Você está na página 1de 3

06/04/2015 Opera Mundi - 'Regulamentação da mídia é condição para liberdade de expressão', diz sociólogo francês

Assine 0800 703 3000 SAC Bate-papo E-mail Notícias Esporte Entretenimento Mulher Shopping BUSCAR

Segunda, 06 de Abril de 2015

Buscar

Receber Informativo

Seu e-mail Ok

Notícias Especiais Opinião Samuel Hoje na História Babel Cultura Blogs

Multimídia

# Crise na Ucrânia # Estado Islâmico # Grécia: governo Syriza # Iêmen # Israel # México # Mujica # Rússia
# Swissleaks # Venezuela

O melhor da imprensa
independente
Entrevistas e perfis Alemão: a morte do
VÍDEO: DOMINIQUE WOLTON menino e o eterno
'Regulamentação da mídia é condição para estado de exceção
Nas periferias brasileiras,
liberdade de expressão', diz sociólogo francês repressão policial é
ostensiva com crianças
Patrícia Dichtchekenian e Dodô Calixto | São Paulo - 26/03/2015 - 08h00
Entrevista em vídeo: para Wolton, atual jornalismo peca em autorreflexão e é Empresários golpistas formaram
grande vítima do progresso tecnicista com o avanço dos gigantes da internet nova diretoria na Fiesp
Após derrubar Jango, grupo foi embrião de
Curtir Compartilhar 6,9 mil Tw eet 138 7 YouTube 999+ indústria bélica brasileira

É falso o discurso
“A lei é sempre algo que nos protege. Não há liberdade de informação sem leis que organizam. A do 'sustentável',
lei não é sempre a tirania. Ora, ela cria uma tirania na ditadura, sim, mas ela é o benefício na diz biogeógrafo
democracia”, afirma o sociólogo francês e especialista em mídia Dominique Wolton, em
Para pesquisador sobre
entrevista a Opera Mundi. conservação ambiental, é
preciso rever posturas
Na última semana, Wolton esteve em São Paulo em evento da Faculdade Cásper Líbero para
discutir liberdade de expressão no contexto do atentado à sede da revista satírica Charlie Hebdo Filme mostra famílias que não
em janeiro de 2015, quando 12 pessoas foram mortas — a maioria profissionais da comunicação. matricularam crianças na escola
A educação alternativa do documentário
Assista a trechos da entrevista, legendada em português, de Dominique Wolton
'Para aprender é preciso viver'

China investe na
produção e na
cultura do vinho
Gigante asiático explora
mercados interno e
externo da bebida

Opera Mundi TV

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/entrevistas/39926/regulamentacao+da+midia+e+condicao+para+liberdade+de+expressao+diz+sociologo+frances.… 1/7
06/04/2015 Opera Mundi - 'Regulamentação da mídia é condição para liberdade de expressão', diz sociólogo francês
Sobre liberdade de expressão, o especialista não apenas abordou o fatídico episódio, mas Entrevista com Dominique Wolton
também se dedicou a explorar a importância da regulamentação da imprensa ao redor do 'Regulamentação da mídia é condição
mundo, principalmente em tempos em que os avanços técnicos da internet se sobrepuseram à para liberdade'
análise crítica dos atuais fenômenos midiáticos.

Leia mais:
'Lei de Meios' mexicana entra em vigor e rompe duopólio de Televisa e TV Azteca
Saiba como sete países regulamentam meios de comunicação

“Se quisermos fazer da internet uma ferramenta da democracia, precisamos criar um mínimo de
direito. A lei não mata a liberdade. Ela é a condição da liberdade”, sintetiza Wolton, que também
é diretor do CNRS (Centro Nacional para a Pesquisa Científica), em Paris.
Entrevista com Daniel Buarque
Para o sociólogo, essa regulamentação é importante até para conter o poder de gigantes da
'Brasil adquiriu identidade própria
internet, como Google, Amazon, Facebook e Apple. Aos seus olhos, estas empresas apresentam sob olhar estrangeiro'
uma natureza dialética: por ora, simbolizam a liberdade, mas também mascaram em seu
discurso uma tirania sob a ideologia do que chama de “tecno-euforia”

Dodô Calixto / Opera Mundi

Sociólogo analisa legado de Hugo Chávez


Esfriamento de mudanças é maior
problema da era pós-Chávez

'Loucos por samba'


Usuários de serviço de saúde mental
confeccionam fantasias de carnaval
Em evento em SP sobre liberdade de expressão, Wolton pediu autorreflexão de jornalistas para revisão da prática profissional Opera Mundi
Curtir
 “O jornalismo é a grande vítima do progresso. De 50 anos para cá, o progresso técnico mudou as
condições de produção e de difusão de informação. Nós jamais investimos em reflexão crítica 159.791 pessoas curtiram Opera Mundi.
para os jornalistas. Os jornalistas se adaptaram. Agora, acredito que eles sejam vítimas dessa
loucura técnica, da velocidade, da concorrência e do dinheiro. É preciso dar um ‘stop’ para que
os jornalistas façam um trabalho de autorreflexão”, sugere.

Leia mais: Uruguai aprova Lei de Meios e fará reforma do setor de mídia em 2015

'Comunicar não é informar'

Sobre a visão tecnicista que os jornalistas têm dado ao processo comunicativo, Wolton propõe Plug-in social do Facebook

um novo olhar para comunicação, que vá além do modelo ‘emissor-receptor’. Para o sociólogo,
comunicar não é apenas informar ou transmitir uma notícia. Pelo contrário, o processo está na
interação, “na relação com o outro”.
Entrevistas e Perfis
“Comunicação é negociar, coabitar e entender as diferenças. Uma das condições da paz é o EUROPA
respeito às diversidades, sejam elas culturais, linguísticas ou regionais. Comunicar é a
convivência com o outro”, analisa. 'Islamofobia virou ideologia rotineira
na França', diz autor
Para o sociólogo, situações de violência e extremismo, como no ataque à Charlie Hebdo, são
HOLANDA
fruto do processo oposto da comunicação, ou seja, da “incomunicação”— a falta de diálogo e o
entendimento mútuo entre sujeitos. Professora: Mito de 'país tolerante'
silencia debate sobre racismo
“Diversidade cultural é uma questão de comunicação, pois comunicar é negociar. Garantir a
diversidade cultural é uma obrigação democrática”, diz. AMÉRICA CENTRAL

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/entrevistas/39926/regulamentacao+da+midia+e+condicao+para+liberdade+de+expressao+diz+sociologo+frances.… 2/7
06/04/2015 Opera Mundi - 'Regulamentação da mídia é condição para liberdade de expressão', diz sociólogo francês
Zelaya: 'Cinco anos depois do golpe,
Dodô Calixto / Opera Mundi Honduras está pior que nunca'

SWISSLEAKS
Estados perdem US$ 200 bi por ano
com evasão fiscal, diz economista

FUTEBOL
Jean Beausejour, o mapuche que faz
história na seleção do Chile

ORIENTE MÉDIO
Jovens judeus vivem ruptura com
sionismo e deixam de apoiar Israel

Wolton: “Comunicação é negociar, coabitar  e entender as diferenças"

Um ataque à imprensa e aos muçulmanos

Por que não sou Charlie Hebdo - Je ne suis pas Charlie

Jornalismo-robô: softwares que escrevem notícias dividem indústria e profissionais de mídia

Regulamentação francesa
Banda Larga GVT
Na França, a regulamentação da imprensa é feita pelo CSA (Conselho Superior do Audiovisual). O
A melhor do Brasil pela 6ª
órgão é composto por nove conselheiros, dos quais três são indicados pelo presidente; três, vez. Assine já!
pelo Senado; e os outros três pela Câmara dos Deputados. GVT.​
com.​
b r/​
Residencial

Conforme as normas do CSA, nenhum grupo de mídia pode controlar mais de 30% da imprensa
diária, seja televisão, rádio, jornal ou internet. O organismo ainda exige pluralismo de opiniões e Tecnologia Neutraçúcar
diversidade cultural, podendo punir com multas, advertências e até suspensão de licença quem neutraliza o ácido causado
não seguir o marco regulatório. Qualquer incitação de discriminação, ódio ou violência é pelo açúcar dos alimentos.
Saiba mais.
considerada crime e, portanto, passível de ações judiciais. www.​
colgate.​
com.​
b r/​
n eutracucar

Leia mais:
Em decisão histórica, EUA aprovam normas mais rígidas para regulamentar internet no país
Mídia internacional destaca pioneirismo do Brasil com Marco Civil da internet

Em 2010, Emmanuel Gabla, um dos comissários do CSA foi à Brasília para um ciclo de palestras
sobre comunicação e mídias. Na ocasião, ele explicou que a regulamentação na França trata de
questões técnicas, econômicas, culturais e sociais. “Nenhum setor pode esmagar o outro”,
afirmou em entrevista à Agência Brasil. “A liberdade é total, se respeitada a lei”, sintetizou.

Neutralidade da rede

Outro ponto abordado por Wolton, a neutralidade da rede parte do pressuposto de que a web
deve ser encarada como um serviço público e, portanto, os provedores de internet devem tratar
todo o tráfego online de forma igual, sem fazer discriminações entre os usuários.

Um dos principais obstáculos para pôr em prática esta noção são os interesses econômicos das
empresas de telecomunicações e provedores de internet, que bloqueiam ou dificultam o acesso
a sites e serviços por meio de pacotes de dados, visando ao lucro. Desta maneira, a internet sai
de um espaço de inclusão social para uma esfera de exclusão.

Leia Mais
Um ataque à imprensa e aos muçulmanos
Por que não sou Charlie Hebdo - Je ne suis pas Charlie

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/entrevistas/39926/regulamentacao+da+midia+e+condicao+para+liberdade+de+expressao+diz+sociologo+frances.… 3/7