Você está na página 1de 2

Características do JOL

1. Instantaneidade.
2. Interatividade.
3. Perenidade (memória, capacidade de armazenamento de informação).
4. Multimediação, programação.
5. Hipertextualidade.
6. Personalização de conteúdo, customização.

1 Instantaneidade

O grau de instantaneidade – a capacidade de transmitir instantaneamente um


fato – das publicações em rede aproxima-se do atingido pelo rádio, o mais alto
entre as três mídias tradicionais, seguido por TV e jornal. É muito rápido, fácil
e barato inserir ou modificar notícias em formato binário.

2 Perenidade

Também conhecido como arquivamento ou memória. O material jornalístico


produzido online pode ser guardado indefinidamente. O custo de
armazenamento de informação binária é barato. É possível guardar-se grande
quantidade de informação em pouco espaço.

3 Interatividade

As mídia tradicionais sempre tiveram algum tipo de interação, como nas


seções de cartas de jornais e TVs e nos telefonemas para programas de rádio
(talk radio). Mas no JOL a interação atinge seu ponto máximo:

• O leitor pode escolher vários “caminhos” para ler notícias.


• Na Web, o leitor pode enviar formulários com comentários sobre uma notícia e ver
suas observações colocadas imediatamente à disposição de outros leitores.
• O leitor pode participar de votações sobre temas polêmicos.

4 Multimediação, multimedialidade ou convergência

O JOL usa vários tipos de mídia e de formatos de arquivos de computador.


Trata-se da convergência de todas as mídias:

• Texto e hipertexto em computador.


• Áudio (podcasts).
• Vídeo parado (fotos) e em movimento (videocasts).
• Texto em papel (o conteúdo da internet freqüentemente é impresso).
• Em breve, se poderá usar cheiro, pois já existem pesquisas com transmissão de
informações olfativas.
5 Hipertextualidade

Segundo a enciclopédia coletiva Wikipedia,

“Um hiperlinque, ou simplesmente linque, é uma referência em um


documento hipertextual para outro documento ou recurso. Como tal, ele é
similar às citações em literatura”.

O uso de hiperlinques em conteúdo multimídia (áudio, vídeo, fotos,


animações) é chamado de hipermídia. Tecnicamente, não há diferenças em
fazer linques em texto ou em imagens.

Mídias tradicionais também usam hiperlinques, como o sistema de sumário e


número de páginas de livros, os sistema de organização da Bíblia, as chamadas
de capa de jornais.

6 Personalização de conteúdo

Como toda a informação está sendo tratada por computadores, é rápido


colher informações sobre usuários/leitores e oferecer a mídia que mais
interessa a ele. Esta personalização de conteúdo pode se realizar de diversas
maneiras:

• Aliada à multimídia, a personalização de conteúdo permite a programação de


servidores de mídia, que podem escolher qual informação enviar conforme as
preferências do usuário que solicita. Por exemplo, um vídeo de qualidade mais alta é
escolhido automaticamente pelo servidor Helix da Realmedia se o usuário tem banda
larga.
• Muitos sites de informação e serviços (portais) permitem que o leitor escolha temas
que lhe interessam e receba apenas notícias sobre eles, ao acessar a página. Um bom
exemplo é o News Is Free (http://www.newsisfree.com). Também é comum que se
assine newsletters sobre assuntos específicos.

As novas formas de busca e apresentação de notícias, como os agregadores de


notícias (news feeds RSS) e Google News, fazem com que qualquer jornal
esteja em pé de igualdade na concorrência por leitores. Jornais de grandes
centros competem de igual para igual com jornais regionais. Isto aponta para
a necessidade de maior atenção na redação de títulos.

Fonte: http://meiradarocha.jor.br/news/2000/12/31/entendendo-o-
jornalismo-online/