Você está na página 1de 7

PLANO DE SESSÃO

OM: 6o BIL DATA: 10 a 14 Jul 2009


PLANO DE SESSÃO Nº: HORA: 0700/1100
1300/1700
CURSO: FORMAÇÃO DE SOLDADOS
TURMA: SD EV 2009
PERÍODO: QUALIFICAÇÃO
GRUPAMENTO: A, B, C e D
FASE: ---
MATÉRIA: MANEABILIDADE

UNIDADE DIDÁTICA: ---

ASSUNTO: Maneabilidade do GC
OBJETIVOS:
- Q-401 – Descrever a organização, o armamento, as funções e atribuições dos componentes do GC
- Q-402 – Descrever o emprego das formações
- Q-403 – Emitir e executar comandos para adoção das formações
- Q-404 – Emitir e executar comandos para mudança de frente e/ou formação

LOCAL DA INSTRUÇÃO: CITE

TÉCNICA (S) DE INSTRUÇÃO: Palestra e Exercício em Grupo

MEIOS AUXILIARES: Quadro mural

INSTRUTOR(ES): MONITOR(ES): AUXILIAR(ES):


Ten Bellé Cad Silva Pinto Cb Joab, Cb José, Sd Felipe
Andrade

MEDIDAS ADMINISTRATIVAS: Preparação do local da instrução

MEDIDAS DE SEGURANÇA: Não é o caso

FONTES DE CONSULTA: C 7 – 5 (Exercícios para a Infantaria)

ASSINATURA: VISTO: VISTO:


PLANO DE SESSÃO

MAI
TEMPO DISTRIBUIÇÃO DO ASSUNTO E
OBS
10 Min 1. INTRODUÇÃO Quadro
Dando início às instruções de maneabilidade, veremos, nessa sessão, a mural
escola do grupo de combate e grupo de apoio, onde todos terão uma parte
teórica e, logo após a prática.
120 Min 2. DESENVOLVIMENTO Quadro
1) ORGANIZAÇÃO mural
O Grupo de Combate é Orgânico do Pelotão de Fuzileiros da
Companhia de Fuzileiros do Batalhão de Infantaria ou Batalhão de
Infantaria Motorizado.
O GC é comandado por um 3º Sargento e organizado com duas
esquadras perfazendo em total de nove homens

2) ATRIBUIÇÕES DOS COMPONENTES


a. Sargento Comandante do GC/ GAp:
É o responsável pelo emprego controle, conduta do tiro e manobra do
seu GC.

b. Cabos Auxiliares:
São os Comandantes de esquadras, auxiliam o Cmt do GC no
controle, iniciando as ações e dando exemplo dentro de suas esquadras.
conduzem além de seu material dois carregadores para o FAP.

c. Soldados Esclarecedores e Atiradores:


São instruídos e exercitados para o combate individual e coletivo e
devem estar em condições de realizar rodízio de funções
O soldados esclarecedores pares de cada esquadra conduzem o AT4
Os soldados Atiradores operam o FAP, identificam os objetivos e
apontam as armas.

3) ENUNCIAR FUNÇÕES
A enunciação de funções sé o processo por meio do qual o Cmt do
GC verifica se todos os homens estão presentes e sabem a função que vão
exercer. É cabível em todas as situações, particularmente nas seguintes:
1. Antes de um exercício
2. Após movimento que dispersem muito o grupo
3. Após um exercício ou uma ação de combate
4. Após efetuado um rodízio

A execução de Enunciar Funções e da seguinte maneira:


Ao comando de ‘’GRUPO ATENÇÃO ! ENUNCIAR FUNÇÕES!’’
cada homem, dentro do dispositivo da formatura do GC e da frente para a
retaguarda, a partir do Cmt do GC, dirá em voz alta, sua graduação e
função. Para isto um a um, tomarão a posição de sentido e levarão
energicamente o braço direito (esquerdo quando o direito estiver ocupado)
com a mão espalmada voltada para a frente dedos unidos a medida que se
identificarem. O comando deverá ser dado de um local do qual o Cmt possa
ver toda a sua fração.

4) FORMAÇÃO
A formação a ser adotada e as distâncias e intervalos entre os homens
e esquadras são função da situação do terreno, da visibilidade, da
velocidade de movimento e da flexibilidade desejada. No entanto, pode-se
considerar como normais as distâncias e intervalos de 10 passos entre os
homens e de 20 a 50 metros entre as esquadras.
Nas formações escalonadas em profundidade, a primeira esquadra
será a base à frente, nas escalonados em largura será a base à esquerda.
O adequado aproveitamento do terreno é mais importante do que a
posição exata que cada homem deve ocupar no dispositivo, o Cmt do GC,
além de incutir em seus homens a importância desta prioridade, deve ele
também observá-la , colocando-se onde melhor possa controlar sua fração.

FORMATURA DO GC
Os homens estarão em forma em coluna por um, distância de um braço
entre eles, na ordem indicada na figura.

EM COLUNA
É a formação adotada pelo grupo para o movimento em terreno que
restrinja o emprego de uma formação mais dispersa (trilhas, passagens
estreitas, etc). Facilita o controle e proporciona rapidez de movimento, mas
oferece pouca dispersão.
As esquadras deverão adotar a formação em coluna e as distâncias
entre os homens são 10 passos e entre as esquadras de 20 metros.

POR ESQUADRAS SUCESSIVAS


É a formação mais comumente adotada pelo GC, qualquer outra
formação será usada por imposição da situação ou do terreno e logo que
cessam tais imposições o grupo retornará à formação por esquadras
sucessivas. Adequada aos reconhecimentos a aproximação é sempre que
haja a necessidade de uma esquadra apoiar a outra durante o deslocamento.
Proporciona boa dispersão, bom controle e bom volume de fogo à
frente, nos flancos, grande flexibilidade e apoio mútuo entre as esquadras.
Cada esquadra deverá adotar a formação básica que é em cunha, só
modificando temporariamente por imposição da situação e/ou do terreno.
O Cmt da esquadra é a vértice da cunha. o que lhe permite servir de
base para sua esquadra e comanda-la pelo exemplo.
As distâncias entre os homens são de ordem de 10 passos e entre as
esquadras de 20 a 50 metros.

POR ESQUADRAS JUSTAPOSTAS


É a formação adotada pelo grupo para a progressão quando da
localização do inimigo for conhecida e se deseja bom volume de fogos à
frente Proporciona bom grau de controle, segurança em todas as direções,
boa dispersão e bom volume de fogos à frente. Cada esquadra deverá adotar
a sua formação básica, que é em cunha , só modificando temporariamente e
por imposição da situação do terreno.
As distâncias entre os homens são da ordem de 10 passos e o intervalo
entre as esquadras é de 20 a 50 metros.

POR ESQUADRAS JUSTAPOSTAS MODIFICADAS

Quando as restrições impostas pelo terreno ou pela visibilidade não


forem tão grandes e que exijam a adoção da formação em coluna, o GC
poderá adotar uma formação por esquadras justapostas modificada que é
coluna por dois. Normalmente será adotada quando o movimento estiver
sendo realizado em trilha larga ou estrada. Proporciona grande facilidade de
controle e rapidez de movimento, porém com potência de fogo limitada à
frente.

EM LINHA
É a formação adotada pelo grupo para a transposição de cristas,
estradas ou locais de passagem obrigatória sujeitos ao fogo e a observação
do inimigo, é a mais adequada para o assalto
Proporciona máxima potência de fogo à frente e é de difícil controle .
As esquadras deverão adotar, obrigatoriamente a formação em linha.
Os intervalos entre os homens são de 10 passos.

5) COMANDOS A VOZ E POR GESTOS


a. Comandos a voz:
A voz é o modo de comando mais empregado e mais eficiente,
embora sofra restrições em função da distância, do vento e dos ruídos do
combate.
Os comandos a voz deverão ser transmitidos de forma a serem
ouvidos por toda a tropa e poderão ser formais ou informais. Os comandos
formais devem ser usados nas instruções e no adestramento das frações,
quando estas estiverem bem adestradas, ou em situação de combate,
deverão ser usados os comandos informais ou apenas ordens curtas e
simples. Entretanto estes comandos ou ordens devem fornecer aos homens
os elementos indispensáveis a uma correta execução.
b. Comandos por gestos
Os comandos por gestos substituirão os comandos a voz quando a
distância, o vento, os ruídos ou qualquer outra circunstância impedir que o
comandante da fração se faça ouvir.
São empregados nas pequenas frações quando desenvolvidas ou, nas
maiores, quando reunidas. Deverão ser transmitidos de local visível e toda a
tropa comandada ou, pelo menos, a todos os comandantes interessados. São
prejudicados em condições de fraca visibilidade.
Vejamos a seguir, alguns gestos que podem ser empregados no GC.

6) TECNICAS DE PROGRESSÃO
a. Progressão contínua: Quando a velocidade for o fator mais
importante (antes do contato com o inimigo).
b. Progressão protegida: Contato com o inimigo, ainda não
estabelecido, mas necessita-se de uma maior segurança devido à sua
proximidade. Formação mais comum: Por esquadras sucessivas.
c. Progressão por lanços (marcha do papagaio): Sob vistas e fogos do
inimigo. a formação será adequada ao terreno, executando lanços de
100 a 150 metros.

7) MUDANÇA DE FRENTE E FORMAÇÃO


Se o comando para a mudança de frente e/ou formação for emitido
com o grupo se deslocando, p mesmo continuará seu deslocamento após a
execução do comando, se o grupo estiver parado, após a execução
continuará nesta posição.
Os comandantes de esquadras não repetem o comando do comandante
de GC, mais poderão em alguns casos, emitir comando para adotar
formações adequadas ou dispositivos impostos pelo Cmt do GC. 2)
Viaturas isoladas com reboque
Ao realizar mudanças de frente e/ou formação, O Cmt de GC deverá
mudar a base, se oportuno, para evitar deslocamentos desnecessários ou
cruzamentos de esquadras.
MEMENTO PARA O COMANDO

(1) ADVERTÊNCIA .....................GRUPO ATENÇÃO!


(2) COMANDO PROP DITO.......BASE (esquadra base)!
FRENTE (ou DIREÇÃO)!
FORMAÇÃO!
DISTÂNCIAS E INTERVALOS!
(3) EXECUÇÃO............................MARCHE ou MARCHE-MARCHE

A seqüência do memento acima deve ser seguida, no entanto, só


deverão fazer parte do comando os itens indispensáveis ou que serão
modificados.
EXEMPLO DE UM COMANDO SIMPLIFICADO :

- GRUPO ATENÇÃO!
- 3 HORAS!
- EM COLUNA!
- MARCHE!

Obs: - Foi omitido a BASE, portanto permanece a primeira esquadra


à frente.
- Foi omitido as DISTÂNCIAS E INTERVALOS, portanto
permanece 10 passos entre os homens e 20 a 50 metros entre as esquadras

8) MOVIMENTOS SOB VISTAS E FOGOS


Ao pressentir a possibilidade de ação do inimigo o CMT GC dará o
comando de: GRUPO ATENÇÃO, PREPARAR PARA PARTIR!, quando
todos carregarão e travarão suas armas, e iniciar-se-á a progressão por
lanços.
Estando o GC parado, antes que qualquer de seus elementos possam
deslocar-se o CMT GC emitirá o comando de: GRUPO ATENÇÃO,
PREPARAR PARA PARTIR !
a. Comandos para a progressão
1) Todo o grupo

1) GRUPO ATENÇÃO, PREPARAR PARA PARTIR !


2) ATÉ TAL PONTO OU LINHA !
3) TODO O GRUPO !
4) MARCHE – MARCHE !

2) Esquadra por esquadra

5) GRUPO ATENÇÃO !
6) POR ESQUADRAS !
7) 1ª ESQ ATÉ TAL PONTO OU LIONHA !
8) 2ª ESQ ATÉ TAL PONTO OU LINHA !
9) MARCHE – MARCHE !

• Do Cmt de esquadra

- 1ªESQ( ou 2ªesq) ATENÇÃO, PREPARAR PARA PARTIR !


- ATÉ TAL PONTO OU LINHA !
- TODA A ESQUADRA !
- MARCHE – MARCHE!

3 ) Homem a homem sucessivamente


- GRUPO ATENÇÃO, PREPARAR PARA PARTIR !
- BASE TAL ESQUADRA !
- ATÉ TAL LINHA !
- HOMEM A HOMEM !
- MARCHE – MARCHE !

• do Cmt de esquadra

- ESQUADRA ATENÇÃO, PREPARAR PARA PARTIR !


- ATÉ TAL LINHA !
- HOMEM A HOMEM !
- AO MEU COMANDO ( ou por iniciativa! marche – marche !)

Obs : Ao meu comando será sucedido pelo comando : fulano, marche –


marche !( o Cmt Esq é o último). Por iniciativa, os homens iniciarão seus
deslocamentos na ordem do dispositivo , da esquerda para a direita, ou
conforme convencionado.

4) Homem a homem simultaneamente

- GRUPO ATENÇÃO, PREPARAR PARA PARTIR !


- SIMULTÂNEAMENTE !
- ATÉ TAL LINHA !
- HOMEM A HOMEM !
- AO MEU COMANDO !
- TAIS HOMENS, MARCHE-MARCHE !

110 Min 2. CONCLUSÃO Quadro


Será realizada uma VI ao final da instrução, e posteriormente uma mural
prática.