Você está na página 1de 15
 
 
CURSO DE PRÁTICA – Prática Cível – Luciano Alves Material de aula elaborado por Stéphanie Duran
 1
CURSO DE PRÁTICA
Disciplina: Prática Cível Prof. Luciano Alves
MATERIAL DE APOIO – MONITORIA/ PROFESSOR 1. Anotações da Aula 2. Teses no âmbito dos Juizados Especiais da Fazenda Pública 3. Problema 05 1. ANOTAÇÕES DA AULA ASPECTOS PROCESSUAIS DA AÇÃO POPULAR
Procedimento: rito ordinário combinado com as adaptações do rito especial. Petição Inicial: arts. 282 e 283 do CPC + comprovante de cidadania. Meio Ambiente: não há a necessidade de ser proposta apenas pelo eleitor
 qualquer pessoa
 dever de zelar pelo meio ambiente (art. 225 da CF). Em que pese a tese acima, de acordo com a peça prática o aluno deverá alegar a falta de comprovação de cidadania
 
*Falta: Preliminar
.
 
Cuidado com a Peça!
Pedido: constitutivo negativo quanto à eficácia do ato
 eventualmente teremos o pedido de anulação/ indenização. Liminar: Se for prova da Advocacia Pública (AGU/PGE)
 exigir a observância do art. 2º da Lei 8.437/92 que se aplica à Ação Civil Pública e ao Mandado de Segurança Coletivo
 limitação processual à concessão de liminar
 antes da concessão da liminar deve ocorrer a oitiva da representação judicial da pessoa  jurídica. Pólo Passivo: Litisconsórcio passivo necessário formado por: - Pessoa Jurídica lesada
Citação
 crivo do seu agente quanto ao pólo passivo que ocupará na demanda. A pessoa jurídica poderá optar por ocupar o pólo passivo
 oferecimento de contestação;
OU
 ela pode optar por ocupar o pólo passivo da demanda (atacando o ato)
 atuará em conjunto com o autor popular;
OU AINDA
 pode permanecer inerte.
Detalhe:
 uma vez escolhido o pólo é possível que haja uma modificação posterior.
 
 
CURSO DE PRÁTICA – Prática Cível – Luciano Alves Material de aula elaborado por Stéphanie Duran
 2
* O MP
 não pode ajuizar a ação popular, mas em caso de desistência pelo autor popular o MP pode assumir a titularidade dando continuidade ao processo. - Agente público que tenha praticado o ato - Beneficiário direito - Simples: sentença definitiva. - Unitário: constitutivo negativo. Prazo para Contestar: 20 dias, podendo ser prorrogáveis por mais 20 se houver dificuldade na juntada de documentos.
 
I
naplicabilidade dos arts. 188 e 191 do CPC
 
 não há prazo diferenciado para o oferecimento de defesa. Coisa Julgada:
secundum eventum probationis
Pedido improcedente
 
Pergunta:
 Houve o exaurimento das provas?
Sim
 
 impossibilidade de discussão futura.
Não
 
 possibilidade do mesmo autor popular ou de outro ingressar com ação com fundamento em novas provas.
ASPECTOS PROCESSUAIS DO MANDADO DE SEGURANÇA Impetrar
 direito líquido e certo
 condição específica do MS
 sem análise de mérito. Direito líquido e certo = fatos comprovados documentalmente. Autoridade apontada como coatora
 NOTIFICADA
 para prestar informações (natureza jurídica da um ato administrativo)
 no prazo de 10 dias (não se aplica o art. 188 do CPC). * Recurso da autoridade coatora é admitido
 quando ela for suportar as conseqüências administrativas e judiciais do ato em questão. Aspectos práticos das informações: Procuradoria Federal (já caiu!)
 Minuta de Informações em MS. As informações serão subscritas pela autoridade apontada como coatora.
Minuta de Informações em MS
 
 
MODELO!
EXCELENTÍSSIMO....(ENDEREÇAMENTO) O SECRETÁRIO DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE, no uso de suas atribuições legais, vem, respeitosamente, nos termos do art. 7º, I, da Lei 12.016/2009, prestar as seguintes informações nos autos do mandado de segurança impetrado por...., consoante se vê abaixo.
 
 
CURSO DE PRÁTICA – Prática Cível – Luciano Alves Material de aula elaborado por Stéphanie Duran
 3
I. DO PEDIDO DO AUTOR. ..... II. DA AUSÊNCIA DO DIREITO LÍQUIDO E CERTO Conforme se vê dos autos, o autor não demonstrou, por meio de documentos, os fatos alegados na petição inicial. Desse modo, encontra-se ausente requisito específico de admissibilidade do mandado de segurança, qual seja, o direito líquido e certo. Assim, requer seja denegada a ordem, sem a análise de mérito (a extinção do processo, sem resolução do mérito). III. DA IMPROCEDÊNCIA DO PEDIDO. A ordem requerida deve ser denegada, uma vez que o ato praticado pela autoridade se encontra em conformidade com os ditames legais. Com efeito.... IV. DO PEDIDO. Ante exposto, requer seja denegada a ordem, pela ausência do direito líquido e certo, ou, subsidiariamente, pela própria improcedência do pedido do autor. Local e data. (a) Autoridade. NOTIFICAÇÃO (obrigatória) da representação judicial da pessoa jurídica
 antes da Lei 12.016/09 a notificação precisava ser pessoal, agora ela não precisa ser realizada dessa forma, salvo os representantes da AGU. Pólo passivo
 pessoa jurídica que vai suportar os ônus de eventual ordem concedida
 aqui, após essa notificação a pessoa jurídica poderá se manifestar; essa manifestação não se confunde com a minuta de informações acima estudada
 posteriormente, se houver condenação haverá a possibilidade de interposição de recursos. Se não houver essa notificação haverá nulidade.
 Art. 7º da Lei 12.016/09. Cautela
 contra cautela (suspensão de segurança/ suspensão de execução de liminar de sentença) Grave lesão à saúde, economia e a segurança pública.
 
Contra Cautela: Agravo ou Suspensão? MS
 Impetração
 Litisconsórcio
 Ativo Superveniente
 Ingresso dos litisconsortes até o recebimento da inicial (Art. 10, §2º, da Lei 12.016/09).
 
Art. 3º e art. 23, da Lei 12.016/09. Prazo de 120 dias
 decadencial
576648e32a3d8b82ca71961b7a986505