Você está na página 1de 3

ENG.

MECNICA | MECNICA DOS FLUIDOS

PARTE TERICO-PRTICA

RESOLUO DO EXAME DA POCA DE RECURSO

21-07-2012

EXERCCIO N1
Considere a comporta de reteno de gua ( = 1000 kg/m)
apresentada na gura. A comporta (peso desprezvel) tem a
forma de 1/4 de casca cilndrica de raio R=2 m e
profundidade b = 6 m. A comporta pode rodar em torno do
ponto A e encontra-se simplesmente apoiada no ponto B.
Para a situao de H = 4 m, determine:
(a) As componentes horizontal e vertical da fora
hidrosttica sobre a comporta. (3 valores)
(b) A fora F necessria para iniciar a abertura da comporta.
(2 valores)
a) As componentes horizontal e vertical da fora hidrosttica sobre a comporta. (3 valores)

FH = g hCG Aprojetada = g H (R b ) = 1000 9,81 3 (2 6) = 353,2 kN


2

R 2 b
= 1000 9,81 (48 18,85) = 286,0 kN
FV = g V fluido = g (H R b )

b) A fora F necessria para iniciar a abertura da comporta. (2 valores)

Fp = FH2 + FV2 = 353,22 + 286,0 2 = 454,4 kN

= arctg

FV
286,0
= arctg
= 39o
FH
353,2

( )

( )

F Rsen 45o = Fp Rsen 39o F = Fp

( )
( )

sen 39 o
= 404,4 kN
sen 45o
Em alternativa, uma vez que Fp e F
atuam segundo uma linha que passa
pelo eixo do cilindro, as suas
componentes horizontais no provocam
momento em torno de A.

39

Fsen(45)

Fp

Fp

FV

FV

Rsen(39)

FH

Logo, Fsen(45)=FV
F=404,4 kN
Rsen(45)
Pgina 1/3
Elaborado em 2011/2012 por Marina Duarte

ENG. MECNICA | MECNICA DOS FLUIDOS

PARTE TERICO-PRTICA

RESOLUO DO EXAME DA POCA DE RECURSO

21-07-2012

EXERCCIO N2
Na gura est representada a parte nal de um sistema de transporte de gua ( = 1000 kg/m)
num plano vertical (x z), onde a gua descarregada para a atmosfera na forma de um jato. A
parte nal deste sistema, onde existe uma ponteira de descarga, encontra-se ligada mangueira
de alimentao atravs de uma ange com parafusos. Admitindo que as perdas em linha e as
perdas localizadas so desprezveis, que d1=8 cm, d2=4 cm e H=1 m, determine a fora longitudinal
(x) que a totalidade dos parafusos poder ter que suportar para um caudal de Q =750 l/min.
(5 valores)

m = Q = 1000

750 103
= 12,5 kg/s
60

Q = VA V =

Q
4
V1 = 12,5
A
8 10 2

Q = VA V =

Q
4
V2 = 12,5
A
4 102

= 2,49 m/s

= 9,95 m/s

1
1
1
V12 + gz1 = p2 + V22 + gz2 pr1 = V22 V12 + g (z2 z1 )
2
2
2
1
pr1 = 1000 9,952 2,482 + 1000 9,81 1 = 56189,3 Pa
2

p1 +

Fx + p R1 A1 = m (V2 V1 )

(8 10 2 )

Fx = m (V2 V1 ) p R1 A1 = 12,5 (9,95 2,49) 56189,3

= 189,2 N

A magnitude da fora longitudinal (x) que a totalidade dos parafusos poder ter que suportar
189,2 N.
Pgina 2/3
Elaborado em 2011/2012 por Marina Duarte

ENG. MECNICA | MECNICA DOS FLUIDOS

PARTE TERICO-PRTICA

RESOLUO DO EXAME DA POCA DE RECURSO

21-07-2012

EXERCCIO N3
Considere um circuito que faz transporte de gua ( = 1000 kg/m, = 1 10- Ns/m) entre os
reservatrios A e B de grande seco transversal (ver gura). Para a situao em que a conduta
possui um dimetro D=10 cm, um comprimento total L=200 m e rugosidade =0,15 mm, zA=130 m
e zB=250 m e a soma de todas as perdas localizadas totaliza K=3 (assinaladas com circunferncias
a trao interrompido), determine a potncia hidrulica da bomba para a circulao de um caudal
de 70000 kg/h. (5 valores)

VA2
pB VB2
+
+ zA =
+
+ z B + h frico + hlocalizadas hbomba
2g
2g

pA

hbomba = h frico + hlocalizadas + z B z A


70000
= 0,01944 m 3 /s
1000 3600
Q
0,01944 4
Q = VA V = V =
= 2,475 m/s
A
0,12

m = Q Q =

Re D =

VD

2,475 0,1
= 247517 regime turbulento
1 10 6

/D=0,0015
1
f turb

/D
2,51
= 2,0 log
+
3,7 Re
f turb
D

1
f turb

0,0015
2,51
= 2,0 log
+
3,7
247517 f turb

h frico = f

L V2
200 2,4752
= 0,0226

= 14,11 m
D 2g
0,1 2 9,81

hlocalizadas =

f = 0,0226

V2
2,4752
= 3
= 0,9366 m
2g
2 9,81

hbomba = h frico + hlocalizadas + z B z A = 14,11 + 0,9366 + 120 = 135,1 m


Phidrulica = ghbomba Q = 1000 9,81 135,1 0,01944 = 25,8 kW
Pgina 3/3
Elaborado em 2011/2012 por Marina Duarte

Você também pode gostar