Você está na página 1de 105

Para ajudá-lo a encontrar

respostas claras
e concretas
às suas perguntas
O Zodíaco
Para compreender como nasceu o Zodíaco, é necessário impregnar-nos da
mentalidade do homem da Antigüidade, que considerava a natureza, o céu e a terra
como um grande livro aberto cujos sinais tinha que aprender a interpretar.

Os calendários
O Zodíaco é um círculo de 360 graus,
composto de 12 setores iguais, de
30 graus cada, que são as 12 casas dos
dos 12 setores do Zodíaco,
agrupados de 3 em 3 du­
rante cada uma das 4 es­
solares e lunares
0 calendário solar egípcio era
12 signos astrológicos. No interior deste tações do ano, podemos dividido em 360 dias, agrupa-
círculo fictício e perfeito, imaginado e fixar um instante preciso dos em 12 meses de 30 dias
colocado ao redor da Terra pelos ho­ de um céu sempre em cada. 0 Zodíaco, estabelecido
mens da Antigüidade, movem-se os movimento, se situarmos também segundo o aparente
planetas. com exatidão os planetas e movimento do Sol em volta da
as estrelas. Deste modo, pode­ Terra, era portanto formado por um
0 ZODÍACO E 0 CALENDÁRIO mos elaborar um mapa celestial círculo perfeito de 360 graus. Cada grau
Cada signo do Zodíaco está situado como se fosse uma fotografia do céu, Zodíaco correspondia, deste modo, a um dia
dentro de um dos 12 setores mencio­ tirada num determinado momento ob­ do ano solar.
nados, segundo uma ordem cronoló­ servado pelo astrólogo.
gica estabelecida pelo ritmo das esta­ Por outro lado, como o Zodíaco é for­
ções e pelos ciclos do Sol e da Lua. mado por um círculo perfeito de 360
Com efeito, os criadores dos calendá­ graus que contorna a Terra, ele nos ofe­
rios — relógios do mundo antigo — rece uma visão panorâmica do céu.
observaram e mediram os ciclos do Sol Ou seja, isto significa que estudamos
e da Lua, ou seja, os movimentos repe­ tanto o céu visível — o que podemos
titivos e relativamente imutáveis que o observar a olho nu ou com a ajuda de
astro-rei, aparentemente, e o satélite da um telescópio — quanto o céu que se
Terra realizam à volta do planeta (ver encontra simultaneamente no hemis­
quadro). fério oposto da Terra e que, como é
óbvio, não conseguimos ver. Ao confi­
0 MAPA CELESTE gurar um mapa celestial com a ajuda do
O Zodíaco é, portanto, um quadro de Zodíaco, o astrólogo age exatamente
coordenadas, um instrumento de me­ como se tivesse um sexto sentido! Por outro lado, os Caldeus, no século VIII
didas criado para observar, acompanhar a. C, dividiram já o dia em 12 partes iguais
e situar os fenômenos celestes que Dois astrólogos: um interroga o dia, de 2 horas cada, a partir do pôr do Sol.
ocorrem à volta da Terra. N o interior o outro a noite. Finalmente, os Hebreus dividiram a semana
em 7 dias, criando deste modo um calen-
dário ao mesmo tempo solar
e lunar, isto é, estabelecido
segundo os movimentos apa-
rentes do Sol em volta da Ter-
ra e segundo as fases da Lua.
PARA QUE SERVE O ZODÍACO antecipar de forma lógica todas
O Zodíaco não existe. Com efeito, as suas conseqüências sobre
se erguermos a cabeça e olharmos a natureza ou sobre o seu
para o céu a qualquer hora do dia próprio espaço vital.
ou da noite, não veremos Zodía­ Sendo assim, o homem
co algum. compreendeu pouco a
Observando o céu e os movi­ pouco os elementos da
mentos cronométricos dos as­ natureza e foi capaz de
tros com regularidade, o homem melhorar todos os cam­
da Antigüidade concebeu o Zo­ pos da sua vida sobre a
díaco como um anel colocado en­ Terra.
tre a Terra e o Sol, em cujo inte­ Evidentemente, tratava-
rior se podia ver como circulavam f se de uma ambição cien­
os astros, isto é, as estrelas e os pla­ tífica, estimulada por um de­
netas. sejo de conhecimento e por
uma fmalidade prática.

As primeiras 0 ZODÍACO, A FERRAMENTA


representações do universo DO ASTRÓLOGO
Entre os milêniosIVeIIIa. C, na época dos Graças a esta invenção genial, era possí­ A controvérsia que com freqüência en­
Sumérios — quando foram estabelecidos os vel observar e medir as deslocações dos volve de maneira confrontacional os as­
primeiros sistemas astrológicos —, o uni- astros ao mesmo tempo. De certo mo­ trônomos e astrólogos contemporâneos
verso era concebido como uma imensa es- do, podemos dizer que o Zodíaco torna­ baseia-se muitas vezes na própria estru­
fera vazia composta por dois hemisférios, va o homem daquela época o conhece­ tura do Zodíaco e na sua possível falta
e cujo centro era a Terra; em cima encon- dor, não do céu em profundidade, mas de rigor científico.
trava-se o Céu e embaixo o Inferno. Segundo sim dos movimentos que os astros pro­ Como veremos ao abordar o tema da
esta interpretação do mundo, os antigos me- duziam constantemente, embora estes cosmografia, trata-se de um mal-enten­
sopotâmicos imaginaram que os dois hemis- não pudessem ser vistos a olho nu ou no dido.
férios se uniam na linha do horizonte, onde tempo presente. Com a ajuda deste ins­ Astronomicamente, é certo que os sig­
se fundiam o Céu e as águas das quais emer- trumento que é o Zodíaco, era possível nos do Zodíaco aos quais nos referimos
gia a Terra. Segundo este critério e da sua "prever" com toda exatidão a chegada não estão situados num lugar preciso.
perspectiva, as estrelas e os planetas deslo- deste ou daquele astro, num determi­ De fato, nada é imutável sob a abóbada
cavam-se do Inferior para o Superior e do nado momento do ano, num ou nou­ celeste. Assim, o ponto de partida do Zo­
Superior para o Inferior, acima e abaixo do tro setor do céu e, portanto, num setor díaco da Antigüidade já não corresponde
plano do horizonte da superfície do mar, nes- determinado do Zodíaco, visto que os exatamente ao que podemos observar
ta enorme esfera do universo em cujo centro movimentos celestes apresentam uma hoje em dia. No próprio Zodíaco existe
estava alojada a Terra. Sem dúvida que a ima- regularidade cronométrica ao longo dos uma diferença de alguns graus. Mas este
gem desta esfera nos faz pensar no Zodíaco! séculos. Desta forma, o que um ante­ fato não deve ser considerado como uma
passado nosso observou, mediu e codi­ restrição nem nos deve levar a reformu­
ficou num momento preciso, podia oco­ lar os fundamentos básicos do Zodíaco
rrer um, dois ou três séculos mais tarde. nem do sistema astrológico criado pelos
Hoje ainda se pode confirmar a exatidão nossos antepassados.
de alguns fenômenos celestes que foram É conveniente considerá-lo unicamente
observados há pelo menos cinco mil como um conjunto de dados de leitura,
anos! Daí que, afirmando a simultanei­ uma ferramenta útil para a observação
dade, por um lado, do aparecimento de da deslocação dos astros e necessária pa­
um astro num setor do céu e do Zodíaco ra averiguar a sua posição num dado
e, por outro, da manifestação de um ou momento. Devemos considerar o Zo­
vários fenômenos naturais na Terra ou díaco sempre como um instrumento
no seu meio envolvente imediato, o ho­ útil do astrólogo, apesar das imprecisões
mem da Antigüidade tenha conseguido que possa apresentar, mas sem esquecer
prever os fenômenos mencionados e an­ de que ele não existe.
Constelações, signos
do Zodíaco e calendário
No grande cenário do céu e das estrelas, os homens viram e desenharamfigurase símbolos.
Desta forma, e graças à sua imaginação fértil, nasceram os 12 signos do Zodíaco,
a partir do qual estabeleceram o calendário.

A exata origem do Zodíaco não é


conhecida, mas sabe-se que se sima
por volta do milênio V a. C , na Sumé­
Mesopotâmia, a partir de um grupo de
estrelas fixas.
Sabe-se hoje que nada é fixo no uni­
— evidentemente, as estrelas só são visí­
veis à noite — e a seguir do Sol, embora
muito mais tarde.
ria. Em contrapartida, não existem dú­ verso. Porém, vistos da Terra, é inegá­ Deste modo, as constelações foram dis­
vidas quanto à universalidade do prin­ vel que alguns astros aparentam ou tribuídas em 28 setores correspondentes
cípio do Zodíaco, cujo símbolo, uma criam a ilusão de uma certa imobili­ às 28 fases mensais da Lua. A primeira
roda dividida em 12 setores iguais, está dade. roda zodiacal, ou Zodíaco das constela­
presente em todas as civilizações e em Seguindo o ritmo das estações, e ao ções, foi constituída a partir das fases lu­
todas as épocas, nos cinco continentes. longo dos anos e dos séculos, o mes­ nares.
mo céu estrelado volta a aparecer de
AS CONSTELAÇÕES forma cíclica e imutável perante nos­
O cenário de fundo do Zodíaco é for­ sos olhos. Zodíaco dos signos
mado pelas constelações. Foi, portanto, sobre este pano de fundo Zodíaco das constelações
Trata-se de representações simbólicas, constituído por constelações que os sa­ Embora o Zodíaco dos signos astrológicos
que evocam animais ou personagens cerdotes astrólogos da Suméria pude­ tenha sido criado sobre o pano de fundo
míticos e que seguramente foram ima­ ram observar, seguir e medir os movi­ das constelações, não se deve confundi-lo
ginadas pelos sacerdotes astrólogos da mentos "aparentes", primeiro da Lua com o Zodíaco das constelações. É certo que
ao longo da Era de Áries, isto é, durante
mais ou menos os dois milênios anteriores
à nossa era, havia uma tendência para
confundir os dois Zodíacos. No entanto, hoje
sabe-se que no Zodíaco das constelações
figura a faixa de estrelas visíveis que cir-
cunda a Terra, ao passo que no Zodíaco dos
signos astrológicos figura a posição rela-
tiva entre o Sol e a Terra.
A partir do que os astrólogos sumérios conseguiram obser-
var em relação aos movimentos da Lua, nasceu o calendário
lunar, que representa as 28 fases mensais da Lua.

Mais tarde, e Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Sa­


baseando-se na turno. A cada um deles foi atribuído um
estrela Sírio, si­ dia e, juntos, formaram os sete dias da
tuada na cons­ semana.
telação do Cão N o entanto, devemos mencionar aqui
Maior e cuja lu­ que a Igreja, na sua liturgia, e querendo
minosidade é a mais apagar estes traços pagãos, baniu os no­
potente que se pode mes mitológicos dos dias da semana,
observar da Terra, criaram substituindo-os por feria (feria seconda,
um grande arco (Sírio signi­ feria tertia, feria quarta...), conservando o
fica estrela do arco) ao redor do sabatum (dos hebreus) e substituindo
qual o Sol se deslocava. ainda o dia do Sol pelo dia do Senhor.
Muitas línguas, como o francês e o es­
A astrologia nasceu AS ORIGENS panhol, por exemplo, mantiveram uma
na Mesopotâmia DOS SIGNOS DO ZODÍACO semelhança muito próxima aos nomes
"Desde os tempos imemoriais, sob o céu Não existem hoje dúvidas de que foi por originais destes astros, sendo muito
do Oriente quase permanentemente trans- volta do princípio do milênio II a. C. que mais fácil, portanto, descortinar esta
parente, todas essas jóias douradas relu¬ o Zodíaco foi criado. analogia, coisa que não aconteceu na
ziam com pleno fulgor durante noites in- Com efeito, já se podem encontrar língua portuguesa, que adotou para seu
teiras, aquele povo [os Mesopotâmicos] vestígios do Zodíaco nas tabelas caldéias vocabulário os nomes em latim: segun­
ficou fascinado pelos astros e durante sé- do século XII a. C. Cada signo, corres­ da-feira, terça-feira, quarta-feira, etc.
culos observou, anotou e estudou com pondente a um mês do ano, era re­ Temos portanto domingo que corres­
afinco as suas aparições e ciclos. Não só presentado por um dos 12 símbolos que ponde ao dia do deus do Sol, segunda
se tratava de uma multidão de estrelas atualmente se conhecem, com certas va­ à Lua, terça a Marte, quarta a Mercú­
fixas e suas constelações — das quais os riantes, é claro, que davam conta dos rio, quinta a Júpiter, sexta a Vênus e sá­
Mesopotâmicos acabaram por extrair, em mitos e crenças ancestrais que presi­ bado a Saturno.
meados do primeiro milênio antes de nos- diram à criação do Zodíaco.
sa era, uma seqüência zodiacal —, mas A partir do movimento aparente do Sol
também das grandes luzes do dia e da noi- dentro dos 360 graus da roda zodiacal, Qual a proveniência
te, o Sol e em especial a Lua, que regia foi criado o ano zodiacal ou solar. A par­ dos signos do Zodíaco?
o seu calendário, e finalmente os plane- tir daí, pôde facilmente dividir-se o ano Trata-se de 12 figuras simbólicas, que os
tas: Vênus, que chamavam de Ishtar, nome em 12 partes de igual duração — os homens da Antigüidade imaginaram ao ob-
da deusa do Amor; Júpiter, o 'Astro Branco'; meses —, seguindo as deslocações do servar os grupos de estrelas. Viram formas,
Mercúrio, o 'Carneiro' (Áries); Marte, o 'Ar- Sol de um setor do Zodíaco para outro. desenhos, caras, seres naturais e sobre-
dente', e Saturno, o 'Constante', cujas apa- Visto que cada signo formava um ân­ naturais, a partir dos quais constituíram,
rições, movimentos, ausências e eclipses gulo de 30 graus e o Sol percorria um ao longo dos séculos, uma hierarquia ce-
conseguiam prever sem erro. É possível grau por dia, cada mês zodiacal foi, se­ leste e um bestiário divino. Estes grupos
que tivessem visto brilhar os astros e que guindo o mesmo critério, dividido em de estrelas converteram-se em constela-
os confundissem com pictogramas dese- 30 dias. ções, das quais 12 formam o Zodíaco, pa-
nhados lá em cima pelos deuses, para se Os astros que constituem a hierarquia lavra grega que significa "círculo de ani-
decidirem a divulgar as suas conclusões." celeste e divina e que se deslocam no mais e almas".
(Jean Bottero, 1992) universo do Zodíaco, são 7: o Sol, a Lua,
Os deuses e os astros
Para o homem da Antigüidade, o céu era a moradia dos deuses.
As constelações e, em seguida, os astros, transformaram-se em figuras destes deuses.

DOS DEUSES
S ob uma aparente imo­
bilidade, todo se mo­
ve constantemente so­
AOS ASTROS
A partir de então, tor­
bre nossas cabeças. nou-se evidente que
Este simples fato, a presença de um ou
do qual o homem outro astro no céu,
da Antigüidade e em um período
tomou consciên­ determinado do
cia, e que o ho­ ano, coincidia, por
mem moderno sua vez, com o
soube demons­ aparecimento de
trar cientifica­ certos fenômenos
mente, confirma cíclicos que se
que em nosso produziam na Ter­
mundo terreno tu­ ra ou na vida social
do é pura ilusão. dos indivíduos. O
Com efeito, julga­ fato é que o homem
mos ver um céu per­ sempre sentiu a neces­
petuamente idêntico a si sidade de dar um sentido
mesmo, onde tudo pare­ à sua vida. Vejamos alguns
ce no mesmo lugar, mas se o exemplos simples: o apareci­
observarmos atentamente no­ mento do Sol coincide com o
taremos que se move e se transfor­ surgimento do dia, da luz, do calor,
ma diante dos nossos olhos. Do mesmo da secura; o aparecimento da Lua é si­
modo, supomos que nos encontramos multâneo com a chegada da noite, da
num ponto fixo: com os pés assentados diante de seus olhos, ora luminoso, escuridão, do frio ou da umidade...
na terra. Mas, na realidade, a Terra gira ora escuro, com uma cadência relati­ Foi precisamente a partir desta bipo­
sobre si mesma e em volta do Sol, que vamente regular e aparentemente au­ laridade luz/escuridão, desta cadência
por sua vez se desloca pela Via Láctea tônoma; ao ver a chuva, a neve, o gra­ dia/noite, que foi idealizado o Zodía­
(a nossa galáxia), a qual também ainda nizo, o raio caírem do céu, pensou, co, essa roda fictícia inventada pelo
avança no universo. evidentemente, que este era povoado homem da Antigüidade para observar
por seres superiores a ele, dotados de os movimentos dos astros, prever seu
DAS CONSTELAÇÕES um poder sobrenatural. Assim nas­ aparecimento ou desaparecimento, as
AOS DEUSES ceram os deuses. suas influências e as suas prováveis ou
Se permanecermos imóveis num pon­ Ao observar o céu, nossos antepassados fatais conseqüências.
to concreto do nosso planeta, nunca viram nele grupos de estrelas que for­ Os primeiros astrólogos eram, por­
veremos a Terra girar. Teremos a im­ mavam figuras: as constelações. A par­ tanto, adivinhos, isto é, homens que,
pressão de que são o céu, os astros e as tir dessa altura, os deuses ganharam graças às suas observações, tinham o
estrelas que se deslocam à volta do rostos. E em seguida, nomes próprios. poder de adivinhar as decisões dos
nosso planeta. Uma vez individualizados e isolados, deuses.
Imaginemos o homem da Antigüidade foram-lhe atribuídas identidades e
nesta situação. Este movimento dos qualidades. Ganharam vida, estavam DOS ASTROS AOS HOMENS
astros, do qual foi uma primeira tes­ mais presentes, mais próximos de nós, Ao longo dos séculos — já que tudo isto
temunha privilegiada, não podia deixá- o homem pôde então comunicar-se não foi assimilado em um só dia —, o
lo indiferente. Ao ver o céu "em mo­ com eles. O contato estava estabele­ Zodíaco, ou o universo dos deuses, foi
vimento" sobre ele, transformar-se cido. o espelho panorâmico das idéias, dos
sentimentos, das paixões divinizadas Os sete astros
pelos homens. Assim, tudo que acon­ primordiais
tece no Zodíaco, as informações que Os sete astros regentes do Zo-
nele podemos ler e extrair, resultam díaco são o Sol, a Lua, Mercúrio,
das nossas próprias projeções e da Vênus, Marte, Júpiter e Saturno.
nossa imaginação, da nossa cons­ São os astros primordiais que
ciência ou, mais exatamente, dos compõem a hierarquia celeste do
nossos antepassados, cujo pensa­ Zodíaco, tal como a concebeu o
mento e espírito estão muito mais próxi­ O Sol (Apolo) homem da Antigüidade, segundo Júpiter
mos dos nossos do que podemos ima­ um princípio sutil e coerente,
ginar. Para o homem da Antigüidade, uma interpretação da composi-
entrar no universo do Zodíaco era ele­ ção do universo que, naqueles
var-se ao nível dos deuses, mas sobre­ tempos, poderíamos chamar
tudo era entrar de cheio no território do científica.
conhecimento imediato e espontâneo Devem ser considerados primor-
do mundo cotidiano e, de um modo diais visto serem os elementos
mais sutil, e também mais profundo, da constitutivos essenciais, os me-
consciência individualizada. Entrar no canismos fundamentais do Zo-
universo do Zodíaco e consultar os as­ díaco. Saturno
tros, ou seja os deuses, como acabamos
de defini-los, é mergulhar na descoberta Os três astros
do mundo e de si próprio. secundários
Os três astros secundários do
A CAPACIDADE Zodíaco são Urano, Netuno e
DE DESLUMBRAMENTO Plutão, localizados pelos astrô-
Como é possível não ficar deslumbra­ nomos em 1781, 1846 e 1930,
dos quando contemplamos o grande respectivamente. No século xx
espetáculo do céu estrelado? O céu não principalmente, ou, para ser mais
nos dá a impressão de ser um imenso Mercúrio exato, nos últimos 150 anos, os
oceano sem limites, que envolve a Terra astrólogos acrescentaram-nos Urano
e em cujas águas o nosso planeta pare­ aos planetas conhecidos; porém,
ce apenas uma pequena ilha? O homem não temos nenhuma prova tan-
da Antigüidade raciocinava deste modo gível de que o homem da Anti-
quando falava das Águas Superiores e güidade tenha tido conhecimen-
das Águas Inferiores e quando imagina­ to da sua existência. Todavia,
va poeticamente que, nas suas origens, podemos supô-lo por muitas
durante a criação do mundo, as Águas razões, embora não haja regis-
Superiores e as Águas Inferiores se se­ tros constantes da sua presença
pararam. no Zodíaco. Temos que assina-
Nas Águas Superiores, os astros, essas Vênus lar que o Zodíaco, tal como foi
grandes naves do espaço tripuladas pelos criado na sua origem, não tem Netuno
deuses, viajavam seguindo as órbitas, ou necessidade alguma de acoplar
círculos, relativamente imutáveis ao elementos básicos suplementa-
redor da Terra; deslocavam-se no Zo­ res. Urano, Netuno e Plutão reve-
díaco para anunciar, com regularidade, lam apenas informações adicio-
o regresso de fenômenos naturais com nais às oferecidas pelos astros
os quais, ao longo dos séculos, foram primordiais. Urano exerce assim
identificados. Os astros adquiriram uma uma regência secundária sobre
identidade. Foram-lhes atribuídas qua­ o signo de Aquário, juntamente
lidades naturais e, em seguida, huma­ com Saturno, seu regente. Final-
nas, que lhes corresponderam com per­ mente, Plutão é o regente secun-
feição. São estas qualidades que vamos Marte dário de Escorpião, juntamente Plutão
descobrir. com Marte, seu regente.
Os 7 astros primordiais
e os 3 astros secundários
Estrelas, planetas ou satélites, os astros têm um sentido, uma identidade, uma função.
Inscritos no seu mapa astral, revelam os diversos componentes de sua personalidade.

N a hierarquia celeste que rege o


Zodíaco, o Sol é uma estrela, a
Lua é um satélite; Mercúrio, Vênus,
astros indicam qualidades próprias do in­
divíduo como tal.
De qualquer forma, todos têm signi­
atributos solares, mas impregna-se mais
ou menos das qualidades reveladas por
cada um destes signos, dependendo se
Marte, Júpiter e Saturno são planetas, ficados particulares, diferentes, origi­ sua natureza está em afinidade ou em
da mesma forma que Urano, Netuno nais que, a depender da posição no Zo­ oposição a eles.
e Plutão. E todos são astros. díaco, combinam-se com as qualidades Deste modo, um nativo de Áries — cu­
Porém, como já salientamos em oca­ inerentes a cada um dos 12 signos as­ jo Sol se encontra neste signo — ma­
siões anteriores, Urano, Netuno e trológicos. nifesta uma vontade ativa, impulsiva,
Plutão devem ser considerados à par­ Por exemplo, o Sol no signo de Áries, entusiasta.
te porque, se sua situação em um mapa Câncer ou Libra conserva sempre seus Mas, um nativo de Câncer é dotado de
astral está longe de ser desprezada, a uma vontade sensitiva, receptiva, doce,
informação que fornecem corres­ e um nativo do signo de Libra re­
ponde mais ao âmbito das cor­ vela uma vontade sutil, sem­
rentes coletivas, enquanto pre equilibrada e contem­
que os outros sete as­ plativa.

SATURNO .. VÊNUS
é regente de é regente
Capricórnio de Touro
e de Aquário. e de Libra.

JÚPITER-- MERCÚRIO
é regente de é regente
Sagitário de Gêmeos
e de Peixes. e de Virgem.

•... O SOL
é regente
MARTE-''' de Leão.
é regente de
Aries e de
Escorpião.
'•• ALUA
é regente
de Câncer.
Os 7 astros primordiais.
O SOL O MARTE C f URANO $
É a expressão e a manifestação da von­ É a expressão e a manifestação da afir­ É a expressão e a manifestação do es­
tade instintiva do indivíduo, a persona­ mação do ego e do poder de ação do in­ pírito de independência do indivíduo,
lidade em vias de realização. É a essên­ divíduo, o eu ativo. Para se distinguir, o o eu impulsivo. Consciente de seus li­
cia do ser, o núcleo em volta do qual indivíduo deve afirmar-se, impor as suas mites, este ser é capaz de distinguir-se
os componentes de sua personalidade escolhas, suas iniciativas, agir. O poder de seus semelhantes revelando seu in­
são estruturados. 1 A vontade instintiva de ação é o instrumento através do qual dividualismo ativo, sua força de decisão,
é o que o indivíduo deseja espontane­ o ser manifesta a sua força entusiasta sua autonomia. Pode agora desligar-se
amente, sem refletir, o que suscita nele pela vida, exterioriza-se, concretiza as das contingências e obrigações morais e
afinidades e atrações, indiferenças e re­ suas idéias, alcança os seus objetivos, sociais. É dinâmico, compreensivo, so­
pulsas. cumpre as suas promessas, satisfaz os lidário com os demais. N o que se refere
seus desejos. ao indivíduo, Urano corresponde sem­
A LUA ]) pre a um ponto de rotura entre ele e seu
É a expressão e a manifestação da sen­ JÚPITER 1+ passado, que o deixa livre para realizar-
sibilidade do indivíduo, o eu sensível. É a expressão e a manifestação da ale­ se, para ser ele próprio.
Com a ajuda dos seus cinco sentidos gria de viver do indivíduo, o eu ex­
(a visão, a audição, o olfato, o pala­ pansivo. U m a vez afirmado, o indi­ NETUNO yj
dar e o tato), o indivíduo toma cons­ víduo aspira a possuir o mundo que E a expressão e a manifestação do poder
ciência da sua personalidade, do o cerca, dando livre curso à sua ale­ de transformação do indivíduo, o eu
m u n d o que o cerca, o qual percebe gria de viver, abrindo-se e gozando receptivo. Graças a esta receptividade
plenamente e interpreta à sua maneira. dos bens deste m u n d o , ao mesmo psíquica fornecida por Netuno, o ser
Assim, a imagem que forma dele mes­ tempo que adota um estilo de vida e será capaz de adaptar-se a todas as si­
mo e do que o cerca é fruto de sua uma forma de expressão que lhe são tuações. Agora tem mais possibilidades
imaginação. próprios. de fazê-lo, já que se transformou em
um indivíduo livre, independente, ín­
MERCÚRIO £ SATURNO h tegro. Por um fenômeno de osmose,
E a expressão e a manifestação da inte­ E a expressão e a manifestação da ma­ que resulta ao mesmo tempo da iden­
ligência do indivíduo, o eu cerebral e turidade do indivíduo, o eu racional e tificação e da diferenciação, adapta-se
subjetivo. Uma vez estabelecido o con­ objetivo. O ser toma consciência de suas às correntes exteriores, às quais se mos­
tato sensível com o mundo, o indivíduo limitações. Reúne, sintetiza, concentra, tra receptivo. Transforma-se graças a
apreende-o, isto é, toma-o, capta-o. A interioriza. Aperfeiçoa-se. Adquire cons­ elas. Descobre nele mesmo outra di­
imagem torna-se idéia. O espelho re­ ciência de si mesmo, rigor, domínio dos mensão, uma consciência muito mais
flete e devolve a imagem, suscitando a elementos próprios do seu destino, que ampla e sutil de si próprio e do mundo,
"reflexão". A inteligência procura então distingue do seu livre arbítrio. Desco­ que lhe permite abarcar e misturar a re­
instrumentos que lhe facilitem a co­ bre as suas verdadeiras motivações. Vai alidade exterior e sua vida interior. A
municação com o mundo exterior e a ao essencial. E, pois, um indivíduo ín­ partir de então, pode ter confiança em
relação com os demais. Mercúrio é o tegro. si mesmo.
instrumento de comunicação e de so­
ciabilidade do ser. PLUTÃO "5"
0 que dizem os astros É a expressão e a manifestação do po­
VÊNUS Ç 0 Sol: eu desejo! tencial da criatividade do indivíduo, o
É a expressão e a manifestação dos sen­ seu eu impulsivo. O ato de criação é má­
A Lua: eu sinto!
timentos e das motivações do indivíduo, gico, instintivo, irreprimível. Levado
o eu emocional. Ser sentimental é com­ Mercúrio: eu sou! pelo ciclo da vida e da morte, oferece a
binar a expressão dos sentidos e a sen­ Vênus: eu amo! possibilidade de fazer e desfazer, de pro­
sibilidade (o sentido) com a das ativi­ duzir e de destruir. O poder de criati­
Marte: eu atuo!
dades cerebrais (o mental). N o entanto, vidade do indivíduo confronta-se com
se o sentimento tem algo de cerebral, Júpiter: eu gozo! o mistério da vida e da morte, da sua pró­
o amor é mais espontâneo, mais ins­ Saturno: eu sei! pria vida e da sua própria morte — con­
tintivo (qualidades solares). O amor põe tra a qual se rebela, criando, produzindo
Urano: eu liberto!
em movimento o ser, levando-o a ex­ — e da qual deve tomar consciência mais
pressar suas emoções e suas verdadeiras Netuno: eu confio! cedo ou mais tarde, para aprender a re­
motivações. Plutão: eu creio! generar-se ou a consciencializar-se.
O ascendente e o descendente
O ascendente é o eu, a aparência externa. O descendente é a união,
a associação com os outros. Juntos, constituem a base da personalidade.

S ou Libra, ascendente Touro. O que


significa isso? A posição do ascen­
dente é calculada a partir do dia, mês,
que um nascimento pode ocorrer tanto
de dia como de noite, ao meio-dia ou
à meia-noite. Então, em um mapa as­
se encontra (nascer do Sol) e o do des­
cendente (pôr do Sol) formam um eixo
que representa o horizonte.
ano, hora e local de nascimento, bem tral, se a hora de nascer do sol: Por exemplo, o ascendente de uma pes­
como pela posição do Sol e de todos • coincidir com a hora do nascimento, soa nascida no momento do nascer do
os astros que figuram em um mapa as­ o ascendente será o ponto exato do Zo­ Sol situa-se sempre no mesmo signo do
tral. Mas, assim como as posições do díaco onde nasce o Sol; Zodíaco que o seu Sol natal, enquanto
Sol e dos astros indicam as efemérides • for anterior à hora do nascimento, o o descendente, evidentemente, se en­
do dia a dia, o mesmo não acontece no ascendente será o ponto exato do Zo­ contra no signo oposto. Ao contrário, o
caso do ascendente. díaco onde o Sol nasceu; ascendente de uma pessoa nascida no
Este último é um dos 360 graus do Zo­ • for posterior à hora do nascimento, mesmo momento que o Sol se põe,
díaco que aparece no horizonte orien­ o ascendente será o ponto exato do Zo­ situa-se sempre no signo oposto ao do
tal, no momento de nascer: calcula-se, díaco onde o Sol nascerá. seu Sol natal que, por sua vez, se situa
concretamente, em função da hora e do O descendente é o ponto diametral­ perto do descendente.
local de nascimento. Em outras pala­ mente oposto a este grau, o horizonte
vras, é o ponto exato do Zodíaco on­ ocidental, onde o Sol se põe, se pôs ou DE ONDE VEM
de nasce, nasceu ou nascerá o Sol, no se porá, também de acordo com cada 0 ASCENDENTE?
exato momento e segundo o lugar em caso. Os primeiros sacerdotes-astrólogos da
que nasce uma pessoa. Por que disse­ Em resumo, podemos dizer que o Mesopotâmia não realizavam um ma­
mos "nasce, nasceu ou nascerá"? Por ponto do Zodíaco onde o ascendente pa astral a partir da hora do nasci-
nascimento de uma pessoa em particular,
importantes, que marcariam a mentali­ Desta forma, poderemos quase sem­
já que as considerações e preocupações dade greco-romana, latina e depois a da pre definir o físico, o aspecto, os traços
de então não eram individuais, mas Idade Média e do Renascimento. Ainda do rosto, o ar, a forma de andar, a par­
coletivas. Muito mais tarde, alguns sa­ hoje falamos do nosso signo zodiacal tir da posição do ascendente do signo,
cerdotes caldeus emigraram para a e ascendente. tendo sempre em conta ao mesmo
Grécia, levando consigo notáveis co­ tempo a situação do regente do signo
nhecimentos de matemática, geome­ A IMPORTÂNCIA onde se encontra o ascendente.
tria e astronomia. U m deles, Beroso, DO ASCENDENTE Por exemplo, para definir a morfop¬
historiador e astrólogo, instalou-se na EM UM MAPA ASTRAL sicologia ou o comportamento físico
ilha de Kos (no Dodecaneso) onde Praticamente, a partir do ascendente (ou e moral de uma pessoa com ascen­
fundou a primeira escola de astrolo­ extremo ou cúspide da casa I) no Zo­ dente Sagitário, e compreender sua
gia, no século II a. C. Mas, não foi ali díaco, podemos determinar as posições aparência, devemos, obviamente, ter
onde se aplicou pela primeira vez o das outras casas. em conta as características do ascen­
princípio da astrologia chamada ge¬ Mas a situação em um signo é igual­ dente neste mapa astral, mas também
netlíaca (aquela que se baseia na po­ mente importante e reveladora, porque as características provenientes do seu
sição dos astros no momento do nas­ informa-nos do aspecto, da aparência regente (Júpiter), que terão significa­
cimento de um indivíduo). física e psicológica de uma pessoa ou, dos diferentes, conforme se trate de
Mas a partir desta época transformou- se se quiser, da sua própria morfopsi¬ Gêmeos, Leão, Escorpião ou Capri­
se em uma descoberta e preocupação cologia. córnio...

Como familiarizar-se com o ascendente e o descendente?


Para compreender o princípio do ascendente e as casas as- A partir deste setor, coloque os símbolos dos outros signos,
trológicas, sugerimos que observe este simples esquema. É um girando no sentido inverso ao dos ponteiros do relógio. Agora
círculo dividido em 12 partes iguais, cada uma delas repre- você só precisa saber, a partir de um calendário do ano do nas-
sentando 2 horas de um dia de 24 horas. Imagine que se trata cimento em questão, da hora do nascer do Sol do dia do nas-
de uma pessoa de Gêmeos, nascida em 5 de Junho, por exem- cimento, para descobrir o ascendente. No nosso exemplo, o Sol
plo. Devemos lembrar que para uma pessoa nascida no Bra- nasceu entre as 4 e as 6 horas de 5 de Junho; logo, o ascen-
sil, é preciso retirar ou acrescentar horas à hora do nascimento, dente encontra-se no signo de Sagitário. Só nos falta situar
já que o astrólogo se refere sempre à hora solar (ou hora si- o descendente no signo oposto (tal como explicamos ante-
deral) e não à hora indicada por nossos relógios (ou hora legal). riormente). No nosso exemplo, situa-se, portanto, no signo
Partiremos do princípio de que a hora de nascimento aproxi- de Gêmeos. Insistimos sobre o fato de que se trata de um
mada que nos interessa são as 17 horas. No espaço que vai das posicionamento aproximado. Este exemplo não se destina a
16 às 18 horas, ligeiramente para o exterior, desenhe o sím- ensinar a calcular a posição do seu ascendente, mas sim per-
bolo do Sol e, no interior, o símbolo de Gêmeos (ver o esquema mitir a sua familiarização com a utilização do Zodíaco e, com
abaixo, à direita), já que o Sol se encontrava neste signo no certa prática, habituar-se aos complicados cálculos, necessá-
momento do nascimento. rios para aprender a desenhar um mapa astral.
O Meio do Céu
e o Fundo do Céu
O Meio do Céu (Medium Coeli) representa a independência do eu,
o lugar privilegiado na presença social de uma pessoa, e o Fundo do Céu
(Inmum Coeli), as bases de sua existência. Juntos formam um eixo fundamental no mapa astral.

O bserve e consulte os planetas que


aparecem no Zodíaco — tal como
estão em um mapa no céu —. É como
chega deformado. Se você tiver este
sentimento é porque a interpretação
realizada não está correta ou porque o
tos inscritos no mapa, embora saibamos
que serão sempre subjetivos, visto que
todos somos pessoas e não objetos.
olhar-se em um espelho. astrólogo interfere ao observar, fazendo Na realidade, quando você observa seu
De fato, o Zodíaco devolve-nos nossa intervir os seus próprios juízos e valo­ mapa astral, você se encontra de pé, face
própria imagem ou, mais exatamente, res pessoais. a face, em frente ao espelho.
mostra-nos a imagem do nosso duplo. Com efeito, temos que nos mostrar to­ Mas, em vez de esperar que o espelha
Não é, portanto, por ser nativos deste lerantes e solidários quando realizamos lhe devolva seu exato reflexo, tente re­
ou daquele signo do Zodíaco, nem por a interpretação de um mapa astral. E, se conhecer o seu duplo, que é representa­
se encontrar sob um ou outro ascen­ possível, dar uma visão objetiva ao rea­ do pelos signos e símbolos inscritos no
dente, que o nosso ser (revelado pela lizar a análise e a síntese dos elemen­ mapa astral.
posição do Sol) e o nosso as­ Sua cabeça é então re­
pecto (revelado pela posição presentada pelo Meio
do ascendente) são como são. do Céu, sua mão direita
Em outras palavras, nem os pelo ascendente e seus
planetas, nem as casas, nem pés pelo Fundo do Céu.
os restantes elementos do Dito de outra forma, no
nosso mapa astral exercem espelho do seu mapa as­
qualquer influência sobre tral, seu olho direito não
nós: são o que nós somos, olha para seu olho di­
não o inverso. reito, nem tampouco
seu olho esquerdo olha
0 ZODÍACO para seu olho esquerdo,
COMO UM ESPELHO sendo que é o seu olho
O Zodíaco é um espelho. O direito que esquadrinha
mapa astral é o espelho do o esquerdo do seu duplo
indivíduo; foi calculado só e o seu olho esquerdo
para ele. que encara o olho direito
Assim, observando qualida­ do seu duplo.
des ou defeitos inerentes ao Esta precisão é de gran­
seu comportamento e ao de importância se ad­
seu mapa astral veremos es­ mitirmos que o univer­
ta ou aquela configuração so, tal como o vemos, tal
astral que os revelam. como está representado
Sabendo disso, quando um no Zodíaco, e ainda com
astrólogo dá sua interpreta­ mais motivo no nosso
ção de um mapa, não se de­ mapa astral, é um uni­
ve sentir, portanto, que o verso ao contrário, uma
reflexo do consulente (ou a espécie de duplo do
imagem do seu duplo) nos mundo visível.
O MEIO DO CÉU
O Meio do Céu — cúspide da casa X
— é o ponto preciso do seu mapa astral
onde se encontra sua cabeça, o ponto
mais alto do seu corpo.
Astrologicamente, é o ponto exato onde
o Sol está no seu zênite; isto é, o ponto
onde o Sol estará ao meio-dia, nesse dia
determinado.
É, portanto, o ponto culminante de um
mapa astral.
Sua posição no mapa astral de uma pes­
soa permite valorizar e compreender
como esta pessoa obterá fácil ou dificil­
mente uma autonomia, expressará ou
manifestará sua vontade de indepen­
dência. Assim, os planetas que se
encontram às vezes situados
nesse setor fornecem informa­
ções importantes e revelam quase
sempre as qualidades e defeitos impor­
tantes de uma pessoa. Podemos consi­
derar o Meio do Céu como um símbo­
lo do destino social de um indivíduo,
do mesmo modo que o ascendente é
uma representação do eu e da aparên­
cia. A partir daí, esta relação entre a ex­
pressão da vontade de independência, Assim como o Meio do Céu é o zênite o contexto social, as condições materiais
por um lado, e o destino social, por ou­ do Sol, o Fundo do Céu é logicamente e psicológicas nas quais a pessoa em
tro, pode parecer, à primeira vista, para­ o seu nadir, isto c, o lugar preciso onde questão viveu sua infância e viverá até
doxal ou contraditória. Ora, desta forma se encontrava este astro à meia-noite da­ o final de sua vida. Trata-se das bases da
podemos ver como uma pessoa, cum­ quele dia. existência.
prindo seu destino social, adquire uma Quando você se olha no espelho do seu Daí que o eixo Meio do Céu-Fundo do
certa independência moral e material mapa astral terá que compreendê-lo co­ Céu seja tão importante cm um mapa
face ao contexto natural e familiar em mo o ponto do Zodíaco onde seus pés astral como o eixo ascendente-descen¬
que cresceu c evoluiu. assentam, onde se encontram suas raí­ dente. E, da mesma maneira que pode­
zes, a fonte onde estão inscritos o princí­ mos resumir esquematicamente este
0 FUNDO DO CÉU pio e o fim de sua vida social. último eixo com a fórmula "eu e os ou­
Este meio natural e familiar revela-se Por extensão, muitas vezes diz-se que o tros", podemos definir o primeiro eixo
no ponto exatamente oposto, no Zodía­ Fundo do Céu e Meio do Céu — de­ como "minha independência c minha
co e no mapa astral, ao Meio do Céu. pendendo do signo do Zodíaco sob o família". Finalmente, observemos que
O Fundo do Céu é o ângulo ou cúspide qual se situam no mapa astral, obvia­ estes dois eixos formam uma cruz no in­
da casa IV mente — revelam o ambiente familiar, terior do Zodíaco e do mapa astral.

Como familiarizar-se com o Meio do Céu e o Fundo do Céu?


Para ir avançando de forma progressiva na descoberta das posições dos elementos em uma roda zodiacal, sugerimos que você
retome o exemplo que utilizamos anteriormente para explicar como se situam o ascendente e o descendente. Assim, para
nossa pessoa nascida sob o signo de Gêmeos, em um 5 de junho, às 18 horas, o ascendente estará situado em Sagitário e o
descendente no signo oposto: Gêmeos.
Como vimos, os eixos ascendente-descendente e o Meio do Céu-Fundo do Céu formam uma cruz. Basta desenhar esta cruz pa­
ra descobrir que o Meio do Céu deste indivíduo está em Virgem e seu Fundo do Céu em Peixes.
As casas
C hamamos casa a cada um dos 12
setores que dividem a esfera local
— isto é, o globo terrestre, representa­
do Zodíaco revelam as grandes tendên­
cias fundamentais da expressão natural
de uma pessoa, sua personalidade e as
za e a vida da pessoa e as segundas nos
informam sobre sua existência na Terra.
Os astros situados nos signos do Zo­
do em função de uma hora e local geo­ analogias que apresenta com os elemen­ díaco ou as combinações astros/signos
gráficos determinados — a partir dos tos da natureza. nos informam sobre a psicologia pro­
pólos e do horizonte. Seis destes seto­ Com efeito, os signos do Zodíaco estão funda da pessoa, as bases de sua perso­
res encontram-se sempre sobre o ho­ intimamente associados às estações e nalidade. Os astros que se encontram
rizonte, os outros seis encontram-se períodos do ano que lhe correspondem. nas casas ou em combinações astro/casa
sistematicamente abaixo dele. O siste­ Quanto às casas, representam um mo­ indicam como se manifesta e expressa
ma de cálculo destes setores, chama­ mento fixo na esfera local. A partir daí, a pessoa na vida social e em sua realida­
dos casas, utilizado normalmente pelos simplificando um pouco, podemos di­ de material, além de mostrar caracterís­
astrólogos de hoje em dia, remonta à zer que os primeiros revelam a nature­ ticas inerentes ao indivíduo.
Antigüidade.
Foi estabelecido em uma época em que OS DOMICÍLIOS
os astrólogos passaram gradativamente Aos setores terrestres deu-se o nome de
das considerações de ordem co­ casas. N o entanto, no começo, eles
letiva à preocupação com os eram chamados "domicílios" ou
indivíduos, sua personalida­ "moradas", esta última palavra
de, destino e futuro. procedente do latim morari, que
significa "tardar", "demorar",
SETORES TERRESTRES "atrasar", "parar", "reter" e
E CELESTES que tomou o sentido de ficar,
Os setores que cortam a es­ permanecer, morada, domi­
fera local e se situam nos cílio e casa.
360 graus do Zodíaco são Por outro lado, o termo "do­
chamados "setores terres­ micílio" provém do latim do¬
tres". Com efeito, como vi­ micilium, palavra que se rela­
mos, eles são estabelecidos a cionava com dominari: dominar,
partir de uma hora e local geo­ dirigir, domesticar. O dominus
gráfico terrestre, que permitem si­ era o dono da casa. Portanto, po­
tuar o horizonte, isto é, a linha de de-se dizer que dominari tem sua
saída e o pôr do Sol nesse dia concre­ raiz etimológica em domus, que signi­
to, e segundo o local de nascimento. fica "casa". Deste modo, os doze domi­
Por oposição, os signos do Zodíaco são cílios a que hoje chamamos "casas" for­
os chamados "setores celestes", já que, mam juntos a grande casa do Zodíaco.
obviamente, estão inscritos na roda zo­ Esta divide-se, assim, em 12 domicí­
diacal situada na esfera celeste. Mas a lios distintos e específicos. Para evitar
idéia de setor terrestre e setor celeste confusão, vamos chamá-los casas, no­
tem um significado próprio na interpre­ me que recebem atualmente.
tação que devemos fazer das posições De qualquer forma, para sermos fiéis
das casas, por um lado, e dos signos do aos grandes princípios enunciados pe­
Zodíaco, por outro. los astrólogos da antigüidade, sublinhe-
Assim, as casas revelam a vida existen­ se que o mapa astral dividido em 12 sig­
cial ou material de um indivíduo, sua nos do Zodíaco e 12 domicílios pode
integração na vida social e sua indivi­ ser comparado a uma casa — ou seja,
dualização. Em contrapartida, os signos forma um todo coerente e homogêneo
—, que é a casa de uma pessoa, cujo
A esfera terrestre mapa do céu estamos realizando e es­
e a esfera celeste. tudando.
A partir daí, se para compreender a tos externos que vai herdar, seu com­ • A casa XI revela a capacidade do in­
psicologia profunda da pessoa em portamento face à mudança e à morte. divíduo para emitir juízos objetivos,
questão dispomos de 12 signos do • A casa IX revela o potencial de inte­ que lhe permitirá encontrar um equilí­
Zodíaco, 12 casas, 10 astros e dois ligência superior do indivíduo, isto é, brio psicológico e afetivo. Informa so­
pontos fictícios, o eixo dos Nós luna­ suas aptidões para ampliar seu hori­ bre as relações de amizade e sobre sua
res e a Lua negra, que podemos ana­ zonte intelectual, social ou geográfico, capacidade de elaborar e concretizar
lisar em cada ponto, um por um, não sua tendência ou inclinação para as seus projetos.
devemos esquecer que a interpretação aventuras e viagens. • A casa XII revela a expressão da for­
de um mapa astral é a síntese de todas • A casa X revela a expressão da von­ ça moral e espiritual do indivíduo, seu
as informações que, juntas, formam tade de independência social e existen­ comportamento quando enfrenta uma
um todo indissolúvel. cial do indivíduo, sua capacidade de se prova, sua faculdade de abstração e sua
expor, de assumir responsabilidades e capacidade de transformar-se e evo­
AS 12 CASAS triunfar. luir.
OU DOMICÍLIOS
• A casa I ou a s c e n d e n t e revela a
expressão do indivíduo, seu caráter,
seu eu, sua aparência. Sua maneira de
dizer "eu" procede dos elementos
indicados por esta casa.
• A casa II revela a expressão do ins­
tinto de conservação do indivíduo, sua
tomada de posse do meio natural, suas
aquisições, sua relação com os bens
materiais e com o dinheiro.
• A casa III revela as relações do in­
divíduo com seu meio social, seus
costumes, sua inteligência prática, sua
sociabilidade e a natureza de seus in­
tercâmbios com os demais.
• A casa IV revela as bases da existên­
cia dos indivíduos, isto é, sua famí­
lia, seu país de origem, suas raízes, re­
lações de parentesco, seu lar, seu
habitat.
• A casa V revela a expressão da
energia vital do indivíduo, seus sen­
timentos, prazeres, capacidade de
criação, de produção, sua capacidade
de amar, de procriar e também suas
relações com as crianças.
• A casa VI revela a relação do indi­
víduo com a vida material do dia a dia,
com seu corpo, suas aptidões de tra­
balho e capacidade de preservar seu
bem-estar e sua saúde.
• A casa VII revela sua capacidade de
adaptação aos outros, suas disposições
para a união e associação. Por tanto
aqui, o indivíduo diz "nós!".
• A casa VIII revela a expressão do
instinto da vida e da morte do indi­
víduo, sua capacidade de regeneração,
de se recuperar, de captar os elemen­
O mapa do céu
e o mapa astral
Quando observamos o céu em um momento determinado, podemos estabelecer o chamado "mapa do céu".
Se este mapa efeito emfunção da data de nascimento de um indivíduo, obtemos um "mapa astral".

A s palavras ou expressões utilizadas


de forma habitual não têm o mes­
mo sentido que lhe são comumente
na elaboração de um zodíaco e ao rea­
lizar-se um mapa do céu. Que é um
mapa do céu? Para um astrólogo, é um
exatas dos astros, reveladas pelas Efe­
mérides, a partir de uma hora, dia, mês,
ano e lugar determinados.
atribuídas. Devido à grande quantidade esquema constituído por um Zodíaco O mapa do céu é para o astrólogo o que
de informações falsas e idéias precon­ onde figuram os 12 signos astrológicos, a partitura é para o músico. Uma pes­
cebidas que existem sobre a astrologia, em cujo interior são inscritas as posições soa leiga se perguntará, observando uma
quando falamos dela nunca é demais
esclarecer certos pontos do Zodíaco.
Além disso, a astrologia se relaciona tan­
to com a ciência como com a arte. Nor­
malmente, as pessoas reconhecem sua
categoria de ciência porém sem ter mui­
ta certeza nem saber as razões para isso.
Inclusive, os mais cépticos com respeito
a este tema afirmam que a astrologia é
uma ciência falsa, porém uma ciência.
N o entanto, todos ou quase todos, pare­
cem ignorar que se trata também de
uma arte, que exige determinadas qua­
lidades, como a intuição, a inspiração,
a imaginação e a interpretação, por parte
da pessoa que a exerce.
Salientemos a propósito disto que uma
boa prática da astrologia implica possuir
certas qualidades humanas, requer ge­
nerosidade e um espírito espontâneo e
solidário com os demais, que em ne­
nhum caso deve restringir, forçar, limi­
tar, separar ou dividir. O conhecimento
da astrologia não tem porque transfor­
mar-se em um muro entre si mesmo e
os demais, mas sim em uma infinidade
de portas abertas ao mundo exterior.
Finalmente, as investigações astrológi­
cas proporcionam certo júbilo, um gosto
pela descoberta, pela aprendizagem e pe­
lo conhecimento. Se não for assim, me­
lhor não interessar-se por ela.

0 MAPA DO CÉU
Tal júbilo, impaciência e entusiasmo
um tanto infantis podem ser sentidos
partitura, como é possível que a partir
de uma linguagem incompreensível
para ela, seja criada uma melodia. N o
entanto, o músico, seguindo as notas
inscritas na partitura, captará com na­
turalidade uma melodia, os acordes e as
harmonias. Para um astrólogo prepa­
rado e com certa experiência em dados
astrológicos é a mesma coisa: ele pode
ler um mapa com um lance de olhos.
N o entanto, ler é uma coisa, mas inter­
pretar é outra bem diferente. O astrólo­
go lê para si mesmo porém precisa in­
terpretar para os demais. Da mesma
forma, quando um músico lê uma par­
titura, ele se limita a decifrá-la. Se quer
interpretá-la, o passo seguinte será ex­
pressar seus sentimentos e emoções
pessoais, íntimos, e fará uso de suas
qualidades sensíveis, intuitivas e artísti­
cas para comunicar-se com seu auditó­
rio. E evidente que o domínio de uma
técnica e sua habilidade instrumental
lhe serão muito úteis. A qualidade de
um bom intérprete é medida tanto por
sua sensibilidade como por sua habi­
lidade e virtuosismo.
O mesmo acontece com o astrólogo. Di­
ferentes astrólogos podem realizar um Exemplo do mapa astral de uma pessoa nascida em 21 de julho de 1997, às cinco da
idêntico mapa do céu de um momento manhã, em Paris.
dado, assim como lê-lo automaticamen­
te. Porém, quanto à interpretação, esta mais o sentimento de estar-se introdu­ De qualquer forma, é indispensável para
será menos ou mais interessante em fun­ zindo em uma religião quando se se poder estudar, analisar e interpretar
ção do que cada um deles comunique aprende astrologia. Além disso, como um mapa astral.
e revele. mencionamos, também não dizemos Mas, o que é um mapa astral? E um
Não esqueçamos que, na Antigüidade, "iniciar-se" na astrologia, mas sim mapa do céu, estabelecido não mais a
não era permitido alguém adquirir co­ "aprender". É verdade que, historica­ partir de uma hora, dia, mês, ano e
nhecimentos astrológicos sem ser um mente, a religião associou-se em de­ lugar, mas sim a partir da data, hora e
iniciado. Com efeito, nossos antepas­ masia com o poder, o dinheiro e a vio­ lugar de nascimento de um indivíduo.
sados não colocavam em dúvida que os lência, pois alguns viram nela um meio Em outras palavras, o mapa astral é um
princípios da observação dos movimen­ para satisfazer suas ambições pessoais, mapa personalizado do céu. Com
tos dos astros no céu e no interior do em detrimento das necessidades ou as­ efeito, pode-se também realizar um
Zodíaco tinham sido estudados e expe­ pirações da comunidade. Entretanto, mapa astral de um acontecimento, por
rimentados por outros homens; porém, a religião, no sentido puro e verdadeiro exemplo: a assinatura de um contrato,
estavam também convencidos de que do termo, sejam quais forem os deuses a criação de uma empresa, um casa­
seus próprios antepassados, ao atuar venerados ou as crenças e cultos ado­ mento.. . Mas, trata-se de uma consulta
desta maneira, tinham tido uma reve­ tados, é um princípio que une o indiví­ horária, chamada assim para distingui-
lação. Para eles, a astrologia tinha um duo com os demais. la do mapa astral, que se refere sempre
caráter sagrado ou divino. Desta forma, abordar a astrologia com a uma pessoa e não a uma coisa ou
a intenção de unir-se a si mesmo e aos acontecimento. Deste modo, a carta as­
0 MAPA ASTRAL demais revela um estado de espírito no tral pode ser útil para realizar tanto um
Atualmente, este caráter sagrado ou di­ qual é muito agradável sentir-se e per­ mapa do céu como uma consulta ho­
vino caiu em desuso. Já não se tem manecer. rária.
Os aspectos
Os aspectos são os ângulos que formam os astros entre si no interior do Zodíaco
e que têm uma importância relativa na interpretação de um mapa astral.

As "influências"
A propósito dos aspectos, existem
duas escolas. Certos astrólogos
consideram que os ângulos formados
posições dos astros nos 360 graus do
Zodíaco e nos decanatos, e os ângulos
ou aspectos que formavam entre si, os
Há muito tempo eliminamos este termo
de nosso vocabulário astrológico, e acon-
pelos astros entre si no interior do Zo­ astrólogos daquela época remotas fize­ selhamos que você faça o mesmo. Na ver-
díaco de um mapa astral são determi­ ram suas previsões. dade, o princípio dos aspectos nos põe
nantes para a interpretação que realiza­ Tratava-se de "influências" (veja o qua­ face a face com esta noção de "influên-
mos; outros astrólogos pensam que são dro) relacionadas à coletividade, em pri­ cia" que fez as delícias dos detratores da
secundários e aleatórios. Nós optamos meiro lugar, e indiretamente ao indiví­ astrologia.
por esta segunda tendência e, antes de duo que formava parte dela. Desta forma, alguns astrólogos não du-
apresentarmos os diferentes aspectos N o entanto, o fato dos seres experi­ vidam em falar do influxo que os astros
maiores e menores, vamos expor nosso mentarem o mesmo acontecimento no exercem uns sobre os outros quando for-
ponto de vista sobre esta questão. mesmo momento não significa que ca­ mam os aspectos.
da um deles o sinta, o sofra ou o do- Trataremos deste tema com muito cui-
OS ASPECTOS, 0 INDIVÍDUO dado, quando considerarmos que, du-
E AS PREVISÕES COLETIVAS rante uma conjunção do Sol e de Plutão
Quando os sacerdotes-astrólogos e ma­ no Zodíaco, por exemplo, embora só es-
temáticos da Mesopotâmia estabelece­ tejam a poucos graus um do outro no in-
ram as bases da astrologia e criaram terior do mesmo signo, estão na reali-
deste modo o Zodíaco tal como o co­ dade separados por uma distância
nhecemos em nossos dias, com alguns astronômica, de 5 a 7 milhões de quilô-
matizes, sabemos que o fizeram prin­ metros. Pode-se assim, portanto, falar de
cipalmente com o propósito de salva­ influxo e de influências?
guardar sua comunidade. Previram
assim, por meio de instrumentos de
medição — e vale a pena ser preciso: mine da mesma maneira. Se o acon­
de suas medições — e de obser­ tecimento em questão pode ser pre­
vações dedutivas, os acontecimen­ venido ou definido pelo apareci­
tos prováveis suscetíveis de influir mento deste ou daquele aspecto
na evolução de sua sociedade. Se­ concreto que se produz no interior
gundo este princípio, as múltiplas do Zodíaco, nem por isso devemos
disposições dos astros no interior necessariamente deduzir que ele
do Zodíaco e os numerosos ân­ possa ser previsto e definido da
gulos que formavam entre si aca­ mesma maneira e segundo os mes­
baram tendo significados e resso­ mos critérios para o indivíduo.
nâncias específicas. Por este motivo abordaremos as
Compreendemos portanto que, interpretações dos aspectos no in­
em uma época na qual os cálculos terior do mapa astral com muita
da domificação, e as posições do cautela e com matizes, mesmo
ascendente e das Casas ainda não que, por outra parte, consideremos
existiam, as preocupações dos as­ que desempenham um papel pre-
trólogos não eram de ordem indi­
vidual, mas sim coletiva, exceto
aquelas que afetavam o nascimento
As constelações velam pelo rei da
e a vida de um rei, pois o destino e
Babilônia, pois do seu destino depende
futuro estavam intimamente interli­
o mundo. (Museu do Louvre, Paris)
gados com os de seu povo. A partir das
preponderante nas previsões estabelecidas A QUADRATURA Aspectos benéficos
tanto para o indivíduo como para a co­ e aspectos maléficos
munidade de povos e nações; aspectos No Ocidente, gostamos muito de acre­
c previsões que é preciso saber inter­ ditar que de um lado está o bem e
pretar com sutileza e prudência, pois do outro o mal. Na cultura oriental
muitos astrólogos extraem conclusões e asiática é muito diferente. Não nos
muitas vezes precipitadas e aproxima­ esqueçamos que as raízes da astro­
tivas, para alimentar o catastrofismo rei­ logia se encontram no Oriente Médio.
nante. Portanto, não é necessário ver os as­
pectos sob um ângulo sistematica­
REPRESENTAÇÃO mente positivo ou negativo. Seu valor,
DOS ASPECTOS MAIORES mais fácil ou mais difícil, é calculado
segundo a natureza dos astros em
A CONJUNÇÃO É um aspecto formado por questão e sua situação no Zodíaco.
Não se trata, propriamente fa­ dois astros que se encontram
lando, de um aspecto, pois o em torno dos 90 graus, sempre
ângulo que forma é quase ine­ dentro do Zodíaco. APRESENTAÇÃO
xistente. Na realidade, a conjunção entre DOS ASPECTOS MENORES
os astros é produzida quando, no Z o ­ O TRÍGONO Em nosso método de interpretação não
díaco, dois astros dão a impressão de levaremos em conta os aspectos meno­
estar presos um ao outro ou estão muito res. Eles indicam apenas informações
próximos, a zero ou poucos graus de secundárias que não acrescentam nada
distância. às que os aspectos maiores nos ofere­
cem, e principalmente os significados
O SEXTIL dos astros e os pontos fictícios nos sig­
nos e nas Casas. N o entanto, para sua
informação, os apresentaremos aqui.

O SEMI-SEXTIL
E a metade de um sextil, formado por
dois astros situados aproximadamente a
Este aspecto aparece entre dois 30 graus um do outro.
astros quando se encontram em
' um ângulo de cerca de 120 graus. A SEMI-QUADRATURA
É meia quadratura, relativa a dois astros
A OPOSIÇÃO separados no Zodíaco por 45 graus,
aproximadamente.
Trata-se de um aspecto for­
mado por dois astros que estão A SESQUIQUADRATURA
separados por uma distância E um ângulo um pouco maior que o do
de mais ou menos 60 graus no interior trígono, cerca de 135 graus, formado por
do Zodíaco. dois astros.

O QUINCÚNCIO
E um ângulo situado à mesma distância
0 que é um orbe? do trígono e da oposição, formado por
Em astrologia, o orbe é a distância má­ dois astros situados, um em relação ao
xima que diz se o aspecto entre dois as­ outro, a 150 graus.
tros existe ou não. Por exemplo: o orbe Designa dois astros opostos um
do aspecto entre a Lua e Mercúrio é de ao outro, com freqüência em Para finalizar, mencionaremos o decil
10 graus. Por isso, a 11 graus de desvio, dois signos opostos, que for­ (aproximadamente 36 graus) o quintil (12
já não formam nenhum aspecto no Zo­ mam um ângulo de 180 graus, às vezes graus) e o biquintil (144 graus), mas estes
díaco. um pouco mais ou um pouco menos. últimos aspectos são quase ignorados.
Os decanatos
Este termo pode desanimar o iniciante, que o ouviu muitas vezes ser usado por "especialistas"
em astrologia, sem saber muito bem ao que corresponde. Na realidade, designa apenas uma
subdivisão de cada um dos 12 signos do Zodíaco.

S e alguém sabe contar até dez e


fazer uma multiplicação, coisa que
não duvidamos, compreenderá rapida­
Tinham que ter a maior exatidão possí­
vel no momento de revelar informa­
ções úteis para a proteção de sua comu­
maneira, segundo os mesmos princí­
pios, as características originais e espe­
cíficas oferecidas pela distribuição dos
mente o que é um decanato. Basta nidade. Mas, se prestarmos atenção, 36 decanatos no interior do Zodíaco.
lembrar que o Zodíaco, elaborado pelo concluiremos que os perigos que in­ Quando aprender a realizar suas previ­
homem da Antigüidade, é um círculo quietavam nossos antepassados tam­ sões, você compreenderá o valioso uso
de 360 graus, dividido em 12 signos, bém nos preocupam atualmente. Inde­ que poderá fazer dos decanatos. Mas,
cobrindo, cada um deles, 30 graus. pendentemente do progresso da ciência para começar, é preciso descobrir as ca­
Todos os signos estão divididos em 3 e da tecnologia, nós nos sentimos ainda racterísticas mais importantes de cada
partes iguais de 10 graus, chamadas impotentes, principalmente como indi­ um deles tal como são apresentadas na
decanatos. víduos, diante de fenômenos naturais roda zodiacal, bem como os astros que
Assim, temos: 12 signos x 3 partes iguais ou movimentos coletivos. os regem.
= 36 decanatos. O uso dos decanatos no Zodíaco ajuda Portanto, assim como os 12 signos do
a assinalar previsões relativamente mais Zodíaco, cada decanato tem um planeta
A UTILIDADE fiáveis e mais precisas do que as que te­ regente, ou seja, um astro que reina nos
DOS DECANATOS ONTEM E HOJE ríamos se estes não existissem, pois cada 10 graus que o constituem.
A meta dos primeiros astrólogos era um deles oferece informações que lhe A partir daqui, combinando os dados
prever os acontecimentos coletivos e os são próprias em um setor privilegiado oferecidos pela natureza do planeta re­
fenômenos naturais capazes de pertur­ do Zodíaco. gente de um signo com os indicados
bar a harmonia, o bem-estar, a pleni­ pela natureza do regente de qualquer
tude e a evolução de sua comunidade. DO GERAL dos decanatos desse mesmo signo, ob­
De fato, para os primeiros povos se­ A 0 PARTICULAR teremos, sim dúvida, informações mais
dentários e agrícolas era de vital impor­ Por volta dos séculos III ou II a. C , os aperfeiçoadas, mais sutis, mais preci­
tância prever as pragas que sempre asso­ astrólogos se preocuparam em adaptar sas, mais acertadas e muito mais de­
laram a humanidade: a seca, a fome, as os dados e as informações que utiliza­ finidas sobre a posição do Sol, do as­
inundações, as epidemias, as guerras. vam, com o fim de dar uma solução às cendente, de um astro ou do ângulo de
Com este objetivo, os astrólogos com­ preocupações da sociedade ou de res­ uma Casa situados nesse signo e nesse
preenderam rapidamente o quanto que ponder às perguntas de qualquer indiví­ decanato, dentro do mapa astral de um
restava por fazer. duo. Para isto, exploraram da mesma indivíduo.
Os 36 decanatos do Zodíaco
CAPRICÓRNIO regido por Saturno LIBRA regido por Vênus
Primeiro decanato: de 270° a 280°, chamado decanato da Organização. Primeiro decanato: de 180° a 190°, chamado decanato da Sociabilidade.
Regente: Júpiter (combinação Saturno-Júpiter). Regente: a Lua (combinação Vênus-Lua).
Segundo decanato: de 280° a 290°, chamado decanato da Perseverança. Segundo decanato: de 190° a 200°, chamado decanato do Livre Arbítrio.
Regente: Urano (combinação Saturno-Urano). Regente: Saturno (combinação Vênus-Saturno).
Terceiro decanato: de 290° a 300°, chamado decanato do Valor. Terceiro decanato: de 200° a 210°, chamado decanato da Justiça.
Regente: Urano (combinação Saturno-Urano). Regente: Júpiter (combinação Vênus-Júpiter).

AQUÁRIO regido por Saturno e secundariamente por Urano ESCORPIÃO regido por Marte
Primeiro decanato: de 300° a 310°, chamado decanato da Originalidade. e secundariamente por Plutão
Regente: Vênus (combinação Satumo/Urano-Vênus). Primeiro decanato: de 210° a 220°, chamado decanato dos Impulsos.
Segundo decanato: de 310° a 320°, chamado decanato das Inspirações. Regente: Marte (combinação Marte/Plutão-Marte).
Regente: a Lua negra (combinação Saturno/Urano-Lua negra). Segundo decanato: 220° a 230°, chamado decanato do Inconformismo.
Terceiro decanato: de 320° a 330°, chamado decanato das Utopias. Regente: Urano (combinação Marte/Plutão-Urano).
Regente: Netuno (combinação Saturno/Urano/Netuno). Terceiro decanato: de 230° a 240°, chamado decanato da Força Psíquica.
Regente: Vênus (combinação Marte/Plutão-Vênus).
PEIXES regido por Júpiter e secundariamente por Netuno. SAGITÁRIO regido por Júpiter
Primeiro decanato: de 330° a 340°, chamado decanato da Primeiro decanato: de 240° a 250°, chamado decanato
Clarividência. da Sabedoria.
Regente: Saturno (combinação Júpiter/Netuno- Regente: Mercúrio (combinação
Saturno). Júpiter-Mercúrio).
Segundo decanato: de 340° a 350°, cha­ Segundo decanato: de 250° a 260°,
mado decanato da Grandeza de Espírito. chamado decanato das Aventuras.
Regente: Júpiter (combinação Regente: a Lua (combinação
Júpiter/Netuno-Júpiter). Júpiter-Lua).
Terceiro decanato: de 350° a 360° Terceiro decanato: de 260° a 270°,
ou 0°, chamado decanato da chamado decanato do
Receptividade. Conhecimento.
Regente: Marte (combinação Regente: Saturno (combinação
Júpiter/Netuno-Marte). Júpiter-Saturno).

ÁRIES CÂNCER regido pela Lua


regido por Marte Primeiro decanato: de 90° a
Primeiro decanato: de 0° a 10°, 100°, chamado decanato das
chamado decanato do Ardor. Emoções.
Regente: Plutão (combinação Regente: Vênus (combinação
Marte-Plutão). Lua-Vênus).
Segundo decanato: de 10° a 20°, Segundo decanato: de 100° a 110°,
chamado decanato do Carisma. chamado decanato das Revelações.
Regente: o Sol (combinação Marte- Regente: Mercúrio (combinação
Sol). Lua-Mercúrio).
Terceiro decanato: de 20° a 30°, chamado decanato Terceiro decanato: de 110° a 120°, chamado
das Paixões. decanato da Sensibilidade.
Regente: Vênus (combinação Marte-Vênus). Regente: a Lua (combinação Lua-Lua).

TOURO regido por Vênus LEÃO regido pelo Sol


Primeiro decanato: de 30° a 40°, chamado decanato do Senso Comum. Primeiro decanato: de 120° a 130°, chamado decanato do Extremismo.
Regente: Mercúrio (combinação Vênus-Mercúrio). Regente: Saturno (combinação Sol-Saturno).
Segundo decanato: de 40° a 50°, chamado decanato da Fertilidade. Segundo decanato: 130° a 140°, chamado decanato do Orgulho.
Regente: a Lua (combinação Vênus-Lua). Regente: Júpiter (combinação Sol-Júpiter).
Terceiro decanato: de 50° a 60°, chamado decanato do Realismo. Terceiro decanato: de 140° a 150°, chamado decanato do Poder.
Regente: Saturno (combinação Vênus-Saturno). Regente: Plutão (combinação Sol-Plutão).

GÊMEOS regido por Mercúrio VIRGEM regido por Mercúrio


Primeiro decanato: de 60° a 70°, chamado decanato das Intuições. Primeiro decanato: de 150° a 160°, chamado decanato da Habilidade.
Regente: Netuno (combinação Mercúrio-Netuno) Regente: o Sol (combinação Mercúrio-Sol).
Segundo decanato: de 70° a 80°, chamado decanato do Idealismo. Segundo decanato: de 160° a 170°, chamado decanato da Diplomacia.
Regente: Marte (combinação Mercúrio-Marte). Regente: Vênus (combinação Mercúrio-Vênus).
Terceiro decanato: de 80° a 90°, chamado decanato do Discernimento. Terceiro decanato: de 170° a 180°, chamado decanato do Altruísmo.
Regente: o Sol (combinação Mercúrio-Sol). Regente: Mercúrio (combinação Mercúrio-Mercúrio).
As fases da Lua
A Lua no Zodíaco, com suas 4 fases, seus 8 tipos e suas 28 moradas,
é uma autêntica mina de informação para o astrólogo.

S abemos que a Lua exerce uma


grande influência sobre as
marés, mas... como se ex­
f
1. As 4 fases l u n a r e s e l e m e n t a ­
res: Lua nova, quarto crescente,
Lua cheia ou plenilúnio, quar­
plica este fenômeno na rea­ to minguante.
lidade? Seu ritmo e sua 2. O s 8 t i p o s l u n a r e s :
amplitude dependem da Lua nova, Lua crescente,
posição relativa da Ter­ quarto crescente, Lua
ra, do Sol e da Lua, que corcunda, Lua cheia,
muda todos os dias. Lua propagadora,
Esta influência cícli­ quarto minguante,
ca, portanto mensu­ Lua minguante.
rável, diz também 3. As 28 m o r a d a s
respeito a outros fe­ l u n a r e s : correspon­
nômenos terrestres. dem às 28 fases de um
Por que não acontece ciclo lunar ou lunação,
o mesmo com os ou­ ou seja, uma revolução
tros astros, por mais completa da Lua em vol­
afastados que estejam da ta da Terra. Observemos
Terra? agora as características as­
Afirma-se com freqüência que tronômicas e astrológicas das
a astrologia é uma ciência baseada 4 fases elementares da Lua.
no princípio da influência dos astros.
N o entanto, historicamente, esta ques­ LUA NOVA
tão, que foi a origem de um amálgama Do ponto de vista astronômico, esta
entre os dois astros luminosos e os de­ As 28 moradas lunares, segundo um tem lugar no dia em que a Lua nasce
mais astros, é contemporânea do des­ manuscrito espanhol do século XIV. e se põe ao mesmo tempo que o Sol.
cobrimento do sistema heliocêntrico, Ambos se encontram na mesma posição
que demonstrava que o Sol era o cen­ zações da Antigüidade exerceram tal em relação à Terra.
tro do sistema planetário e que os as­ fascínio sobre os homens do Renasci­ Dessa forma, quando os dois astros lu­
tros giravam à sua volta. Esta pretensa mento, que houve uma espécie de re­ minosos se encontram exatamente no
influência dos astros nasceu na mente gresso às origens, mas ficou-se em um mesmo eixo, durante um breve mo­
dos astrólogos e astrônomos do Renas­ nível superficial, o qual provocou nu­ mento, em relação à Terra, com a Lua
cimento: Copérnico, Tycho Brahe, Ke­ merosos mal-entendidos que ainda hoje situada entre o Sol e a Terra, produz-se
pler e Galileu. perduram. sempre um eclipse ou, mais exata­
N o entanto, esta teoria foi a causa da O astrólogo deve saber distinguir as in­ mente, uma ocultação do Sol.
cisão entre a astronomia e a astrolo­ fluências físicas do Sol e da Lua sobre Quando a Lua nova aparece, nosso sa­
gia, visto que os astrônomos modernos certos fenômenos terrestres e, também, télite mostra seu lado escuro à Terra.
negavam que fosse possível qualquer conhecer minuciosamente a linguagem Do ponto de vista astrológico, a Lua
ação dos astros sobre nós. simbólica dos astros. Por este motivo, nova tem lugar no momento em que
N o entanto, devemos sublinhar que os quando se trata da Lua, temos que levar o Sol e a Lua se encontram no mesmo
sacerdotes-astrólogos da Antigüidade em conta estes dois campos de interpre­ grau do Zodíaco, isto é, no mesmo
nunca conceberam em termos de in­ tação. signo. Imaginemos, por exemplo, que
fluência o deslocamento dos astros pelo no dia de Lua nova o Sol está a 8 graus
interior do Zodíaco, mas sim de coin­ AS FASES LUNARES do signo de Áries: a Lua também estará
cidências ou analogias entre certos fenô­ Para o astrólogo, as fases lunares são nesta posição. Dizemos então que o Sol
menos celestes e terrestres. As civilizações
divididas em três séries: e a Lua estão em conjunção.
As 4 fases da Lua Os 8 tipos lunares

Lua nova Lua cheia Lua nova


ou plenilúnio
Quarto
minguante

Quarto Lua crescente


crescente

QUARTO CRESCENTE ríodo de Lua cheia, o disco lunar passa


OU LUA CRESCENTE a ser totalmente visível. Quarto crescente
Astronomicamente, esta tem lugar 7 Do ponto de vista da astrologia, a Lua
dias depois da Lua nova. A depender cheia é produzida no momento em
do período do ano, a Lua mostra uma que o Sol e a Lua distam 180 graus no
diferença horária, em relação ao Sol, de Zodíaco, situados, portanto, em dois
6 a 12 horas, ou seja, nasce e põe-se signos opostos. Continuando nosso
entre 6 e 12 horas mais tarde que exemplo, se o Sol estiver a 22 graus do Lua corcunda
aquele. Vista da Terra, tem um aspecto signo de Áries em um dia de Lua cheia,
de uma meia lua que cresce da es­ esta estará situada a 22 graus do signo
querda para a direita, formando uma de Libra. Diz-se então que estão em
espécie de C maiúsculo. oposição.
Astrologicamente, a Lua nova tem lugar
no momento em que o Sol e a Lua for­ QUARTO MINGUANTE Lua cheia
mam um ângulo de 90 graus no Zo­ OU LUA MINGUANTE
díaco, com a Lua precedendo o Sol. Na astronomia, o quarto minguante
Retomando o nosso exemplo, se em tem lugar 21 dias depois da Lua nova.
um dia de quarto crescente o Sol está A diferença horária entre o nascer e o
a 15 graus do signo de Áries, — efeti­ ocaso dos dois astros luminosos reduz-
vamente o Sol se desloca no Zodíaco se a uma diferença semelhante à do
um grau por dia —, a Lua estará situada quarto crescente. Vista da Terra, a Lua Lua propagadora
a 15 graus do signo de Câncer. Diz-se oferece-nos o aspecto de uma meia lua
então que está em quadratura. cuja parte iluminada diminui, formando
deste modo um D maiúsculo.
LUA CHEIA Do ponto de vista da astrologia, o quarto
D o ponto de vista da astronomia, a minguante tem lugar quando o Sol e
Lua cheia tem lugar 14 dias depois da a Lua formam novamente um ângulo Quarto minguante
Lua nova, isto é, no dia em que a Lua de 90 graus no Zodíaco, como no
nasce quando o Sol se põe e vice-versa. quarto crescente.
Encontram-se portanto, um em frente N o entanto, ao longo desta fase, o Sol
ao outro, com a Terra entre os dois. precede sempre a Lua. Para concluir
Os eclipses da Lua acontecem sempre com nosso exemplo, se o Sol estiver a
na fase de Lua cheia. O Sol, a Terra e 29 graus do signo de Áries, a Lua es­ Lua minguante
a Lua encontram-se no mesmo eixo tará situada a 29 graus do signo de
e a sombra da Terra oculta a face ilu­ Capricórnio. Encontram-se novamente
minada da Lua. Efetivamente, no pe­ em quadratura no Zodíaco.
Os eclipses da Lua
e as ocultações do Sol
O Sol e a Lua brincam de esconde-esconde com a Terra. O resultado disso são os eclipses
e as ocultações, que podem incidir em nosso destino individual e coletivo.

Q ual foi o episódio mais espetacu­


lar para nossos antepassados: o re­
pentino desaparecimento da Lua no
se de antemão contra as catástrofes ou
as calamidades suscetíveis de perturbar
o frágil equilíbrio de um mundo, que
mos a levar em consideração e a es­
tudar novamente do ponto de vista de
nossos antepassados, e que não deve­
meio da noite ou do Sol em pleno dia? eram plenamente conscientes de não mos guardar pejorativamente e com
Para eles, ambosforamigualmente sur­ dominar. Não importa o que se diga ou pressa no baú das superstições de outra
preendentes, pois encontraram-se imer­ se pense hoje com respeito a isso, e com época ou de um tempo passado. Ci­
sos, durante alguns segundos, na mais razão. temos por exemplo o tratado de astro­
profunda escuridão, enquanto o farol Os homens da Antigüidade, baseando- logia mais antigo, cujos primeiros estu­
da noite se extinguia pouco a pouco no se em um sistema que não deixa nada dos datam sem dúvida da primeira
céu claro e puro, ou porque, também a dever à estatística, definiram certas metade do II milênio antes de nossa
em alguns segundos, viram como decli­ regras básicas inerente aos eclipses, que era, isto é, da época paleobabilônica,
nava rapidamente o dia e em seguida seria muito importante que voltásse­ período durante o qual a Babilônia
desaparecia durante um curto exercia sua supremacia. Este
instante, como se uma mão tratado, tal como foi encon­
gigantesca escondesse o astro trado, é composto de 70 pla­
do dia, como se um monstro cas de barro que datam da
engolisse a Lua ou o Sol. De primeira metade do milênio
fato, em muitas mitologias seguinte, que representam
orientais, asiáticas ou ociden­ somente uma parte do mes­
tais, um monstro, serpente ou mo e nas quais estão com­
dragão, devora a Lua ou se pilados aproximadamente
apodera do Sol. Mas o que tal­ 10.000 presságios, que se ba­
vez foi ainda mais extraor­ seiam evidentemente em
dinário foi o fato de que estes uma interpretação dedutiva:
acontecimentos insólitos, má­ "Se a Lua ao sair se mostra
gicos e dramáticos eram in­ parcialmente ofuscada, com
quietantes mensagens celestes a ponta direita de seu quarto
e divinas que quase sempre diminuída, mas a outra afi­
anunciavam a cólera dos deu­ lada e perfeitamente visível,
ses contra os homens. Se durante três anos, a atividade
atualmente nos sentimos per­ econômica do país se estan­
feitamente seguros e não ne­ cará". E mais à frente: "Se, no
cessitamos da prevenção — o mês de Nisán (março-abril,
que, paradoxalmente, não nos o primeiro mês do ano me­
deixa menos ávidos de saber sopotâmico), se produzir um
o que nos espera no futuro, de eclipse do Sol, neste mesmo
conhecer o amanhã e de fazer ano, o rei morrerá". (Jean
previsões —, para nossos an­ Bottéro, "L'astrologie est née
tepassados era muito dife­ en Mésopotamie", in Initia-
rente. Eles, simplesmente por tion à l'Orient ancien, éditions
razões de sobrevivência, ne­ du Seuil, 1992). Citemos
cessitavam prever para armar- também a placa escrita por
um astrólogo assírio dirigida a Assur­
banipal, na metade do século VII antes
de nossa era: "No dia 14 deste mês se
produzirá um eclipse da Lua. Anuncia
sofrimento para nossos vizinhos, do
Sudoeste ou do Noroeste, mas é de
bom augúrio para sua Majestade".

QUE IMPORTÂNCIA
DEVEMOS DAR
AOS ECLIPSES?
É preciso distinguir entre o eclipse da
Lua, que se produz quando a Terra se en­
contra exatamente entre o Sol e a Lua,
o que significa que estes estão frente a
frente, isto é, na Lua cheia — neste caso
a sombra da Terra é a que escurece a Lua
vista da Terra, pois ela mesma está diante
do Sol —, e o que chamamos impro­
priamente o eclipse do Sol. Este último,
na verdade, é uma ocultação que a Lua
faz do astro do dia, desta vez, como sa­ madas mundiais, isto é, relativas aos acon­ Evidentemente, tanto em um caso
bemos, no momento da Lua nova, a qual tecimentos suscetíveis de produzir-se no como no outro, devemos levar em conta
se encontra entre o Sol e a Terra, neste país. as posições dos astros em trânsito no
caso é a Lua que escurece o Sol visto da 2. Observando em que lugar de um mapa preciso instante deste eclipse ou ocul­
Terra, já que está diante do Sol. Assim, astral se produzirá este eclipse ou esta tação.
podemos interpretar o eclipse da Lua ou ocultação, já que se tiver lugar em um No entanto, devemos fazer mais uma vez
a ocultação do Sol de dois pontos de vista ponto chamado sensível, por exemplo em uma distinção entre o eclipse parcial ou
diferentes: conjunção perfeita ou a 2 o ou 3 o de orbe total. Quando é total, isto é, quando a Lua
1. Calculando e realizando um mapa ho­ ou separação de um astro, um ponto fictí­ ou o Sol desaparecem completamente,
rário baseado nas coordenadas que cor­ cio ou um ângulo do mapa astral, segu­ sua incidência obviamente é mais forte
respondem ao instante em que se pro­ ramente terá incidência sobre os aconte­ que quando é parcial, isto é, quando so­
duzirá o eclipse ou a ocultação, a partir cimentos futuros relacionados com o mente se escurece uma parte da Lua ou
da qual estabeleceremos as previsões cha­ nativo. do Sol.

26 de Fevereiro de 1998 a 7º 55' de Peixes


Exemplo de interpretação
de uma ocultação do Sol
em um mapa astral
Tomemos o exemplo da ocultação total do Sol que teve lugar em 26 de fevereiro
de 1998 a 7º 55' do signo de Peixes, exatamente. No mapa astral de nosso exemplo,
observamos que se manifestou a menos de 2o de orbe do Meio do Céu. Podemos, por-
tanto, dizer que esta ocultação incide na posição social da pessoa em questão, confir-
mada pelo trânsito de Plutão a 8o do signo de Sagitário e a Casa VI do mapa astral
— a Casa das atividades habituais, da vida cotidiana e do trabalho de cada dia —,
e em quadratura com a cúspide da Casa X ou Meio do Céu. Daí podemos deduzir
que suas atividades profissionais e sua vida social estarão "ocultas" durante as próxi-
mas semanas ou os próximos meses e, neste âmbito, uma inevitável transformação
será produzida.
O Sol e a consciência
Desde o momento do nascimento até sua morte, a posição do Sol no mapa astral nos informa
sobre seu nível de consciência e de vontade,quesão a manifestação de sua consciência.

R espirar, ouvir e ver nos parece al­


go completamente normal. São
atos que realizamos sem pensar. N o
entanto, se observarmos bem, ao fazê-
lo, estamos tomando conhecimento,
posse e consciência do mundo exte­
rior, o qual se transforma em uma rea­
lidade para cada um de nós. E este
mundo exterior, embora o tenhamos
conhecido desde o momento em que
nascemos — instante a partir do qual
o mapa astral é estabelecido —, o des­
conhecíamos antes do momento em
que, ao sair do ventre de nossa mãe,
efetuamos pela primeira vez nossa res­
piração completa, abrimos olhos e ou­
vidos à vida, a este mundo exterior que
existe sem nós.
Em outras palavras, podemos dizer
que o mundo onde vivemos existe em
si mesmo. N o entanto, se pensamos
bem, para nós existe porque o vemos.
Antes de nosso nascimento, o Sol já
brilhava há muito tempo. E depois de
nossa morte continuará brilhando du­
rante muito mais tempo. Segundo os
astrofísicos, o Sol é uma estrela que Sem nossa capacidade de ver este mundo iluminado pelo Sol, não seríamos o que somos
nasceu há 5 bilhões de anos e está ape­ e talvez não saberíamos quem somos, não teríamos nenhuma consciência de nossa
nas na metade de sua vida, enquanto existência e nossa presença na Terra.
que o homem nasceu há aproximada­
mente 100.000 anos. Mas, concreta­ conhecimento que temos do mundo
nascer
e a cons­
do Sol e da Lua têm lugar dia­
mente, quanto aos seres humanos, o ciência que temos de nós mesmos, de­ riamente, na hora prevista, segundo a
Sol, o grande distribuidor de luz e de sapareceriam. época do ano, evidentemente, sem que
vida na Terra, parece que brilha para nos demos conta. Tudo isto é perfei­
cada um de nós e ilumina o que para 0 NASCER E 0 PÔR DO SOL: tamente normal. Para que nos preocu­
nós é o mundo exterior, permitindo- FENÔMENOS CORRIQUEIROS, parmos se temos tantos problemas que
nos distinguir o que é visível do que ACONTECIMENTOS resolver, tarefas que cumprir e desejos
não é. Por isso, o que chamamos o MARAVILHOSOS que satisfazer? Para nossos antepassa­
mundo físico, tudo que vemos, tudo Atualmente, estamos tão absorvidos dos era totalmente diferente.
que nos cerca onde vivemos o nosso com as preocupações da vida material O aparecimento do Sol e o nascimento
dia-a-dia, se mistura conosco. Não que alguns fenômenos naturais — os do dia tinham um caráter mágico, quase
imaginamos estar na escuridão abso­ quais, segundo sabemos ao tê-los ob­ sobrenatural. Quanto ao crepúsculo,
luta. De fato, se assim vivêssemos, servado e medido com precisão, são para eles era inquietante, pois anunciava
tudo que pensamos, nossa situação no produzidos em função de alguns me­ um período durante o qual o mundo
tempo e no espaço, nossa percepção canismos imutáveis —já não guardam no qual viviam estaria imerso na obscu­
do mundo e da realidade, o conheci- nenhum interesse para nós. Por isso o ridade. De maneira que quando foram
capazes de compreender que o Sol nas­ Desde o começo, que quase sempre se suas partes de destino e de livre arbí­
cia e se punha em função de certo ritmo eterniza, sem perceber nos identifica­ trio. Sua vontade é a manifestação de
mensurável, não o acharam normal. mos literalmente com o mundo exte­ sua consciência.
O atribuíram a um verdadeiro dom do rior, somos o que ele é.
céu, pois, para nossos antepassados, o Até o ponto em que, às vezes, já não O SOL
pragmatismo jamais excluía certo res­ distinguimos entre o que somos em E A REALIZAÇÃO
peito e admiração ante os fenômenos essência e o que nos cerca, ou, se se DE SI MESMO
da natureza, que desgraçadamente já prefere, quando dizemos "eu" nos re­ N o entanto, assim como o Sol no mapa
perdemos. ferimos a tantos elementos exterio­ astral marca o amanhecer de um ser ou
res que formam parte de nossa vida, seu nascimento, também revela o anoi­
0 SOL NO MAPA ASTRAL, nos quais nos reconhecemos, que já tecer do ser em questão e, conseqüen­
A CONSCIÊNCIA E A VONTADE não diferenciamos entre o que só nos temente, sua morte.
Mas, cm função deste princípio fun­ pertence, que unicamente provém e Mas, em astrologia, a morte não deve
damental devemos interpretar a pre­ depende de nós, e o que procede do opor-se à vida, mas sim ao nascimento.
sença do Sol em um mapa astral, o qual mundo exterior. Assim, quanto mais Por isso não é falso dizer que o Sol si­
representa, de alguma maneira, o ama­ forte é a vontade de um ser, tanto mais tuado em seu mapa astral contém po­
nhecer de um ser, seu aparecimento à pode aprender a distinguir-se de seus tencialmente tudo aquilo que você é,
luz do mundo visível, o momento úni­ semelhantes e dos elementos que o e vai ser, durante sua vida, e que, no mo­
co de seu nascimento. cercam. mento de sua morte, conterá também
Para isso, podemos considerar que a si­ Esta é a razão pela qual, em astrono­ tudo aquilo que você é e realizou.
tuação do Sol em um mapa astral, que mia se define a posição do Sol em um De maneira que, se estabelecemos um
ilumina o signo do Zodíaco no qual se mapa astral como o que nos informa mapa astral tomando como coordena­
encontra, é uma representação simbó­ sobre "a expressão da vontade instin­ das as do momento da morte de um ser,
lica da consciência do ser em questão. tiva do indivíduo", isto é, o que um ser poderemos fazer uma idéia do trajeto
Entendemos por consciência a capaci­ quer instintivamente, sem raciocinar. percorrido por este indivíduo durante
dade que possui um ser para ver o Então a vontade é um instrumento toda a sua vida, desde o nascimento até
mundo que o cerca, conhecê-lo e iden­ que emprega sua consciência para che­ sua morte, e do nível de consciência que
tificar-se c nele integrar-se, quase ape­ gar a ser um autêntico indivíduo, com alcançou no momento de sua última
sar dele. suas forças e debilidades inatas, com hora.
A Lua e a emoção
A Lua em um mapa astral representa em grande medida a sensibilidade de um ser. Informa-nos
sobre esta sensibilidade ante o mundo e a vida, e também sobre as emoções que este ser sente.

A consciência, tal como é represen­


tada pelo Sol em um mapa astral,
não tem nada a ver com a lucidez. Por
somos. Seria mais correto dizer: "não
estou de acordo comigo mesmo", pois,
na realidade, não se muda nunca, em­
e não procedem do
domínio da reflexão
e da razão.
mais sutil que possa parecer, se racio­ bora no caminho, com o tempo e a ex­ Talvez partam daí as
cinarmos e observarmos bem, com­ periência, e com nossa consciência diferenças e os mati­
preenderemos e admitiremos muito fa­ comportando-se corretamente, nos ve­ zes que existem en­
cilmente que alguns seres, que dão jamos sob um ou mais ângulos dife­ tre a iniciação, que
mostras de uma grande lucidez e san­ rentes. Porém, nossos desejos, nossas etimologicamente
gue-frio, não estão necessariamente necessidades e nossas emoções se trans­ significa "entrar, co­
equipados com uma consciência clara, formam; por isso, temos a impressão de meçar", e a instrução,
forte e singular. Por exemplo, uma pes­ que mudamos, enquanto que o que que quer dizer "ação
soa pode ser razoável, séria e ao mesmo mudou é o nosso ponto de vista, a nossa de dispor, de adaptar".
tempo não ter força de vontade, ou, ao maneira de olhar para o mundo, só isso. A iniciação é uma espécie
contrário, mostrar-se muito voluntario­ Significa isto que não temos nenhuma de nascimento, enquanto
sa, mas demonstrar uma falta total de perspectiva de mudança, transformação, que a instrução procede da
moderação, rigor c lógica. evolução c que estamos nos enganando capacidade de adaptação, tão
N o entanto, embora todas as qualida­ continuamente ao respeito? Evidente­ apreciada pelo ser humano, e de
des possam ser adquiridas com o tempo mente que não. Mas na maioria das sua propensão a dispor, a organizar
e com a experiência, e sejam reconhecí­ vezes, as profundas transformações pro­ as coisas, a dar-lhes uma ordem, uma
veis em um mapa astral graças à situação duzidas em nós são do tipo emocional função, uma razão de ser.
de Saturno, o mesmo não acontece com
a consciência, que parece fundamental­ Por não receber a influência emocional da Lua, os homens tentam "pescá-la",
mente adquirida pelo ser desde seu pri­ mas o que pegam é apenas seu reflexo (adaptação de uma gravura do século XIX).
meiro dia e que espera re­
velar-se tal como é, para que
o indivíduo cm questão pos­
sa educar-se, crescer, desen­
volver a sua personalidade
e realizar-se. É, portanto,
através do exercício de sua
vontade que o ser expressará
e manifestará sua consciên­
cia, a qual, desde o começo,
no momento mesmo de seu
nascimento, já figura tal
como vai ser: inalterável e
autônoma, como o Sol, que
é uma estrela que gera por si
mesma a energia que neces­
sita para existir.

A INICIAÇÃO
E A INSTRUÇÃO
Costuma-se dizer: "mudei
muito", como se nos sentís­
semos culpados de ser como
A iniciação, o nascimento, o princípio emocionamos com nossa própria vida. equivocam ao adotar os papéis dos ho­
e o começo quase sempre suscitam Já não c o outro que nos emociona, mens em um mundo masculino, não
uma ou mais emoções fortes. Mas, mas sim sua imagem virtual. Porém, por seu aspecto viril, mas sim por sua
estas emoções e sensações, todas j u n ­ quanto mais razoáveis, reservados, em sede de impor uma ordem, um poder,
tas, formam a "expressão e manifes­ uma só palavra, civilizados queremos uma realidade única no mundo e na
tação da sensibilidade de um ser", que nos mostrar, mais danos infringimos vida.
é o que nos indica a Lua em um mapa a nossas emoções e mais a tememos. De maneira que, como vemos, não é
astral. De fato, ao nos negarmos, apesar de a consciência revelada pelo Sol que
nós mesmos, a senti-las, a integrá-las se opõe à emoção indicada pela pre­
A EMOÇÃO E A RAZÃO em nossas vidas, a simplesmente vivê- sença da Lua no mapa astral, mas sim
Em um mundo onde reinam a razão, las, deixamos de conhecê-las. Mas, em a razão fria e dura, a temível lucidez
a análise, o espírito lógico ávido de or­ um mundo onde fazemos tudo para própria de Saturno, pois quando di­
dem, de método, de organização e de conseguir ter segurança e preservar os zemos que temos razão, a emoção não
cálculos, a emoção sofre. A tal ponto bens adquiridos a todo custo, embora tem nenhuma importância. E, no en­
que a maioria das vezes os homens e digamos o contrário, o que nos dá mais tanto, c no coração da emoção onde
as mulheres retêm ou inibem suas medo é o desconhecido. Por isso, não emergem, nascem e movem-se os pen­
emoções; assim, a televisão e o cinema devemos ter medo de dizer que as samentos, os sentimentos, as sensações
se transformaram em suas válvulas de mulheres — que evoluem espontanea­ boas c más — que nos permitem es­
escape e seus catalisadores. Diante de mente em um universo de emoções, colher, nos distinguir, nos diferenciar
uma tela com imagens, choramos e cuja natureza é basicamente receptiva, uns dos outros, nos singularizar —, os
nos transtornamos, mas já não nos e vibra e vive na emoção pura — se impulsos e repulsas instintivas, a noção
do bem e do mal, do visível e invisí­
A Lua afeta diretamente às mulheres em suas vidas, em sua natureza vel, a imaginação e os sonhos, todas as
e em sua mente, onde a emoção ocupa o lugar mais importante percepções. É a emoção que nos en­
(adaptação de uma gravura do século XVII). caminha, que nos inicia na mais bela
e mais forte das sensações, dos pen­
samentos e das criações humanas: o
amor! Ao relegar a emoção a um pas­
sado antiquado para o homem, esta­
mos repudiando, afogando e negando
todo isto.
Nossa consciência e vontade, repre­
sentadas pelo Sol, requerem tanto a
emoção e a sensibilidade da Lua, como
a razão e a lucidez, encarnadas por Sa­
turno, para nos ajudar a nos realizar
plenamente.
Como já declaramos anteriormente,
nunca mudamos. Às vezes, no entanto,
temos a ilusão de achar que mudamos
porque, em um momento dado, deci­
dimos dar mais importância a um ou
outro componente de nossa persona­
lidade, em detrimento dos demais. Na
realidade, nunca devemos negar, re­
pudiar ou contrariar nada em nós. A
vontade, a sensibilidade c a lucidez
devem viver livremente. E se, às vezes,
inevitavelmente, engendram tensões,
contradições e dúvidas simultanea­
mente, estas últimas agudizarão nossa
razão, nossas emoções c nossa cons­
ciência.
Mercúrio ou a mente,
a alma e a inteligência
Através dos significados de Mercúrio em um mapa astral podemos entrar
em relação com a alma de um ser e compreender como se expressa.

V ivemos cm um mundo organi­


zado pela linguagem, mas no qual
está ficando cada vez mais difícil com­
preender as palavras, pois, quanto mais
avançamos, também damos com maior
freqüência um sentido equivocado a
elas ou as esvaziamos de seu signifi­
cado, e cada vez nos custa mais en­
tender-nos. Historicamente, a __
humanidade nunca dispôs de
tantos instrumentos e meios
para a comunicação. Porém,
ao mesmo tempo, nunca os
mal-entendidos foram maio­
res e o isolamento e o mu­
tismo tão flagrantes.
De fato, poderíamos ter a im­
pressão de que nosso mun­
do, em qualquer povo ou
nação, funciona em dois níveis di­ é possível e que tudo pode Para ver o que existe na alma,
ferentes. N o nível inferior está situado acontecer em qualquer a linguagem não é necessária.
o que chamamos a maioria silenciosa, momento —, estabelece­ É esta a mensagem de Mercúrio,
da qual muitos de nós fazemos parte, mos uma espécie de olho que nos convida ao silêncio.
c que vive, move-se e atua, vítima das vigilante eletrônico, um
necessidades e de seus impulsos, às sistema de vigilância são intermediários — ou ao me­
vezes simples e fáceis de entender, ou­ muito sofisticado. nos deveriam ter este papel —
tras vezes estranhas e contraditórias, N o nível superior exis­ entre os dois níveis que acaba­
incompreensíveis e imprevisíveis. N o te, portanto, tudo que mos de descrever, acabam se
outro nível figura a economia de um nossas sociedades mo­ transformando cm instrumentos
país ou de uma nação, e por sua vez dernas chamam os "mí­ de jogo, de poder e de influên­
o equilíbrio das forças do mundo, que dia" (meios de comuni­ cia e deixam de ser os instrumen­
se baseia nestas necessidades e impul­ cação, a forma plural do tos de comunicação que eram em
sos desta famosa maioria silenciosa. De latim medium), que juntos um princípio, comunicação para a
fato, se por exemplo amanhã decidir­ formam uma espécie de qual foram criados. Sua influência se
mos parar de consumir gasolina — o barômetro dos estados de ânimo ou es­ tornou demasiado forte em nossa
que, obviamente, parece impensável tado mental das massas, das quais são mente e costumes, isto é, nossos há­
pois o uso do automóvel se transfor­ um reflexo, mas que, ao mesmo tem­
mou em uma segunda natureza para bitos de pensamento e de vida. Impõe-
po, tentam também influir, modificar nos em demasia o que pensamos e o
nós — provocaríamos uma catástrofe e modelar, e que, com freqüência, é di­
econômica. Mas, para evitar que se que vivemos, o que devemos pensar
fícil acompanhar e compreender. Por e viver. Então, acabamos reprimindo o
produzam acontecimentos deste tipo isso, os meios de comunicação que,
— pois no fundo sabemos que tudo pensar e o viver como sentimos, es­
como seu nome aparentemente indica, pontaneamente, apesar do que somos.
Por isso, o nível denominado inferior suas escolhas, suas tendências, suas A mentalidade de um ser é seu estado
— do qual, repetimos, a maioria de nós idéias ou convicções pessoais, caracte­ de ânimo, suas crenças, suas convicções,
forma parte —, que é o da vida e das rísticas que, juntas, compõem a men­ que, obviamente, influem sobre suas
preocupações coletivas, tende cada vez talidade de um ser. Falamos então de escolhas e seu comportamento. Assim
mais a inibir nossas emoções que, em mentalidade individual, porém tam­ o compreendemos atualmente, e é exa­
conseqüência, são suscetíveis de de­ bém de mentalidade coletiva. Por outro tamente o que nos revela a posição de
sencadear em qualquer momento lado, observamos que, com freqüên­ Mercúrio no signo, nas Casas e seus
outra explosão. Não nos surpreenda­ cia, associamos a mentalidade de um eventuais aspectos no mapa astral, pois
mos, portanto, diante do sucesso, em povo ou uma comunidade — como, se definimos esta posição de Mercú­
todos os países do mundo, dos filmes por outro lado, a de um ser cm parti­ rio, de uma forma simples e superfi­
de catástrofes. cular — com sua alma. Quando sabe­ cial, como a que nos informa sobre a
As pessoas se reconhecem a si mesmas, mos que o latim mentalis, que deu natureza e a expressão da inteligência
ou mais exatamente, percebem em si "mentalidade", significava no começo do indivíduo, estaremos dando ao
mesmas este excesso de emoções que "da alma, do intelecto", compreende­ termo "inteligência" o sentido de "ex­
temem um dia encontrar fora de con­ mos melhor porque, em nossos espí­ pressão da alma através do intelecto ou
trole, sem poder retê-las ritos, as noções de mentalidade c alma da mente".
se confundem. Dito de outra forma, a inteligência é
MENTE E MENTALIDADE, Parece que a partir do século XIV as a expressão da alma de um ser que em­
INTELECTO mentes bem pensantes quiseram dis­ prega sua mente ou seu intelecto para
E INTELIGÊNCIA tinguir a alma do intelecto. E, nos sé­ se manifestar. Assim, o sentido etimo­
Porém, o que é certo no âmbito co­ culos seguintes, estas mesmas mentes lógico original de "mentalidade" está
letivo também é certo na escala indi­ relegaram a alma aos calabouços, antes muito próximo do que Mercúrio re­
vidual, pois cada um de nós se distin­ de ser recuperada e reatualizada pelos presenta astrologicamente.
gue por seus pensamentos, seus gostos, psicanalistas a princípios do século XX. E não nos cansaremos de sublinhar até
que ponto este astro e o que representa
são importantes no estudo de um mapa
astral.
De fato, nunca devemos esquecer que
as informações que nos proporciona
a posição de Mercúrio em um mapa as­
tral nos indicam como o ser cm
questão emprega, utiliza e explora suas
faculdades para expressar seus senti­
mentos e desejos que provêm direta­
mente de sua alma. Com respeito a este
astro, podemos falar, pois, tanto de
mentalidade como de inteligência de
um ser. Melhor ainda, podemos dizer:
a mentalidade é a inteligência e vice-
versa.
Nunca subestimemos, portanto, a po­
sição de Mercúrio no mapa astral de
um ser.
De fato, como acabamos de expor, as
interpretações que você obterá lhe
porão diretamente em relação com sua
alma, pois se somos capazes de definir,
graças a Mercúrio, exatamente que é
a alma, como se forma, onde se en­
contra, de onde vem e até onde vai, po­
deremos compreender e ver como se
expressa, estudando a mentalidade ou
a inteligência de um ser.
Vênus e o amor
De Vênus e o amor até Eros e Amor, vamos descobrir como este astro nos informa sobre a iniciação
de um ser na vida amorosa.

O amor é certamente o sentimento


humano que fez correr mais rios
de tinta desde que o homem aprendeu
o que vivemos no registro do amor
— trate-se de relações amorosas ínti­
mas e privilegiadas entre dois seres ou,
decanatos. Mas, evidentemente, sua
posição nas Casas, assim como os even­
tuais aspectos que forma, também deve­
a escrever. Não podemos negar-lhe o mais amplamente, de relações afetivas mos levá-los em conta e acrescentá-los
papel primordial que ocupa em nossa que cultivamos com nossos pais, nos­ à nossa análise, para que possa ficar mais
vida, embora, observando-o bem, qual­ sos amigos — nos submerge em uma preciso e afinado.
quer que seja a época, cultura ou civi­ espécie de confusão de sentimentos, em
lização, o amor, sob seus múltiplos as­ um clima inefável de angústia e incer­
pectos e manifestações, sempre foi o teza, mais que em uma sensação de ple­
mesmo. nitude? Por que o amor é tão difícil de
N o entanto, assim como com as 7 notas viver? Talvez, simplesmente, porque
da escala musical obtemos infinitas queremos pôr limites a algo que não os
combinações harmônicas, o amor tam­ tem ou que não está feito para tê-los.
pouco nunca deixa de nos surpreender, A situação de Vênus em um mapa
de nos maravilhar e, obviamente, tam­ astral nos permite compreender
bém de nos pôr à prova. Em função de como um ser é capaz de viver
como o vivemos ou sonhamos, imagi­ o amor e, em nossa opinião,
namos, consideramos ou idealizamos, como vai realizar sua apren­
nos faz formosos, inteligentes, corajo­ dizagem do amor. O Zodía­
sos... ou, ao contrário, monstruosos, co nos oferece, portanto,
idiotas ou covardes. Inevitavelmente 12 inscrições diferentes, se
impulsa-nos a realizar tanto proezas se permite tal interpretação,
como qualquer tolice. e, melhor ainda, 36 ex­
Mas, em todo caso, podemos conside­ pressões puras e originais
rar que o amor nos leva a ser mais cons­ do amor, se levamos
cientes de nós mesmos, de nossos li­ em conta os
mites, de nossas emoções e de nossa
capacidade de dar e receber. Por isso,
embora Vênus seja o astro do amor ou,
mais concretamente, se sua posição em
um mapa astral nos informa sobre a ex­
periência dos sentimentos, emoções e
motivações de um ser, não podemos
negar que em si mesmo este planeta re­
presenta uma fonte de informações va­
liosas e fundamentais.

VÊNUS
OU A INICIAÇÃO AO AMOR
Mas, neste caso, devemos abordar nossa
interpretação de Vênus em um mapa
astral a partir da chave das informações
indicadas sobre o comportamento amo­
roso de um ser.
De fato, não parece que, quase sempre,
nos custa amar, fazer-nos amar e tudo
Por outro lado, ao estudar a situação de Estamos feitos de maneira que temos Correspondências
Vênus em um mapa astral, nunca de­ necessidade de dar e receber provas de entre os astros
vemos esquecer que, embora todas as nosso amor. Não podemos nos con­ Com respeito a Vênus e ao amor, é
histórias de amor se pareçam, cada ser formar com amar ou ser amados. Que­ oportuno sublinhar as correspondên-
tem uma maneira pessoal e íntima de remos certezas ao respeito. Trata-se de cias ou relações espontâneas que os
experimentar seus sentimentos e que, uma fraqueza? Sem dúvida. Mas isso se astros estabelecem entre si. Assim, o
em sua experiência, intervêm muitos deve a que as sensações, emoções e sen­ que o Sol representa está situado aci-
parâmetros inerentes à personalidade. timentos que experimentamos quando ma de qualquer união, e as relações
Por isso, é legítimo considerar a Vênus amamos têm algo de incompatível com entre o feminino e o masculino são es-
o instrumento de nossa iniciação ao a razão, a lucidez e o domínio de si tabelecidas pelo eixo Lua, Vênus, Jú-
amor. mesmo, que, como sabemos, são qua­ piter, por uma parte, e pelo eixo
lidades atribuídas a Saturno. Mercúrio, Marte, Saturno, por outra,
A PROVA DO AMOR Em outras palavras, o amor nos faz per­ com outros dois vínculos representa-
A "prova do amor" remete a uma fór­ der nossas faculdades. Por isso busca­ dos pelas relações Lua-Saturno e
mula comumente admitida e rica de mos segurança tentando encontrar pro­ Mercúrio-Júpiter. Este diagrama o aju-
ensinamentos. O verbo "provar", para vas de que o que sentimos é certo. dará a compreender melhor porque
referir-nos ao amor, é mais fácil de ser De fato, em geral, o amor é irracional foi tão evidente para os criadores do
manejado que o conhecido "sentir", e totalmente fora de parâmetros. Ten­ Zodíaco que todo ser possuía um
pois, em seu sentido puro e original, demos, portanto, a exigir-lhe algum tipo duplo pólo masculino e feminino, in-
"provar" nos remete a "verificar, ex­ de prova. dependente de seu sexo.
perimentar, conhecer algo através de
uma experiência pessoal". E se dize­ EROS E AMOR
mos muitas vezes que o amor não O conceito grego de Eros, tal como nos
exige razões, mas sim ações, isso quer é apresentado pela mitologia, está muito
dizer que nossa natureza humana exige mais próximo do amor, tal como sen­
provas. timos e experimentamos, que da tar­
dia e esquemática interpretação que
fizemos reduzindo-o ao sentido do ero­
tismo ou desejo sensual.
De fato, em um princípio Eros,
deus do amor dos gregos, se­
gundo a lenda cosmogô­
nica, nasceu ao mesmo
tempo que a Terra e,
em conseqüência,
da mesma forma
que esta, do Caos
original, do Ovo
cósmico.
Este Ovo teria Em um mapa astral, o astrólogo se re­
sido engendrado fere, portanto, a Vênus, não a Eros.
pela Noite. Disto podemos deduzir, inspirando-nos
Quando este Ovo na legenda de Eros — que aqui repre­
surgiu, no mo­ senta o amor primordial que unificou
mento em que o mundo —, que Vênus-Afrodite é
Eros saiu de sua quem experimenta o desejo que con­
casca, a parte inferior duz ao amor, no sentido do amor per­
desta formou a Terra, feito, absoluto, sem limites, de que
e sua parte superior, o todos nós, sem dúvida, somos capazes;
Céu. Entretanto, não mas ao qual todos tememos, pois so¬
esqueçamos que Vênus era brepassa os limites da razão e da com­
Afrodite para os gregos, a deusa preensão. No entanto, é este desejo que
do desejo, e não do amor. nos empurra a amar.
Marte e o contato físico
com a realidade
Marte, a capacidade de ação, a afirmação de si mesmo, a agressividade, a força e a potência,
é o instrumento para o contato físico de um ser com a realidade material.

C omo já dissemos muitas vezes


nestas páginas, a astrologia é
uma ciência antiga, baseada em prin­
cípios e critérios dos nossos ante­
passados, sobre a qual, com o tempo,
fomos perdendo tanto o sentido
quanto a essência. É uma pena, mas
não é algo irreversível.
De fato, se queremos tirar o melhor
partido das informações que as po­
sições dos astros nos revelam cm um
mapa astral, primeiro devemos en­
contrar o sentido original atribuído a
cada um deles. Em seguida, devemos
delinear e nos aprofundar em uma in­
terpretação de um mapa astral. Isto
é o que já lhe ensinamos a fazer in¬
centivando-o a cada momento a ten­
tar obter a sua própria interpretação
de um mapa astral e insistindo no fato
de que a parte de interpretação prá­
tica em astrologia é mais importante
que os cálculos de precisão milimé­
trica das posições dos astros.
Por isso, destacamos que a astrolo­
gia, tal como a temos revelado, está
mais próxima da arte que da ciên­
cia, no sentido que a entendemos O poder da ação de Marte é a capacidade de entrar em contato com a realidade
atualmente. Dessa forma, acredita­ material.
mos que seja muito importante, tanto
para o iniciante quanto para o pro­ resultante — que, como já vimos, são guia, mas como um instrumento de
fissional, alcançar e "experimentar" detectadas graças à posição de Mer­ pesquisa e de integração na vida. Por
o sentido profundo de cada um dos cúrio no mapa astral —, o amor e a isso, devemos experimentar o que as
astros presentes em um mapa astral. aprendizagem dos sentimentos — in­ posições do Sol, da Lua, de Mercúrio,
Considere que não estamos citando dicados por Vênus —, pertencem ao de Vênus e dos demais astros revelam
o verbo "experimentar" à toa. âmbito da vida e não da teoria inte­ em algum signo zodiacal do mapa as­
De fato, em cada um de nós, a von­ lectual e do conceito filosófico. Por tral. Do contrário, o seu estudo sem­
tade instintiva — revelada pela po­ isso não seria exagerado dizer que a pre será teórico e você terá dificuldade
sição do Sol natal —, a sensibilidade força de exercer a arte da astrologia, para envolver o consulente e menta¬
e a emoção — qualidades atribuídas de se unir a ela, de usá-la na nossa vida lizá-lo dos fatos sem mentiras e en­
à Lua —, a mente e a mentalidade re- não deve ser encarada como apoio ou ganos, encarando a realidade.
MARTE OU O CONTATO Deste modo, podemos nos confor­ causas e efeitos que existem entre
FÍSICO COM mar em querer algo de forma ape­ diferentes fatores aparentemente
A REALIDADE nas instintiva. alheios à personalidade. Contudo, os
Dessa forma, ao falar do que Marte Porém, para consegui-lo, obtê-lo, ad­ que escolhemos bastam para destacar
representa em um mapa astral, não é quiri-lo e ganhá-lo, devemos agir. o papel primordial e onipresente das
possível se prender à teoria. De fato, Também existe u m vínculo entre o características reveladas pela posição
estamos nos referindo às qualidades Sol e Marte, a vontade c a ação. de Marte no mapa astral. E, se que­
que revelam o verdadeiro contato fí­ Como vimos, o amor requer provas, remos reconhecer que Marte indica
sico de u m ser com a realidade tan­ tanto do que estamos dando como do a natureza, a capacidade de ação de
gível e material. que estamos recebendo, visto que um ser e sua forma de entrar em con­
Mais uma vez é importante c neces­ este é o sentido da prova do amor, ou tato físico com a realidade, compre­
sário realçar que os componentes da mais exatamente de sua expressão, endemos por que tendemos a dizer
personalidade revelados pelos astros, em função da qual experimentamos que julgamos os indivíduos pelos
os ângulos e os pontos fictícios em sentimentos. seus atos.
um mapa astral nunca devem ser de¬ Porém, para que tais provas existam, De fato, trata-se da clara expressão do
sassociados. Evidentemente, podem devemos agir. Em conseqüência, há que o indivíduo quer, pensa e sente;
ser analisados u m a u m . Também um vínculo entre Vênus e Marte, a considerando-se que ao agir, deixa a
é recomendável fazê-lo para com­ sede de amor e o ato de amar; as mo­ sua marca, intervém e existe. Deixa
preender melhor o seu significado tivações que também pertencem ao de ser inocente.
intrínseco. Porém, com a condição âmbito de Vênus, tampouco podem Por nosso lado, acreditamos que de­
de que não esqueçamos nunca que ser realizadas sem ações. Poderíamos vemos ser mais benévolos c dizer
cada um deles tira todo o seu sentido citar do mesmo modo numerosos que, pelos atos de um ser, o compre­
apenas quando se inscreve em uma exemplos de interações, relações, enderemos, mas não o julgaremos.
tabela da personalidade, ou seja, no
conjunto do mapa astral da pessoa
em questão.
De u m ponto de vista clínico, ou
melhor, fisicamente, pode-se separar
o cérebro do coração. Porém, além
de saber da importância e onde esses
órgãos se situam, você realmente
acredita que o seu cérebro e o seu co­
ração não possuem nenhum vínculo?
Evidentemente, estão em relação um
com o outro; não será porque o san­
gue que bombeia o seu coração é exa­
tamente o m e s m o que irriga o seu
cérebro?
Por isso, em relação à Marte, você
nunca deve esquecer que sem esse
contato físico com a realidade, pró­
prio deste astro, sem o ato de "apre­
ender", não haveria compreensão
possível. De fato, compreender é
estar "com" o que "prendemos"
(apreendemos), confundir-se com
ele, integrá-lo dentro de nós. Pois,
a partir desse ato, as funções de Mer­
cúrio — ou seja, da mente, a inte­
ligência e o espírito prático —, en­
tram em atividade. Portanto, existe
um vínculo evidente entre Marte e
Mercúrio, prender e compreender.
Júpiter ou um estilo de vida
Através da posição de Júpiter no seu mapa astral,
você pode descobrir o seu estilo de vida.

formações fornecidas pelo instru­ caracterizam, combinando-as e reunin¬


O s astrólogos contemporâneos são
unânimes em relação a Júpiter:
o consideram o "grande benfeitor". As
mento astrológico sempre devem ser
colocadas cm dúvida e questionadas
do-as para formar um todo original que
será unicamente nosso. Diríamos, in­
qualidades atribuídas a esse planeta são para que se evitem a repetição de es­ clusive, que a presença de Júpiter no
a expansão, o êxito, a vitória, o sucesso quemas, idéias preconcebidas ou prin­ seu mapa astral revela, principalmente,
e a alegria de viver, que favorecem a cípios estabelecidos de forma deter­ o seu estilo.
realização da personalidade e da feli­ minada e invariável. Para que você compreenda como o seu
cidade do ser em questão. N o entanto, É a partir desta ótica que incentivamos estilo pode ser visto no seu mapa as­
Júpiter — considerado atualmente você a calcular e a montar ura mapa as­ tral, Júpiter indica a expressão natu­
pelos astrofísicos e astrônomos como tral, atuando como um "descobridor", ral e espontânea da sua personalidade,
um astro que esteve a ponto de ser ou seja, dando uma interpretação ori­ sintetizando todas as suas qualidades
uma estrela ou que ainda se situe no ginal e abordando-a desde uma nova que, por sua vez, são reveladas pelos
futuro estado de estrela "oculta" ou la­ perspectiva cada vez que realizar e in­ demais astros presentes no seu mapa
tente —, é um planeta que, do ponto terpretar um mapa astral. astral.
de vista astrológico, revela outras ca­ Quando pensamos em estilo, costu­
racterísticas mais sutis sem, porém, JÚPITER E 0 SEU ESTILO mamos relacioná-lo com a literatura.
deixarem de serem básicas. O escritor francês Jean Cocteau escre­ Porém, atualmente também refere-se
De fato, como já destacamos, apesar da veu que é mais fácil ter estilo que pos­ a todas as opções que fazemos ao longo
astrologia ser uma ciência antiga, é um suir "um estilo". Em outras palavras, da vida, principalmente em relação ao
moderno instrumento de pesquisa da podemos imitar ou nos identificar fa­ nosso comportamento, nossas opi­
alma humana que devemos enrique­ cilmente com qualquer tipo de estilo de­ niões, nosso aspecto, nosso look, como
cer e aperfeiçoar à medida que o uti­ vida, de pensamento e de personalidade. costuma-se dizer, e nossos gostos; em
lizamos. O astrólogo nunca deve achar N o entanto, é mais difícil aceitar um suma, tudo que a princípio desperta
que sabe tudo dessa ciência, a qual estilo próprio e assumi-lo, ou seja, sin­ o nosso interesse, nos proporciona pra­
deve exercer como uma arte. As in­ tetizar todas as qualidades que nos ca­ zer e nos delicia, nos faz felizes e nos

Júpiter nos ensina que temos o nosso próprio estilo de vida e a nossa própria maneira de nos apresentar.
realiza, apesar de também compreen­
der o que nos deixa indiferentes e o que
Descubra o seu estilo de vida em função
não nos chama a atenção. Desta forma,
da situação de Júpiter no seu mapa astral
se escolhemos uma determinada roupa ■~\- Júpiter em Áries *5|?) JL. Júpiter em Libra ML.
é porque, usando-a, nos sentimos bem Você é um ser otimista e extrovertido. Por­ Você é um esteta. Gosta dos matizes, tudo
com nós mesmos. Temos a impressão tanto, o seu estilo é o de uma pessoa que o que é sutil e harmonioso. Possui o dom
de que nos protege e nos revaloriza. Ao pode se expressar com entusiasmo, de de estar sempre bem sem nenhuma os­
escolhermos a nossa roupa, determi­ forma espontânea e generosa e, às vezes, tentação. Você é muito ligado aos valores
namos nosso estilo. um pouco escandalosa ou chamativa, mas formais e tem um sentido inato de justiça
N o entanto, em certas ocasiões, não es­ sem deixar de ser agradável. para todos.
tamos certos da nossa escolha, pois no
mundo em que vivemos nada nos ajuda "^f- Júpiter em Touro Q -^- Júpiter em Escorpião | J L
realmente a encontrar o nosso autên­ Você é voluptuoso, afetuoso, de caráter Você é um ser inconformista motivado
tico estilo. Isso não ocorre por falta de brincalhão, muito ligado aos valores tra­ por uma grande curiosidade que o faz
opções, muito pelo contrário. Possuir dicionais, principalmente familiares, e à experimentar todas as coisas desde que
uma opção não significa que tenhamos moral. Você tem bom senso, muita vita­ saiam da normalidade. Mais carnal que
encontrado o que buscamos, princi­ lidade e para você é muito importante sensual, você tem a necessidade de estar
palmente quando procuramos por nós viver com segurança. em contato físico com a vida e com os
mesmos. demais.
Por isso, sem que percebamos, quase ■^f- Júpiter em Gêmeos ^J3T
sempre adotamos o estilo de uma pes­ Você é um ser sociável e descontraído. As ■Á- Júpiter em Sagitário y(
soa ou de um grupo de pessoas, ape­ trocas, os contatos e as relações, tanto Você é conformista, mas generoso e apai­
sar de possuirmos a nossa própria in­ múltiplas quanto variadas, estimulam xonado pelos valores seguros, demons­
dividualidade. Isso não ocorre somente você moral e fisicamente. Você possui um tráveis. Você gosta de pregar seus valo­
com a escolha das nossas roupas. Ocor­ espírito jovial que desperta muita sim­ res aos demais, de se cansar fisicamente
re também com o nosso estilo de vida. patia. e de desfrutar dos prazeres mais simples.
Por esse motivo, é de extrema im­ Você é leal e muito didático.
portância que você analise com toda a -*f- Júpiter em Câncer © x
atenção a situação de Júpiter no seu Você é muito sensual e sensível aos odo­ - 4 - Júpiter em Capricórnio Wp\
mapa astral. Ela pode ser uma fonte res, às cores e aos ambientes. Muito liga­ Você é prudente e pragmático. Aspira a
inesgotável de valiosas informações do ao passado e às tradições, você pos­ realizar a síntese de todos os elementos
sobre o seu estilo de vida tal como aca­ sui a arte de manter sua tranqüilidade. dos quais dispõe. Você é muito mais am­
bamos de defini-lo. Não lhe falta imaginação nem uma certa bicioso do que aparenta. Expressa-se de
eloquência persuasiva. forma erudita e gosta de ser muito sério.

-Ã- Júpiter em Leão Q / ■^f- Júpiter em Aquário uVj)


Você é generoso, pródigo, com tendência Você é um ser apaixonado pelas novida­
ao luxo e à pompa. Você é orgulhoso e des, pelas inovações e pela independên­
suscetível, sentindo a necessidade de se cia. Extremamente diplomático e opor­
destacar e de ser o centro de todas as tunista, você tem o dom de se adaptar às
atenções. Precisa ser admirado, va­ circunstâncias e de aproveitar as opor­
lorizado e amado pelos demais. tunidades. Também sabe se abster dos
seus desejos.
■^\- Júpiter em Virgem W/C
Você é um ser prestativo, perfec­ - 4 - Júpiter em Peixes AJr
cionista e detalhista. Você gosta Você é muito emotivo e de caráter afe­
que todas as coisas estejam nos tuoso, mas, às vezes, de comportamento
seus lugares. Precisa de ordem e egocêntrico. Possuidor de um grande ca­
método. 0 seu estilo é o mais sim­ risma e de um sutil dom de persuasão,
ples possível, o que lhe dá originali­ precisa de comodidade. Você também pos­
dade. sui uma natureza doce e sonhadora.
Saturno e a força de espírito
Independentemente de nossas características, Saturno nos ajuda a encontrar e a cultivar
uma das qualidades humanas mais valiosas: a força de espírito.

S omos muito injustos com Saturno


ao atribuir-lhe a má fama que pos­
sui. Quando ouvimos determinados
não revelam nada por si mesmas. Por
outro lado, ganham sentido ao afeta­
rem um ser específico quando uma
SATURNO,
0 INICIADOR DO ZODÍACO
Isso é exatamente o que Saturno nos
astrólogos ou apaixonados neófitos da configuração planetária, em um deter­ dita ou obriga a fazer, dependendo de
astrologia falar sobre ele, temos a sen­ minado momento do céu, coincide cada caso. Se o grande princípio de Jú­
sação de que é o responsável por todos com a aparição deste ser sobre a Terra. piter é abrir, dilatar e estender, o de Sa­
os males da Terra. Por isso, é impor­ Tal como nossos antepassados, devería­ turno é voltar a fechar, concentrar e
tante fazer certas considerações a res­ mos nos preocupar com a nossa vida conservar. Saturno atrai tudo para si.
peito. atual e presente sobre a Terra antes de Saturno nos ajuda ou nos obriga a com­
Se atualmente os astrônomos e astro­ buscarmos desesperadamente em ou­ preender que tudo encontra-se em nós
físicos verificam, sondam e estudam tros lugares o que nunca encontrare­ mesmos.
o céu de cima a baixo, tendo, inclusive, mos enquanto não procurarmos den­ Saturno ocupa o lugar do iniciador do
detectado no universo o eco e a luz do tro de nós mesmos. Zodíaco. Limita, restringe, freia e retém
famoso big bang que supostamente
ocorreu há bilhões de anos, do qual o
universo surgiu, é, principalmente, para
aprenderem muito mais sobre as es­
truturas físicas e químicas do céu e
todos seus componentes. Para nossos
antepassados foi suficiente compreen­
der os grandes princípios de certos
fenômenos celestes visíveis desde a
Terra para estabelecer um sistema, uma
tabela, neste caso o Zodíaco, que lhes
permitiria organizar o mundo e clas­
sificar metodicamente os presságios e
as analogias entre os elementos natu­
rais e eles mesmos.
N o entanto, ao criarem dessa forma os
fundamentos da astrologia, que ainda
hoje estudamos, a sua intenção não era
conhecer melhor o céu e o universo,
mas dispor de um instrumento prático
e facilmente transmissível de geração a
geração, que lhes possibilitasse viver
melhor sobre a Terra. Em outras pa­
lavras, como já mencionamos antes, os
criadores do sistema astrológico eram
seres pragmáticos cujo objetivo era usar
o céu para fins utilitários e práticos na
sua vida cotidiana.
Por esse motivo, ao analisar um mapa
astral, nunca se esqueça de que o es­
sencial está no ser que tal mapa repre­ Saturno, o astro da maturidade, tem a vantagem de nos colocar a prova de forma
senta, sua vida e sua realização pessoal positiva. Pode nos aproximar da grandeza do ser quando vamos muito longe, quando
dos fatos. As posições dos astros no céu caímos na facilidade do ter.
para induzir-nos a procurar o essencial. SATURNO OU A MATURIDADE a vida, ou mais precisamente os acon­
É precisamente devido à sua função res­ MEDIANTE A RAZÃO tecimentos e as circunstâncias da vida,
tritiva que possui tão má reputação. De E A ADVERSIDADE se encarregará de testá-lo e talvez fique
fato, todos sabemos que a natureza hu­ Qualquer ser pode optar desta forma: claro que enquanto não aprenda a lição,
mana é fraca, que freqüentemente se sa­ integra as qualidades próprias de Satur­ as adversidades se repetirão regular­
tisfaz com situações ou estados que lhe no tal como estão indicadas no mapa mente na sua existência até o momento
prejudicam ou lhe impedem de evoluir, astral ou as ignora. Se as integra, passa em que tenha tomado consciência das
crescer e amadurecer. Além disso, atual­ por um lento processo de maturidade mesmas. N o entanto, como quase sem­
mente aprendemos muito pouco a nos resultante do fato de saber esperar pre somos mais negligentes ou igno­
restringir e dominar. A paciência, a te­ quando necessário, renunciar ou se rantes que vigilantes c clarividentes,
nacidade e a sobriedade são qualidades restringir se necessário, aproveitar o somos testados com freqüência. Nes­
muito pouco difundidas, favorecidas ou próprio poder de concentração, o es­ sas ocasiões, Saturno assume a grande
apreciadas. Não as consideramos agra­ pírito lógico, valorizar racionalmente responsabilidade das provas que nos
dáveis. Costumamos preferir a quanti­ as circunstâncias, aprender a se domi­ são infligidas.
dade em vez da qualidade. É normal. nar, dar provas de discernimento, liv­ Porém, não seria errôneo afirmar que
A população aumenta cada vez mais rar-se a tempo do que já não serve ou seus efeitos, tanto se nos fazem sofrer
sobre a Terra. Nunca fomos tão nume­ não tem razão de ser na vida, conhecer como também se são benéficos, sem­
rosos. Desejamos, portanto, de forma os próprios limites, ser auto-suficiente pre acabam sendo saudáveis pois nos
espontânea, que todos lucrem e vivam e assumir as próprias responsabili­ permitem cultivar esta força de espí­
em paz, ou seja, satisfeitos e saciados, dades. rito que nos torna mais resistentes
apesar de que no final não seja assim. Dessa forma será capaz de cultivar essa tanto no aspecto físico quanto no in­
N o entanto, ao atuarmos dessa forma, força de espírito, a mais bela qualidade telectual, mais maduros c felizes de
olhamos a realidade deste mundo mais de Saturno. Se pelo contrário as ignora, sermos o que somos.
com olhos jupiterianos que saturninos.
Neste momento, estamos pensando em
expansão, abundância, produtividade,
generosidade e boa vontade. Porém, não
seria mais sábio restringir-nos, parando
de produzir ou subproduzir e desper­
diçar como fazemos atualmente para
aprendermos a ser seletivos, a demons­
trar discernimento e saber renunciar a
tempo antes de aceitarmos tudo?
O que é correto no âmbito coletivo o é,
em primeiro lugar, no âmbito indivi­
dual. Dessa forma, quando vamos longe
demais e ultrapassamos nossos próprios
limites em qualquer âmbito da nossa
vida, costumamos receber uma adver­
tência de Saturno, cm outras palavras,
uma repreensão, uma freada, uma ad­
versidade. Mas não devemos nos es­
quecer que, mediante os elementos e as
características próprias deste astro, es­
tamos dando uma advertência a nós
mesmos, em outras palavras, todos os
freios e advertências estão dentro de nós.
Porém, nem sempre possuímos a mes­
ma facilidade de pisar no acelerador das
alegrias, da expansão e dos prazeres reve­
lados por Júpiter para pisar fundo no
freio, utilizando a reflexão, a lucidez e a
sensatez inerentes a Saturno.
Urano e o altruísmo
Urano no mapa astral pode fazer alusão, principalmente, a esta parte de altruísmo
da qual todos somos capazes.

C om Urano, entramos no universo


dos três astros do Zodíaco que,
como você sabe, já estudamos em seu
outras pessoas nascidas na mesma
época. É o que em astrologia vem a se
chamar "fator geracional". Assim, no
coletivo se transforma em capacidade
de decisão individual.
Quanto ao espírito de solidariedade,
aspecto de informações complemen­ estudo do mapa astral, devemos des­ interpretado do ponto de vista cole­
tares ou de advertências sutis, nem cobrir quais são as características par­ tivo, expressa-se em forma de al­
sempre perceptíveis no comporta­ ticulares reveladas por um destes três truísmo pessoal. Já falamos ampla­
mento ou na vida de um ser, mas que astros e que estão presentes nos mapas mente sobre a capacidade de decisão
podem enriquecer a interpretação do astrais de toda uma geração de seres revelada pela presença de Urano no
mapa astral. Estamos falando, obvia­ que vivem na Terra no mesmo mo­ mapa astral. Agora, concentremo-nos
mente, de Urano, Netuno e Plutão, mento, aos quais o indivíduo em no altruísmo.
que podem revelar tanto característi­ questão dá prioridade e integra em sua
cas inerentes à personalidade de um personalidade. O QUE É O ALTRUÍSMO?
indivíduo como considerações de ca­ Esta palavra foi criada pelo filósofo
ráter coletivo. DO DINAMISMO À CAPACIDADE francês Auguste Comte em seus seis
Isto é, enquanto o Sol, a Lua, Mercú­ DE DECISÃO E DO ESPÍRITO Cours de Philosophie Positive, publicados
rio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno, DE SOLIDARIEDADE entre 1835 e 1842 e que constituem
com o ascendente e as 11 Casas restan­ A0 ALTRUÍSMO a obra de referência do fundador desta
tes do Zodíaco do mapa astral, sempre Quanto a Urano, este nos informa filosofia chamada "positivismo".
nos mostram componentes originais, sobre o dinamismo que impulsiona Estabeleceu este termo tomando "a
particulares e singulares da personali­ uma geração de indivíduos a progre­ outredade" como ponto de partida, pa­
dade; Urano, Netuno e Plutão aludem dir juntos, c do espírito de solidarie­ lavra que deriva do latim alter, e dis­
a certos comportamentos que são os do dade de que são capazes. Mas, no âm­ pondo assim de uma palavra oposta ao
indivíduo em questão, mas que ao mes­ bito da personalidade, como já vimos egoísmo. Por isso, Auguste Comte de­
mo tempo encontramos em muitas ao descobrir Urano, este dinamismo finiu a noção de altruísmo como uma

Urano em um mapa astral nos informa sobre a capacidade de um indivíduo para ser solidário com os demais e para dar mostras de altr
disposição inata à benevolência e à so¬ Descubra a natureza de seu altruísmo em função
lidaridade, e não à abnegação como con .. da posição de Urano em seu mapa astral
freqüência se interpreta erroneamente. (fo) Urano em Áries G p de que querem fazer o esforço de reali­
O altruísta não tende, portanto, à ab­ Às vezes você tende a acreditar que os zar para eles o que são capazes de fazer
negação, embora tampouco faça dis­ demais têm os mesmos pontos de inte­ sozinhos.
tinção entre o interesse pessoal e o de resse e as mesmas preocupações que
seus semelhantes. Essa é a razão de ser você. Por isso, faz por eles o que faria © Urano em Libra J < •_■
tão solidário com o próximo. por você próprio, sem se perguntar se Intuitivamente, sabe que os demais po­
Assinalemos a título informativo que lhes convém. Daí os mal-entendidos que dem lhe trazer este pequeno toque de ori­
Auguste Comte nasceu em 19 de ja­ às vezes você provoca. ginalidade ao qual aspira. Então você vai
neiro de 1798, quando o Sol em seu até eles, está de acordo com eles e crê
mapa astral se encontrava a mais de 29° (to) Urano em Touro Cy que a base da solidariedade é unicamente
de Capricórnio; dito de outra maneira, Saber que os demais podem viver em paz a equidade.
a menos de 1o do signo de Aquário, e e beneficiar-se de certa comodidade, de
que, em seu mesmo mapa astral, a Lua certa tranqüilidade de espírito, lhe dá se­ (§) Urano em Escorpião j | L
e Mercúrio se encontravam no signo gurança em si mesmo. Portanto, você Sendo basicamente inconformista, não
de Aquário, enquanto que Urano es­ acha normal que cada um tenha o que duvida em impulsionar os demais à re­
tava situado no signo de Virgem, cujo necessita e você está convencido de que belião, a livrar-se de seus obstáculos, a
regente é evidentemente Mercúrio, o tem razão. questionar seus hábitos e suas condutas
qual como acabamos de afirmar, se en­ cotidianas equivocadas.
contrava em Aquário. (j5) Urano em Gêmeos ^pf
Neste caso, subentende-se que, astro­ Você possui uma grande amplitude men­ (to) Urano em Sagitário \S
logicamente falando, nos encontramos tal que lhe faz espontaneamente recep­ Um para todos, todos para um. Seu al­
em presença de um ser, cuja inte­ tivo às idéias, pensamentos, conceitos e truísmo é o dos mosqueteiros. Você tem
ligência estava imersa em característi­ sentimentos dos demais. Aferra-se à idéia realmente um coração valioso e nada lhe
cas tipicamente uranianas. Não c, por­ de que cada um pode viver e pensar tão parece impossível se os seres estão uni­
tanto, por acaso que o recente termo livremente como queira dos em uma vontade única e uma obra
de altruísmo encaixe tão bem com este comum.
astro, que, por outro lado, apareceu no Urano em Câncer ^ ^
telescópio de um astrônomo que nas­ Para você, os demais formam uma grande (&) Urano em Capricórnio \ÍQ\
ceu menos de vinte anos antes que Au­ família, no centro da qual você quer viver Você é pouco expansivo e aparentemente
guste Comte. e evoluir com toda liberdade. Muito sen­ está pouco preocupado com os interesses
sível às vibrações psíquicas dos demais, dos demais; na realidade, você manifesta
capta suas sensações, seus estados de sua vocação através dos atos, mostrando-
ânimo e suas angústias. se capaz de assumir grandes responsabi­
lidades e às vezes responsabilizando-se
(to) Urano em Leão Q / pelos demais.
Os demais são você mesmo. Ou se
preferir de outro modo, os de­ (to) Urano em Aquário Qfò
mais têm que ser como você. "A liberdade do outro estende minha li­
É seu altruísmo particular. berdade até o infinito." Esta frase escrita
Assim, pode mostrar-se es­ pelo anarquista Bakunin é ideal para você.
pecialmente entregue aos De fato, você aspira a que todos seja­
demais, com a condição de mos livres de atuar e de viver à nossa ma­
que em troca lhe amem e neira, começando por si próprio.
admirem.
(fo) Urano em Peixes jJ?
(to) Urano em Virgem |TP Você gostaria de ser um só com os de­
Põe-se espontaneamente ao mais, com todos os demais. Sempre sente
serviço dos demais, principal­ a necessidade de formar parte de um
mente quando se trata de ajudar grupo, de uma associação ou de uma co­
a preservar seu bem-estar ou de ali­ munidade, com a que comparte as mes­
viar seus males, embora com a condição mas motivações, idéias e crenças.
Netuno e a clarividência
A posição de Netuno em um mapa astral, como acontece com a de Mercúrio, Saturno e a Lua,
pode nos ajudar a valorizar o nível de clarividência de um ser.

que, da mesma forma que Urano e Netuno, do qual sabemos que indica
N etuno é um astro de qualidades
complexas. O que este revela em
um mapa astral quase sempre faz re­
Plutão, Netuno se integrou recente­
mente ao Zodíaco; suspeita-se que
a capacidade de transformação de que
um indivíduo é capaz, a questão re­
ferência às profundidades da alma do este planeta tenha sido criado há apro­ side cm saber se nos permite avaliar
ser em questão. Por isso é difícil falar ximadamente 3.500 anos. Estes três e definir outro aspecto de sua perso­
de sua influência sem cair em abs­ novos astros descobertos pelos astrô­ nalidade: sua clarividência.
trações. N o entanto, embora atual­ nomos foram recuperados, por assim
mente não se preste muita atenção à dizer, pelos astrólogos modernos para, A EQUAÇÃO MÁGICA
vida interior, pois preferimos falar de segundo eles, completar os regentes DA CLARIVIDÊNCIA
psicologia, reflexos do comporta­ do Zodíaco. Assim que, durante mais Em primeiro lugar, devemos nos pôr
mento e condicionamentos, ainda fa­ de 3.400 anos, o Zodíaco bastou-se a de acordo com o termo, pois nem
zemos referência a aquilo que se pro­ si mesmo c os astrólogos tinham mais sempre foi utilizado adequadamente.
duz em nós, apesar de ser próprio de que o suficiente com os 7 astros que Clarividência é um termo relativa­
nós. É como se quiséssemos justificar o regiam. N o entanto, acharam opor­ mente recente, pois data do século XVI.
e dar explicações racionais a fenôme­ tuno acrescentá-los. Tal fato partia de Utilizou-se para designar um ser que
nos que, em realidade, não se podem uma louvável intenção, mas engana­ possuía o dom da adivinhação. N o en­
medir e continuam sendo irracionais. ram-se ao encontrar qualidades pri­ tanto, em um princípio, o clarividente
Quanto a Netuno, a questão c a se­ mordiais em Urano, Netuno e Plutão, era um ser dotado de uma aguçada
guinte: somos capazes de definir o in­ pois estas são quase sempre comple­ visão em sentido figurado, isto é, pers­
definível? Sc fazemos um esforço mentares e diferentes dependendo de picaz. Podemos, portanto, dizer que o
neste sentido, não corremos o perigo cada indivíduo. N o que se refere a clarividente foi considerado por nos-
de parecer confusos ou cair na ten­
tação das simplificações? Com res­ Todos estes fenômenos que se produzem em nós e, apesar de ser nosso,
peito a isso, reforçamos novamente pertencem ao âmbito de Netuno.
nossos antepassados um ser com uma boa velada pela posição de N e t u n o no Percepção
capacidade de discernimento. A pers­ mapa astral. e destaque as características indicadas
picácia é uma qualidade atribuída a Dito de outra maneira, podemos le­ pela posição da Lua no signo, na Casa
Mercúrio e a capacidade de discerni­ vantar a seguinte equação: e por seus eventuais aspectos no mapa
mento quase sempre a encontramos ao perspicácia + lucidez + percepção = cla- astral.
falar de Saturno. Isso é facilmente rividência. 0 Faça a síntese de todas estas inter­
compreensível. A cada astro corres­ O que vem a significar: pretações, resumindo-as, se possível,
pondem suas qualidades específicas. em uma frase curta.
Portanto, como é possível que Netuno, 0 Destaque as indicações proporcio­
que revela sutis mecanismos interio­ nadas por Netuno no signo, na Casa e
res, pode absorver ao mesmo tempo Mercúrio Saturno Lua Netuno por seus eventuais aspectos no mapa
qualidades próprias de Mercúrio e de astral.
Saturno, as quais, juntas, derivam do COMO MEDIR
poder de concentração? N o entanto, é A CLARIVIDÊNCIA
exatamente daí que uma conjunção DA QUAL UM SER
Mercúrio-Saturno em um mapa astral É CAPAZ?
acentua a capacidade de concentração Assim, se você quiser medir o
da qual um ser é capaz, assim como seu grau de clarividência de um in­
sentido inato de reflexão e de dedução, divíduo, cujo mapa astral está es­
seu espírito de análise, de síntese c sua tudando, isto é, sua perspicácia,
mente lúcida. sua lucidez, sua capacidade de
Como se pode ver, nos encontramos discernimento ou, se preferir, de
longe dos transtornos emocionais que discernir o verdadeiro do falso,
caracterizam a Netuno e que às vezes avaliar seu nível de percepção I
sufocam o indivíduo de tal maneira dos seres e das coisas — todas
que não vê nada claro com respeito a elas qualidades que, juntas,
ele, que se angustia sem razão, que é podem dar-lhe a capacidade de
incapaz de compreender as coisas ob­ adivinhar a evolução natural
jetivamente e também de se auto-ana­ dos seres que conhece ou fre­
lisar com objetividade. qüenta — e conhecer o de­
De fato, o resultado do que acabamos senlace lógico dos fatos, acon­
de descrever com relação à fusão Mer­ tecimentos e circunstâncias i
cúrio-Saturno é que a perspicácia c a de sua vida, não se conforme I
lucidez são suas maiores qualidades. com levar em consideração
Logo, não temos mais que acrescentar exclusivamente a posição de
qualidades insuspeitas, embora sejam Netuno, mas sim que deve
dificilmente identificáveis em um ser, proceder da seguinte
para obter uma equação mágica: a per­ forma:
cepção. 0 Divida em quatro partes
O que é a percepção? Temos que en­ uma folha cm branco.
trar novamente de acordo com o 0 Na primeira parte, es­
termo. Em um princípio, significava creva a palavra: I
"ação de colher e recolher". Mais tarde, Perspicácia
tomou o sentido de "ter conhecimento e destaque as indicações relativas à po­ 0 Na quarta parte, escreva a palavra:
de fatos, objetos ou seres que produ­ sição de Mercúrio no signo, na Casa e Clarividência
zem uma forte impressão em nossos nos eventuais aspectos no mapa astral. e faça novamente uma síntese da pri­
sentidos". Neste caso, nos encontra­ 0 Na segunda parte, escreva: meira síntese que você realizou ( 0 ) ,
mos no terreno das qualidades próprias Lucidez e acrescente as informações relativas à
e caraterísticas da Lua: impressões e e destaque as informações reveladas posição de Netuno ( 0 ) .
sensações. pela posição de Saturno no signo, na Agora você já está em condições de
Eram, precisamente, as qualidades que Casa e por seus eventuais aspectos no medir onde, quando e como o indi­
nos faltavam, cujo resultado é a clari­ mapa astral. víduo em questão é ou não é capaz de
vidência da qual um ser é capaz, re­ 0 Na terceira parte, escreva: ser clarividente.
Plutão, o instinto
e a inteligência da vida
A posição de Plutão no mapa astral é o que nos revela a parte de instinto
que todos trazemos conosco.

C omo já mencionamos com fre­


qüência, Plutão ainda é objeto de
estudo para os astrólogos modernos.
Para isto, nos parece bom precisar uma
vez mais que o Zodíaco, tal como nos­
sos antepassados o constituíram, se
antigas, inteiramente fundamentada no
fato de que o regiam 7 astros, sendo
7 e 12 os dois Números sobre os quais
De fato, não só ainda não deu a volta bastava a si mesmo e ainda contém se baseava toda sua estrutura.
completa ao Zodíaco desde que foi uma lógica simbólica intrínseca, uma Certamente, a astrologia, como qual­
descoberto pelos astrônomos, e inte­ das bases da cultura das civilizações an­ quer ciência humana, vai evoluindo ao
grado no mesmo pelos astrólo­ longo dos séculos.
gos, mas também tem sido ob­ Pesquisadores e descobridores
jeto de tantas especulações, às podem encontrar e revelar
vezes obscuras e aterradoras, novos e enriquecedores valores.
que desde o começo provocou Mas, da mesma forma que, por
uma grande confusão e inúme­ razões evidentes, não podería­
ros mal-entendidos. mos acrescentar uma nota
De qualquer forma, tanto em musical suplementar à escala
astrologia como em outros se­ musical, embora as combi­
tores do saber e das ciências hu­ nações harmônicas que pode­
manas, é muito difícil resistir às ríamos obter ou criar a partir
simplificações... e todos sabe­ da mesma foram inúmeras,
mos que os tópicos nunca mor­ tampouco podemos acrescen­
rem. tar um astro para reger o Zo­
Por outro lado, diante de um díaco, com o simples pretexto
astro, por assim dizer, tão novo, de que somente tem 12 signos
todas as especulações estão per­ e 7 astros.
mitidas e todos nos sentimos Por isso, mais uma vez e para
com autoridade para projetar reforçar, lembremos que Ura­
nossos próprios fantasmas com no, N e t u n o e Plutão são um
respeito a este astro, que julga­ pouco como os sustenidos c os
mos oportuno definir como o bemóis, que representam um
regente único do signo Escor­ papel importante na harmonia,
pião, signo que, por outro lado, oferecendo às vezes algumas
para os astrólogos, não se en­ uniões entre as notas de re­
contra entre os mais santos. conhecida importância, mas
Resumindo: aqui reunimos to­ que não são notas e, conse­
dos os ingredientes e fatores qüentemente, se subentende
para atribuir a Plutão caracte­ que do ponto de vista astroló­
rísticas, se não sombrias, pelo gico não são astros cem por
menos ambíguas. cento.
E com maior motivo ao levar o
nome latino de um deus grego, Plutão, regente do signo de
Hades, que também tinha uma Escorpião, não é outro senão
nefasta reputação. Tentaremos, Hades, o deus do reino dos
portanto, fazer-lhe justiça. mortos.
PLUTÃO, O INSTINTO bemos que os insetos, depois das bac­ comunicam entre si e participam na
E A INTELIGÊNCIA DA VIDA térias, são as espécies vivas mais antigas grande corrente da vida que o homem
Dizer que Plutão é uma representação que povoaram a Terra c também as mais contemporâneo está rompendo peri­
do instinto é uma afirmação vaga. É resistentes, pois sobreviveram a todos gosamente em alguns lugares sem dar-
preciso saber que esta palavra ("ins­ os desastres geológicos ou climatoló¬ se conta, provocando conseqüências
tinto"), à qual quase sempre damos o gicos que se produziram cm nosso pla­ a longo prazo que hoje em dia não es­
sentido de inclinação natural ou de neta. Sabemos igualmente que a maio­ tamos em condições de avaliar de ma­
tendência inata irreprimível, tem sem ria dos insetos voadores que possuem neira razoável.
dúvida uma raiz de origem indoeuro¬ um ferrão, como os mosquitos, algu­ O que é ao mesmo tempo um condi­
péia na palavra stig, que significa mas moscas, as abelhas e as vespas, por cionamento reflexo e uma inteligência
"picar", de onde saiu o verbo latino ins¬ exemplo (mas existem evidentemente vital, é o que a maioria das vezes cha­
tingere, a partir do qual formamos "ins­ muitas outras, pois só a mosca há mais mamos de "instinto". Este instinto pró­
tigação", isto é, "ação de incitar ou im­ de 100.000 espécies), possuem células prio da vida não se pode medir com
pulsionar alguém a fazer algo". É sensoriais olfativas de uma sensibili­ escalas de valor moral de espírito hu­
sempre bom compreender como se dade extraordinária, que lhes permitem mano. É algo que é em si mesmo e que
formou uma palavra c porque nossos detectar um perfume ou um odor a só podemos entender se o observarmos
antepassados a escolheram para desig­ quilômetros de distância. Resumindo, sem intervir, pois no momento em que
nar determinada coisa, pois isso nos poderíamos dizer que cada espécie de intervirmos acabamos por destruí-lo
permite saber o que percebiam atra­ inseto está "presa" ao perfume ou ao
vés de tal termo ou se hoje em dia lhe odor do alimento que necessita e que, A FORCA INSTINTIVA
damos o mesmo sentido. desta forma, sempre o encontra. E CRIATIVA
Se tomamos, portanto, a raiz original Nesta característica, pode-se ver um Embora nos custe fazer uma idéia disso
do termo "instinto", nos remetemos ao reflexo condicionado sem nenhuma sem cair na tentação de simplificações
verbo "picar". Ora, na natureza, quem imaginação, ou talvez uma inteligên­ reducionistas e no estereótipo do ho­
possui um ferrão c os que picam para cia vital que, ao ser ativada, atua sobre mem animal, este instinto ainda existe
se alimentar ou se defender em caso de todos os princípios viventes que a em todos nós. Na maioria das vezes,
perigo são os insetos. Hoje em dia, sa­ constituem, de maneira que estes se o homem o combate com razão, pois
nos negamos a crer ou a admitir que
nos regemos por leis que não somos
capazes de controlar.
N o entanto, parece que quanto mais
ignoramos, repudiamos ou lutamos
contra o instinto, mais as forças se­
cretas nele encerradas se voltam con­
tra nós. Desta forma, o instinto oculto
se mostra destruidor ou autodestrui¬
dor exatamente onde, no entanto, se
apresenta como uma força que impul­
siona na direção da vida c da perpe­
tuação. E não é o menor dos parado­
xos o homem ter engendrado nele sua
própria força de destruição, lutando
contra uma parte de si mesmo que as­
pira à vida.
N o entanto, e também curiosamente,
é ao aproveitar esta força inerente em
qualquer tipo de vida na Terra que o
homem pode produzir um ato criador,
pois a força do instinto é fundamen­
talmente criadora. Assim, portanto,
Plutão em um mapa astral nos infor­
ma sobre a força instintiva e criadora
do ser.
As grandes correntes coletivas
e os fatores geracionais
Urano
Dizemos que Urano, Netuno e Plutão representam os fatores geracionais, pois cada um transita
durante muitos anos por um mesmo signo do Zodíaco e porque muitos de nós nascemos enquanto
um destes astros estava presente em um mesmo signo.

E mbora Urano, Netuno e Plutão


desempenhem papéis secundários,
apesar de sutis e complementares aos
astros nem as inscrições de um ou outro
mapa astral que determinam nosso des­
tino ou decidem nossa sorte. Estes não
Pensando bem, nos damos conta de que
todos tratamos com todos e que, em
um momento ou outro, alguém inter­
realizados por outros astros, como por fazem senão refletir e revelar o que vém junto a nós ou desempenha um
exemplo Saturno, Júpiter e Marte, não somos ou em que correntes coletivas grande papel em nossa vida, como se
é exagero que um dia cheguemos a con­ nos situamos ou nos vemos implicados, existisse uma sutil corrente, um laço
siderar que intervêm de modo flagrante pois, quer queiramos quer não, embora misterioso que une os seres entre si. Por
em nosso mapa astral no tocante a as­ não estejamos condicionados, é verdade mais incrível ou insuportável que isto
suntos universais, isto é, os relativos a que nos encontramos, pelo menos, in­ possa parecer para alguns — que se
correntes, movimentos e acontecimen­ fluenciados por nossa época, o meio em negam a acreditar que no mundo, no
tos de ordem coletiva. Achamos opor­ que nascemos e crescemos, o contexto universo, podemos ler tudo como cm
tuno lembrar, a este respeito, um grande cultural, econômico e social em que um grande livro aberto —, um mapa
princípio astrológico que nunca deve­ evoluímos. Mas, podemos dizer que de­ astral ou um mapa do céu nos propõem
mos perder de vista: tanto se você está pendemos em maior ou menor medida uma leitura ou interpretação particu­
estudando o mapa astral de uma pessoa de nosso caráter e personalidade. Da lar daquilo que somos, assim como do
como se estiver estudando um mapa as­ mesma forma, ninguém, por mais sin­ contexto geral e comum no qual nos si­
tral relativo a um acontecimento ou a gular, individualista, forte ou imper­ tuamos, vivemos e evoluímos.
movimentos coletivos, sempre se en­ turbável que seja, pode mostrar-se to­
contrará face a uma configuração sim­ talmente insensível ao que acontece ao Se admitimos que os astros refletem o que
bólica que representa uma realidade hu­ nosso redor e aos seres que freqüenta somos, podemos ler um mapa astral como
mana. Em outros termos, não são os e com os quais se relaciona. sefosse um livro.
URANO, Um ciclo e um século em torno de Urano
UM FATOR GERACIONAL De janeiro de 1905 a outubro de 1912 Urano em Capricórnio.
A revolução zodiacal de Urano é apro­ De novembro de 1912 a dezembro de 1919 Urano em Aquário.
ximadamente de 80 anos. Isto significa De janeiro de 1920 a março de 1927 Urano em Peixes.
que, em média, permanece pouco mais De abril de 1927 a março de 1935 Urano em Áries.
de 6 anos e meio em um mesmo signo De abril de 1935 a abril de 1942 Urano em Touro.
do Zodíaco. Por isso, durante 6 anos e De maio de 1942 a maio de 1949 Urano em Gêmeos.
meio, todas as crianças que nasçam na De junho de 1949 a maio de 1956 Urano em Câncer.
Terra, onde quer que estiverem, com­ De junho de 1956 a julho de 1962 Urano em Leão.
partirão a situação de Urano em um De agosto de 1962 a setembro de 1968 Urano em Virgem.
mesmo signo do Zodíaco em seu mapa De outubro de 1968 a agosto de 1975 Urano em Libra.
astral. De setembro de 1975 a outubro de 1981 Urano em Escorpião.
Por exemplo, depois de ter feito uma De novembro de 1981 a maio de 1988 Urano em Sagitário.
incursão muito breve no signo de Sa­
gitário em fevereiro de 1981, Urano o qual não é outra coisa senão o espelho razão de ser. De maneira que, em um
entrou ali completamente cm novem­ da alma e da personalidade, da vida e da dado momento, uma mesma geração,
bro do mesmo ano. E só saiu defini­ existência de um ser. que traz consigo novos valores comuns,
tivamente em maio de 1988. Assim, Acreditamos que a noção de fatalidade, pode sentir a necessidade de pôr tudo
tardou quase 7 anos em atravessar o tal como se entende hoje, é apenas uma em dúvida. Basta uma chispa para que
signo de Sagitário, e durante estes 7 expressão da preguiça, da negligência, se produza uma espécie de reação em
anos, de novembro de 1981 a maio de da indolência e da impotência às quais cadeia nas consciências de toda uma ge­
1988, todas as crianças de nosso planeta achamos estar reduzidos ou, mais exa­ ração, sendo a geração precedente a que
têm Urano em Sagitário em seus mapas tamente, às quais tendemos a nos re­ resiste e a que, por sua vez, comparte
astrais. É a isto que se denomina um signar. Mas, obviamente, sempre do outros valores e convicções comuns.
"fator geracional". ponto de vista do coletivo, Urano in­ Obviamente, e por sorte, a noção de
tervém e se manifesta quando as tensões progresso, que sempre vem unida a
URANO E AS GRANDES acumuladas são tais que não podem Urano, não se expressa sistematica­
CORRENTES DE ORIGINALIDADE, fazer senão explodir. Alguns carregam mente em forma de violência. Também
DE REBELIÃO E LIBERDADE a chama da rebelião e encarnam uma a encontramos nas invenções, ino­
De um ponto de vista coletivo, Urano violência ou participam mais dela que vações, novas técnicas, tecnologias de
traz dinamismo às consciências, desperta os outros, mas afeta a todos ao mesmo ponta, em tudo aquilo que faz o homem
e sacode os espíritos dormentes, favo­ tempo. Neste momento, estamos fa­ mais capacitado e mais livre. Mas, no
rece os impulsos, às vezes levando a atos lando de história. momento de realizar uma mudança de
de rebelião, de violência ou destruição. Do ponto de vista astrológico, os cha­ direção decisiva ou de produzir uma
Com muita freqüência, tendemos a mados acontecimentos históricos sem­ ruptura, Urano sempre está presente
acreditar que a violência é uma fatali­ pre são previsíveis, já que está na na­ e envolvido nisso.
dade, um acontecimento do destino, e tureza humana o exercer pressões c
que não podemos evitá-la. Por nossa repressões, comportar-se de forma con­ O que Urano mostra, entre outras coisas
parte, não damos uma interpretação fa­ servadora até chegar ao ponto de que­ de ordem coletiva, é o espírito de rebeldia
talista da história e não vemos nenhuma rer salvaguardar a todo custo os valo­ de toda uma geração, um vento de
fatalidade na leitura de um mapa astral, res ou os elementos que já não têm liberdade.
As grandes correntes coletivas
e os fatores geracionais
Netuno
N ão é, sem dúvida, por acaso que,
segundo os astrólogos, Netuno
sirva de pretexto para os grandes delí­
rios e fantasmas. De fato, que melhor,
falando-se de caos, que encontrar-se
entre os elementos incompreensíveis
que o constituem, partindo de um
ponto concreto ou de uma situação bem
definida, mas sem saber onde se vai
parar, para acabar em parte nenhuma
ou encontrar-se diante da noção ver­
tiginosa e impensável do infinito?
As características próprias de Netuno,
tal como os astrólogos as definiram nos
começos do século XX , época em que
a psicanálise e a psicologia davam seus
primeiros passos, nos levam ao limite
da loucura ou, às vezes, nos submer­
gem em zonas onde a consciência e a
razão estão submergidas, afogadas e
aniquiladas. Netuno provoca uma es­
pécie de dilatação, exagero, exacerbação
e aberração da consciência que, no pior
dos casos, priva o indivíduo de discer­
nimento, lucidez e medida, e no me­
lhor dos casos revela autênticos dotes
de clarividência, uma inspiração má­
gica e uma imaginação intuitiva sem
limites.
símbolo que contém indicações con­ mos viver entre dois mundos, passando
Mais uma vez, devemos destacar o fato cretas, relativas à constituição física e de um para o outro, tomando partido,
de que Netuno em um mapa astral não metafísica, ou se prefere, falando em agora por um, mais tarde por outro,
representa nada em si mesmo. Não se linguagem moderna, referentes à cons­ mas tanto se nos situamos em um
pode observar este formoso astro no te­ tituição corporal c psicológica do ser como em outro pólo, nunca consegui­
lescópio e dizer: "é meu planeta". N e ­ humano. remos encontrar referências suficien­
tuno não é o planeta de ninguém. Os temente sólidas, profundas e genero­
astros não pertencem a ninguém. É A TRANSFORMAÇÃO sas para enfocar ou compreender a
possível que se pertençam a si mesmos É 0 IMUTÁVEL realidade deste mundo tal como é, isto
em um nível de consciência que nos Nunca devemos esquecer que a visão é, ao mesmo tempo em mudança e per­
escapa, mas é talvez tão real como o mítica e simbólica de nossos antepas­ petuamente em evolução e, no entanto,
nível e consciência que percebemos e sados, quanto à realidade deste mundo, imutável, repetitivo e conservador. De
aprendemos comumente. não é totalmente antinômica com res­ fato, é um dos grandes princípios da
Em todo caso, Netuno, tal como o en­ peito à interpretação científica atual. Se vida e, ao mesmo tempo, o supremo
tendemos astrologicamente, só é um admitíssemos isto, já não necessitaría­ paradoxo da vida, o que nos empurra a
tomar consciência de que, aqui em signo. Assim, por exemplo, todas as De fato, embora o indivíduo adote às
baixo, nunca muda nada embora tudo crianças da terra nascidas entre janeiro vezes atitudes passionais e tenha rea­
esteja em perpétuo movimento. Sem de 1984 e janeiro de 1996 têm Netuno ções excessivas deixando-se levar pelas
dúvida, é o que nossos longínquos an­ situado no signo de Capricórnio cm emoções, todas estas características
tepassados, que compreenderam e me­ seu mapa astral. próprias de Netuno, também é certo
diam a existência deste fenômeno pa­ Desta maneira, se estudamos as carac­ para aquelas pessoas ou comunidades
radoxal, quiseram nos transmitir ao terísticas fundamentais reveladas por que, às vezes, caem na mais extrema
afirmar que "a transformação é imu­ Netuno neste signo, podemos indagar auto-sugestão, enganam-se ou deixam-
tável". Observe uma corrente de água quais são as correntes religiosas, espi­ se arrastar por crenças perigosas.
ou analise o céu durante algumas horas rituais, filosóficas ou místicas que in­ Mas, por sorte, como já sublinhamos,
deitado no chão, sem mover-se, e você fluirão nas crenças, idéias e convicções o grande princípio ao qual corresponde
compreenderá o que significa. E tal desta geração de indivíduos que terá Netuno é o da transformação, que uti­
significado, justamente, remete às qua­ mais ou menos 50 anos no ano 2040. liza mudanças constantes ou uma evo­
lidades que os astrólogos atribuem a Igualmente, sempre nos baseando nas lução permanente.
Netuno. qualidades próprias de Netuno neste
signo, podemos avaliar a natureza dos
NETUNO, transtornos neuróticos de que esta ge­ A mais bela representação natural,
UM FATOR GERACIONAL ração sofrerá. Voltaremos em breve a embora também simbólica,
E se isto acontece no âmbito individual, este ponto e teremos então a oportu­ da transformação de Netuno é,
é mais ainda correto onde as grandes nidade de estudá-lo em mais detalhes. sem dúvida, a da metamorfose.
correntes de pensamento unem os
seres, quase sempre inconsciente­
mente, e os levam a perceber, selecio­
nar ou aprovar o mesmo no mesmo
momento; portanto, se cada um de nós
tem a vaidade de crer que é o único que
se encontra em determinada situação,
o único que escolhe um produto em
vez de outro e o único que cantarola
determinada melodia, está, na verdade,
muito equivocado.
Tudo que está relacionado com a co­
modidade material e moral que nos é
oferecido atualmente neste mundo
procede, em grande parte, do fato de
que a cada dia que passa é maior o nú­
mero dos que sentimos as mesmas ne­
cessidades, experimentamos as mesmas
sensações, pensamos o mesmo, quais­
quer que sejam nossas opiniões e con­
vicções pessoais, embora tenhamos a
ilusão de acreditar que somos diferen­
tes dos demais. Estas são as infor­
mações que Netuno nos revela em um
mapa astral, e por isso está considerado
um fator geracional, ainda mais quan­
do, da mesma forma que Urano, mas
em maior medida, sua revolução zo­
diacal é muito mais longa, porque tarda
aproximadamente 165 anos em dar
uma volta completa ao Zodíaco e por­
que permanece durante pouco menos
de 14 anos em média em um mesmo
As grandes correntes coletivas
e os fatores geracionais
Plutão
Plutão, mais que qualquer outro astro, nos informa sobre as grandes correntes coletivas que levam
uma geração a atuar ou reagir de uma forma determinada.

D evemos a Carl Gustav


Jung, um dos fundado­
res da psicanálise, o estabe­
Do ponto de vista coletivo,
Plutão em um mapa do céu
revela este laço sutil que
lecimento de um princípio une a todos os seres vivos
muito difícil de avaliar cien­ da Terra, sem que eles o
tificamente, mas que projeta saibam.
a luz da verdade sobre cada
um de nós. De fato, algumas percebemos, às vezes de
invenções ou criações rece­ forma inefável, sem tentar
bem uma aprovação quase realmente compreender sua
imediata, como se as conhe­ verdadeira natureza, este fe­
cêssemos inclusive antes de nômeno muito estranho
surgirem na imaginação de que nos faz pensar, ver, ex­
um ou vários seres, de ma­ perimentar e viver a mesma
neira que todos nos reco­ coisa no mesmo momento,
nhecemos nelas. às vezes a milhares de quilô­
Este é o caso da noção do in­ metros de distância. Embora
consciente coletivo. A maio­ experimentemos ou vibre­
ria de nós não sabemos o que mos com o som do mesmo
significa, mas pensamos e diapasão, não é por isso que
sentimos que contém algo de deixamos de experimentar e
verdade e que tem a ver com vibrar de forma única, sin­
algo que conhecemos. gular ou, como se costuma
dizer, pessoal.
0 INCONSCIENTE Por isso, o que quase sem­
COLETIVO pre acontece conosco é que
Assim, tudo que existe, isto nos fazemos a ilusão ou em­
é, tudo que forma parte de barcamos na vaidade de
nossa vida cotidiana, tudo acreditar que somos os úni­
que vemos diariamente, é cos que nos sentimos emo­
como se já existisse ante­ cionados, cativados, impres­
riormente em cada um de sionados ou interessados.
nós, como se tivesse sido extraído de Jung, é um laço sutil, secreto e im­ U m exemplo muito ilustrativo disto é
nós mesmos e que, mais tarde, uma palpável, que une a todos os seres vivos o fenômeno que se produz quando nos
mão um pouco mais hábil ou ilustrada da Terra entre si, sem eles saberem, isto reunimos em uma sala de projeção e
que as demais o tivesse levado até a su­ é, sem que sejam conscientes disso. olhamos o mesmo filme, rimos c cho­
perfície. Assim, de forma simples e es­ N o entanto, o fato de não serem cons­ ramos, segundo o caso, ao mesmo
quemática, podemos considerar que cientes não significa que não sabem. tempo. Sem nenhuma dúvida, o ro¬
este princípio enunciado por C. G. Mais uma vez, todos nós sentimos ou teirista e o diretor da película anteci-
anteciparam nossas reações e sentimentos.
Por isso, cada cena do filme foi con­
cebida com muita criatividade ou sim­
plesmente, muita verdade, que os cria­
dores do filme sabiam que teria um
efeito inevitável sobre o público.
Mas, não acaba acontecendo o mesmo
na vida ou na realidade, quando alguns
acontecimentos afetam a imaginação
coletiva com tanta veracidade que
quase provocam a unanimidade a favor
ou contra?
Assim, qualquer que seja nossa raça,
cultura, crenças, convicções e modo de
viver e pensar, temos uma estrutura ge­
nética c psicológica — graças à qual pa­
rece que somos todos frutos de uma
mesma árvore — e compartimos tam­
bém os mesmos sentimentos, preocu­
pações, motivações, impulsos, embora
cada um de nós os expresse à nossa ma­
neira e segundo nossos próprios cri­
térios. Isto é o que nos revela Plutão
em um mapa astral: a parte de nosso
ser, esse ponto concreto onde nossas No ano 2000, dezenas de milhões de indivíduos terão Plutão em Virgem em seus
preocupações íntimas e pessoais se respectivos mapas astrais.
unem às que compartimos com os de­
mais seres de nossa geração, não so­ Voltemos agora para descobrir juntos Virgem é o signo que ressalta a questão da
mente com os que se encontram em a interpretação de Plutão no signo de identidade, em um momento em que,
nossa região e país, mas com todos os Virgem que, obviamente, afeta aquele por exemplo, uma nova Europa está
que vivem na Terra, no mesmo mo­ indivíduo que tenha este astro em tal sendo criada e, por conseguinte, seus
mento que nós, sobretudo com os que posição em seu mapa astral. Podemos habitantes estão se comprometendo
têm Plutão no mesmo signo em seus dizer que o que é certo para um indi­ em uma causa comum, supomos que
respectivos mapas astrais. víduo também é certo, e às vezes in­ os habitantes de cada nação que cons­
clusive mais, a nível coletivo, sobre­ titui a Europa serão vítimas de uma
0 EXEMPLO DE PLUTÃO tudo quando se trata de um fator crise de identidade, de atitudes fecha­
EM VIRGEM geracional, como é o caso de Plutão, das e de uma maior preocupação jus­
Utilizemos o exemplo de Plutão, que evidentemente. tamente por preservar sua identidade.
permaneceu no signo de Virgem entre Nos conteúdos relativos a Plutão em É uma das características das correntes
setembro de 1957 e setembro de 1971, Virgem, poderemos descobrir que, no coletivas que nos revela a presença de
isto é, durante 14 anos. indivíduo em questão, a necessidade Plutão em Virgem e que afeta, por­
Como acabamos de explicar, todas as de prever, calcular e proteger-se sai re­ tanto, as preocupações de, pelo menos,
crianças que nasceram durante este forçada. Em suas palavras-chave lere­ 50 milhões de pessoas na Europa.
longo período, tinham Plutão em Vir­ mos: "forças psíquicas utilizadas com Assim, são previstas crises de identi­
gem em seus respectivos mapas astrais. fins conservadores, fechado em si dade até finais do ano 2007, em que
Deste modo, no ano 2000, os mais j o ­ mesmo, agudo sentido do presente, ex­ Plutão transitará pelo signo de Sagi­
vens deles terão 29 anos e os mais ve­ trema necessidade de preservação". tário, na quadratura com Plutão e Vir­
lhos terão 43 anos. Se levarmos em Disto podemos deduzir que se trata de gem, fato que tomamos como exem­
conta que a população mundial atual uma geração preocupada pela segu­ plo, deduzindo que toda esta geração
supera os cinco bilhões de indivíduos, rança material e moral vítima das dú­ experimentará tensões e um mal-estar
quantos milhões pertencerão a esta vidas existenciais, que tende a adotar que a levará a adotar atitudes fecha­
faixa etária de 14 anos? Dezenas ou atitudes fechadas c com uma necessi­ das e conservadoras para preservar-se
centenas de milhões, sem dúvida. dade vital de preservar-se. Como Vir­ e sentir-se segura.
A astrologia kármica

Astrologia e karma
A astrologia kármica é um bom método de investigação para nos ajudar a compreender melhor em
que consistem o destino e o livre arbítrio, e como estes se inscrevem em nosso mapa astral.

P ara começar, devemos


ter cuidado com a asso­
ciação entre astrologia e kar­
Ora, em uma época em que
nunca o número de habi­
tantes da Terra foi tão gran­
ma, pois este enfoque, ba­ de, em tempos em que existe
seado no estudo do mapa um verdadeiro problema de
astral sob o ponto de vista do sobrevivência para a huma­
karma, dá lugar a confusões nidade e para a realização do
e suscita especulações total­ indivíduo — o qual se sente
mente descabidas, a ponto mais ou menos, e contra sua
de nos falar de vida anterio­ vontade, sufocado entre a
res. Mas, na maioria das ve­ massa de milhões e milhões
zes, você vai observar que as de seres humanos que po­
vidas às quais faz alusão, que voam nosso planeta —, co­
são as nossas, têm sempre mo poderíamos encontrar
algo de benéfico ou gratifi­ soluções, novos valores, no­
cante. Assim, descobrimos vas referências sem olhar pa­
que em uma vida anterior ti­ ra nosso passado, para nossa
vemos uma existência feliz, história, para a vida dessas
brilhante ou confortável, e mulheres e desses homens,
como abusamos de certos nossos antepassados que, no
dons, poderes, riquezas ou
fundo, tinham as mesmas
privilégios, fomos obrigados
preocupações que nós, em
a renascer na Terra para re­
uma outra escala e em uma
dimir nossas faltas. Neste
outra época?
caso, devemos salientar que
Precisamos, portanto, olhar
na mente das pessoas, e par­
para o passado para dele ex­
ticularmente na daquelas
trair lições, experiências hu­
que acreditam na astrologia
manas. Daí a nos identificar­
kármica, as noções de pe­
mos com este ou aquele
cado, de dívida a pagar, de falta a re­
Na roda da vida, a personalidade de um personagem é só um passo, que o mau
dimir, são as que prevalecem. N o en­
ser depende dele, mas também dos outros uso da astrologia kármica, mal inter­
tanto, não devemos abordar este tipo
e das circunstâncias. pretada ou utilizada com fins comer­
de astrologia deste ponto de vista, pois
corremos o risco de nos deslumbrar­ ciais, nos levará a dar.
mos ou de nos deixarmos enganar. o interesse pela história, principal­ Mas a astrologia kármica não é isso.
mente pelos relatos e romances his­ Quando estudamos um mapa astral do
tóricos, está em alta. Na vida cotidiana, ponto de vista de tais princípios, de­
A ASTROLOGIA, feliz ou não, dos homens e das mu­ vemos nos desligar de todas essas
0 KARMA E 0 MAPA ASTRAL lheres do passado, encontramos as raí­ noções de pecado, faltas e erros co­
O passado tem algo de mítico e de zes e os pontos de referência — não só metidos em um passado hipotético;
confortável, pelo simples fato de nos históricos, mas também morais e es­ não devemos acreditar que uma alma
permitir que nos evadamos do nosso pirituais — que tínhamos perdido e reencarnada está aqui para pagar seus
presente, algumas vezes demasiado que, infelizmente, estão ausentes de pecados e redimir-se deles. Pois, se le­
apressado ou inquietante. Atualmente, nossas sociedades contemporâneas. vássemos este raciocínio ao extremo,
chegaríamos à conclusão de que todos investigação ao serviço da in­
os seres humanos presentes hoje em terpretação do mapa
dia na Terra são culpados de alguma astral. Estes dois gran­
coisa. des princípios ba­
Seu mapa astral nunca lhe irá permitir seiam-se, por um la­
que saiba quem você era fisicamente em do, nas posições dos
uma vida anterior, se é que houve al­ Nodos Lunares Norte
guma. Entretanto, se você quiser com­ e Sul no mapa astral
preender e saber melhor quem é e como — sua situação nos
é atualmente, quais são seus bons e signos, nas Casas e os
maus reflexos de comportamento, qual eventuais aspectos
é sua experiência, quais são seus dons que formam com os
e suas qualidades, mas também suas outros astros ou pon­
carências, defeitos, fraquezas, como tos fictícios — e, por
pode comportar-se consigo mesmo para outro lado, nas po­
explorar os primeiros sem ter que so­ sições dos astros re­
frer os segundos, então encontrará tudo trógrados, isto é, aqueles dos quais se Saudação a Brahma, o deus hindu criador
escrito em seu mapa astral. tem a impressão que retrocedem no de todas as coisas.
Desta forma, os princípios da astrolo­ Zodíaco durante certos períodos do
gia kármica, adaptados ao estudo e à in­ ano. plementares as informações que pos­
terpretação do mapa astral, poderão Por último, é necessário entender o sam nos levar a estudar e interpretar
ajudá-lo. karma no verdadeiro sentido desta pa­ um mapa.
lavra sânscrita, que significa literal­ Da astrologia kármica, portanto, limi­
OS DOIS GRANDES PRINCÍPIOS mente "ato". tamo-nos a conservar os elementos que
DA ASTROLOGIA KÁRMICA Segundo os hindus, obviamente, o revelam o que o Samskâra contém, os
De fato, para fazer um bom uso da as­ karma é a conseqüência do que eles quais resumiremos em um conceito:
trologia kármica, você precisa pôr sua chamam Samskâra. Com este termo eles integram o conjunto de qualida­
técnica e seus elementos de investi- definem o conjunto de impressões, des — no sentido do que "qualifica"—
tendências, gostos, expressões e po­ boas e más a um ser, as quais são as cau­
tencialidades de todo o tipo, que a per­ sas dos reflexos do comportamento; ou,
Destino e livre arbítrio sonalidade de um ser possui desde o em outras palavras, fazem referência às
0 homem aspirou sempre a ser dono de dia do seu nascimento, ou seja, o que qualidades e aos defeitos pessoais, os
si mesmo, da natureza e de seus ele- guia seus gostos, atitudes, comporta­ quais dependem tanto do indivíduo e
mentos. Hoje, mais do que nunca. En- mentos, pensamentos, desejos, moti­ de seus atos, como dos outros e das cir­
tretanto, os sábios de todos os tempos, vações e atos de sua vida atual e futura, cunstâncias.
de todas as civilizações e de todas as cul- conjunto que teria ramificações ou ori­ Trata-se, portanto, das bases da perso­
turas deram a entender que, na existên- gens em eventuais vidas anteriores ou nalidade de um indivíduo — que só lhe
cia de um ser humano, há uma parte de encarnações do passado. Falamos de pertencem, revelam e dependem dele
livre arbítrio e uma parte de destino. É, modo potencial, pois trata-se de crenças —, da matéria-prima sobre a qual é
efetivamente, a grande lição que pode- específicas, inerentes à religião hindu, possível trabalhar para melhorar e en­
mos extrair da astrologia kármica, que que aplica, evidentemente, uma filo­ riquecer e, ao fazê-lo, poder evoluir e
nos permite ver que parte do indivíduo sofia de vida particular e um ponto de realizar-se.
está nas mãos do destino, ou seja, as cir- vista do mapa astral totalmente orien­ É freqüente manifestar-se através de
cunstâncias e os acontecimentos que tado. uma ambivalência fundamental, sobre
ocorreram ao longo de sua vida e que Desta maneira, os astrólogos ociden­ a qual está baseada a estrutura da per­
estão inscritos nele. tais que se apegaram a este campo de sonalidade. Esta permite-lhe afirmar
Por outro lado, podemos considerar que, investigação da astrologia indiana, às a diferença, a originalidade e a singu­
no final das contas, estes acontecimen- vezes acham positivo interpretar o laridade na expressão do seu destino
tos e circunstâncias são menos impor- karma como um valor absoluto no e do seu livre arbítrio, legíveis em seu
tantes do que a maneira como uma pes- mapa astral. Porém, para evitar qual­ mapa astral.
soa os vive, do que as experiências e as quer confusão e especulação errada a É esta a riqueza de informações que po­
lições que obtém deles, pois é aí que in- partir deste campo de investigação, é demos obter se utilizarmos os princí­
tervém o seu livre arbítrio. mais sensato revelar e reter como com­ pios da astrologia kármica.
A astrologia kármica

O Nodo lunar Norte


e a realização de si mesmo
Existe uma vida anterior? Teremos outra vida? Podemos passar toda uma eternidade
fazendo esta pergunta, mas não será mais importante realizar-se a si mesmo, aqui e agora?

Q uer nos encontremos na era de


Aquário quer não, o certo é que
estamos na era da comunicação.
vamos poder descobrir nossas vidas
anteriores. De fato, se sentimos um
mal-estar em nossa vida, e as expli­
A partir de agora, graças aos inúme­ cações dos psicanalistas ou dos psicó­
ros satélites que circulam sobre nos­ logos — que irão buscar em nossa
sas cabeças, podemos localizar qualquer infância as causas profundas de todos
pessoa, quase a partir de qualquer lugar os nossos traumas, comportamentos e
do planeta. Simultaneamente, as au¬ reflexos — não nos satisfazem; se
topistas da informação e a rede de co­ \ ainda tivermos, apesar de tudo, sede
municações unem todos os computa­ ■ de esperança e de sonhos, de nos ma­
dores do planeta, por pouco que cada ravilharmos e de amar — o que ao fim
um de nós queira fazer contatos. e ao cabo é um mínimo vital —, por
N o entanto, podemos objetar que que não nos convencemos de que em
não é porque dispomos dos meios i outra vida conhecemos melhores
tecnológicos para nos comunicarmos dias? Por que não pensar que nossa ex­
que temos mais coisas que dizer. - periência atual é sem dúvida uma
Assim, no meio da vertigem do pro­ prova e à nossa espera encontra-se
gresso, continuamos a nos perguntar outra mais tolerável?
as mesmas coisas: De onde viemos? Isto acontece, simplesmente, porque a
Quem somos? Para onde vamos? mulher e o homem estão feitos de ma­
Ao estabelecer um diálogo através de neira que não possam viver sem a es­
um monitor ou de um telefone, o perança ou o medo do futuro, o por­
homem vive cada vez mais virtual­ vir que queriam descobrir, desvelar,
mente, de modo que elimina a reali­ conhecer e dominar.
dade, cerceia o contato físico com o Existem métodos e técnicas para fazer
mundo e, antes de mais nada, com seu incursões em nosso passado e, deste
próprio meio natural. Buda representa a encarnação modo, tornar-nos mais suscetíveis para
Em conseqüência, permitirmo-nos da realização de si mesmo. compreender melhor nosso presente
todos os fantasmas e, se não se tiver­ e prever nosso futuro? Infelizmente,
mos cuidado, nos converteremos em comunicar e transmitir revela um pro­ achamos que não.
nossa própria vítima, prisioneiro de fundo desenraizamento, um desen­ Por outro lado, se abordarmos a as­
um mundo abstrato que teremos for­ canto, um medo da realidade material, trologia kármica do ponto de vista do
jado por completo e que, no dia em uma inadaptação à vida, que compensa conhecimento de si mesmo e da nossa
que não tiver nenhuma razão de ser, criando um novo sonho tecnológico: realização pessoal, se quisermos acei­
nos deixará totalmente desarmados. a realidade virtual. tar o fato de que todos estamos mar­
Obviamente, ainda não chegamos a cados, isto é, que cada um de nós tem
este ponto. A LENDA DE NOSSA VIDA marcas e sinais particulares que podem
Isso não impede que pensemos que Esta realidade virtual fomos nós tam­ ajudar-nos a nos descobrir, a nos co­
este frenesi do ser humano por querer bém que a criamos, imaginando que nhecer, a compreender de onde viemos
— não geográfica e historicamente, mas pensamos e agimos, participamos de em comum, que todos somos feitos
espiritualmente, — quem somos — não tudo que vive, respira, pensa e atua à com o mesmo molde. N o entanto, cada
cientificamente, mas humanamente — nossa volta. Também devemos ser ca­ um de nós também alberga aquela pe­
e para onde vamos — não teórica, mas pazes de admitir que, no instante de quena coisa que o torna diferente e que
realmente —, então poderemos desco­ nosso nascimento, já éramos tal como implica que, precisamente — acredite-
brir a informação que nos levará pelo somos hoje. se ou não, apesar da pouca importân­
caminho certo, a lenda de nossa vida. Daí que o mapa do céu estabelecido no cia que se dá a isto hoje em dia —, todo
momento do nascimento seja um pou­ ser humano é insubstituível.
A REALIDADE DE NOSSA VIDA co como um contrato que assinamos É isto que uma investigação sutil e in­
Como toda lenda, a de nossa vida tem com nós mesmos. Se assim for, devere­ teligente de um mapa astral, do ponto
seus pontos fortes, mas também seus mos então reconhecer, em nosso mapa de vista kármico, pode nos ajudar a
remansos de paz e seus períodos difí­ astral, as qualidades — sempre entendi­ compreender, especialmente tendo em
ceis, problemáticos, que nos põem à das no sentido do que qualifica — que conta os nodos lunares nas casas do
prova. Mas para entrar nesta lenda, é só pertencem a nós, as que são de al­ mapa astral.
preciso inscrever-se na realidade da guma maneira inatas e tanto poderiam Para ajudá-lo neste estudo e nesta téc­
vida, sentir-se ao mesmo tempo único ter-se revelado ou manifestado segundo nica, pomos à sua disposição (ver
e solidário. outros critérios, em outras condições, abaixo) um Zodíaco de interpretação,
É uma verdadeira ginástica do espírito. ou ser a conseqüência de combinações que você poderá utilizar uma vez que
Por exemplo, devemos ser capazes de de elementos diferentes. O que que­ tenha calculado, levantado e interpre­
dizer que onde vivemos, respiramos, remos dizer é que todos temos coisas tado seu mapa astral.

A realização de si mesmo nas 12 Casas do céu,


\ sob o ângulo do Nodo Norte
a desenvolver as faculdades sensoriais, o volver suas capacidades psíquicas e para¬
bom gosto e o bom senso. sensoriais, para ajudar aos outros.
Casa IX
Tem que ser curioso com tudo, que apren- Tem que evadir-se, que sair da monotonia,
der a abrir-se para todos, para as idéias dos dos caminhos trilhados, adquirir as pró-
outros, a descobrir, dialogar, ouvir, inter- prias opiniões, convicções, ampliar os ho-
cambiam comunicar e transmitir. rizontes, explorar, procurar, descobrir, apro-
Casa IV fundar as idéias, olhar sempre mais alto
Tem que poder se identificar com naturali- e mais longe.
dade com as raízes ou criá-las você mesmo, Casa X
converter-se em um suporte, em uma pedra Tem que expor-se ao olhar dos outros, par-
angular, em um apoio para os outros. ticipar em uma missão, em um papel social,
tomar posição, fazer-se ver, assumir uma car-
Tem que realizar-se no campo da criativi- reira profissional, uma função.
dade, dos sentimentos desinteressados, da Casa XI
0 setor onde se encontra o Nodo Norte re- entrega e do amor às crianças. Tem que encontrar imperativamente um
vela os campos em que o indivíduo deve viver Casa VI equilíbrio psicológico, moral, espiritual,
uma experiência primordial, a qual favorece Tem que aprender a benevolência, o dis- aprender a ser solidário com os outros, a
sua evolução pessoal e sua auto-realização. cernimento, o sentido de organização, o empreender e realizar os projetos, a culti-
Casa I gosto pelo método, o trabalho bem feito, var relações sociais e de amizades privi-
Você precisa trabalhar sobre a estrutura da a força da humildade, a arte do bem-estar. legiadas.
personalidade, aprender a reforçá-la, a de- Casa VII Casa XII
senvolvê-la, a converter-se em um indivíduo Tem que aprender a compartilhar, a viver a Tem que passar pela experiência da sau-
de pleno direito, a dizer "não" e "eu". dois, adaptar-se às circunstâncias e aos ou- dade, a descida ao fundo de si mesmo, da
Casa II tros, a concordar, associar-se e unir-se. superação das adversidades e vicissitudes
Tem que aprender a ser construtivo, a rea- Casa VIII da vida prática e material; tem que expe-
lizar-se no mundo material e físico, a não ter Tem que aprender a prescindir, a desenrai¬ rimentar o abandono, o êxtase, o arreba-
medo de adquirir, possuir, a deixar vestígios. zar-se, a romper, a ser autônomo, a desen- tamento, a fé, a vida espiritual.
A astrologia kármica

Os planetas retrógrados
Em um mapa astral, os planetas retrógrados permitem compreender que elementos da personalidade
podem ajudar um indivíduo a viver melhor o presente.

C ada um dos dez astros presentes


no mapa astral representa al­
gum dos elementos essenciais da
N o entanto, vamos observar que esta
teoria é totalmente aceitável quando,
no final das contas, cada um se
personalidade. Com relação a sente "normal". Escrevemos
este assunto, insistimos mais "normal" entre aspas porque
uma vez no fato do mapa do nos abstemos de definir a
céu ser uma representação normalidade.
gráfica e simbólica do que N o entanto, devemos ad­
hoje chamamos a psico­ mitir que todos temos,
logia profunda de um inconscientemente, uma
ser. noção comum dela. Fe­
lizmente, a inteligência
AS INFLUÊNCIAS nos permite relativizar e
U m indivíduo é como é, matizar este senso co­
comporta-se de uma certa mum.
maneira e age e reage se­ Embora este "normal" im­
gundo suas próprias caracte­ plique sentir-se mal, não é
rísticas. Tal idiossincrasia se tranqüilizador, reconfortante e
deve a que no seu mapa astral "desculpabilizador" descobrir
estão claramente inscritos alguns as­ que esse mal que cada um tem den­
tros citados em determinados signos tro de si, ou esse sofrimento, já estava
e em determinadas casas, que nos per­ escrito? Por outro lado, a partir do mo­
mitem achar em seu mapa do céu sutis mento em que se sai desta "normali­
mecanismos, engrenagens complexas e Para compreender bem a ilusão de ótica dade", esta teoria das influências se con­
elementos essenciais de sua personali­ produzida pelos astros retrógrados, basta verte totalmente em inaceitável.
dade, e não o inverso. imaginar que um trem se adianta a outro. Como poderíamos pensar que o des­
Pode parecer estranho insistir neste Quando o que se adianta diminui a tino de um ser que nasce vítima de uma
ponto. N o entanto, ao serem estimu­ velocidade, temos a impressão de ir para doença genética grave, ou em condições
lados entre aqueles que praticam uma trás em relação ao segundo. econômicas desastrosas que arruinarão
astrologia de fim-de-semana, os meios sua saúde, sua vida e todas suas espe­
de comunicação, que se aproveitam da mais exatamente, sob que influencias ranças de se converter em um indiví­
popularidade que tem a astrologia — vivemos. duo de pleno direito, é conseqüência de
e que não vacilam em contratar pes­ Nossa opinião é que não existe outra sua autodeterminação? Como pode
soas despreparadas, sem nenhum co­ influência senão a que exercemos sobre uma pessoa ter escolhido nascer doente
nhecimento astrológico, para redigir nós mesmos. ou paralítica quando teve a possibili­
os horóscopos —, e os que usurparam Em resumo, trata-se de um ponto de dade de viver saudável e com plenas fa­
uma astrologia tratada do ponto de vista comum, não sem interesse, que culdades?
vista do racionalismo científico, caí­ consiste em admitir que queremos ver Esta teoria a que se referem todos os
mos na tentação de dizer que, se al­ e crer apenas naquilo que aceitamos que acreditam sem restrições no karma
guns querem nos fazer crer que os as­ ver e crer. Dito de outra maneira, pode e na predestinação, não é muito gene­
tros nos influenciam, seria mais considerar-se que um indivíduo tem rosa.
correto e sensato perguntar-nos que uma certa autodeterminação de ser Então, é preciso encarar as coisas sob
influências sofremos de verdade ou, como é. outro ponto de vista.
DO FUTURO chocante afirmar que o futuro não certos momentos — pelo menos é a
A0 PRESENTE existe. N o entanto, assim é. Se pen­ impressão que nos dão, claro —, impe­
Q u e m se preocupar com seu futuro, samos tanto no futuro, é porque temos dem a nossa fuga desesperada para a
finja que não o está fazendo, diz um medo e vivemos na esperança. Ambos frente.
provérbio chinês. Em outras palavras, os sentimentos nos põem fora de nós "Retrogradar" é um verbo que não
o futuro não existe. Está por fazer e in­ mesmos, nos afastam de nossas verda­ gostamos muito de utilizar, pois impli­
ventar. Mas, sobretudo, quanto mais deiras preocupações, impedem-nos de ca uma regressão, um retrocesso e uma
se vive o presente, mais se aprende a viver plena e simplesmente o mo­ perda. Nada disso é exatamente grati­
estar presente consigo mesmo e menos mento presente. ficante, entusiasmador ou enérgico.
razões cada um terá para se preocu­ Ora, o futuro é sempre conseqüência Mas, como não podemos evitar ter
par com o futuro. Esta é a grande lição do presente e só podemos viver o pre­ sentimentos contraditórios e emocio­
revelada em nosso mapa astral pelos sente em função das qualidades que nais mais ou menos fortes, que nos fa­
astros retrógrados, que são planetas possuímos, sem juízos de valor. zem mover e agitar interiormente, é
que dão a impressão de andar para trás Desta forma, os elementos que com­ positivo que haja em nós princípios
no Zodíaco durante certos períodos do põem nossa personalidade revelados que nos obrigam a nos acalmar, a nos
ano. Em um mundo em que tudo nos pelos astros retrógrados trazem à or­ tolher um pouco, para que tomemos
leva a falar do futuro, a trabalhar para dem este tema. Ao se encontrarem pa­ consciência do nosso ritmo e vivamos
o futuro, pode parecer paradoxal ou ralisados no céu, ou retrógrados em o presente, aqui e agora.

Os astros retrógrados e seus significados


Observaremos que os astros luminosos, ou Por outro lado, Mercúrio é quase sempre Júpiter retrógrado retém quase sempre
seja, o Sol e a Lua, nunca são retrógra- retrógrado. Nestes momentos a inteligên- o eu expansivo, que poderia tender para
dos. Em outras palavras, tudo que foge da cia é reprimida, paralisada, fixada no pre- a inflação, a auto-satisfação, e dilatar-se de
vontade instintiva, pura, espontânea, e do sente 0 espirito é mais primário, mais re- forma excessiva e complacente até afo-
poder criador do ser e de sua sensibilidade, alista, mais pragmático. 0 indivíduo em gar ou aniquilar os outros elementos da
não pode ser bloqueado, atrasado nem mu- questão é quase sempre obrigado a reali- personalidade.
dado em caso algum nem de nenhuma ma- zar maiores esforços que os outros para
neira. se concentrar ou refletir. Não pode deixar retrógrado revela um indivíduo
Assim, o que poderíamos definir como o eu de apreciar as qualidades de uma mente justamente lúcido e razoável. Nada escapa,
profundo (o Sol) e o eu sensível (a Lua), isto bem exercitada. nem dele nem do que o cerca.
é, o potencial masculino e feminino que
possui um ser, seja homem ou mulher, per- Vênus retrógrado reprime oportunamente retrógrado inibe a capacidade de
manece igual a si mesmo, tal como está ins- as emoções quase sempre demasiado vivas decisão para que o indivíduo possa ter
crito no mapa astral no seu nascimento e e exacerbadas, que condicionam ou ofus- acesso a uma forma de independência de
tal como está inscrito no ser em questão, cam o indivíduo. 0 indivíduo em questão espírito ou caminho destacável.
evidentemente. pode aprender perfeitamente a dominá-las.
Netuno retrógrado é próprio de um ser
Marte retrógrado indica um poder de ação que encontra unicamente em si mesmo
essencial e tão coerente que nunca se uti- todos os recursos de que precisa para se
liza em vão, pois os recursos energéticos transformar de forma profunda.
do indivíduo em questão estão quase sem-
pre restringidos ou limitados. Deve tomar Plutão retrógrado indica um ser que é
precauções entes de agir, fazê-lo apenas capaz de se regenerar, afastando-se total-
quando é absolutamente necessário. mente do mundo e dos outros.
A astrologia ou a ciência
dos presságios, o destino
e o livre arbítrio
Como passamos dos simples presságios ao complexo e elaboradíssimo sistema zodiacal,
até chegar no final às noções de destino e de livre arbítrio?

J
á vimos como os homens, durante a que um século antes, isto é, no ano antiga tradição, o homem de ciência
pré-história e a Antigüidade, com 1120 a. C , foi escrito na Babilônia o e de saber estava em condições de exer­
o olhar dirigido para o céu, além de ver Poema da Criação ou Enuma Elish, no cer várias disciplinas: astrônomo, as­
ali sinais dos deuses, reconheceram fi­ qual toda a cosmogonia já se baseava trólogo, médico, matemático, mago,
guras, desenhos, representações que, na astrologia. poeta, artesão, etc. Ao fazê-lo, tinha
ao longo dos séculos, se transforma­ Atualmente, custa-nos imaginar que uma visão mais sintética dos elemen­
ram no que hoje em dia chamamos as nos tempos passados, porém também tos que constituíam a vida e a natureza,
constelações. em épocas não tão distantes, fiel à sua de sua interação, das relações cons­
Graças ao achado de provas gravadas tantes, visíveis e invisíveis, evidentes e
em escritura cuneiforme sobre placas sutis, que mantêm permanentemente
de argila que datam dos finais do III entre eles. E uma visão que já perde­
milênio antes de nossa era, hoje somos mos, em favor de uma especialização
capazes de fixar exatamente o nasci­ talvez mais afinada e eficaz, ao menos
mento da astrologia. mais adaptada ao nosso mundo e ao
De fato, uma destas placas encontra­ nosso modo de vida atuais onde, quase
das na Mesopotâmia faz alusão a um sempre, solucionamos o mais urgente
eclipse lunar que teria anunciado a e vivemos com emergência. N o en­
morte do rei acádio Naram-Sin, no tanto, ao nos especializarmos, nos iso­
ano 2259 a. C. lamos e dividimos princípios que só
Se tal dado astrológico é claramente têm sentido quando estão juntos; e,
mencionado para esta época, deve-se além disso, sempre com a finalidade
provavelmente a que a astrologia já de sermos, sem dúvida alguma, mais
existia há algum tempo e era utilizada eficazes, porém fazendo também in­
como referência. Podemos, portanto, tervir importantes interesses econô­
supor que ela nasceu por volta do micos e financeiros que, por força,
ano 2500 a. C , isto é, há 4.500 acabaram pondo em segundo
anos aproximadamente. N o en­ plano, qualquer outra conside­
tanto, parece que o sistema ração. Perdemos, mais que uma
do Zodíaco e dos signos as­ ética, um sentido inato da vida,
trológicos apareceu mais um instinto da natureza.
tarde. Encontramos suas
marcas escritas por volta Esta esteia cuneiforme que
do ano 1700 a. C , e o representa o rei Naram-Sin
Zodíaco perfeitamente com seu exército, data do
constituído tal como o III milênio a. C.
conhecemos atualmen­ O nascimento da astrologia
te faz seu aparecimento pode datar pelo menos desta
em 1010 a. C , enquanto época.
Se o homem, sem dúvida, se preocu­ cinasse ainda do ponto de vista da in­ ricos em lições e muito úteis para sua
pou com sua alma desde o momento teligência, já pressentia que havia cer­ vida prática ou, simplesmente para sua
em que solucionou o problema da ali­ tas semelhanças entre tais fenômenos sobrevivência, eram transmitidos por
mentação, pois suas necessidades vi­ e outros produzidos por ele mesmo. via oral, de geração em geração.
tais já estavam solucionadas e se sen­ N o entanto, como as manifestações Os presságios se transformaram não
tia aliviado e seguro, nem por isso é destes fenômenos naturais eram fisi­ somente em uma linguagem sagrada,
menos paradoxal que seja quase sem­ camente muito mais impressionantes mágica, como também em uma ciên­
pre na adversidade, no medo, no so­ que os que ele era capaz de gerar, e que, cia completa.
frimento e nas dificuldades que toma por outro lado, tais fenômenos afeta­ Desta ciência nasceram todas as man­
consciência de sua alma e do que deve vam os elementos (a água, o fogo, o ar, ­ias e todas as artes adivinhatórias.
ou deveria ser a essência de sua vida. a terra, mas também o Sol, a Lua, os Quanto ao Zodíaco, que apareceu mui­
É como se uma demasiada segurança animais, etc), chegou à conclusão de to mais tarde, foi criado para organi­
ou comodidade material e moral ini­ que era nesse momento que se as­ zar os presságios.
bisse sua consciência, proibindo-lhe sociavam a uma inteligência ou a uma
qualquer perspectiva de evolução. força superior à sua. Tudo leva a supor 0 DESTINO E O LIVRE ARBÍTRIO
Esta observação nos leva naturalmente que, através dos presságios, o homem Nos séculos XIII, XII e XI a. C , na Ba­
à pergunta de como e porque nossos reconheceu a existência de deuses que bilônia, a astrologia foi objeto de um
antepassados fundaram a astro­ verdadeiro culto religioso, os as­
logia e que uso real fizeram dela, tros então eram considerados
pois, ao nos perguntarmos isto, deuses.
remontaremos às origens, aos l Eram eles que governavam o
fundamentos verdadeiros so­ destino humano.
bre os quais a astrologia re­ Nenhum indivíduo podia es­
pousa. capar a seus desígnios. Por
isso, o que estava escrito não
A ASTROLOGIA, podia deixar de ocorrer.
UMA CIÊNCIA Mas, em vez de resignar-se
DE PRESSÁGIOS ante a fatalidade como ten­
A nossa opinião é que demos a fazer hoje, os sa­
tudo parece ter come­ cerdotes astrólogos da Ba­
çado com os presságios. bilônia previam o futuro
O que é um presságio? para antecipar melhor as
É um fenômeno natural coisas e, se possível, evitar
cuja aparição ou mani­ suas conseqüências nefas­
festação coincide com a tas, desastrosas ou dra­
de um acontecimento, máticas. Além disso, se­
uma circunstância parti­ gundo eles, os homens
cular relativa à vida hu­ sempre estavam mais ou
mana, que antecipa ou anuncia algo. Para os habitantes da antiga menos implicados, inclusive eram res­
Por isso, estes sinais de reconheci­ Babilônia, a astrologia era uma ponsáveis pelas irrupções do destino
mento que foram os primeiros pres­ verdadeira religião que identificava determinadas pelo astro-deuses.
os astros com os deuses. Assim é como Ao saber lê-los, interpretá-los, prevê-
ságios, sem dúvida, são a origem de
viam no Céu, no Sol e na Lua, los e antecipá-los, davam-se todas as
todos as linguagens. Davam aos ho­
o corpo da deusa-mãe Tiamat. oportunidades não só de poder tirar
mens a oportunidade de poder se co­
proveito e lições de seus próprios erros
municar com a natureza e com seu
e fraquezas, como também de poder
ambiente, e pela mesma razão, entrar utilizavam esta linguagem para dirigir-
exercer seu livre arbítrio.
em contato com os deuses. se a ele ou simplesmente para expres­
Se levantamos a possibilidade de que a
De fato, para o homem do passado sar-se. Então concluíram que se que­
astrologia possa transformar-se em ob­
estes fenômenos que se reproduziam ria tirar benefícios ou prevenir-se, era
jeto de um culto religioso, acreditamos
de forma regular e pareciam sempre de seu interesse compreender e falar
que seria bom para todos nós recupe­
anunciar o mesmo, tinham que ser aquela linguagem.
rar a noção de destino e de livre arbí­
produzidos por uma inteligência. E, Assim, durante milênios, os homens
trio de nossos antepassados.
embora nosso antepassado não racio­ foram acumulando presságios que,
Astrologia e psicologia
Às vezes nós nos perguntamos se o astrólogo é um psicólogo; porém, por que não formulamos esta
pergunta ao contrário? Simplesmente porque a psicologia pode ser aplicada ao Zodíaco, mas a
astrologia é um campo de investigação demasiado vasto para entrar no âmbito do psicólogo.

assim o que pode haver de


S abemos que a psicologia,
pelo menos o que en­
tendemos como tal, c uma
comparável entre estas
duas maneiras de investi­
prática moderna muito apre­ gar a alma humana e o que
ciada em toda parte. Pode­ as distingue.
mos afirmar que já entrou
em nossa vida cotidiana. O QUE É
Atualmente, as empresas e A PSICOLOGIA?
até mesmo as escolas, dedi­ A psicologia é "uma prática
cam-se a fazer testes psico­ terapêutica baseada na en­
lógicos com o louvável ob­ trevista direta e no exame
jetivo de definir melhor a do caso, a partir da obser­
personalidade, mas também vação das condutas indivi­
com o fim menos nobre, é duais", segundo alguns tra­
preciso admitir, de integrá- tados de psicanálise. Em
la pela força em moldes ou outros manuais, consta que
esquemas fechados. De fato, foi o norte-americano Light¬
a primeira associação que fa­ ner Witmer quem a em­
zemos quando comparamos pregou pela primeira vez
as pesquisas astrológicas e em 1896 e que depois foi
psicológicas é que ambas são retomada pelo próprio
vítimas desta tendência que Sigmund Freud em uma
os homens modernos têm carta a Wilhelm Fliess, de
de ver um indivíduo, o 30 de janeiro de 1899:
mundo e a realidade de um "Bem", escreve ele, "a psi­
ponto de vista limitado e es­ cologia, tal como se apre­
quemático. Existe um ver­ senta nos Estudos sobre a
dadeiro laço ou relação entre Histeria, provém do caos.
a psicologia e a astrologia? Descubro as relações com
São complementáveis e o conflito, com a vida, com
compatíveis? De nossa parte, conhe­ O astrólogo tem uma visão tanto tudo que eu gostaria de chamar psico­
cemos psicólogos que, hoje em dia, se coletiva como individual do destino logia clínica."
converteram em astrólogos; outros do homem. Em princípio, se compararmos as ori­
que odeiam a astrologia, ao considerá- gens da psicologia e da astrologia, po­
la — quase sempre com razão, tendo seu objetivo. Imaginamos que não se­ demos observar que os fundamentos
em conta seu mau conhecimento e a ria totalmente descabido um esclareci­ enunciados pela psicologia têm um sé­
maneira incorreta como esta é prati­ mento a respeito disso. Em primeiro culo, ao passo que os da astrologia têm,
cada e ensinada — um veículo e um lugar, c indispensável que nos ponha­ no mínimo, sete mil anos.
amálgama de princípios c conceitos mos de acordo em relação à própria Alguns poderão insinuar que os prin­
confusos, sem interesse e sem fun­ noção de psicologia. O que é? De cípios transmitidos pela astrologia de­
damento. onde vem? Para que serve? A seguir, sapareceram, enquanto os revelados
Entretanto, como já sublinhamos, na tentaremos estabelecer um parale­ pela psicologia, embora ainda não te­
mente de qualquer pessoa, as duas são lismo entre os fundamentos, o objeto nham sido plenamente experimenta­
disciplinas bastante parecidas ou, cm e o uso que se faz atualmente da psi­ dos, pelo menos têm o mérito de estar
todo caso, totalmente comparáveis no cologia, e os da astrologia. Veremos inscritos na dinâmica do progresso do
espírito humano, isto c, adaptaram-
se melhor ao nosso tempo. Aqueles
que assim pensam diremos que tal
comparação não c possível, porque os
próprios fundamentos da psicologia —
que como sabemos, derivam do mo­
delo psicanalítico clínico — orienta­
ram-se para um enfoque terapêutico,
para simplificar as coisas, para curar os
homens e as mulheres "psicologica­
mente" doentes, enquanto que os
princípios básicos sobre os quais nas­
ceu a astrologia tiveram sempre uma
mesma preocupação: a de organizar o
mundo a partir de uma visão globali¬
zadora e unificadora, considerando
que o homem e o universo, ou seja,
o microcosmo e o macrocosmo, cons­
tituem um só elemento.
O psicólogo tem por missão curar o mal-estar do indivíduo em particular.
ASTRÓLOGO E PSICÓLOGO
Em resumo, poderíamos dizer que o estabelecendo assim os princípios de mos consideravelmente o ponto de
astrólogo ideal aspira a iniciar o ser, uma certa normalidade. vista penetrante, profundo e generoso
cujo mapa astral ele estuda, em seu 2. A astrologia baseia-se em uma visão que a roda zodiacal põe à nossa dis­
próprio conhecimento, no papel que sintética, global e unificadora, do mun­ posição. Ao basear-se em um princí­
tem ou que lhe cabe ter no jogo do do e do ser humano. A psicologia faz pio analógico de grande riqueza, a as­
universo e no destino que deve cum­ referência a um princípio analítico que trologia está em condições de integrar
prir para ser ele mesmo, ao passo que divide, separa e isola. Provavelmente, todas as formas do espírito humano,
o psicólogo ideal observa o comporta­ esta é toda a diferença que existe entre do qual sabemos que pode chegar a ser
mento de uma pessoa, estuda suas in¬ o olho astronômico do astrólogo, que tão rico em possibilidades quanto a na­
quietudes e mal-estares e fornece-lhe examina a abóbada celeste, e o olho tureza.
meios para se curar. microscópico do assistente do labo­ Por último, assinalemos que a psico­
Ora, se por um lado ambos os estudos ratório, que fixa seu olhar em uma cé­ logia é a prática terapêutica nascida na
têm algo de parecido, por outro são ra­ lula ou em um átomo único e isolado. mente dos primeiros psicanalistas. Ora,
dicalmente diferentes no sentido em Sem dúvida alguma, o que a psicolo­ precisamente eles encontraram nos
que a astrologia não alude a nenhuma gia pode censurar à astrologia é, evi­ mitos e símbolos pontos de referência
norma. Não se ocupa em classificar os dentemente, a preocupação pelo bem- indispensáveis para decifrar as mensa­
indivíduos em sãos e enfermos, sociais estar do outro e a vontade de não ser gens, quase sempre ocultos, transmi­
e anti-sociais, normais e anormais. vítima dos nossos reflexos de com­ tidos por seus doentes e que procedem
Nunca examina o indivíduo sem levar portamento, não anormais, mas equi­ do seu inconsciente. Os mitos e os
em conta o todo onde ele existe, se ma­ vocados, porque estão na origem de símbolos são justamente a linguagem
nifesta e vive, sabendo que cada um pos­ circunstâncias difíceis, adversas ou de­ que o astrólogo emprega. Por outro
sui uma série de tendências e qualida­ sastrosas em nossa vida. lado, o psicanalista não procede de
des que lhe cabe aproveitar, ou não, em Entretanto, se acreditamos que as pes­ forma diferente do astrólogo ao in­
sua alma e em sua consciência. quisas dos psicólogos podem ser in­ terpretar o discurso de seu paciente,
De maneira que dois fatores essenciais tegradas na roda do Zodíaco, e assim baseado na livre associação. De fato,
dividem a astrologia e a psicologia: proporcionar ao astrólogo instrumen­ o astrólogo é também um intérprete
1. A astrologia é uma ciência humana tos, se não suplementares, pelo menos do discurso profundo do ser, que tam­
atávica que se interessa tanto pelo des­ melhor adaptados à nossa cultura mo­ bém poderíamos dizer silencioso, ins­
tino do indivíduo como pelo do ser derna, não serve de nada querer passar crito em seu mapa astral, que o revela
universal. Quanto à psicologia, seu ob­ sistematicamente a linguagem astro­ intimamente. Como vemos, as práti­
jetivo é o ser social, doente, inadap­ lógica pelo filtro da linguagem psico­ cas da psicanálise e da psicologia de­
tado, com uma fmalidade terapêutica, lógica, pois desta maneira reduziría­ vem muito à astrologia.
Os tipos lunares e planetários
A partir dos 4 elementos que constituem a base do Zodíaco — o Fogo, a Terra, o Ar e a Água —,
definimos 8 tipos lunares básicos, dos quais derivam os tipos planetários.

7.º t i p o p l a n e t á r i o : m a r c i a n o , nervoso e fleumático, corresponde à Lua convexa; o rosto


é mais quadrado, porém cheio, com supercílios acentuados, nariz proeminente e queixo agudo.

6.° tipo planetário: saturnino, me­


8.° tipo planetário: lunar, fleuma lancólico, corresponde ao quarto crescente da
tico, corresponde à Lua cheia; o rosto, os Lua; o rosto é muito alongado e com forma an­
olhos, o nariz e a boca são redondos. gular, a testa muito alta, atormentado, o olhar
Á k cheio de certa tristeza ou seriedade.

1.° tipo planetário 5.° tipo planetário:


v e n u s i a n o , fleumático mercuriano, colérico
e sangüíneo ao mesmo e melancólico, corresponde
tempo, corresponde à Lua à Lua crescente; o rosto é
propagadora; a parte alta ligeiramente angular e
do rosto é arredondada, j alongado, com pequenos
a parte mais baixa pontia­ olhos e supercílios que in­
guda, mas com o queixo j dicam ironia.
redondo. ■

2.° tipo planetário: ju-


piteriano, corres­
r 4.° tipo planetário: solar,
f colérico, corresponde à Lua nova; o
ponde ao quarto minguante da Lua;
r rosto é alongado, a testa alta, espaçosa,
o rosto é mais retangular, com traços ^
o olhar profundo e brilhante.
generosos e simpáticos, com as maçãs do
rosto ligeiramente salientes.

3.° t i p o planetário: marciano, sangüíneo e colérico ao mesmo tempo, corresponde à Lua


minguante; o rosto é mais quadrado com um queixo pontiagudo e maçãs do rosto salientes.

m nossa opinião a astrologia não


E deve nada à psicologia. Sem ne­
nhuma dúvida, a psicologia é um en­
observações clínicas e foi vítima das
grandes correntes contemporâneas de
pensamento: a especialização e o culto
vel, conferindo um lugar especial ao
ambiente circundante, ao contexto e
às circunstâncias exteriores e mini­
foque original do estudo dos reflexos aos esquemas. mizando, inclusive excluindo, toda
e mecanismos de comportamento do Daí que, embora as bases sejam infi­ responsabilidade do indivíduo por en­
indivíduo. N o entanto, além de ser ho­ nitamente mais abertas e generosas contrar-se no lugar onde vive e por ser
je uma prática científica bastante repre­ que sua utilização, as práticas da psi­ como é.
sentativa das correntes intelectuais e das cologia moderna são com freqüência Sem recusar o ponto de vista com que
preocupações filosóficas, sociais, mate­ demasiado parciais e aproximativas, a psicologia moderna enfoca o estudo
rialistas do final do século XIX, e prin­ pois desmontam os mecanismos sem da personalidade, o astrólogo não deve
cipalmente da primeira metade do sé­ saber como voltar a montá-los e não cair jamais na tentação de dar uma in­
culo xx, esta disciplina está limitada às vêem o ser como um todo indissociá­ terpretação psicológica de um mapa as-
astral. Isto reduziria seu campo de inves­ sonalidade das pessoas e os elementos, 0 TEMPERAMENTO MELANCÓLICO
tigação e excluiria os fundamentos na­ as estações, a Lua, o Sol, os astros, os sig­ Associa-se à Terra, is­
turais e espirituais nos quais o Zodíaco nos, o Zodíaco. Definimos, portanto, to é, o elemento do­
se apoia, sabendo-se que este, não es­ 4 temperamentos a partir dos 4 ele­ minante no Outono,
queçamos, é uma representação do mentos. estação com a qual
homem e do universo — considerados apresenta numerosos
semelhantes e parecidos — ou, se pre­ 0 TEMPERAMENTO SANGÜÍNEO pontos em comum.
ferimos, do microcosmo e do macro­ Associa-se ao Ar, que Este tipo se apresenta com freqüência
cosmo. é o elemento domi­ sob o aspecto de uma pessoa magra ou
Mas, com respeito aos fundamentos na­ nante da Primavera. magricela, dando uma aparência de fra­
turais, um deles está formado eviden­ Deste modo, está gilidade. Seu rosto alongado é muitas
temente pelos 4 elementos que estão em também relacionado vezes desproporcional com respeito a
relação com as 4 fases lunares, e a par­ com esta estação. Re­ seu corpo, destacando o predomínio de
tir das quais foram revelados 4 tempe­ cebe este nome porque na maioria das seu cérebro. De fato, dominam nele o
ramentos que, combinando-se, dão vezes caracteriza-se por uma potente cir­ sistema nervoso e as faculdades psíqui­
lugar a 8 tipos planetários. culação sangüínea, que inclui as funções cas e mentais. Seu comportamento é
Para compreender melhor os princípios respiratórias importantes, o que explica muitas vezes nervoso, agitado ou ins­
da psicologia, a morfologia, a tipologia que se ache em correlação com a tável; devido a isso é também conhecido
e o estudo do metabolismo, que se in­ Primavera, cujo elemento predominante pelo nome de "nervoso".
tegram no universo do Zodíaco, a se­ é o Ar. N o temperamento sangüíneo, Fazemos distinções entre o tipo melan­
guir apresentamos os tipos lunares e pla­ prevalecem Vênus e Júpiter, isto é, cólico mercuriano e o melancólico satur-
netários. Vênus de Touro e de Libra, e Júpiter nino; o primeiro é muito mais fantasioso,
de Sagitário. Também nos referimos ao sonhador e menos retraído que o se­
4 ELEMENTOS, 4 LUAS tipo sangüíneo venusiano ou jupiteriano. gundo.
4 TEMPERAMENTOS Trata-se do Mercúrio de Gêmeos e de
Não voltaremos a falar sobre os fun­ 0 TEMPERAMENTO COLÉRICO Virgem, e do Saturno de Capricórnio
damentos naturais e simbólicos dos 4 Está associado ao Fo­ e também de Aquário.
elementos, sobre os quais existe uma go, que é o elemento
abundante bibliografia. Lembremos dominante no Verão, 0 TEMPERAMENTO FLEUMÁTICO
simplesmente que estes 4 elementos estação com a qual Associa-se à Água,
(o Fogo, a Terra, a Água e o Ar) apa­ tem certas afinida­ elemento dominante
recem nessa ordem quando se segue des. no Inverno, a estação
a hierarquia dos signos do Zodíaco: Morfologicamente, possui um esque­ com a qual se encon­
Áries: Fogo; Touro: Terra; Gêmeos: leto corpulento e uma forte muscula­ tra em correspon­
Ar; Câncer: Água, etc. Além disso, cada tura. Evidentemente, segundo o indiví­ dência.
estação está relacionada com um ele­ duo, prevalecerá mais uma ou outra, Morfologicamente, distingue-se pelas
mento que a domina: Primavera: Ar; porém em todo caso será uma das prin­ formas arredondadas e generosas de seu
Verão: Fogo; Outono: Terra; Inverno: cipais características que se destacam rosto e seu corpo. Seu nome deriva da
Água. E são sempre 4 as principais nele, assim como também se destacam palavra "fleuma", que era um dos qua­
fases lunares: Lua nova, Quarto cres­ seu crânio e sua testa. Neste tipo ex­ tro humores em torno dos quais se
cente, Lua cheia, Quarto minguante. pressam-se espontaneamente a força, a agrupava antigamente os do corpo hu­
Por último, lembremos que o dia se vontade, a agressividade, a necessidade mano. Em alguns lugares recebe tam­
divide em 4 partes: manhã, tarde, anoi­ de afirmação, de conquista, de domi­ bém o nome de "linfático". Dá às vezes
tecer e noite. Para sermos mais com­ nação. Peca com freqüência pelo excesso a impressão de uma pessoa tranqüila, de
pletos, acrescentamos que os pontos de impaciência e ansiedade e tem uma uma grande serenidade, impassível ou
cardeais (Norte, Sul, Leste e Oeste) natureza colérica, o que faz com que apática, ingênua, que aspira à paz e à
são evidentemente 4 e que estão em as secreções biliares de seu fígado sejam tranqüilidade.
correlação com os elementos, as es­ muito fortes. Os fleumáticos são geralmente do tipo
tações, as fases lunares e solares. Daí ser conhecido em alguns lugares lunar, com traços gerais arredondados,
Desta maneira dispomos de um sistema com o nome de "bilioso". Nos tipos em relação com a Lua de Câncer, e ju-
coerente a partir do qual são organiza­ marciano e solar, quando nos referimos piteriano, mais típico, de cara mais ova­
das as analogias entre os temperamen­ a Marte de Áries e ao Sol de Leão, são lada, em correspondência com o Júpiter
tos, os comportamentos, as bases da per­ os coléricos que mais abundam. dos nativos de Peixes.
A astrologia e a saúde
O corpo tem suas próprias razões e opiniões; quase sempre, boas razões. Estas se manifestam
em forma de sintomas. O estudo do mapa astral nos permite descobri-las e conhecê-las melhor.

S eja qual for nosso signo, cada um de


nós já esteve doente alguma vez.
Não estamos falando aqui, evidente­
pouco de atenção, veremos que têm
um sentido especial para cada um de
nós.
mente, de doenças graves, mas sim de Uma enxaqueca, por exemplo, é um
pequenos males, indisposições ou sintoma, mas a causa desta dor de ca­
mal-estares, certos sintomas que beça, tão comum em nossa sociedade
respondem tanto a uma patologia moderna, pode ser diferente em dife­
como a um comportamento psi­ rentes pessoas.
cológico. Os sintomas são, com O mapa astral pode nos ajudar a des­
efeito, indícios distinguíveis, índi­ cobrir a sintomatologia de todas as pes­
ces específicos que nos proporcio­ soas.
nam informação sobre nossa sensibili­
dade e vulnerabilidade. INFORMAÇÕES SOBRE
São nosso corpo e nosso organismo ex­ A SAÚDE PROPORCIONADAS
pressando-se em forma de transtornos. PELO MAPA ASTRAL
Para nós, são transtornos comuns e Para determinar o
corriqueiros, mas se prestamos um , há de estudar-se a
Através da relação de regência dos as­
tros, podemos saber se os traços he­
reditários de um indivíduo vêm da
linha materna ou paterna, dependendo
de ser a Lua (ou o Sol) e Saturno, di­
reta ou indiretamente, os regentes da
Casa IV
Consideremos, por exemplo, que em
um mapa astral a Casa IV ou Fundo
do Céu se encontre no signo de
Virgem, cujo regente é Mercúrio. E
que, além disso, neste mapa astral,
Mercúrio se situe no final do signo de
Capricórnio, cujo regente é Saturno em
conjunção com o Sol, que se encontra
em Aquário.
Ora, o Sol e Saturno são os astros que
estão em relação com a imagem do pai.
Além disso, tanto o Sol como Saturno
se encontram em Aquário, que é o
signo da pessoa em questão. O segundo
regente de Aquário, Urano, está em
conjunção com o Fundo do Céu ou
Casa IV, e está igualmente no signo de
Virgem.
De todos estes elementos podemos de­
duzir que neste caso se trata de uma he­
rança paterna. Isto significa que o com­
portamento psicológico do indivíduo
do nosso exemplo é muito parecido
com o de seu pai, mas também que sua
herança é paternal.
Será portanto na herança paterna de sua
família onde poderemos encontrar in­
dicações de sua patologia.
A casa V nos informa sobre o uso que
o indivíduo faz de sua energia, de suas
forças vitais, reveladas pela posição de
Marte.
A casa VI, a do bem-estar, oferece
importantes indicações sobre a higiene
de vida de uma pessoa, suas atenções
e cuidados, os males de que possa so­
frer ou que possam se manifestar em
sua vida diária e, finalmente, sobre
todas as precauções que a pessoas de­
verá tomar.
Com efeito, esta Casa é também a da
prevenção.
A casa VIII nos informa sobre o sis-
tema imunitário, os recursos psí­
quicos e fisiológicos de uma pessoa,
seu potencial de regeneração. Neste
aspecto, a posição de Plutão está cheia
de indicações, mas é preciso estudá-
la com muita precaução. As Casas IV, V, VI, VIII, XI e XII fornecem informações sobre a saúde da pessoa.
Com efeito, as forças psíquicas reve­
ladas por Plutão nem sempre são uti­ papel importante quando se trata do é importante principalmente durante
lizadas corretamente. São facas de dois bem-estar e da saúde. a infância e, obviamente, quando esta­
gumes. Por exemplo, as informações revela­ mos diante de uma pessoa com herança
Por isso é preciso aprender a utilizá-las das pela Casa XI n u m mapa astral materna.
nos momentos mais adequados, pois sempre moderam e reduzem uma As relações entre o Sol e Marte de um
embora possam aparentar ser muito re­ eventual tendência aos excessos po­ lado, e Urano e Plutão, de outro, nos
sistentes, às vezes produzem um efeito tenciais, estes sendo indicados através informam sempre sobre o ritmo car­
inverso. da Casa V, que está sempre situada, díaco e também da tensão arterial.
N o entanto, é preciso assinalar que as como já sabemos, exatamente em Por outro lado, como já vimos, todos os
pessoas que possuem um autêntico dom frente à Casa XI. 12 signos do Zodíaco e os 10 astros têm
para curar ou aliviar as dores dos demais É preciso também prestar muita atenção uma série de analogias anatômicas e pa­
revelam quase sempre uma forte po­ à C a s a XII, pois esta nos oferece in­ tológicas determinadas; convém ob­
sição de Plutão em seu mapa astral. dicações sobre a capacidade de um servá-las e analisá-las com prudência e
A casa XI, que normalmente está re­ indivíduo para não se autoenganar, muita atenção.
duzida ao âmbito das amizades e pro­ para não se deixar levar por suas fra­ Finalmente, não devemos esquecer de
jetos, é antes de mais nada a do equi­ quezas e não acabar sendo vítima de sublinhar que a posição da Lua negra
líbrio p s i c o l ó g i c o e m o r a l de um suas circunstâncias; mostra também a e de seus trânsitos anunciam tanto cri­
indivíduo. capacidade de superar e vencer suas ad­ ses psicológicas solucionáveis como,
Devido a isso, sua posição no mapa as­ versidades. igualmente, crises de saúde de solução
tral, assim como a do astro regente, Devemos observar a posição de Sa- não menos possível.
terá que ser levada muito em conta no turno para saber se a pessoa está sujeita Neste sentido, é preciso saber que
momento de medir o equilíbrio psi­ a males ou doenças crônicas. A posição estas crises favorecem a necessária ex­
cológico vital de uma pessoa. de N e t u n o nos informa sobre o grau pulsão de tensões e de infecções, sem
Com efeito, sabemos até que ponto o de receptividade do indivíduo em re­ as quais nenhuma regeneração seria
equilíbrio psicológico desempenha um lação às doenças contagiosas. A da Lua possível.
As crianças no Zodíaco

As crianças da primavera
Se todas as crianças do mundo se dessem as mãos... No Zodíaco, isto acontece há muito tempo,
pois todos os homens e mulheres são ou foram originalmente crianças do Zodíaco.

U ma mulher de Áries, Câncer ou


Aquário, e um homem de Gê­
meos, Virgem ou Escorpião, eram antes
atualmente, a astrologia é vítima de uma
cruel falta de ética, tanto em seu estudo
como em seu uso.
cimentos que nos cercam ou com os
quais cruzamos, assim como sobre
nossa própria evolução em relação aos
crianças, depois adolescentes, antes de Em primeiro lugar, é preciso dizer que mesmos. Este movimento no interior
se transformarem no homem ou na mu­ um mapa astral que se baseia no dia, do Zodíaco reflete a constante formação
lher que conhecemos. Seu mapa astral mês, ano, hora e lugar de nascimento, da pessoa ao longo de sua vida. Dize­
mudou à medida que eles mudaram? É serve para sempre. mos "formação" e não "evolução" pois
muito normal ouvir-se esta pergunta: N o entanto, é possível se fazer uma lei­ para nós a vida é uma experiência rica
sempre terei o mesmo mapa astral? Ou, tura para cada período da vida, que não em lições, ao longo da qual temos que
mais exatamente: as configurações ins­ é que seja diferente, pois os dados ins­ aprender e compreender tudo. Neste
critas em meu mapa astral são imutáveis? critos não variam, mas sim que vai aspecto, somos todos eternamente
Responder afirmativamente significa­ sendo atualizada em função do ciclo se­ crianças.
ria que só poderíamos interpretar o tenário das idades da vida e também, Portanto, não é difícil compreender que
mapa astral daqueles indivíduos com principalmente, de acordo com a idade a criança que fomos e que ainda somos
uma personalidade já estruturada. Estas da pessoa inscrita neste ciclo vital. pode ser perfeitamente encontrada na
perguntas não são tão insignificantes Sempre temos o mesmo mapa astral. sutil configuração dos astros, nos pon­
e absurdas como parecem. Respondê- Entretanto, o estudo dos trânsitos pla­ tos fictícios, nas Casas e nos aspectos
las permite-nos ver até que ponto, netários nos informa sobre os aconte­ contidos em nosso mapa astral.
A CRIANÇA TOURO quase sempre é convencida através dos
Enquanto estiver cercada de afeto e ob­ sentimentos. Evidentemente, ao crescer
tiver o que necessita, será doce e tran­ adquire sensatez e desenvolve principal­
qüila; porém, ao mínimo sinal de mu­ mente um sentido da realidade quase
dança no cotidiano, se mostrará nervosa inato, estimulada por sua necessidade de
com muita facilidade. Esta criança tem comodidade e segurança material.
uma grande necessidade de se sentir se­
gura, de ter a sensação ou acreditar que
seu ambiente ou meio onde vive é rela­
tivamente imutável.
E muito gulosa, porém também muito
lenta, leva mais tempo para comer que
as demais crianças. Esta característica do
seu comportamento com respeito à co­
mida, desde o início de sua infância, é
o mesmo também com relação aos de­
mais aspectos. Desta forma, compre­
enderá melhor as coisas se lhe forem ex­
plicadas com o tempo necessário e de
forma prática, se lhe fizerem um es­
quema ou desenho fáceis de compre­
ender. Não é uma pessoa de pouca in­
A CRIANÇA ÁRIES teligência, porém é de natureza muito
Acaba de nascer e já deseja crescer com ingênua, que não devemos estragar por
todas as suas forças. Já desde o começo uma maliciosa concepção da vida. Teria
é impaciente, febril, ansioso, reage diante muita dificuldade de recuperar-se quan­
de uma mínima contrariedade e é tomado do adulto, pois sua natureza a empur­
por acessos temperamentais inesquecí­ ra além do normal a que as coisas, os A CRIANÇA GÊMEOS
veis. Seria muito surpreendente que esta sentimentos, as idéias, assim como os Desde muito pequena é amável, sorri­
criança, ávida para exteriorizar suas ener­ costumes, quer sejam bons ou ruins, fi­ dente e muito viva. Mas, também desde
gias, crescesse sem um único galo na ca­ quem intensamente gravados. muito cedo observamos o aspecto ca¬
beça, já que está sempre inquieto. Mostra E teimosa e se obstina com facilidade. No maleônico de sua personalidade, a ca­
tal entusiasmo e precipitação, que é pre­ entanto, é também muito sentimental e pacidade que tem para adotar ou imitar
ciso temer por suas quedas e acidentes, o modelo dos costumes, idéias e hábi­
assim como pelas decepções precoces. tos dos demais e mudar os seus com
Sente-se mais atraído pelas atividades ma­ uma facilidade surpreendente.
nuais e esportivas que pelos estudos e elu­ Desde muito cedo, dá amostras de uma
cubrações intelectuais, porém pode de­ facilidade de expressão e de intercâmbio
monstrar uma intuição que se sobressai com os demais, atraindo em conse­
ou ter o dom da antecipação. Entretanto, qüência grande quantidade de amigos.
não deixe-a avançar muito, pois ao mí­ Entretanto, esta criança seguramente tão
nimo obstáculo ficará desanimada e então simpática e viva nem sempre está de
será muito difícil encaminhá-la nova­ bom humor em seu ambiente familiar.
mente. É preciso ensinar-lhe desde cedo Mais uma vez, aparece a dupla natureza
que seja paciente, pois necessitará disto dos Gêmeos. Desta forma, sua inte­
para poder traduzir com eficácia suas ligência natural e alerta a leva a desen­
idéias em ações e fatos. Seja qual for a ati­ volver um espírito crítico, às vezes exa­
vidade que escolha, será muito empre­ gerado e nem sempre benévolo.
endedora, porém pecará pela falta de pa­ É de natureza curiosa. Gosta de aprender
ciência e perseverança. Precisam que a e compreender porém, ao mesmo tempo
animem, a adulem e a ajudem a pôr um é faladora e indisciplinada. Nervosa, às
freio ou a canalizar sua ansiedade e sua vezes irritável e suscetível, prefere obe­
energia febril. decer aos conselhos que às ordens.
As crianças no Zodíaco

As crianças do Verão
idéia do dia em que teve lugar, nunca mens da Antigüidade o viram desta ma­
P or que calculamos o mapa astral a
partir da data de nascimento e não
a partir da data de concepção da
estamos totalmente certos.
Porém, este não é o critério essencial
neira embora tenham se baseado em
critérios diferentes dos nossos.
criança? Fazemos esta pergunta com que leva os astrólogos a considerar o Acreditavam que a alma circulava pelo
freqüência e com certa razão, pois para momento e as coordenadas do nasci­ sangue e se manifestava no momento
o astrólogo cada instante corresponde mento para calcular e estabelecer o do nascimento. Atualmente as inves­
a uma configuração astral precisa e mapa astral. A razão principal é o fato tigações e estudos científicos demons­
única. A priori, poderíamos dizer que de que o momento do parto é quando traram que a memória reflexa, na vida
se trata simplesmente de tomar uma a criança adquire sua primeira autono­ intra-uterina, começa a se manifestar
decisão entre uma data e outra, mas não mia de ser, realizando sua primeira res­ a partir do terceiro mês de gravidez.
é assim. piração completa. Portanto, a partir deste momento a per­
Para começar, salientemos que, por evi­ Assim, para o astrólogo, pode-se dizer sonalidade da futura criança começa a
dentes razões, é muito mais difícil e ale­ que uma criança nasce no momento em estruturar-se.
atório definir o instante preciso da con­ que respira e espira uma quantidade de Desta maneira, quando realizamos o
cepção de uma criança que saber o ar pela primeira vez. mapa astral de um recém-nascido, es­
momento e a hora exata de seu nasci­ Lembremos que, segundo as antigas tamos diante de uma personalidade já
mento. De fato, a concepção é realizada crenças, o ar era associado simbolica­ estruturada, embora esta ainda não
na misteriosa vida intra-uterina e em­ mente à alma. Atualmente sabemos que tenha se manifestado ou desenvol­
bora algumas mulheres tenham uma faz circular e oxigena o sangue. Os ho­ vido.
A CRIANÇA CÂNCER A CRIANÇA LEÃO A CRIANÇA VIRGEM
Cheia de doçura e ternura, dificilmente É uma criança à qual a natureza e a vida Se não gosta de comer alguma coisa,
esta criança consegue desprender-se da trataram bem. Para começar, é sadia e descobre-se rapidamente por causa de
fusão carnal e afetiva que a une a sua transborda vitalidade, acha-se o rei ou seus problemas digestivos. É preciso
mãe. Tarda mais que o normal a andar, a rainha de seu ambiente, que considera prestar toda atenção a tudo que está re­
pois adora ser carregada, gosta muito de seu território. Desde muito cedo co­ lacionado com seus cuidados pois, para
ser ninada no berço, que se ocupem dela meça a sorrir para atrair a atenção dos ela, todos os detalhes contam.
e que os demais dependam de seu demais, sentir a aprovação e admiração E uma criança pensativa, introvertida,
humor. dos que a cercam. Pelas mesmas razões, discreta, não muito expressiva, porém
Boa, afetuosa, tímida, sociável, tem prin­ não demorará muito a fazer tudo aquilo diligente e muito mais afetuosa do que
cipalmente a necessidade de se sentir que se espera dela. Possui um caráter aparenta.
acompanhada, amada, mimada, ani­ franco, leal e generoso. Instintivamente, Como quem não quer a coisa, observa
mada, segura. É mais vulnerável que as sabe que tudo que deseja está ao alcance com uma lupa tudo que acontece ao seu
demais crianças. A menor falta de gen­ de sua mão. Por isso, nunca se sente cul­ redor. Não deixa escapar o gesto mais
tileza, incompreensão ou decepção, pada em vadiar. Se a acusam, considera insignificante..., essas coisas que são tão
fecha-se em si mesma e às vezes pode isso um desafio e enfrenta a acusação. reveladoras da verdadeira natureza das
ser intratável ou extremamente suscep­ Consegue sempre sair-se bem das si­ pessoas.
tível. O desconhecido e o futuro trazem- tuações, dominando-as, evidentemente, Assim, desde muito cedo aprende a
lhe angústia. E sensível aos costumes e à sua maneira. Realiza isso com tanta fazer estimativas, avaliar, medir, calcu­
ritos de seu ambiente familiar e não gosta habilidade que nem sempre é fácil en­ lar, contar. Este dom inato a faz correr
de mudanças. N o entanto, quanto mais contrar seu ponto fraco, nem exercer o risco de transformar-se em contadora
autoridade sobre ela, pois, desde muito de seus sentimentos e emoções, pois
cresce, tanto mais se interessa pelo pas­
cedo, ela mesma encarna a autoridade tem muitos escrúpulos no momento de
sado, suas origens ou a história.
e o poder, que a fascinam. deixar-se levar por eles.
Necessita sonhar, embora às vezes é pre­
É positivo confiar nela, considerá-la de De fato, ela sente a necessidade de pre­
ciso baixá-la das nuvens; mas é preciso
igual para igual, e não como uma servar seu eu, sua identidade, razão pela
também deixá-la nutrir-se de seus so­
criança, motivando seu coração nobre e qual pode ser muito desordenada, ou ex­
nhos, pois é neles onde se fortalece. Seu
animando-a a cultivar sua generosidade cessivamente organizada e meticulosa.
espírito é mais meditativo que ativo. Ter
natural. É lícito admitir que tem sorte, A ordem ou a desordem a protegem. Se
sucesso, lutar e vencer não são coisas
visto que dá mostras de um bom estado a fazem sentir-se útil, deixará com na­
que a motivem. Só consegue ser mo­
de ânimo. Só é preciso ajudá-la a mo­ turalidade de ser reservada e expressará
tivada por um certo gosto pelo poder ou
derar seu amor próprio e seu orgulho. seus sentimentos mais livremente.
pela sede de popularidade.
As crianças no Zodíaco

As crianças do Outono
D uas crianças nascidas no mesmo
ano, mesmo dia, mesma hora e
mesmo lugar... terão o mesmo destino
do céu, mas um mapa astral a partir de
uma data e de um local de nascimento.
N o entanto, o mapa astral não é o in­
Mas a criança não é como é por ter
nascido sob o signo de Sagitário. Nem
tampouco, uma vez adulta, reconhe­
ou semelhantes atitudes de comporta­ divíduo c, por conseguinte, ninguém ceremos nela a candura e a honestidade
mento? Com esta pergunta, tantas vezes é de uma determinada forma por causa próprias deste signo, mas, mais exa­
formulada por quem se preocupa com das configurações que um mapa astral tamente, tem tais características pois
a legitimidade de um dos grandes fun­ apresenta, de onde o astrólogo retirará sua natureza e seu ser apresentam
damentos que diz respeito tanto a crian­ suas impressões e interpretações, pelo traços de uma pessoa simples, honesta,
ças quanto a adultos, pomos em relevo contrário. Em outras palavras, todas as generosa, espontânea, nascida no mo­
um ponto importante, para não dizer posições dos astros, os aspectos e ou­ mento em que o Sol transitava em um
essencial. tros elementos inscritos no mapa astral determinado setor do Zodíaco..., mas
De fato, para dar uma resposta, deve­ são o reflexo exato do que se é, e não que, desta maneira, estamos em con­
mos admitir que um mapa do céu não o inverso. dições de descobrir nele estas quali­
significa nada em si mesmo. Trata-se Para ilustrar estas palavras, tomemos dades, inclusive antes delas se mani­
simplesmente de posições de astros ins­ o exemplo de um bebê recém-nascido, festarem.
critos no Zodíaco a partir de um dia, cujo Sol se situa no terceiro decanato Dois seres que nascem sob configu­
uma hora e um local. Poderíamos de­ do signo de Sagitário. rações parecidas terão em comum qua­
dicar-nos a calcular e estabelecer um Observando seu mapa astral, estaremos lidades semelhantes, mas cada um irá
mapa do céu de cada minuto durante em condições de descrever a expressão vivê-las ao longo de uma existência in­
24 horas, por exemplo, c isso não sig­ e manifestação de sua vontade instin­ dividual única, já que nada está escrito
nificaria grande coisa. Entretanto, tiva, segundo as qualidades próprias do de antemão, exceto o que somos.
quando se trata de um mapa astral, cal­ signo de Sagitário, concretamente as do Quanto ao resto, tudo depende de nós
culamos e elaboramos, não um mapa terceiro decanato do referido signo. mesmos.
A CRIANÇA ESCORPIÃO
Embora ainda não esteja em con­
dições de expressar ou mostrar com
clareza, esta criança tem o dom de tes­
tar tudo o que toca, vê, encontra. O
que nela poderíamos atribuir aos so­
nhos é, na realidade, a manifestação
de uma psique em estado de alerta
permanente. Calibra, julga, sonda,
provoca. De um estado de tranqüili­
dade e de mistério, passa rapidamente
para ser vítima de impulsos que po­
dem levá-la muito longe, pois tem
sempre necessidade de saber até onde
pode chegar. As proibições não basta­
rão para travá-la nem inibi-la, pois
gosta de desafios e, inclusive, de cer­
ta forma, estimulam-na.
Instintivamente, sabe que nunca deve
confiar nas aparências, que há sempre
algo escondido que se deve ver, com­
A CRIANÇA LIBRA preender, observar, encontrar ou mudar. A CRIANÇA SAGITÁRIO
Em princípio, é uma criança que aspira Mais orgulhosa e possessiva do que apa­ Seu bom humor, seu entusiasmo, basi­
à tranqüilidade, a viver em condições renta, a mentira e a traição ferem-na camente sua vontade, trazem a alegria
serenas e equilibradas. Dorme muito, profundamente. para seu meio. É uma criança que ama
mas seu sono está cheio de pesadelos Desde muito cedo, suas paixões, im­ a vida e demonstra isso claramente. O
que a deixam em um estado fora da rea­ pulsos e repulsas transbordam. E pre­ mal não é algo que permanece nela, é
lidade, como se pressentisse que a bar­ ciso ajudá-la de forma construtiva a ca­ como se tudo deslizasse, como se nada
reira entre sonho e realidade é muito nalizar suas energias instintivas e acontecesse.
tênue. É psiquicamente frágil e recep­ essenciais para que possa lançar-se nas Isso não significa que seja insensível.
tiva. Por isso precisa sentir-se em har­ profundezas da vida, encontrar a pérola Simplesmente, tem a ingenuidade de
monia com seu ambiente familiar. Os rara c compreender que não pode viver achar que, nesta vida, tudo acaba dando
climas de tensão e desarmonia inco­ ou ser como todo mundo. certo, mesmo que as pessoas não con­
modam-na muitíssimo. tribuam para isso.
Possui uma natureza delicada, um ca­ E é, em princípio, exatamente isso que
ráter flexível, vulnerável, adaptável, sem­ faz com os meios de que dispõe, sa­
pre disposta a satisfazer os outros, a não bendo que, se precisar de mais, basta
fazer nada que possa ferir ou contra­ ir buscá-los.
riar alguém. Não é por acidente que sa­ Afável, sociável, alegre, ingênua, gosta
be preservar sua independência. É com­ de se cansar fisicamente mais do que as
placente mas não servil. outras crianças, de praticar esportes e
A criança Libra detesta as injustiças. participar em competições, mas mais
Também neste aspecto, gosta de man­ por prazer do que para demonstrar sua
dar de forma discreta mas com seguran­ capacidade aos outros, pois o que a atrai
ça, arranjar as coisas à sua maneira, pôr é participar, sentir que pode expressar-
ordem à sua volta, sua própria ordem, se livremente, dar aos outros o melhor
evidentemente. de si mesma.
Precisa de tempo e reflexão para esco­ Ao crescer, sente mais ainda a necessi­
lher ou tomar decisões. Não a force, dade de grandes espaços. Ajude-a por­
mas também não lhe permita hesitações. tanto a tomar consciência dos limites
Devemos ajudá-la a tomar consciência das coisas, pois a ela isto escapa quase
da importância que as circunstâncias sempre. N o entanto, confie em sua na­
têm em sua vida. tureza generosa e benévola.
As crianças no Zodíaco

As crianças do Inverno
P odemos seguir as fases da idade da
vida — marcadas por períodos cí­
clicos de sete anos ou outros — em um
sua relação com sua mãe e a imagem
que se faz dela. A respeito disso, de­
vemos saber que um astrólogo expe­
- A Casa IV que, no caso do mapa as­
tral de uma jovem — que mais tarde
será uma mulher adulta —, é o domi­
mapa astral e assim fazer prognósticos riente pode descrever a sensibilidade cílio do pai, enquanto que no de um
sobre a evolução de um ser. da mãe da pessoa cujo mapa astral está rapaz, — que mais tarde será um
Mas, se admitirmos que o que somos analisando, unicamente a partir da po­ homem adulto, — é o setor do pai.
está inscrito em nosso mapa astral sição da Lua. - A Casa X, que, no caso do mapa as­
desde o momento do nosso nasci­ Em seguida, devemos dirigir nossa tral de uma jovem — que depois será
mento, como podemos ler c interpre­ atenção para Saturno e não para a po­ uma mulher adulta —, é o domicílio
tar as características fundamentais da sição do Sol, como normalmente se do pai, enquanto que no de um rapaz,
nossa personalidade, ainda em um es­ pensa. mais tarde homem adulto, c o d a mãe.
tágio infantil, ou seja, sem estarem De fato, existe uma tendência a se pen­ Em outras palavras, a casa IV nos in­
ainda estruturadas ou determinadas? sar, superficialmente, que, do mesmo forma do apego pela mãe por parte de
Por exemplo, em relação a uma pessoa modo que a Lua representa a figura da uma garota ainda jovem e pelo pai no
qualquer, nascida em 22 de janeiro de mãe, o Sol teria de ser logicamente a caso de um garoto, enquanto a casa X
1963, como podemos imaginar ou de­ do pai; mas não é isso que acontece. O nos informa sobre as capacidades de
cifrar sua infância lendo e interpre­ pai, a autoridade, a razão, a maturidade independência e desapego da garota ou
tando seu mapa astral? potencial do indivíduo e a identificação do rapaz em relação às suas duas fi­
E muito simples. Em primeiro lugar, deste com todos os elementos essen­ guras primordiais.
fixando nossa atenção nas situações da ciais de sua personalidade são revela­ Finalmente, a Casa II revela a força
Lua, astro que, não esqueçamos, nos das por Saturno. da união com a mãe e com o pai, e a
informa sobre a natureza e a expressão Também devemos nos fixar em dois Casa VIII a força potencial da inde­
da sensibilidade da pessoa em questão, setores do Zodíaco: pendência dos pais.
A CRIANÇA CAPRICÓRNIO A CRIANÇA AQUÁRIO A CRIANÇA PEIXES
É a criança do silêncio, pouco barulhenta, É uma criança bastante imprevisível. Esta criança possui antenas receptivas que
que parece muito concentrada em si Aparentemente tranqüila, amável, en­ captam tudo o que acontece à sua volta
mesma, pouco aberta ao mundo exterior. cantadora, mas que, de repente, pode no mundo visível e invisível. Intuitiva­
Na realidade, se em princípio se fecha ser irrequieta, indomável, resmungona, mente, sabe se é amada ou se é rejeitada.
em si mesma, é para reunir melhor suas suscetível. Estas mudanças de atitude Em princípio, vive em um estado de tal
forças, pois quase sempre possui uma vi­ devem-se ao fato de ser receptiva a identificação e fusão com a mãe, em cujo
talidade frágil, que compensará com uma todas as correntes exteriores que se ventre teria ficado encantada, e depois
grande resistência e um sistema de au­ cruzam em seu caminho e que lhe com seu meio relacionai e físico, que as­
todefesa muito elaborado. Sua sensatez custa canalizar, das quais se defende pira durante toda sua vida a encontrá-lo
e seu semblante sério algumas vezes in­ e contra as quais se rebela para poder de novo, quase sempre contra sua von­
comodam, pois dá mostras de uma se proteger delas. Possui o instinto do tade ou inconscientemente. Isso explica
grande maturidade precoce. Esta carac­ relativo, as mudanças de valores, as vol­ sua natureza angustiada, sua frágil vita­
terística do caráter é muito flagrante nas tas nas situações e a outra face da lidade, suas emoções exacerbadas, que
garotas deste signo, que têm uma luci­ moeda. Daí seu gosto pelo paradoxo, compensa mostrando uma grande capa­
dez e um realismo que confundem. pois vê o lado oposto de cada coisa. Por cidade de adaptação face aos demais ou
A criança Capricórnio mostra-se mais brincadeira ou por simples curiosidade, aproveitando desde muito pequena seu
razoável que seus pais, assumindo fa­ dirá "não" quando tiver vontade de dom inato de compreender e participar
cilmente o papel de pai ou de mãe dizer "sim", só para experimentar uma nas alegrias e tristezas dos outros. Hiper­
quando uma das duas figuras está au­ situação paradoxal e para pôr à prova sensível, tem uma personalidade poten­
sente. Pouco aberta, é muito sensível à nossas reações. Dinâmica, sociável, de­ cialmente rica e abundante.
estima que lhe é dirigida. Suas feridas senvolta, às vezes instável e muito in­ Devemos ajudar esta criança a dar um
de amor-próprio a mortificam e podem disciplinada, mostra-se unicamente efi­ sentido à sua vida. De fato, sem uma
transformá-la em intransigente, podem caz quando algo a motiva de verdade, motivação específica, sem um objetivo,
irritá-la, fazendo-a rejeitar toda a con­ caso contrário faz o que tem de fazer e sem disciplina, sem discernimento,
cessão, não ceder nem perante suas fra­ ponto final. Interessa-se por tudo que corre o risco de afogar-se em si mesma,
quezas nem perante as dos outros. É é novo, moderno, original, de van­ fazendo com que suas qualidades e dons
mais indisciplinada e independente do guarda. Entretanto, não dá muita im­ fiquem em um estado letárgico. Entre­
que parece e odeia o imprevisto. Para portância às convicções, princípios e tanto, se conseguirmos situá-la em um
proteger-se disso, aproveita seu espírito regras. Gosta da amizade, das relações determinado âmbito, será capaz de rea­
lógico, seu sentido de organização, sua múltiplas e variadas, mas aspira a ser lizar grandes coisas, tanto para ela
vontade tenaz e ousada. o mais livre possível. quanto para os outros.
Os Zodíacos

O Zodíaco do corpo
Cada signo do Zodíaco apresenta analogias com determinadas zonas da anatomia.
Cada um tem seus sintomas, seus pontos sensíveis ou fracos.
Descubramos estes e atuemos de modo preventivo, segundo nosso signo natal.

Touro
Áries Pescoço, nuca, garganta, lábios, língua, laringe, amigdalas, maçãs do
Cabeça, crânio, cérebro, mandíbula superior, maçãs do rosto, rosto, queixo, vértebras cervicais, veia jugular.
músculos faciais, olhos, artéria carótida. Afonia, problemas de garganta e cervicais; todos os inconvenientes
Crises inflamatórias agudas, febres intermitentes, neuralgias, que podem ser produzidos pelo bom viver.
enxaquecas, vertigens, hemorragias nasais.

Gêmeos Câncer
Braços, mãos, pulmões, brônquios, vias Estômago, esôfago, fígado, pâncreas, seios, sistema
respiratórias, oxigenação do sangue, linfático, suco gástrico, diafragma, tireóides.
caixa torácica, esterno, sistema nervoso. Problemas digestivos, aerofagia, úlcera, obesidade,
Problemas pulmonares, asma, alergias, crises hepáticas, contrações do diafragma devidas
dificuldades respiratórias, a angústias.
doenças nervosas

Leão
Coração, aorta, ritmo cardíaco,
vértebras dorsais, músculos da \
espalda, medula espinhal, plexo solar. Virgem
Hipotensão ou hipertensão arterial,
Baço, vesícula biliar, intestinos, duodeno,
doenças do coração, escoliose,
região abdominal.
fragilidade das vértebras dorsais..
Hipocondria, depressão, prisão de ventre,
cálculos biliares, dores de barriga, doenças
Libra —a intestinais crônicas.
Ouvido, rins, uretra, vértebras lombares,
dilatação e contração dos vasos. Escorpião
Problemas e cálculos renais, problemas Nariz, órgãos genitais, púbis, bexiga, uretra, próstata, glândulas
do sistema urinário, lumbago, eczemas, sexuais, hemoglobina.
vertigem com perdas de equilíbrio. - Reumatismo e sinusite crônicos, hérnias, problemas uterinos ou da
""•* próstata, doenças venéreas.

Sagitário
Capricórnio
Quadris, pélvis, glúteo, cóccix, sacro, coxas,
Cabelos, pele, unhas, joelhos, rótulas, meniscos,
osso ilíaco, fêmur, nervo ciático, artéria femoral.
fixação do cálcio.
Desgaste dos quadris ou da pélvis
Problemas com as articulações, descalcificação,
ciática, reumatismos. ^--^^
— fragilidade dos meniscos, doenças de pele.

Peixes
Pés e dedos dos pés, circulação do sangue,
Aquário
veias, humores, sinóvia, glândula pineal
Pernas, tíbia, astrágalo,
ou epífise.
perônio, tornozelos, calcanhar,
tendões, nervos. Problemas circulatórios e
Doenças nervosas, hipertensão, venenosos, inflamações dos gânglios,
fragilidade das extremidades. , pés frágeis, doenças estranhas
~~~ e difíceis de diagnosticar.
O s antigos povoadores da Mesopo­
tâmia, os egípcios e os chineses
de há dois ou três mil anos, e, mais
O éter pitai, que favorece as funções de
reprodução, de procriação e de ges­
tação no corpo físico, encontra-se em
Assim, os quatro fluidos sutis do corpo
etéreo estão regidos pelos quatro signo
fixos do Zodíaco.
próximos a nós, os árabes do século analogia com o signo zodiacal de Pode ocorrer que este corpo seja cha­
X de nossa era, praticavam corrente­ Escorpião. mado, erroneamente, corpo astral. É
mente a medicina chamada dos três O éter luz, que ativa a circulação san­ certo que algumas pessoas privilegia­
corpos, contidos e revelados no Z o ­ güínea, o ritmo cardíaco e as funções das conseguem perceber uma auréola
díaco. receptivas dos cinco sentidos do corpo em torno da cabeça ou do corpo das
Segundo a tradição milenar dos médi­ físico, está em relação com o signo outras pessoas, de cor cinza rosada,
cos da Antigüidade — que exerciam de Leão. azulado ou violeta índigo. O apareci­
com freqüência e simultaneamente O éter espelho, que estimula e coordena mento fugaz desta auréola deu aos pin­
funções de astrólogos ou de sábios em as funções do pensamento no cérebro tores da Idade Média a idéia de repre­
muitos campos — o ser humano está do corpo físico, tem muita influên­ sentar a Trindade e os santos como
formado por três corpos: o corpo físico, cia sobre nossos desejos e nossos atos personagens com auréolas sobre ou em
o corpo etéreo (o vital) e o corpo as­ e está em relação com o signo de torno de suas cabeças. Diz-se também
tral (o emocional) também chamado Aquário. hoje a propósito de alguém brilhante,
corpo do desejo, ou ainda, na Índia, que está envolto em uma certa aura.
corpo sutil. Mas esta manifestação é do corpo e não
tem nada que ver com a vibração do
OS TRÊS CORPOS corpo astral, demasiado sutil para
O corpo físico é, naturalmente, ser notado a olho nu.
Chakras
o alvo para o qual a medicina O corpo astral, também cha­
moderna tem dirigido toda mado emocional, tem de
sua atenção e todo seu in­ fato, um grau de vibração
teresse. Está constituído, e de esplendor muito
segundo a tradição, de mais elevado que o do
três princípios ou es­ corpo etéreo. A tradi­
tados corresponden­ ção dos médicos da
tes aos três elemen­ Antigüidade revela
tos primordiais: que este resplendor
sólido (elemento cobre aproximada­
Terra), líquido (ele­ mente um campo
mento Água) e ga­ que abarca de 40
soso (elemento centímetros a 3 me­
Ar). Trata-se do tros cm torno do
corpo da matéria, corpo físico, de­
do invólucro físico pendendo dos esta­
c carnal, cujos mús­ dos psíquicos do ser
culos, nervos, ór­ cm questão. Este
gãos c vísceras estão terceiro corpo está
sustentados pela ar­ Corpo físico Corpo etéreo formado por uma en¬
mação óssea. voltura oval difusa,
O corpo etéreo, tam­ presa por torvelinhos
bém chamado corpo constantes, redemoinhos
vital, está composto de fulgurantes que se acele­
quatro éteres ou fluidos ram, às vezes segundo os
sutis: pensamentos, as emoções, os
O éter químico, que rege as fun­ humores e os desejos. Seu ele­
ções de assimilação e de elimina­ mento primordial é o Fogo c está
ção, de absorção e de expulsão do Corpo astral provido de 7 pontos ou portas de per­
corpo físico, está em analogia com o cepção, que correspondem exatamente
signo de Touro. aos chakras.
O Zodíaco das flores
e dos perfumes (I)
Cada signo do Zodíaco tem suas flores. Cada flor tem seu perfume,
suas virtudes e suas propriedades medicinais. Entre no jardim do Zodíaco!

D a mesma forma como os 12 signos


astrológicos são distribuídos em
relação às estações, também existem nu­
às flores, por exemplo, é óbvio que se
nos referíssemos exclusivamente aos
seus períodos de germinação, rebento,
res, as poções, as apózemas, os elixires,
as beberagens mágicas, as essências, os
remédios medicinais que se prepara­
merosas analogias entre cada um des­ floração, grande parte delas, para não vam a partir dos elementos encontra­
ses e os elementos da natureza. Pedras, dizer a maioria, corresponderiam aos dos no jardim da natureza, eram já uti­
plantas, flores, árvores, frutos e animais signos da Primavera e do Verão, algu­ lizados pelas diferentes culturas da
estão em correspondência com cada um mas com os signos do Outono e muito Antigüidade cm todos os confins do
dos signos do Zodíaco, segundo uma poucas com os signos pertencentes ao planeta.
distribuição sutil e minuciosamente ela­ Inverno. A partir destes critérios tradicionais re­
borada. Certas flores que aparecem durante a construímos o Zodíaco das flores, que
Tal associação nem sempre tem uma Primavera ou Verão são atribuídas aos lhe permitirá descobrir que flores co­
relação direta com a estação ou perío­ signos de Libra, Escorpião, Sagitário, rrespondem a seu signo e poder assim
do do ano propícios ao aparecimento Capricórnio, Aquário ou Peixes, de­ vir a favorecer o seu bem-estar ou ale­
de um ou outro fenômeno natural, vido a suas características, a seu aspecto grar sua vida cotidiana, pois "as flores
mas que se relaciona algumas vezes ou a propriedades medicinais conhe­ de ontem são os sonhos de hoje", se­
com as características fundamentais do cidas desde o início dos tempos. De gundo um antigo e conhecido provér­
signo em questão. Quanto às plantas e fato, as virtudes das plantas e das flo­ bio japonês.
A urze A camomila A margarida
Relaciona-se com este É conhecida porque acal- Seu nome, de origem
signo pelo seu aspecto de ma as enxaquecas nervo- oriental, significa "pérola
arbusto, muito decora- sas de que sofrem mui- rara". É um símbolo do
tivo. Suas propriedades tas vezes os nativos amor que muitas vezes
medicinais diuréticas são deste signo. faz sofrer, impacienta,
um anti-séptico para as amor exclusivo do nativo
vias urinárias, conferem-lhe uma correspon- de Áries. Seu oráculo, que consiste em des¬
dência com o signo de Escorpião, cujo re- folhá-la, é algumas vezes tranquilizador...
Áries gente, Marte, é também o regente de Áries. e outras não.

A genciana O lilás O lírio-dos-vales


É associada a este signo De origem persa, é a flor Acreditava-se que pro-
por sua lentidão em flo- do amor por excelência. duzia um encantamento
rescer e por sua longe- Tal como a andorinha de amor. Possui também
vidade. De fato, a gen- anuncia a Primavera, a um poder estimulante
ciana amarela pode viver floração dos lilases anun- das faculdades intelec-
até 50 anos. Além disso, cia a estação dos amores tuais e da curiosidade
sua raiz era empregada nos rituais de amor consagrados a Vênus, o regente deste dos nativos deste signo, que têm muitas
para favorecer o retorno do carinho e es- signo. vezes uma mente lenta e conservadora.
Touro timular a sensualidade.

A lavanda O narciso A peônia


Favorece o cumprimento Seu perfume embriaga¬ Está relacionada com
dos desejos e sonhos dor adormece aquele que este signo por sua bela
amorosos. Seu perfume o sente. Leva-o a sonhar cor vermelha e por suas
apazigua a agitação men- a vida mais do que a propriedades calmantes,
tal própria dos nativos vivê-la, a ser mais espec- contra as doenças ner-
deste signo. tador do que ator; possui vosas destes nativos.
propriedades medicinais recomendadas
para combater a asma e problemas nervo-
Gêmeos sos, freqüentes nos nativos deste signo.

A madressilva O lírio O hipericão


Como os nativos deste É a flor da imortalidade. Conhecida também co-
signo, só consegue abrir- Muito apreciada pelos mo erva-de-são-joão, pro-
se em um lugar propicio, nativos deste signo, que tege contra os demônios
benéfico, tranqüilo. Suas aspiram muitas vezes a da angústia, a melanco-
virtudes estimulam a con­ que o tempo pare. Suas lia e as ilusões pernicio-
fiança em si mesmos dos propriedades estimulam sas das quais podem ser
seres nostálgicos com tendência a refugiar- e favorecem a inspiração e a imaginação vítimas os nativos de Câncer. Apazigua a
se em seus sonhos ou em seu passado. criativas. alma e fortalece o espírito.
Câncer

A flor-de-lis O lótus O girassol


É a flor dos deuses e dos Pela exuberância de suas Como seu nome indica,
reis, da força divina e do ' sementes, simboliza a ri- gira em busca do sol. Sua
poder temporal. É tam- queza e a prosperidade, forma e aspecto lem-
bém a flor do amor e da o amor absoluto, a feli­ bram inevitavelmente o
beleza da pele, uma flor cidade perfeita. Suas vir­ astro regente deste sig-
sagrada digna dos nati- tudes atenuam os arre- no zodiacal.
vos deste signo. bates de orgulho e favorecem a expressão
serena da identidade.
Leão

O ranúnculo A chicória A digital purpúrea


Também chamado botão-­ Afasta os estados de- Também chamada dedo-­
de-ouro, possui proprie- pressivos dos quais são da-virgem pois, segundo
dades conhecidas para muitas vezes vítimas os a lenda, Maria a utilizou
reforçar o eu e a iden­ nativos deste signo. Além para curar uma ferida no
tidade de quem, como os disso, estimula as fun- seu dedo polegar. Possui
I nativos de Virgem, tem ções digestivas. virtudes conhecidas para
tendência para duvidar e subestimar-se. proteger o bem-estar e a saúde com a qual
os nativos deste signo tanto se preocupam.
Virgem
O Zodíaco das flores
e dos perfumes (II)
A dália A rosa A violeta
Está relacionada com o É a rainha das flores. Com É uma das flores que cres­
signo de Libra, sempre aquele perfume tão pro­ cia entre as rosas e ja­
tão preocupado com a fundo e penetrante, sim­ cintos no jardim onde
aparência, as formas e as boliza o amor perfeito, Hades-Plutão seqüestrou
normas, pelo seu aspecto eterno, mais forte que a Perséfone. Utilizava-se
ornamental e harmonioso morte. Quando descobri­ para elaborar poções de
e por seu perfume sutil. ram o túmulo de Tut Ank Amon, em 1922, amor. Relaciona-se com a doçura, o encanto
foram encontrados vários ramos de rosas in­ delicado, a necessidade de harmonia e a de­
Libra tactos, que a rainha Ank Sen Amon, sua es­ licadeza dos nativos deste signo.
posa, tinha colocado sobre o sarcófago há
mais de 3200 anos. A rosa é bela, frágil,
delicada, preciosa, refinada... qualificativos
que se encaixam bem no signo de Libra.

A
O Crisântemo A orquídea dormideira
É literalmente a "flor de Relacionada com o signo Possui virtudes narcóti­
ouro", símbolo de pleni­ de Escorpião, a orquídea cas e alucinógenas, mas
tude, perfeição e imor­ é considerada a flor da estes efeitos podem atuar
talidade, cuja floração paixão amorosa e sen­ como um veneno mortal.
ocorre no período que sual. Etimologicamente Relaciona-se com o so­
corresponde ao signo de significa "testículos" e nho, o esquecimento, a
Escorpião. Em alguns lugares, é conhecida corresponde aos órgãos reprodutores. Na morte e a ressurreição, atributos dos na­
também por flor de todos-os-santos. É o Idade Média, as infusões com o tubérculo tivos do signo de Escorpião.
Escorpião emblema da vida eterna. da flor eram utilizadas como afrodisíacos.

A angélica O jasmim A Calêndula


É a flor do anjo ou, mais Simboliza a felicidade e a Seu nome em latim re­
I precisamente, do arcanjo prosperidade. Suas pro­ mete a calenda e Calen-
I Rafael, o que cura. Sua priedades medicinais fa­ darium. Chamada tam­
lenda conta que revelou vorecem o despertar e a bém de maravilha, é a
as virtudes desta flor, clareza da inteligência flor da felicidade e da
concretamente, para ven­ prática e as faculdades providência. Dela tira-se
cer a peste. É considerada o agente de união superiores do espírito. a tinta de Calêndula, que desinfeta, cicatriza
entre a vida material e a vida espiritual, e cura as feridas. Deixa-nos sociáveis, co­
Sagitário ambas necessárias para a total realização municativos, compreensivos, tolerantes e
dos nativos deste signo. condescendentes, tal como são ou aspiram
a ser os nativos deste signo.
A capuchinha O azevinho A malva
Chamada assim pelo seu Esta planta conserva sua É uma flor irisada de vio-
aspecto em forma de cor verde durante o In- leta. Segundo Plínio, o
capuz, que lembra o do verno. Simboliza o renas- Velho, escritor e natura-
hábito dos monges fran- cimento do dia e da luz lista latino do século I d.
ceses, é conhecida por que se produz no solstí- C, "quem beber, todos
suas virtudes tonificantes cio de Inverno, quando o os dias, meio copo de
e estimulantes das energias vitais. Favorece Sol entra no signo de Capricórnio. E sinal de seiva de malva livra-se de todas as enfer-
a flexibilidade e a abertura de espírito, coisa felicidade, longa vida e riquezas adquiri- midades". É escolhida para afugentar o fa-
Capricórnio que falta, às vezes, aos nativos deste signo. das graças a seus esforços. talismo ou as idéias sinistras dos nativos
Combate também a senilidade, da qual de Capricórnio.
podem sofrer prematuramente, pois as pes-
soas de Capricórnio tendem a uma maturi-
dade precoce.

O loureiro A primavera A verbena


Na Grécia era dedicado a É a primeira planta em Significa literalmente "er-
Apolo, que o mastigava flor da estação do ano va das insolações", já
para realizar seus orácu- que lhe dá o nome. Mas que reflete a luz solar e,
los, e também ao deus do está relacionada com o ao esfregar o corpo com
vinho, Dionísio. Em Roma, segundo signo do Inverno um ungüento à base de
era consagrado a Júpiter porque simboliza a espe- verbena, os antigos ro-
e simbolizava as honras. É uma árvore pre- rança, a renovação, as aspirações e os pro- manos protegiam-se dos efeitos dos raios
sente em todo o Mediterrâneo. Nos antigos jetos, embora esteja ao mesmo tempo vin- ultravioleta. Acalma a agitação dos nativos
Aquário Jogos Florais, coroava-se os poetas com fo- culada com a libertinagem. deste signo, modera seu entusiasmo, alivia
lhas desta planta. a dor das câimbras e fadiga aos que são
tão propensos os nativos de Aquário.

A papoula O miosótis A Sálvia


É uma bela flor vermelha Relaciona-se com a me- É a planta que "salva" e
da família das dormidei¬ mória e a vivacidade de cura todos os males.
ras. Desde os tempos da espírito, que estimula, "Como pode morrer
Antigüidade, é conhecida mas também com a fi- aquele que tenha Sálvia
por acalmar os distúrbios delidade e a constância. em seu jardim?", diz-se
emocionais e o sono dos Não é em vão que suas em algumas regiões. Os
quais são muitas vezes vítimas os nativos flores são conhecidas pelo nome de "não- médicos da Antigüidade e os fisiotera-
de Peixes. Além disso, ajuda a uma melhor me-esqueças". Afasta os estados de an- peutas modernos estão de acordo em que
Peixes adaptação à vida cotidiana. Seu nome pro- gústia irracional e de idéias negativas que possui virtudes universais. Estas noções
vém do vocábulo moçárabe habapáura. É com tanta freqüência afligem os nativos de universalidade e milagre relacionam-
sudorífera e um pouco calmante. deste signo. se com as aspirações dos nativos de Pei-
xes, signo considerado pela astrologia tra-
dicional como o salvador do mundo.
O Zodíaco
das pedras preciosas
Utilizando analogias sutis, os sacerdotes da Mesopotâmia atribuíram aos 12 signos do Zodíaco
pedras cujas propriedades e virtudes guardam afinidades com cada um deles.

A famosa pedra da sorte, por mais an­


tiquada que esteja no espírito de
muitos pessoas, é no mínimo um ob­
Nossos antepassados, mais pragmáticos
que nós, atribuíram um caráter mágico
e sagrado a certas pedras com virtudes
qualidades ou propriedades totalmente
imaginárias para fazer um comércio lu­
crativo; suas conclusões foram o pro­
jeto de curiosidade. Em certas publi­ terapêuticas evidentes para eles. duto de longas observações atentas e
cações duvidosas, vemos uma publici­ Foram principalmente os sacerdotes ba­ metódicas.
dade — muitas vezes enganosa — que bilônios e caldeus da Mesopotâmia que Estudaram escrupulosamente as quali­
vende virtudes protetoras e benfazejas estabeleceram analogias entre as pedras, dades de cada pedra e o uso que podiam
desta ou daquela pedra milagrosa, res­ os signos do Zodíaco e os astros. Porém fazer a título preventivo ou terapêutico
paldada por testemunhos. seu propósito não era o de entregar-se e, em um afã classificador e de utilidade
É certo que, como vivemos em um ao jogo intelectual das analogias nem pública, por assim dizer, realizaram um
mundo de uma grande insegurança e enganar as pessoas, ao atribuir às pedras Zodíaco das pedras.
ao termos necessidade de consolo moral Nós o reconstruímos, sublinhando as
ou afetivo, há um número cada vez razões que levaram os antigos a atribuir
maior de pessoas que afirmam tal pedra a um signo em vez de
que, ao fim e ao cabo, se a outro, permanecendo assim
pedra em questão não nos fiéis ao grande princípio do
faz nenhum bem, tam­ sistema analógico que
bém não nos provoca preside à estrutura do
nenhum mal. Zodíaco.
ÁRIES confere poder de imortalidade a quem sentimentos extremos, a fé e o ardor, possuía
A este signo se atribui a ame­ a leva consigo. Câncer está em analogia virtudes regenerativas e podia revelar
tista, que tem uma cor violeta com a opala, cuja origem vem do hindu a traição e a mentira; pelo menos, é isso
devido ao seu cristal de quartzo upala c significa "pedra nobre". que diziam.
estar colorido com o óxido de ferro. Seu
nome de origem grega significa literal­ LEÃO SAGITÁRIO
mente "não se embriaga" ou "não está O rubi, cujo nome em latim Agranada, que recebe seu nome
ébrio". Suas virtudes fisiológicas são su­ significa "vermelho, averme­ de "grano" e "semente", é uma
postamente as de curar os alcoólatras ou lhado", é uma pedra vermelha pedra fina de silicato natural de
preservar os que bebem contra a em­ da família dos corindos, à qual também cor vermelha. E considerada símbolo da
briaguez. Segundo algumas culturas da pertence a safira. Como simboliza a fe­ sinceridade, da boa fé, da franqueza e da
antigüidade, curava os problemas ocu­ licidade e é considerada a mais bela das fidelidade e de suscitar otimismo e bom
lares c as dores de cabeça e favorecia o pedras preciosas criadas pela natureza, humor, honestidade e felicidade e que
bom equilíbrio moral, espiritual e ener­ ela foi considerada um atributo do signo atrai honrarias. Sagitário está também em
gético. de Leão. Mas também é por causa de relação com o carbúnculo, uma variedade
suas supostas virtudes, como dar alegria, vermelho-escura do corindo.
TOURO êxito e riqueza, e representar o valor, a
A ágata, uma variedade de Cal­ força de ânimo e a lealdade. CAPRICÓRNIO
cedônia constituída de veias de O ônix, cujo nome significava
quartzo e de opala em zonas VIRGEM antigamente "unha" ou "garra",
concêntricas, é geralmente branca, polida Sua pedra, o Jaspe, cujo nome é uma variedade de ágata de
e brilhante, algumas vezes negra, com lis­ é de origem semítica, é uma cores variadas, ou também branco e
tras brancas. Em analogia com o signo de Calcedônia de cores variadas. negro. Tinha muito má reputação, pois
Touro, favorece à prosperidade, a ferti­ Anteriormente acreditava-se que tinha acreditava-se que provocava pessimismo
lidade, as colheitas abundantes e a lon­ poder de animar o espírito, de recon¬ e tristeza. Porém a ele era atribuída tam­
gevidade. Suas virtudes terapêuticas são fortar e fazer com que o indivíduo bém a virtude de liberar as pessoas de
famosas por reforçar as cordas vocálicas triunfasse em todas as ocasiões. Além conflitos, de dramas e desgraças c de tra­
e curar as dores de garganta. de acalmar os nervos, favorece a reali­ zer sabedoria e paciência para quem o
zação dos partos. trazia consigo.
GÊMEOS
Sua pedra, o berilo, cujo nome LIBRA AQUÁRIO
cm grego significa "brilhante", O diamante, a mais preciosa A safira recebe seu nome de
tem o aspecto de uma gema das pedras, é um cristal de car­ uma raiz semítica que significa
transparente de cores variadas, como bono puro, cujo nome signi­ simplesmente "pedra azul". É
são as cores da floração da primavera fica literalmente "atravessa o ferro também uma espécie de corindo. É um
com a qual este signo está em cor­ duro". Evidentemente deve ser sua símbolo da verdade última ou suprema
respondência. Por outro lado, ela está grande pureza a associação com o signo e de justiça imanente. Favorece o al­
associada à inteligência teórica e à ha­ de Libra, mas também porque é o sím­ truísmo e a generosidade, estimula a
bilidade intelectual manual, e é con­ bolo da perfeição e do equilíbrio irre­ imaginação e a curiosidade e atrai a sim­
hecida a sua utilização na prática da movível. Além disso, os sacerdotes cal­ patia e numerosas amizades.
cristalomancia para favorecer a medi­ deus o empregavam para fazer justiça.
tação, a reflexão, a concentração ou a Por último, favorece a harmonia dos PEIXES
vidência. sentimentos e preserva a inocência. O Crisólito, verde-claro, é uma
variedade de ferro e magnésio.
CÂNCER ESCORPIÃO Está associado ao Sol e simbo­
Sua pedra é a esmeralda, cuja raiz O topázio é originário de uma liza o poder, a riqueza e o triunfo. No
I etimológica tem origem sâns­ ilha do mar Vermelho, da qual entanto, é a pedra que se atribui ao signo
crita (samarka). Normalmente recebe seu nome, e da qual de Peixes, pois possui propriedades cal­
sua cor é verde-mar, mas também ama¬ vem a lenda segundo a qual estava sub­ mantes da emotividade, dos loucos e dos
relo-verde ou amarelo. Não é de estra­ mersa dia e noite nas névoas e era po­ doentes. Além disso, estimula os dons
nhar que suas virtudes sejam as da eterna voada exclusivamente por serpentes. De da premonição. Peixes também está em
juventude, mas também as da esperança cor amarela ou amarelo-verde, suscitou relação com a alga-marinha, mineral de
e da fertilidade. Certas pessoas crêem que em outras épocas as paixões e os senti­ cor semelhante.
Os zodíacos

As afinidades entre os signos


Será ele o homem de sua vida? Será você a mulher ideal para ele? O Zodíaco das afinidades
pode nos ajudar a desvendar estas questões. ..e a aumentar nosso auto-conhecimento.

E xistem combinações perfeitas entre


certos signos do Zodíaco que
podem nos ajudar a constituir um
como tal c que, no entanto, experi­
mentam sentimentos próprios dos
nativos do signo de Câncer ou de
casal ideal? Sim, mas... As boas Virgem, no primeiro caso, ou
relações e as boas alianças de Gêmeos ou Libra, no se­
acontecem primeiro entre as i gundo.
pessoas e não entre os signos. A partir daqui, nosso nativo
Aproveitemos a oportuni­ do signo de Leão, que do pon­
dade para destacar um tópico to de vista astrológico está es­
em astrologia, baseado em pontaneamente em harmo­
informações errôneas: é falso nia com os signos de Fogo
acreditar que certos signos como ele — Áries e Sagitário
estão sistematicamente pre­ — poderá sentir atração ou
destinados a se entenderem, ao * afinidade, de acordo com o que
passo que outros estariam defi­ estiver indicado em seu mapa as­
nitivamente condenados a se odia­ tral, por um nativo de Câncer ou
rem e a se ignorarem. A complexa na­ de Peixes (signos de Água), se Vênus
tureza das motivações, dos sentimentos se encontrar em Câncer no seu mapa
e dos desejos de cada um de nós, a har­ astral; por um nativo de Touro ou de
monia de relações a que aspiramos, Virgem (signos de Terra), se Vênus es­
pode revelar-se tanto na complemen­ tiver situado no signo de Virgem; por
taridade como na oposição de alguns um Gêmeos, Libra ou Aquário (signos
signos do Zodíaco. de Ar) ou por um Leão como ele, se
Vênus se encontrar em Gêmeos ou em
0 SUTIL JOGO Libra.
DAS AFINIDADES
Não devemos esquecer que os astrólo­ A COMUNICAÇÃO
gos, que imaginaram, conceberam e ELEMENTAR
criaram o Zodíaco, o fizeram à nossa ENTRE OS SIGNOS
imagem. Assim, o jogo das afinidades Na triplicidade de Fogo, Áries admira e
entre os seres, e portanto entre os sig­ gosta de Leão; Leão observa e aprecia
nos, é às vezes óbvio, claro, evidente, Sagitário; Sagitário apaixona-se ou
lógico; outras vezes sutil, turvo, com­ conquista Áries, que o seduz.
plexo, paradoxal. Porém, o signo de Sagitário pode tam­
Por exemplo, no mapa astral de alguns bém apaixonar-se por Leão, ao qual ten­
dos nativos de Leão, Vênus — o astro tará conquistar e domar; Leão pode
que rege o amor — está situado no apaixonar-se por Áries e Áries pode ati­
signo de Câncer ou de Virgem, ao pas­ rar-se cegamente nos braços de um na­
so que, para outros nativos de Leão, tivo de Sagitário.
Vênus se encontra no signo de Gêmeos Seus amores são apaixonados. Suas re­
ou no de Libra. Em ambas as situações lações e ligações são escandalosas, exi¬
encontramos nativos de Leão que ex­ bicionistas, ardentes, passionais e ge­
pressam e manifestam sua vontade nerosas. Há muita nobreza entre eles.
Qual dos dois se consumirá mais pelo
outro? 0 Zodíaco das afinidades entre os signos
Na triplicidade de Terra, Touro se inte­ Linhas azul-escuras: se quiserem en­ Linhas vermelho-escuras: repelem-
ressa por Virgem; Virgem acalma-se to­ contram a harmonia, valorizam-se. É o se ou atraem-se, opõem-se ou fundem-
talmente ao lado do racional e tenaz caso dos signos de Áries, Leão e Sagi­ se. É o caso de Áries e Balança; Touro e
Capricórnio; o nativo do signo de Ca- tário; Touro, Virgem e Capricórnio; Gê­ Escorpião; Gêmeos e Sagitário; Câncer
pricórnio gosta da paz, do senso co­ meos, Libra e Aquário; Câncer, Escorpião e Capricórnio; Leão e Aquário; Virgem e
mum e do comportamento saudável e e Peixes. Peixes.
folgazão de Touro. Linhas azul-claras: compreendem-se, Linhas vermelho-claras: ignoram-
Mas Capricórnio também não fica in­ apóiam-se mutuamente, são cúmplices se, evitam-se ou então descobrem-se e
diferente diante do sutil mas irresistí­ no verdadeiro sentido da palavra. Trata- adaptam-se um ao outro. Trata-se de
vel encanto de Virgem; o nativo de se de Áries e Gêmeos; Touro e Câncer; Áries e Câncer; Touro e Leão; Gêmeos e
Virgem sente-se atraído pelo senti­ Gêmeos e Leão; Câncer e Virgem; Leão Virgem; Câncer e Libra; Leão e Escorpião;
mentalismo de Touro; e Touro gosta e Libra; Virgem e Escorpião; Libra e Sagi­ Virgem e Sagitário; Libra e Capricórnio;
de ser apoiado por Capricórnio, que lhe tário; Escorpião e Capricórnio; Sagitário Escorpião e Aquário; Sagitário e Peixes;
assegura tranqüilidade e bem-estar ma­ e Aquário; Capricórnio e Peixes; Aquário Capricórnio e Touro; Aquário e Touro;
teriais. e Áries; Peixes e Touro. Peixes e Gêmeos.
De tudo isso, resultam amores sólidos,
duradouros, às vezes indefectíveis, ca­
sais modelo, que resistem a ventos e
tempestades, por suas relações se base­ As relações complexas
arem em interesses comuns e numa fi­
delidade infalível.
Na triplicidade de Ar, o nativo de Gê-
meos é freqüentemente atraído pelo
encanto da beleza plástica de Libra; o
de Libra, pelo espírito livre e o gosto
pelo paradoxal de Aquário; Aquário i
fica fascinado pela leveza e as múltiplas
facetas da personalidade do nativo de
Gêmeos.
Mas o nativo de Aquário pode também
ficar subjugado pela ética e pela dupla
personalidade de uma pessoa de Libra; As relações harmoniosas
o de Libra deixa-se influenciar pela in­
teligência flexível e brilhante do nativo

de Gêmeos; ao passo que o nativo de N o entanto, este nativo do signo de


0 que é a triplicidade?
Gêmeos pode sentir-se seduzido pelo Peixes pode sentir-se seduzido ou atra­
No Zodíaco, uma triplicidade é formada
caráter independente e as idéias origi­ ído como um ímã pelos impulsos secre­
por três signos zodiacais que têm um ele­
nais de Aquário. tos e passionais do nativo de Escorpião,
mento em comum.
Em conseqüência, daqui resultam amo­ enquanto que o nativo do signo de
• Áries, Leão, Sagitário: Fogo, res ao mesmo tempo leves e cerebrais, Escorpião verá exaltado seu desejo ao
• Touro, Virgem, Capricórnio: Terra, uniões onde a fantasia e a imaginação lado de uma pessoa de Câncer que, por
• Gêmeos, Libra, Aquário: Ar, ocupam um lugar importante. sua vez, encontrará a ternura e a doçura
• Câncer, Escorpião, Peixes: Água. Na triplicidade de Água, o nativo de Cân- de que necessita nos braços de um na­
cer aspira a ficar submetido aos desejos tivo de Peixes.
Cada um dos três signos que comparti­ ou a servir às ambições do nativo de Deste modo, encontramo-nos diante de
lha o mesmo elemento tem afinidades com Escorpião; o de Escorpião fica enfei­ relações ideais, sensuais e apaixonadas.
os outros dois. De fato, juntos, represen­ tiçado pela agitação emocional e intui­ Às vezes desenvolvidas com uma co­
tam os três aspectos e as três expressões tiva do nativo de Peixes; o nativo de notação mística e uma forte tendência
naturais e complementares do elemento Peixes é sensível à doçura sensual e ma­ para o transbordar das emoções e dos
em questão. ternal do nativo de Câncer. sentimentos.
As previsões

A astrologia de prognósticos
E sefalássemos dofuturo? Não é este o objetivo de qualquer estudo astrológico? De nossa parte, pensamos
que o estudo de um mapa astral ilumina a personalidade de um ser, seu destino e seu futuro.

V ivemos em uma época em que os


homens crêem que são raciona­
listas. Só queremos acreditar nas coisas
feito o homem. Já tentamos inclusive
remeter-nos às origens da vida para ma­
nipulá-la, fazê-la mais sadia, mais fiá­
uma angústia inerente à natureza hu­
mana: que nos espera o amanhã? De
fato, quer queiramos quer não, e em­
que nos parecem tangíveis e que pos­ vel c, por que não, mais uniforme. bora pareça uma visão um pouco fata­
sam ser medidas, comprovadas, que Isto produz uma série de problemas éti­ lista e derrotista da vida, o futuro do
sejam padronizadas e uniformes. Hoje cos, mas não importa: nossa visão c in­ homem, qualquer que seja seu nasci­
em dia, a nosso ver, para que um fenô­ terpretação do mundo c da realidade são mento, sua inteligência, seus dons, suas
meno seja levado em consideração deve mais fortes. Estamos tão convencidos qualidades e seu valor, é morrer e de­
poder repetir-se ou reproduzir-se de de que temos razão que não nos ques­ saparecer. O homem da Antigüidade
forma imutável, constante e idêntica. tionamos nem por um instante sobre soube combater a angústia com a morte
Não estamos longe de pensar que a na­ a possibilidade de podermos estar equi­ imaginando um além, uma vida depois
tureza procede de uma imensa mecâ­ vocados. da vida, uma viagem para mais além do
nica complexa, certamente, mas que tempo, e do mundo visível de limites
não resiste a nenhuma análise, e o 0 MEDO DO AMANHÃ bem claros. Para ele, a vida do homem
homem — que é uma de suas mani­ E A DESILUSÃO na Terra era apenas uma passagem, uma
festações — também é uma mecânica Ora, se refletimos um pouco, se nos etapa que atravessar antes da grande via­
biológica, química e física bem lubri¬ atrevemos a levantar dúvidas, a nos per­ gem da verdadeira vida. Mas desde o
fícada, que tampouco resiste a uma aná­ guntar se estamos no caminho certo, se dia cm que decidiu medir os limites de
lise mais profunda. o que fazemos é justo e bom para todos, seu mundo, ver neles as manifestações
Assim, nos dedicamos crescentemente temos a sensação de que este compor­ de uma mecânica universal onde tudo
a compreender como funcionam os tamento e esta visão unilateral adotados é coerente e comprovável em qualquer
fenômenos da natureza e de que está pelo homem moderno procedem de momento, onde o infinitamente pe-
pequeno se une com o infinita­ for para combater sua angústia
mente grande, onde não há pela morte, seu medo pelo
nenhum mistério, pois a todo amanhã, ao desconhecido, ao
problema se impõe sistematica­ não ser? Ao querer acreditar
mente uma explicação lógica ou em suas convicções e suas cer­
uma solução racional, o ser hu­ tezas, o homem se proíbe pen­
mano se refugiou em um uni­ sar em si mesmo e em seus li­
verso fechado, no centro do mites, na incomodidade e na
qual, sem se atrever a admiti-lo, fugacidade de sua existência.
já não tem nenhuma perspec­ N o entanto, seguindo o curso
tiva, nenhuma esperança nem dos astros que marcam os ci­
nenhum sonho. clos da natureza e da vida, está
Ao querer ver o mundo com mais em condições de com­
um olho científico e racional, preender, e não de saber, de
o homem engendrou sua pró­ onde vem, quem é e para onde
pria desilusão. Só consegue crer vai. E está mais preparado para
no que vê, sabendo que tudo conhecer suas origens e seu fu­
que imagina é uma ilusão e não turo, para tomar consciência de
existe. A única vantagem e be­ seu presente, de suas respon­
nefício que pode tirar de sua sabilidades atuais, de seus atos
imaginação é a habilidade que que também têm uma res­
esta lhe confere para estabelecer sonância, conseqüências e re­
instrumentos que fazem a vida percussões no jogo da vida, dos
mais confortável, segundo ele. acontecimentos, as circunstân­
Facilidade, conforto, ganhar cias que se formam e defor­
tempo, distrações: não se trata mam continuamente, como
aqui de palavras que predomi­ fazem as inúmeras e invisíveis
nam no mundo atual embora, correntes de água que se cru­
simultaneamente, o horror tenha en­ "Que aquele que se preocupar zam, se misturam, se confundem, se re­
trado em nossos costumes, forma parte com seu futuro o faça como generam, aparecem e desaparecem no
de nossa vida cotidiana, sem que nos al­ se realmente não o estivesse" oceano.
cance diretamente? A astrologia que prognostica não faz
Desta forma, entramos paulatinamente angústia, nosso medo pelo amanhã, eli­ outra coisa senão observar estas co­
em nosso próprio paradoxo. Nunca minando tudo que possa nos ajudar a rrentes e prever sua provável evolução
fomos tantos sobre a Terra, nunca houve combatê-los, sob o pretexto de que como para ajudar àquele ou àquela afetados
tanta memória humana histórica, po­ os meios empregados por nossos ante­ por essas correntes, antecipando-as. Por
deríamos dizer; dito de outra forma, passados para chegar até eles não são isso, aqui não existe nenhuma visão fa­
nunca tivemos tantos meios de prolon­ comprováveis e conseqüentemente não talista do mundo e da vida, se enfoca­
gar a vida, dar a mais pessoas a opor­ são fiáveis, revelam-se irracionais... mos o destino sob este ângulo, já que
tunidade para viver, enquanto que so­ o princípio mesmo da provável evolução
breviver em condições decentes, isto 0 ASTRÓLOGO de um ser ou das circunstâncias de sua
é, simplesmente humanas, a escala mun­ QUE PROGNOSTICA vida se baseia no princípio de um tor­
dial, estamos ainda longe de fazê-lo. E 0 FUTURO DE UM SER nar-se constante, legível a partir de ci­
Porém, simultaneamente, nunca esti­ A astrologia que prognostica nos parece clos aparentemente imutáveis, mas que,
vemos tão desencantados, sem acredi­ um recurso possível pelo fato mesmo a cada ano, se mostram sob novas con­
tar em nada nem esperar grande coisa. de que, tal como foi elaborada por nos­ figurações. N o entanto, apenas a noção
Podemos deduzir de tudo isto que, ape­ sos antepassados, nunca implicava uma do tornar-se constante pode ajudar o
sar de todos os descobrimentos, de todo visão fatalista nem derrotista da vida, homem a juntar todas as forças, todas
o saber acumulado, nos vemos reduzi­ mas sim um retorno sobre si mesmo. suas qualidades, todos seus dons em si
dos às mesmas perguntas: de onde Uma das maiores fraquezas do homem mesmo para viver seu presente com tal
venho? quem sou? para onde vou? Nossa é sua propensão a ter razão. Porém, por intensidade, tal verdade, que ele mesmo
interpretação racional c utilitária do que se comporta desta forma, por que consiga solucionar sua angústia meta­
mundo não fez mais que reforçar nossa quer sempre ter a última palavra se não física e existencial.
As previsões
Trânsitos planetários,
acontecimentos e destino
Acompanhando os movimentos ou trânsitos dos astros no Zodíaco do mapa astral, podemos prevenir,
antecipar ou simplesmente nos conscientizar dos acontecimentos que afetarão
nossa própria vida e nosso destino.
crito em você parece
N este mundo em
que vivemos, se
existe alguma regra ge¬
fixo, determinado, imu­
tável, na realidade não
neralizadora, algo de existe nada mais mutá­
constante, é que tudo vel, mais maleável que
se move, tudo muda, a natureza humana, a
tudo evolui sem parar qual, no fundo, nunca
e nunca nada é definiti­ muda. Ou seja, no as­
vo, apesar de sua apa­ pecto formal, aparente­
rente imutabilidade. O mente, não muda. N o
universo encontra-se entanto, muda em to­
em perpétuo movimen­ dos os momentos, trans­
to: desde os átomos até formação sem a qual
os astros, a vida é o re­ não poderia ser, visto
sultado deste movi­ que representa a própria
mento, palavra que essência da vida.
compartilha sua etimo­ De qualquer modo, sa­
logia e tem conotações bemos que evoluímos,
comuns com amor e mesmo que submetidos
a ciclos, ritmos e leis.
motivação.
Em primeiro lugar, evo­
Em conseqüência, não
luímos fisicamente, de
será ingênuo ou insen­
maneira espetacular: de
sato dizer que este O ser humano nasce, cresce, envelhece, evolui, mas seu mapa astral continua
embrião nos transfor­
mundo é amor, uma sendo o mesmo.
mamos em feto, depois
vez que está em movi­
em bebê, criança, adolescente, adulto e
mento. Esta questão é levantada com freqüên­
idoso. Isto no que se refere à forma, à
cia pelas pessoas que se interessam pela
aparência. N o que diz respeito ao con­
UM MESMO MAPA ASTRAL astrologia: terei o mesmo mapa astral
teúdo, somos sempre nós próprios, tal
PARA TODA A VIDA durante toda a vida? Seria o mesmo que
como éramos no momento do nosso
Você tem razão em pensar que o mapa perguntar: terei os mesmos olhos du­
nascimento, tal como os outros nos
astral que se estabelece no momento de rante toda a vida, o mesmo coração, o
vêem e tal como o astrólogo pode ler
seu nascimento não é definitivo, mes­ mesmo corpo? Evidentemente que sim.
em nós ao realizar o mapa astral, que
mo que mantenha o que astrologica­ Seu mapa astral é estabelecido definiti­
será o mesmo durante toda a nossa vida.
mente chamamos um mapa astral natal, vamente no preciso momento em que
Mas, mesmo que no fundo saibamos
como se nesse preciso momento tivés­ você nasce, como já tínhamos dito. O
que se trata sempre de nós e que con­
semos tirado uma fotografia panorâmica que está inscrito no céu não é mais do
tinuamos a ser sempre os mesmos, tam­
da esfera celeste, com todos os astros que o reflexo exato do que está escrito
bém evoluímos interiormente. Nos­
que estão no interior do Zodíaco de seu em você. Caso contrário, seria impos­
sas idéias, pensamentos, convicções e
mapa astral, as cúspides das Casas e os sível fazê-lo. Assim, fica claro que tudo
crenças transformam-se, afinam-se e
pontos fictícios. depende de você. E, se o que está ins­
agudizam-se pouco a pouco, dependen­ mento, as Efemérides indicarão que Marte moral, social, das relações e aconteci­
do da maneira como vemos, abordamos está posicionado a 11, 12, 13, 14 ou 15 mentos em que o interessado está imer­
c compreendemos os outros seres, as graus de Peixes. Assim, diremos que so. Mas, para diagnosticar a verdadeira
coisas e a vida. Marte transita por seu Júpiter natal ou, natureza deste trânsito, devemos levar
Assim, tanto na forma como no con­ de maneira mais coloquial, que Marte em consideração os restantes elementos
teúdo, evoluímos, transformamo-nos transita por Júpiter. inscritos em seu mapa astral e os trân­
pouco a pouco e, no entanto, continua­ Evidentemente, esta indicação pode re­ sitos dos outros astros nos setores de seu
mos a ser os mesmos. velar informações especialmente inte­ mapa astral, em um ou outro período
ressantes quanto ao clima psicológico, de sua vida.
TODOS SOMOS INFLUENCIÁVEIS
Como acabamos de expor, estas trans­
formações aparentes estão submetidas a
ciclos naturais que nos regem, condi­ Um novo exemplo
cionam e influenciam. Porém, tais con­ Analisemos um novo exemplo, cujo mapa Pois bem, a partir de agora vamos revelar
dições e influências devem ser consi­ astral foi secretamente reproduzido até e trabalhar com este mapa astral, que cor-
deradas "boas influências". Estas atuam este momento. responde ao de uma mulher nascida em
para extrair o melhor de nós, o mais va­ Em muitas das seções que compõem esta 22 de janeiro de 1963, na cidade de Alen¬
lioso, aquilo que somos exatamente e coleção, mostramos um mapa astral dife- çon (França).
não o que imaginamos ser. rente daquele que fizemos em função dos Assim, graças a esta variante, você poderá
Se abordamos os ciclos tal como a as­ dados de determinada pessoa nascida em verificar, entre outros pormenores, que nos
trologia tradicional os mostra, poderí­ Salvador a 22 de janeiro do ano de 1963, mapas astrais as diferenças geográficas
amos ficar preocupados com o que nos às 15:30 horas, e que utilizamos como mo- afetam majoritariamente o âmbito das
prenunciam, a partir do momento em delo nos capítulos de Aprender Astrologia Casas e dos ângulos, enquanto as de ho-
que observamos os caminhos que es­ dedicados à aprendizagem e interpretação rário atuam mais diretamente sobre o âm-
colhemos. Observando ainda o mapa as­ do mapa astral. bito dos astros e planetas.
tral estabelecido definitivamente no mo­
mento de nosso nascimento, o astrólogo
pode nos dizer em que ponto estamos,
quais são os embriões dos aconteci­
mentos futuros, quais as circunstâncias
e as situações em que determinados
acontecimentos, bons ou maus, flores­
cerão e se expandirão em nossa vida.
Pode nos iluminar cm função das es­
colhas que fizemos e dos caminhos com
que nos comprometemos, tendo em
conta o trânsito dos astros, ou seja, seu
movimento perpétuo no ciclo e no Zo­
díaco.

QUE É UM TRÂNSITO
PLANETÁRIO
Trata-se, simplesmente, da passagem de
um astro por um signo do Zodíaco. Di­
zemos, por exemplo, que Marte tran­
sita por Leão. Ou seja, no momento em
que observamos o céu, onde encontra­
remos nossa posição consultando as Efe-
mérides, Marte encontra-se no signo de
Leão. Se recorrermos ao nosso novo
exemplo (ver quadro), descobriremos que
Júpiter se encontra a 13 graus do signo Exemplo de um trânsito de Marte porJúpiter natal no Zodíaco do mapa astral de nosso
de Peixes e que, em determinado mo­ novo exemplo.
As previsões

A revolução solar
ou a arte de prever e antecipar o futuro
Seguindo a revolução do Sol no Zodíaco de um mapa astral, é possível realizar previsões. Mas, em
nossa opinião, conjugar simultaneamente os verbos prever, prevenir e antecipar é uma regra de ouro.

P rever é antecipar. Esta é nossa divi­


sa. A nosso entender, este c o eixo
sobre o qual deve basear-se toda análi­
mento, que revela o provável futuro de
nosso estado de saúde a curto e a longo
prazo.
fracos como seus pontos fortes, seus de­
feitos e suas qualidades, seus riscos e
suas fontes de energia inatas, de ma­
se inteligente do futuro, seja qual for neira que, durante toda sua vida, poderá
nossa preocupação ou motivação ao PREVER, PREVENIR atuar a título preventivo c assim ter sua
respeito. E ANTECIPAR parte de responsabilidade ativa — com
De fato, achamos que não adianta abso­ Devemos especificar que um postulado seus pais na primeira parte de sua vida,
lutamente nada empreender estudos c deste tipo talvez seja mais que pura an­ e só, na idade adulta —, no que se re­
pesquisas para descobrir o futuro prová­ tecipação por nossa parte, pois nada nos fere à evolução de seu estado de saúde.
vel se isto não for feito com um espíri­ impede afirmar que, científica e prati­ Lembremos que o mapa astral realizado
to de prevenção. Para compreender cla­ camente, desde o momento em que os a partir das coordenadas do nascimento
ramente este estado de espírito, o homens saibam respeitar entre eles cer­
melhor exemplo que podemos encon­ tas regras éticas básicas, algum dia po­ Durante o Renascimento, os estudantes
trar é, obviamente, o que entra em rela­ deremos estabelecer um verdadeiro his­ de medicina aprendiam a arte da
ção com o bem-estar, o que se traduz tórico de saúde — e de doenças, como dissecação na Universidade. Da mesma
hoje mais comumente por "manter-se acontece hoje em dia —, que permitirá forma, seu programa incluía também
em forma". a cada um conhecer tanto seus pontos cursos de astrologia.
Quem conhece seus pon­
tos fracos ao respeito, se­
jam devidos a uma herança
familiar, conseqüentemen­
te genéticos, ou a uma psi¬
cossomatização pessoal,
conhece ao mesmo tempo
os riscos que corre se co­
mete certos excessos que
poderiam sobrecarregar
seu equipamento hereditá­
rio ou/e psicossomático,
ou correria simplesmente
o risco de favorecer a evo­
lução de certos sintomas
que se encontram em es­
tado latente.
Partamos, portanto, da hi­
pótese de que, para cada
um de nós, pode ser esta­
belecida uma espécie de
guia preventivo, mediante
um diagnóstico instantâ­
neo realizado imediata­
mente depois do nasci­
de um ser põe precisamente à disposição
do astrólogo um instrumento de pes­
quisa deste tipo. Lembremos também
que, na Antigüidade, o mapa astral de
um ser era utilizado em geral como
ajuda e suporte do diagnóstico. Também
é bom recordar que, no Renascimento,
os estudantes de medicina da Univer­
sidade, como François Rabelais e Mi­
chel de Nostre-Dame, chamado Nos­
tradamus, tinham aulas de astrologia em
seu programa.
Por último lembremos que, hoje alguns
médicos homeopatas e fitoterapeutas
utilizam a astrologia e, concretamente,
o mapa astral como ajuda para seus diag­
nósticos.
Assim, supondo que tivéssemos a cu­
riosidade e o interesse de estabelecer um
histórico de saúde preventivo, o faría­
mos evidentemente com uma preocu­
pação de prevenção. Do contrário não
teria nenhuma utilidade. Portanto, com
o mesmo objetivo devemos realizar toda Da mesma forma que o artista imagina um quadro e o pinta com sua paleta
busca ou pesquisa que tenha a ver com de cores, graças a nosso destino nós podemos exercer nosso livre arbítrio
nosso próprio futuro, com os aconteci­ para que se cumpra o previsto.
mentos ou circunstâncias que talvez nos
aguardam. Já não se trata de enfocar as mos escolher para viver, segundo nos­ dera-se que todos os anos, em uma data
coisas do ponto de vista de um destino sas motivações e desejos, só dependem fixa, o Sol transita pelo Sol natal ou, em
fatal, de acontecimentos inexoráveis que de nós. Esquematizando, você pode outras palavras, que o Sol (que como sa­
se produzirão com segurança em nossa dizer: o que sou é meu destino; o que bemos dá uma volta completa ao Zo­
vida, mas sim de prováveis circunstân­ faço é meu livre arbítrio. Por isso, nosso díaco em um ano) volta a encontrar-se
cias que poderiam ser produzidas futuro não está preestabelecido. Em­ exatamente no grau onde se encontrava
segundo o caminho que tomemos, se­ bora nos encontremos em condições no Zodíaco, no signo e na Casa, do ma­
gundo a escolha que façamos, segundo de revelar as grandes tendências que pa astral da pessoa em questão.
atuemos de uma ou outra forma, se­ regem a evolução de um ser, graças aos Esta data coincide com o dia do aniver­
gundo, portanto, nossa natureza pro­ trânsitos, concretamente dos planetas sário. Mas, desta vez, o astrólogo leva
funda, nosso caráter e o tipo de vida que lentos, não podemos dar por fixos seus em consideração a posição exata, o grau
adotemos. atos, suas escolhas e reações a longo e o minuto do Sol natal, de maneira que
prazo, que somente pertencem a ele. possa determinar o instante preciso em
NOSSO DESTINO N o entanto, na evolução psicológica e que o Sol em trânsito esteja justamente
E NOSSO LIVRE ARBÍTRIO moral de um ser, que tem lugar ao ritmo em conjunção com o Sol natal. Este ins­
Se queremos alcançar este estado es­ do tempo, durante anos, assim como tante pode ser considerado como um
piritual, então podemos ver em nosso nos acontecimentos importantes e nas novo nascimento que se reproduzirá to­
mapa astral um leque de possibilida­ circunstâncias que se produzirão even­ dos os anos. A partir deste momento,
des, disposições, qualidades — que evi­ tualmente em certo momento de sua vi­ uma nova hora de nascimento é revela­
dentemente parecem conosco pois são da, existe um simples método astrológi­ da e um novo mapa astral é estabelecido.
o que nós somos —, as quais temos a co: a revolução solar. Realizando um estudo comparativo da
opção de utilizar, empregar, explorar revolução solar e do mapa astral, po­
como melhor achamos. Podemos então 0 QUE É A REVOLUÇÃO SOLAR? demos formular certas previsões par­
considerar que o que resulta do des­ Como seu nome indica, é uma técnica tindo do dia do aniversário deste ano em
tino é justamente este leque que temos baseada na revolução do Sol no interior questão, até o dia do ano seguinte, isto
entre as mãos. Quanto às cores que va­ do Zodíaco. Astrologicamente, consi­ é, previsões de um ano.
As idades da vida
ou os ciclos planetários
Podemos ver a evolução de uma pessoa observando a progressão dos astros em seu mapa astral, mas
também podemos ver as idades da vida através de um ciclo planetário dividido em períodos de sete anos.

T odos nós estamos


submetidos a ciclos,
ritmos, períodos da nossa
tabela da página seguinte,
veremos em seguida que o
décimo oitavo ano de vida
vida que voltam e se repe­ se encontra no ciclo sete­
tem constantemente. Sen­ nário de Marte, inscrito na
timos isso perfeitamente coluna superior, ao mesmo
mas não sabemos muito tempo que o referido ano
bem como explicá-lo, e é dominado por Mercúrio.
quando tentamos, quase Ambos os astros revelam-
sempre o fazemos de uma nos a cor e o ambiente des­
forma superficial, aproxi­ te ano.
mativa ou supersticiosa. Outro exemplo: o trigé­
Nossos antepassados, que simo terceiro ano de vida
no fundo tinham as mes­ situa-se sob a dupla in­
mas preocupações que fluência de Júpiter, regente
nós e sentiam as mesmas dos ciclos setenário e
emoções, dedicaram-se anual, enquanto o trigé­
não só a encontrar expli­ simo sétimo, bem como o
cações lógicas para estes octogésimo sexto, estão
fenômenos, mas também sob a dupla influência de
a medi-las e dominá-las Vênus e da Lua.
para tirar maior proveito Aqui está uma apreciação
de sua vida individual e coletiva. É assim Cada idade da vida é regida por um signo das interpretações que podem ser dadas
que, em astrologia, nos referimos a di­ do Zodíaco. a estas combinações de astros, con­
versos ciclos planetários a partir dos forme as idades da vida nas quais ocor­
quais foram estabelecidas as idades da tema realizado a partir do princípio dos rem.
vida, ou seja, períodos regidos, cada um domínios que exercem os 7 astros que
deles, por um signo do Zodíaco. regem os 12 signos do Zodíaco. Ciclos primeiro e oitavo
O primeiro desses ciclos baseia-se sim­ Regente setenário: o Sol.
plesmente nos períodos de revolução 0 CICLO SETENÁRIO Idades da vida: de 1 al anos
zodiacal de cada astro, a partir de sua DAS IDADES DAVIDA e de 50 a 56 anos.
posição no mapa astral. Para definir Cada período de sete anos está sob a in­ Regente anual: o Sol.
estes ciclos rápidos de 28 dias aproxi­ fluência de um astro, e cada ano deste Idades da vida: 1 ano e 50 anos.
madamente parte-se da Lua para che­ signo é igualmente dominado por ou­ O primeiro ano de vida é evidente­
gar, quase 30 anos mais tarde, a Saturno tro astro. Assim, dispomos de uma mente o ano do despertar, ou seja, a pri­
(o qual se encontra no mesmo grau do combinação de dois astros que combi­ meira manifestação da vontade instin­
Zodíaco em um mapa astral), passando nam cada ano da vida, a partir da qual tiva e da consciência (Sol) da criança
pelo Sol, Mercúrio, Vênus e seu ciclo podemos realizar previsões referindo- que acaba de nascer.
anual, Marte e seu ciclo bienal e Júpiter, nos evidentemente às suas posições no Os 50 anos são a idade da maturidade,
cujo ciclo é de 12 anos. Existem dife­ mapa astral, bem como às suas posições a fase ideal para que a vontade instin­
rentes ciclos, baseados nos números 7, em trânsito ao longo do ano que nos tiva predomine e possa se realizar ple­
9 e 12. O mais fiável é sem dúvida o sis­ interessa. Deste modo, consultando a namente.
Regente anual: a Lua. chega o cumprimento das motivações chosa. Estabelece seu sistema de au­
Idades da vida: 2 anos e 51 anos. profundas que impelem o indivíduo. todefesa. Aos 59 anos, a pessoa atém-
Aos 2 anos a criança desenvolve sua sen­ Regente anual: Saturno. se às suas paixões ou sonhos, cum­
sibilidade. Aos 51 anos, a pessoa tem que Idades da vida: 7 anos e 56 anos. pridos ou não.
conseguir cumprir sua vontade e viver Aos 7 anos assistimos à primeira fase Regente anual: Mercúrio.
sua sensibilidade de uma maneira equi­ da maturidade da pessoa em formação. Idades da vida: 11 anos e 60 anos.
librada. Aos 56 anos entra-se na idade da razão, Aos 11 anos a criança aprende a ser so­
Regente anual: Marte. segundo este ciclo planetário. ciável utilizando sua inteligência. Aos
Idades da vida: 3 anos e 52 anos. 60 anos, a pessoa recorre à sua expe­
O terceiro ano de vida é a primeira fase Ciclos segundo e nono riência, medita e tira lições dela.
da afirmação do eu. Aos 52 anos, a von­ Regente setenário: a Lua. Regente anual: Júpiter.
tade deve afirmar-se em toda sua ple­ Idades da vida: de 8 a 14 anos Idades da vida: 12 anos e 61 anos.
nitude. e de 57 a 63 anos. Os 12 anos significam o despertar dos
Regente anual: Mercúrio. Regente anual: o Sol. sentidos e a tomada de consciência das
Idades da vida: 4 anos e 53 anos. Idades da vida: 8 anos e 57 anos. sensações acumuladas durante a infân­
O quarto ano de vida corresponde ao Aos 8 anos a vontade ativa é expressada cia. Aos 61, a pessoa é particularmente
despertar da inteligência, à abertura para através da sensibilidade. Os 57 anos são sensível às relações familiares.
os outros e para o mundo. Os 53 anos uma idade em que a pessoa vive sere­ Regente anual: Vênus.
exaltam a habilidade e a capacidade de namente e de forma equilibrada em re­ Idades da vida: 13 anos e 62 anos.
discernimento. lação à sua sensibilidade e vontade. Os 13 anos significam o despertar dos
Regente anual: Júpiter. Regente anual: a Lua. sentimentos pessoais, emoções e mo­
Idades da vida: 5 anos e 54 anos. Idades da vida: 9 anos e 58 anos. tivações. Para a pessoa de 62 anos os
Aos 5 anos a criança desenvolve-se. Aos Aos 9 anos a imaginação está no poder sentimentos profundos e a necessidade
54 anos, a pessoa obtém sua consagra­ e participa na formação da criança. Aos de ternura são essenciais.
ção, um êxito pessoal na vida ou em sua 58 anos, a pessoa enfrenta a angústia do Regente anual: Saturno.
situação. futuro e sente a nostalgia do passado. Idades da vida: 14 anos e 63 anos.
Regente anual: Vênus. Regente anual: Marte. Aos 14 anos a criança começa a domi­
Idades da vida: 6 anos e 55 anos. Idades da vida: 10 anos e 59 anos. nar suas emoções e sentimentos. Aos 63
Os 6 anos são a idade do despertar dos Aos 10 anos, a criança é quase sem­ anos, a procura do equilíbrio entre a
sentimentos individuais. Aos 55 anos, pre instável, irritável e muito capri­ razão e os sentimentos é onipresente.
O mapa horário
e as horas planetárias
O mapa horário permite encontrar uma resposta instantânea
para um problema especifico, enquanto que as horas planetárias
nos ajudam a escolher o momento idôneo para atuar.

P oder escolher o momento para atuar


é uma das grandes vantagens que a
astrologia nos oferece. Desnecessário
nas, em dono do conhecimento dos de­
mais, do tempo e do futuro. Admita que
a única coisa da qual podemos estar con­
tral de um ser, mas sim de obter um es­
clarecimento imediato sobre uma si­
tuação específica; às vezes, uma resposta
dizer que não devemos abusar dela. vencidos quando descobrimos um mapa instantânea a um problema crucial que
Nem fazer com que o instrumento as­ do céu ou um mapa astral é que não se apresenta.
trológico se transforme na muleta na temos certeza de nada. Este método é muito eficaz. Traz a adi­
qual se apoia aquele que, por fraqueza Se utilizamos o verbo descobrir, não foi vinhação à tona. E chamado «mapa ho­
ou por falta de valentia ou vontade, por acaso. rário» porque se baseia na hora em que
sente-se incapaz de decidir-se, de atuar De fato, como cada um de nós é um in­ realizamos uma pergunta, em que con­
ou de comprometer-se. divíduo completo, com suas qualidades sultamos sobre a evolução ou o de­
É preciso utilizá-la com moderação e e seus defeitos, suas afinidades e suas senvolvimento das circunstâncias ou
unicamente quando realmente necessi­ contradições, o olhar que projetamos acontecimentos. Em função desta hora
tamos que nos ofereçam alguma luz. sobra a vida, as coisas e nós mesmos e, e lugar, você poderá realizar um mapa
Para isso, além da revolução solar, da com maior motivo, nosso olhar em di­ do céu ou um mapa horário que in­
qual sabemos que nos informa sobre os reção a qualquer elemento exterior, só terpretará do ponto de vista da situação
prováveis acontecimentos ou fatos fu­ pode ser subjetivo. O que significa que que lhe preocupa neste preciso mo­
turos que nos afetarão tanto iminente­ a objetividade se origina sem nenhuma mento.
mente, como ao longo de nossa evo­ dúvida de um sentimento de boa von­
lução geral e a partir do momento em tade que nos interessa adotar, mas, re­ AS HORAS PLANETÁRIAS
que a realizamos, dispomos também de pitamos, em nenhum caso, individual­ Segundo uma tradição astrológica com
dois métodos específicos de pesquisa: o mente, podemos ser objetivos. Somos raízes na Babilônia, e que foi também
mapa horário e as horas planetárias. empregada pelos caldeus c mais tarde
sujeitos pensantes e ativos, não um ob­
jeto inerte. pelos gregos, cada hora do dia se situa
0 MAPA HORÁRIO Por isso, quer queiramos quer não, sem­ sob a influência de um dos 7 astros deu­
É um método muito simples, que não pre interferimos no que vemos, obser­ ses que regem o Zodíaco, de maneira
requer nenhum esforço de cálculo extra, vamos, compreendemos e estudamos. que podemos escolher o dia e a hora
mas que exige uma grande sutileza in­ Assim, cada vez que você tiver um mapa apropriados para atuar em nossa vida co­
terpretativa e alguma experiência neste astral do céu em sua frente, tente ser seu tidiana, ou para empreender algo, por
campo. Não se precipite rapidamente descobridor, sem preconceitos nem exemplo, e ter maiores oportunidades
sobre ele. Espere até ter realizado, es­ apriorismos. Assim você será o mais ob­ de sucesso.
tudado e interpretado alguns mapas as­ jetivo possível. Consultando a tabela das horas plane­
trais antes de aventurar-sc sem pre­ Mas, considerando que cm astrologia tárias aqui reproduzida, você descobrirá
caução na via das previsões. De fato, não trata-se de interpretar um mapa astral, quais são as ações propícias para cada
pense que o instrumento astrológico lhe não podemos ser totalmente objetivos. um dos 7 astros deuses e que é mais
transformará milagrosamente em um Sendo consciente disso, você já está em aconselhável empreender a uma hora
protagonista ou dono de todos os ele­ condições de estabelecer um mapa as­ concreta.
mentos de ordem psicológica, moral ou tral horário, isto é, de realizar um mapa Você deve saber que a hora local do lugar
espiritual que regem as relações huma­ do céu; não de estabelecer um mapa as­ onde você se encontra é a que deve sem-
sempre ser levada em conta, isto é, a hora r Lua para realizar uma para qualquer
solar exata e não a hora oficial. Assim, pequena mudança saudá­ gestão, iniciativa, ação ou
você terá que subtrair as horas de verão vel, empreender qualquer empreendimento suscetí­
que são acrescentadas no país onde você iniciativa, procedimento, vel de produzir uma ex­
se encontrar. Por exemplo, se você vive ação que requeira inspi­ pansão, maior comodidade,
no Brasil e deseja saber que astro rege ração, entabular uma nova relação ou maiores possibilidades numa situação,
as 15 horas, supondo que a hora em amizade, fazer uma pequena viagem, para se relaxar, começar uma noitada,
vigor neste momento seja a hora de começar um tratamento preventivo. uma festa ou oferecer um presente.
verão, é preciso subtrair 2 horas. Serão,
portanto, as 13 horas que você terá que < para realizar para tudo que
consultar na tabela. Se se trata da hora uma proeza, atuar ou rea­ se refere aos prazeres, o
de inverno, deverá subtrair 1 hora. Desta gir energicamente, correr lazer, as crianças. É a hora
forma, a hora consultada será as 14 qualquer risco ou levantar ideal para ir ao cabelei­
horas. uma nova iniciativa, atre­ reiro, comprar um vestido
ver-se a tomar a dianteira, expor-se, novo, passar um momento agradável
TABELA realizar uma intervenção, pôr um fim entre boas companhias, um encontro
DAS HORAS PLANETÁRIAS a um período difícil. amoroso ou um jantar íntimo, etc.

Horas Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado


de 0 h a 1 h Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus Saturno
de 1 h a 2 h Vênus Saturno Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter
de 2 h a 3 h Mercúrio Júpiter Vênus Saturno Sol Lua Marte
de 3 h a 4 h Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus Saturno Sol
de 4 h a 5 h Saturno Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus
de 5 h a 6 h Júpiter Vênus Saturno Sol Lua Marte Mercúrio
de 6 h a 7 h Marte Mercúrio Júpiter Vênus Sol Lua Marte
de 7 h a 8 h Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus Saturno
de 8 h a 9 h Vênus Saturno Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter
de 9 h a 10 h Mercúrio Júpiter Vênus Saturno Sol Lua Marte
de 10 h a 11 h Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus Saturno Sol
de 11 h a 12 h Saturno Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus
de 12 h a 13 h Júpiter Vênus Saturno Sol Lua Marte Mercúrio
de 13 h a 14 h Marte Mercúrio Júpiter Vênus Sol Lua Marte
de 14 h a 15 h Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus Saturno
de 15 h a 16 h Vênus Saturno Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter
de 16 h a 17 h Mercúrio Júpiter Vênus Saturno Sol Lua Marte
de 17 h a 18 h Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus Saturno Sol
de 18 h a 19 h Saturno Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus
de 19 h a 20 h Júpiter Vênus Saturno Sol Lua Marte Mercúrio
de 20 h a 21 h Marte Mercúrio Júpiter Vênus Sol Lua Marte

a hora do Sol para esclarecer para enta­ para iniciar


uma situação, solicitar uma bular ou estabelecer con­ um projeto a longo prazo,
entrevista em um lugar tatos, transmitir uma construir, edificar, pôr as
importante, conhecer al­ mensagem ou uma co­ bases ou fundamentos de
guém importante ou in­ municação, escrever qual­ um empreendimento am­
fluente, obter uma proteção, um apoio, quer carta, publicar um trabalho es­ bicioso, solicitar conselhos audazes,
uma ajuda, uma promoção ou um au­ crito, empreender uma busca, comprometer-se por muito tempo,
mento, realizar uma transação financei­ expressar-se em público, assinar um empreender um tratamento curativo a
ra, vender, comprar ou alugar um bem contrato ou realizar um negócio, fazer fundo, estudar um informe complexo
imobiliário, estabelecer um diagnóstico. um exame. ou dedicar-se a estudos sérios.
O Zodíaco chinês
Se há 5000 anos, aproximadamente, foi criado na Mesopotâmia
o Zodíaco e o sistema astrológico que ainda utilizamos no Ocidente,
na China, outro Zodíaco viria à luz mil anos depois.

O s rastos do nascimento do Z o ­
díaco chinês, e do importante
papel que teve nas civilizações da Ásia,
encontram-se na abundante literatu­
ra clássica chinesa. Assim, podemos
ler comentários sobre astrologia — ma­
téria que os Chineses transformaram
em elemento principal da sua filoso­
Leitura do Zodíaco chinês
Sobrepondo o Zodíaco chinês ao
fia — no Livro das Mutações (o I
Zodíaco ocidental, você poderá descobrir as
Ching); no Livro dos Ritos ao qual se
analogias existentes entre os signos orientais e os
referia o imperador da China (lem­
signos astrológicos do nosso Zodíaco. Por exemplo,
bre-se que a China chamava-se "o im­
através desta experiência, você poderá constatar
pério celestial" e que este nome era
rapidamente as correspondências entre o signo de Áries,
o resultado da humildade carregada
primeiro signo do Zodíaco ocidental, e o signo chinês
de fatalismo que os chineses sempre
do Dragão; ou então entre o Rato, primeiro signo do
sentiram perante os mistérios do céu
Zodíaco chinês, e Sagitário. Sendo assim é bastante
e da vida) e no Livro da Poesia, do sé­
simples, basta encaixar sobre o anel zodiacal o
culo I a. C , onde se classificaram as
aro onde estão representados os CHI (os 24
estrelas e as constelações.
períodos do ano solar do calendário
Por outro lado, a China teve também
zodiacal chinês).
os seus almanaques nos quais figura­
vam numerosas indicações astrológicas,
como ainda acontecia com alguns al­
manaques da Europa do século XIV.

OS SIGNOS DO ZODÍACO CHINÊS


O Zodíaco chinês, tal como o Zodíaco
ocidental, consiste em uma roda fic­
tícia na qual podemos ver representa­
dos 12 signos, simbolizados por 12
animais. Estes desempenham um A lenda de Buda e os 12 animais
papel importante na mitologia chinesa,
que difere, evidentemente, das mito­ Sabendo que se aproximava o final de sua vida, Buda convi-
logias mesopotâmica, egípcia e grega, dou os 12 animais do Zodíaco para se despedir deles antes
nas quais se inspira o Zodíaco oci­ de sua morte. 0 primeiro a responder ao apelo foi o Rato,
dental. que desta forma passou a ser o primeiro signo do Zodíaco
Além disso, depois do aparecimento chinês; em seguida, apresentou-se o Búfalo e mais tarde
de Buda, por volta do século VI a. C , o Tigre, seguido da Lebre e do Dragão. A Serpente res-
os signos astrológicos utilizados na pondeu por sua vez ao desejo de Buda, assim como
China, demasiado complexos e her­ o Cavalo e a Cabra. Depois, chegou a vez do Macaco,
méticos, foram substituídos pelos 12 do Galo, do Cão e, finalmente, do Javali, que foi o
animais míticos que conhecemos atual­ último animal que viu Buda vivo.
mente: Rato, Búfalo, Tigre, Lebre,
Dragão, Serpente, Cavalo, Cabra,
Macaco, Galo, Cão e Javali.
O CALENDÁRIO
CHINÊS
O calendário chinês consiste no que se de­
nomina um "calendário lunissolar", isto é, ela­
borado a partir dos ciclos do Sol e da Lua.
N o entanto, se bem que os chineses consi­
derem equinócios de Primavera e Outono, e
solstício de Verão e de Inverno, os mesmos da
astrologia ocidental, afastam-se desta ao não
considerarem os quatro pontos cardeais, nem
as estações, como eixos do seu calendário ou
articulações do seu Zodíaco. Assim, durante
o ano solar chinês, o primeiro signo do Z o ­
díaco (Rato) e o início da Primavera situam-
se no mesmo momento, 4 ou 5 de fevereiro
conforme os anos. O Verão começa entre 5 e
7 de maio, com o signo do Cavalo. Entre 5
e 7 de agosto, a chegada do Outono coincide
com o signo do Javali. Finalmente, o Inverno,
entre 5 e 7 de novembro, coincide com o signo
da Serpente.
Porém, também aqui existe uma diferença im­
portante entre o Zodíaco ocidental e o chinês:
neste último, o ano solar não está dividido em
12 meses, mas sim em 24 metades de meses, ou
seja, em 24 partes, de 15 dias cada, denomina­
das CHI (energia). Os 24 CHI e as suas correspondências
com o ano zodiacal ocidental
0 PRINCÍPIO 1 04fev. LI CHUN Rato 15° de Aquário
DA ASTROLOGIA CHINESA 2 20fev. YU SHUI Búfalo 0 o de Peixes
Sabemos que ainda, o princípio da astrologia 3 05 mar. LIN ZHI Tigre 15° de Peixes
chinesa não se baseia única e exclusivamente 4 21 mar. CHUN FEN Lebre 0 o de Áries
em um ciclo solar e lunar, como acabamos de 5 04abr. QING MING Dragão 15° de Áries
ver, mas também no ciclo de Júpiter, cuja evo­ 6 21 abr. GU YU Serpente 0 o de Touro
lução zodiacal (período durante o qual dá a 7 05 maio LI XIA Cavalo 15° de Touro
volta completa ao Zodíaco) é de 12 anos. 8 21 maio XIAO MAN Cabra 0° de Gêmeos
A partir daí, um âmbito zodiacal chinês do­ 9 05 jun. MANG ZHONG Macaco 15° de Gêmeos
mina cada ano o signo pelo qual Júpiter tran­ 10 22 jun. XIA ZHI Galo 0° de Câncer
sita durante esse mesmo ano. Da mesma for­ 11 06jul. HSIAO SHU Cão 15° de Câncer
ma que na astrologia ocidental se diz, às vezes, 12 12 jul. DA SHU Javali 0° de Leão
que o ano em que Júpiter transita por este ou 13 07 agô. LI CHUI Javali 15° de Leão
aquele signo do Zodíaco é o ano desse signo, 14 22 agô. QIU SHU Cão 0° de Virgem
na China o ano em que Júpiter percorre um 15 07set. BAI LU Galo 15° de Virgem
signo é atribuído a esse mesmo signo. Por 16 23set. QIU FEN Macaco 0° de Libra
exemplo, quando Júpiter transita pelo signo 17 08 out. HAN LU Cabra 15° de Libra
de Capricórnio, para nós é o "ano de Ca­ 18 23 out. SHUANG JIANG Cavalo 0° de Escorpião
pricórnio" e para os chineses é o "ano do 19 07nov. LI DONG Serpente 15° de Escorpião
Búfalo". 20 22 nov. XIAO XUE Dragão 0° de Sagitário
N o entanto, se seguirmos a evolução do Sol 21 06 dez. DA XUE Lebre 15° de Sagitário
no Zodíaco, a partir do Ano Novo chinês (4 22 22 dez. TUNG CHIH Tigre 0° de Capricórnio
ou 5 de fevereiro), encontramo-nos com uma 23 05 Jan. XIAO HAN Búfalo 15°de Capricórnio
influência complementar do Sol graças à pre­ 24 21 Jan. DA HAN Rato 0° de Aquário
sença de Júpiter neste ou naquele signo.
A astrologia chinesa

Afinidades e oposições entre


os signos do Zodíaco chinês
Atração ou repúdio, conivência ou indiferença, no Zodíaco chinês
os casais também se fazem e se desfazem.

O s astrólogos chineses e indianos


contemporâneos ainda conser­
vam uma antiga regra sobre a qual
AS AFINIDADES
DO ZODÍACO CHINÊS
tante longe. Com o Búfalo leva uma
vida tranqüila. Com o Javali tem uma
paixão carnal.
temos insistido muito, pois é conside­ Vejamos primeiro os signos que estão
rada um dos fundamentos essenciais da feitos para se darem bem, para viver ou
criação do Zodíaco: prevenir o que está atuar juntos, inclusive para amar-se ou DRAGÃO
por vir só é interessante se nos encon­ unir-se.
tramos em condições de antecipar o fu­ Com a Serpente forma um casal sur­
turo. RATO preendente. Mas o Macaco ou o Rato
N o entanto, não devemos ter muitas são principalmente seus companheiros
ilusões a este respeito. N o conjunto, os Este nativo se sente seguro com o Bú­ complementares. N o entanto, como
grandes princípios fundamentais da as­ falo, mas prefere o Tigre e adora o gosta das relações de força, pode gos­
trologia quase que já desapareceram da Dragão. O Macaco pode sentir-se apai­ tar de um Cão.
face da terra e do espírito dos homens xonado por ele e o Cão lhe é muito fiel.
de hoje. SERPENTE
E se o astrólogo beduíno do deserto ou
um jogador de cartas de Bombaim nos BÚFALO Adora o Búfalo, que lhe corresponde.
parecem mais autênticos é apenas por­ Juntos podem construir um império.
que confiamos em sua aparência e por­ Junto com a Lebre, vai avançando Gosta também muito do Galo, com a
que cedemos ante nosso gosto ou nos­ pouco a pouco, mas na Serpente en­ condição de que seja tão brilhante
talgia pelo exótico, pelo espontâneo e contra o grande amor mútuo. O Galo quanto pretende.
pela simplicidade. Na realidade, na e o Javali também podem ser admira­
maioria das vezes, não fazem mais que dores de sua sabedoria. CAVALO
reproduzir os mesmos gestos, seguir as
mesmas regras, enunciar idênticas leis, E muito eclético e, para ser sincero,
sem realmente compreender nem saber TIGRE mais inconstante no amor. Precisa de
como funcionam, de onde vêm e o que ação, movimento e aventura. Então,
significam. Gosta um pouco do Dragão, gosta muito com um Cão ou um Tigre, pode fun­
N o entanto, desde que o Zodíaco chi­ do Cão, mas ao Cavalo adora com cionar.
nês existe, sempre foi empregado, por paixão. O Rato pode sentir uma certa fra­
exemplo, para encontrar as afinidades queza por ele. Às vezes, persegue a Lebre.
entre os seres c definir com precisão CABRA
o lugar, dia e hora em que duas pessoas
teriam mais possibilidades de conhe­ LEBRE Este nativo gosta muito do Macaco,
cer-se ou unir-se. mas custa domesticá-lo. Admira o Galo
O que vamos revelar a seguir são estas É fascinado pelo Dragão, mas quase e se deixa fascinar pela Serpente. Mas
afinidades entre os doze signos do Zo­ sempre custa segui-lo. Por outro lado, é com a Lebre com quem conhecerá
díaco chinês. com a Cabra, juntos podem chegar bas­ o grande amor.
não impede de ir onde quiser. O Rato
o põe nervoso.
MACACO BÚFALO

Sente-se atraído pelo Cão ou pelo Rato. As demonstrações de força com o CAPRA
Tanto com um como com o outro, Dragão podem ser temíveis. Sem que­
pode estabelecer uma relação dura­ rer, às vezes seduz a Cabra. Mas o Cão O Dragão deixa-o inquieto, febril ou
doura. Mas a paixão quase sempre des­ e ele não vivem na mesma galáxia. na defensiva. Teme-o e prefere evitá-
cobrirá ou viverá com um Dragão. lo. O Cão o enfurece ou, pelo menos,
deixa-o susceptível. Entre discussão e
TIGRE discussão, pode chegar a entender-se
GALO com um Búfalo.
A Serpente e o Tigre não têm nenhum
Faz todo o possível para gostar do Bú­ interesse em tocar-se, pois sempre aca­
falo, mas só alcançará seu objetivo se bam muito mal. Com um Javali, custa MACACO
aprende a ser um pouco mais humilde. manter-se calmo e de sangue-frio.
Por outro lado, com uma Serpente, se O Javali é demasiado primário para ele.
deliciará. Não tem muita vontade de relacionar-
LEBRE se com ele. Gosta bastante da inteligên­
cia sutil da Serpente, mas é difícil se sin­
CÃO O Rato e ele não vivem no mesmo cronizarem. O Tigre o deslumbra, mas
mundo. Não têm os mesmos valores. não o impressiona.
Gosta da perspicácia do Macaco e da Aprecia a sede de liberdade do Cavalo,
sensibilidade do Rato. Mas o amor mas não quer tratar com ele. O Galo
louco será vivido com um Tigre ou lhe diverte, mas de longe. GALO
com um Cavalo, que é com quem se
dará melhor. O Rato deixa-lhe agressivo; podem ter
enfrentamentos terríveis. O Cavalo ri­
JAVALI se dele; não o suporta. Pode gostar da
Gosta de submeter a Cabra e o Cão à Lebre, mas com a única condição de
(J Búfalo o atrai, mas para ele e de­ sua vontade dominadora. Luta também que o admire.
masiado sensato. Com uma Lebre con­ contra o Búfalo, mas neste caso, em­
seguirá uma verdadeira fusão carnal. bora ganhe uma batalha, nem sempre
Pode gostar da Cabra c do Galo, mas ganha a guerra.
nem sempre é fiel a eles.
A sensatez do Búfalo lhe agrada, mas
AS OPOSIÇÕES realmente não estão na mesma sinto­
DO ZODÍACO CHINÊS
SERPENTE nia. C o m o Dragão, leva-se mal. A
Vejamos agora os signos que não se dão Embora o fascine a beleza do Tigre, Cabra prefere ignorá-lo e ele lhe cor­
bem. Mas isto não significa que não pos­ nunca consegue estar em paz com ele. responde com a mesma moeda.
sam estabelecer um acordo entre eles. O Javali e ele podem ser incompatíveis,
mas inseparáveis. Com o Macaco ra­
ramente está de acordo. JAVALI

RATO Com o Tigre e o Javali quase sempre


CAVALO há tensão no ambiente. É melhor que
A Lebre e o Rato passam um ao lado se evitem mutuamente. O Macaco lhe
do outro sem se verem. Não pode su­ Quanto menos tratar com o Galo, me­ mostra às vezes um profundo desprezo,
portar o orgulho, às vezes superficial, lhor se dará com ele, pois não têm mas não o teme. A Serpente pode sur­
do Galo. Com o Cavalo às vezes choca, grande coisa em comum. Pode ser que preendê-lo, atraí-lo ou repudiá-lo, de­
mas podem chegar a se entender. a Lebre não lhe dê descanso, mas isto pendendo do caso.
A astrologia chinesa

As Xiu,
ou moradas da Lua
O Palácio Oriental e o Palácio Setentrional
Os chineses também dividiram o Zodíaco em 28 moradas lunares, cada uma das quais revela
informações próprias do caráter do indivíduo, assim como acontecimentos que se podem prever.

H istoricamente, é bastante prová­


vel que ao criar as Xiu, ou 28
moradas da Lua que se estabelecem na AS XIU
3 A RAIZ Do Céu
de 168 A 179 graus do Zodíaco
esfera celeste no Zodíaco chinês, os DO PALÁCIO ORIENTAL
astrólogos chineses se inspiraram nas Dia: sábado.
Nakshatra ou moradas da Lua estabe­ 1 Os Chifres do Dragão Astro: Saturno.
lecidas pela astrologia indiana, que de 142 a 154 graus do Zodíaco Elemento: Terra.
sem dúvida procediam, por sua vez, Caráter: o nativo é sério, ambicioso,
das 28 moradas lunares da astrologia Dia: quinta-feira. consciente de suas responsabilidades,
árabe. Astro: Júpiter. mas depende dos demais e das cir­
Assim, cada mansão ou morada da Lua, Elemento: Madeira. cunstâncias.
Xiu em chinês, contém significados que Caráter: o nativo é mais compreensivo Previsões: favorece os favores mútuos, a
entram em analogia com a morada e sensato, mas a nativa é muito inde­ vida cotidiana, mas não favorece as via­
lunar correspondente da astrologia pendente. gens, as uniões, a cultura e os bens pes­
árabe. E as 28 Xiu se situam e se dis­ Previsões: favorece as uniões, os nasci­ soais.
tribuem ao longo do Zodíaco exata­ mentos, criações, semeaduras, plan­
mente nos mesmos graus que as 28 tações..., ajuda na compra de um te­
moradas da astrologia árabe. rreno ou uma casa, mas não favorece 4 A SALA DO BICHO DE SEDA
os assuntos de família. de 180 A 192 graus do Zodíaco
OS 5 PALÁCIOS
DO CÉU CHINÊS Dia: domingo.
Segundo o antigo sistema astrológico 2 O Pescoço do dragão Astro: Sol.
chinês, o céu se divide em 5 Palácios de 155 A 167 graus do Zodíaco Elemento: Fogo.
que correspondem aos 5 agentes ou Caráter: o nativo é radiante, brilhante,
elementos: a Madeira, o Fogo, a Terra, Dia: sexta-feira. orgulhoso, às vezes altivo e dominador.
o Metal e a Água. O Palácio central Astro: Vênus. Previsões: favorece os investimentos e
corresponde à constelação da Ursa Elemento: Água transações imobiliárias, a concepção de
Maior, chamada naquele país o "Co­ Caráter: o nativo é apaixonado, impul­ uma criança, mas não favorece as em­
lherão" (ou a "Concha"), e não con­ sivo, imprudente, imoderado. presas de grande envergadura.
tém nenhuma Xiu. Os outros 4 Pa­ Previsões: favorece as decisões de justiça
lácios contêm, cada um, 7 Xiu. N o imparciais ou eqüitativas, mas não fa­
entanto, na China, a ordem das m o ­ vorece a saúde, as uniões nem tam­ 5 O Coração
radas lunares é inversa, pois, eviden­ pouco as criações. be 193 A 205 graus do Zodíaco
temente, quando amanhece no Oci­
dente, e a Lua desaparece, no Extremo Dia: segunda-feira
Oriente anoitece e a Lua aparece. Astro: Lua.
Elemento: Metal. gestões administrativas, as relações
Caráter, o nativo é sonhador, inspirado, com os meios oficiais e os trabalhos 12 O Teto
esteta; é atraído pelas artes e triunfa sérios. be 283 A 295 graus do Zodíaco
de forma tardia.
Previsões: favorece as realizações arte­ Dia: segunda-feira.
sanais e as criações artísticas, mas não 9 O Boiadeiro Astro: Lua.
favorece a vida familiar e social nem os de 245 A 257 graus do Zodíaco Elemento: Água
empreendimentos. Caráter: o nativo é um realizador, um
Dia: sexta-feira. construtor.
Astro: Vênus. Previsões: favorece as iniciativas cons­
6 A Cauda d Dragã Elemento: Metal. trutivas, os empreendimentos dura­
be 206 A 218 graus do Zodíaco Caráter: o nativo é passional em seus douros, mas não favorece as viagens
amores, ofuscado por seus sentidos, nem as finanças.
Dia: terça-feira. mas corajoso e perseverante.
Astro: Marte. Previsões: favorece as viagens, os em­
Elemento: Fogo. preendimentos comerciais, os inter­ 12 A CASA
Caráter: o nativo é ambicioso mas é des­ câmbios em todas as suas formas, mas be 296 A 308 graus do Zodíaco
provido de lucidez na escolha de com­ não favorece a vida amorosa.
panheiros e aliados. Dia: terça-feira.
Previsões: favorece o sucesso, o triunfo Astro: Marte.
na vida social e profissional, no ensino 10 A Tecelã ou a Criada Elemento: Fogo.
e nos estudos, mas não favorece nas as­ be 258 A 269 graus do Zodíaco Caráter: o nativo tem espírito de inicia­
sociações. tiva, é empreendedor, inventivo, audaz,
Dia: sábado. construtivo, realista, independente e
Astro: Saturno. também perseverante.
7´A Cesta Elemento: Terra. Previsões: favorece as fundações, cons­
be 219 A 231 graus do Zodíaco Caráter: o nativo é leal, franco, honesto, truções, criações, a vida de casal e fa­
fiel, dedicado a seus próximos, mas às miliar, os bens materiais, mas não fa­
Dia: quarta-feira. vezes pródigo e imprevisível. vorece as viagens nem as mudanças.
Astro: Mercúrio. Previsões: favorece as atividades comer­
Elemento: Água ciais, mas não favorece a vida familiar,
Caráter: o nativo é original, inovador, os assuntos de dinheiro e a vitalidade. 14 A luz
precursor, bem como impulsivo, des­ de 309 A 321 graus do Zodíaco
medido e passional.
Previsões: favorece as mudanças na si­ 11 O CAOS Dia: quarta-feira.
tuação profissional, as inovações, mas be 270 A 282 graus do Zodíaco Astro: Mercúrio.
não favorece os compromissos ou rea­ Elemento: Água
lizações a longo prazo. Dia: domingo. Caráter: o nativo é sério, estudioso, cu­
Astro: Sol. rioso, ávido por descobrir, aprender,
AS XIU Elemento: Fogo. saber e conhecer, mas mais para o in­
DO PALÁCIO SETENTRIONAL Caráter: o nativo é voluntarioso, deci­ constante, infiel e até mesmo incon­
dido, sedento de justiça e equidade, co­ formista.
8 A Peneira m e r i d i o n a l rajoso, mas às vezes mostra-se impru­ Previsões: favorece os estudos, desco­
be 232 A 244 graus do Zodíaco dente e inflexível. brimentos, exames, as atividades co­
Previsões: favorece as decisões de justiça, merciais, as relações com as pessoas de
Dia: quinta-feira. mas não favorece a vida familiar nem a idade avançada, mas existe o risco de
Astro: Júpiter. situação financeira. um fraude ou atos repreensíveis.
Elemento: Madeira.
Caráter: o nativo é muito dedicado, ser­
viçal, corajoso e generoso, cheio de boa
vontade.
Previsões: favorece as iniciativas to­
madas no âmbito dos estudos, as
A astrologia chinesa

As Xiu
ou moradas da Lua
O Palácio Ocidental e o Palácio Austral
AS XIU DO nanceiros, as aquisições proveitosas, os
PALÁCIO OCIDENTAL 17 O Ventre assuntos comerciais, as ações, as proe­
be 348 A 359 graus do Zodíaco zas c as reivindicações.
15 A Forca
be 322 A 334 graus do Zodíaco sábado.
Astro: Saturno. 20 A Cabeça da tartaruga
Dia: quinta-feira. Elemento: Terra. be 26 A 38 graus do Zodíaco
Astro: Júpiter. Caráter: o nativo é sedutor, curioso, in­
Elemento: Madeira. dependente, intuitivo e receptivo. Dia: terça-feira
Caráter: o nativo é sociável, corajoso e Previsões: favorece os investimentos, as Astro: Marte.
tenaz. Alcança quase sempre seus fins, especulações e os benefícios de todo Elemento: Fogo.
tanto graças a seus esforços como pelas tipo, assim como as colheitas. Caráter: o nativo é compreensivo, per­
simpatias que suscita. missivo, de mente aberta, mas também
Previsões: favorece o êxito dos empre­ muito moralista e sentimental.
endimentos a longo prazo, mas não fa­ 18 Os Olhos e as Orelhas do Céu Previsões: favorece a preservação da lei
vorece as relações familiares ou de casal, be 0 A 12 graus do Zodíaco c da ordem, assim como a do bem-estar
nem os processos nem a saúde. das crianças e das pessoas de idade
Dia: domingo. avançada, mas não favorece as idéias
Astro: Sol. originais ou inconformistas.
16 A Pequena Montanha Elemento: Fogo.
de 335 A 347 graus do Zodíaco Caráter: o nativo é brilhante, audaz, im­
pulsivo e vítima de seus sentimentos 21 O Coração do Guerreiro
Dia: sexta-feira violentos e apaixonados. be 39 A 51 graus do Zodíaco
Astro: Vênus. Previsões: favorece o bom desenvolvi­
Elemento: Metal. mento dos processos, mas não favorece DIA: quarta-feira.
Caráter: o nativo é idealista, impaciente, a paz, a saúde das crianças e das pessoas Astro: Mercúrio.
entusiasta, mas às vezes mostra-se ilu­ de idade avançada, nem os acordos. Elemento: Água.
dido ou inconstante. Caráter: o nativo é engenhoso, produ­
Previsões: favorece os acordos, as re­ tivo, cheio de sentido comum, mas
lações amorosas, os prazeres compar¬ 19 A Rede muito possessivo, rancoroso e às vezes
tidos, a colheita dos frutos dos próprios be 13 A 25 graus do Zodíaco briguento.
esforços e os cuidados destinados a pre­ Previsões: favorece os assuntos comer­
servar o próprio bem-estar ou para Dia: segunda-feira. ciais, culturais e as negociações, não fa­
curar-se. Astro: Lua. vorece as uniões nem os contratos.
Elemento: Água.
Caráter: o nativo é expressivo, brilhante,
voluntarioso, independente, mas im­
prudente e excessivo no amor.
Previsões: favorece os investimentos fi­
AS XIU DO 25 A Estrela PÁSSAARO 27 As ASAS
PALÁCIO AUSTRAL be 90 A 102 graus do Zodíaco de 116 A 128 graus do Zodíaco

22 o Poço Dia: domingo. Dia: terça-feira.


de 52 A 64 graus do Zodíaco Astro: Sol. Astro: Marte.
Elemento: Fogo. Elemento: Fogo.
Dia: quinta-feira. Caráter: o nativo entrega-se muito, é Caráter: o nativo é ambicioso, corajoso,
Astro: Júpiter. compreensivo e bom, benévolo, res­ trabalhador, ativo, vê mais além das
Elemento: Água. ponsável, maternal, e protetor. aparências e possui certa grandeza de
Caráter: o nativo é inspirado, muito re­ Previsões: favorece as proteções provi­ espírito.
ceptivo às artes, corajoso, trabalhador, denciais, as transações imobiliárias, as Previsões: favorece as ambições, o êxito,
mas inconstante, principalmente no construções e realizações a longo prazo, o reconhecimento dos méritos, as
amor. porém não favorece as uniões nem os criações e manifestações artísticas, mas
Previsões: favorece as criações, as via­ matrimônios. não favorece as relações amorosas nem
gens, os trabalhos da terra, os estudos os encontros.
e os exames mas não favorece a vida
amorosa. 26 O Arco tensado
de 103 A 115 graus do Zodíaco 28 O Carro e m marcha
be 129 A 141 graus do Zodíaco
23 O Fantasma Dia: segunda-feira.
be 65 A 77 graus do Zodíaco Astro: Lua. Dia: quarta-feira.
Elemento: Água. Astro: Mercúrio.
Dia: sexta-feira Caráter: é um ser prudente, sagaz, sério, Elemento: Água.
Astro: Vênus. ensimesmado e tenaz, mas às vezes Caráter: o nativo é corajoso, paciente,
Elemento: Metal. também intransigente e implacável. consciente do que vale, mas é susce­
Caráter: o nativo é inteligente, sutil, as­ Previsões: favorece a vida familiar, os es­ tível e iracundo.
tuto, adaptável, oportunista e hábil para forços perseverantes, os empreendi­ Previsões: favorece todos os empreen­
aproveitar-se das riquezas do passado. mentos ambiciosos a longo prazo, os dimentos, iniciativas, criações, viagens,
Previsões: favorece os assuntos comer­ progressos na vida social lentos porém uniões, assuntos comerciais, benefícios,
ciais, sociais, econômicos e políticos, seguros, mas não favorece as viagens. etc.
mas não favorece a vitalidade, as uniões,
os casamentos nem as associações.
Os 5 Palácios do céu chinês
0 Palácio Central contém a constelação é Aquarii. Corresponde ao Inverno na
24 O Salgueiro da Concha, chamada Ursa Maior no Oci­ China, seu elemento é a Água e indica da
be 78 A 89 graus do Zodíaco dente, que contém, por sua vez, a Estrela Xiu 8 à Xiu 14.
Polar, a partir da qual se calculam as horas 0 Palácio Ocidental contém a constelação
Dia: sábado. e se marcam as estações da Terra. Seu ele­ do Tigre Branco, que é a das Plêiades ou
Astro: Saturno. mento ou agente é a Terra, mas não in­ a dos Sete Astros e é considerada a Raiz
Elemento: Terra. dica nenhuma Xiu. do Céu na China. Corresponde ao Outono,
Caráter: o nativo é inteligente, sério, 0 Palácio Oriental contém a constelação seu elemento é o Metal e indica da Xiu
muito apegado a seu passado e respei­ do Dragão Verde, que corresponde à de 15 à Xiu 21.
toso dos costumes, hábitos, crenças e Escorpião dos ocidentais, cuja estrela 0 Palácio Austral contém a constelação
leis antigas. principal é Antares. Relaciona-se com a do Pássaro Vermelho, isto é, Hidra Fêmea
Previsões: favorece a vida familiar, amis­ Primavera, seu elemento é a Madeira e do céu dos ocidentais, a constelação mais
tosa e social, mas não favorece nenhum indica as 7 primeiras Xiu. extensa da esfera celeste, cuja estrela
tipo de empreendimentos, iniciativas, 0 Palácio Setentrional contém a conste­ mais brilhante é Alphard. Corresponde ao
nem tampouco inovações ou outras lação da Tartaruga Negra, isto é, a de Verão chinês, seu elemento é o Fogo e in­
criações. Aquário no Ocidente, cuja estrela maior dica da Xiu 22 à Xiu 28.
O Zodíaco dos territórios
e das nações
ou a geografia astral
Da mesma forma como as pedras, asflores,as plantas, as árvores e os pássaros estão relacionados com
os 12 signos do Zodíaco, o mesmo acontece com os territórios, as nações e os Estados do mundo.

P odemos dizer que um


país tem alma? Às vezes
somos tentados a acreditar
Entre as obras que Cláudio
Ptolomeu nos deixou, há uma
que nos interessa particular­
que sim. Não é em vão que mente aqui: a que contém as
existem sempre determinados mais antigas correspondências
territórios ou nações que nos conhecidas entre certos países
fascinam, sem que nada apa­ e territórios do mundo e os sig­
rentemente nos ligue a eles. nos do Zodíaco, também cha­
Existe na astrologia uma tra­ mada geografia astral.
dição muito antiga relacionada Recuperamos esta obra para vo­
com este assunto, que re­ cê, elaborando um Zodíaco de
monta, pelo menos, até Pto­ territórios c nações, segundo os
lomeu, pois já existem vestí­ princípios da astrologia coletiva,
gios escritos em sua obra. N o chamada astrologia mundial.
entanto, o mesmo Ptolomeu obteve-a No século XV, segundo Ptolomeu, o
de uma experiência certamente anterior mundo dividia-se em duas partes iguais:
à sua. Provavelmente, em sua época, li­ uma conhecida e outra não. Os signos, os territórios
mitou-se a fazer eco dela. Era uma e as nações
época em que, se a escrita ainda per­ encontramos tratados de música, física, Um território pode ser atribuído perfeita-
tencia a uma elite, o homem comum mecânica, astronomia, matemática, ge­ mente a um signo, embora a nação e o Es-
aprendia a redigir, a transmitir e a se co­ ografia, gnomônica (um gnômon era tado de tal território correspondam a outro
municar com seus semelhantes e con­ uma espécie de ponteiro de quadrante signo. Isto se deve ao fato das nações e dos
temporâneos através de outros meios luminoso que se usava durante a Anti­ Estados terem sido criados em datas deter-
diferentes da palavra escrita. güidade, utilizado como instrumento minadas, mais ou menos recentes, que co-
astronômico especial para medir os nhecemos perfeitamente. Por exemplo, uma
QUEM ERA PTOLOMEU movimentos dos astros no Zodíaco) e, lenda antiga atribui a fundação da Coréia em
Cláudio Ptolomeu era um astrônomo, evidentemente, de astrologia. Seu co­ Tangun, a 3 de outubro de 2333 antes de
astrólogo, matemático e geógrafo gre­ nhecido Tetrabiblos foi durante muito nossa era, sob o signo de Libra. Por outro
go, do qual não se sabe grande coisa, tempo a Bíblia dos astrólogos. Nessa lado, a República da Coréia do Sul é de 15 de
apenas que viveu no século II d. C , cm obra, Ptolomeu fez um balanço desta agosto de 1948, sob o signo de Leão e a Co-
Alexandria. Foi autor de obras consi­ ciência e distinguiu entre a antiga e a réia do Norte, de 9 de setembro de 1948, sob
deradas verdadeiros clássicos em sua nova preocupação dos astrólogos, ou o signo de Virgem. Igualmente, na seção de
época e que exerceram uma profunda seja, a astrologia que se aborda de um "nações", você encontrará algumas que não
influência no pensamento que vai des­ ponto de vista das previsões mundiais contam como Estado soberano, pois tratam-
de a Idade Média até o Renascimento. e a outra mais próxima de sua época, se de nações associadas a outro Estado,
Entre os livros que escreveu, que foram chamada judicial e que se referia ao nações sob tutela, etc. À margem das
aquilo que hoje se chama compilações destino e à personalidade de um indi­ questões políticas internacionais, aqui con-
de conhecimentos adquiridos e acu­ víduo, revelados a partir do seu mapa tinuam a ser consideradas como nações.
mulados pelos homens da Antigüidade, astral.
Também a atualizamos e moderniza­ SAGITÁRIO
mos, incluindo as nações cuja procla­ Territórios: Arábia Saudita, Austrá­
mação de independência como re­ lia, Espanha, Hungria, Madagas­
pública ou cuja constituição são car, Mayotte, Santo Domingo.
relativamente recentes; portanto, Nações: Antilhas, Benin, Butão,
em todos os casos, estes aconte­ Burundi, Espanha, Irlanda, Quê­
cimentos tiveram lugar em um nia, Líbano, Mauritânia, Países Bai­
período que corresponde a este xos, República Centro-Africana,
ou àquele signo do Zodíaco. Por Suriname, Tanzânia, Iêmen.
esta razão, o chamamos de "Zo­
díacos dos territórios e das na­ CAPRICÓRNIO
ções". Territórios: Afeganistão, Albânia, Bósnia,
Bulgária, Índia, Ilhas Maurício, México.
ÁRIES Nações: Austrália, Bélgica, Brunei, Ca­
Territórios: Alemanha, Inglaterra, Japão, marões, Hong Kong, Líbia, Mônaco,
Mongólia, Palestina, Polônia, Síria, Myanmar, Nicarágua, Nova Caledônia,
África do Sul. Polônia, Sudão, Suécia.
Nações: Bangladesh, Canadá, República Nações: Afeganistão, Barém, Bolívia,
Tcheca, Haiti, Irã, Luxemburgo, Mar­ Burkina Faso, Congo, Coréia do Sul, AQUÁRIO
rocos, Mongólia, Síria, Zimbabwe. Costa do Marfim, Gabão, Índia, In­ Territórios: Austrália, Chile, São Vi­
donésia, Libéria, Mali, Oman, Peru, cente-Granadinas, Venezuela.
TOURO Porto Rico, Romênia, Senegal, Cin­ Nações: Chile, Chipre, Gâmbia, Grã-
Territórios: Ilhas Caiman, Chipre, Gré­ gapura, Vanuatu. Bretanha, Granada, Japão, Jordânia,
cia, Irlanda, Pérsia, Rússia, Suriname, Liechtenstein, Nepal, Nova Zelândia,
Vanuatu. VIRGEM Sri Lanka, Vaticano.
Nações: Áustria, Equador, Guadalupe, Territórios: Brasil, Croácia, Iraque, Cur¬
Guiana, Israel, Jamaica, Mayotte, Pa­ distão, Nova Caledônia, Silésia, Tur­ PEIXES
raguai, Serra Leoa, Togo. quia. Territórios: Albânia, Costa do Marfim,
Nações: Arábia Saudita, Brasil, Coréia Guadalupe, Ilhas Maldivas, Portugal.
GÊMEOS do Norte, Egito, Etiópia, Guatemala, Nações: Bulgária, Gâmbia, Gana, Guiana
Territórios: Bélgica, Canadá, Baixo Honduras, Malásia, Malta, Niger, Pa­ Francesa, Martinica, Ilhas Maurício, Ilha
Egito, Estados Unidos, País de Gales, pua-Nova Guiné, Qatar, San Marino, da Reunião, República Dominicana,
Gibraltar, Santa Lucia, Suécia. Salvador, Trindade e Tobago, U r u ­ Saara Ocidental, Santa Lucia, Taiwan,
Nações: Angola, Bermudas, Grécia, guai. Tunísia.
Islândia, Itália, Kuwait, Ilhas Maldivas,
Noruega, Saint Pierre e Miquelon, LIBRA
África do Sul, Suíça. Territórios: Argentina, Áustria, Ilhas Ba­ Suas afinidades
hamas, China, Coréia, Alto Egito, In­ com os territórios
CÂNCER dochina, Saint Pierre e Miquelon, El Para saber se você tem afinidades com um
Territórios: Holanda, Ilhas Maurício, Salvador, Tibete. ou outro território, é preciso levar em conta
México, Nova Zelândia, Paraguai, Ro­ Nações: Botswana, China, Costa Rica, a posição do Sol, do ascendente e da Casa
désia. Cuba, Ilhas Fidji, França, Guiné, Lesoto, IX de seu mapa astral, bem como os as­
Nações: Argélia, Argentina, Ilhas Baha­ Madagascar, Nigéria, Uganda, Portugal, tros regentes. Por exemplo, se o Sol e parte
mas, Cabo Verde, Ilhas Caiman, Colôm­ Tailândia. da CasaIXse encontram em Aquário, e o
bia, Ilhas Comores, Dinamarca, Djibuti, ascendente em Gêmeos, tende-se a dizer
Estados Unidos, Iraque, Laos, Malavi, ESCORPIÃO que este nativo se sentirá atraído para os
Moçambique, Filipinas, Ruanda, Ilhas Territórios: Argélia, Cuba, Dominica, países correspondentes a esses signos. No
Salomão, Ilhas Seychelles, Somália, Ve­ Marrocos, Martinica, Noruega, Porto entanto, ao ser Saturno, e secundariamente
nezuela, Vietnã, Wallis, Futuna. Rico, Ilhas Seychelles. Urano, os regentes do Sol em Aquário e ao
Nações: Antígua c Barbados, Camboja, estar a cúspide da CasaIXem Aquário, é
LEÃO Chade, Finlândia, Hungria, México, Pa­ principalmente com os países correspon­
Territórios: Bósnia, Colômbia, França, namá, São Vicente-Granadinas, Turquia, dentes a este signo que o nativo terá afi­
Itália, Romênia, Sicília, Suíça. Zâmbia. nidades.

Você também pode gostar