PUGNA

BUSQUEI ALGUÉM QUE PUGNASSE CONTRA MIM EM FAVOR DESTA TERRA

O Escapulário de Nossa Senhora do Carmo

C
H

om o seu olhar materno e cuidadoso, a Santa
Mãe de Deus, através dos tempos, sempre intercedeu por nós, concedendo-nos a graça, a
proteção e o auxílio nas diversas circunstâncias da
vida, favorecendo assim a santificação de seus filhos.
Um dos meios através do qual Maria manifesta sua
proteção especial é o Escapulário. Sobre ele, o Papa
São João Paulo II, que o usou continuamente durante
toda a sua vida, afirmava que: “O escapulário é sinal da
proteção contínua da Virgem Santíssima, não só ao
longo do caminho da vida, mas também no momento
da passagem para a plenitude da glória eterna” ¹. Por
sua vez, o Papa Pio XII declarou que “(...) a devoção
do Escapulário tem derramado sobre o mundo um rio
imenso de graças espirituais e temporais (...)" ².

Mas, como começou esta devoção?
São Simão Stock, foi um santo eremita que consagrou
sua virgindade à Santa Maria. Ele tinha uma vida de
penitência e oração, e chegou a dirigir a Ordem do
Carmelo. Em 16 de julho de 1251, das mãos da própria
Virgem Santíssima, recebeu o Escapulário. Ao entregálo, ela disse-lhe:
“Recebe, diletíssimo filho, este escapulário de tua ordem
como sinal distintivo e a marca do privilégio que eu obtive
para ti e para todos os filhos do Carmelo; é um sinal de salvação, uma salvaguarda nos perigos, aliança de paz e de
uma proteção sempiterna. Quem morrer revestido com ele
será preservado do fogo eterno” ³.

Imagem de Nossa Senhora do Carmelo vestindo e segurando
Escapulários. Maipú, no Chile.

Não há dúvidas de que este sacramental4 muito ajudou
na perseverança e propagação da ordem carmelita em
meio às perseguições sofridas desde o século XIII.

O que é o Escapulário?
Basicamente, é uma veste semelhante a que Nossa
Senhora deu a São Simão Stock: um tecido de lã, marrom, castanho ou preto, com duas partes retangulares,
presas por uma correntinha ou fios onde uma parte
caia sobre o peito e a outra sobre as costas. É parte do
hábito religioso, tanto dos carmelitas como de outras
ordens. Pode ser grande ou pequeno, para os leigos
usarem cotidianamente.

Pintura da Virgem do Carmo entregando e Escapulário a são
Simão Stock.

Obs: Não confundamos a medalhinha com as imagens
de Nossa Senhora do Carmo e do Sagrado Coração de
Jesus com o Escapulário.

BOLETIM - SOCIEDADE DA SANTÍSSIMA VIRGEM MARIA – Nº IV – MÊS VII - ANO MMXV

Esta, por ocasião dos soldados que iam para a 1ª
Guerra Mundial, foi autorizada pelo Papa São Pio X, a
partir de 16 de dezembro de 1910, para substituir o
Escapulário. Porém, a imposição apropriada deste sacramental, com rito, deve ser feita com o escapulário
original. A benção da imposição vale para o fiel e não
para o objeto em si. Este, quando extraviado, poderá
ser substituído por outro ou pela referida medalhinha
benta, sem necessidade de repetir o rito.

Conclusão: O Escapulário não dispensa o fiel católico dos Sacramentos que são os meios instituídos por
Nosso Senhor Jesus Cristo como via normal para nos
santificar. Nem o dispensa das práticas das virtudes.
Não „coloca‟ no Céu as almas em pecado mortal, mas
por ser um sacramental, ajuda a bem receber os Sacramentos e auxilia na conversão da alma e na sua
perseverança no bem. Ajuda a sair do estado de pecado mortal, onde houver um mínimo de boa vontade.
Usar o Escapulário com devoção é uma forma de demonstrar o amor de pertença à Virgem Maria. A própria
Mãe incentiva seus filhos a usarem, pois com certeza,
Ela os protegerá.
Notas e Referências:
1- Mensagem do Santo Padre à Ordem do Carmelo por ocasião da
dedicação do ano 2001 à Virgem Maria; disponível em:
<http://w2.vatican.va>.
2 - Discours du Pape Pie Xii pour le VII e centenaire du Scapulaire
Carmélitain (tradução: editores Pugna); disponível em:
<http://w2.vatican.va>.

Imposição com rito e benção própria do Escapulário após a
Missa Tridentina na igreja Matriz de Montes Claros-MG.

Quais as condições necessárias para usarmos
o Escapulário e ganharmos seus benefícios?
Que seja imposto primeiramente por um sacerdote,
utilizando o rito e a benção própria.
Que seja usado com respeito e devoção, sempre.
Deve-se levá-lo consigo continuamente, de dia e de
noite, até a morte. O escapulário é como um hábito
religioso. Lembra-nos que estamos vestidos com o
manto protetor de Nossa Senhora.

3 - OLIVEIRA, Cel. R. M. de. O Escapuário de nossa Senhora do
Carmo; disponível em:
<http://www.sacralidade.com/espiritualidade/0213.escapulario.html>
4 - O escapulário é um sacramental: “Os Sacramentais (...) oferecem aos fiéis bem dispostos a possibilidade de santificarem quase
todos os acontecimentos da vida por meio da Graça divina que
deriva do Mistério Pascal da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo
(...)” (II Concílio do Vaticano, Const. Sacrosanctum Concilium, 60:
AAS 56 – 1964 – 116: cf. CIC can. 1166; CCEO can. 867).
- Nossa Senhora do Carmo. Disponível em:
<http://www.paginaoriente.com/titulos/nscar1607.html>.
- O Escapulário de nossa Senhora do Carmo. Disponível em:
<http://www.sacralidade.com/espiritualidade/0213.escapulario.html>

Rezar diariamente as orações prescritas pelo sacerdote no momento da imposição.
Não deve ser usado nem tomado como um amuleto, de forma mágica. Pois, não basta apenas usar o
Escapulário, é preciso que a pessoa tenha boas disposições como: evitar o pecado, imitar as santas virtudes
e a vida de Maria, propagar a sua devoção e permanecer na fé da Igreja Católica.
Entre muitos fatos históricos envolvendo a vida dos
santos e o Escapulário, citaremos o exemplo de Beato
Izidoro Bakanja (1885-1909), conhecido como o „Mártir
do Escapulário‟: nascido no Congo, sempre trazia consigo o seu escapulário desde que fora batizado, tendo
grande devoção à Maria. Morreu por não tirá-lo e por
catequizar seus colegas em seu trabalho.
Maria Sempre!

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful