Você está na página 1de 43

MEMÓRIA 2009

19 a 2 DE AGOSTO - SINTRA
MEMÓRIA-RESUMO DO 1º MUNDIALINHO DA INTEGRAÇÃO

• Memória-resumo I Mundialinho …………………………………………………… p.

• Apresentação I Mundialinho ……………………………………………………….. p.

• Sorteio …………………………………………………………………………………. .p

• Pontapé de Saída ………………………………………………………………………p.

• As meias-finais ………………………………………………………………………....p.

• Final e festa de encerramento ………………………………………………………..p.

• Prémios atribuídos …………………………………………………………………..... p.

• Plano de meios …………………………………………………………………………. p.

• Plano de comunicação ………………………………………………………………... p.


MEMÓRIA-RESUMO DO 1º MUNDIALINHO DA
INTEGRAÇÃO

Em Espanha:

O “Mundialito de la Inmigración y de la Solidaried” nasceu em Espanha, já vai na sexta


edição e é um dos eventos desportivos e sociais de referência na Comunidade de Madrid.

MEMÓRIA-RESUMO DO 1º MUNDIALINHO DA INTEGRAÇÃO


Em Espanha o evento teve como principais
organizadores a Comunidade de Madrid
(CM), a Federação de Futebol de Madrid, a
Câmara Municipal e algumas personalidades
individuais, como Manuel Herrera, Augustín
Domínguez, Vicente Condés e José Miguel
López Crego. O principal patrocínio ficou a
cargo da Telefónica.

Na edição do ano passado mais de 35.000 pessoas assistiram aos encontros do torneio,
tendo obtido grande atenção por parte dos órgãos de comunicação social, não só
generalistas, bem como os destinados à comunidade imigrante.

As 24 equipas do VI Mundialinho eram constituídas por 520


jogadores da América Latina, Ásia e Europa residentes em
Madrid.

Esta actividade intercultural que se realizou pela sexta vez


em Espanha, contava, na 1ª edição, com 12 equipas.

O facto de haverem cada vez mais interessados tem


contribuído para o aumento do número de equipas ao longo
dos anos, um dos motivos para que o Mundialinho da
Integração seja um sucesso em Espanha.

Portugal promete seguir-lhe as pisadas...

MEMÓRIA-RESUMO DO 1º MUNDIALINHO DA INTEGRAÇÃO


Em Portugal:

Promover o convívio e uma melhor integração entre as comunidades imigrantes em


Portugal foi o mote para a realização do 1º Mundialinho da Integração no nosso país.

O futebol foi a linguagem de ligação entre as doze equipas participantes num evento
acolhido por Sintra, de 19 de Julho a 2 de Agosto de 2009.

Do comité organizador do 1º Mundialinho da Integração fizeram parte a Câmara Municipal


de Sintra, em parceria com a APAF (Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol) e a
ICE – Ibérica Comunicação Empresarial.

A Câmara Municipal de Sintra assumiu o papel de gerar as condições necessárias para a


realização do torneio;

A ICE teve como responsabilidade toda a Organização não desportiva do torneio


(contacto com as Embaixadas ,divulgação do evento e fornecimento de toda a logística);

Por fim, a APAF (Associação Portuguesa dos Árbitros de Futebol) fez toda a gestão da
parte desportiva do campeonato.

O Mundialinho da Integração contou com o apoio do Governo português, através da


Secretaria de Estado da Juventude e Desporto e da Secretaria de Estado da
Administração Interna.

Deste apoio institucional fez também parte o Alto Comissariado para a Imigração e
Diálogo Intercultural.

Este campeonato teve como patrocinadores oficiais a Robert Hudson, a MoneyGram, o


Montepio, Jogos Santa Casa e Câmara Municipal de Sintra.

MEMÓRIA-RESUMO DO 1º MUNDIALINHO DA INTEGRAÇÃO


Para além da cobertura mediática dada pela RTP e pela Agência Lusa, este evento
conseguiu a atenção dos principais meios de comunicação generalistas, de difusão
nacional e internacional.

Os jogos do 1º Mundialinho da Integração decorreram no estádio da Sociedade União 1º


de Dezembro e no estádio do Sport União Sintrense. Estima-se que durante todo o
torneio mais de 10.000 pessoas tenham assistido às partidas.

Estádio União 1ºEstádio do Sport União Sintrense


de Dezembro
Através do Plano de Comunicação do 1º
Mundialinho da Integração e de diversos eventos a ele associados, foram produzidas
mais de 200 informações em meios generalistas, desportivos e meios destinados à
população imigrante, de difusão nacional, autónoma e local. Foi também desenvolvido um
plano de meios, através do qual se introduziram 365 anúncios em rádio e tv. Em todos
estes materiais publicitários figuravam os logótipos dos patrocinadores oficiais e apoios
institucionais do evento.

Com o objectivo de promover o campeonato, uma equipa de relações públicas distribuiu


25.000 flyers nos quais vinham também mencionados os patrocinadores e apoios.

Estes flyers foram distribuídos na grande Área Metropolitana de Lisboa, nas principais
estações de metro e comboio e em áreas de maior afluência de público.

MEMÓRIA-RESUMO DO 1º MUNDIALINHO DA INTEGRAÇÃO


Mais de 250 jogadores de diferentes continentes, África, América Latina, Ásia e Europa de
Leste, integraram as diferentes equipas deste campeonato, dando assim a conhecer as
diferentes culturas residentes em Portugal.

O objectivo primordial deste evento passa por promover o diálogo intercultural,


favorecendo a integração das comunidades imigrantes que vivem e trabalham em
Portugal através da linguagem universal do desporto, em geral, e da festa do futebol em
particular. Como tal, a organização decidiu atribuir, para além do 1º, 2º e 3º lugar, um
troféu para o melhor jogador, o melhor guarda-redes, melhor marcador e um prémio
especial para a equipa com maior fair-play

Os encontros da 1ª edição do Mundialinho da Integração em Portugal, celebraram-se de


19 de Julho a 2 de Agosto no estádio da Sociedade União 1º de Dezembro e no estádio
do Sport União Sintrense.

Apresentação do 1º Mundialinho da Integração


Apresentação do 1º Mundialinho da Integração
A apresentação deste evento desportivo realizou-se no dia 4 de Maio de 2009, no Palácio
da Regaleira, em Sintra.

A cerimónia contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Sintra e de


altos representantes e embaixadores de cada um dos países participantes.

O envolvimento das embaixadas foi, aliás, muito importante durante a realização do


Mundialinho. Estas entidades tiveram um papel essencial na integração de cada um dos
países no evento.

A Embaixada de cada país apresentou um delegado desportivo, o qual recomendou o


treinador e jogadores de cada equipa participante.

SORTEIO
SORTEIO
O Sorteio que antecedeu o 1º Mundialinho da Integração foi coordenado pelo Director
Desportivo do evento, o ex-árbitro internacional Paulo Paraty. O ex-árbitro deu a conhecer
os primeiros grupos a pisar o relvado dos estádios da Sociedade União 1º de Dezembro e
do Sport União Sintrense.

A Cerimónia Pública realizou-se nos Paços do Concelho de Sintra onde foram anunciados
os quatro grupos a disputar a fase inicial do Mundialinho.

O Sorteio público foi precedido de um curto espectáculo onde participaram grupos


culturais de Espanha, Cabo Verde e Timor-Leste.

Este momento cultural enquadra-se na filosofia do próprio Torneio que teve como
objectivo proporcionar momentos de aproximação e convívio entre 12 comunidades
imigrantes no nosso país e as respectivas equipas de futebol.

Pontapé de saída
Pontapé de saída
O presidente da Câmara Municipal de Sintra, o Professor Fernando Seara, deu o pontapé
de saída do 1.º Mundialinho da Integração.

Os jogadores das 12 selecções


desfilaram ao longo do Estádio 1.º
de Dezembro, em São Pedro de
Sintra, empunhando a bandeira de
cada uma das nações e fazendo-se
acompanhar de uma criança com o
traje típico do seu país.

Mais de 2.500 pessoas assistiram


ao acto inaugural e às primeiras
partidas do 1º Mundialinho da
Integração.

As equipas da Moldávia e Brasil


protagonizaram o jogo inaugural do
Mundialinho.

Ainda no mesmo dia, a selecção da


Roménia defrontou Angola, Cabo Verde jogou com a Ucrânia e São Tomé e Príncipe com
Espanha.

As goleadas de Cabo Verde, S. Tomé e Angola foram o destaque da primeira jornada.

Pontapé de saída
A selecção angolana foi categórica ao derrotar a sua congénere romena por expressivos
11-0, resultado quase idêntico ao obtido por S. Tomé e Príncipe no confronto com a
equipa espanhola (10-0).

Cabo Verde seguiu a onda dos seus parceiros africanos e goleou a selecção ucraniana
por 9-2. Brasil e Moldávia concretizaram o resultado mais equilibrado da tarde, com vitória
canarinha por 4-1.

Ao longo do acto inaugural a energia dos grupos culturais foi contagiando o público
presente.

As Sevilhanas da Escola Flamenca de Alejandra Gutkin encheram o estádio numa


explosão de cor. Do mesmo país de origem, o grupo de Gaitas da Galiza levou os
presentes a viajar pelas paisagens desta região espanhola.

Pontapé de saída
Também durante o dia inaugural, o grupo Txabetinhas, da Associação Luso Caboverdiana
de Sintra, deu a conhecer os ritmos do “funaná”, “cola” e “mazurca”.

As 2.500 pessoas presentes dançaram ao som dos batuques do grupo de capoeira de


Mira Sintra num espectáculo de expressão cultural afro-brasileira que mistura luta, dança,
cultura popular e música.

Pontapé de saída
Num dia em que futebol, cultura, mas principalmente integração, eram as palavras de
ordem, o grupo folclórico “Bucovina” transportou para Portugal durante alguns minutos as
tradições romenas.

A primeira etapa estava ultrapassada: juntar estas comunidades de imigrantes numa


festa, incentivando o convívio social e a partilha de valores culturais!

As Meias-Finais
As Meias-Finais

Nos jogos disputados no acto inaugural do


1º Mundialinho da Integração, o Brasil
venceu Marrocos por 5 a 1, para defrontar Angola nas meias-finais, que derrotou a equipa
de Timor-Leste por 12 a 1.

Os cabo-verdianos ganharam aos


moçambicanos por 6 a 0 e foram apurados
para jogar com a Guiné-Bissau, que
triunfou sobre São Tomé e Príncipe por 4 a
2.

As equipas de Angola/Brasil e Cabo


Verde/Guiné-Bissau disputaram, portanto, as
meias-finais do primeiro Mundialinho da
Integração.

Os jogos do 1º Mundialinho da Integração


realizaram-se sempre ao fim-de-semana,
para que as famílias dos atletas pudessem
também participar activamente no evento.

Estas partidas contaram com a participação de ex-árbitros como Paulo Paraty, António
Costa, Cunha Antunes, Paulo Pereira, Hélio Santos e José Leirós.

Final e festa de encerramento


Final e festa de encerramento

A final do 1º Mundialinho da
Integração registou um maior
número de adeptos, por
comparação com os jogos
anteriores.

Mais de 1.500 pessoas


deslocaram-se ao estádio do 1º de Dezembro no dia 2 de Agosto para presenciar o
encontro que disputaram as selecções de Angola e Cabo Verde.

Angola acabou por vencer Cabo Verde através da conversão de grandes penalidades (3-
2) depois do empate a um golo no tempo regulamentar da partida.

Final e festa de encerramento

Para além do jogo, a final contou também com a animação de grupos culturais dos países
participantes.

Os mais de 1.500 adeptos presentes


dançaram ao som do grupo de samba
brasileiro “Barlavento”. A Associação
Luso-Caboverdiana de Sintra voltou a
encantar, desta vez com o grupo
juvenil “Sabura”.
Numa actuação mais tradicional o grupo Lalôran Dâme deu a conhecer os ritmos e
danças timorenses.

Final e festa de encerramento

Enquanto os jogadores mostravam os dotes de futebolistas, faziam-se ouvir ritmos e


músicas característicos de cada um dos países participantes, que embelezaram a festa.

A divulgação das diferentes culturas residentes em Portugal, a partir do pressuposto


que é através do conhecimento do “outro” que se esbatem barreiras e se proporcionam
condições de convívio social, cultural e económico, apelando à plena cidadania;
Uma festa que teve como principal
objectivo promover o diálogo intercultural,
favorecendo a integração das
comunidades imigrantes que vivem e
trabalham em Portugal através da
linguagem universal do desporto, em geral,
e da festa do futebol em particular;

Final e festa de encerramento

O presidente da Câmara Municipal de Sintra, Fernando Seara, aprovou o Mundialinho e


garantiu que o evento cumpriu o seu objectivo de unir as comunidades imigrantes em
Portugal. E já pensa na próxima edição.
Prémios Atribuídos
Prémios Atribuídos

As três primeiras selecções classificadas foram premiadas com troféus e medalhas.


Foi também atribuído um troféu para o melhor jogador, o melhor guarda-redes, melhor
marcador e um prémio especial para a equipa com maior fair-play.

Prémios Atribuídos

Todos os elementos das 12 selecções receberam uma medalha de participação no 1º


Mundialinho da Integração.

Plano de meios
Plano de meios

A presença de marca dos organizadores, patrocinadores e colaboradores esteve presente


em todo o material de promoção (flyers, outdoors, convites).

Os estádios disponibilizaram o espaço para a colocação as lonas oficiais do torneio.

Uma equipa de relações públicas distribuiu mais de 25.000 flyers

Estes flyers foram distribuídos na grande área metropolitana de Lisboa, nas principais
estações de metro e de comboio e em áreas de maior afluência de pessoas.

A organização do Mundialinho mandou colocar uma lona oficial do torneio nos campos
onde se disputaram os encontros do campeonato.

Neste material apareciam também os logótipos das instituições e empresas que


colaboraram na realização do torneio.
Plano de meios

Presença do logotipo dos patrocinadores

Suporte/Meio Quantidade Dimensões/Duração


Flyers 25.000
Convites
Outdoors 4
Mupis 4
Lonas 2
Equipamento dos jogadores
Imprensa - cartaz
Online
Antena 1 105 spots 30 segs.
RDP Internacional 105 spots 30 segs
RDP África 105 spots 30 segs.
RTP 1 8 spots 16 segs.
RTP 2 21 spots 16 segs
RTP África 21 spots 16 segs.

Total:

Plano de meios
Plano de comunicação

Plano de comunicação
O evento teve como órgãos oficiais a RTP e a Agência Lusa, que fizeram a cobertura das
diferentes etapas do 1º Mundialinho da Integração.

O evento foi tema de abertura diversas vezes nos telejornais da RTP África e RTP
Internacional.

Plano de comunicação

De referir também, que para além


destas reportagens houve também a
participação num programa da RTP1,
“Portugal sem fronteiras”. Durante este
programa foi entrevistada a organização
e alguns jogadores, no sentido de dar a
conhecer o evento, mas também incentivar a população imigrante a ir até ao estádio
apoiar as equipas. Nas semanas seguintes foram também publicadas reportagens e
entrevistas acerca do desenvolvimento do 1º Mundialinho da Integração.

Nos meses que antecederam o evento e no período em que decorreu, jornais como o
Diário de Notícias, Expresso, Sol, JN e Correio da Manhã, deram a conhecer os principais
acontecimentos do 1º Mundialinho da Integração.

O jornal desportivo “O Jogo”, publicou semanalmente notícias a antecipar aquilo que se ia


passar e posteriormente uma crónica com os resultados das partidas.

Plano de comunicação

Imprensa Internet

Meio Quantidade
Meio Quantidade
Imprensa
8 Jornais online 71
desportiva
Imprensa Outros 45
generalista 14 Televisão Rádio
nacional
Meio Quantidade Meio Quantidade
SIC 2 Rádio 4
RTP1
RTP
Internacional
RTP África

Plano de comunicação
Plano de comunicação
Plano de comunicação
Plano de comunicação
Plano de comunicação
Plano de comunicação