografia passiva (incompleta)

PIRES, Jorge. "O Lugar da Arte", Face, p.70, Lisboa, 01/06/89.

QUEIRÓS, Luis Miguel. "A ética contra o autismo", Público, p.35, Lisboa,

01.08.93.

PINHARANDA, João. "Cortar orelhas para ser ouvido", Público, Lisboa

(12.04.92).

PINHARANDA, João. "O objectivo é criar um lobby", Público, p.26, Lisboa,

11.04.92.

PINHARANDA, João. "António Cerveira Pinto, dissertação sobre o crime", Público, p.18, 02.07.93.

PORFÍRIO, José Luis. "Que há de novo?", Expresso, p.34-R, Lisboa,

14.08.93.

FALLORCA, Jorge. "Cerveira Pinto entrou em Paragoya", in Europeu, p.20, Lisboa, 05.04.89.

CARLOS, Isabel. "O Pavilhão esquecido", Expresso, p.12-R, Lisboa,

14.07.90.

VIDAL, Carlos. "Cerveira Pinto, o dizer da arte", Diário de Notícias, p. 8, Lisboa, 08.10.89.

VIDAL, Carlos. "E depois da política? A arte?", Público, p.21, Lisboa,

04.07.90.

VIDAL, Carlos. "Diálogo com António Cerveira Pinto", A Capital, p. 40, Lisboa, 25.06.93.

VIDAL, Carlos. "Sade e o antideuterótipo", A Capital, p.32, 15.12.94.

VIDAL, Carlos. "Cerveira Pinto; Galeria Diferença", in Lapiz, #994, p.78, Madrid, Janeiro 95.

SANTOS, António Costa; MENDES, José, "Um pre prós pós-pós", in Expresso, p.34,35-R, Lisboa, 21.07.90. NAZARÉ, Leonor. "Cerveira Pinto, Gal. Graça Fonseca", Expresso, p. 17-R, Lisboa, 03.07.93.

POMAR, Alexandre. "Litoral: o eixo atlântico", in Expresso, p. 40-41-R, Lisboa, 28.06.86.

GRAÇA DIAS, Dóris. "Arte pública ou uma Lisboa efémera", in JL, nº 472, pp.24-25, Lisboa, 23.07.91.

António Cerveira Pinto

Bios

11

GRAÇA DIAS, Dóris. "Mostrar de outra forma", in J.L., p.23, Lisboa,

03.03.92.

GUERREIRO, Cristina. "O discurso dos mestres", in Público, p.25, Lisboa,

23.07.93.

GUERREIRO, Cristina. S.N.B.A., "A propósito da Sociedade Nacional de Belas Artes", Expresso, Lisboa, 07.11.81.

MOURA PINHEIRO, Paula. "Cerveira Pinto, Loja de Desenho", in Expresso, Lisboa, 11.03.89.

PEREIRA, Paulo. "O Lugar da Arte", in Expresso, 21-22-C, Lisboa,

30.09.89.

PINHARANDA, João. "Duas estratégias de Verão", in Público, p.14, Lisboa,

13.07.90.

FERNANDES, Francisco. "Arte e mercadoria", in Semanário Económico, p.27, Lisboa, 03.11.89.

MOURA, Leonel. "A discussão do momento", in Expresso, p.28-R, Lisboa,

30.01.82.

DUARTE, António. "Telectu: os caminhos da Tecno.Pop", in O Jornal, p.9 , Lisboa, 01.02.85.

PINHARANDA, João. "Marginália", in Público, p.28, Lisboa, 23.10.91.

DANVILA, José Ramon. "El mito del tiempo", in El Punto, Madrid,

3-9.02.92.

PINHARANDA, João. "Agora Pinto", in Jornal de Artes e Letras, Lisboa,

Fev.1994.

a.n.a. "Europalia-roes met Graça Coutinho en Antonio Pinto/ Avantgarde

ter gelegenheid van

",

in Gazet Van Antwerpen, Antuérpia, 17.10.91.

a.n.a. "Portugal in de Warande", Gazet Van Antwerpen, Antuérpia, 15.10.91. W. "Europalia Portugal in De Warande", in Streekkrant, Antuérpia, 10.10.91.

J.G/L.L.T. "In kader van Europalia ‘91, Portugese kunst in Turnhoutse Warande", inVolk, Antuérpia, 16.10.91.

a.n.a. " Graça Coutinho en Antonio Pinto/ Europalia-Portugal", in Gazet van Antwerpen, Antuérpia, 03.10.91.

a.n.a. "Portugese ode aan Marcel Duchamp", in Het Nieuwsblad, Antuérpia,

15.10.91.

D.C.A.T. "Europalia Portugal aan bod", in Het Nieuwsblad, Antuérpia,

08.10.91.

PIMENTA, Emanuel Dimas de Melo “A Luz Zen de António Cerveira Pinto”, in CkS, 11.07.2014.

António Cerveira Pinto

Bios

12